Página 1 dos resultados de 2297 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Vinculação materna durante e após a gravidez

Silva, Sara Manuela Airosa da
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa, como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia, especialização em Psicologia Clínica e da Saúde; Este estudo pretende contribuir para a identificação de indicadores psicopatológicos, como sintomas de ansiedade, depressão e stress que possam interferir na vinculação mãe/bebé estabelecida, durante o período pré e pós-natal. Assim, na presente investigação pretende-se avaliar a associação entre suporte social e a sintomatologia depressiva, ansiosa e stress, além da vinculação estabelecida entre mãe e bebé. Pretende-se, igualmente, comparar o grupo de mães grávidas com o outro grupo de pós-parto, relativamente à vinculação materna estabelecida. Participaram neste estudo 100 mulheres, das quais 50 se encontram no período gestacional, entre as 5 e 39 semanas e as restantes na fase do pós-parto, entre 1 e 12 meses. A faixa etária das mães está compreendida entre os 19 e os 42 anos (M=29,04; DP=5,145), relativamente ao estado civil, 78% da amostra é casada ou vive em união de facto. A avaliação das dimensões em análise foi efectuada através da administração dos seguintes instrumentos: Questionário de Dados Sócio-Demográficos e Clínicos...

Vinculação do adulto com Polineuropatia Amiloidotica Familiar

Sousa, Alexandra Adriana Moreira de
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia, ramo de Psicologia Clínica e da Saúde; A Polineuropatia Amiloidótica Familiar (PAF), denominada de forma comum como Doença dos Pezinhos é uma doença incapacitante com implicações físicas e psicológicas. Com este estudo pretende-se analisar e comparar a vinculação do adulto em indivíduos portadores assintomáticos e doentes com PAF; assim como comparar a vinculação do adulto um grupo de doentes com PAF com a de uma amostra da população geral sem diagnóstico conhecido de doenças genéticas e hereditárias ou psicológicas; e identificar correlatos sociodemográficos da vinculação do adulto. Este estudo tem como objetivos: a) caracterizar um grupo de indivíduos com PAF, portadores assintomáticos e doentes, quanto às dimensões da vinculação do adulto; b) caracterizar um grupo de indivíduos com PAF, portadores assintomáticos e doentes, quanto aos estilos de vinculação do adulto; c) verificar se existem diferenças ao nível das dimensões da vinculação do adulto entre portadores assintomáticos e doentes com PAF; d) verificar se existem diferenças significativas entre sexos ao nível das dimensões da vinculação do adulto num grupo de indivíduos com PAF; e) verificar se existem diferenças ao nível das dimensões da vinculação do adulto num grupo de indivíduos com PAF...

Depois da rua: Dimensões sociais gerais da vinculação adulta na população

Ferreira, Luís António Garrido
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
A presente investigação pretende ser um contributo para a compreensão da mais valia que a integração em comunidade de inserção pode ser para a população sem abrigo. Especificamente pretendemos estudar a mudança ocorrida a nível das dimensões sociais gerais ligadas à vinculação adulta e aos padrões de vinculação ansiosa e evitante. A amostra deste estudo é constituída por 30 sujeitos de ambos os sexos, 33,3% do sexo feminino e 66,7% do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 26 e os 55 anos, sendo a média de 39 anos. A amostra subdivide-se em 15 indivíduos do grupo alvo (sem abrigo) e 15 indivíduos do grupo de referência (indivíduos integrados em termos laborais e habitacionais). Relativamente ao grau de escolaridade, 66,7% da amostra situa-se abaixo do 6º ano de escolaridade. No tocante ao estado civil do grupo alvo, 60% dos indivíduos são solteiros e 40% divorciados. Relativamente à raça, 80% da amostra é caucasiana e 20% de origem africana. Os participantes no estudo foram avaliados individualmente pelo autor do presente trabalho, através de um questionário de auto resposta Attachment Style Questionnaire (ASQ), que visa a avaliação da vinculação adulta nas seguintes dimensões: níveis de confiança; desconforto relativamente à proximidade; relacionamento como factor secundário; necessidade de reforço/aprovação e preocupação com os relacionamentos. Permite igualmente criar valores relativamente à vinculação ansiosa e evitante. No nosso estudo...

Solidão e vinculação:análise das suas relações numa amostra de estudantes de Psicologia

Monteiro, Maria José de Albuquerque Melo
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
O estudo da solidão e da vinculação tem sugerido, teórica e empiricamente, a existência de uma dinâmica entre estes construtos. O projecto aqui presente consiste na análise de relações entre variáveis de medidas de vinculação e seu potencial impacto nas variações individuais da solidão. A solidão tem sido conceptualizada como uma experiência negativa, caracterizada por uma percepção subjectiva de isolamento e carência da intimidade e/ou integração social necessárias ao sentido de proximidade e ligação ao Outro (Weiss, 1973). Esta condição é fonte de perturbação emocional, nomeadamente de ansiedade (Rook, 1984), afectando o funcionamento psicossocial, saúde e bem-estar geral (Cacciopo & Patrick, 2008). A amostra é constituída por 233 estudantes dos cinco anos do Mestrado Integrado em Psicologia, da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. Considerámos dois momentos e modos de vinculação: aos pais durante a infância, retrospectivamente avaliada com o EMBU- Memórias de Infância (escala de auto-relato das memórias das práticas educativas do pai e da mãe), e a vinculação aos pares na vida adulta, acedida com a EVA- Escala de Vinculação do Adulto. Ambos os instrumentos são uma adaptação para a população portuguesa (Canavarro...

Vinculação em casais adultos e sua relação com os respetivos estilos de vinculação parental

Azevedo, Maria Isabel Gomes Branco Soares de
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.39%
O objetivo do presente estudo consistiu em analisar as relações entre a vinculação parental e amorosa, de acordo com a teoria da vinculação e os autores investigados. Adicionalmente, fomos explorar as associações entre aquelas dimensões com a satisfação conjugal e a satisfação com a vida. A amostra envolveu 340 participantes correspondendo a 170 casais adultos heterossexuais, com mediana de 18,5 anos de vida em comum e média de idades de 47,72 (DP = 11,153) dos homens e 46,08 anos (DP = 9,976) das mulheres. Os dados foram recolhidos por várias medidas constituídas por variáveis sociodemográficas, pelo «Questionário de Vinculação ao Pai e à Mãe» - QVPM, Versão IV (Matos & Costa, 2001a), «Questionário de Vinculação Amorosa» – QVA – Versão III (Matos & Costa, 2001b), «Relationship Assessment Scale» – RAS (Hendrick, Dicke & Hendrick, 1998) e «Satisfaction With Life Scale» – SWLS (Diener, Emmons, Larson & Griffin, 1985). Como metodologia, utilizámos um desenho correlacional de tipo transversal. Como principais resultados, salientamos a existência de associações positivas entre a vinculação segura parental e amorosa, e a maior força de associação foi encontrada entre a vinculação segura amorosa...

Relação amorosa e vinculação nos jovens adultos

Portela, Tatiana da Silva
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.39%
O objetivo deste estudo diz respeito à relação entre a vinculação e as relações amorosas nos jovens adultos, sendo o objetivo fundamental da investigação averiguar de que forma a qualidade da vinculação influencia as mesmas. Como referencial teórico, são abordados a teoria da vinculação, os modelos de desenvolvimento das relações românticas e a vinculação amorosa. Foram questionados135 indivíduos, com média de idades de 22.19 (DP = 1.80), sendo 20 do sexo masculino e 115 do sexo feminino e sendo que 54.5% dos participantes mantinham uma relação amorosa, enquanto os restantes se baseavam na sua relação anterior mais longa para responder às questões colocadas. Foram aplicadas, a Escala de Vinculação do Adulto (EVA), o Questionário de Vinculação Amorosa (QVA) e um questionário de dados sociodemográficos. Existem já estudos que mostram diferenças na qualidade da vinculação no jovem adulto com consequências na qualidade do desenvolvimento e adaptação, com enfâse a nível da competência social e da qualidade da relação com os pares. Com este estudo verificaram-se essas mesmas diferenças, no sentido em que o estilo de vinculação influencia a vinculação amorosa, apesar da capacidade preditora ser baixa. Valores altos na vinculação amorosa confiante associaram-se a valores baixos da vinculação ansiosa; níveis baixos de vinculação segura associaram-se a níveis elevados de vinculação amorosa confiante; e maiores níveis de vinculação amorosa confiante e segura apresentavam também maiores valores de vinculação ambivalente.; The purpose of this study is the relationship between attachment and love relationships in young adults. His main goal is to ascertain in which way the quality of attachment influences that relationship. For the theoretical framework the attachment theory...

Mães de crianças em idade escolar : stress parental e estilos de vinculação da mãe e da criança

Santos, Andreia Filipa Vieira
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; O presente estudo foca três dimensões – stress parental, estilo de vinculação materno e estilo de vinculação da criança (percepção materna) - numa amostra não-clínica de mães. Pretende-se: (1) averiguar se as mães com estilos de vinculação seguro e inseguro se distinguem no stress parental; (2) analisar se há variações no estilo de vinculação da criança (seguro, ansioso/ambivalente e evitante) em função do estilo de vinculação da mãe; (3) determinar se o estilo de vinculação da criança é um preditor do stress parental; (4) explorar a relação do stress parental e dos estilos de vinculação da mãe e da criança com variáveis sócio-demográficas (mãe/criança). Participaram no estudo 73 mães de crianças com idades entre os 7 e os 12 anos. Utilizaram-se três instrumentos, o Índice de Stress Parental, o Questionário de Estilo Relacional, e o Inventário sobre a Vinculação na Infância e Adolescência, para avaliar, respectivamente, o stress parental, o estilo de vinculação da mãe e a percepção materna da vinculação da criança. Foi ainda construída uma Ficha de Recolha de Informação para a obtenção de dados sócio-demográficos (mãe...

A vinculação ao pai e à mãe nas grávidas adolescentes

Gomes, Vanessa Alexandra Dias
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.35%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; Os Anexos encontram-se no CD-ROM apenso à Tese em Papel.; O presente estudo pretende compreender se a vinculação ao pai é diferente entre as adolescentes que engravidam e as adolescentes que não engravidam; e o mesmo em relação à vinculação à mãe. Deste modo, tentamos perceber se essa vinculação pode ser visto como factor de risco para a gravidez na adolescência. Neste estudo, participaram 60 adolescentes, 29 não-grávidas e 31 grávidas, com uma média de idades de 16 anos, que habitam no Distrito de Lisboa. De forma a avaliar a vinculação destas adolescentes aos seus pais, utilizou-se o Questionário de Vinculação ao Pai e à Mãe (QVPM). Construiu-se um questionário sociodemográfico de forma a recolher informações acerca das características da amostra. Esperava-se que a vinculação ao pai fosse diferente nas adolescentes grávidas e nas adolescentes não grávidas, mais especificamente que a vinculação com o pai nas adolescentes grávidas fosse mais negativa, e que a vinculação à mãe fosse semelhante nas adolescentes grávidas e não grávidas. As diferenças não foram significativas...

Relação entre a vinculação aos pais, o suporte social e o rendimento escolar em adolescentes do 9º ao 12º ano

Jesus, Sofia Patrícia Oliveira de
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
Dissertação de Mestrado em Psicologia da Educação; A teoria da vinculação tem a sua origem no trabalho desenvolvido por John Bowlby e Mary Ainswort e concetualiza a tendência do ser humano para estabelecer laços afetivos com outros significativos. A adolescência é uma fase desenvolvimental onde ocorre uma multiplicidade de mudanças (a nível emocional, cognitivo e comportamental) na vida dos indivíduos, uma vez que representa um período de transição entre a vinculação na infância (estabelecida com as figuras parentais) e a vinculação adulta (estabelecida com as figuras exteriores ao contexto familiar). Após a infância, as relações de vinculação deixam de se restringir ao pai e à mãe, e começam a surgir na vida do adolescente outros significativos, como os pares ou o companheiro amoroso. A importância do apoio social (de pessoas significativas para o indivíduo) e o investimento nos laços sociais pode aumentar o processo de adaptação e o equilíbrio do indivíduo quando confrontado com acontecimentos stressantes. A qualidade da relação de vinculação do adolescente com os pais vai ter repercussões na forma como o adolescente perceciona a escola e o seu rendimento escolar. Apesar dos muitos estudos realizados na área da vinculação e do suporte social...

Vinculação e adopção

Salvaterra, Maria Fernanda
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
O estudo da vinculação em crianças adoptadas é de extrema relevância para a teoria da vinculação uma vez que permite avaliar a qualidade da vinculação e o seu desenvolvimento em famílias nas quais não há partilha da mesma informação genética nem da mesma história familiar. A presente investigação teve como objectivo geral o estudo da vinculação na adopção. Pretendemos caracterizar as famílias adoptivas, a dinâmica familiar em torno da adopção e as relações de vinculação das crianças com os seus pais. Tínhamos ainda como objectivos principais avaliar se a representação da vinculação (MDI) da mãe adoptiva e se a idade da criança à data da adopção prediziam a qualidade da vinculação. Participaram neste estudo 106 crianças adoptadas e suas famílias adoptivas (N=106), de um universo de 540 crianças de 461 famílias que adoptaram no Distrito de Lisboa (excepto cidade de Lisboa) entre 1984 e 2004. Utilizámos a Entrevista sobre o Processo de Adopção – EPA (J. Palácios, E. M. Sanchez Espinosa y Sanchez Sardoval, Universidad de Sevilha, 1995) para caracterizar o processo de adopção, o AQS (Waters, 1995) para a caracterização da qualidade de vinculação criança-mãe, as Narrativas Maternas (H. Waters & Rodrigues-Doolabh...

Modelos internos dinâmicos de vinculação, características temperamentais da criança e o contexto social: Que ligação?

Machado, Maria de Fátima Faria de Almeida
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional; Neste estudo pretendemos investigar a relação entre as representações de vinculação dos pais e mães e o temperamento da criança assim como a relação entre os modelos internos de ambos os pais e a responsabilidade parental, com base na teoria da vinculação, preconizada por Bowlby e Ainsworth. Cooperaram no presente trabalho os pais e as mães de 58 crianças com idades compreen¬didas entre os 29 e os 38 meses. Estas frequentam seis salas de creche, em três estabele¬cimentos de ensino particular. Utilizaram-se três instrumentos, tendo sido aplicados individualmente aos pais e às mães. As Narrativas de Representação de Vinculação em Adultos (Veríssimo et al., 2005) para avaliar a qualidade organizativa dos seus modelos internos dinâmicos. Através de palavras-chave os pais e as mães produziram Histórias adulto-adulto e Histórias adulto--criança, tendo o global, originado o Total das histórias. O Infant Characteristics Questionnaire (Bates, 1980, adaptação de Veríssimo & Santos, 2003) para analisar as perspectivas de ambos os pais sobre a expressão temperamento da criança, nas dimensões Difícil, Adaptação negativa à mudança, Irrequieto, Irregular e Tranquilo...

Qualidade da vinculação percebida por mães e crianças em idade escolar provenientes de diferentes tipos de família

Simões, Sónia Catarina Carvalho; Filipe, Filipa Nunes Vicente Filipe de Oliveira; Farate, Carlos Manuel da Cruz
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
A literatura tem referido que as crianças de famílias nucleares apresentam uma vinculação mais segura comparativamente às de famílias monoparentais ou reconstituídas. Foram objetivos deste estudo investigar a qualidade da vinculação em crianças em idade escolar pertencentes a famílias nucleares, monoparentais e reconstituídas e observar a convergência entre perceção materna dos comportamentos de vinculação e representação da qualidade de vinculação das crianças. É um estudo transversal, com 168 crianças dos 8 aos 11 anos (M=9.17) e respetivas mães. O protocolo de investigação incluiu o Separation Anxiety Test (SAT) e a Escala de Perceção Materna do Comportamento de Vinculação da Criança (PCV-M). Os resultados mostram não haver convergência significativa entre a perceção materna dos comportamentos de vinculação e a representação da vinculação pela criança. Somente nas famílias monoparentais houve diferenças no comportamento base segura do PCV-M em função da representação da vinculação da criança (segura/insegura). Não se observou uma associação entre o tipo de família e a representação da vinculação da criança, nem diferenças na perceção materna dos comportamentos de vinculação entre os diferentes tipos de família. Em conclusão...

Estilos de vinculação e mecanismos de defesa : um estudo com jovens adultos

Carvalho, João Baginha Boavida de
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.35%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2014; O presente trabalho foca-se no estudo da relação entre os estilos de vinculação, mecanismos de defesa e estilos defensivos, em jovens adultos com mais de 18 anos. Tem como objetivos: Analisar as diferenças nos estilos defensivos em função do tipo de vinculação – Segura ou Insegura (1); Analisar a relação entre estilos de vinculação e estilos defensivos (2); Analisar as relações entre as dimensões da vinculação e estilos defensivos (3); Analisar Diferenças dos vários mecanismos de defesa em função do estilo de vinculação (4); Analisar a relação entre Dimensões da Vinculação e Defesas (5). Foram utilizados 3 instrumentos: Um questionário Sociodemográfico; O questionário Experiência em Relações Próximas – Experience in Close Relations – traduzido e adaptado em Portugal por Moreira e colegas (2006); e finalmente o Questionário de Estilo Defensivo – Defensive Style Questionnaire-40 (Andrews, Singh, & Bond, 1993). Participaram neste estudo 110 indivíduos, masculinos e femininos, com idades superiores a 18 anos. Os resultados permitiram verificar que: (1) Existem correlações significativas entre estilos de vinculação e estilos defensivos; (2) Existem correlações significativas entre dimensões da vinculação e estilos defensivos; (3) Existem diferenças significativas nos estilos de defensivos em função do tipo de vinculação; (4) Existem diferenças significativas em vários mecanismos de defesa em função do estilo de vinculação; Existem correlações significativas entre dimensões da vinculação e vários mecanismos de defesa. Os resultados são discutidos com base na literatura existente. São referidas as limitações do estudo e propostas para investigações futuras.; The present research focuses on the study of the relation between attachment styles...

Vinculação à mãe, ao pai e ao grupo de pares e sua relação com a delinquência juvenil

Vaz, Marta Sofia da Silva Fernandes
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; O presente estudo teve como objectivo analisar o padrão de vinculação presente em jovens sinalizados com comportamentos delinquentes face a figuras significativas (mãe, pai, amigos), e compreender qual a influência dessa vinculação na manifestação de comportamentos delinquentes. Recorreu-se a Instituições que trabalham directamente com jovens considerados em risco. Contou-se com a participação de 125 adolescentes, do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 13 e os 18 anos de idade (média de idades 16 anos). Para medir o grau de delinquência, utilizou-se a Escala de Desvio e Delinquência (Gouveia-Pereira & Sanchez, 2010) e para analisar a qualidade da vinculação a figuras significativas, utilizou-se o Inventário de Vinculação para Pais e Pares (IPPA) (Neves, L., Soares, I. & Silva, M., 1995). Os resultados obtidos permitem-nos constatar que o padrão de vinculação destes jovens é maioritariamente seguro. Todavia, verificouse a existência de uma correlação negativa entre vinculação e delinquência, ou seja, quanto menos segura for a vinculação, maior é a ocorrência de comportamentos delinquentes (Questionário de Vinculação à Mãe r =-.281 ; p <0.01 / Questionário de Vinculação ao Pai r =-.296 ; p <0.01 / Questionário de Vinculação aos Pares r =-.198 ; p < 0.05).; ABSTRACT: The present study aimed to analyze the pattern of attachment with significant figures (mother...

Qualidade da vinculação percebida por mães e crianças em idade escolar provenientes de diferentes tipos de família

Simões, Sónia Catarina Carvalho; Instituto Superior Miguel Torga (ISMT) CEPESE (membro integrado deste centro de investigação); Filipe, Filipa Nunes Vicente Filipe de Oliveira; Instituto Superior Miguel Torga; Farate, Carlos Manuel da Cruz; Instituto
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
A literatura tem referido que as crianças de famílias nucleares apresentam uma vinculação mais seguracomparativamente às de famílias monoparentais ou reconstituídas.Foram objetivos deste estudo investigar a qualidade da vinculação em crianças em idade escolarpertencentes a famílias nucleares, monoparentais e reconstituídas e observar a convergência entreperceção materna dos comportamentos de vinculação e representação da qualidade de vinculação dascrianças.É um estudo transversal, com 168 crianças dos 8 aos 11 anos (M=9.17) e respetivas mães. O protocolode investigação incluiu o Separation Anxiety Test (SAT) e a Escala de Perceção Materna doComportamento de Vinculação da Criança (PCV-M).Os resultados mostram não haver convergência significativa entre a perceção materna doscomportamentos de vinculação e a representação da vinculação pela criança. Somente nas famíliasmonoparentais houve diferenças no comportamento base segura do PCV-M em função darepresentação da vinculação da criança (segura/insegura). Não se observou uma associação entre otipo de família e a representação da vinculação da criança, nem diferenças na perceção materna doscomportamentos de vinculação entre os diferentes tipos de família.Em conclusão...

A possível influência da relação com a figura paterna na representação da vinculação pré-natal, em grávidas adolescentes

Pires, Ana Filipa Fonseca
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Tese de mestrado, Psicologia (Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2009; O presente estudo tem por objectivo averiguar a possível influência da relação que as grávidas adolescentes têm com as figuras parentais masculinas na representação da vinculação pré-natal que estas estabelecem, durante a gravidez, com os seus bebés. Vinte e seis utentes da Consulta de Grávidas Adolescentes da Maternidade Dr. Alfredo da Costa, com idades compreendidas entre os 14 e os 18 anos, participaram neste estudo. A recolha dos dados efectuou-se através do preenchimento do Questionário de Vinculação ao Pai e à Mãe (Versão IV, Matos & Costa, 2001), da versão portuguesa da Escala Materna de Vinculação Pré-Natal (Condon, 1993) e de um Questionário Socio-demográfico. Os dados recolhidos foram analisados pelo software estatístico SPSS v. 17.0, para Windows. Os resultados mostram que existe uma tendência para as grávidas adolescentes que habitam com o pai obterem níveis mais elevados de representação da vinculação pré-natal, em comparação com as grávidas que não habitam com o pai. Considerando apenas estas últimas...

Relação entre a vinculação e o investimento corporal em adolescentes

Tacoen, Jessica
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; O presente estudo propõe-se explorar a correlação e a capacidade preditiva da vinculação sobre o investimento corporal, em adolescentes, no sentido de verificar em que medida os modelos internos dinâmicos, desenvolvidos no contexto da relação precoce com a figura de vinculação, afetam a qualidade do investimento corporal na adolescência. O corpo é descrito como centro da maior parte dos conflitos na adolescência, período de crise, decorrente das mudanças psíquicas e fisiológicas, no qual pulsões, defesas, investimentos narcísicos e objetais se defrontam. É através de uma vinculação precoce segura, de uma relação primária prazenteira, da qualidade do investimento materno e do olhar da mãe que dá significado e valoriza o corpo da criança, que esta aprende a investir em si. A amostra, recolhida em contexto escolar, envolve 144 adolescentes, de ambos os géneros, com idades entre os 13 e os 17 anos. Os instrumentos quantitativos utilizados são o Inventário sobre a Vinculação para a Infância e Adolescência (IVIA; Carvalho, Soares & Baptista...

(Os) nós e os laços : vinculação, suporte social e bem-estar em jovens adultos

Ramalho, Carla Susana Rodrigues da Costa, 1973-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
Tese de mestrado em Psicologia (Stress e Bem-Estar: intervenção na família, na escola e no trabalho), apresentada à Universidade de Lisboa através da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, 2008; Enquadrados pelo Modelo Ecológico de Desenvolvimento Humano (Bronfenbrenner, 1979, 2000) e partindo da Teoria da Vinculação (Bowlby, 1969, 1980), alargada a todo o ciclo de vida, quisemos compreender as relações entre a vinculação aos pais, a vinculação aos pares, o suporte social percebido e os níveis de bem-estar psicológico e subjectivo numa população de jovens adultos. A amostra é constituída por 200 sujeitos com idades entre 18 e 25 anos de ambos os sexos. Os instrumentos utilizados são: Questionário de Vinculação ao Pai e à Mãe (versão revista; Matos & Costa, 2001), Escala de Vinculação do Adulto (Canavarro, 1995), Escala de Provisões Sociais (Moreira, 1996), Escala de Bem-estar Psicológico (Novo, Duarte Silva & Peralta, 2004), Escala de Satisfação com a Vida (Diener et al, 1985; Neto, 1993) e Inventário de Afectividade Positiva e Negativa (Moreira, 1998). Todos os instrumentos se encontravam, à partida, devidamente estudados e adaptados para a população portuguesa, tendo os resultados provenientes da análise da sua fiabilidade na presente investigação (alphas de Cronbach...

A Qualidade da Vinculação em Idade Escolar: Perspectivas cruzadas de mães e filhos

Oliveira, Filipa Nunes Vicente Filipe de
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
Introdução: A qualidade da vinculação da criança aos pais é fundamental para o seu desenvolvimento sócio-emocional, na medida em que lhe permite explorar o meio envolvente, relacionar-se com outras pessoas e fazer novas aprendizagens. No que respeita ao estudo da vinculação em diferentes tipos de família, a literatura tem indicado que as crianças de famílias nucleares apresentam uma vinculação mais segura em relação às crianças de famílias monoparentais ou reconstituídas. Objectivo: Este estudo tem por objectivos investigar a qualidade da vinculação em crianças em idade escolar pertencentes a diferentes tipos de família e observar a convergência entre a percepção materna dos comportamentos de vinculação e a representação da qualidade de vinculação por parte das crianças em estudo. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, cuja amostra é composta por 168 crianças em idade escolar (8-11 anos) e respectivas mães. O protocolo de investigação é constituído por 3 instrumentos: Questionário sócio-demográfico, Separation Anxiety Test (SAT) e Escala de Percepção Materna do Comportamento de Vinculação da Criança (PCV-M). Resultados: Os resultados mostram não haver convergência significativa entre a percepção materna dos comportamentos de vinculação e a representação da vinculação por parte da criança. Somente nas famílias monoparentais são observáveis correlações entre a subescala Comportamento Base Segura do PCV-M (p=.001...

Qualidade da vinculação percebida por mães e crianças em idade escolar provenientes de diferentes tipos de família

Simões,Sónia Catarina Carvalho; Filipe,Filipa Nunes Vicente Filipe de Oliveira; Farate,Carlos Manuel da Cruz
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
A literatura tem referido que as crianças de famílias nucleares apresentam uma vinculação mais segura comparativamente às de famílias monoparentais ou reconstituídas. Foram objetivos deste estudo investigar a qualidade da vinculação em crianças em idade escolar pertencentes a famílias nucleares, monoparentais e reconstituídas e observar a convergência entre perceção materna dos comportamentos de vinculação e representação da qualidade de vinculação das crianças. É um estudo transversal, com 168 crianças dos 8 aos 11 anos (M=9.17) e respetivas mães. O protocolo de investigação incluiu o Separation Anxiety Test (SAT) e a Escala de Perceção Materna do Comportamento de Vinculação da Criança (PCV-M). Os resultados mostram não haver convergência significativa entre a perceção materna dos comportamentos de vinculação e a representação da vinculação pela criança. Somente nas famílias monoparentais houve diferenças no comportamento base segura do PCV-M em função da representação da vinculação da criança (segura/insegura). Não se observou uma associação entre o tipo de família e a representação da vinculação da criança, nem diferenças na perceção materna dos comportamentos de vinculação entre os diferentes tipos de família. Em conclusão...