Página 1 dos resultados de 396 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Representações sociais em torno da violência conjugal : estudo de validação do questionário de violência conjugal : histórias (QRVC-HIS) e do questionário de violência conjugal : causas, manutenção e resolução (QVC-CMR) com uma amostra da população geral.

Aguilar, Rute Isabel Ornelas
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Trabalho em Andamento
POR
Relevância na Pesquisa
67.06%
O presente estudo teve como objectivos validar o Questionário de Violência Conjugal – Histórias (QRVC-HIS) e o Questionário de Violência Conjugal – Causas, Manutenção e Resolução (QVC-CMR) e avaliar as representações sociais em torno da violência conjugal de uma amostra da população geral (n=276) recolhida em Portugal Continental e na Madeira. Os resultados obtidos permitiram concluir que os instrumentos estudados apresentam boas qualidades psicométricas a nível da consistência interna. Os valores encontrados indicam que a população geral legitima pouco a violência conjugal, ressaltando uma diferença entre as duas sub-amostras, com a amostra da Madeira a apresentar um valor que indica uma maior aceitação. Também foram avaliadas as causas, os factores de manutenção e resolução para a violência conjugal, cujos resultados obtidos foram consonantes com a literatura existente, no sentido de ter em consideração a dinâmica subjacente à violência na relação do casal.; Social representations about conjugal violence: Validation study of Conjugal Violence Questionnaire – Stories (QRVC-HIS) and Conjugal Violence – Causes, factors of maintenance and resolution (QVC-CMR) with a sample of general population. Abstract: This study aims to validate the Conjugal Violence Questionnaire – Stories (QRVC-HIS) and Conjugal Violence – Causes...

Violência conjugal: representações sociais e atribuições numa amostra de estudantes de psicologia do mestrado integrado

Paiva, Liliana Susete Maia
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Trabalho em Andamento
POR
Relevância na Pesquisa
66.98%
O presente estudo teve como objectivo principal identificar as representações sociais da violência conjugal, numa amostra de estudantes de Mestrado Integrado em Psicologia, a frequentar o primeiro e quinto anos. Foi administrado um protocolo de investigação que incluía o Questionário de Violência Conjugal – Histórias (QRVC-HIS); a Escala de Crenças sobre a Violência Conjugal (ECVC) e o Questionário de Violência Conjugal – Causas, Manutenção e Resolução (QVC-CMR). Os resultados revelam que, embora os níveis globais de legitimação sejam baixos, os estudantes do primeiro ano demonstram atitudes mais tolerantes face à violência na conjugalidade. Na análise dos factores de activação, manutenção e resolução que os estudantes crêem fazer parte da dinâmica dos comportamentos violentos, verificou-se que as causas são atribuídas ao agressor e a factores sociais e culturais, enquanto a manutenção dos abusos é tida como responsabilidade da vítima. Como factores de resolução, ressaltaram a sensibilização/educação dos jovens nas escolas, a denúncia e a protecção da vítima e dos filhos.; The present study aims to identify the social representations of conjugal violence in a Psychology Masters Degree sample of students attending to first and fifth years. Was administered a research protocol that included the Conjugal Violence Questionnaire – Stories (QRVC-HIS)...

Representações sociais em torno da violência conjugal: estudo de validação do questionário de violência conjugal : histórias (QRVC-HIS) e do questionário de violência conjugal : causas, manutenção e resolução (QVC-CMR) com uma amostra da população gera

Aguilar, Rute Isabel Ornelas
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Trabalho em Andamento
POR
Relevância na Pesquisa
67.04%
O presente estudo teve como objectivos validar o Questionário de Violência Conjugal – Histórias (QRVC-HIS) e o Questionário de Violência Conjugal – Causas, Manutenção e Resolução (QVC-CMR) e avaliar as representações sociais em torno da violência conjugal de uma amostra da população geral (n=276) recolhida em Portugal Continental e na Madeira. Os resultados obtidos permitiram concluir que os instrumentos estudados apresentam boas qualidades psicométricas a nível da consistência interna. Os valores encontrados indicam que a população geral legitima pouco a violência conjugal, ressaltando uma diferença entre as duas sub-amostras, com a amostra da Madeira a apresentar um valor que indica uma maior aceitação. Também foram avaliadas as causas, os factores de manutenção e resolução para a violência conjugal, cujos resultados obtidos foram consonantes com a literatura existente, no sentido de ter em consideração a dinâmica subjacente à violência na relação do casal.; This study aims to validate the Conjugal Violence Questionnaire – Stories (QRVC-HIS) and Conjugal Violence – Causes, factors of maintenance and resolution (QVC-CMR) and evaluate the social representations about conjugal violence of a sample of general population (n= 276) collected in Continental Portugal and Madeira. The results show that the instruments have good psychometric qualities in terms of internal consistency. The values indicate that the general population legitimise less the couples violence...

Representações sociais em torno da violência conjugal:estudo exploratório junto de mulheres vítimas

Mano, Patrícia Garcia
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.07%
Nos últimos anos, a violência conjugal tem ganho um maior destaque, sendo hoje encarada como um problema de saúde pública. A pertinência do estudo das representações que as mulheres vítimas de violência conjugal fazem acerca da mesma decorre da necessidade de perceber como a encaram, quais consideram ser os aspectos que mais contribuem para a sua emergência e manutenção ou, pelo contrário, para a sua resolução. Alguns estudos têm já sido realizados com profissionais e estudantes e, embora se registe uma crescente diminuição da legitimação da violência, parecem ainda subsistir alguns indicadores de que, mesmo ao nível da representação, há situações ou comportamentos de violência que ainda são relativamente aceites. Neste estudo aplicou-se um protocolo que incluiu o Questionário de Violência Conjugal – Histórias (QVC-HIS), a Escala de Crenças sobre Violência Conjugal (ECVC) e o Questionário de Violência Conjugal - Causas, Manutenção e Resolução (QVC- CMR). A amostra integra 54 mulheres vítimas de violência conjugal, 29 acolhidas em casa-abrigo e 25 em acompanhamento em instituições de apoio à vítima. Os resultados revelaram que de, uma forma geral, as mulheres não parecem ser susceptíveis à banalização da violência conjugal e...

Representações sociais sobre a violência conjugal: estudo exploratório com uma amostra de profissionais da CPCJ

Camelo, Ana Isabel Mendes
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.09%
A violência na relação conjugal não é um fenómeno recente. No entanto, só se constituiu como um problema social específico a partir da década de 60. Desde então, a violência exercida contra as mulheres no contexto das relações íntimas tem sido objecto de uma crescente atenção social e científica. Em Portugal, a partir do início da década de 90, começouse a verificar uma maior consciencialização sobre a gravidade e dimensão do problema da violência conjugal. Para tal contribuíram um conjunto de profissionais provenientes de campos disciplinares distintos e, em grande parte, o movimento feminista. O número de casos de violência conjugal tem aumentado nos últimos anos, tornando-se num verdadeiro problema de saúde pública. A problemática das crianças expostas à violência interparental tem também merecido atenção por parte dos estudiosos, uma vez que é do conhecimento de todos que a observação ao conflito interparental pode levar ao desenvolvimento de problemas nos vários domínios de desenvolvimento. Os profissionais chamados a intervir podem possuir, como qualquer indivíduo, representações sociais em torno da violência no contexto da conjugalidade que subtilmente podem emergir perante uma situação real...

A suspensão provisória do processo em casos de violência conjugal: estudo exploratório

Dias, Marta Sofia Salgado
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
A suspensão provisória do processo (SPP), instituto aplicado a condutas enquadradas na pequena e média criminalidade, evidencia-se como uma medida adequada em casos de violência conjugal. O presente estudo visa analisar a prática da SPP em casos de violência entre cônjuges, respondendo a três questões: a) Com que frequência a SPP é aplicada nas queixas de violência conjugal entradas no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Coimbra?; b) Quem são os agressores (e as vítimas) a quem é aplicada a SPP? Quais as injunções mais aplicadas? e c) Que opinião têm as vítimas, os agressores, os procuradores do Ministério Público e os técnicos (que fazem a avaliação psicossocial solicitada pelos magistrados) sobre a SPP? Para responder à primeira e segunda questões recorremos a dados informatizados e à leitura de processos disponibilizados pelo DIAP de Coimbra (1ª e 2ª fases do estudo), enquanto que para a terceira pergunta realizamos 25 entrevistas, de acordo com um guião pré-definido. Os resultados da primeira fase evidenciam que a SPP foi aplicada a 7.6% processos entrados nos anos 2000, 2001 e 2002. A partir do estudo dos processos de SPP concluímos que os agressores são do sexo masculino...

" (...) mais gosto de ti??? Diferenças entre homens e mulheres nas crenças e comportamentos sobre violência conjugal

Afonso, Joana Isabel Gouveia
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
O presente trabalho tem como objectivo analisar as diferenças de género nas crenças e comportamentos relacionados com a violência conjugal, fazendo uma avaliação de condutas e atitudes face ao fenómeno. Participaram no estudo 50 casais, que preencheram o Inventário de Violência Conjugal e a Escala de Crenças sobre Violência Conjugal. Os resultados apontam para a não existência de diferenças entre homens e mulheres na perpetração e vitimação de violência em relações íntimas. São os homens os que mais facilmente legitimam os comportamentos violentos, embora a tendência atitudinal flua no sentido de não a aprovar. ABSTRACT:This study aims to examine gender differences in beliefs and behaviors related to domestic violence, by making an assessment of behaviors and attitudes addressing the phenomenon. 50 couples supported the study by filling Inventário de Violência Conjugal and Escala de Crenças sobre Violência Conjugal. The results indicate that there are no substancial differences between men and women in the perpetration and victimization of violence in intimate relationships. Men are more easily prone to accredit violent behavior, although the sight tendency is not to approve.; Orientador: Inês Jongenelen

Crenças acerca da violência conjugal e rupturas da conjugalidade na população residente nos distritos de Lisboa e Setúbal

Correia, Sandra Cristina Dias
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.95%
A violência conjugal é, para a Psicologia Forense e da Exclusão Social, assunto de extrema relevância. É campo de desconstruções, reflexões, análises, e intervenções. Esta investigação debruça-se, sobretudo, nas crenças acerca da violência conjugal, tendo como principal objectivo perceber e analisar essas mesmas crenças em sujeitos residentes nos distritos de Lisboa e de Setúbal, analisando as diferenças existentes entre géneros, distrito de residência, estado civil, área profissional, habilitações literárias e idade dos sujeitos. Desta investigação participaram 149 indivíduos. Para perceber as questões a que nos propomos dar resposta, foram utilizados um Questionário sócio-demográfico, a Escala de Crenças Sobre a Violência Conjugal (Machado, C.; Matos, M. & Gonçalves M., 2008) e o Inventário de Violência Conjugal (Machado, C.; Matos, M. & Gonçalves M., 2008). Em suma, os resultados dizem-nos que, de uma forma geral, a amostra estudada não aprova a legitimação e banalização da violência. Foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre o distrito de residência, idade, habilitações académicas, estado civil e área profissional dos participantes, no entanto, não foram encontradas diferenças entre género.; For Forensic Psychology and Social Exclusion...

Gênero e masculinidades : follow-up de uma intervenção com homens autores de violência conjugal

Aguiar, Luiz Henrique Machado de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66.98%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2009.; As intervenções psicológicas com homens autores de violência conjugal são fruto da evolução dos estudos e idéias feministas que, ao promoverem uma ampliação do significado do conceito gênero, passaram a evidenciar a construção relacional e a organização social das diferenças entre os sexos. Dessa forma, o contexto político e acadêmico criado a partir da expansão das ações do movimento feminista abriu espaço para as denúncias das violências domésticas contra as mulheres e culminou na percepção da necessidade de incluir os homens nas ações de combate a essas violências. Os trabalhos desenvolvidos com homens autores de violências conjugais são muito recentes e ainda não são bem conhecidos. Estudos sobre os agressores, bem como estudos sobre as intervenções psicológicas realizadas com eles correspondem a uma das maiores lacunas entre as reflexões que ainda não foram desenvolvidas no processo de prevenção e atenção à violência doméstica. O presente estudo busca prestar uma contribuição para a compreensão do fenômeno e assume um caráter inovador e pertinente ao promover uma pesquisa de follow-up com sete homens que participaram de uma experiência de intervenção psicológica em grupo com homens autores de violência conjugal. Procuramos conhecer como esses homens perceberam e avaliaram os resultados da intervenção grupal em suas vidas nos níveis pessoal...

Sentidos da violência conjugal : a perspectiva de casais

Pondaag, Miriam Cássia Mendonça
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
67.06%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2009.; O que é percebido como violência em uma relação conjugal? Este estudo teve como objetivo investigar os sentidos da violência conjugal para casais em que um membro formalizou queixa na Justiça. A tese defendida é que os sentidos da violência conjugal se constroem na interseção com os sentidos da conjugalidade e do gênero. Participaram do estudo cinco casais. Foram realizadas entrevistas individuais e de casal. Para análise e interpretação das informações utilizou-se a metodologia de análise das práticas discursivas como produção de sentido. Nos discursos de ambos os sexos, mas de maneira mais notória nos discursos masculinos, verificou-se uma tendência maior para perceber como violência comportamentos agressivos vindos do par conjugal, em detrimento dos próprios. Constatou-se uma polissemia de sentidos atribuídos à violência, visível através da pluralidade de significados usada por cada membro do casal para representar a conjugalidade, os papéis de gênero e a própria violência. O gênero é determinante para esta pluralidade...

Mulheres sobreviventes de violência conjugal : perspetivas sobre o início de novas relações

Freitas, Graciete Chaves
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 18/03/2013 POR
Relevância na Pesquisa
67.03%
Dissertação de Mestrado em Psicologia da Educação (Contextos Comunitários).; Este estudo intitula-se Mulheres Sobreviventes de Violência Conjugal: Perspetivas sobre o Início de Novas Relações. Nele discutem-se aspetos relativos ao fim de relações conjugais abusivas e ao início de novas relações. Para melhor sustentar a discussão, procura-se, ainda, perceber a atitude de mulheres sobreviventes relativamente à legitimação da violência na intimidade e quais os seus valores de vida predominantes. Trata-se de um estudo exploratório e descritivo, com enfoque qualitativo. Em termos específicos foram entrevistadas dezasseis senhoras sobreviventes de Violência Conjugal. O processo de entrevista (estruturada e semiestruturada) foi apoiado por quatro instrumentos de recolha de dados: ficha de caracterização sociodemográfica, escala de crenças da Violência Conjugal, inventário de valores de vida e guião da entrevista semiestruturada. Os dados recolhidos foram analisados de acordo com o paradigma interpretativo. Os principais resultados mostram que existe uma atitude generalizada de não legitimação da violência por parte das participantes, e que os valores mais salientes são a preocupação com o ambiente, a preocupação com os outros...

Avaliar a prevalência da violência conjugal nas mulheres do concelho da Covilhã e avaliar as suas crenças e atitudes face à temática

Pombo, Catarina
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
67.01%
A Violência Conjugal pode ser considerada como um conjunto de condutas abusivas perpetuadas de forma intencional sobre o cônjuge, podendo envolver acções violentas e não-violentas, que assumem o propósito de dominar a vítima, de lhe infringir deliberadamente dano, induzir medo, fazê-la sentir-se subordinada, desvalorizada e incompetente, com importantes consequências no domínio psicossocial para a mulher vítima. Na tentativa de explorar a dimensão desta problemática no concelho da Covilhã, delineou-se o presente estudo. Objectivo: “Avaliar a prevalência da Violência Conjugal em mulheres covilhanenses bem como verificar as suas crenças e atitudes face à temática”. Método: A amostra foi recolhida por conveniência e é constituída por 401 mulheres, residentes no concelho da Covilhã, com média de idade de 34 (idade mínima 12, e máxima 80) e desvio padrão de 14, e vários estatutos sócio-demográficos; Instrumentos: Questionário sócio-demográfico, incluindo prevalência de violência no momento actual e também no passado do relacionamento, e adaptação da “Escala de Crenças sobre Violência Conjugal” (Gonçalves, Machado e Matos, 2000); Procedimentos: Para assinalar o Dia Internacional contra a Violência Doméstica (25 de Novembro) foi feita uma acção de sensibilização...

Avaliação de risco de violência conjugal: Versão para polícias (SARA: PV)

Almeida, Iris; Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz, Centro de Investigação Interdisciplinar; Soeiro, Cristina; Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz, Centro de Investigação Interdisciplinar
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
O objectivo da presente investigação é adaptar a checklist Avaliação de Risco de Violência Conjugal: Versão para Polícias (SARA: PV, Kropp, Hart, & Belfrage, 2005) para a população portuguesa. Este instrumento avalia o risco de violência conjugal, identificando os factores que estão associados ao risco reincidência da violência. Os instrumentos utilizados foram o SARA: PV e o Conflict Tactics Scale (CTS, Straus, 1979), na versão portuguesa. A amostra foi recolhida pela GNR e pela PSP. Participaram 87 vítimas de violência conjugal. Os resultados mostram que os factores de risco associados à história de violência conjugal estão mais presentes do que os associados ao ajustamento psicossocial. Os agressores com história de violência conjugal apresentam resultados mais elevados nos resultados do SARA: PV. Os resultados mostram, ainda, correlações significativas e positivas entre ambos os instrumentos, indicando boas qualidades psicométricas na sua adaptação à população portuguesa.

Conjugalidade e afetividade nas narrativas de homens denunciados por violência conjugal

Silva Silveira, Paloma; Medrado-Dantas, Benedito (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
67.01%
O presente trabalho tem por objetivo estudar a produção de sentidos sobre a conjugalidade e a afetividade nas narrativas de homens denunciados por violência conjugal, em Recife, identificando repertórios interpretativos, jogos de posicionamento e modelos de relacionamentos afetivos-sexuais idealizados por esses homens. A noção de violência conjugal especifica a violência contra as mulheres no contexto das relações de conjugalidade. Apesar da recente construção da violência contra as mulheres como um problema social e de saúde pública, no Brasil, existem muitos estudos realizados sobre a temática. Alguns deles utilizam a idéia de vitimização da mulher, ora baseada na noção de dominação masculina, ora na de dominação patriarcal. Outros já se localizam nas discussões promovidas pela introdução da categoria gênero. O estudo realizado nesta dissertação localiza-se nas leituras que incluem a perspectiva relacional do gênero em suas análises. Na perspectiva relacional de gênero, o foco volta-se para as relações que são estabelecidas e as atribuições de masculino e feminino elaboradas nessas relações. Adotou-se a abordagem teórico-metodológica das práticas discursivas e produção de sentidos...

Violência conjugal: estudo sobre a permanência da mulher em relacionamentos abusivos

Marques, Tania Mendonça
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
67.02%
Este trabalho foi desenvolvido em duas fases. A primeira teve como objetivo caracterizar as mulheres que sofrem violência conjugal e seus parceiros agressores e determinar a prevalência das diferentes queixas, tipos de violência e incidência penal. Para cumprir a primeira etapa, foi realizado um levantamento nos arquivos da Delegacia da Mulher Adida ao Juizado Especial Criminal e do Juizado Especial Criminal de Uberlândia. Foram examinados 876 registros encontrados nos Boletins de Ocorrência (BO) no primeiro semestre de 2004, e 390 casos em andamento nos Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), no período de janeiro de 2003 a maio de 2004. A análise dos resultados demonstrou que a idade média das mulheres foi de 30,8 anos e de 32,31, respectivamente para BO e TCO, sendo que entre amásias e ex-amásias encontra-se a maior concentração de mulheres vítimas de violência conjugal. As mulheres residem em diferentes bairros de Uberlândia e suas ocupações variam de desempregadas e do lar até empresárias e profissionais liberais. A prevalência das queixas nos TCOs foi fim de relacionamento, e nos BOs foi motivos fúteis, seguido por ausência de motivos. A ameaça à integridade física foi o mais freqüente crime denunciado...

Significados atribuídos à violência conjugal na perspectiva dos cônjuges

Scantamburlo, Natalia Pinheiro
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 155 p.| tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
67.06%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, 2013.; A busca pela visibilidade do fenômeno da violência nas suas mais variadas formas de expressão constitui-se, nos dias atuais, num grande desafio para o campo da produção de conhecimento, principalmente, no que diz respeito a busca de metodologias sensíveis e éticas que possam dar vozes aos participantes e que permitam desvendar as complexas nuanças que sustentam o mencionado fenômeno. O presente trabalho se caracterizou por abordar e delimitar um problema evidenciado no contexto de um projeto maior, de delineamento quantitativo. Com o intuito de aprofundamento dos desdobramentos dessa investigação, o objetivo deste trabalho foi compreender os significados atribuídos à violência conjugal na perspectiva dos casais com união estável e filhos pequenos. O estudo foi de natureza qualitativa, do qual participaram cinco casais, selecionados com base em indicadores específicos da investigação maior. Os instrumentos de coleta de dados foram questionário sociodemográfico, entrevista semiestruturada e genograma familiar. A análise dos dados seguiu os princípios da Teoria Fundamentada...

Violência conjugal : repercussões na saúde mental de mulheres e de suas filhas e seus filhos adultas/os jovens

Medeiros, Marcela Novais
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
67%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, 2010.; O objetivo geral desta pesquisa qualitativa foi compreender possíveis repercussões de experiências de violência conjugal na saúde mental de mulheres e filhas/os. Os objetivos específicos foram: conhecer a história de vida e de violência conjugal nas perspectivas de mulheres e filhas/os; identificar fatores de risco para adoecimento mental, ao longo da história de vida das mulheres e filhas/os; identificar fatores de proteção da saúde mental, ao longo da história de vida de mulheres e de suas/seus filhas/os; investigar a percepção das mulheres sobre as repercussões das experiências de violência na sua saúde mental e de suas/seus filhas/os; investigar a percepção das/os filhas/os sobre as repercussões das experiências de violência na sua saúde mental e na de suas mães. Participaram da pesquisa três mulheres com experiências de violência conjugal e uma/um filha/o adulta/o jovem de cada uma delas. A coleta de dados foi realizada por meio de questionário demográfico e entrevistas semiestruturadas. Os dados obtidos por meio das entrevistas semiestruturadas foram analisados com a estratégia de análise de conteúdo. Os resultados evidenciaram a transgeracionalidade da violência e a vulnerabilidade feminina a violências físicas...

Avaliar a prevalência da violência conjugal nas mulheres do concelho da Covilhã e avaliar as suas crenças e atitudes face à temática

Pombo, Catarina
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
67.01%
A Violência Conjugal pode ser considerada como um conjunto de condutas abusivas perpetuadas de forma intencional sobre o cônjuge, podendo envolver acções violentas e não-violentas, que assumem o propósito de dominar a vítima, de lhe infringir deliberadamente dano, induzir medo, fazê-la sentir-se subordinada, desvalorizada e incompetente, com importantes consequências no domínio psicossocial para a mulher vítima. Na tentativa de explorar a dimensão desta problemática no concelho da Covilhã, delineou-se o presente estudo. Objectivo: “Avaliar a prevalência da Violência Conjugal em mulheres covilhanenses bem como verificar as suas crenças e atitudes face à temática”. Método: A amostra foi recolhida por conveniência e é constituída por 401 mulheres, residentes no concelho da Covilhã, com média de idade de 34 (idade mínima 12, e máxima 80) e desvio padrão de 14, e vários estatutos sócio-demográficos; Instrumentos: Questionário sócio-demográfico, incluindo prevalência de violência no momento actual e também no passado do relacionamento, e adaptação da “Escala de Crenças sobre Violência Conjugal” (Gonçalves, Machado e Matos, 2000); Procedimentos: Para assinalar o Dia Internacional contra a Violência Doméstica (25 de Novembro) foi feita uma acção de sensibilização...

Violência conjugal contra o homem: uma análise bibliométrica/Marital violence against man: a bibliometric analysis

Ana Cláudia Ferreira Cezario; Universidade Federal de Juiz de Fora; Lelio Moura Lourenço; Universidade Federal de Juiz de Fora
Fonte: UFMG / UFU / UFSJ / UFJF Publicador: UFMG / UFU / UFSJ / UFJF
Tipo: Artigo Avaliado por Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 03/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.94%
A violência é um fenômeno social e um problema de saúde pública. Uma face desta, encontrada nas famílias, é denominada como violência conjugal. Contudo, em alguns casos, esta se refere apenas à mulher como vítima e ao homem como seu respectivo agressor; sem a perspectiva de que o oposto também possa ocorrer. Por isso, este trabalho propôs uma revisão bibliométrica sobre a violência conjugal, em que o homem apareça como vítima e/ou a mulher como possível agressora. Da amostra de 64 artigos completos, 43 comparavam índices de violência entre a mulher e o homem; 9 apresentavam a proposta de discuti-la em relações homoafetivas e apenas 16 artigos propunham algum tipo de intervenção. Assim, propõe-se, com este trabalho, ampliar a visão acerca da violência conjugal, de forma a analisar a possibilidade do homem também ser vítima, em alguns casos, desse tipo peculiar de violência.

Avaliação de risco de violência conjugal: Versão para polícias (SARA: PV)

Almeida,Iris; Soeiro,Cristina
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.94%
O objectivo da presente investigação é adaptar a checklist Avaliação de Risco de Violência Conjugal: Versão para Polícias (SARA: PV, Kropp, Hart, & Belfrage, 2005) para a população portuguesa. Este instrumento avalia o risco de violência conjugal, identificando os factores que estão associados ao risco reincidência da violência. Os instrumentos utilizados foram o SARA: PV e o Conflict Tactics Scale (CTS, Straus, 1979), na versão portuguesa. A amostra foi recolhida pela GNR e pela PSP. Participaram 87 vítimas de violência conjugal. Os resultados mostram que os factores de risco associados à história de violência conjugal estão mais presentes do que os associados ao ajustamento psicossocial. Os agressores com história de violência conjugal apresentam resultados mais elevados nos resultados do SARA: PV. Os resultados mostram, ainda, correlações significativas e positivas entre ambos os instrumentos, indicando boas qualidades psicométricas na sua adaptação à população portuguesa.