Página 1 dos resultados de 5037 itens digitais encontrados em 0.012 segundos

Microbiological quality of ready-to-eat minimally processed vegetables consumed in Brazil

OLIVEIRA, Maria Aparecida de; SOUZA, Vanessa Maciel de; BERGAMINI, Alzira Maria Morato; MARTINIS, Elaine Cristina Pereira de
Fonte: ELSEVIER SCI LTD Publicador: ELSEVIER SCI LTD
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
37.01%
Minimally processed leafy vegetables are ready-to-eat (RTE) products very attractive to consumers looking for healthy and convenient meals. However, the microbiological safety of these foods is of special concern due to the absence of lethal treatments during processing. In the present study, indicator microorganisms, Listeria spp. and Salmonella spp. were determined for 162 samples of minimally processed leafy vegetables commercialized in Brazil. Psychrotrophic aerobic bacterial populations >5 log CFU/g were found in 96.7% of the samples, while total and thermotolerant coliforms were detected respectively in 132 (81.5%) and 107 (66%) of vegetables analyzed. Escherichia coil was present in 86 (53.1%) samples analyzed and Listeria spp. and Salmonella spp. were detected respectively in 6 (3.7%) and 2 (1.2%) samples. These results indicate the need of implementing quality programs in the production chain of RTE vegetables to improve shelf life and microbiological safety. (C) 2011 Elsevier Ltd. All rights reserved.; Sao Paulo state Foundation for Support of Science - FAPESP[2006/06401-3]

Impact of an intervention on the availability and consumption of fruits and vegetables in the workplace

BANDONI, Daniel Henrique; SARNO, Flavio; JAIME, Patricia Constante
Fonte: CAMBRIDGE UNIV PRESS Publicador: CAMBRIDGE UNIV PRESS
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
37.01%
Objective: To evaluate the impact of an educational and environmental intervention on the availability and consumption of fruits and vegetables in workplace cafeterias. Design: This was a randomized intervention study involving a sample of companies that were divided into intervention and control groups. The intervention, which focused on change in the work environment, was based on an ecological model for health promotion. It involved several different aspects including menu planning, food presentation and motivational strategies to encourage the consumption of fruits and vegetables. The impact of the intervention was measured by changes (between baseline and follow-up) in the availability of fruits and vegetables that were eaten per consumer in meals and the consumption of fruits and vegetables in the workplace by workers. We also evaluated the availability of energy, macronutrients and fibre. Settings: Companies of Sao Paulo, Brazil. Subjects: Twenty-nine companies and 2510 workers. Results: After the intervention we found an average increase in the availability of fruits and vegetables of 49 g in the intervention group, an increase of approximately 15 %, whereas the results for the control group remained practically equal to baseline levels. During the follow-up period...

Influência da renda e preço dos alimentos sobre a participação de frutas, legumes e verduras no consumo alimentar das famílias do município de São Paulo; Influence of income and price on the share of fruits and vegetables (F&V) on the household food consumption in the city of São Paulo

Claro, Rafael Moreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/09/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.09%
Objetivo. Analisar a influência da renda e dos preços dos alimentos sobre a participação de frutas, legumes e verduras no consumo alimentar das famílias residentes no município de São Paulo. Métodos. A Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), realizada entre 1998/1999 no município de São Paulo, serviu de base para este estudo. O padrão alimentar das famílias foi descrito a partir da participação relativa de 18 grupos de alimentos no total mensal de calorias adquirido pela família para consumo no domicilio. A influência da renda familiar e do preço dos alimentos sobre a participação de frutas, legumes e verduras (FLV) no padrão alimentar foi estudada empregando-se técnicas de análise de regressão múltipla (modelo log-log) para estimação de coeficientes de elasticidade-preço e elasticidade-renda. Resultados. Identificou-se efeito estatísticamente significante da renda familiar (efeito positivo), do preço das próprias frutas, legumes e verduras (efeito negativo) e do preço do conjunto dos demais alimentos (efeito positivo). A comparação da magnitude desses efeitos, feita pela comparação dos coeficientes de elasticidade, indica maior efeito do preço das frutas...

Impacto de intervenção para promoção do consumo de frutas e hortaliças em empresas cadastradas no Programa de Alimentação do Trabalhador; Impact of an intervention to promote consumption of fruits and vegetables in companies participating in the Worker Food Program

Bandoni, Daniel Henrique
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.04%
Introdução: O baixo consumo de frutas e hortaliças é um importante fator de risco para diversas doenças crônicas e obesidade. Na população brasileira, o consumo destes alimentos é tradicionalmente abaixo das recomendações internacionais. Dentro deste cenário, os locais de trabalho vêm atraindo cada vez mais interesse como ambientes propícios para o desenvolvimento de ações de promoção de alimentação saudável direcionadas à população adulta. Objetivo: Avaliar o impacto de uma intervenção para aumentar a oferta e o consumo de frutas e hortaliças em empresas cadastradas no Programa de Alimentação do Trabalhador. Métodos: Trata-se de um estudo de intervenção com amostra de 29 empresas divididas em dois grupos: intervenção (n=15) e controle (n=14). Avaliou-se uma amostra de trabalhadores em todas as empresas participantes do estudo para verificar os efeitos da intervenção sobre o consumo de frutas e hortaliças. A intervenção foi baseada no modelo ecológico de promoção de saúde, teve quatro etapas com duração total de seis meses. A coleta de dados ocorreu em dois momentos: antes e após a intervenção. O efeito da intervenção foi investigado por meio de dois indicadores: oferta em gramas de frutas e hortaliças nas refeições servidas nas empresas e o consumo em gramas destes alimentos pelos trabalhadores. De forma secundária...

Atividade antioxidante e composição fenólica de legumes e verduras consumidos no Brasil; Antioxidant activity and phenolic composition of vegetables consumed in Brazil

Tiveron, Ana Paula
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/10/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.01%
As hortaliças são alimentos amplamente consumidos na dieta dos brasileiros. Há alguns anos, estudos sobre compostos presentes em vegetais, como os carotenóides, vitaminas, fibras e compostos fenólicos vem sendo bastante explorados devido aos seus possíveis efeitos biológicos e benefícios à saúde humana. Os compostos fenólicos são produtos do metabolismo secundário das plantas e se destacam principalmente por seu poder antioxidante. O objetivo deste trabalho foi avaliar os compostos fenólicos e a atividade antioxidante em algumas hortaliças consumidas no Brasil. Os métodos utilizados foram o do radical livre DPPH e ABTS, auto-oxidação do sistema -caroteno/ácido linoléico, redução do ferro, estabilidade oxidativa em Rancimat e identificação química por meio da técnica de cromatografia gasosa acoplada a espectrômetro de massas. Extratos etanólicos foram utilizados em todas as análises. O teor de compostos fenólicos variou entre 1,2 a 16,9 mg/g, sendo que a cenoura apresentou a menor quantidade e a alface a maior. As hortaliças que apresentaram a maior atividade antioxidante foram a alface (54,9% e 0,45 µmol Fe2+/mg), nos métodos do DPPH e FRAP , respectivamente, o açafrão (111,8µM trolox/g e 92,8%)...

Intervenção educativa para promoção do consumo de frutas e hortaliças sob a perspectiva de gestores de Unidades de Alimentação e Nutrição; Educational intervention to promote the intake of fruits and vegetables under the perspective of managers in Food and Nutrition Units

Castro, Adriana Garcia Peloggia de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.01%
Introdução: O incentivo ao consumo de frutas e hortaliças ocupa importante espaço na atual agenda de promoção de saúde, já que sua ingestão insuficiente representa risco para a obesidade e doenças crônicas. O ambiente de trabalho é reconhecido como um lugar importante para facilitar este acesso e consumo. Objetivo: Avaliar o efeito de uma intervenção educativa para promoção do consumo de frutas e hortaliças nos gestores de Unidades de Alimentação e Nutrição. Materiais e métodos: Trata-se de um ensaio comunitário controlado aleatorizado desenvolvido com 29 gestores de Unidades de Alimentação e Nutrição (UANs) vinculadas ao Programa de Alimentação do Trabalhador, divididos em dois grupos (15 do grupo intervenção e 14 do grupo controle). Foi realizada uma intervenção multicomponente que abordou aspectos referentes ao planejamento de cardápio, oficina culinária e estratégias de motivação para o consumo de frutas e hortaliças, em quatro etapas, com intervalo médio de um mês e meio e duração média de seis meses, e em todas elas ocorreu a participação dos gestores da Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN). A coleta de dados foi realizada antes e após a intervenção e para avaliar o seu efeito sobre os gestores...

Cádmio na cadeia alimentar: proveniente de vegetais e avaliação da sua disponibilidade no solo com auxílio do 109Cd; Cadmium in food chain: derived from vegetables and evaluation of its availability in soil with the aid of 109Cd

Guerra, Fernando
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
A contaminação do ambiente é crescente no mundo, com grandes extensões de áreas afetadas por metais pesados em concentrações que podem representar perigo ambiental. Em face ao aumento da atividade industrial e à agricultura altamente tecnificada, é fundamental o monitoramento dos níveis de metais pesados nos solos, já que as plantas se comportam como mecanismo de transferência de contaminantes do solo para níveis mais altos da cadeia trófica. A ingestão de vegetais contendo elevadas concentrações de metais pesados é uma das principais vias de acesso desses elementos ao corpo humano. No corpo humano, os metais pesados depositam-se no tecido ósseo e gorduroso, ocupando o lugar de minerais nobres. Lentamente liberados no organismo, podem provocar uma série de doenças. O projeto foi dividido em três etapas, cada qual com um objetivo específico: 1º) determinar as concentrações de cádmio, níquel, chumbo, cobalto e cromo em vegetais frequentemente consumidos no Estado de São Paulo, e compará-las com os limites estabelecidos na legislação brasileira; calcular a ingestão diária de metais pesados para estimar o risco à saúde humana; identificar as culturas que apresentam maior potencial de translocação de cádmio para a cadeia alimentar 2º) avaliar os teores de cádmio em hortaliças e nos solos dos campos de produção 3º) avaliar a disponibilidade de cádmio do solo para as plantas com maior potencial de acúmulo do mesmo...

Estudo comparativo da qualidade parasitológica e toxicológica entre hortaliças cultivadas com água de reuso e hortaliças comercializadas em Ribeirão Preto - SP; Comparative study of the toxicological and parasitological quality of vegetables grown with wastewater and vegetables sold in Ribeirão Preto - SP

Ragazzi, Mariana Frari
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
Várias regiões do planeta sofrem com escassez natural de água potável, o aumento da população e a contaminação ambiental desse recurso têm agravado esse quadro. Nesse contexto, práticas de reuso de água na agricultura vêm sendo difundidas em diversos países. O objetivo deste trabalho foi comparar a qualidade parasitológica e toxicológica entre hortaliças cultivadas com água de reuso e hortaliças comercializadas em feiras livres do município de Ribeirão Preto - SP. Para tanto, foram coletadas 20 amostras de alface (Lactuca sativa) e 20 de rúcula (Eruca sativa) nas feiras livres do município e na horta experimental construída na Estação de Tratamento de Esgotos de Ribeirão Preto, onde as hortaliças foram irrigadas com efluente tratado e clorado a 0,1 mgL-1. No total foram coletadas 80 amostras. Para análise parasitológica foram utilizadas a Técnica de Sedimentação Espontânea e a Técnica de Separação Imunomagnética com utilização de Microscopia de Imunofluorescência e Contraste de Fase (método 1623 USEPA), para análise de Cryptosporidium spp. e Giardia spp. A leitura das concentrações de metais foi realizada por Espectrometria de Massa com Plasma Indutivamente Acoplado (ICP-MS). Os resultados obtidos evidenciaram que tanto as verduras coletadas nas feiras livres quanto as produzidas na horta experimental apresentaram positividade para contaminação parasitológica...

Análise da associação do consumo de frutas, legumes e verduras e de micronutrientes com marcadores de estado oxidativo, inflamatório e de resistência à insulina em indivíduos de risco cardiometabólico; Analysis of the association of fruits and vegetables and micronutrients intakes with markers of oxidative and inflammatory status and insulin resistance in individuals at cardiometabolic risk

Folchetti, Luciana Dias
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.11%
Introdução: O atual estilo de vida traz consequências negativas no que se refere aos padrões dietéticos, nível de atividade física (AF), uso de tabaco e estresse psicossocial, os quais predispõem ao aumento de doenças crônicas não-transmissíveis. Dieta rica em frutas, legumes e verduras (FLV) pode atenuar os efeitos sobre o risco cardiometabólico, havendo evidências consistentes de benefícios na prevenção da obesidade, dislipidemia e diabetes tipo 2. O consumo de FLV, fontes de vitaminas e minerais essenciais para a homeostase corporal está aquém do desejado. Estes alimentos contribuem para um perfil cardiometabólico favorável, atenuando o estresse oxidativo, inflamação e resistência à insulina. Objetivo: Este estudo analisou a associação entre o consumo FLV e de certos micronutrientes com marcadores do estado oxidativo, inflamatório e de resistência à insulina em indivíduos de risco cardiometabólico. Métodos:Nesta análise transversal foram incluídos 205 participantes (65 por cento mulheres; média de idade de 54,1 anos) do Estudo de Prevenção de Diabetes do CS-Escola da FSP-USP, com pré-diabetes ou de síndrome metabólica sem diabetes. Foram submetidos a questionários e coletas de sangue. Entre as dosagens...

Qualidade microbiologica de frutas e hortaliças minimamente processadas comercializadas na cidade de Campinas/SP.; Microbiological quality of minimally processed fruits and vegetables comercialized on the city of Campinas/ São Paulo (Brazil).

Thais Belo Anacleto dos Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.01%
O consumo de alimentos processados aumentou consideravelmente nas últimas décadas, provocando mudanças nos hábitos de compra, conservação e preparo dos alimentos, preferindo-se cada vez mais produtos que exijam menos tempo para preparo doméstico. Além disso, a conscientização das pessoas quanto à importância do equilíbrio nutricional, faz com que alimentos mais saudáveis não só estejam presentes regularmente em sua alimentação, como também constituam sua base, incluindo-se as frutas, hortaliças e legumes, ricos em vitaminas, sais minerais e fibras, que auxiliam no bom funcionamento do organismo como um todo e ajudam a prevenir o aparecimento de doenças crônico-degenerativas. Vegetais minimamente processados podem ser definidos como produtos que, embora fisicamente alterados, permanecem em estado fresco e, na maioria das vezes, não necessitam de cocção antes do consumo. Esses alimentos, por serem consumidos diretamente, representam elevado risco na disseminação de microrganismos patogênicos, quando produzidos de forma inadequada, especialmente em relação às práticas agrícolas e higiênicas. Assim sendo, o objetivo do presente trabalho foi verificar as condições microbiológicas, tanto em relação à presença de patógenos quanto ao perfil higiênico-sanitário...

Banco de dados de propriedades termofisicas de produtos horticolas; Database of thermophysical properties of fruits and vegetables

Juliana Swensson de Mattos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.01%
Frutas e hortaliças, após a colheita, podem ser submetidas a processos térmicos, dentre o quais: aquecimento, resfriamento e congelamento. O conhecimento das propriedades termofísicas: densidade, calor específico, condutividade e difusividade térmica, é de grande importância, para o dimensionamento de equipamentos utilizados para o controle dos processos que envolvem transferência de calor. Devido à heterogeneidade da composição dos materiais biológicos, a modelagem e otimização dos processos, dependem de parâmetros como: teor de umidade, estrutura do produto e faixa de temperatura utilizada, que podem variar durante o processo. Os valores experimentais de propriedades termofísicas de frutas e hortaliças podem ser determinados por diversos métodos, variando os seguintes parâmetros: temperatura, concentração de sólidos solúveis e umidade. Uma grande quantidade desses dados encontra-se publicada na literatura nacional e internacional, porém ainda dispersos, não disponíveis em um banco de dados que agrupe os valores das propriedades por tipo de produto, método e faixa de temperatura utilizada, erro ou desvio padrão, equações, dentre outras informações. Para alguns produtos esses dados são inexistentes...

White Vegetables: A Forgotten Source of Nutrients: Purdue Roundtable Executive Summary12

Weaver, Connie; Marr, Elizabeth T.
Fonte: American Society for Nutrition Publicador: American Society for Nutrition
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 06/05/2013 EN
Relevância na Pesquisa
37.11%
Purdue University convened a scientific roundtable, “White Vegetables: A Forgotten Source of Nutrients,” in Chicago, IL, June 18–19, 2012, to bring together experts to address the contributions of white vegetables, including potatoes, as sources of key nutrients and other microconstituents within a dietary pattern supporting health and wellness. This paper summarizes the meeting and supplement papers, including discussion among participants. The group of researchers identified areas of ambiguity regarding classification of vegetables for research and dietary guidance, future research needs, and the imperative to draw on that research to enhance evidence-based dietary guidance about white vegetables, including potatoes. U.S. dietary guidance encourages consumption of a variety of fruits and vegetables, including at least 1 serving of a dark green and 1 orange vegetable daily. However, no such recommendation exists for white vegetables, such as potatoes, cauliflowers, turnips, onions, parsnips, mushrooms, corn, and kohlrabi. Vegetable subgrouping approaches need to be considered in the context of nutrients of concern and low fruits and vegetable consumption. This Roundtable and supplement provide a substantial body of evidence to demonstrate how the inclusion of white vegetables...

Carbohydrates, Dietary Fiber, and Resistant Starch in White Vegetables: Links to Health Outcomes12

Slavin, Joanne L.
Fonte: American Society for Nutrition Publicador: American Society for Nutrition
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 06/05/2013 EN
Relevância na Pesquisa
37.04%
Vegetables are universally promoted as healthy. Dietary Guidelines for Americans 2010 recommend that you make half of your plate fruits and vegetables. Vegetables are diverse plants that vary greatly in energy content and nutrients. Vegetables supply carbohydrates, dietary fiber, and resistant starch in the diet, all of which have been linked to positive health outcomes. Fiber lowers the incidence of cardiovascular disease and obesity. In this paper, the important role of white vegetables in the human diet is described, with a focus on the dietary fiber and resistant starch content of white vegetables. Misguided efforts to reduce consumption of white vegetables will lower intakes of dietary fiber and resistant starch, nutrients already in short supply in our diets.

White Vegetables: Glycemia and Satiety12

Anderson, G. Harvey; Soeandy, Chesarahmia Dojo; Smith, Christopher E.
Fonte: American Society for Nutrition Publicador: American Society for Nutrition
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 06/05/2013 EN
Relevância na Pesquisa
37.01%
The objective of this review is to discuss the effect of white vegetable consumption on glycemia, satiety, and food intake. White vegetables is a term used to refer to vegetables that are white or near white in color and include potatoes, cauliflowers, turnips, onions, parsnips, white corn, kohlrabi, and mushrooms (technically fungi but generally considered a vegetable). They vary greatly in their contribution to the energy and nutrient content of the diet and glycemia and satiety. As with other foods, the glycemic effect of many white vegetables has been measured. The results illustrate that interpretation of the semiquantitative comparative ratings of white vegetables as derived by the glycemic index must be context dependent. As illustrated by using the potato as an example, the glycemic index of white vegetables can be misleading if not interpreted in the context of the overall contribution that the white vegetable makes to the carbohydrate and nutrient composition of the diet and their functionality in satiety and metabolic control within usual meals. It is concluded that application of the glycemic index in isolation to judge the role of white vegetables in the diet and, specifically in the case of potato as consumed in ad libitum meals...

Health-Promoting Components of Fruits and Vegetables in the Diet12

Liu, Rui Hai
Fonte: American Society for Nutrition Publicador: American Society for Nutrition
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 06/05/2013 EN
Relevância na Pesquisa
37.09%
Regular consumption of fruits, vegetables, whole grains, and other plant foods has been negatively correlated with the risk of the development of chronic diseases. There is a huge gap between the average consumption of fruits and vegetables in Americans and the amount recommended by the 2010 Dietary Guidelines for Americans. The key is to encourage consumers to increase the total amount to 9 to 13 servings of fruits and vegetables in all forms available. Fresh, processed fruits and vegetables including frozen and canned, cooked, 100% fruit juices and 100% vegetable juices, as well as dry fruits are all considered as servings of fruits and vegetables per day. A wide variety of fruits, vegetables, whole grains, and other plant foods provide a range of nutrients and different bioactive compounds including phytochemicals, vitamins, minerals, and fibers. Potatoes serve as one of the low-fat foods with unique nutrients and phytochemical profiles, particularly rich in vitamin C, vitamin B-6, potassium, manganese, and dietary fibers. Potatoes provide 25% of vegetable phenolics in the American diet, the largest contributors among the 27 vegetables commonly consumed in the United States, including flavonoids (quercetin and kaempferol), phenolic acids (chlorogenic acid and caffeic acid)...

Growth potential of Salmonella spp. and Listeria monocytogenes in nine types of ready-to-eat vegetables stored at variable temperature conditions during shelf-life

Sant'Ana, Anderson S.; Barbosa, Matheus S.; Destro, Maria Teresa; Landgraf, Mariza; Franco, Bernadette D. G. M.
Fonte: ELSEVIER SCIENCE BV; AMSTERDAM Publicador: ELSEVIER SCIENCE BV; AMSTERDAM
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
37.07%
Growth potential (delta) is defined as the difference between the population of a microorganism at the end of shelf-life of specific food and its initial population. The determination of 6 of Salmonella and Listeria monocytogenes in RTE vegetables can be very useful to determine likely threats to food safety. However, little is known on the behavior of these microorganisms in several RTE vegetables. Therefore, the aim of this study was to determine the delta of both pathogens in nine different types of RTE vegetables (escarole, collard green, spinach, watercress, arugula, grated carrot, green salad, and mix for yakisoba) stored at refrigeration (7 degrees C) and abuse temperature (15 degrees C). The population of aerobic microorganisms and lactic acid bacteria, including those showing antimicrobial activity has been also determined. Results indicated that L monocytogenes was able to grow (delta >= 0.5 log(10)) in more storage conditions and vegetables than Salmonella. Both microorganisms were inhibited in carrots, although a more pronounced effect has been observed against L monocytogenes. The highest 5 values were obtained when the RTE vegetables were stored 15 degrees C/6 days in collard greens (delta=3.3) and arugula (delta=3.2) (L monocytogenes) and arugula (delta=4.1) and escarole (delta=2.8) (Salmonella). In most vegetables and storage conditions studied...

Hortaliças: consumo e preferências de escolares.; Vegetables: consumption and students preferences.

Sanches, Michele
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/01/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.11%
Análises elaboradas nas últimas três décadas, tendo por base dados obtidos por pesquisas nacionais revelam que houve redução do consumo, pela população brasileira, de alimentos de origem vegetal. Também tem sido destacado por diversos autores que o baixo consumo de frutas e hortaliças está associado ao maior risco do desenvolvimento de doenças cardiovasculares e diversos tipos de câncer. Pesquisas envolvendo crianças e adolescentes brasileiros revelam que os mesmos consomem, de forma geral, reduzida quantidade desses alimentos. Com o objetivo de estimular o consumo dos alimentos de origem vegetal, têm sido buscadas alternativas e, entre essas, a incorporação de maior quantidade e variedade dos referidos alimentos nas refeições dos programas alimentares dirigidos, por exemplo, aos escolares. Uma alternativa que se revela promissora é a utilização dos alimentos minimamente processados, também considerados de "conveniência" ou de "fácil preparo". A presente pesquisa, realizada no município de Piracicaba – SP e tendo por base amostra de 210 escolares, matriculados em escolas públicas, visou conhecer: a aceitabilidade das hortaliças minimamente processadas; a análise do consumo de alimentos, com destaque para a contribuição de energia e nutrientes provenientes das hortaliças e frutas e...

Impact assessment of an intervention on the consumption of fruits and vegetables by students and teachers

Farias,Silvia Cristina; Castro,Inês Rugani Ribeiro de; Matta,Virgínia Martins da; Castro,Luciana Maria Cerqueira
Fonte: Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2014 EN
Relevância na Pesquisa
37.09%
OBJECTIVE: To evaluate the impact of an intervention that promoted the consumption of fruits and vegetables on the intake of these products by students and teachers in Rio de Janeiro (RJ), Brazil. METHODS: This is a one-group pretest-posttest study of students and teachers from elementary public schools in Rio de Janeiro. The intervention included a training course for promoting healthy eating; distribution of educational materials; and holding of a one-day health fair. We assessed the activities that had been carried out, teachers' habitual fruits and vegetables intake, students' fruits and vegetables intake at school, and intervention-related issues. RESULTS: Before the intervention, 65.1% of the students consumed the school lunch and most (>79.4%) accepted and consumed the fruits and vegetables served. Most teachers (>75.0%) consumed fruits and other vegetables regularly, but only 36.4% consumed leaf vegetables regularly. The intervention was implemented only moderately (52.7%) but was well accepted by the teachers. The students of schools that implemented the intervention more extensively showed better acceptance of vegetables (p=0.009). Teachers' fruits and vegetables intake did not change. CONCLUSION: Students' fruits and vegetables intake changed modestly. This study contributes to the design of intervention studies for Brazilian schools because it coordinated the National School Food Program with educational activities.

Disponibilidade de polifenóis em frutas e hortaliças consumidas no Brasil; Disponibilidad de polifenoles en frutas y hortalizas consumidas en Brasil; Polyphenol availability in fruits and vegetables consumed in Brazil

Faller, Ana Luísa Kremer; Fialho, Eliane
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/04/2009 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
37.01%
OBJETIVO: Estimar a disponibilidade de polifenóis totais em frutas e hortaliças consumidas no Brasil segundo macrorregião e identificar os principais alimentos-fonte que fazem parte do hábito alimentar nacional. MÉTODOS: O conteúdo de polifenóis foi determinado pelo método Folin-Ciocalteu e sua disponibilidade foi estimada com base na Pesquisa de Orçamentos Familiares 2002/2003. Foram escolhidos 12 alimentos de maior consumo, sendo seis "frutas tropicais" e seis "hortaliças folhosas e florais", "hortaliças frutosas" e "hortaliças tuberosas". A determinação de polifenóis foi realizada em três experimentos independentes, cada um em duplicata. A disponibilidade nacional de polifenóis foi estimada por grama de peso fresco de cada vegetal analisado. A ingestão diária per capita no Brasil e regiões foi calculada como sendo o aporte diário de polifenóis fornecido pelo consumo dos 12 alimentos analisados. RESULTADOS: O teor de polifenóis nos alimentos variou de 15,35 a 214,84mg EAG/100g peso fresco. A disponibilidade nacional, com base na quantidade, em kg, adquirida anualmente no Brasil foi de 48,3mg/dia, tendo a região Sudeste e a região Centro-Oeste os maiores e menores valores, respectivamente. A banana foi a principal fonte de polifenóis consumida no Brasil...

Trace element composition of two wild vegetables in response to soil-applied micronutrients

Mavengahama,Sydney; de Clercq,Willem P; McLachlan,Milla
Fonte: South African Journal of Science Publicador: South African Journal of Science
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2014 EN
Relevância na Pesquisa
37.04%
Wild vegetables are an important commodity in the subsistence farming sector. They are considered to be rich in micronutrients and can therefore be used to overcome inadequate nutrition. However, research on micronutrients in wild vegetables remains limited and sporadic. In this study, we evaluated the responses of two wild vegetables - Corchorus olitorius and Amaranthus cruentus var. Arusha - to micronutrients added to the soil in comparison with a reference crop, Swiss chard (Beta vulgaris var. cicla). Swiss chard concentrated significantly (o<0.01) higher amounts of Cu, Zn and Mn in the leaves than did the wild vegetables. Variations in micronutrients among the vegetables were greater for Zn (72-363 mg/kg) and Mn (97.9-285.9 mg/kg) than for Cu (8.8-14 mg/kg). C. olitorius had the least capacity to concentrate Mn and Zn in the leaves. However, C. olitorius concentrated significantly more Fe (327 mg/kg) in the leaves than did A. cruentus (223 mg/kg) or B. vulgaris (295 mg/kg). The mean per cent S concentration in the leaves ranged from 0.26% in C. olitorius to 0.34% in A. cruentus and B. vulgaris. We conclude that the different vegetables had different abilities to concentrate Cu and Zn in the order B. vulgaris > A. cruentus > C. olitorius. These results seem to contradict the belief that wild vegetables have an inherent ability to concentrate mineral micronutrients in their tissues.