Página 1 dos resultados de 12 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

ANÁLISE COMPARATIVA DA PRECIPITAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA UTILIZANDO MODELOS DE REGRESSÃO POLINOMIAL

Gomes,Oseas Machado; Santos,Carlos Antonio Costa dos; Souza,Francisco de Assis Salviano de; Paiva,Willian de; Olinda,Ricardo Alves de
Fonte: Sociedade Brasileira de Meteorologia Publicador: Sociedade Brasileira de Meteorologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.67%
O Estado da Paraíba apresenta alta variabilidade espacial e temporal na distribuição das chuvas. Além disso, existem muitos locais onde não se tem informações sobre os valores de precipitação. Logo, o uso da regressão polinomial (superfície de tendência) na tentativa de obter estimativas de precipitação pode ser uma alternativa para um melhor entendimento da variabilidade espaço-temporal desse parâmetro meteorológico. Assim, o objetivo principal desse estudo foi utilizar o método da regressão polinomial como ferramenta para estimar médias mensais de precipitação para locais conhecidos (estações meteorológicas ou postos pluviométricos) e compará-las com valores medidos, com o intuito de verificar sua precisão dentro da região de estudos. Foram utilizados dados médios mensais de precipitação pluviométrica provenientes de 102 estações meteorológicas distribuídas espacialmente no estado da Paraíba, no período de 1962 a 2001. Os dados apresentaram alta variabilidade espacial em todo o Estado. As regressões polinomiais que melhor se ajustaram aos dados observados foram as de 3ª e 4ª ordens...

Variabilidade temporal e espacial da precipitação pluviométrica em Pernambuco através de índices de extremos climáticos

Nóbrega,Ranyére Silva; Farias,Rafhael Fhelipe de Lima; Santos,Carlos Antonio Costa dos
Fonte: Sociedade Brasileira de Meteorologia Publicador: Sociedade Brasileira de Meteorologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.83%
O presente artigo tem como objetivo analisar a tendência espacial e temporal da precipitação pluviométrica do Estado de Pernambuco, tendo como base índices de extremos climáticos e a técnica dos quantis. Os dados de precipitação pluviométrica diária foram oriundos do Climate Prediction Center (CPC) relativos ao período de 1978 a 2010. Para analisar a tendência da precipitação foram escolhidos os índices climáticos sugeridos pelo Expert Team on Climate Change Detection Monitoring and Indices (ETCCDMI). Através do método de krigagem foi possível analisar a variabilidade espacial dos índices analisados. Os resultados demonstram predominância de tendência de aumento nos padrões pluviométricos em grande parte do Estado, com exceção do setor central da Região Metropolitana leste e parte central da Zona da Mata. Os resultados dos índices conjuntamente indicam que as chuvas estão cada vez mais concentradas em poucos dias ao longo do ano nos sertões e agreste de Pernambuco. Também sobre o sertão, foram encontrados os maiores números de episódios extremamente secos, assim como...

Tendências hidrológicas anuais e sazonais na bacia do Rio Paraibuna, Parque Estadual da Serra do Mar (SP)

Vilanova,Mateus Ricardo Nogueira
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Geografia, Programa de Pós-Graduação em Geografia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Geografia, Programa de Pós-Graduação em Geografia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.41%
O presente trabalho avalia a existência de tendências monotônicas em séries anuais e sazonais de vazão e chuva, no trecho da Bacia do Rio Paraibuna localizado entre os Núcleos Cunha e Santa Virgínia, Parque Estadual da Serra do Mar (SP). O teste de Mann-Kendall foi aplicado a séries destas variáveis, em diversos intervalos no período de 1967 a 2011. Tendências negativas estatisticamente significativas foram detectadas nas séries de chuva de longo prazo (a partir de 1967), anuais e sazonais, da estação 2344009, localizada na região de Cunha. Não foram detectadas tendências significativas nas séries das estações 2345067 (pluviométrica) e 58060000 (fluviométrica), localizadas no Núcleo Santa Virgínia.

Din??mica de curto prazo da macrofauna bet??nica em uma enseada estuarinada Lagoa dos Patos: efeitos antr??picos e mecanismos de persist??ncia e resili??ncia

Angonesi, Luciana Garcia
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
26.25%
Tese(doutorado) - Universidade Federal do Rio Grande, Programa de P??s???Gradua????o em Oceanografia Biol??gica, Instituto de Oceanografia, 2005.; O presente trabalho objetivou avaliar a estrutura e din??mica de curto prazo da associa????o de macroinvertebrados bent??nicos estuarinos da Lagoa dos Patos frente a perturba????es antr??picas e naturais, bem como avaliar os mecanismos de persist??ncia e resili??ncia da popula????o de algumas esp??cies estuarinas. No cap??tulo I, atrav??s de um experimento de campo, foi avaliado o efeito de duas redes de arrasto de pesca artesanal de camar??o (Rede de Coca e Rede de Berimbau) sobre a associa????o de macroinvertebrados bent??nicos de fundos moles. O experimento, realizado com dois tratamentos (arrastos com Rede de Coca e Berimbau) e um Controle, onde n??o foram efetuados arrastos, foi desenvolvido em 7 etapas, nas quais amostras da macrofauna bent??nica (seis r??plicas por tratamento), foram tomadas em diferentes intervalos de tempo ap??s os arrastos com as redes (cinco arrastos em cada etapa). Os resultados das diferentes an??lises estat??sticas empregadas n??o foram conclusivos devido ?? dificuldade em se identificar efeitos diretos das redes sobre a macrofauna. Durante o per??odo de estudo...

Precipita??o sazonal sobre a Amaz?nia oriental no per?odo chuvoso: observa??es e simula??es regionais com o RegCM3

SOUZA, Everaldo Barreiros de; LOPES, Marcio Nirlando Gomes; ROCHA, Edson Jos? Paulino da; SOUZA, Jos? Ricardo Santos de; CUNHA, Alan Cavalcanti da; SILVA, Renato Ramos da; FERREIRA, Douglas Batista da Silva; SANTOS, Daniel Menin?a; CARMO, Alexandre Melo C
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.56%
O presente trabalho apresenta uma contribui??o aos estudos de modelagem clim?tica com ?nfase na variabilidade pluviom?trica sazonal da Amaz?nia oriental, durante as esta??es de ver?o e outono (DJF e MAM). Baseado nos resultados das simula??es regionais do RegCM3 para um per?odo de 26 anos (1982/83 a 2007/08) e usando dom?nio em alta resolu??o espacial (30 Km) e dois diferentes esquemas de convec??o (Grell e MIT), foi investigado o desempenho do modelo em simular a distribui??o regional de precipita??o sazonal na Amaz?nia oriental, com refer?ncia a um novo conjunto de dados observacional compilado com informa??es de uma ampla rede integrada de esta??es pluviom?tricas. As an?lises quantitativas evidenciaram que o RegCM3 apresenta erros sistem?ticos, sobretudo aqueles relacionados com vi?s seco no Amap? e norte/nordeste do Par? usando ambos os esquemas Grell e MIT, os quais apontam que o modelo n?o reproduz as caracter?sticas da ZCIT sobre o Atl?ntico equatorial. As simula??es usando MIT, tamb?m apresentaram vi?s ?mido no sudoeste/sul/sudeste do Par? e norte do Tocantins. Al?m disso, atrav?s da t?cnica de composi??es, tamb?m foi investigado o desempenho do RegCM3 em reproduzir os padr?es espaciais an?malos de precipita??o sazonal em associa??o aos epis?dios ENOS...

Eventos extremos da zona de converg?ncia intertropical sobre o Atl?ntico durante o per?odo chuvoso da Amaz?nia oriental

FERREIRA, Douglas Batista da Silva
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.79%
Este trabalho reporta uma investiga??o observacional sobre as caracter?sticas climatol?gicas (per?odo de 1985 a 2007) associadas aos eventos extremos da ZCIT observados sobre o Oceano Atl?ntico equatorial, procurando estabelecer as influ?ncias na variabilidade pluviom?trica da Amaz?nia oriental, durante os meses de fevereiro, mar?o e abril. Tais eventos foram selecionados objetivamente atrav?s da an?lise de Fun??es Ortogonais Emp?ricas e os padr?es oceano-atmosfera associados aos eventos da ZCIT, bem como seus impactos na precipita??o da Amaz?nia oriental, foram investigados com base em composi??es mensais. Os resultados evidenciaram algumas diferen?as mensais, principalmente no padr?o da circula??o atmosf?rica em 200 hPa e na configura??o vertical da circula??o troposf?rica meridional associada ? c?lula de Hadley equatorial. Quanto ? estrutura din?mica dos padr?es oceano-atmosfera observada nos meses de fevereiro, mar?o e abril, basicamente evidenciou-se que a ZCIT forma-se sobre o Oceano Atl?ntico equatorial numa regi?o de conflu?ncia dos ventos al?sios de sudeste e nordeste, coincidente com ?reas contendo TSM anomalamente quente, movimento vertical ascendente associado ? c?lula de Hadley, com diverg?ncia do vento em altos n?veis. Os impactos de tais eventos na variabilidade espacial da precipita??o sobre a Amaz?nia oriental mostrou que os principais estados afetados pela ZCIT s?o: Amap?...

Sazonalidade da precipita??o para a Amaz?nia usando o modelo REGCM3: avaliando apenas a for?ante do Atl?ntico Equatorial

FERREIRA, Wesley Rodrigues Santos; VITORINO, Maria Isabel; SOUZA, Everaldo Barreiros de; CARMO, Alexandre Melo Casseb do
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.25%
O presente estudo tenta trazer um novo ponto de vista sobre a import?ncia do Oceano Atl?ntico Equatorial no padr?o sazonal, durante o per?odo de ver?o e de outono da regi?o Amaz?nica. Desta maneira, contribui de uma forma diferente para os estudos na ?rea de modelagem clim?tica e variabilidade pluviom?trica na regi?o. Para isto, foi utilizado o modelo RegCM3, com esquema de convec??o Grell, aplicando a t?cnica donwscaling e utilizando como condi??o inicial os dados de reanalise do NCEP/NCAR. Ap?s a obten??o das simula??es foi aplicado o m?todo estat?stico Vi?s para avaliar o quanto o modelo consegue reproduzir a precipita??o sazonal. Em uma primeira an?lise, constata-se que o modelo ? sens?vel a entrada de SF ou ZCAS, bem como, aproxima-se da din?mica dos tr?picos e extratropicos. Os resultados sugerem que a baixa resolu??o e a parametriza??o Grell s?o os principais fatores para a inadequa??o da qualidade das simula??es. Apesar de o esquema Grell ser indicado para regi?es com intensa convec??o e fortes movimentos verticais, o mesmo necessita ser ajustado com as caracter?sticas f?sicas da regi?o. Este estudo contribuiu para o aprimoramento dos modelos clim?ticos regionais para a regi?o amaz?nica, considerando a contribui??o dos processos oceano-atmosfera...

Sobre o sinal de um downscaling din?mico ?s oscila??es intrassazonais de precipita??o no setor norte do Nordeste do Brasil

ALVES, Jos? Maria Brabo; SOUZA, Everaldo Barreiros de; COSTA, Alexandre Ara?jo; MARTINS, Eduardo S?vio Passos Rodrigues; SILVA, Emerson Mariano da
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.37%
Oscila??es intrassazonais s?o fatores controladores da variabilidade pluviom?trica interanual de ?reas tropicais. O conhecimento de como os modelos num?ricos reproduzem suas variabilidades ? importante para entender melhor suas atua??es e subsidiar opera??es de previs?o de tempo e clima. Neste artigo investiga-se a sensibilidade de um modelo de downscaling din?mico de precipita??o na reprodu??o das oscila??es intrassazonais observadas no setor norte do Nordeste do Brasil (SNNEB - 45?W-37?W e 2?S-12?S) no per?odo de 1974 a 2000. Os resultados mostraram que a precipita??o simulada sobre o SNNEB explicou aproximadamente 70% da variabilidade da precipita??o observada no trimestre fevereiro a abril nesta regi?o. Estat?sticas de m?dias, desvios normalizados e percentuais neste trimestre, nessa regi?o, em anos de contrastes clim?ticos nos Oceanos Pac?fico e Atl?ntico Tropicais, tamb?m foram bem capturadas pela precipita??o simulada atrav?s do downscaling. An?lises espectrais com uso de ondeletas mostraram que o downscaling din?mico tem potencial para reproduzir picos espectrais de precipita??o observada no SNNEB nas escalas acima de 8 dias, e nas escalas entre 64 e 128 dias para o per?odo de 01 de janeiro a 30 de junho.; ABSTRACT: Intraseasonal oscillations are factors controlling the interannual variability of tropical rainfall. The knowledge of how numerical models reproduce its variability is important to better understand their roles and support operations of weather and climate. This paper investigates the sensitivity of a downscaling dynamic precipitation model in predicting the intraseasonal oscillations observed in the northern sector of Northeast Brazil (SNNEB - 45?W-37?W and 2?S-12?S) during the period from 1974 to 2000. The results showed that rainfall was simulated on SNNEB explained more than 70% of the variability of rainfall observed in the quarter February to April in this region. Statistical of averages...

Din?mica do carbono em pequenas bacias de drenagem sob uso de agricultura familiar na Amaz?nia Oriental

ROSA, Maria Beatriz Silva da
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
16.25%
O presente estudo teve como objetivo avaliar a din?mica do carbono em uma regi?o da Amaz?nia Oriental, cujo uso da terra predominante ? a agricultura familiar; a unidade espacial adotada neste estudo foram tr?s pequenas bacias de drenagem. A din?mica do carbono foi avaliada a partir de medidas hidrol?gicas e biogeoqu?micas em ?guas dos igarap?s Cumaru, Pachib? e S?o Jo?o entre junho de 2006 a maio de 2007. O ambiente aqu?tico e a hidrogeoqu?mica fluvial foram caracterizados a partir de medidas in situ da condutividade el?trica, temperatura, pH e concentra??o de oxig?nio dissolvido. Amostras de ?gua foram coletadas e analisadas para determina??o do carbono org?nico dissolvido (COD) e press?o parcial do di?xido de carbono (pCO 2 ). A partir dos valores de pCO 2 , foram calculadas as concentra??es de carbono inorg?nico dissolvido (CID). J? os fluxos de C02 foram medidos in situ e tamb?m calculados a partir do pC0 2 . Utilizando-se medidas de vaz?o instant?nea a cada campanha mensal de campo, calcularam-se fluxos anuais de COD. A caracteriza??o dos solos e do uso da terra nas por??es estudadas das bacias, assim como os ?ndices pluviom?tricos e fluviom?tricos, foram considerados na interpreta??o dos resultados. Podem-se enumerar como principais resultados o seguinte: 1) As caracter?sticas f?sico-qu?micas das ?guas fluviais das bacias estudadas retrataram seus solos ?cidos...

Avalia??o quantitativa da din?mica espa?o-temporal da precipita??o na regi?o hidrogr?fica Tocantins-Araguaia

LOUREIRO, Glauber Epifanio
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.73%
A an?lise do comportamento da precipita??o em uma bacia hidrogr?fica ? fundamental para a engenharia e gerenciamento dos recursos h?dricos. A Regi?o Hidrogr?fica Tocantins-Araguaia (RHTA) pela sua ocupa??o recente e potencialidades econ?micas, ganha destaque no cen?rio nacional. Este trabalho avalia quantitativamente a din?mica espa?o-temporal da precipita??o anual nesta regi?o durante um per?odo de 30 anos de dados. A din?mica da precipita??o pode ser analisada pelo c?lculo da precipita??o m?dia em uma dada ?rea, compondo assim mapas de isoietas de precipita??o anual. No entanto, a confec??o destes mapas requer um m?todo de interpola??o que melhor represente as caracter?sticas pluviom?tricas em locais n?o amostrados para posterior an?lise quantitativa do comportamento da precipita??o. Para tanto, foram realizados an?lises explorat?rias descritivas amostral e espacial como requisito de estacionaridade do m?todo de interpola??o geoestat?stico, ajuste e valida??o do modelo te?rico que se ad?que ao variograma de precipita??o anual. Ap?s a confec??o do mapa de isoietas pelo m?todo de Krigagem Ordin?ria (sem tend?ncia) e Krigagem Universal (com tend?ncia) foi realizado o c?lculo do volume precipitado na regi?o hidrogr?fica pelo m?todo dos contornos. A din?mica espacial da precipita??o foi realizada com base na an?lise da estat?stica descritiva...

?ndices de extremos clim?ticos e tend?ncias da precipita??o anual e sazonal na Amaz?nia Oriental

SILVA, Ana Noele Brito
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
16.37%
Baseado no conjunto de dados di?rios de precipita??o e temperatura do ar de oito esta??es meteorol?gicas sobre o Par?, pertencentes ao INMET, dispon?veis no per?odo 1961-2007, foram calculados ?ndices de extremos clim?ticos atrav?s da metodologia estat?stica do software RClimdex. Utilizando-se ainda um conjunto de dados mensais de precipita??o de 134 esta??es pluviom?tricas da Amaz?nia oriental, provenientes da ANA e INMET, foram analisadas as tend?ncias anual e sazonal num per?odo de 25 a 37 anos (1970-2009), atrav?s da aplica??o da estat?stica n?o-param?trica (teste de Mann-Kendall e m?todo de Sen). E por fim, utilizaram-se dados de desmatamento do PRODES/INPE no per?odo 2000-2007, para analisar a poss?vel influ?ncia do desmatamento nas tend?ncias de precipita??o anual e sazonal do Par?. Considerando os ?ndices de extremos clim?ticos referentes aos dados di?rios de precipita??o, constatou-se que a variabilidade interanual dos ?ndices possui rela??es com os epis?dios ENOS e as fases do Dipolo do Atl?ntico. Para os extremos clim?ticos de temperatura evidenciaram-se redu??es sistem?ticas dos dias frios (TX10p) e aumentos sistem?ticos da m?nima da m?xima temperatura (TXN), da percentagem de noites quentes (TX90p) e da temperatura m?xima da m?xima (TXX). Os resultados das tend?ncias da precipita??o anual usando os testes n?o-param?tricos evidenciaram que do total de 134 esta??es...

MONITORAMENTO E INTENSIDADE DAS SECAS E CHUVAS NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE/PB; MONITORING AND INTENSITY OF DROUGHTS AND RAINS IN THE CITY OF CAMPINA GRANDE / PB

HERCULANO MACEDO, Maria José; Universidade Federal de Campina Grande; DE SOUZA GUEDES, Roni Valter; Universidade Federal de Campina Grande; SALVIANO SOUSA, Francisco de Assis; Universidade Federal de Campina Grande
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 06/02/2012 POR
Relevância na Pesquisa
16.25%
A cidade de Campina Grande no estado da Paraíba se encontra numa zona de transição entre os climas do Litoral e do Sertão e por isso detém uma alta irregularidade pluviométrica. Nesse sentido, o objetivo desse trabalho foi realizar uma análise da variabilidade temporal das chuvas e secas em diferentes escalas temporais na cidade de Campina Grande-PB. Para tanto foi utilizada uma série histórica de totais mensais precipitados entre os anos de 1962 e 2009 observados na estação da Embrapa do município em estudo, para o cálculo do índice SPI nas escalas temporais de 01, 03, 06, 12 e 24 meses. Os resultados revelaram que os SPIs analisados não detectaram, segundo a intensidade média, categorias de secas e chuvas extremas na cidade de Campina Grande. A categoria mais freqüente entre os SPIs foi a de chuva normal. Em termos quantitativos as chuvas anuais na cidade de Campina Grande sempre ocorrem em torno do valor esperado. Essa esperança matemática ocorre com maior freqüência pelo lado negativo da escala em torno do valor médio. Esse é o motivo da característica semiárida da Cidade. Os anos que apresentaram maiores e menores índices de pluviometria foram detectados pelo SPI-12 meses e guardam uma boa relação com os eventos La Niña e El Niño...