Página 1 dos resultados de 11804 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

"Unidades de vegetação e pastagens nativas do Pantanal da Nhecolândia, Mato Grosso do Sul" ; "Vegetation units and native pastures of Pantanal da Nhecolândia, Mato Grosso do Sul, Brazil"

Rodela, Luciana Graci
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/07/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.83%
Este estudo foi realizado na Fazenda Nhumirim, propriedade da EMBRAPA Pantanal, Nhecolândia, Pantanal do Mato Grosso do Sul. Diante da necessidade do reconhecimento dos elementos do meio ambiente natural, bem como de sua dinâmica, para a busca do equilíbrio ambiental na região, esta pesquisa teve como objetivo estudar a vegetação da Nhecolândia. A Nhecolândia é uma das mais expressivas regiões criatórias de gado de corte do Brasil. As pastagens nativas correspondem a grande variedade de unidades de vegetação, de campos a cerrados. O uso espacial e temporal dessas pastagens por bovinos, sua disponibilidade, qualidade e produtividade pecuária são influenciados pelas condições ambientais, principalmente inundações e precipitações. Para conservação e utilização sustentável dos recursos naturais e pastagens nativas no Pantanal, é de grande importância mapear as principais unidades ambientais, estabelecer unidades de vegetação/pastagens para conhecer as áreas de sobrevivência de espécies de animais, visto que o Pantanal corresponde à uma coleção de ambientes de equilibrio dinâmico frágil; a planície possui declividades baixissimas que provocam um deslocamento extremamente lento das águas, a dinâmica hídrica é particular: as chuvas e os rios abastecem os lençóis freáticos causando inundações; e a alimentação do rebanho baseia-se quase que integralmente em pastagens nativas. Tendo em vista a utilização da vegetação como pastagem...

Proteção e fomento da vegetação no município de São Paulo: possibilidades, alcance e conflitos; Vegetation Protection and Fostering in the City of Sao Paulo: possibilities, breath and conflicts

Silva Filho, Carlos Alberto da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/11/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.81%
O município de São Paulo localiza-se em terrenos de uma bacia sedimentar de relevo colinoso, cercada por morros e serras do embasamento cristalino e drenada por 3.200km de cursos dágua. Sobre esses terrenos pouco férteis, a exceção das várzeas, desenvolvia-se uma vegetação diversa, formada por matas de terra firme1 e de galeria; brejos e campos naturais. Essa cobertura vegetal vem seguindo um processo contínuo de redução, de fragmentação e de alteração da sua composição florística. Figura cada vez mais como elemento periférico ou como enclave do tecido urbano, diminuindo a sua capacidade de auto-sustentação e de sustentação de fauna expressiva e diminuindo o contato diário das pessoas com elementos e processos naturais. Tal processo dá-se a despeito de um conjunto de normas legais federais, estaduais e municipais e de acordos internacionais, que buscam preservar porções significativas dessa vegetação e que criaram possibilidades para a inserção e a manutenção da vegetação no tecido urbano e, por conseqüência, para que mais natureza permeie esse tecido. Comparando-se estudos realizados de 1911 a 2002 observa-se uma simplificação da composição da vegetação e uma grande redução na sua extensão...

Dinâmica da vegetação e inferências climáticas no Quaternário Tardio na região da Ilha de Marajó (PA), empregando os isótopos do carbono (12C, 13C, 14C) da matéria orgânica de solos e sedimentos; Vegetation dynamics and climatic inferences in the Late Quaternary in the Marajó Island region, employing the carbon isotopes (12C,13C,14C) of the soil and sediments organic matter

Lima, Claudia Moré de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.85%
Considerada a maior ilha flúvio-marítima do mundo, com aproximadamente 48.000 km2, a Ilha de Marajó situa-se na zona equatorial brasileira, no litoral do Estado do Pará. Apresenta dois domínios distintos relacionados a geologia e vegetação. No setor oeste dominam solos desenvolvidos sobre os sedimentos Pós Barreiras (plio-pleistocênicos) recobertos pela Floresta Amazônica, enquanto no setor leste dominam sedimentos holocênicos derivados de ambiente fluvial/estuarino atualmente desativado. Neste setor encontram-se os extensos campos naturais marajoaras. O objetivo deste trabalho consistiu em aplicar os isótopos de carbono (12C, 13C e 14C) da matéria orgânica de solos e sedimentos com o intuito de avaliar possíveis modificações nos domínios da vegetação, em termos de plantas C3 e C4, durante o Quaternário Tardio e inferir sobre suas causas. Os resultados foram associados com observações de campo e análises petrográficas, sedimentológicas, químicas, de espículas de esponjas, isótopicas de nitrogênio e bibliográficas, sendo possível distinguir três mudanças ambientais relacionadas à geologia e vegetação, no setor leste da Ilha de Marajó durante o Pleistoceno Superior (aproximadamente 16.000 anos AP) ao Holoceno. No setor central da Ilha de Marajó foram obtidas as idades mais antigas da matéria orgânica em sedimentos de um paleocanal. Neste local...

Impacto da vegetação nos microclimas urbanos em função das interações solo-vegetação-atmosfera; The impact of vegetation on urban microclimates as a function of soil-vegetation-atmosphere interactions

Shinzato, Paula
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/05/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.81%
Este trabalho tem por objetivo quantificar o impacto da vegetação nos microclimas urbanos abaixo do dossel, em função das interações solo-vegetação-atmosfera. Essas interações consideram os efeitos: 1) do dossel propriamente dito, expressos pelas variáveis índice de área foliar - IAF (Leaf Area Index - LAI) e distribuição geométrica das aberturas na copa (gap fraction); 2) da cobertura do solo, expressa pela composição do solo, sua temperatura e teor de umidade, e 3) das variáveis microclimáticas locais (temperatura do ar, umidade do ar, radiação solar, temperatura radiante media, temperatura superficial, direção e velocidade dos ventos). Considerando-se que o impacto da vegetação nos microclimas urbanos é função das interações solo-vegetação-atmosfera, e tendo em vista resultados de estudos anteriores, a hipótese deste trabalho é que, para o clima de São Paulo, em função dos processos de evapotranspiração e do sombreamento, a redução na temperatura do ar abaixo do dossel em parques urbanos será de cerca de 1o C e a redução da temperatura superficial será de cerca de 20oC, ambas em relação às áreas não sombreadas pela vegetação, e que esses efeitos limitam-se à borda do parque sob condições de baixa velocidade do vento...

A distribuição espacial da vegetação nas feições geomorfológica da ilha da marchantaria: planície do rio Amazonas, AM/Brasil; The spatial distribution of vegetation in the geomorphological features of the island of Marchantaria: Amazon River floodplain, Amazonas/Brazil

Fortes, Mircia Ribeiro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/10/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.83%
Estudos biogeomorfológicos integrando a geomorfologia fluvial, neotectônica e a vegetação foram aplicados na ilha da Marchantaria, com a finalidade de analisar a distribuição da vegetação de várzea nas feições geomorfológicas. A planície do rio Amazonas é um mosaico de feições morfológicas de dimensões espaciais ora menores, ora maiores tais como ilhas, bancos arenosos, furos, paranás e lagos, que pela dinâmica fluvial estão continuamente se modificando. No canal do rio Amazonas, a ilha da Marchantaria, situada no baixo curso do rio Solimões motiva relevante interesse, tendo em vista a sua evolução areal nos últimos quarenta anos, bem como, a sua proximidade ao Encontro das Águas de Manaus EAM. A partir do arranjo dos elementos neotectônicos que condicionam as formas quaternárias atuais da ilha foram identificadas duas unidades estruturais distintas: Depósito Aluvial Subrecente (DASr) e Depósito Aluvial Recente (DAR). Também, foram definidas as unidades morfossedimentares holocênicas: feições espiras de meandro e barras de soldamento. A distribuição espacial da vegetação sobre as diferentes elevações do terreno foram agrupadas em duas unidades: vegetação lenhosa e vegetação herbácea. Os resultados mostram que: a) a vegetação distribui-se espacialmente nos diferentes níveis tectono-topográficos; b) a erosão fluvial...

Avaliação da vegetação como indicadora de áreas suscetíveis a escorregamentos na Serra do Mar em Caraguatatuba (SP); Evaluation of vegetation as an indicator of landslide susceptibility in the Serra do Mar in Caraguatatuba (SP)

Portela, Viviane Dias Alves
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.89%
Apesar de a vegetação ser considerada fator controlador de escorregamentos, os estudos que a discutem como indicador destes processos são escassos. O sensoriamento remoto, por meio dos índices de vegetação, apresenta potencial ainda não explorado para subsidiar os estudos entre vegetação e escorregamentos. Assim, o objetivo deste trabalho é avaliar a vegetação como indicador de áreas suscetíveis a escorregamentos. A área escolhida para a pesquisa é o trecho da Serra do Mar no município de Caraguatatuba, litoral norte do Estado de São Paulo. A escolha desta área remete ao evento de 1967 no qual houve escorregamentos generalizados nas escarpas da Serra do Mar que culminaram em inúmeras mortes e perdas materiais. Para a realização da pesquisa foram gerados os índices de vegetação NDVI, Simple Ratio, ReNDVI, VIg e PSRI. Os índices de vegetação foram correlacionados às cicatrizes de escorregamentos e com os seguintes parâmetros topográficos: declividade, hipsometria, orientação de vertentes e curvatura em planta. Para isso foi utilizada a distribuição da razão de área afetada por cicatrizes em cada índice de vegetação (Vcic). Os resultados demonstraram que os índices de vegetação foram eficientes ao identificar as áreas com cicatrizes além de aludir que a maior densidade de vegetação visualizada pelo NDVI e...

Zoneamento da vegetação e sua relação com metais pesados na mina Volta Grande, Lavras do Sul, RS

Frizzo, Taís Cristine Ernst
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.85%
O conhecimento da vegetação em regiões de ocorrências minerais de cobre e ouro torna-se de grande importância para o desenvolvimento de tecnologias limpas na reabilitação de áreas degradadas pela mineração (fitorremediação) e na bioprospecção mineral no Estado. Buscou-se verificar a relação entre a organização espacial e fitossociológica das unidades e subunidades de vegetação na mina Volta Grande, Lavras do Sul, RS e a presença de cobre nas mineralizações. Com base em Ecologia de Paisagem, realizou-se investigações fitossociológicas, avaliação do conteúdo de cobre em raízes e folhas de Axonopus affinis, Eugenia uniflora, Heterothalamus alienus, Saccharum angustifolium, Schizachyrium microstachyum e Schinus lentiscifolius e o zoneamento da vegetação com sobreposição ao mapa de estruturas mineralizadas conhecidas. De acordo com os resultados obtidos, sugere-se que a distribuição das unidades e subunidades de vegetação (unidade de vegetação Eugenia uniflora – Scutia buxifolia, com subunidades Eugenia uniflora – Cupania vernalis e Eugenia uniflora – Allophylus edulis; unidade de vegetação Schinus lentiscifolius – Heterothalamus alienus; unidade de vegetação Eryngium horridum – Saccharum angustifolium...

Contribuições da vegetação para o conforto ambiental no campus central da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Schanzer, Helena Wachsmann
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.83%
A presença da vegetação exerce grande influência em aspectos de conforto ambiental principalmente nas questões referentes ao conforto térmico e a percepção do ambiente construído. A exclusão das áreas verdes nos locais que o ser humano habita, causa inúmeros danos para o ambiente influenciando na sua qualidade de vida porque ele está geneticamente ligado à natureza e precisa dela para viver. Estas questões são determinantes para que o desempenho do ambiente construído atinja níveis satisfatórios para o bem estar do usuário. O objetivo principal deste trabalho foi compreender questões relacionadas a aspectos físicos e psicológicos quanto a presença da vegetação para os usuários dos espaços abertos no Campus Central da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul situado em Porto Alegre. O objetivo secundário foi a identificação dos aspectos positivos e negativos da presença da vegetação quanto às questões térmicas e psicossociais no Campus Central da PUCRS. Para o desenvolvimento deste trabalho foram realizadas entrevistas com um grupo de usuários dos espaços abertos do Campus Central da PUCRS. Os resultados foram analisados a fim de verificar a percepção dos entrevistados sobre a presença da vegetação e a relação estabelecida com os aspectos de conforto ambiental. A discussão sobre a influência da vegetação no ambiente construído foi embasada em uma revisão teórico-conceitual sobre conforto e percepção ambiental direcionada aos espaços abertos nas cidades em relação ao ser humano e à natureza Conforme foi possível identificar através dos resultados desta pesquisa...

Influência da estrutura espacial e da vegetação sobre a assembléia de aves em remanescentes campestres no sul do Brasil; Influence of spatial and vegetation structure on the bird assemblage in grassland patches in Southern Brazil

Camilotti, Vagner Luis
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.83%
Esse estudo teve como objetivo investigar os fatores estruturantes das taxocenoses de aves que utilizam remanescentes de vegetação campestre na região da Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. Através desse estudo busquei compreender os efeitos da estrutura espacial dos remanescentes (área, formato e proximidade entre remanescentes) e também os efeitos exercidos pela estrutura do habitat no uso desses pelas aves campestres. Amostrei quantitativamente por pontos de contagem a avifauna em 21 manchas de vegetação campestre com diferentes áreas, formas e estrutura da vegetação. Utilizei ferramentas de sensoriamento remoto para avaliar a estrutura espacial dos remanescentes e caracterizei o habitat dessas manchas através de medidas da estrutura da vegetação. Utilizei o método analítico de partição da variância através de análises de regressão múltipla e análise de correlação canônica parciais para quantificar a porção da variância explicada por cada grupo de variáveis (estrutura da vegetação e estrutura espacial dos remanescentes) na variação total da abundância, composição e riqueza da avifauna nas manchas. Registrei um total de 33 espécies de aves campestres, sendo três dessas categorizadas em algum grau de ameaça de extinção: Circus cinereus...

Análise da resposta espectral da vegetação da área de proteção ambiental (APA) do Ibirapuitã em imagens do sensor EOS/MODIS associadas ao solo e aos elementos do clima; Analysis of the spectral response of the vegetation in the Ibirapuitã environmental protected area (APA) using EOS / MODIS image sensor associated with soil and climate elements

Trentin, Carline Biaosoli
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.83%
O conhecimento da fenologia é baseado nas observações de períodos de desenvolvimento da planta. Mudanças intra e interanuais na temperatura e precipitação podem influenciar diretamente as diferentes fases da fenologia, assim como as condições de umidade dos diferentes tipos de solo ao qual a vegetação está associada. O sensoriamento remoto é uma ferramenta que torna possível a aquisição de informações para análise espacial e temporal da vegetação. Este trabalho apresenta um estudo sobre as variações da resposta espectral da vegetação campestre natural na Área de Proteção Ambiental (APA) do Ibirapuitã, localizada no bioma Pampa, avaliando suas relações com os elementos do clima. Para isso, a metodologia compreendeu a coleta de dados climáticos de temperatura média do ar e precipitação pluvial; dados orbitais a partir de imagens de média resolução espacial do sensor MODIS para o período de 2000 a 2009, com posterior estimativa da correlação estatística entre estes dados. Além disso, utilizou-se o produto SRTM para auxiliar definição da grade amostral, em função da altimetria e solo. Os resultados mostraram os períodos de crescimento/desenvolvimento da vegetação campestre natural associados às estações do ano...

Dinâmica temporal de índices de vegetação no Pampa do Rio Grande do Sul e Uruguai e suas relações com os elementos meteorológicos regionais; Temporal dynamics of vegetation indices in the pampa of Rio Grande do Sul and Uruguai and their relations with regional meteorological elements

Wagner, Ana Paula Luz
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.83%
O objetivo da pesquisa foi descrever os padrões da dinâmica espaço/temporal dos índices de vegetação do Pampa do Rio Grande do Sul e Uruguai e identificar a relação que se estabelece entre eles e a variabilidade climática interanual. O estudo foi conduzido em áreas de campos ao longo de treze compartimentos na área de estudo. Foram utilizados dados de imagens de séries temporais de índices de vegetação de NDVI (Normalized Difference Vegetation Index) e EVI (Enhanced Vegetation Index) do sensor MODIS (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer), medidas de superfície de 20 estações meteorológicas, de dados de MEI (Multivariate ENSO Index), e o índice de seca ARID (Agricultural Reference Index for Drought), para o período de fevereiro de 2000 a agosto de 2011. Os índices de NDVI e EVI apresentam padrões médios temporais similares entre si, com as maiores variabilidades no verão, picos máximos em março e setembro e mínimos valores no inverno. Contudo, o EVI apresentou o maior potencial para a detecção de variações anuais. Nas relações entre a resposta da cobertura vegetal de campos às condições climáticas, observou-se que a variável climática limitante ao crescimento dos campos foi dependente da estação do ano e relacionada às exigências bioclimáticas da vegetação. As oscilações das condições climáticas estacionais atuaram de forma diferente com respeito à região e à estação do ano na resposta dos índices de vegetação. A alta variabilidade interanual observada nas variáveis meteorológicas em parte foi associada ao fenômeno El Niño/Oscilação Sul (ENOS). Foi observada sazonalidade no padrão de relações entre a condição hídrica e o desenvolvimento vegetativo dos campos da região...

Modelo de programação matemática para controle do crescimento da vegetação sob redes de distribuição de energia elétrica

Apolinário, Liliani Aparecida Valieri
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 175 f. : il. fots. (algumas color.)
POR
Relevância na Pesquisa
36.88%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Engenharia Elétrica - FEIS; Faltas permanentes em alimentadores de distribuição causam atuação do sistema de proteção interrompendo o fornecimento de energia elétrica aos consumidores. Um número considerável de faltas é ocasionado por animais e vegetação em contato com partes energizadas da linha. A redução do número de desligamentos indevidos provocados pela vegetação pode ser obtida através de um criterioso programa de podas das árvores que estão sob os circuitos alimentadores. Nesta dissertação o problema de programação de podas de árvores sob a rede de distribuição é formulado como um modelo de programação não linear binária dinâmica. Neste modelo busca-se a redução das taxas de faltas devido à vegetação e a alocação otimizada de recursos humanos e financeiros anuais disponíveis pelas empresas distribuidoras para manutenção da vegetação sob a rede, de modo a não violar a restrição de confiabilidade do sistema. O modelo matemático utiliza como parâmetro a taxa de faltas no alimentador devido à vegetação. Desta forma, foram propostas duas metodologias para determinar as taxas de faltas. Em uma dessas metodologias utiliza-se um modelo de crescimento da vegetação para determinar à taxa de falta...

Aplicação de indices relativos de vegetação e temperatura para estudo das mudanças do uso e ocupação do solo : estudo de caso de Curitiba (PR), 1986 a 2002; Application of vegetation and temperature indices for the study of occupation and land use changes : case study of Curitiba (PR), 1986 to 2002

Andrea Ferraz Young
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
36.83%
O objetivo principal do trabalho foi o de criar índices relativos de vegetação e temperatura da superfície, sensíveis a mudanças, que sintetizassem as alterações ocorridas nos padrões da cobertura vegetal e urbanização, em função das transformações evidenciadas no tecido urbano do município de Curitiba (PR). Baseando-se na análise dos resultados obtidos através do cálculo desses índices, procedeu-se a análise conjunta com os dados de população. Portanto, esse processo envolveu o estudo dos padrões de uso do solo, das interações entre as diferentes classes inseridas na paisagem e de como esses padrões e interações mudam ao longo do tempo. Assim sendo, três regiões de Curitiba foram selecionadas por meio da definição de critérios específicos e comparadas em termos de mudanças de padrões e tendências.Imagens Landsat TM e ETM+ foram utilizadas para identificar diferentes padrões de cobertura da terra fornecendo uma classificação do uso do solo. Para isolar as áreas com vegetação das superfícies urbanas construídas, o Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI) foi utilizado como um indicador da presença de vegetação, a partir do qual o índice de vegetação relativo (NDVI-R) foi criado. Ao mesmo tempo...

Sinopse sobre a flora e vegetação natural do Alentejo e Algarve

Pereira, Marízia
Fonte: I Jornadas sobre a Flora e Vegetação do Sul de Portugal, Universidade de Évora Publicador: I Jornadas sobre a Flora e Vegetação do Sul de Portugal, Universidade de Évora
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
46.65%
O Alentejo e Algarve possuem áreas com vegetação natural de elevado interesse para a conservação da biodiversidade, tanto a nível ibérico como europeu. Estas áreas são escassas e em rápida degradação devido aos fogos, pastoreio, práticas agrícolas, cortes e desbastes, espécies exóticas, entre outros factores. Sem intervenção apropriada, a regeneração natural poderá ser nula ou reduzida. Com este trabalho pretendeu-se fazer uma abordagem geral sobre a flora e a vegetação naturais, predominantes no Alentejo e Algarve, abarcando as serras da Adiça (518m), Cercal (372m), d’Ossa (653m), Mendro (412m), Monfurado (424m), S. Mamede (1025m), Caldeirão (580m) e Monchique (902m), dos distritos de Portalegre, Évora, Beja, sul de Setúbal e Faro.

Avaliação da influência da vegetação na variação das cracterísticas hidrodinâmicas em leitos de escoamento subsuperficial e horizontal

Bandeiras, Rodrigo Mendonça
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
36.85%
A avaliação das condições de escoamento em leitos de escoamento subsuperficial e horizontal (LESH) é essencial para a detecção de mecanismos que podem provocar quebra de rendimento na remoção de poluentes (e.g. zonas pouco irrigadas, zonas de volume morto, curto-circuito hidráulico, recirculações internas e dispersão). Realizaram-se duas séries de ensaios de traçagem em dois LESH laboratoriais, um sem vegetação e o outro plantado com Phragmites australis, cerca de um ano após o seu arranque, para cargas orgânicas de 10,6 g CQO m-2 d-1 e cargas de azoto de 1,1 g N-NH4 m-2 d-1 e uma carga hidráulica de 0,035 m3 m-2 d-1. Utilizou-se o tipo de impulso discreto, tendo a resposta sido detectada em 3 pontos de amostragem localizados a 0,33 m, 1 m e 1,9 m relativamente ao local da injecção de traçador. Os resultados permitiram concluir que, independentemente da presença de vegetação, a dispersão foi forte em todos os troços dos leitos, com maior intensidade nos primeiros 33 cm do leito sem vegetação, onde se registaram condições de mistura e a presença de maior percentagem de volume morto. O atraso detectado na saída de traçador em todos os ensaios, terá estado relacionado com a presença de maiores extensões de zonas pouco irrigadas...

Relações empíricas entre a estrutura da vegetação e dados do sensor TM/LANDSAT

Accioly,Luciano J. de O.; Pachêco,Admilson; Costa,Thomaz C. e C. da; Lopes,Osvaldo F.; Oliveira,Maria A. J. de
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2002 PT
Relevância na Pesquisa
36.83%
A utilização de dados espectrais, na estimativa de parâmetros estruturais da vegetação, constitui-se num dos mais importantes papéis do sensoriamento remoto dos ecossistemas naturais. Neste trabalho foram aplicadas transformações espectrais, como os índices de vegetação e a fração de vegetação obtida pelo modelo de análise de misturas em dados do sensor TM/LANDSAT, com o objetivo de se estimar parâmetros estruturais da Floresta Nacional do Araripe, no Ceará. As imagens foram calibradas para radiância, ao nível do solo, e antes do processamento foram removidos seus "outliers". Tanto a fração de vegetação verde quanto os índices de vegetação e as respostas de bandas individuais, apresentaram correlação positiva e significativa com as estimativas da altura média da parcela, da área basal à altura do peito e da área basal na base. Os valores de coeficientes de correlação variaram entre 0,33 e 0,60. Os melhores relacionamentos foram obtidos com o índice de vegetação da razão simples e com o índice estrutural da vegetação para os quais foram estabelecidas as equações de regressão.

Índices de vegetação (NDVI, IVAS, IAF, NDWI) como subsídio à gestão do uso e ocupação do solo na zona de amortecimento da Reserva Biológica de Saltinho

Oliveira, Josemary Santos e Silva; Galvíncio, Josiclêda Dominciano (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
36.83%
A Mata Atlântica representa para a comunidade científica nacional e internacional o bioma com a maior potencialidade biológica do território brasileiro. Tal importância caminha ao lado das constantes interferências antrópicas que ameaçam não só a existência da floresta, como também os demais ecossistemas associados a seu habitat, como exemplo: restingas, manguezais e apicuns. Estabelecer critérios que delimitem o perímetro de interferência das ações antrópicas são assegurados por lei. A criação de zonas de amortecimento é sugerida a fim de minimizar estas ações. O presente estudo tem como objetivo principal, gerar subsídios para a gestão do uso e ocupação do solo na zona de amortecimento da Reserva Biológica Saltinho Pernambuco - Brasil, por meio da criação de mapas que permitam levantar informações sobre o estado atual da vegetação fornecendo informações relevantes sobre os ecossistemas naturais existentes, usos antrópicos e possibilidades de manejo para a elaboração dos planos de utilização a serem implementados. Na realização da pesquisa foram utilizadas quatro cenas do satélite Landsat 5 Sensor TM, pré-processadas, ortorretificadas e validadas através de trabalho de campo. Para melhor identificação dos alvos foi feita uma classificação supervisionada identificando os valores de nuvem...

Dunas costeiras de Jenipabu: Status de conservação e diretrizes para restauração da vegetação

Pinto, Leonardo Henrique Teixeira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ecologia; Bioecologia Aquática Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ecologia; Bioecologia Aquática
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.85%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Este trabalho apresenta uma discussão sobre monitoramento da vegetação e uma análise temporal dos padrões de distribuição da cobertura vegetal dos ecossistemas de dunas costeiras na APA Jenipabu (APAJ - RN) em comparação com as dinâmicas da vegetação encontrada no Parque Estadual das Dunas de Natal (PEDN). Inicialmente, pensávamos encontrar uma diminuição no tamanho das manchas de vegetação de topo de duna e na distribuição da cobertura ao longo do tempo na APAJ, devido à grande pressão para uso urbano e atividades turísticas, que são citados como as principais causas de perdas de cobertura vegetal, biodiversidade e comprometimento dos serviços dos ecossistemas realizados por esses ambientes. Imagens do sensor Image © 2012 GeoEye do período de 2001 a 2011, foram usadas para calcular a área das manchas de vegetação definidas por sorteio. Um arquivo vetor (shapefile) foi criado para cada mancha de vegetação sorteada para cada um destes anos (2001, 2004, 2009, 2010 e 2011) e o grau de mudança foi verificado pelo cálculo de área da vegetação, utilizando-se o arquivo vetor. Todas as análises foram feitas com o software ArcGIS 9.3. Dados de pluviosidade em uma série temporal foram correlacionados estatisticamente com os valores de tamanho das manchas de vegetação. As análises estatísticas mostraram que existe uma forte influência do tipo de uso do solo sobre as dinâmicas da vegetação...

Avaliação da influência da vegetação na variação das características hidrodinâmicas em leitos de escoamento subsuperficial e horizontal

Bandeiras, Rodrigo Mendonça .
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /08/2009 POR
Relevância na Pesquisa
36.85%
A avaliação das condições de escoamento em leitos de escoamento subsuperficial e horizontal (LESH) é essencial para a detecção de mecanismos que podem provocar quebra de rendimento na remoção de poluentes (e.g. zonas pouco irrigadas, zonas de volume morto, curto-circuito hidráulico, recirculações internas e dispersão). Realizaram-se duas séries de ensaios de traçagem em dois LESH laboratoriais, um sem vegetação e o outro plantado com Phragmites australis, cerca de um ano após o seu arranque, para cargas orgânicas de 10,6 g CQO m-2 d-1 e cargas de azoto de 1,1 g N-NH4 m-2 d-1 e uma carga hidráulica de 0,035 m3 m-2 d-1. Utilizou-se o tipo de impulso discreto, tendo a resposta sido detectada em 3 pontos de amostragem localizados a 0,33 m, 1 m e 1,9 m relativamente ao local da injecção de traçador. Os resultados permitiram concluir que, independentemente da presença de vegetação, a dispersão foi forte em todos os troços dos leitos, com maior intensidade nos primeiros 33 cm do leito sem vegetação, onde se registaram condições de mistura e a presença de maior percentagem de volume morto. O atraso detectado na saída de traçador em todos os ensaios, terá estado relacionado com a presença de maiores extensões de zonas pouco irrigadas...

Avaliação da influência da vegetação na variação das cracterísticas hidrodinâmicas em leitos de escoamento subsuperficial e horizontal

Bandeiras, Rodrigo Mendonça
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
36.85%
A avaliação das condições de escoamento em leitos de escoamento subsuperficial e horizontal (LESH) é essencial para a detecção de mecanismos que podem provocar quebra de rendimento na remoção de poluentes (e.g. zonas pouco irrigadas, zonas de volume morto, curto-circuito hidráulico, recirculações internas e dispersão). Realizaram-se duas séries de ensaios de traçagem em dois LESH laboratoriais, um sem vegetação e o outro plantado com Phragmites australis, cerca de um ano após o seu arranque, para cargas orgânicas de 10,6 g CQO m-2 d-1 e cargas de azoto de 1,1 g N-NH4 m-2 d-1 e uma carga hidráulica de 0,035 m3 m-2 d-1. Utilizou-se o tipo de impulso discreto, tendo a resposta sido detectada em 3 pontos de amostragem localizados a 0,33 m, 1 m e 1,9 m relativamente ao local da injecção de traçador. Os resultados permitiram concluir que, independentemente da presença de vegetação, a dispersão foi forte em todos os troços dos leitos, com maior intensidade nos primeiros 33 cm do leito sem vegetação, onde se registaram condições de mistura e a presença de maior percentagem de volume morto. O atraso detectado na saída de traçador em todos os ensaios, terá estado relacionado com a presença de maiores extensões de zonas pouco irrigadas...