Página 1 dos resultados de 5682 itens digitais encontrados em 0.007 segundos

Estética e hermenêutica: a arte como declaração de verdade em Gadamer; Aesthetics and hermeneutics: the art as a truth´s expression in Gadamer

Silva Júnior, Almir Ferreira da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/05/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.05%
A pesquisa tem como objetivo investigar o que justifica o caráter paradigmático da análise sobre a questão da verdade da arte para a elaboração da hermenêutica filosófica de Hans- Georg Gadamer em sua obra Verdade e método. A relação entre estética e hermenêutica, além de submeter o fenômeno estético a uma análise interpretativa, possibilita para a estética a recuperação do fenômeno da arte como experiência de verdade. A autonomia da reflexão sobre o domínio da estética e, especificamente, sobre o fenômeno da arte é garantida pelo propósito de uma análise crítica sobre o procedimento metodológico das ciências naturais. Para Gadamer, a pretensão exclusiva de demonstração de verdade baseada na verificabilidade de certezas é insuficiente para as ciências humanas. Examina-se a análise ontológicohermenêutica sobre a arte como condição de recuperá-la e reivindicá-la enquanto experiência de verdade. Analisa-se o caráter de subjetivação da estética, a partir da filosofia de Kant, como requisito fundamental para a retomada da questão da verdade a partir da arte. A tarefa hermenêutica da crítica à noção da consciência estética constitui-se como a abertura originária para se repensar a questão da verdade e sua relação com a arte. O que possibilita uma reflexão hermenêutica sobre a arte é sua análise ontológica tendo em vista a nova dimensão do compreender...

Sobre a verdade em Alselmo de Cantuária; On the truth in Anselm of Canterbury

Costa, Lessandro Regiani
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/02/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.03%
Da verdade, como seu título indica, é uma obra dedicada à busca da definição da verdade, que é fornecida após serem percorridas todas as sedes da verdade: significação, pensamento, vontade, ação, sentidos, essência das coisas, e, por último, a suma verdade. A verdade, contudo, não é tratada como a adequação da coisa e do intelecto. Diferentemente da tradição aristotélica, Anselmo estende, por meio da noção de retidão, o conceito de verdade a diversas esferas, chegando ao ponto de estabelecer a justiça como espécie da verdade. Apesar dessa expansão, Anselmo consegue assegurar a transcendência de Deus e a unidade da verdade.; On the truth, as suggested by the title, is a book dedicated to the research of the definition of truth, which is given after covering all the abodes of truth: meaning, thought, will, action, sense, essence of things, and finally the highest truth. However, the truth is not concerned as the adjustment of the thing and the intellect. Differently from the Aristotelian tradition, Anselm extends the concept of truth to different fields through the notion of rectitude, until establishing the justice as species of truth. Despite this expansion, Anselm succeeds in ensuring the transcendence of God and the unity of truth.

Perspectivísmo e verdade em Nietzsche. Da apropriação de Kant ao confronto com o relativismo; Perspectivism and truth in Nietzsche. From the appropriation of Kant to the confrontation with relativism

Lima, Márcio José Silveira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.09%
Esta tese de doutorado estuda o perspectivismo na obra de Nietzsche, bem como o confronto com a verdade que ele representa. Para tanto, procuramos mostrar que esse confronto atravessa toda a obra de Nietzsche, pois já os seus escritos iniciais investigam as condições para o surgimento da crença na verdade, além dos interesses a que ela atendia. Expondo que Nietzsche, apropriando-se do legado crítico de Kant em suas primeiras obras, ensaia uma destruição completa da verdade, pretendemos demonstrar que ele falha em seus objetivos porque a radicalidade de seus argumentos destruiria os próprios pressupostos em que estão baseados, ou seja, os do idealismo transcendental kantiano. Nesse momento em que circunscrevemos nossa análise aos escritos inicias, tentamos demonstrar que Nietzsche limita-se a refutar a noção de verdade como adequação com a coisa-em-si, mas falha ao querer ampliar esse refutação além desses limites. Por isso, analisando a maneira pela qual o combate à verdade se posiciona a partir dos escritos da década de 80, defendemos que neles o perspectivismo se torna decisivo para os problemas enfrentados inicialmente por Nietzsche. Interpretando o perspectivismo como um fenomenalismo da consciência e um interpretacionismo...

A relação da educação com a verdade: considerações a partir da interrogação, do saber e da técnica; The correlation between education and the truth: considerations stemming from questioning, knowledge and technique.

Aguiar, Tânia Margareth Bancalero
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.01%
O objetivo central da pesquisa consiste em pensar sobre a relação da educação com a verdade. A partir da pergunta qual a relação da educação com a verdade?, buscando menos uma única resposta e mais a abertura de possibilidades de reflexão para o campo da educação, considerando que tal pergunta se dirige ao cerne do embate que se apresenta nesse campo, configurado como um jogo entre a espiritualidade e a racionalidade. Questões sobre a finalidade da educação, sobre a pertinência da técnica ou da formação para a cidadania, por exemplo, ilustram a atualidade desse jogo de oposição que parece estar vinculado a tal relação. Para tanto, espera-se ir além dos estudos das teorias pedagógicas e da analítica da verdade, para confrontar essa relação na história, a partir dos estudos de Michel Foucault, especialmente analisados em seus cursos no Collège de France na década de 1980. Toma-se a relação da educação com a verdade a partir de três referentes: a interrogação, o saber e a técnica. Elementos referentes identificados nos estudos de Michel Foucault e Jacques Lacan sobre a verdade, pensadores tomados em suas diferenças irreconciliáveis, mas numa posição que qualifica ambos na inauguração de um modo de pensar sobre a verdade e que permite...

Arte e verdade: ecos de um entrelaçamento; Art and truth: echoes from an interlacing

Santos, Maria Edivania Vicente dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.01%
A tese versa sobre o problema da verdade em Merleau-Ponty e sua oposição à verdade como adequação, portanto, à ontologia clássica dualista e, nesta via, sobre a arte como acesso à verdade, no percurso desencadeado pelo filósofo, e o que daí decorre em relação à instituição de uma ontologia. A arte, pois, como expressão da trama do ser por dentro - não imitação, re-apresentação ou fuga e, neste sentido, testemunho e rebento de uma reversibilidade irredutível (do expresso e da expressão, do signo e do sentido, do corpo e do espírito, de mim e de outrem, da palavra e do silêncio) no que toca à experiência do ser. Traços estes que circunscrevem a verdade no crivo da abertura e da coexistência e, com isto, do inacabamento da linguagem, da ação e do pensamento, compreendida, em última instância, como coesão sem conceito e, deste modo, não adequação. Com este foco, voltamo-nos inicialmente para a reformulação do problema da verdade nos termos de uma efetiva conduta interrogativa cujo solo é a existência enquanto jogo de imanência e transcendência; em seguida, para a ontologia da obra de arte e a intersecção com a filosofia e, deste modo, para a expressão inacabada da verdade; e, por fim, para o mundo sensível e...

Os objetivos da Comissão Nacional da Verdade : a busca pela verdade e a promoção da reconciliação nacional

Antonio, Gustavo Miranda
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.07%
A criação da Comissão Nacional da Verdade representa mais uma etapa do longo processo de acerto de contas desenvolvido pelo Estado brasileiro junto às vítimas da ditadura militar, às suas famílias e à sociedade. Pela redação da Lei n. 12.528/2011, a comissão tem como seu objetivo principal esclarecer os fatos e as circunstâncias dos casos de graves violações de direitos humanos ocorridos no período fixado no art. 8º do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias (ou seja, de 18 de setembro de 1946 a 05 de outubro de 1988), o que se acredita irá garantir a efetividade do direito à memória e à verdade histórica e promoverá a reconciliação nacional. Este trabalho se preocupa, num primeiro momento, em esclarecer como a busca da verdade está relacionada ao objetivo de reconciliação, já que uma das finalidades explícitas da Comissão Nacional da Verdade é promover a reconciliação nacional. Para tanto, inicialmente é apresentada uma breve contextualização histórica do processo de acerto de contas do Estado brasileiro quanto ao passado de violência estatal característico da ditadura militar. Em seguida, serão apresentadas as dificuldades em trabalhar com conceitos tão abertos como “verdade” e “reconciliação”...

Verdade cristã e diálogo inter-religioso. A propósito de Gianni Vattimo

Coutinho, Jorge
Fonte: Universidade Católica Portuguesa. Faculdade de Teologia-Braga Publicador: Universidade Católica Portuguesa. Faculdade de Teologia-Braga
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
37.1%
Partindo de posições assumidas, particularmente em escritos recentes, por Gianni Vattimo, esta reflexão procura prestar a devida atenção à sua ideia de verdade em sua particular aplicação à verdade religiosa, designadamente à verdade cristã, e às consequências que daí ele extrai para a prática do diálogo interreligioso, bem como do diálogo da religião com a ou as culturas. Procura-se, em seguida, pôr em evidência fazer uma crítica, quer acolhendo o que se considera justo nas posições de Vattimo, quer trazendo à colação o que se considera a questão filosófica de fundo, com incidências teológicas: o aprofundamento e clarificação da própria ideia de verdade, seja em geral seja na sua aplicação à verdade cristã e, em particular, à verdade católica. Deste modo, procura-se realçar algumas exigências do diálogo interreligioso e intercultural, para que seja um diálogo conduzido no horizonte da verdade.

Verdade e enigma no pensamento estético de Adorno

Cachopo, João Pedro de Bastos Gonçalves
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em /03/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.01%
Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Doutor em Filosofia Contemporânea; A presente dissertação debruça-se sobre o pensamento estético de Adorno e procura esclarecer aquele que é talvez o seu desafio mais decisivo: a captação e a exploração críticas do «teor de verdade» de obras de arte. Que a verdade da arte, segundo Adorno – para quem esta questão se declina no singular, a respeito de obras de arte concretas –, seja inseparável do seu potencial crítico, da sua negatividade, é insofismável. Contudo, esse potencial revela-se irredutível à lógica de uma arte explicitamente política e não é possível pensá-lo abstraindo da imanência dos processos artísticos. Em consonância com a insistência de Adorno na tese de que o potencial crítico da arte e a sua autonomia não se contradizem, a dialéctica entre «verdade» e «aparência» ocupou um lugar central na recepção da estética de Adorno. Nos termos dessa dialéctica, de que nos ocuparemos na Primeira Parte, a arte é crítica não só na medida em que certas obras de arte exibem a negatividade do real, mas também por nelas aparecer justamente o que de súbito escapa a essa mesma negatividade. O «teor de verdade» seria então a «aparência do não-aparente»...

Verdade e fantasia em Freud

Abel,Marcos Chedid
Fonte: Programa de Pós-graduação em Teoria Psicanalítica do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ Publicador: Programa de Pós-graduação em Teoria Psicanalítica do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.05%
Trata-se de abordar as relações entre verdade e fantasia no pensamento de Sigmund Freud e suas implicações no trabalho psicanalítico. Apresenta-se a aproximação progressiva que se opera entre verdade e fantasia em suas elaborações teóricas. Demonstra-se que a fantasia, a princípio considerada apenas como obstáculo à verdade, passa a integrar a verdade buscada no tratamento. Argumenta-se que a verdade histórica na psicanálise é composta pela verdade material e a fantasia de desejo. Conclui-se que Freud, em sua prática, passa a visar, sobretudo, à reconstrução ou à construção com o analisante de sua verdade histórica, mais como poeta do que propriamente a descobrir a verdade material, como arqueólogo.

O juiz e o historiador na encruzilhada da verossimilhança: ambição de verdade no processo penal

Khaled Junior, Salah Hassan
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.05%
O objetivo desta pesquisa é analisar a questão da ambição de verdade no processo penal. Mais especificamente, o enfoque é o problema colocado pelo núcleo de saber do processo penal. Portanto, procura verificar os limites inerentes ao ritual judiciário: como este instrumento jurídico se relaciona com a dimensão de poder e quais são suas possibilidades de verdade, face aos problemas colocados pela passeidade, pelo rastro, pela interpretação e pela narrativa. Neste sentido, se propõe a discutir a dimensão de saber do processo penal a partir dos referenciais do direito, da historiografia, da hermenêutica e da complexidade e incerteza, procurando romper com uma concepção de verdade dogmática e totalitária (aletheia), que animada por uma hybris, preserva o sistema inquisitório, a partir da noção de verdade real. Sendo assim, opõe aos excessos do substancialismo e do decisionismo, outra concepção de verdade: uma verdade problemática (veritas), apta a limitar o poder, a reconhecer a diferença, a não simplificar a complexidade do objeto em questão, ou seja, a ambição de verdade no processo penal. Neste sentido, trata-se de uma concepção de verdade onde a dinâmica do pharmakon assume condição de antídoto contra a arbitrariedade do poder punitivo...

Vontade de verdade e ciência: um ensaio acerca da auto-supressão da moral em Nietzsche

Pagno, Jonas Grejianin
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.12%
A verdade é um dos pontos centrais das especulações e meditações filosóficas; ela justifica todos os esforços e sacrifícios de quem a procura, pois são esperadas as mais altas gratificações religiosas, morais e intelectuais. Nietzsche descarta peremptoriamente este modo de proceder; sustenta que não há uma verdade eterna, imutável. Segundo ele, o que existe é a necessidade de estabelecer critérios que possibilitem a sobrevivência humana em sociedade. A verdade só é estimada pelos homens porque há uma vontade de verdade. Dito de outro modo, na base da verdade não há um fundamento metafísico que assegura a sua validade, mas sim uma vontade de tornar fixo e eterno aquilo que está em permanente mudança. Nietzsche denomina “vontade de verdade” a crença de que nada é mais necessário do que o verdadeiro, de que a verdade é infinitamente superior ao falso, de que a verdade é o valor superior. Sendo assim, é a moral que dá valor à verdade e, evidentemente, a verdade não possui mais a sua autojustificação. Nesta perspectiva, o projeto racional da busca pela verdade a todo custo é descartado e rebaixado a um segundo nível, uma vez que a confiança na razão é um fenômeno moral. Por isso, para Nietzsche...

A verdade recriada: códigos deontológicos da prática jornalística no cinema

PETTINATI FILHO, Aguinaldo Ricciotti
Fonte: Universidade Municipal de São Caetano do Sul Publicador: Universidade Municipal de São Caetano do Sul
Tipo: Tese ou dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.05%
Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Municipal de São Caetano do Sul; A presente dissertação tem como objetivo elucidar o conceito deontológico da verdade jornalística no contexto da filmografia contemporânea sob a categoria dessa verdade, de seus protagonistas e do público para o qual são destinadas estas produções. Para delimitar como a verdade nos códigos deontológicos da prática jornalista é representada pela linguagem cinematográfica, primeiramente, foi realizada uma seleção de filmes que trata do profissional de imprensa ou do jornalismo desde o início da história do cinema. Em seguida, com base na análise de cenas e na bibliografia, adentra-se nas concepções históricas da verdade e por consequência analisa-se a ética no processo de comunicação, passando pela Filosofia, pelo Direito e pelo Jornalismo. Os códigos deontológicos do jornalismo, no contexto da Comunicação Social, são apresentados do ponto de vista da filmografia contemporânea, demonstrando como a personagem do jornalista no cinema age ao se deparar com conflitos morais e éticos tendo como referência a função social que a profissão propõe. Por fim, cria-se a categoria da verdade...

Progresso Científico e Verdade em Popper

Dias,Elizabeth de Assis
Fonte: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.05%
O presente trabalho pretende mostrar que, para solucionar a questão da possibilidade do progresso científico, Popper precisou introduzir a ideia de verdade no âmbito de sua teoria da ciência. Essa concepção de progresso, em termos da noção de verdade, só será delineada na obra Conjectura e refutações (1963), pois a ideia de que o alvo da ciência é a verdade ainda não aparece teorizada em suas primeiras obras. Quando Popper escreveu sua A lógica da pesquisa científica(1934), a ciência era definida em termos de regras lógico-metodológicas e não de suas metas. O avanço científico é concebido a partir das noções de testabilidade e de corroborabilidade das teorias, exigências lógicometodológicas para que uma teoria seja considerada como científica. Popper não relacionou a questão do progresso científico à noção de verdade, nessa obra, porque, quando a escreveu, não dispunha de uma consistente teoria da verdade. Foi somente após Tarski ter escrito seu artigo sobre a concepção semântica da verdade que Popper, tendo por base essa concepção de verdade, pôde complementar as suas teses sobre o progresso da ciência, expostas em sua A lógica da pesquisa cientifica, com uma teoria acerca do conteúdo de verdade e da aproximação da verdade.

Uma teoria da verdade pragmatica : a quase-verdade de Newton C.A. da Costa

Carlos Hifume
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.05%
Alfred Tarski, ao apresentar sua concepção semântica de verdade - uma definição para linguagens formalizadas -, buscou capturar as intenções presentes na concepção clássica de verdade de Aristóteles - esta, uma concepção de verdade correspondencial. De forma semelhante, Mikenberg, da Costa & Chuaqui apresentam uma concepção formal de verdade pragmática - a quase-verdade -, baseados nas intenções presentes nas teorias de verdade de pragmatistas tais como C.S. Peirce, William James e John Dewey. A concepção de quase-verdade vale-se de um tipo de estrutura matemática denominada estrutura parcial. Apresentamos o sistema lógico modal QT - um tipo de lógica de Ja´skowski - , associado à lógica QV (S5Q=). QT constitui uma formalização adequada à noção de quase-verdade. Definimos uma semântica de modelos de Kripke para QT. São apresentados e demonstrados os principais metateoremas do sistema associado QT/QV. Definimos a noção de conseqüência sintática pragmática, introduzimos os conectivos pragmáticos e demonstramos que QT constitui uma lógica paraconsistente. Demonstramos a corretude e completude de QT, simplificando a demonstração valendo-nos dos metateoremas de QT/QV apresentados anteriormente.; Alfred Tarki...

Conhecimento e verdade na Ontologia Fundamental de Martin Heidegger; Knowledge and truth in Martin Heidegger¿s Fundamental Ontology

Luciano Campos dos Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.03%
Este trabalho tem por objetivo examinar as relações entre conhecimento e verdade (no sentido de descobrimento e abertura), no contexto da Ontologia Fundamental, de Martin Heidegger. Num primeiro momento, busca-se caracterizar o conhecimento como um modo derivado do ser-no-mundo enquanto ocupação, patenteando a estrutura intencional que lhe é própria, bem como explicitando a interpretação fenomenológico-existencial do "resultado" do comportamento cognoscitivo (conceitos de substância/eidos), que é posta em questão quanto à sua correção, em se considerando os conceitos da Física Moderna. A abordagem do fenômeno do conhecimento, aqui empreendida, culmina com a apresentação das relações "implícitas" entre o modo de ser do conhecimento e o "problema da verdade", presentes na análise do fenômeno da enunciação predicativa (parágrafo 33, de Ser e Tempo), com base na qual se intenta indicar o lugar da Lógica na Ontologia Fundamental. Em seguida, no contexto da tematização do significado existencial de verdade, foca-se o conceito de Evidenciação (Ausweisung), no qual se entrelaçam plenamente as concepções heideggerianas de conhecimento e de verdade, porquanto se trata da descrição da verdade do conhecimento como um modo de descobrimento enunciativo dos entes tais como são em si mesmos. Busca-se...

A verdade em ser e tempo

Doro, Marcelo
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Trata-se de um estudo sobre o caráter e a abrangência da crítica heideggeriana ao conceito tradicional de verdade. Num primeiro momento, nos capítulos I e II, são levantados os aspectos gerais que indicam uma mudança no lugar onde é posta a questão da verdade. Depois, no capítulo III e também na conclusão, são trabalhadas as implicações de tal mudança para a questão da verdade em geral e para a própria filosofia. A pretensão é mostrar que as considerações de Heidegger não tem por objetivo a produção de um novo conceito de verdade, que venha rivalizar com os já existentes; o que está em jogo é uma problematização mais ampla da verdade, enquanto um fenômeno de bases existenciais e, portanto, não apenas como conceito lógico-semântico. Transpondo os limites da lógica, Heidegger se pergunta pelas condições ontológico-existenciais da verdade. Então, ele desenterra a concepção grega de alétheia para assinalar o modo fundamental da verdade como descoberta e, valendo-se das conquistas de sua Analítica Existencial, liga essa descoberta ao modo de ser do ser-aí. Disso se segue a afirmação de que toda verdade é relativa ao ser-aí e a conseqüente negação da possibilidade de verdades absolutas. This is a study about the character and about the reach of Heidegger's critique to the traditional conception of truth. Firstly...

O mito da verdade real no Direito Processual Penal

Lopes, Juliana Corrêa Santos
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.14%
Na prática judiciária a verdade é a todo o momento questionada e almejada. O lacônico estudo filosófico realizado acerca da verdade prepara o leitor para a discussão proposta. Verifica-se nos nebulosos caminhos históricos o surgimento da verdade formal como uma oposição ao princípio da verdade real/material, sendo que, ainda hoje, a verdade real é concebida como princípio particular do processo penal, e a verdade formal como princípio inerente do direito processual civil. A presente pesquisa abre novos horizontes orientadores sobre a impropriedade com que tais princípios são tratados, demonstrando a real inexistência no ordenamento jurídico pátrio de tais distinções, para tanto são demonstradas justificativas contundentes, embasadas na melhor doutrina e na jurisprudência dos nossos tribunais, com o direcionamento para a unicidade desses princípios pelo princípio da verdade processual. Falar-se em verdade real é fazer referência ao sistema inquisitorial, aquele no qual a verdade era alcançada a duras penas, onde os meios utilizados para tanto justificavam o fim almejado. Sobremais, reconhecer a verdade formal é consentir a vedação da participação do juiz na instrução do feito. O direito garantista, presente na atual conjuntura jurídica...

Comissão da verdade: os documentos e a verdade.

Côrbo, Dayo de Araújo Silva; Lima, Clóvis Ricardo Montenegro de
Fonte: ANCIB Publicador: ANCIB
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
37.07%
Neste artigo tem-se como objetivo investigar o papel da informação, materializada em documentos, na busca de uma versão consensual da verdade por atores sociais, que agem comunicativamente, e que, produzem aprendizagem ao agirem. Utiliza-se como objeto de investigação as comissões da verdade instauradas na América Latina, da Argentina e do Chile, destacando-se a recém-instaurada, Comissão Nacional da Verdade do Brasil. A metodologia empregada é uma pesquisa descritiva e exploratória. Usa-se como referencial teórico à reformulação de uma versão discursiva da verdade feita por Jürgen Habermas, com fins de sanar o problema da ineficácia da teoria da verdade por correspondência. Nessa teoria, o conceito de verdade compara-se a uma assertividade ideal e é atributo dos enunciados. A partir da teoria pragmática da verdade, evidencia-se no objeto de estudo que a informação, em atos de fala e na sua materialização documental, atua como uma verdade provisória que se valida no discurso público

Comissão da verdade: os documentos e a verdade.

Côrbo, Dayo de Aarujo Silva; Lima, Clóvis Ricardo Montenegro de
Fonte: UEL Publicador: UEL
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
Introdução: O presente artigo fundamenta-se na dissertação de mestrado, Comissão da Verdade: os documentos e a validez do discurso, defendida no Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia no ano de 2013, tem como objetivo investigar o papel da informação, materializada em documentos, a partir da ação de atores sociais que agem comunicativamente e que produzem aprendizagem ao agirem. Objetivo: Investigar o papel da informação, materializada em documentos, a partir da ação dos atores sociais que agem comunicativamente e que produzem aprendizagem ao agirem. Utiliza-se como objeto de investigação a Comissão Nacional da Verdade do Brasil. Metodologia: A metodologia empregada é uma pesquisa descritiva e exploratória. Usa-se como referencial teórico a reformulação de uma versão discursiva da verdade feita por Jürgen Habermas com fins de sanar o problema da ineficácia da teoria da verdade por correspondência. Resultados: Nessa teoria o conceito de verdade compara-se a uma assertividade ideal e é atributo dos enunciados. Conclusões: A partir da teoria pragmática da verdade evidencia-se, no objeto de estudo, que a informação em atos de fala e na sua materialização documental atua como uma verdade provisória que se valida no discurso público.

A verdade cotidiana: qual a verdade científica?

Grubba, Leilane Serratine
Fonte: Aufklärung: revista de filosofia; Aufklärung Publicador: Aufklärung: revista de filosofia; Aufklärung
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/xml; application/pdf
Publicado em 12/07/2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.09%
Este artigo tem por objeto a noção verdade, utilizada no discurso cotidiano, e objetiva questionar a busca da ciência pelo conhecimento proposicional verdadeiro. Por meio do método dedutivo, o artigo problematiza o que significa a verdade no conhecimento proposicional do discurso cotidiano. A partir do pensamento de Howard Sankey, a hipótese é que a verdade adquire um caráter correspondencial realista, significando a correspondência entre o conhecimento proposicional e um determinado fato do mundo exterior. Para avaliar a hipótese apresentada, o artigo analisou a ideia de verdade que parece ser mais utilizada no discurso científico, isto é, a verdade do senso comum. Dessa avaliação, parece ser possível afirmar que a verdade utilizada pelo discurso científico é aquela que realiza uma correspondência entre a linguagem ou a representação mental com a realidade alheia à mente. Essa noção de verdade foi traduzida por Tarski no esquema-T (T-scheme). Para tanto, o primeiro capítulo dedicou-se a uma aproximação à busca da ciência pela verdade e o realismo científico. Por sua vez, o segundo capítulo dedicou-se a explicar o que é a verdade do discurso cotidiano ou verdade correspondencial.