Página 1 dos resultados de 507 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

O gênero Orthopyxis (Cnidaria, Hydrozoa) no Atlântico sul-ocidental: caracterização dos limites inter e intraespecíficos a partir de dados morfológicos e moleculares; The genus Orthopyxis of the southwestern Atlantic: evaluation of inter and intraspecific boundaries using morphological and molecular data

Cunha, Amanda Ferreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.48%
Dentre os representantes de Campanulariidae, o gênero Orthopyxis é conhecido pela ampla plasticidade morfológica de suas espécies, bem como pela semelhança com o gênero Campanularia. Essas características levaram à descrição de muitas espécies nominais no Atlântico sul-ocidental e confusões com o gênero Campanularia, dificultando a identificação das espécies. Nesse contexto, este estudo teve os objetivos de (1) rever as ocorrências de Orthopyxis no Atlântico sul-ocidental, (2) compreender a variação morfológica intra-específica de Orthopyxis e delimitar suas espécies por meio de estudo morfométrico e molecular, e (3) compreender as relações entre os gêneros Orthopyxis e Campanularia no Atlântico sul-ocidental, levantando evidências morfológicas e moleculares que pudessem delimitá-los. A análise das sequências de DNA resultou no monofiletismo do gênero Orthopyxis e na delimitação das espécies O. sargassicola, O. integra e O. crenata, esta última um novo registro para o Atlântico sul-ocidental. As análises morfológicas permitiram identificar os caracteres informativos para a delimitação dessas linhagens, bem como a amplitude de variação dos caracteres morfológicos frequentemente utilizados para diagnose das espécies de Orthopyxis. Esse estudo aponta evidências morfológicas informativas para a delimitação dos gêneros...

Revisão taxonômica do complexo Philodryas olfersii (Lichtenstein 1823) (Serpentes: Dipsadidae); Taxonomic revision of Philodryas olfersii (Lichtenstein 1823) (Serpentes: Dipsadidae) complex

Arredondo, Juan Camilo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.46%
Philodryas olfersii é a espécie que apresenta a mais ampla distribuição dentro do gênero na América do Sul, ocorrendo desde Colômbia, Venezuela e as Guianas até o Uruguai e o norte de Argentina. Nos últimos 35 anos, esta espécie tem sido considerada como politípica, estando constituída por um complexo formado por três subespécies, Philodryas olfersii olfersii, Philodryas olfersii herbeus e Philodryas olfersii latirostris. A realização deste estudo teve como objetivo avaliar se as subespécies de P. olfersii são diferenciáveis morfologicamente e as implicações taxonômicas que estas diferenças têm sobre o complexo. A revisão taxonômica do complexo foi realizada com uma amostra de 676 exemplares, provenientes de 341 localidades selecionadas ao longo de toda a distribuição conhecida para P. olfersii. Estes indivíduos foram agrupados empregando-se dois critérios; o primeiro foi baseado na distribuição geográfica proposta na literatura para as três subespécies e o segundo foi com base na análise da variação dos padrões de coloração. A variação entre os agrupamentos de cada critério foi analisada mediante comparações da anatomia craniana e hemipeniana, análises de padrões de coloração e análises estatísticos univariados e multivariados de matizes de variáveis morfométricas e merísticas. Com base nos resultados da variação morfológica...

A cascavel neotropical Crotalus durissus: uma abordagem morfológica e da historia natural em populações do Brasil; The neotropical rattlesnake Crotalus durissus: a morphological and natural history approach in populations from Brazil

Argaez, Maria Adelaida Hoyos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.66%
A variação de cunho geográfico nas populações naturais está intimamente ligada às características ecológicas do ambiente como também aos processos históricos que resultaram no estabelecimento de linhagens distintas. Poucas espécies de serpentes têm sido estudadas adequadamente para determinar se existe variação geográfica na morfologia associada ao seu ciclo reprodutivo e dieta. As serpentes do gênero Crotalus são consideradas um bom modelo para estudos relacionados à variação geográfica devido à sua ampla distribuição, que abrange diversos tipos de hábitats. A cascavel C. durissus está restrita a América do Sul. No Brasil ocorre em todos os estados, exceto no Acre e Espírito Santo. São reconhecidas algumas populações isoladas na Floresta Amazônica. Algumas das suas populações exibem um nível considerável de variação morfológica e ecológica, sendo que populações adjacentes podem diferir drasticamente. De um modo geral, são escassos os estudos com esta espécie no Brasil, requerendo urgentes investigações para estabelecer se a variabilidade observada está associada a algum fenômeno específico. Neste estudo, foi examinado um total de 870 exemplares de C. durissus no Brasil. Em termos gerais...

Integração morfológica craniana em morcegos da família Phyllostomidae; Morphological integration on phyllostomid bat skulls (Chiroptera: Phyllostomidae)

Rossoni, Daniela Munhoz
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.56%
No presente trabalho utilizo as abordagens de genética quantitativa e integração morfológica para compreender a evolução do crânio em morcegos da Família Phyllostomidae. Esses morcegos exibem uma diversidade de especializações alimentares que não encontra precedentes dentre os demais mamíferos, havendo atualmente formas envolvidas na insetivoria, hematofagia, nectarivoria, carnivoria, omnivoria e frugivoria. Neste trabalho comparo as matrizes de correlação e covariância fenotípicas que quantificam a associação entre caracteres que descrevem o crânio entre espécies de filostomídeos, com o objetivo de investigar se há similaridade estrutural entre elas. Além disso, exploro possíveis fatores que podem afetar a sua estabilidade, como a história evolutiva (filogenia), dieta e as associações funcionais e de desenvolvimento entre os caracteres cranianos. Por fim, investigo a presença de módulos nos crânios dos filostomídeos e avalio as consequências evolutivas dos padrões e das magnitudes de integração na evolução desse grupo. A base de dados compreende 35 medidas cranianas de 2665 indivíduos, abrangendo todas a subfamílias, e representando ao todo 48 espécies e 45 gêneros. Os resultados indicam que após um período de diversificação evolutiva de aproximadamente 33.9 milhões de anos...

Morphological variation and taxonomy of Lepidocolaptes angustirostris (Vieillot, 1818) (Passeriformes: Furnariidae); Variação morfológica e taxonomia de Lepidocolaptes angustirostris (Vieillot, 1818) (Passeriformes: Furnariidae)

Leguizamón, Sergio David Bolívar
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2014 EN
Relevância na Pesquisa
66.78%
Lepidocolaptes angustirostris (Narrow-billed Woodcreeper) is a South American woodcreeper that inhabits predominantly open lowlands such as the Cerrado, Chaco and Caatinga. This species exhibits highly variable morphology and vocalization throughout its range. The taxonomic position of L. angustirostris is doubtful; it can be located in at the root or within the Lepidocolaptes genus radiation, depending on the author. Two main groups are recognized within the species, a northern clade distributed in the lowlands of northern Bolivia and central and northern Brazil, and a southern group, which inhabits northern and central Argentina, Uruguay and the state of Rio Grande do Sul, in Brazil. Eight subspecies are currently recognized based on plumage and geographical distribution patterns. However, a more detailed morphological analysis and taxonomic revision have not been conducted in this species. Based on the above information, the objective of this project is to conduct a taxonomic revision of L. angustirostris using morphometrical, plumage, and vocal characters. Second, with the aim to test the existence of phenotypic gradients associated to geographical and climatic variations in the taxon, a clinal and GLM analyses were performed. Finally...

Estudo da variação morfológica craniana entre quatro blocos populacionais de Ctenomys lami (Rodentia, Ctenomydae) através de morfometria geométrica

Fornel, Rodrigo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.49%
Este estudo analisa a variação na forma do crânio de Ctenomys lami, em relação a machos e fêmeas, diferentes blocos populacionais, diferentes números diplóides, cariótipos e em relação aos pares cromossômicos 1 e 2. Foram utilizados 90 crânios de espécimes adultos, 36 machos e 54 fêmeas, todos provenientes da região da Coxilha das Lombas, Rio Grande do Sul, Brasil. Esta espécie apresenta sete citótipos diferentes distribuídos em quatro blocos populacionais, sendo o bloco A com 2n = 54, 55a e 56a; bloco B com 2n = 57 e 58; bloco C com 2n = 54 e 55a; e o bloco D com 2n = 55b e 56b. A variação morfométrica foi estudada nas vistas dorsal, ventral e lateral dos crânios, sendo determinados marcos anatômicos em cada uma delas. Os marcos foram posicionados com o programa TPSDig, totalizando 14 marcos para a vista dorsal, 14 para a ventral e 15 para a lateral. Para as análises de morfometria geométrica foi utilizado o método de sobreposição de Procrustes com as coordenadas dos marcos para diferentes vistas foram feitas análises de componentes principais (PCA), análises de variáveis canônicas (CVA), análise das distâncias de Procrustes entre as formas médias. Os resultados confirmam a presença de diferentes blocos populacionais com formas específicas para cada um deles...

Polimorfismo enzimático e variação morfológica em uma população natural de Dryas iulia (Fabr. 1775) (Lepidoptera; Nymphalidae)

Paim, Antonio Carlos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.3%
Dryas iulia pertence à subfamília HeliconitIae e é uma borboleta que prefere voar ao sol, sendo comumente encontrada em clareiras, bordas de florestas e matas secundárias. Ovoposita em espécies de Passifloraceae preferindo, em Porto Alegre e arredores Passiflora suberosa e P. misera (PÉRICO & ARAÚJO, 1991). É abundante durante quase todo o ano, excetuando-se os meses frios de inverno, quando suas populações virtualmente se extinguem. Geralmente o maior tamanho populacional é registrado nos meses de abril e maio. Do ponto de vista genético, Dryas iulia apresenta populações grandes e uniformes; em termos de estrutura genética elas se mostram compatíveis com o modelo do isolamento pela distância. Estudos realizados por HAAG (1992), HAAG e cols., (1993) mostraram que os valores de FSTnão diferiam de zero para várias amostras ("populações") do Rio Grande do Sul. O componente devido ao endocruzamento (FIs) também não diferiu de zero, embora seu valor numérico fosse mais elevado do que o esperado. No presente estudo investigou-se amostras seqüenciais (equivalentes a quatro gerações sucessivas) da região de Águas Belas, município de Viamão, RS, quanto a polimorfismos enzimáticos e variação morfológica. Originariamente os critérios para escolha deste local...

Variação morfológica e na estrutura do canto em Scinax granulatus (PETERS, 1871) (ANURA, HYLIDAE)

Fonte, Luis Fernando Marin da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.47%
Scinax granulatus (Peters, 1871) é um anfíbio anuro, pertencente à família Hylidae, e relativamente comum na maior parte de sua área de ocorrência, que abrange o sul do Brasil, o Uruguai e algumas regiões da Argentina. Nesses locais, a espécie ocorre parcialmente em simpatria com Scinax fuscovarius (Lutz, 1925), Scinax nasicus (Cope, 1862) e Scinax perereca Pombal Jr., Haddad & Kasahara, 1995, espécies similares morfologicamente e com estruturas do canto bastante parecidas. A existência de grande variabilidade e sobreposição dos caracteres apontados como diagnósticos dessas espécies muitas vezes torna difícil a realização de uma eficiente diferenciação entre tais táxons, sendo comum a ocorrência de erros de identificação. Ainda, Scinax granulatus apresenta alta variabilidade morfológica ao longo de sua área de distribuição, fato que levou alguns autores a sugerirem que o táxon na verdade diz respeito a um complexo de espécies. Assim, os objetivos deste trabalho foram realizar análises morfológicas e na estrutura do canto de indivíduos de Scinax granulatus ao longo de sua área de ocorrência, para constatar se as diferenças existentes são relativas a variações populacionais ou se mais de um táxon vem sendo confundido sob este mesmo nome...

Aspectos taxonômicos de Schizomeris Kützing (Chaetophorales, Chlorophyta)

Pereira, Jeferson Luizi; Branco, Luis Henrique Z.
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 305-318
POR
Relevância na Pesquisa
46.3%
Schizomeris Kützing é uma alga filamentosa sem ramificações e com sistema basal de fixação diferenciado. O gênero contém a espécie-tipo Schizomeris leibleinii Kützing e duas espécies pouco conhecidas, S. irregularis Fritsch & Rich e S. indicum (Ghose) Fritsch & Rich. As espécies são diferenciadas, principalmente, através do tipo de sistema basal de fixação. Contudo, a taxonomia específica do gênero é confusa. Estudos morfométricos e morfológicos foram realizados em populações identificadas como S. leibleinii de acordo com duas abordagens. Na primeira, foram analisadas 11 populações de diferentes localidades e na segunda, duas populações distintas através de coletas mensais durante 11 meses. O diâmetro de filamentos multisseriados, diâmetro e comprimento de células de filamentos multi e unisseriados, presença de constrição, ápice dos filamentos e tipo de sistema basal foram analisados em ambas abordagens. Além disso, estudos cariológicos foram efetuados para complementar as informações taxonômicas. Os resultados revelaram ampla variação morfológica, sendo mais acentuada entre as populações de localidades diferentes que nas mesmas populações ao longo do tempo, mas as características mostraram um gradiente contínuo. Os diferentes tipos de sistemas basais descritos para as espécies do gênero (claviforme...

Distribuição geográfica e variação morfológica em populações do anuro Hypsiboas bischoffi (Anura: Hylidae)

Marcelino, Vanessa Rossetto
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 20 f.
POR
Relevância na Pesquisa
46.49%
O anuro Hypsiboas bischoffi é endêmico do sul e sudeste do Brasil, ocorrendo em áreas de montanha e submontanha da Mata Atlântica. Este trabalho estuda a variação geográfica de traços morfológicos em Hypsiboas bischoffi, através da análise da distribuição de duas formas distintas de padrão de coloração (forma listrada e não listrada), a fim de examinar a hipótese de que o padrão de coloração é polimórfico dentro das populações. Adicionalmente, nós descrevemos a variação em diversos traços morfométricos e examinamos sua associação com o padrão de coloração e com gradientes ambientais em toda a distribuição da espécie. Nossos resultados revelam que as duas formas de padrão de coloração são parapátricas, com as formas listradas e não listradas ocorrendo ao norte e ao sul da distribuição da espécie, respectivamente. As duas formas não foram observadas em coocorrência, mas indivíduos não listrados apresentaram padrões um tanto intermediários em localidades próximas à suposta zona de contato entre as duas formas. Análises multivariadas de variação morfométrica mostraram que a variação no tamanho do corpo explica a maior parte da variação observada, mas nem o tamanho do corpo...

Variação genetica e morfologica em populações de Zaprionus indianus (Diptera: Drosophilidae); Genetic and morphological variation in populations of Zaprionus indianus (Diptera: Drosophilidae)

Luciana Ordunha Araripe
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/04/2005 PT
Relevância na Pesquisa
46.49%
A espécie Zaprionus indianus expandiu sua distribuição geográfica recentemente, a partir da invasão do continente sul-americano. O primeiro registro data de apenas seis anos, e acredita-se que a origem seja sul-africana. Hoje, indivíduos dessa espécie são encontrados numa amplitude latitudinal de 35o, do Uruguai a Belém (Brasil). A chegada de Z. indianus no Brasil apresenta uma oportunidade rara de se estudar um evento de invasão desde seu início. O estudo de características fisiológicas, morfológicas e genéticas de populações brasileiras pode ajudar a construir hipóteses para o sucesso de Z. indianus nas etapas de invasão, além de indicar o potencial para evolução e diferenciação fenotípica. Um aspecto fisiológico estudado nesta tese foi a condição reprodutiva em machos que foram submetidos a extremos de temperatura ao longo de seu desenvolvimento. O estresse térmico causa esterilidade nos machos e a investigação dos limites (superior e inferior) da curva de fertilidade relativa à temperatura, complementa os dados de viabilidade na caracterização do potencial de ocupação de áreas novas por espécies cosmopolitas. Quanto à morfologia, um aspecto estudado foi o dimorfismo sexual no número de cerdas abdominais em uma população africana. Dimorfismo sexual para este caráter foi observado em várias espécies em estudos anteriores...

Variação morfologica em populações brasileiras de Drosophila melanogaster : variação latitudinal e temporal, herdabilidade e associação com inversões cromossomicas; Morphological variation in Brazilian populations of Drosophila melanogaster: latitudinal and temporal variation, heritability and association with chromossomal inversions

Laura Helena Hafner da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/08/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.52%
O presente trabalho tem como objetivo caracterizar a variação do tamanho e forma das asas de populações de Drosophila melanogaster em três pontos ao longo de uma grande amplitude latitudinal na costa brasileira. O trabalho foi feito a partir de coletas realizadas no Recife, Rio de Janeiro e Porto Alegre, e os seguintes aspectos foram abordados: 1) variação geográfica; 2) variação temporal; 3) herdabilidade; e 4) a influência de inversões cromossômicas. Para este fim, o método da elipse foi aplicado a imagens digitalizadas das asas, e foram analisados: o tamanho das asas, sua forma e as posições dos pontos de junção e das extremidades das veias (caracterizadas por suas coordenadas angulares é radiais, essas padronizadas pelo tamanho da asa). Os resultados obtidos mostraram que a variação de tamanho em D. melanogaster no Brasil segue a tendência mundial de formação de clines latitudinais, com indiv.íduos maiores sendo encontrados a latitudes também maiores. No entanto, a herdabilidade e a variação temporal entre múltiplas coletas realizadas no Recife e no Rio de Janeiro não apresentou um padrão regular nítido. O único efeito consistente e significativo de inversões cromossômicas que pudemos observar foi o de In(3R)Payne sobre o tamanho corporal...

Padrões de variação morfológica nas asas de Sphingidae (Lepidoptera: Bombycoidea) : efeitos alométricos, filogenéticos e dimorfismo sexual

Camargo, Willian Rogers Ferreira de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.53%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Zoologia, 2014.; As espécies de Sphingidae (Lepidoptera: Bombycoidea) possuem asas anteriores longas e estreitas, asas posteriores curtas e subtriangulares e abdome robusto e fusiforme, muito grande em relação ao tamanho das asas. Esta forma é adaptada para voos potentes, tanto os longos e rápidos, utilizados na migração por algumas espécies, quanto o pairado, como dos beija-flores, utilizado na alimentação do néctar de flores. São importantes polinizadores de uma variedade de famílias de plantas, possuem vida adulta longa e seu tamanho pode variar de 3 cm a mais de 20 cm de envergadura alar. Apesar dessa amplitude de tamanho a variação no formato das asas não é aparente, embora nunca tenha sido propriamente descrita ou investigada. Este estudo investigou a variação morfológica no formato das asas anteriores e posteriores, em diversos níveis taxonômicos, de 105 espécies da família, além da presença de dimorfismo sexual em sete dessas espécies, utilizando a morfometria geométrica. A variação interespecífica mostrou-se bastante restrita pelas relações filogenéticas, com baixos efeitos alométricos...

CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA DE ACESSOS DE GERMOPLASMA DE QUATRO ESPÉCIES BRASILEIRAS DE AMENDOIM-SILVESTRE

VEIGA,RENATO FERRAZ DE ARRUDA; QUEIROZ-VOLTAN,RACHEL BENETTI; VALLS,JOSÉ FRANCISCO MONTENEGRO; FÁVERO,ALESSANDRA PEREIRA; BARBOSA,WILSON
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2001 PT
Relevância na Pesquisa
46.4%
Caracterizaram-se morfologicamente os acessos de germoplasma de espécies silvestres brasileiras de amendoim do gênero Arachis L., Sect. Arachis e analisaram-se a similaridade genética entre acessos da mesma espécie e entre as espécies. Realizou-se o experimento nos anos agrícolas de 1993 a 1996, no Núcleo Experimental de Campinas, do Instituto Agronômico (IAC). Avaliaram-se os acessos disponíveis no Banco Ativo de Germoplasma de Espécies Silvestres de Arachis, da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (CENARGEN - Brasília, DF), das espécies A. palustris Krapov., W.C. Gregory & Valls, A. decora Krapov., W.C. Gregory & Valls, A. praecox Krapov., W.C. Gregory & Valls e A. stenosperma Krapov. & W.C. Gregory, efetuando-se anotações fenotípicas quantitativas e qualitativas, conforme lista de descritores morfológicos. Observou-se que os acessos de A. stenosperma são semelhantes, apesar da sua grande distância geográfica, e diferem das demais espécies, formando um grupo mais coeso. Caracteres como o diâmetro do eixo central e o comprimento dos frutos e das sementes serviram para distingui-la das demais espécies. Arachis decora apresentou alta variação entre acessos nos vários caracteres morfológicos estudados. A. palustris apresentou alta variação morfológica entre acessos...

Aspectos taxonômicos de Schizomeris Kützing (Chaetophorales, Chlorophyta)

Pereira,Jeferson Luizi; Branco,Luis Henrique Z.
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
46.3%
Schizomeris Kützing é uma alga filamentosa sem ramificações e com sistema basal de fixação diferenciado. O gênero contém a espécie-tipo Schizomeris leibleinii Kützing e duas espécies pouco conhecidas, S. irregularis Fritsch & Rich e S. indicum (Ghose) Fritsch & Rich. As espécies são diferenciadas, principalmente, através do tipo de sistema basal de fixação. Contudo, a taxonomia específica do gênero é confusa. Estudos morfométricos e morfológicos foram realizados em populações identificadas como S. leibleinii de acordo com duas abordagens. Na primeira, foram analisadas 11 populações de diferentes localidades e na segunda, duas populações distintas através de coletas mensais durante 11 meses. O diâmetro de filamentos multisseriados, diâmetro e comprimento de células de filamentos multi e unisseriados, presença de constrição, ápice dos filamentos e tipo de sistema basal foram analisados em ambas abordagens. Além disso, estudos cariológicos foram efetuados para complementar as informações taxonômicas. Os resultados revelaram ampla variação morfológica, sendo mais acentuada entre as populações de localidades diferentes que nas mesmas populações ao longo do tempo, mas as características mostraram um gradiente contínuo. Os diferentes tipos de sistemas basais descritos para as espécies do gênero (claviforme...

Variação morfologica dependente da planta hospedeira na borboleta Heliconius erato phyllis (Lepdoptera : Nymphalidae); Hosp-plant dependent wing morphometric variation in the butterfly Heliconius erato Phyllis (Nymphalidae)

Leonardo Re Jorge
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.43%
Insetos fitófagos e suas plantas hospedeiras são um modelo valioso no estudo da influência do ambiente sobre o fenótipo, uma vez que estas são a única fonte de alimento e modulam a interação do herbívoro com outras espécies. Dado esse papel preponderante, espera-se que a planta hospedeira exerça influência em diversas características dos herbívoros, das mais diretamente relacionadas ao desempenho a diferenças sutis na morfologia. Além disso, deve haver relação inversa entre o desempenho e a magnitude da assimetria flutuante dos indivíduos criados em cada uma das hospedeiras. Para testar essas expectativas, estudamos o tamanho e a forma das asas, e sua assimetria, na borboleta Heliconius erato phyllis. Por meio das ferramentas da morfometria geométrica, testamos se havia variação em forma e tamanho entre indivíduos criados em diferentes hospedeiras e testamos também se havia assimetria direcional e flutuante. Detectamos uma variação marcada na forma das asas entre indivíduos que consumiram diferentes hospedeiras, uma assimetria direcional muito consistente, além de resultados pouco consistentes para a assimetria flutuante. Os resultados observados reforçam o papel da plasticidade fenotípica e das plantas hospedeiras na variação morfológica de insetos fitófagos...

Morphological variation in Paspalum nicorae Parodi accessions, a promising forage; Variação morfológica em acessos de Paspalum nicorae Parodi, forrageira promissora

Reis, Camila Aparecida de Oliveira dos; Dall'Agnol, Miguel; Nabinger, Carlos; Schifino-Wittmann, Maria Teresa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
ENG
Relevância na Pesquisa
46.4%
Paspalum nicorae Parodi é uma forrageira perene, apomítica, tetraplóide, nativa no Rio Grande do Sul, com tolerância ao pastejo e adaptada a solos arenosos e a secas moderadas. Como passo inicial para o melhoramento, uma caracterização morfológica considerando pilosidade da folha, cor da bainha, da folha e da nervura central, hábito de crescimento, altura da planta, número e comprimento de racemos, comprimento e largura da folha foi realizada em 53 acessos coletados no Rio Grande do Sul, Brasil, que são parte de um programa de melhoramento de espécies de Paspalum. Os resultados mostraram que 35,84% dos acessos tinham folhas completamente pilosas, 73,58% tinham bainha verde, 54,71% venação central esbranquiçada e 50,94% hábito decumbente. A cor da folha foi estimada por dois métodos, cartela de cores e colorímetro Os acessos foram classificados como 76,92% verdes, 13,45% amarelo esverdeados e 9,62% como verde acinzentados pelo primeiro, e 59,62% acinzentados, 32,69% amarelo acinzentados, 5,77% amarelos e 1,92% cinza escuros pelo segundo método. O comprimento do racemo variou de 9,40 a 1,30 cm, o número de racemos de um a seis (sendo que 48,73% dos acessos tinham quatro racemos), o comprimento e a largura da folha de 36...

Variação morfológica em acessos de Paspalum nicorae Parodi, forrageira promissora; Morphological variation in Paspalum nicorae Parodi accessions, a promising forage

Reis, Camila Aparecida de Oliveira dos; Dall'Agnol, Miguel; Nabinger, Carlos; Schifino-Wittmann, Maria Teresa
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2010 ENG
Relevância na Pesquisa
46.4%
Paspalum nicorae Parodi é uma forrageira perene, apomítica, tetraplóide, nativa no Rio Grande do Sul, com tolerância ao pastejo e adaptada a solos arenosos e a secas moderadas. Como passo inicial para o melhoramento, uma caracterização morfológica considerando pilosidade da folha, cor da bainha, da folha e da nervura central, hábito de crescimento, altura da planta, número e comprimento de racemos, comprimento e largura da folha foi realizada em 53 acessos coletados no Rio Grande do Sul, Brasil, que são parte de um programa de melhoramento de espécies de Paspalum. Os resultados mostraram que 35,84% dos acessos tinham folhas completamente pilosas, 73,58% tinham bainha verde, 54,71% venação central esbranquiçada e 50,94% hábito decumbente. A cor da folha foi estimada por dois métodos, cartela de cores e colorímetro Os acessos foram classificados como 76,92% verdes, 13,45% amarelo esverdeados e 9,62% como verde acinzentados pelo primeiro, e 59,62% acinzentados, 32,69% amarelo acinzentados, 5,77% amarelos e 1,92% cinza escuros pelo segundo método. O comprimento do racemo variou de 9,40 a 1,30 cm, o número de racemos de um a seis (sendo que 48,73% dos acessos tinham quatro racemos), o comprimento e a largura da folha de 36...

Variação Morfológica do Cordão Litorâneo Associado a Foz do Rio Jucu

Deina, Miquelina Aparecida; Bastos, Alex Cardoso; Quaresma, Valéria da Silva
Fonte: Departamento e Programa de Pos-Graduação em Geografia da UFES Publicador: Departamento e Programa de Pos-Graduação em Geografia da UFES
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado pelos pares; Formato: application/pdf
Publicado em 05/10/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.48%
O objeto de estudo desta pesquisa, o cordão litorâneo associado à foz do Rio Jucu, situa-se no município de Vila Velha - ES. O objetivo principal foi verificar a variação morfológica do cordão, no tempo e no espaço, e a contribuição do aporte de sedimentos fluviais para a sua formação. Sua realização contou com a análise de fotos aéreas históricas do local; análise das séries temporais históricas da vazão; coleta de sedimentos e sua análise. Os resultados indicaram forte tendência de redução na largura do cordão nas últimas décadas e que ambiente recebe grande influência das ondas e correntes costeiras, exercendo a ação fluvial papel secundário na constituição e variação morfológica do cordão litorâneo.  Morphological Changes of a Sand barrier associated to Jucu river mouth (ES)AbstractThe object of this study is the sand barrier associated to the mouth of Rio Jucu, located in Vila Velha  - ES. The main objective was to assess the morphological variation of the barrier, in time and space, and the contribution of fluvial sediment supply to its dynamics.  The study was carried out using the analysis of historical aerial photos,  river discharge time series andsediment sampling. The results showed a strong tendency towards a reduction in the width of the barrier during the last decades and that  the barrier dynamics is strongly influenced by waves and coastal currents. River discharge plays a secondary role in the formation and morphological variation of the barrier.DOI: 10.7147/GEO9.1317

Cuidamos(s) e cuidemo(s): a variação morfêmica na P4 em verbos regulares de 1ª conjugação

Pereira, Ivelã; Universidade Federal de Santa Catarina
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Lingüística da UFSC Publicador: Programa de Pós-Graduação em Lingüística da UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Avaliado por pares"; Pesquisa Quantitativa e qualitativa Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.43%
 http://dx.doi.org/10.5007/1984-8420.2014v15n2p49Este trabalho objetiva mapear se está havendo variação morfêmica na P4 (nesse caso, nós) no presente do Indicativo e pretérito perfeito do Indicativo em verbos regulares de 1ª conjugação, para estabelecer uma diferenciação entre esses dois contextos temporais. Trata-se de uma pesquisa quantitativo-qualitativa, com foco na morfologia verbal; por isso, baseamo-nos em Camara Junior (1970), Monteiro (2002 [1987]) e Zanotto (2001), mas nossa metodologia está de acordo com Labov (2008 [1972]) e WLH (2006 [1968]). Ademais, baseamos nosso estudo nas seguintes pesquisas brasileiras: Amaral (1976 [1920]); Costa (1990); Zilles, Maya e Silva (2000); Zilles e Batista (2006); e Rubio e Gonçalves (2012). O córpus é composto por entrevistas gravadas com informantes de alguns bairros de Florianópolis (Costa da Lagoa, Santo Antônio de Lisboa e Ratones), totalizando-se apenas 30 dados. A variável dependente é composta por duas variantes: os morfemas –a– e –e–. As variáveis independentes externas são: ‘sexo’, ‘escolaridade’, ‘idade’ e ‘bairro’, e as variáveis independentes internas:‘assertividade da sentença’ (sentença afirmativa ou negativa), ‘realização do sujeito’ (explícito ou nulo)...