Página 1 dos resultados de 1728 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Avaliação da virulência de isolados suínos de Mycobacterium avium no Brasil caracterizados pelo método de RFLP; Evaluation of virulence of swine Mycobacterium avium isolates in Brazil characterized by RFLP method

Suehiro, Rosana Tabata
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.31%
Dada a existência de quatro famílias molecularmente distintas de estirpes de Mycobacterium avium isoladas de suínos da região Sul do Brasil e a verificação de diferentes virulências em hamsters de um representante por família, o presente trabalho objetiva relacionar a virulência de isolados de M. avium aos seus perfis genéticos obtidos em experimentos de RFLP. Foram selecionados três representantes por família que foram inoculados pela via intraperitoneal em hamsters distribuídos em doze grupos (cada grupo recebeu uma estirpe diferente). Foi mantido um grupo controle que recebeu solução salina estéril pela mesma via. Após 16 dias da inoculação, os animais foram eutanasiados; os baços foram colhidos, pesados, macerados, suspendidos em solução salina estéril e diluídos. Cada uma das diluições foi semeada em duplicata em placas com meio de Petragnani, que foram incubadas a 37°C. Após 30 dias de incubação, foram realizadas as contagens de UFC e os resultados foram expressos em UFC de M. avium por grama de baço. As famílias genéticas apresentaram capacidade de virulência semelhante (p=0,49). As estirpes dentro das famílias PIG B e PIG D não apresentaram diferença na virulência (p=0,15 e p=0,87, respectivamente). Dentro da família PIG A...

Determinação de grupos filogenéticos e pesquisa de genes de virulência em isolados de Escherichia coli obtidos de amostras de queijo Minas; Determination of phylogenetic groups and search of virulence genes in isolated Escherichia coli from Minas cheese samples

Pedro, Suzete Contrera de Moura
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Introdução. A pesquisa de Escherichia coli em alimentos é relevante para a Saúde Pública porque indica a contaminação fecal e a qualidade do produto oferecido ao consumidor. A determinação do grupo filogenético e de fatores de virulência de E. coli permite identificar a existência de cepas patogênicas que poderiam causar doença. Objetivos: Determinar o grupo filogenético e fatores de virulência de isolados de E. coli pertencentes aos patotipos ETEC, EIEC, EPEC, STEC e EAEC usando métodos moleculares, obtidos de amostras de queijo Minas, discutir a presença dos patotipos nas amostras e o significado para Saúde Pública. Métodos. 250 isolados de Escherichia coli provenientes de 10 amostras de queijo Minas foram utilizados para a realização do estudo. O DNA genômico foi extraído e neste foi realizado a reação de PCR multiplex. Resultados. Os resultados demonstraram que dos 250 isolados, 93,2% foi classificado como grupo filogenético A, 3,2% como B1, 2,8% como B2 e 0,8% como D. Dos 250 isolados estudados, em 96,8% (242) foram encontrados fatores de virulência, sendo 91,6% de marcadores para ETEC, 0,4% para EPEC e 4,8% para EAEC. Conclusões. Houve predominância de fatores de virulência do patotipo ETEC e do grupo filogenético A. A presença de fatores de virulência indica que as amostras de queijo estavam contaminadas e poderiam causar doença...

Fatores de virulência e genes regulatórios agr de Staphylococcus aureus e outras espécies coagulase positivas isoladas de mastites bovina e ovina; Virulence factors and regulatory genes (agr) of Staphylococcus aureus and other coagulase-positive species isolated from bovine and ovine mastitis

Almeida, Lara Mendes de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
A mastite é um sério problema em rebanhos leiteiros com consideráveis conseqüências econômicas. Embora alguns patógenos possam causar essa doença, Staphylococcus aureus é o mais importante agente etiológico em mastites bovinas e ovinas. O surgimento de linhagens resistentes a diferentes antibióticos e a presença de múltiplos fatores de virulência dificultam o tratamento das infecções causadas por essa espécie. Neste estudo, foram analisados 70 isolados de estafilococos coagulase positivos de origem animal: 52 provenientes de amostras de leite de bovinos portadores de mastite subclínica, do óstio dos tetos desses animais e de insufladores de três fazendas de exploração leiteira do Estado de São Paulo. Os outros 18 isolados foram provenientes de ovinos da região do agreste do Estado de PE, sendo 6 de casos de mastite clínica e 12 de casos de mastite subclínica. Por meio da eletroforese de campo pulsado (PFGE), pôde-se concluir que houve alta diversidade genética entre as linhagens de S. aureus isoladas das diferentes fontes analisadas das três fazendas do Estado de SP. No entanto, um perfil clonal comum foi identificado nas amostras de leite de duas dessas fazendas e, em uma terceira fazenda, houve a predominância de outro perfil clonal de S. aureus entre os isolados de leite bovino proveniente de animais portadores de mastite subclínica. Em relação às outras espécies coagulase positivas...

Caracterização, pesquisa dos genes de virulência e beta-lactamases em Aeromonas hydrophila provenientes de esgoto e lodo tratados; Characterization, investigation of virulence Genes and beta-lactamases in Aeromonas hydrophila from treated wastewater and sludge

Oliveira, Danielle Escudeiro de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Introdução: Bactérias do gênero Aeromonas estão presentes em ambientes de água doce, salgada e salobra. O isolamento destes microrganismos já foi relatado em água de abastecimento público e alimentos. Algumas espécies podem ser patogênicas ao homem, causando gastrenterites e outras infecções. Isolados de Aeromonas de fontes diversas expressam resistência a antimicrobianos, especialmente a -lactâmicos, devido à presença de enzimas -lactamases. A patogenicidade das espécies se deve à virulência multifatorial, que compreende a produção de enterotoxinas (Act, Alt e Ast), de elastase, presença de flagelo, entre outros. Objetivo: Isolar, identificar e quantificar Aeromonas hydrophila isoladas de esgoto e lodo tratado; pesquisar a ocorrência dos genes de virulência e resistência a -lactâmicos. Material e Métodos: A detecção e quantificação de Aeromonas hydrophila foram realizadas por meio da técnica de membrana filtrante e meio de cultura específico; a identificação foi realizada por meio da PCR utilizando um par de primers específicos para a espécie. Após a confirmação da espécie foi realizado o antibiograma para conhecer o perfil de resistência aos antibióticos; a pesquisa dos genes de virulência act...

Pesquisa de genes de virulência em cepas de Listeria monocytogenes e Listeria innocua originárias de carne suína e ambiente de abatedouros e açougues; Research of virulence genes in strains of Listeria monocytogenes and Listeria innocua originated from pork and slaughterhouse and meat market environment

Moreno, Luisa Zanolli
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/05/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Introdução - A bactéria Listeria monocytogenes é um agente zoonótico transmitido, principalmente, por alimentos. Dentre as fontes de contaminação, destacam-se os produtos de origem láctea, carnes e embutidos, além dos ambientes da indústria de processamento alimentício. Na última década, foram detectadas cepas de L. monocytogenes e L. innocua, em ambiente de frigoríficos e alimento. Estas apresentavam variação na intensidade da virulência para células eucarióticas decorrente de mutações nos genes de virulência. Esta alteração em ambas as espécies, e o relato de um caso fatal de listeriose humana ocasionada por L. innocua atípica demandam atenção, pois apresentam maior risco à saúde da população exposta a estes ambientes e alimentos tornando-se, portanto, uma importante questão de saúde pública. Objetivo - Pesquisar genes de virulência em cepas de L. monocytogenes e L. innocua, isoladas em pontos da linha de abate suíno e do comércio de carne no Estado de São Paulo. Material e Métodos Foram estudadas 40 cepas, dentre estas, isolados de L. monocytogenes e L. innocua com atividade hemolítica atípica. Foram realizados testes de atividade hemolítica e produção de fosfolipase A para caracterização dos isolados. A detecção dos genes de virulência foi realizada através da reação em cadeia pela polimerase (PCR). Para confirmação das sequências amplificadas e a análise das mesmas...

Fatores de virulência de Streptococcus mutans e sua relação com a persistência e transmissão de genótipos entre membros de famílias brasileiras; Virulence factors of Streptococcus mutans and its relation to the persistence and transmission of genotypes among Brazilian family members

Cota, Ana Lídia Soares
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Streptococcus mutans (S. mutans) é considerado o principal agente etiológico da cárie dentária e estudos acerca de sua virulência têm sido realizados com o intuito de compreender melhor os mecanismos de patogenia da doença. Dentre outros fatores, a virulência dessa espécie bacteriana está relacionada a sua habilidade em produzir proteína ligante de glucano tipo A (GbpA) e mutacinas, proteínas que desempenham importante papel na adesão celular e colonização da superfície dentária. Desta forma, o objetivo da presente pesquisa foi analisar, geneticamente, esses fatores de virulência de S. mutans e verificar sua relação com a persistência e transmissão de genótipos entre os membros de oito famílias brasileiras. Foram utilizados 392 isolados clínicos de S. mutans obtidos a partir da saliva de 20 indivíduos adultos cárie-ativos. Os microrganismos foram previamente identificados e genotipados em um estudo anterior que avaliou sua transmissibilidade e estabilidade ao longo do tempo. As amostras estocadas a -86°C foram reativadas por semeadura em diferentes meios de cultura (ágar sangue e ágar Mitis Salivarius Bacitracina Sacarose) e repicadas em caldo de Infusão de Cérebro e Coração. Após extração do DNA cromossômico bacteriano foram realizadas análises genético-moleculares...

Padronização da técnica de mutagênese marcada com assinatura para obtenção de mutantes de Escherichia coli patogênica aviária com virulência atenuada

Pavanelo, Daniel Brisotto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
Escherichia coli patogênica aviária (APEC) é o agente etiológico da colibacilose, doença que acomete galinhas, patos, perus e outras aves, principalmente entre a 2ª e a 12ª semana de vida. Existem diversos estudos sobre genes associados à virulência de APEC, mas eles ainda não são capazes de explicar todos os fenótipos de APEC. Portanto, outros genes associados à virulência – ainda não descritos – devem estar presentes em APEC. Para descobrir novos genes associados à virulência em APEC, uma cepa invasiva foi usada para a construção de uma biblioteca de 1.800 mutantes, através da técnica de mutagênese marcada com assinatura, que insere transposons aleatoriamente no genoma da bactéria. Os mutantes foram selecionados em um ensaio de invasão in vitro a fibroblastos aviários da linhagem CEC-32. A sequência dos transposons inseridos nos mutantes permite a identificação daqueles mutantes que não foram capazes de invadir os fibroblastos. Até agora, 11 de 20 pools de 90 mutantes cada foram analisados, e 48 mutantes parecem ter perdido a capacidade invasiva, ou seja, tiveram sua virulência atenuada. Os demais pools já foram selecionados e terão seu DNA analisado. Todos mutantes que possivelmente perderam sua capacidade invasiva serão testados novamente para confirmar seu fenótipo de virulência atenuada. Depois...

Estudo de fatores de virulencia em amostras de Klebsiella pneumoniae e Escherichia coli B - lactamases espectro estendidas

Rosimary de Jesus Gomes Turry
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/07/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.31%
A patogênese da K.pneumoniae e Ecoli pode ser diretamente influenciada pelos fatores de virulência, dentre os quais encontram-se polissacarídeos capsulares, lipopolissacarídeos tóxicos, adesinas e sistema de aquisição de ferro. Além desses fatores de virulência, muito pouco é conhecido sobre outros fatores que podem participar da patogênese da K.pneumoniae. O presente trabalho estuda os fatores de virulência de K.pneumoniae e Ecoli isoladas de infecções nosocomiais em amostras ESBL (+) e ESBL (-), tendo como objetivos a comparação do grau de patogenicidade e produção de fatores de virulência por essas amostras in vivo e in vitro; a verificação da influência das condições de cultivo sobre a expressão de citotoxinas; o estudo do padrão de adesão em linhagens celulares; análise da influência da dose subinibitória de antibióticos beta-Iactâmicos sobre a produção de fatores de virulência pelas amostras ESBL (+). K.pneumoniae e Ecoli ESBL (+) apresentaram atividades hemolíticas moduladas pelo meio de cultura e pelas condições de cultivo, frente a sangue de eqüino e carneiro. A dose subinibitória do antibiótico estimulou a produção da hemolisina, sobre hemácias de eqüinos em meio Müller-Hinton apenas na presença do oxigênio. A carência de ferro nos meios induziu a produção de hemolisina...

O efeito do stresse frio na virulência de Listeria monocytogenes

Araújo, Vânia Patrícia Franco de
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Listeria monocytogenes é uma bactéria patogénica de origem alimentar capaz de sobreviver e de crescer a temperaturas de refrigeração. O principal objetivo deste trabalho foi investigar, na ausência de nutrientes, o possível efeito do stresse térmico (7 °C) e do respetivo tempo de exposição (0, 1 e 7 dias), na virulência de L. monocytogenes, usando como termo de comparação a exposição das bactérias a 37 °C. Simultaneamente foi também avaliada a viabilidade bacteriana nas mesmas condições. De modo a avaliar o potencial virulento de L. monocytogenes, utilizou-se o protocolo de formação de placas de lise (PFA), através da infeção da linha celular humana HT-29 pelas estirpes bacterianas, imediatamente após exposição às condições em estudo. O potencial virulento das estirpes foi expresso como a média dos logaritmos decimais do número de placas formadas (log PFA) e a sua viabilidade expressa como a média dos logaritmos do número de bactérias viáveis (log UFC/ml). Os resultados foram sujeitos a uma ANOVA utilizando o teste de comparação múltipla post hoc LSD. Ao longo do tempo de exposição, a 7 °C, verificou-se, em todos os isolados, uma diminuição significativa (p˂0,05) da virulência. A 37 °C também se verificou uma diminuição significativa em 9 dos 10 isolados em estudo. Em geral...

Factores de virulência em Streptococcus pyogenes

Lino, Lara Marques, 1985-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
Tese de mestrado. Biologia (Biologia Celular e Biotecnologia). Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2010; Streptococcus pyogenes, um dos agentes patogénicos mais comuns a nível mundial, pode provocar uma grande variedade de patologias como faringites, amigdalites, infecções da pele e tecidos moles ou patologias mais graves como a escarlatina e a síndrome do choque tóxico. Na tentativa de ajudar a esclarecer se a presença de factores de virulência está relacionada com a origem dos isolados, no presente trabalho foi realizada a pesquisa de genes de virulência (e.g. speA, speC, speH, speJ, speI, speK, speL, speM, prtF1, spd1, slaA, ssa) em 208 isolados de S. pyogenes provenientes de quatro origens distintas: colonização, faringite/laringite, infecção da pele/tecidos moles e doença invasiva. De modo a complementar o estudo foi analisada a expressão génica de quatro dos genes de virulência (speA, ssa, slaA e spd1) em vinte isolados seleccionados da amostra inicial, após crescimento em dois meios de cultura, BHI e 2YT. Adicionalmente, e de forma a averiguar se esses mesmos genes seriam de origem fágica, procedeu-se ainda a testes em placa após indução com mitomicina C. Como principais resultados pode-se referir que enquanto para os isolados de colonização a percentagem de presença de genes de virulência apresenta um máximo de 38...

Análise molecular de factores de virulência em Enterococcus spp. de animais

Pereira, Bárbara João Gonçalo Gomes
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
Dissertação de Mestrado em Genética Molecular Comparativa e Tecnológica; A incidência de bactérias resistentes a antibióticos constitui uma preocupação crescente, tanto em medicina veterinária como em medicina humana. Os enterococos são parte integrante da flora bacteriana gastrointestinal normal do Homem e dos animais, podendo, ocasionalmente provocar infecções. O género Enterococcus constitui um grupo heterogéneo de bactérias com mais de trinta espécies diferentes, sendo que, a produção de factores de virulência por estirpes deste género pode estar relacionada com um aumento da sua patogenicidade. Este trabalho teve por objectivo a detecção de 12 genes codificadores de factores de virulência em isolados de enterococos (31 E. hirae, 14 E. faecium, 7 Enterococcus spp., 4 E. durans, 2 E. gallinarum e 2 E. casseliflavus) obtidos de avestruzes, através da técnica PCR e da utilização dos primers específicos. Os genes testados foram os seguintes: gelE (gelatinase), fsr (regulador da expressão do gelE), cpd (determinante de feromona), ace (factor de colonização acessório), agg (substância de agregação), esp (proteína de superfície extracelular), hyl (hialuronidase) e genes do operão cyl (cylB, cylM...

Importância em saúde pública de factores de virulência em Enterococcus spp. de perdizes

Vaz, Joana Gomes
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; Diversos factores de virulência têm sido referidos em estirpes de enterococos, de diferentes origens, representando um problema de saúde pública devido à possibilidade de transferência, via cadeia alimentar, destas estirpes ou dos seus genes, dos animais para o Homem. Este trabalho teve por objectivo estudar a presença de genes codificadores de factores de virulência (gelE, cpd, cylM, cylA, cylB, cylLL, cylLS, hyl, agg, fsr, esp e ace) em 58 estirpes de enterococos isoladas de perdizes (25 E. faecium, 15 E. faecalis, 1 E. casseliflavus, 1 E. durans, 1 E. hirae e 15 Enterococcus spp.). Adicionalmente, analisou-se a actividade da gelatinase e a actividade hemolítica. Uma grande variedade de genes codificadores de factores de virulência foi detectada em todas as estirpes estudadas, sendo em E. faecalis onde se registou maior variedade. Os genes gelE e cpd foram os mais detectados (100% e 58.6%, respectivamente), e os genes fsr e esp não foram encontrados. Apesar de todos os isolados manifestarem o gene gelE, a actividade gelatinase só se manifestou em 89.65% das estirpes. Relativamente à actividade β-hemolítica, verificou-se apenas numa estirpe de E. faecalis que apresentou todos os genes do operão cyl (cylLL...

Caracterização genética de factores de virulência e análise de perfis proteicos de estirpes de Enterococcus spp. isoladas de gaivotas (Larus cachinnans)

Vieira, Selma Gomes
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Dissertação de Mestrado em Genética Molecular, Comparativa e Tecnológica; A crescente detecção de bactérias resistentes a antibiótcos conduziu ao uso prudente destes fármacos em medicina humana e veterinária, e à criação de uma rede de sistemas para a sua vigilância. As bactérias comensais Enterococcus spp. são muitas vezes eleitas como “indicadoras de resistência”, uma vez que estão presentes na microflora intestinal animal, e por isso sujeitas à acção dos antibióticos. Estas bactérias constituem um reservatório de genes, capazes de serem transferidos a outras bactérias comensais ou mesmo patogénicas. A interacção das bactérias com o hospedeiro é muitas vezes mediada pela secreção de factores de virulência. As bactérias desenvolveram mecanismos para a secreção destes factores para o interior das células do hospedeiro, de forma a potenciar a colonização bacteriana. Estes conferem uma vantagem selectiva às bactérias que os possuem. Compreender os mecanismos de patogenicidade das bactérias é fundamental para investigar doenças infecciosas, uma vez que, estes, muitas vezes estão pouco evidenciados. A avaliação dos perfis proteicos de bactérias em situações de stress pode representar uma abordagem integrada para o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas e agentes antimicrobianos. Este estudo teve como objectivos a caracterização...

Comparação de perfis de virulência de isolados de Escherichia coli de cadela associados a piómetra, cistite e de origem fecal

Encarnação, Carolina Páramos Merino Faria
Fonte: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 10/12/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; Escherichia coli (E. coli) é a bactéria gram-negativa mais comummente encontrada na microbiota do tracto gastrointestinal e a mais frequentemente isolada em casos de infecção do tracto urinário (ITU) e piómetra em cadelas. A sua patogenicidade está associada à presença de factores de virulência (FVs), alguns deles codificados em ilhas de patogenicidade (PAIs). Este estudo teve como objectivo comparar os perfis de virulência de estirpes de E. coli isoladas de cadelas que desenvolveram piómetra, cistite e de origem fecal. Foi avaliada a presença de genes que codificam para 13 FVs e marcadores de 8 ilhas de patogenicidade em 31 isolados de E. coli de piómetra, 23 isolados de cistite e 26 isolados de fezes obtidos de cadelas saudáveis. Independentemente da origem dos isolados, o número médio de PAIs e genes de virulência foi maior nos isolados pertencentes ao grupo filogenético B2, do que nos outros grupos filogenéticos. As PAIs I536, II536, III536 e IIJ96 e os genes de virulência hlyA e cnf1 foram detectados exclusivamente no grupo filogenético B2. A prevalência dos isolados pertencentes ao grupo filogenético B2 foi maior nos casos de piómetra (94%) do que nos isolados de cistite (48%) e de origem fecal (39%). As PAIs IV536 e ICFT073 e os genes fyuA...

Associações de virulência em Colletotrichum graminicola agente causal da antracnose em sorgo.

CASELA, C.R.; FERREIRA, A.S.
Fonte: Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 20, n. 1. p. 33-38, 1995. Publicador: Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 20, n. 1. p. 33-38, 1995.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Analisou-se, por dois anos, a estrutura de virulencia na populacao de Colletotrichum graminicola, agente causal da antracnose do sorgo, atraves das frequencias esperadas e observadas de virulencia a todos os pares possiveis de uma serie diferencial formada por dez cultivares de sorgo. Calculou-se tambem, para cada par, um coeficiente de associacao de patogenicidade (CAP) e um coeficiente de associacao de virulencia (CAV). Associacao negativa de virulencia foi observada apenas em relacao a duas cultivares Tx378 e SC748-5. Tal fato e indicativo de que individuos na populacao de patogeno com virulencia a estes genotipos possuem uma menor agressividade. Um grande numero de pares analisados apresentou um alto valor de CAP e um baixo valor de CAV. Combinacoes de genotipos ou de genes de resistencia para as quais a populacao de patogeno apresenta um menor valor adaptativo podem determinar uma resistencia de maior durabilidade a antracnose.; 1995

Isolados clínicos de Klebsiella pneumoniae produtores e não produtores de KPC: relação com a presença dos genes de virulência fimH, mrkD e irp2.

Melo, Rita de Cássia Andrade; Lopes, Ana Catarina de Souza (Orientadora); Maciel, Maria Amélia Vieira (Coorientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
37.34%
Klebsiella pneumoniae é um patógeno oportunista frequentemente associado a infecções hospitalares do trato respiratório e do trato urinário de indivíduos imunocomprometidos e neonatos, e podem produzir diferentes tipos de fatores de virulência, como adesinas fimbriais (genes fimH e mrkD ) e sideróforos, como a yersiniabactina (gene irp2), importantes no desenvolvimento da infecção. O objetivo do presente estudo foi determinar a ocorrência dos genes de virulência fimH, mrkD e irp2 em isolados de K. pneumoniae produtores e não produtores de KPC, provenientes de pacientes de diferentes hospitais de Recife-PE, como também a relação clonal, através da ERIC-PCR, e o perfil de susceptibilidade a antimicrobianos desses isolados bacterianos. Para esse estudo foram selecionados 23 isolados produtores de KPC e 23 isolados não produtores de KPC, todos da espécie K. pneumoniae. Os genes de virulência foram detectados através da PCR e sequenciamento de DNA. Analisando o perfil de susceptibilidade aos antimicrobianos dos isolados selecionados, observamos que a amicacina (n=39/ 84,78%) e a polimixina (n=41/ 89,13%), foram os antimicrobianos de melhor atividade para inibir a K. pneumoniae, tanto KPC-positivas quanto negativas...

Analysis of the virulence of Candida albicans biofilms developed under different conditions = : Análise da virulência de biofilmes de Candida albicans desenvolvidos sob diferentes condições; Análise da virulência de biofilmes de Candida albicans desenvolvidos sob diferentes condições

Yuri Wanderley Cavalcanti
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.44%
A prevalência das infecções por Candida é elevada; logo, melhor compreensão dos mecanismos de desenvolvimento do biofilme é necessária para a redução da virulência e apropriado manejo clínico. Objetivou-se analisar a virulência de biofilmes de Candida albicans desenvolvidos sob diferentes condições. O papel das superfícies de biomateriais, da película salivar, e do estágio de desenvolvimento dos biofilmes foi avaliado no Capítulo 1. A influência da presença de outros microrganismos na virulência de C. albicans e na interação com o epitélio foi avaliada no Capítulo 2. O papel da atmosfera e da população bacteriana dos biofilmes foi investigado no Capítulo 3. No Capítulo 1, biofilmes de C. albicans foram desenvolvidos sobre discos de resina acrílica e titânio recobertos com película de saliva, ou de saliva com plasma. A superfície dos materiais foi analisada quanto a rugosidade e energia livre de superfície (ELS). Avaliou-se o número de microrganismos viáveis, a concentração de DNA, a atividade metabólica, a expressão de fatores de virulência e a estrutura dos biofilmes. Não houve diferenças quanto a rugosidade das superfícies. A película minimizou as diferenças entre a ELS dos materiais...

La trans-sialidasa como factor de virulencia en la infección experimental con Trypanosoma cruzi; Trans-sialidase as virulence factor in experimental infection by Trypanosoma cruzi

Musikant, Alejandro Daniel
Fonte: Facultad de Ciencias Exactas y Naturales. Universidad de Buenos Aires Publicador: Facultad de Ciencias Exactas y Naturales. Universidad de Buenos Aires
Tipo: info:eu-repo/semantics/doctoralThesis; tesis doctoral; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em //2012 SPA
Relevância na Pesquisa
37.31%
En el presente trabajo nos propusimos comprender los mecanismos asociados a la patología inducida por Trypanosoma cruzi en el modelo murino empleando cepas de baja y de alta virulencia. Estas últimas generan altos porcentajes de mortalidad en pocos días y expresan grandes cantidades de un factor de virulencia, la trans-sialidasa (TS) que induce, en la etapa temprana de la infección, apoptosis y desorganización de la histoarquitectura de órganos como el bazo, ganglio y timo. En esta Tesis Doctoral nos propusimos analizar las poblaciones celulares involucradas en las alteraciones producidas por la actividad de TS utilizando dos estrategias: - mediante la neutralización de la actividad circulante de TS durante la infección aguda observamos que el tratamiento no fue capaz de prevenir los desórdenes en las poblaciones linfocitarias maduras e inmaduras. El análisis de marcadores de migración linfocitaria permitió describir por primera vez que el parásito altera el tráfico de los linfocitos B en el bazo. - mediante un modelo de estimulación de la respuesta inmune con un antígeno definido observamos que el tratamiento con TS recombinante activa no fue suficiente para alterar el armado de los centros germinales. En la segunda etapa de este trabajo...

La trans-sialidasa como factor de virulencia en la infección experimental con Trypanosoma cruzi; Trans-sialidase as virulence factor in experimental infection by Trypanosoma cruzi

Musikant, Alejandro Daniel
Fonte: Facultad de Ciencias Exactas y Naturales. Universidad de Buenos Aires Publicador: Facultad de Ciencias Exactas y Naturales. Universidad de Buenos Aires
Tipo: Tesis Doctoral Formato: text; pdf
Publicado em //2012 ESPAñOL
Relevância na Pesquisa
37.31%
En el presente trabajo nos propusimos comprender los mecanismos asociados a la patología inducida por Trypanosoma cruzi en el modelo murino empleando cepas de baja y de alta virulencia. Estas últimas generan altos porcentajes de mortalidad en pocos días y expresan grandes cantidades de un factor de virulencia, la trans-sialidasa (TS) que induce, en la etapa temprana de la infección, apoptosis y desorganización de la histoarquitectura de órganos como el bazo, ganglio y timo. En esta Tesis Doctoral nos propusimos analizar las poblaciones celulares involucradas en las alteraciones producidas por la actividad de TS utilizando dos estrategias: - mediante la neutralización de la actividad circulante de TS durante la infección aguda observamos que el tratamiento no fue capaz de prevenir los desórdenes en las poblaciones linfocitarias maduras e inmaduras. El análisis de marcadores de migración linfocitaria permitió describir por primera vez que el parásito altera el tráfico de los linfocitos B en el bazo. - mediante un modelo de estimulación de la respuesta inmune con un antígeno definido observamos que el tratamiento con TS recombinante activa no fue suficiente para alterar el armado de los centros germinales. En la segunda etapa de este trabajo...

Desenvolupament de models experimentals murins per a l'avaluació de la virulència i patogenicitat de soques d'Escherichia coli

Quintero Zarate, Julieth Nàtalia
Fonte: [Barcelona] : Universitat Autònoma de Barcelona, Publicador: [Barcelona] : Universitat Autònoma de Barcelona,
Tipo: Tesis i dissertacions electròniques; info:eu-repo/semantics/doctoralThesis Formato: application/pdf
Publicado em //2013 CAT; CAT
Relevância na Pesquisa
37.34%
Les infeccions urinàries constitueixen una de les infeccions bacterianes més freqüents tant en la comunitat com en l'àmbit hospitalari, que afecten dones sanes i pacients amb factors predisponents. Escherichia coli és sens dubte l'agent causal més freqüent d'aquestes infeccions. El qual també, s'ha constatat com a causant d'altres infeccions extraintestinals com ara colecistitis, peritonitis, meningitis i sèpsia. Paradoxalment, E. coli és el principal component de la flora facultativa comensal de l'intestí humà i altres animals. Basant-se en tècniques moleculars s'ha demostrat que aquesta espècie pot dividir-se principalment en quatre grups filogenètics principals: A, B1, B2 i D. S'ha pogut comprovar que les infeccions extraintestinals estan causades majoritàriament per soques del filogrup B2 i en menor proporció del D. D'altra banda s'ha pogut demostrar en diversos estudis experimentals i de correlació estadística, que les soques d'aquests filogrups associades a infecció porten amb més freqüència un conjunt de factors de virulència als que s'atribueixen les funcions patogèniques; com són les adhesines, els quelants de ferro, les toxines, les càpsules i d'altres. No obstant això, hi ha observacions que posen en qüestió aquestes troballes...