Página 1 dos resultados de 33 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

Bancos de dados hierárquicos em inquéritos epidemiológicos; Hierarchical Databases in Epidemiological Surveys

Barbieri, Silvio Fernando
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
56.13%
Introdução - A preocupação com a qualidade e disseminação dos dados em inquéritos é crescente no mundo. A integração entre banco de dados, planejamento da amostra, questionário e entrada de dados é fundamental para que resultados observados sejam válidos e precisos. A bibliografia pesquisada apontou que os inquéritos raramente produzem arquivos organizados, padronizados e prontos para disseminação, o que impossibilita estudar diferentes objetos de investigação com base em informações já coletadas. Objetivos - Implementar modelo hierárquico para entrada de dados em inquéritos epidemiológicos. Métodos - Foi utilizada a UML (Linguagem de Modelagem Unificada) para o projeto lógico e o Makeview do Epi Info para obtenção das estruturas de dados. Os testes foram feitos em um setor censitário do inquérito Acesso a Medicamentos - FAPESP. A documentação foi gerada no Makeview com ajuda de uma macro do Excel. Resultados - O modelo permite criar arquivos relacionais flexíveis, conforme a necessidade do objeto de estudo, com unidades estatísticas escolhidas dentre os 4 níveis hierárquicos: setor censitário, domicílios, indivíduos e questões específicas. Conclusão - A possibilidade de criar infinitas visões sobre os dados representa um avanço em comparação com o modelo plano. Deve ser usado como padrão em inquéritos epidemiológicos...

Processamento de consultas SOLAP drill-across e com junção espacial em data warehouses geográficos; Processing of drill-across and spatial join SOLAP queries over geographic data warehouses

Brito, Jaqueline Joice
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
26.09%
Um data warehouse geográco (DWG) é um banco de dados multidimensional, orientado a assunto, integrado, histórico, não-volátil e geralmente organizado em níveis de agregação. Além disso, também armazena dados espaciais em uma ou mais dimensões ou em pelo menos uma medida numérica. Visando oferecer suporte à tomada de decisão, é possível realizar em DWGs consultas SOLAP (spatial online analytical processing ), isto é, consultas analíticas multidimensionais (e.g., drill-down, roll-up, drill-across ) com predicados espaciais (e.g., intersecta, contém, está contido) denidos para range queries e junções espaciais. Um desafio no processamento dessas consultas é recuperar, de forma eficiente, dados espaciais e convencionais em DWGs muito volumosos. Na literatura, existem poucos índices voltados à indexação de DWGs, e ainda assim nenhum desses índices dedica-se a indexar consultas SOLAP drill-across e com junção espacial. Esta dissertação visa suprir essa limitação, por meio da proposta de estratégias para o processamento dessas consultas complexas. Para o processamento de consultas SOLAP drill-across foram propostas duas estratégias, Divide e Única, além da especicação de um conjunto de diretrizes que deve ser seguido para o projeto de um esquema de DWG que possibilite a execução dessas consultas e da especicação de classes de consultas. Para o processamento de consultas SOLAP com junção espacial foi proposta a estratégia SJB...

Materialização de visões XML

Saccol, Deise de Brum
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.59%
A grande quantidade de dados eletrônicos disponível atualmente nem sempre pode ser representada com modelos tradicionais, principalmente devido à ausência de esquema no momento da criação destes dados. Neste sentido, modelos semi-estruturados têm sido propostos; uma das abordagens utilizadas é XML, uma linguagem para troca e representação deste tipo de informação. Entretanto, consultar dados semi-estruturados pode demandar processos de extração com alto custo. Uma das alternativas para solucionar este problema é a definição de visões sobre estes dados, e a posterior materialização destas informações. O uso de visões materializadas para dados XML ainda é pouco explorado. Uma das abordagens que podem ser utilizadas é o uso de sistemas de gerenciamento de bancos de dados relacionais para o armazenamento das visões. Desse modo, informação semanticamente relacionada (informação acerca de um mesmo domínio, possivelmente representada em formatos diferentes) pode ser agrupada em uma única unidade lógica, facilitando o acesso a estes dados por parte do usuário, e introduzindo alguma estrutura nos dados semiestruturados. Dessa maneira, o usuário final submete consultas diretamente sobre a visão materializada...

From XML to relational view updates: applying old solutions to solve a new problem; De atualizações sobre visões XML para atualizações sobre visões relacionais: aplicando soluções antigas a um novo problema

Braganholo, Vanessa de Paula
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
ENG
Relevância na Pesquisa
46.63%
XML has become an important medium for data exchange, and is frequently used as an interface to - i.e. a view of - a relational database. Although lots of work have been done on querying relational databases through XML views, the problem of updating relational databases through XML views has not received much attention. In this work, we give the rst steps towards solving this problem. Using query trees to capture the notions of selection, projection, nesting, grouping, and heterogeneous sets found throughout most XML query languages, we show how XML views expressed using query trees can be mapped to a set of corresponding relational views. Thus, we transform the problem of updating relational databases through XML views into a classical problem of updating relational databases through relational views. We then show how updates on the XML view are mapped to updates on the corresponding relational views. Existing work on updating relational views can then be leveraged to determine whether or not the relational views are updatable with respect to the relational updates, and if so, to translate the updates to the underlying relational database. Since query trees are a formal characterization of view de nition queries, they are not well suited for end-users. We then investigate how a subset of XQuery can be used as a top level language...

Extensão de uma linguagem de consulta para documentos xml com características de tempo e de versão; Extended XML documents query language with time and version features

Gomes, Cláudio Hessel Peixoto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.35%
O uso da XML (Extensible Markup Language) em aplicações envolvendo bancos de dados vem se consolidando nos últimos dois anos. Os principais sistemas de gerenciamento de banco de dados já incorporam essa tecnologia em suas mais recentes versões. Dentre diversas aplicações destaca-se a publicação de dados relacionais em visões XML. Diferentemente da XML, o Modelo Temporal de Versões (TVM) não apresenta suporte entre os bancos de dados atuais. Esse modelo, que une características temporais com o conceito de versão para projetar aplicações orientadas a objetos, precisa ser mapeado para ser adequadamente controlado em um SGBD (Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados). Cumprida essa etapa, aplicações do TVM também podem gerar visões XML. Nesse trabalho é inicialmente apresentada uma forma de representar instâncias de aplicações do TVM em um formato XML. Os documentos definidos a partir desse formato de representação são utilizados como base para consultas. Em seguida, é proposta uma extensão de uma linguagem de consulta XML visando proporcionar recursos para a recuperação de informações temporais e de versão representadas em documentos XML. São definidas funções temporais e versionadas que são incorporadas à linguagem base. O funcionamento das funções e a especificação de consultas temporais versionadas são descritos em detalhes no decorrer do trabalho. Uma ferramenta que implementa a linguagem base é utilizada na realização de testes visando validar as novas funções.; The use of the XML in applications involving databases has grown in the last two years. Recent versions of the main database management systems already incorporate this technology. Publishing relational data in XML can be identified as one of the different applications of XML. The Temporal Version Model (TVM) has no support in current databases. This model matches temporal features with the version concept to project object-oriented applications and needs to be mapped to be managed in a DBMS (Database Management System). Once this mapping is achieved...

Tratamento de conflitos e detecção de deltas em atualização através de visões XML; Conflict resolution and difference detection in updates through XML views

Vargas, Andre Prisco
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.46%
A linguagem XML tem se tornado um padrão no intercâmbio de informações naWeb. No entanto, a maioria das organizações continua a armazenar seus dados em bancos de dados relacionais. Diante deste ambiente, surge a necessidade de se construir aplicações que permitam às empresas o intercâmbio de informações via XML, mas sem que estas empresas tenham que migrar suas bases relacionais. Neste trabalho, é apresentada uma técnica para importar e exportar documentos XML, focada em cenários entre empresas onde visões XML são extraídas de uma base de dados relacional e enviadas via Web (ou qualquer outro meio) para outra aplicação que as edita e as retorna. Através da edição da visão XML, a própria base de dados relacional é modificada, atualizando assim os dados da empresa. A base de dados relacional deve ser atualizada com as novas informações da visão XML. Neste tipo de transação tem-se as seguintes considerações: 1. A visão XML pode ser atualizada por qualquer aplicação. Editores de texto, banco de dados XML e aplicações específicas estão entre as aplicações que podematualizála. 2. A aplicação que recebe a visão XML fica de posse dela por um período não determinado, podendo inclusive não retornar a visão. Durante este período a aplicação pode ficar desconectada da base de dados geradora da visão XML. 3. Enquanto a visão XML está sendo editada...

Vestida de frivolidades : a moda feminina em suas visões estrangeira e nacional na revista O Cruzeiro de 1929 a 1948

Lima, Laura Ferrazza de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
35.84%
O presente trabalho pretende contribuir com a historiografia brasileira referente aos estudos de história da moda e suas implicações sócio-culturais. O objetivo é realizar uma análise comparativa das colunas de moda da revista O Cruzeiro entre 1929 e 1948. O recorte temporal escolhido deve-se ao acervo que serviu para a busca das fontes de pesquisa, o Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa na cidade de Porto Alegre. A metodologia utilizada originou-se da análise do conceito da moda e colheu na fonte grande número de imagens que gerou um banco de dados. Tais fotografias, após analisadas, sofreram uma triagem e as escolhidas geraram séries de relatórios. A partir disso, foi preciso ouvir o que elas queriam comunicar para então eleger as colunas de moda a serem trabalhadas de forma específica na dissertação. O que pretendi analisar é: como a revista O Cruzeiro apresentava a moda, levando em conta o papel desempenhado pelo estrangeiro e pelo nacional. O Brasil apenas copiava a moda estrangeira ou também iniciava um processo criativo particular – ou, ao menos, uma visão própria da moda? Ao longo da pesquisa foram estabelecidas relações entre a moda e o conhecimento, a verdade, a estética, a identidade e a própria história. A construção de uma visão nacional da moda ocorreu através de um longo processo que dependeu da análise das colunas de moda. Inicialmente elas eram escritas por uma estrangeira - Madame Thérèse Clemenceau - passaram a ter contribuições anônimas...

Gerente de configurações para o ambiente STAR; Configuration manager to STAR framework

Ribeiro, Helena Grazziotin
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.09%
Este trabalho apresenta os mecanismos de gerencia de configurações para o ambiente STAR. STAR é uma plataforma para o desenvolvimento de ambientes para projetos de circuitos e sistemas eletrônicos que está sendo desenvolvido na Universidade Federal do Rio Grande do Sul em cooperação com o Centro Científico da IBM no Rio de Janeiro. Seus objetos de projeto caracterizam-se como sistemas complexos e são representados através de um modelo de dados hierárquico, que tem por base a composição de objetos. Para expressar a evolução dos objetos de projeto no tempo utiliza-se versões, que mantêm as descrições dos objetos num determinado instante de tempo. O mecanismo de gerência de versões é fortemente relacionado à representação dos dados, suportando as diferentes dimensões que essa representação permite: visões, alternativas e revisões. A utilização de versões associada à composição de objetos faz com que se possa ter diversas possibilidades de descrição para um mesmo sistema complexo, em função da combinação das versões. Para que se possa submeter um objeto de projeto a uma ferramenta, como um simulador, épreciso selecionar versões de modo a obter uma descrição única, que é a sua configuração. A existência de um gerente de configurações dá agilidade a essa tarefa...

Atualizações sobre visões xml em bancos de dados relacionais

Alves, Thiago Winkler; Murta, Vanessa Braganholo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
35.91%

Implementação de um sistema de atualização de bancos de dados através de visões XML

Alves, Priscila Pinto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
35.91%

Controle de acesso para bancos de dados geograficos multiversão; Access control in multiversion geographic databases

Mateus Silva Pierre
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.01%
Aplicações geográficas estão cada vez mais influenciando todas nossas atividades diárias. Seu desenvolvimento exige, via de regra, trabalho em equipe de múltiplos perfis de especialistas, com diferentes visões e direitos de acesso aos dados. Em conseqüência, vários mecanismos vêm sendo propostos para controlar autorização a bancos de dados geográficos ou disponibilizar o uso de versões. Estes mecanismos, no entanto, trabalham de forma isolada, priorizando apenas o direito de acesso ou o versionamento flexível. A dissertação aborda esta questão, propondo um modelo unificado de autorização em bancos de dados que ataque os dois problemas em conjunto. O modelo trata da questão de controle de acesso em bancos de dados geográficos, levando-se em consideração a existência de mecanismos de versionamento dos dados armazenados. Este modelo pode, assim, servir como base para trabalho cooperativo e seguro em aplicações que usem Sistemas de Informação Geográficos (SIGs); Geographic applications are increasingly influencing our daily activities. Their development requires efforts from multiple teams of experts with different views and authorizations to access data. As a result, several mechanisms have been proposed to control authorization in geographic databases or to provide the use of versions. These mechanisms...

Visões em sistemas de informações geograficas : modelo e mecanismos

Nevton Cereja
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/12/1996 PT
Relevância na Pesquisa
46.21%
Esta dissertação investiga as funcionalidades oferecidas por modelos e mecanismos de visões e as necessidades de SIG que podem ser satisfeitas através de tais funcionalidades. As principais contribuições deste trabalho são (1) um estudo detalhado do papel de visões em SIG, (2) a proposta de um modelo de visões orientado a objetos a ser usado em SIG, mostrando a necessidade de dados e informação semântica adicional em relação aos modelos convencionais, (3) apresentação da arquitetura de um mecanismo para implementar tal modelo e (4) uma linguagem para especificar visões no modelo. A validação do trabalho é feita através da modelagem de uma aplicação real em SIG; This thesis analyses the functiona1ity offered by view mechanisms in order to satisfy specific GIS needs. The main results presented are: (1) a detai1ed analysis of the role views can play in the GIS context; (2) the specification of an object oriented view model to be used in GIS, which shows the need for additional data and semantic information in order to support the required functionality; (3) the presentation of a mechanism to support the model; and (4) a language to specify views in this model. The work developed is validated through the modelling of a real world application using the model and language proposed

Visões estendidas : uma proposta para extensão de bancos de dados relacionais

Henrique Nou Schneider
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/08/1989 PT
Relevância na Pesquisa
46.23%
A tese apresentada uma proposta para estender facilidades de SGBDs relacionais através de mecanismo de atualização de visões. A extensão se baseia na definição de interfaces que permitam o suporte a um novo tipo de visão: as "visões estendidas" (VEs), utilizadas como mecanismo para definir e manipular tipos de dados não suportados pelo SGDB original. As visões são definidas segundo a filosofia de Tipos Abstratos de Dados, onde a função geradora de visão, as operações permitidas sobre a visão e um conjunto de mapeamentos para cada operação estão encapsulados em um único Módulo. Como cada atualização pode ter mais que uma tradução correta, o usuário pode optar por especificar o mapeamento quando da definição da visão, ou no momento em que ele estiver processando atualizações. A validação da proposta é feita através da implementação de um protótipo que permite a definição e manipulação de alguns tipos de VEs; Not informed

Organization is sharing : from eScience to personal information management = Organização é compartilhamento: de eScience para gestão de informação pessoal; Organização é compartilhamento : de eScience para gestão de informação pessoal

Rodrigo Dias Arruda Senra
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.12%
Compartilhamento de informação sempre foi um aspecto chave em qualquer tipo de esforço conjunto. Paradoxalmente, com o dilúvio de dados, a incremental disponibilização de informação tem dificultado o projeto e implementação de soluções que efetivamente estimulam o compartilhamento. Esta tese analisa aspectos distintos do compartilhamento - desde ambientes relacionados à eScience até informação pessoal. Como resultado desta análise, ela provê respostas para alguns dos problemas encontrados, ao longo de três eixos. O primeiro, SciFrame, é um arcabouço específico para descrição de sistemas ou processos envolvendo manipulação de dados científicos no formato digital, servindo como um padrão que auxilia a comparação de sistemas. A adoção do SciFrame para descrição de ambientes científicos virtuais permite a identificação de pontos em comum e oportunidades de interoperabilidade. O segundo eixo de contribuição contempla o problema da comunicação entre sistemas arbitrários e serviços oferecidos por bancos de dados, através do uso dos então chamados descritores de bancos de dados ou DBDs. Estes descritores contribuem para desacoplar aplicações dos serviços, melhorando, portanto o compartilhamento entre aplicações e bancos de dados. A terceira contribuição...

Integrando bancos de dados heterogêneos através do padrão XML

Ferrandin, Mauri
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: ii, 107 f.| il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
46.25%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação.; Com objetivo de organizar e estruturar o armazenamento das informações necessárias às organizações, SGBDs são utilizados a fim de prover o acesso de maneira ágil, eficiente e segura a estas informações pelas aplicações. Os dados armazenados em um SGBD são organizados de acordo com um esquema definido em cada organização, assim, quando estas precisam integrar/trocar informações armazenadas em seus respectivos bancos de dados, vários problemas surgem devido a heterogeneidade dos esquemas ou plataformas de hardware/software, necessitando de uma estrutura capaz de mediar tal intercâmbio. Para prover a integração de diversos bancos de dados heterogêneos, são utilizados os Sistemas Gerenciados de Bancos de Dados Distribuídos Heterogêneos, que controlam e possibilitam as aplicações acesso de maneira transparente aos dados distribuídos entre as bases heterogêneas. Com a especificação do padrão XML, o mesmo passou a ser utilizado para intercâmbio de dados, uma vez que é capaz de agregar a seu conteúdo informações que o descrevem(metadados), possibilitando assim a representação de dados que não poderiam ser representadas através do modelo relacional utilizado pela maioria dos SGBDs. Com o padrão XML é possível então a criação de visões materializadas dos dados armazenados em um SGBD local e utilizar esta visão para os mais variados fins. O presente trabalho apresenta uma proposta de um sistema capaz de prover o acesso - de maneira integrada e transparente para as aplicações - às informações armazenadas em bases heterogêneas e distribuídas...

Ottocodificação estendida e inteligência hidrográfica em banco de dados geográficos

Teixeira, Alexandre de Amorim
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
46.15%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, Pós-Graduação em Geociências Aplicadas, 2012.; A presente tese apresenta um aprimoramento do sistema de codificação de bacias hidrográficas baseada na proposta de Pfafstetter, mas que resolve as principais limitações da representação de uma rede hidrográfica unifilar como confluências múltiplas, foz em delta, enlaces, entre outras. Além disso, o presente trabalho apresenta um novo modelo conceitual do pacote de hidrografia das Especificações Técnicas para Aquisição e Estruturação de Dados Geoespaciais Digitais Vetoriais (ET-ADGV/EDGDV), componente vetorial da Mapoteca Nacional Digital (MND), que faz parte da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais do Brasil (INDE). Esse modelo utiliza os elementos lógicos derivados da codificação de bacias hidrográficas de Pfafstetter. Para tanto, esse novo modelo conceitual foi implementado no sistema gerenciador de banco de dados espaciais objeto-relacional PostGIS/PostgreSQL respeitando as restrições de integridade relacionadas à geometria dos objetos mapeados, as restrições definidas pelo usuário que respeitem os objetos lógicos da codificação de bacias de Pfafstetter e as restrições de integridade ligadas aos relacionamentos espaciais entre os objetos...

A hora e a vez do professor na informática educativa : um banco de informações de softwares educacionais construído pelo professor

Carrão, Eduardo Vitor Miranda; Silva, Bento Duarte da; Pereira, Rosilene
Fonte: Universidade Estadual do Rio de Janeiro Publicador: Universidade Estadual do Rio de Janeiro
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2004 POR
Relevância na Pesquisa
36.04%
Citação bibliográfica: Carrão, Eduardo, SILVA, Bento & Pereira, Rosilene (2004). A Hora e a Vez do Professor: um Banco de Dados de Informações de Softwares Educacionais Construído pelo Professor. In Actas do VI Colóquio sobre Questões Curriculares (II Colóquio Luso-Brasileiro Sobre Questões Curriculares), Universidade Estadual do Rio de Janeiro, pp. 3787-3795. (ISBN: 85-863921-11-1); Este comunicação integra-se num projeto de investigação que pretende analisar a problemática da informática educativa na sua inserção cotidiana na sala de aula. Diz respeito à teoria da Tecnologia Educacional, num momento em que as reflexões já não se limitam a visões reduzidas de equipamentos, mas a busca constante de caminhos alternativos para a renovação da educação. Num primeiro momento discute-se o desafio que a informática coloca à educação, incidindo, em particular, no uso do software educativo. Considerando que, no ambiente escolar, são adquiridos laboratórios e montadas excelentes salas de informática, mas que há pouca (ou nenhuma) preocupação com a opinião do professor e o uso que este faz de equipamentos e softwares educativos, formulamos a questão central do projeto, a ser discutida: como usam e pensam...

Uma metodologia para controle de acesso granular em sistemas de banco de dados relacionais open source

Marques, Maurício Guedes; Souza, Fernando da Fonseca de (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
66.45%
O controle e manutenção do acesso granular aos dados, ou seja, no nível de linha e coluna, sobretudo em organizações que dispõem de diversos sistemas de banco de dados distintos, é um problema em aberto, em que há poucos estudos de como resolver o problema a partir de um método ou solução única para o controle, de forma corporativa, da segurança no acesso aos dados das diversas bases disponíveis. As soluções presentes atualmente no mercado estão disponíveis apenas para sistemas de gerenciamento de banco de dados (SGBD) cujo licenciamento muitas vezes impede a utilização deste recurso. Além disso, tais soluções são proprietárias e só funcionam em um único SGBD. Muitas aplicações utilizam o conceito de visões (views) para prover o controle de acesso granular. No entanto, apesar de flexível, não é uma solução prática porque as lógicas das visões podem se tornar bastante complexas para garantir o controle de acesso, dificultando o gerenciamento e manutenção das mesmas. Além disso, é uma solução com baixa escalabilidade quando existe um número grande de usuários e perfis de acesso. Desta forma, grande parte das aplicações implementa o controle de acesso dentro do código da aplicação. Isso proporciona uma série de desvantagens e de falhas de segurança associadas. Este trabalho traz uma proposta de metodologia para controle de acesso granular em sistemas de banco de dados relacionais open source. Esta solução combina sistemas gerenciadores de banco de dados relacionais open source com a intervenção dos comandos SQL através do driver de acesso ao banco de dados. O driver customizado lê e aplica...

GeOntoQuery - um mecanismo de busca em bancos de dados geográficos baseado em ontologias

Viegas, Renata Fernandes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Sistemas e Computação; Ciência da Computação Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Sistemas e Computação; Ciência da Computação
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.2%
Geographic Information System (GIS) are computational tools used to capture, store, consult, manipulate, analyze and print geo-referenced data. A GIS is a multi-disciplinary system that can be used by different communities of users, each one having their own interest and knowledge. This way, different knowledge views about the same reality need to be combined, in such way to attend each community. This work presents a mechanism that allows different community users access the same geographic database without knowing its particular internal structure. We use geographic ontologies to support a common and shared understanding of a specific domain: the coral reefs. Using these ontologies' descriptions that represent the knowledge of the different communities, mechanisms are created to handle with such different concepts. We use equivalent classes mapping, and a semantic layer that interacts with the ontologies and the geographic database, and that gives to the user the answers about his/her queries, independently of the used terms; Sistemas de Informação Geográfica (SIG) são ferramentas computacionais usadas para capturar, armazenar, consultar, analisar e imprimir dados geo-referenciados. Os SIG são sistemas multidisciplinares, ou seja...

GEOPROCESSAMENTO COMO ESTRATÉGIA DE INVESTIGAÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO: UMA ABORDAGEM SOCIOAMBIENTAL APLICADA AO TERRITÓRIO DE IDENTIDADE SERTÃO DO SÃO FRANCISCO (BA), 2004 A 2006; GEOPROCESSAMENTO COMO ESTRATÉGIA DE INVESTIGAÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO: UMA ABORDAGEM SOCIOAMBIENTAL APLICADA AO TERRITÓRIO DE IDENTIDADE SERTÃO DO SÃO FRANCISCO (BA), 2004 A 2006

Scheer, Marcia Aparecida Procopio da Silva; Lage, Creuza Santos; Jesus, Emanuel Fernando dos Reis de; Gonçalves, Neyde Maria Santos; Pertile, Noeli; Magalhães, Denise Silva; Melo, Danilo; Pires, Thiago de Aquino
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 05/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
26.27%
As regiões tropicais semiáridas correspondem a ecossistemas frágeis, e, conseqüentemente, susceptíveis a processos de degradação socioambientais com efeitos significativos na vulnerabilidade local e com repercussões sobre a sustentabilidade de seus territórios. A deficiência hídrica atua como fator restritivo e dificulta as condições biostásicas do sistema natura,l com importantes impactos na qualidade de vida das comunidades dessas regiões. A adversidade climática, sobretudo quanto aos riscos de seca, à salinização dos solos, às práticas agrícolas inadequadas, aliados à concentração da propriedade da terra e ao acesso ao uso produtivo da água, os altos índices de pobreza, a exclusão social são exemplos, entre outros, da fragilidade socioambiental de extensas áreas do semiárido baiano, com graves consequências para a economia local. Inserido neste contexto, o presente projeto teve o objetivo de analisar a vulnerabilidade e as perspectivas de sustentabilidade do Território de Identidade Sertão do São Francisco (BA), (implantado pela Secretaria do Desenvolvimento Territorial - Ministério do Desenvolvimento Agrário) em 2005, por meio de uma metodologia de integração em ambiente de Sistema de Informação Geográfica...