Página 1 dos resultados de 1312 itens digitais encontrados em 0.017 segundos

Análise da violência doméstica entre as mulheres atendidas em uma maternidade de baixo risco; Analysis of domestic violence against women attended at a low-risk maternity hospital

Rodrigues, Daniela Taysa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/09/2007 PT
Relevância na Pesquisa
96.34%
A violência contra a mulher tem se revelado uma importante questão de saúde pública, pois além de promover o aumento de morbidade e mortalidade quando relacionada à saúde da mulher, tem o potencial de provocar conseqüências ainda mais desastrosas, como ocorre na violência durante a gravidez, comprometendo também a saúde de seus descendentes. O objetivo deste estudo foi analisar a violência doméstica entre as mulheres que receberam assistência ao parto em uma maternidade de baixo risco de Ribeirão Preto - SP. Trata-se de um estudo descritivo do tipo transversal, realizado na Maternidade do Complexo Aeroporto (Mater). A amostra constituiu-se de 547 mulheres que receberam assistência ao parto no período de julho a setembro de 2006. Os dados foram coletados no puerpério, durante a internação no alojamento conjunto, em local privativo e sem a presença de acompanhantes, após assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. O instrumento utilizado para a coleta de dados foi um questionário contendo 41 perguntas, elaborado para ser utilizado em serviços de saúde. Os dados foram processados e analisados no programa Statistical Package for the Social Science (SPSS, versão 11.5). Na análise, realizou-se distribuição simples de freqüência...

Estudo sobre relatos de violência contra a mulher segundo denúncias registradas em delegacia especializada na cidade de Goiânia - Goiás nos anos de 1999 e 2000; Study on reports of violence against women according on records registered in specialized police stations in the city of Goiania - Goias in the years of 1999 and 2000

Sagim, Mírian Botelho
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/01/2004 PT
Relevância na Pesquisa
96.32%
Investigar a questão da violência, particularizando para a chamada de violência doméstica contra a mulher, implica, inicialmente, em identificar como ela é definida e o que se observa, a começar pelo que traz o dicionário, que salienta três aspectos, falando da qualidade do que é violento, do ato violento em si, e do ato de violentar, que são muitos os ângulos pelos quais ela pode ser visualizada. É possível adotar como siginificado mais geral do termo que se trata de uma ação que evidencia brutalidade, abuso, agressão, constrangimento e desrespeito para com uma outra pessoa. De outro lado, por se ter um objetivo de pesquisa empírica, torna-se necessário que se contextualize e delimite a abordagem do estudo. A literatura tem mostrado que são muitas as transformações ocorridas na estrutura das relações familiares, no vínculo conjugal, nos padrões de comportamentos e relacionamento entre os sexos; contudo, essas mudanças parecem ter alterado pouco o problema da violência doméstica contra a mulher, que dispõe, na atualidade, de maior visibilidade, mas que ainda está longe de uma compreensão mais clara e aprofundada da questão, o que justifica sejam feitas novas investigações. Essa pesquisa tem, assim...

Violência contra a mulher: a percepção dos médicos das unidades básicas de saúde de Ribeirão Preto, São Paulo; Violence against Women: Perception by the Physicians of the Basic Health Units of Ribeirão Preto, São Paulo.

De Ferrante, Fernanda Garbelini
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
96.34%
Este estudo desenvolveu-se como subprojeto de uma investigação denominada: “A interface entre a ocorrência e o atendimento de violência de gênero entre mulheres usuárias dos serviços públicos de saúde de Ribeirão Preto”. A violência contra a mulher é um fenômeno complexo e muito prevalente no Brasil, atingindo todas as classes, raças, etnias e culturas. Mulheres nesta situação freqüentemente buscam os serviços de saúde para tratar sintomas associados à violência. Entretanto, os profissionais de saúde apresentam uma série de dificuldades. Desenvolvemos este estudo, entendendo que a violência de gênero é reconhecida como um problema de saúde pública por afetar a integridade física e mental da mulher, e que existe necessidade de acolher essa mulher no serviço de saúde. O estudo teve por objetivo de verificar a percepção dos médicos atuantes nas Unidades Básicas e Distritais de Saúde sobre a violência praticada contra mulheres por parceiros íntimos. Realizamos uma pesquisa de cunho qualitativo com 14 médicos ginecologistas e clínicos gerais, utilizando como instrumento entrevistas semi-estruturadas. Realizamos análise de conteúdo temática utilizando como referencial teórico as teorias de gênero. A análise dos resultados permitiu-nos definir os seguintes temas: 1. Percepções dos médicos sobre as relações de gênero; 2. Percepção dos médicos sobre a violência; 3. Papel dos médicos diante da violência doméstica contra a mulher; 4. Conhecimentos e informações sobre a violência doméstica contra a mulher; que foram divididos em várias subcategorias. De acordo com os médicos...

O conhecimento dos profissionais médicos e enfermeiros das unidades básicas distritais de saúde de Ribeirão Preto - SP acerca da violência contra a mulher cometida por parceiro íntimo; The knowledge of nurses and physicians from primary health care of Ribeirão Preto- São Paulo, concerning violence against women

Baraldi, Ana Cyntia Paulin
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
96.3%
A violência contra a mulher é um problema de grande prevalência no Brasil e no mundo, sendo responsável por alto índice de morbimortalidade feminina e gerando sérias conseqüências para a sociedade. Médicos e enfermeiros, por serem os primeiros contatos dessas mulheres nos serviços de saúde, ocupam um lugar privilegiado na detecção da violência de gênero e devem possuir conhecimentos suficientes para o atendimento adequado das vítimas. O objetivo deste trabalho foi identificar e comparar o conhecimento, a percepção e a atitude de médicos e enfermeiros que atuam na rede básica de saúde de Ribeirão Preto-SP, acerca da violência de gênero. Trata-se de um estudo quantitativo, transversal, comparativo, do tipo survey, realizado nas unidades distritais básicas de saúde (UBDS) do município. Foram incluídos todos os profissionais que atendem nas cinco UBDS de Ribeirão Preto, totalizando 170 médicos e 51 enfermeiros. O questionário utilizado abordava o conhecimento, o manejo dos casos e atitudes dos profissionais frente à violência de gênero, sendo aplicado por pesquisadoras treinadas. Os dados foram processados e analisados, utilizando o pacote estatístico STATA 9.0, sendo realizada distribuição simples de freqüência...

A percepção de enfermeiras da rede básica de saúde acerca da violência contra a mulher; Violence against women in the perspective of nurses from the basic health service network.

Daltoso, Daniela
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/02/2010 PT
Relevância na Pesquisa
96.31%
A violência doméstica contra a mulher é um evento complexo e muito prevalente no Brasil, sendo os serviços de saúde frequentemente procurados por essas mulheres, o que coloca serviços e profissionais de saúde em lugar de destaque no manejo desses casos. Considerando o papel do enfermeiro dentro do sistema de saúde, o objetivo do estudo foi compreender a percepção destes profissionais sobre a problemática. Para tal utilizou-se uma abordagem qualitativa, em que foram entrevistados 11 enfermeiras que trabalham nas Unidades Distritais de Saúde do município de Ribeirão Preto, utilizando um roteiro semi estruturado. Os dados foram processados, lidos atentamente e organizados nas seguintes unidades temáticas: 1-A visão das enfermeiras sobre a questão de gênero; 2-A visão das enfermeiras sobre a violência contra a mulher; 3-Atendimento: Rezo para não chegar nada no meu plantão[...] Quando chega é um problema!; 4-Aspectos Jurídicos: Está tudo no caderninho! e 5-Formação: Olha se foi, foi uma aula bem superficial. As enfermeiras entrevistadas percebem que houve uma mudança no papel da mulher na sociedade moderna, porém, mantêm uma visão tradicionalista de gênero; assim, identificam um momento de transição em que a "mulher moderna" vive entre o paradoxo de ser um sujeito social ativo e ser a "rainha do lar". Neste sentido...

Percepções de médicos e enfermeiros acerca da violência contra a mulher: uma análise comparativa; Doctors and nurses' perceptions of violence against women: a comparative analysis

Hasse, Mariana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
96.33%
Este trabalho foi desenvolvido como subprojeto integrante da pesquisa A Interface Entre a Ocorrência e o Atendimento de Violência de Gênero Entre Mulheres Usuárias dos Serviços de Saúde da Rede Pública de Ribeirão Preto. A violência contra a mulher é uma das expressões mais perversas da subordinação feminina e gera graves conseqüências para as pessoas que vivenciam o seu ciclo. Mulheres nessa situação buscam frequentemente os serviços de saúde, que possuem um alto poder de detecção da violência. Porém, há uma série de dificuldades por parte dos profissionais, médicos e enfermeiros, em identificar e prestar assistência adequada a essas mulheres. O objetivo deste estudo foi analisar comparativamente as percepções de médicos e enfermeiros que atuam na rede de saúde de Ribeirão Preto acerca da violência contra a mulher buscando formas de aprimorar a assistência prestada. Para isso, realizamos uma pesquisa qualitativa, utilizando um banco de dados de 14 entrevistas com médicos e 10 com enfermeiros, realizadas por meio de um roteiro semi-estruturado. Por meio de análise de conteúdo temático foram identificadas as seguintes categorias: 1) Percepções sobre gênero; 2) Percepções sobre a violência contra a mulher; 3) Sobre atuação profissional; e 4) Sobre a rede de proteção. Tais categorias foram divididas em diversas subcategorias que foram analisadas a partir do referencial de gênero. Os resultados mostraram que há muitas semelhanças nas percepções relativas às questões de gênero...

A pena que vale a pena: alcances e limites de grupos reflexivos para homens autores de violência contra a mulher; A sentence that it's worth: scope and limits of discussion groups for men who commit violence against women

Prates, Paula Licursi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/05/2013 PT
Relevância na Pesquisa
96.35%
Introdução: O estudo das masculinidades e suas relações com a ocorrência da violência contra a mulher são decorrentes dos estudos de gênero. Para enfrentar o problema e incorporando esta tendência, a Lei Maria da Penha recomenda o encaminhamento de homens autores de violência contra mulher a serviços específicos, sendo o grupo reflexivo uma das possibilidades de intervenção. Objetivos: Caracterizar o perfil de homens participantes do grupo reflexivo; descrever como a dinâmica e os conteúdos veiculados no grupo mobilizam a reflexão; identificar que aspectos das falas dos sujeitos são indicadores de novas posturas e ressignificações das relações; analisar alcances e limites de grupos reflexivos como estratégia de enfrentamento à violência contra as mulheres. Método: Pesquisa qualitativa, do tipo estudo de caso, centrada na análise de um grupo composto por homens autores de violência contra a mulher, encaminhados pela justiça para cumprimento de medida judicial. Os dados sociodemográficos e criminais dos homens foram coletados em formulários e boletins de ocorrência. As falas dos sujeitos foram obtidas através de gravação dos grupos e de entrevistas individuais. As falas foram transcritas e interpretadas por meio da análise temática e discursiva...

Violência contra a mulher: uma análise do caso brasileiro; Violence against women: an analysis of the Brazilian experience

Borges, Bruna Pugialli da Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
96.35%
A violência contra a mulher constitui um grave problema nacional, apesar do esforço feito pelo governo brasileiro na última década no enfrentamento a esse tipo de violência. A introdução da Lei Maria da Penha, em 2006, representou uma grande mudança na proteção legal nos casos de violência doméstica. Todavia, o cumprimento pleno da referida lei está condicionado à existência dos Serviços Especializados de Atendimento à Mulher, tais como juizados especializados, delegacias de mulheres, casas - abrigo, etc., e a abrangência desses serviços nos municípios brasileiros ainda é limitada. Utilizando um painel de municípios, o objetivo da dissertação é avaliar se os municípios onde há Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher apresentaram uma queda nos casos de violência contra a mulher, supondo que essas cidades tiveram melhor aplicação da Lei Maria da Penha. A distribuição municipal dos juizados especializados é obtida através da Pesquisa de Informações Básicas Municipais de 2009, do IBGE. A medida de violência contra a mulher utilizada é o número de internações femininas cuja causa é a agressão, cuja base de dados é Sistema de Informações Hospitalares do Ministério da Saúde. A metodologia utilizada na investigação dos efeitos causais da Lei Maria da Penha é o estimador de diferenças - em - diferenças com Propensity Score Matching. Os resultados sugerem uma queda na violência contra a mulher em municípios onde os juizados foram implementados. Além disso...

Trends in public health policies addressing violence against women

Loría,Kattia Rojas; Rosado,Teresa Gutiérrez; Espinosa,Leonor María Cantera; Marrochi,Leda María Marenco; Sánchez,Anna Fernández
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 EN
Relevância na Pesquisa
96.3%
OBJECTIVE To analyze the content of policies and action plans within the public healthcare system that addresses the issue of violence against women. METHODS A descriptive and comparative study was conducted on the health policies and plans in Catalonia and Costa Rica from 2005 to 2011. It uses a qualitative methodology with documentary analysis. It is classified by topics that describe and interpret the contents. We considered dimensions, such as principles, strategies, concepts concerning violence against women, health trends, and evaluations. RESULTS Thirteen public policy documents were analyzed. In both countries’ contexts, we have provided an overview of violence against women as a problem whose roots are in gender inequality. The strategies of gender policies that address violence against women are cultural exchange and institutional action within the public healthcare system. The actions of the healthcare sector are expanded into specific plans. The priorities and specificity of actions in healthcare plans were the distinguishing features between the two countries. CONCLUSIONS The common features of the healthcare plans in both the counties include violence against women, use of protocols, detection tasks, care and recovery for women...

Violence Against Women and Girls : Health Sector Brief

Gennari, Floriza; McCleary-Sills, Jennifer; Arango, Diana; Hidalgo, Nidia
Fonte: World Bank, Washington, DC Publicador: World Bank, Washington, DC
EN_US
Relevância na Pesquisa
96.34%
Violence against women and girls (VAWG) has negative impacts on physical and mental health. Health care settings provide a unique opportunity to identify VAWG survivors, provide critical support services, and prevent future harm. VAWG has intergenerational effects: boys who witness intimate partner violence (IPV) at home are more likely to grow up to perpetrate violence themselves. And girls with childhood exposure to IPV are more likely to experience violence in later relationships. The health sector can play a role in educating clients and the broader community about VAWG as a human rights violation and major public health issue.

Violence Against Women and Girls : Disaster Risk Management Brief

Gennari, Floriza; Arango, Diana; Urban, Anne-Marie; McCleary-Sills, Jennifer
Fonte: World Bank, Washington, DC Publicador: World Bank, Washington, DC
EN_US
Relevância na Pesquisa
96.34%
Violence against women and girls (VAWG) has negative impacts on physical and mental health. Health care settings provide a unique opportunity to identify VAWG survivors, provide critical support services, and prevent future harm. Ample studies have shown that natural disasters, including tsunamis, hurricanes, earthquakes, and floods, disproportionately affect women and girls, who are at greater risk of violence and exploitation than men and boys in the face of uprooted housing and traditional support structures, disrupted access to services, and both structural and social obstacles to accessing food, relief, supplies, and latrines. A study conducted four years after Hurricane Katrina occurred in the United States found that the rate of new cases of VAWG among displaced women also increased and did not return to the pre-hurricane baseline during the protracted phase of displacement.

Violence Against Women and Girls : Introduction

Gennari, Floriza; McCleary-Sills, Jennifer; Hidalgo, Nidia
Fonte: World Bank, Washington, DC Publicador: World Bank, Washington, DC
EN_US
Relevância na Pesquisa
96.34%
Violence against women and girls (VAWG) is one of the most oppressive forms of gender inequality and stands as a fundamental barrier to equal participation of women and men in social, economic, and political spheres. Such violence impedes gender equality and the achievement of a range of development outcomes. VAWG is a complex and multifaceted problem that cannot effectively be addressed from a single vantage point. The prevention of, and response to, such violence requires coordinated action across multiple sectors. This resource guide was developed through a partnership between the Global Women s Institute (GWI) at George Washington University, the Inter-American Development Bank (IDB), and the World Bank Group (WBG). The primary audiences for the guide are IDB and WBG staff and member countries, as well as other development professionals who do not yet have experience addressing VAWG. The purpose of this guide is to provide the reader with basic information on the characteristics and consequences of VAWG, including the operational implications that VAWG can have in several priority sectors of the IDB and WBG. It also offers guidance on how to integrate VAWG prevention and provide quality services to violence survivors across a range of development projects. Lastly...

Violence Against Women and Girls : Social Protection Brief

Gennari, Floriza; Arango, Diana; McCleary-Sills, Jennifer; Hidalgo, Nidia
Fonte: World Bank, Washington, DC Publicador: World Bank, Washington, DC
EN_US
Relevância na Pesquisa
96.3%
The definition of social protection (SP) programs varies widely, as do the types of interventions included and the specific outcomes sought. These programs can be implemented through public and/or private sectors, with the involvement of single or multiple government sectors, or by some combination of these actors. This brief will specifically focus on four types of social protection interventions: social assistance, social insurance, labor market programs, and early childhood development. It will offer suggestions for integrating violence against women and girls (VAWG) prevention efforts within these interventions. These areas of focus are meant to be illustrative of different social protection programs, rather than to reflect the full breadth of SP programs. In general, SP programs are public interventions that support the poorest populations and assist individuals, households, and communities to better overcome social and economic risks. Examples of programs include: a) social assistance (social safety nets): cash transfers...

Interventions to Prevent or Reduce Violence Against Women and Girls : A Systematic Review of Reviews

Arango, Diana J.; Morton, Matthew; Gennari, Floriza; Kiplesund, Sveinung; Ellsberg, Mary
Fonte: World Bank, Washington, DC Publicador: World Bank, Washington, DC
EN_US
Relevância na Pesquisa
96.41%
Violence against Women and Girls (VAWG) is a pervasive global problem. It is a violation of basic human rights and a drag on development. Much of the research to-date on the topic-including a major recent World Health Organization study to produce global prevalence rates has focused on better understanding the scale and nature of the problem. The present study builds on this body or research while shifting focus to synthesizing global evidence on potential solutions. This paper, a systematic review of reviews, breaks new ground by synthesizing evidence on the effects of VAWG prevention interventions. It examines the diversity of geographical context, the types of violence addressed, and the numerous approaches that have been used to combat VAWG. Additionally the review summarizes the quality of evidence on efficacy and effectiveness in order to highlight strengths and gaps of interventions on a global scale and could serve as a point of reference for those intending to undertake future design, implementation, and evaluation of interventions. This paper finds that knowledge of intervention impacts on VAWG prevention is growing...

Preventing Men's Violence Against Women and Girls in Australia: Engaging Australian Fathers

Meaney-Davis, Jessie
Fonte: Universidade Nacional da Austrália Publicador: Universidade Nacional da Austrália
Tipo: Relatório
Relevância na Pesquisa
96.38%
Men's violence against women and girls is a significant problem in Australia. It is estimated that one in three Australian women will experience physical violence by a man, and one in five will experience sexual violence by a man, at least once in their lifetime. Men's violence permeates every community in Australia, and all types of women and girls. Fathers are the core of male Australian society, they are placed at the core of the problem of men's violence against women and girls, and they should be at the core of violence prevention. There are four major arguments for targeting fathers for prevention. First, statistics show that most often male perpetrators of violence are intimate partners, fathers, or relatives. This demonstrates that fathers need to be targeted for the prevention of their violence against intimate partners and daughters. A second reason to target fathers is that fathers are influenced by dominant ideas of masculinity and negative concepts and practices of fatherhood. Aggressive, patriarchal, emotionally inexpressive and violent masculinities can be de-constructed in fatherhood programs and services, and men can focus on more positive aspects of their male identity such as their roles as nurturing fathers. Thirdly...

Making the links: towards an integrated strategy for the elimination of violence against women in intimate relationships with men: a study commissioned by Women's Aid

Kelleher, Patricia; Kelleher, Carmel; O'Connor, Monica
Fonte: Women's Aid Publicador: Women's Aid
Tipo: Book; ul_digital_archive; none
ENG
Relevância na Pesquisa
96.34%
peer-reviewed; This main focus of the study is on women's experience of violence in intimate relationships with men i.e. husband, partner, ex husband or live-in partner, boyfriend. Domestic violence and violence in intimate relationships are used interchangeably. As such the study does not address issues relating to violence among siblings, violence between children and parents, violence in gay and lesbian relationships or violence by women against men. The main objectives of the study are: • To examine the extent of violence against women in intimate relationships; • To outline the extent to which services come in contact with the issue of violence against women in the home; • To document the professional and service response to women who have experienced violence; • In the light of the foregoing, to make recommendations regarding the development of services for women who have experienced violence in intimate relationships.

Notificação de violência contra a mulher na rede pública de saúde de Goiânia- Goiás; Notification of violence against women in the network public health of Goiânia-Goiás-Brazil

Nogueira, Elza Gomes Finotti
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (PRPG); Pró-Reitoria de Pós-graduação (PRPG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (PRPG); Pró-Reitoria de Pós-graduação (PRPG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
96.36%
Violence is a phenomenon that has always been part of human experience and has been emphasizing between the main causes of morbidity and mortality worldwide. Since 1993 the World Health Organization recognizes in violence a public health problem. In 2010, the Ministry of Health of Brazil recorded 27,176 notifications of cases of domestic violence, sexual and/or other violence. According to the data, the characteristics of victims of violence against women are: young adult, married or in a consensual union, resident of urban zone, higher education and white color. In relation to the likely perpetrator of the assault, mostly committed by a male person and that have closed relationship with the victim, provided that spouse or ex-spouse. Therefore, it should be noted the importance of the Brazilian public policies to combat violence against women and the institution of compulsory notification within the Health System in Brazil. The present study aimed to analyze the knowledge of professionals about the notification of cases of violence against women in the Municipal Health Secretariat of Goiânia-Goiás/Brazil. A qualitative study of exploratory type, whose study population consisted of professionals involved with attention to women in situation of violence and/or epidemiological surveillance of violence in three hierarchical levels of the Secretariat. It was used for data collection the interview and documentary research in written records and fingerprints of trainings addressing the subject of notification of violence against women. Considering the manifestations of the professionals interviewed in relation to the understanding of the role of the professional in the attention to women in situation of violence...

Validade do instrumento WHO VAW STUDY para estimar violência de gênero contra a mulher; Validity of the WHO VAW study instrument for estimating gender-based violence against women; Validez de instrumento para estimar violencia de género contra la mujer

SCHRAIBER, Lilia Blima; LATORRE, Maria do Rosário Dias O; FRANÇA JR, Ivan; SEGRI, Neuber José; D'OLIVEIRA, Ana Flávia Pires Lucas
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
96.34%
OBJETIVO: Validar o instrumento do estudo World Health Organization Violence Against Women (WHO VAW) sobre violência psicológica, física e sexual por parceiros íntimos contra mulheres. MÉTODOS: Estudo transversal realizado em vários países entre 2000 e 2003, inclusive Brasil. Selecionaram-se amostras aleatórias e representativas de mulheres de 15-49 anos com parceiros íntimos, residentes na cidade de São Paulo, SP, (n = 940) e na Zona da Mata de Pernambuco (n = 1.188). Realizou-se análise fatorial exploratória das perguntas sobre violências (quatro psicológicas, seis físicas e três sexuais), com rotação varimax e criação de três fatores. Calculou-se alfa de Cronbach para análise da consistência interna. Para a validação por grupos extremos, médias de escores (zero a 13 pontos) de violência foram testadas em relação aos desfechos: auto-avaliação de saúde, atividades diárias, presença de dor ou desconforto, ideação e tentativa de suicídio, grande consumo de álcool e presença de transtorno mental comum. RESULTADOS: Foram definidos três fatores com variância acumulada semelhante (0,6092 em São Paulo e 0,6350 na Zona da Mata). Para São Paulo, o primeiro fator foi determinado pela violência física...

Validade do instrumento WHO VAW STUDY para estimar violência de gênero contra a mulher; Validez de instrumento para estimar violencia de género contra la mujer; Validity of the WHO VAW study instrument for estimating gender-based violence against women

Schraiber, Lilia Blima; Latorre, Maria do Rosário Dias O; França Jr, Ivan; Segri, Neuber José; D'Oliveira, Ana Flávia Pires Lucas
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2010 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
96.36%
OBJETIVO: Validar o instrumento do estudo World Health Organization Violence Against Women (WHO VAW) sobre violência psicológica, física e sexual por parceiros íntimos contra mulheres. MÉTODOS: Estudo transversal realizado em vários países entre 2000 e 2003, inclusive Brasil. Selecionaram-se amostras aleatórias e representativas de mulheres de 15-49 anos com parceiros íntimos, residentes na cidade de São Paulo, SP, (n = 940) e na Zona da Mata de Pernambuco (n = 1.188). Realizou-se análise fatorial exploratória das perguntas sobre violências (quatro psicológicas, seis físicas e três sexuais), com rotação varimax e criação de três fatores. Calculou-se alfa de Cronbach para análise da consistência interna. Para a validação por grupos extremos, médias de escores (zero a 13 pontos) de violência foram testadas em relação aos desfechos: auto-avaliação de saúde, atividades diárias, presença de dor ou desconforto, ideação e tentativa de suicídio, grande consumo de álcool e presença de transtorno mental comum. RESULTADOS: Foram definidos três fatores com variância acumulada semelhante (0,6092 em São Paulo e 0,6350 na Zona da Mata). Para São Paulo, o primeiro fator foi determinado pela violência física...

Prevalência da violência contra a mulher por parceiro íntimo em regiões do Brasil; Prevalence of intimate partner violence against women in regions of Brazil

Schraiber, Lilia Blima; D'Oliveira, Ana Flávia P L; França-Junior, Ivan; Diniz, Simone; Portella, Ana Paula; Ludermir, Ana Bernarda; Valença, Otávio; Couto, Márcia Thereza
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/10/2007 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
96.34%
OBJETIVO: Analisar os resultados do WHO Multi-country Study on Women´s Health and Domestic Violence sobre a prevalência da violência contra mulheres por parceiros íntimos encontrada no Brasil. MÉTODOS: Estudo transversal integrante do WHO Multi-country Study on Women's Health and Domestic Violence against women, realizado em dez países, entre 2000-2003. Em todos os locais foi utilizado questionário estruturado padronizado, construído para o estudo. Para conhecer contrastes internos a cada país, a maior cidade e uma região rural foram investigadas, sempre que factível. Foi selecionada amostra representativa da cidade de São Paulo e de 15 municípios da Zona da Mata de Pernambuco constituída por mulheres de 15 a 49 anos de idade. Foram incluídas 940 mulheres de São Paulo e 1.188 de Pernambuco, que tiveram parceria afetivo-sexual alguma vez na vida. A violência foi classificada nos tipos psicológica, física e sexual, sendo analisadas suas sobreposições, recorrência dos episódios, gravidade e época de ocorrência. RESULTADOS: Mulheres de São Paulo e Pernambuco relataram, respectivamente, ao menos uma vez na vida: violência psicológica (N=383; 41,8% e N=580; 48,9%), física (266; 27,2% e 401; 33,7%); sexual (95; 10...