Página 1 dos resultados de 53 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Análise química e avaliação das atividades biológicas e comportamentais de extratos de frutas ricas em compostos fenólicos (mirtilo e amora-preta); Chemical analysis and evaluation of the biological and behavioral activities of extracts of fruits rich in phenolic compounds (Blueberry and blackberry)

Ramirez, Maria Rosana
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
48.08%
O presente estudo teve como objetivos: determinar o teor dos polifenóis: flavonóides e antocianos totais presentes nos extratos de mirtilo (Vaccinium ashei) e amora preta (Rubus sp) por espectrofotometria; desenvolver e validar uma metodologia analítica para a caracterização dos extratos por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE), identificar, isolar e quantificar os principais compostos; avaliar a atividade anticolinesterásica, antioxidante frente à difenilpicrilhidrazol (DPPH) e anti-quimiotática in vitro; realizar a dosagem de aminas biogênicas no cérebro, investigar as possíveis atividades antinociceptiva, antiinflamatória, antiepiléptica, cognitiva e neuroprotetora do extrato de Vaccinium ashei, e o efeito neuroprotetor de um composto isolado a partir de Rubus: a cianidina, em vários modelos experimentais in vivo, em ratos e camundongos. Os perfis cromatográficos apresentaram compostos comuns às duas amostras; onde foram identificados 4 flavonóides, sendo hiperosídeo, quercitrina e isoquercitrina comuns a ambos extratos, e a rutina confirmada apenas em Rubus. Cinco antocianidinas foram identificadas em Vaccinium: delfinidina, cianidina, petunidina, peonidina e malvidina, e a cianidina em Rubus. Os resultados demonstraram...

Microestaquia em mirtileiro com diferentes porções do ramo e substratos

Pelizza,Tânia Regina; Damiani,Cláudia Roberta; Rufato,Andrea de Rossi; Souza,André Luiz Kulkamp de; Ribeiro,Mirian de Farias; Schuch,Márcia Wulff
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar a capacidade de enraizamento, em ambiente protegido, de microestacas retiradas de diferentes porções (apical e mediana) dos ramos de mirtileiro (Vaccinium ashei Reade) cv. Climax provenientes de mudas micropropagadas, com a utilização de diferentes substratos. Foram utilizados dois tipos de microestacas (apical e mediana) e três substratos (Plantmax® + casca de arroz carbonizada (1:1); Húmus Fértil® e Vermicomposto Bovino). O ácido indolbutírico (AIB) foi aplicado na concentração de 2000 mg L-1 para estimular o enraizamento. As microestacas foram acondicionadas em bandejas de poliestireno expandido. Microestacas provenientes da porção mediana atingiram maior porcentagem de sobrevivência, maior número de folhas e de brotações, porém, tiveram maior formação de calo. O número de raízes é dependente do tipo de microestaca e substrato utilizado. A utilização de microestacas medianas em substrato Plantmax® + casca de arroz carbonizada é mais favorável para a produção de mudas de mirtileiro da cv. Climax, pelo aumento da porcentagem de enraizamento e de estacas sobreviventes, do comprimento de raízes e do número de folhas e brotações.

Biologia da mosca‑das‑frutas sul‑americana em frutos de mirtilo, amoreira‑preta, araçazeiro e pitangueira

Bisognin,Maicon; Nava,Dori Edson; Lisbôa,Heitor; Bisognin,Alexandre Zandoná; Garcia,Mauro Silveira; Valgas,Ricardo Alexandre; Diez‑Rodríguez,Gabriela Inés; Botton,Marcos; Antunes,Luis Eduardo Corrêa
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2013 PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
O objetivo deste trabalho foi descrever a biologia de Anastrepha fraterculus em frutos de mirtilo (Vaccinium ashei), amoreira‑preta (Rubus spp.), araçazeiro (Psidium cattleyanum) e pitangueira (Eugenia uniflora). O experimento foi realizado em laboratório, em condições controladas de temperatura (25±2ºC), umidade relativa (70±10%) e fotófase (12 horas), para determinação dos parâmetros biológicos do inseto nos estágios de desenvolvimento imaturos e adultos. Anastrepha fraterculus completa o ciclo biológico em todos hospedeiros estudados, embora os frutos nativos (pitanga e araçá) ofereçam melhores condições para seu desenvolvimento. Os parâmetros biológicos determinados para as fases imaturas foram semelhantes nos quatro hospedeiros. Insetos criados em pitanga e araçá apresentam, na fase adulta, maior período de oviposição, fecundidade e longevidade de fêmeas, em comparação aos criados em mirtilo e amora‑preta. O ritmo diário de oviposição é mais prolongado e uniforme nos insetos criados em araçá e pitanga, o que mostra que A. fraterculus está mais bem adaptada a estas frutas, nativas da região Sul.

Multiplicação fotoautotrófica de mirtilo através do uso de luz natural

Damiani,Cláudia Roberta; Schuch,Márcia Wulff
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
Com o objetivo de minimizar os custos da multiplicação in vitro convencional de mirtilo (Vaccinium ashei Reade) e otimizar a produção de mudas micropropagadas desta espécie, este trabalho comparou o efeito da luz natural à artificial, através do cultivo dos explantes em diferentes locais de crescimento (casa de vegetação e sala de crescimento), durante duas estações do ano: verão e inverno, bem como o efeito de diferentes concentrações de sacarose adicionadas ao meio de cultura e diferentes tipos de vedação dos frascos de cultivo. Aos 60 dias de multiplicação in vitro, foram avaliados o número médio de brotações, o número médio de folhas, o comprimento médio das brotações, a taxa de multiplicação e a massa fresca total. Através dos resultados obtidos, verificou-se que o uso de diferentes materiais na vedação dos frascos não altera o comprimento das brotações, porém promove diferentes respostas na taxa de multiplicação, no número médio de folhas e, principalmente, na quantidade de massa fresca total. Explantes desenvolvidos em frascos fechados com filme plástico ou alumínio aumentam o número de folhas e a taxa de multiplicação. Por outro lado, explantes desenvolvidos em frascos fechados com algodão e em condições fotoautotróficas aumentam em grande escala a quantidade de massa fresca total. Em condições de micropropagação convencional...

Influência do dano da abelha-irapuá em flores de mirtileiro sobre a frutificação efetiva e as frutas produzidas

Silveira,Tiago Madruga Telesca da; Raseira,Maria do Carmo Bassols; Nava,Dori Edson; Couto,Marcelo
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
A abelha-irapuá, Trigona spinipes, é considerada um inseto-praga de várias culturas, por se alimentar de folhas e principalmente de flores e frutos. Os objetivos deste trabalho foram caracterizar o dano provocado pela irapuá em flores de mirtileiro (Vaccinium ashei Read.) e avaliar a frutificação efetiva e a qualidade da fruta produzida. O experimento foi conduzido no pomar experimental de mirtileiro, da Embrapa Clima Temperado em Pelotas, RS. Foram marcadas 200 flores de mirtileiro, seleção 103, sendo 100 destas com dano feito pela irapuá e 100 sem o dano. Após a floração, foi observada a frutificação efetiva, e por ocasião da colheita, foram determinados o teor de sólidos solúveis totais (SST), o diâmetro dos frutos e o número de sementes por fruto. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado. Nas flores sem danos da irapuá, houve maior percentagem de frutificação efetiva, e as frutas oriundas das mesmas apresentaram maior diâmetro e maior quantidade de sementes. O teor de SST nas frutas de mirtilo, oriundas tanto das flores com dano como daquelas sem dano, foi semelhante. Esses resultados sugerem que a T. spinipes é prejudicial à cultura do mirtilo, principalmente na época de floração, pois os danos causados pelo inseto provocaram baixa frutificação...

Estudo do mirtilo (Vaccinium ashei Reade) no processamento de produtos alimentícios

Moraes,Jaqueline Oliveira de; Pertuzatti,Paula Becker; Corrêa,Fernanda Villar; Salas-Mellado,Myriam de Las Mercedes
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
O mirtilo tem seu consumo favorecido devido a sua cor e ao alto conteúdo de antioxidantes naturais, tais como compostos fenólicos que são principalmente antocianinas. Apesar do fruto já estar sendo cultivado no Brasil, ainda não existem produtos industrializados. O presente trabalho teve por objetivo medir compostos fenólicos, poder antioxidante e caracterizar diferentes cultivares de mirtilo da espécie Vaccinium ashei Reade que foram cedidos pela EMBRAPA - Clima Temperado/Pelotas - RS, assim como, elaborar produtos alimentícios e avaliá-los sob os mesmos parâmetros. Os produtos alimentícios processados foram: néctar e barra de cereais adicionadas de passas de mirtilo.

Tipo de ramo e efeito do ácido indal acético (AIA) no estabelecimento in vitro de três cultivares de mirtilo

Silva,Luciane Couto da; Schuch,Márcia Wulff; Souza,Joseane Almeida de; Erig,Alan Cristiano; Antunes,Luis Eduardo Corrêa
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2008 PT
Relevância na Pesquisa
47.47%
O mirtilo é uma promissora alternativa econômica que se adapta muito bem a pequenas propriedades. No entanto, o preço e a disponibilidades das mudas é o principal entrave desta atividade. A micropropagação é a técnica que vem sendo utilizada com sucesso para propagação de mudas de mirtilo. Com o objetivo de estabelecer in vitro cultivares de mirtilo (Vaccinium ashei Reade) para a micropropagação, foram realizados dois experimentos. No experimento I, testou-se a fonte de explante, (segmentos nodais retirados de ramos herbáceos lenhosos) em três cultivares de mirtilo. No experimento II verificou-se o comportamento dos explantes originados de ramos herbáceos na presença e ausência do regulador de crescimento AIA adicionado ao meio de cultivo, dentre sete cultivares. Aos 7, 14 e 21 dias de cultivo avaliou-se a percentagem de contaminação fúngica e bacteriana, além da percentagem de explantes oxidados. Aos 30 e 45 dias de cultivo, além das variáveis analisadas anteriormente, foi avaliado a sobrevivência e o estabelecimento dos explantes. Os resultados permitiram concluir que explantes originados de ramos herbáceos apresentaram menor oxidação fenólica e baixa percentagem de contaminação fúngica e bacteriana...

Micropropagação como técnica de rejuvenescimento em mirtilo (Vaccinium ashei Reade) cultivar climax

Schuch,Márcia Wulff; Damiani,Cláudia Roberta; Silva,Luciane Couto da; Erig,Alan Cristiano
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
Objetivou-se com este experimento avaliar o rejuvenescimento do material vegetal através da técnica de micropropagação na produção de mudas de mirtilo, cv. Climax. Os tratamentos aplicados constituíram-se de dois tipos de citocininas (zeatina e 2iP), em quatro concentrações (0; 2,5; 5,0 e 7,5 mg.L-1) e duas fontes de explantes (plantas micropropagadas e plantas obtidas através da germinação de sementes in vitro). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x4x2. Aos 60 dias após a instalação do experimento avaliou-se o número médio de brotos e de gemas por explante, o comprimento médio dos brotos e a taxa de multiplicação. Concluiu-se que plantas de mirtilo, micropropagadas na presença de citocinina e submetidas a sucessivas repicagens, demonstram elevada habilidade de rejuvenescimento in vitro do material adulto, podendo ser comparadas às plantas obtidas de semente, tanto na capacidade de emitir novas brotações, quanto no número de gemas e taxa de multiplicação.

Preliminary Studies on the Antinociceptive Activity of Vaccinium ashei Berry in Experimental Animal Models

Ramirez, Maria Rosana; Guterres, Leandra; Dickel, Odila E.; de Castro, Micheli R.; Henriques, Amelia T.; de Souza, Márcia M.; Barros, Daniela Martí
Fonte: Mary Ann Liebert, Inc. Publicador: Mary Ann Liebert, Inc.
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /04/2010 EN
Relevância na Pesquisa
47.32%
The aim of this study was to carry out pharmacological screening in order to evaluate the potential effects of lyophilized fruits of different cultivars of Vaccinium ashei Reade (Family Ericaceae) berries, commonly known as rabbiteye blueberries, on nociception. This was achieved using the formalin, hot plate, tail-flick, and writhing tests in mice. During this experiment the mice consumed approximately 3.2–6.4 mg/kg/day (p.o.) of the anthocyanins. The extract was administered for 21 days or 60 minutes before test. Morphine and diclofenac (10 mg/kg, p.o.) as the standard drug (positive control) and water (via oral gavage) as the negative control were administered before all tests. The blueberry extract produced a significant decrease in constrictions induced by acetic acid and caused graded inhibition of the second phase of formalin-induced pain. Moreover, in both the hot plate and tail-flick tests, it significantly increased the threshold. These data suggest that the extract from V. ashei produced antinociceptive effects, as demonstrated in the experimental models of nociception in mice. Additional experiments are necessary in order to clarify the true target for the antinociceptive effects of rabbiteye blueberry extract.

Preliminary studies on the antinociceptive activity of vaccinium ashei berry in experimental animal models

Ramirez, Maria Rosana; Guterres, Leandra Borba; Dickel, Odila Eli; Castro, Micheli Rosa de; Henriques, Amelia Teresinha; Souza, Márcia Maria de; Barros, Daniela Martí
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
47.32%
The aim of this study was to carry out pharmacological screening in order to evaluate the potential effects of lyophilized fruits of different cultivars of Vaccinium ashei Reade (Family Ericaceae) berries, commonly known as rabbiteye blueberries, on nociception. This was achieved using the formalin, hot plate, tail-flick, and writhing tests in mice. During this experiment the mice consumed approximately 3.2–6.4 mg=kg=day (p.o.) of the anthocyanins. The extract was administered for 21 days or 60 minutes before test. Morphine and diclofenac (10 mg=kg, p.o.) as the standard drug (positive control) and water (via oral gavage) as the negative control were administered before all tests. The blueberry extract produced a significant decrease in constrictions induced by acetic acid and caused graded inhibition of the second phase of formalin-induced pain. Moreover, in both the hot plate and tail-flick tests, it significantly increased the threshold. These data suggest that the extract from V. ashei produced antinociceptive effects, as demonstrated in the experimental models of nociception in mice. Additional experiments are necessary in order to clarify the true target for the antinociceptive effects of rabbiteye blueberry extract.

Estudo do mirtilo (Vaccinium ashei Reade) no processamento de produtos alimentícios

Moraes, Jaqueline Oliveira de; Pertuzatti, Paula Becker; Corrêa, Fernanda Villar; Salas-Mellado, Myriam de Las Mercedes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
47.47%
O mirtilo tem seu consumo favorecido devido a sua cor e ao alto conteúdo de antioxidantes naturais, tais como compostos fenólicos que são principalmente antocianinas. Apesar do fruto já estar sendo cultivado no Brasil, ainda não existem produtos industrializados. O presente trabalho teve por objetivo medir compostos fenólicos, poder antioxidante e caracterizar diferentes cultivares de mirtilo da espécie Vaccinium ashei Reade que foram cedidos pela EMBRAPA - Clima Temperado/Pelotas - RS, assim como, elaborar produtos alimentícios e avaliá-los sob os mesmos parâmetros. Os produtos alimentícios processados foram: néctar e barra de cereais adicionadas de passas de mirtilo.; Rabbiteye blueberry is favourable consumption wise due to its color and to the high natural antioxidant substance content such as phenolic compounds that are mainly anthocyanins. The fruit is already cultivated in the Brazil, however it does not exist as an industrialized product. The aim of the present work is to measure phenolic compounds, antioxidant capacity and to characterize different varieties of rabbiteye blueberry (Vaccinium ashei Reade) as well as to develop products and evaluate them under the same parameters. The fruit was donated by Embrapa Clima Temperado...

Micropropagação como técnica de rejuvenescimento em mirtilo (Vaccinium ashei Reade) cultivar climax

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
Objetivou-se com este experimento avaliar o rejuvenescimento do material vegetal através da técnica de micropropagação na produção de mudas de mirtilo, cv. Climax. Os tratamentos aplicados constituíram-se de dois tipos de citocininas (zeatina e 2iP), em quatro concentrações (0; 2,5; 5,0 e 7,5 mg.L-1) e duas fontes de explantes (plantas micropropagadas e plantas obtidas através da germinação de sementes in vitro). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x4x2. Aos 60 dias após a instalação do experimento avaliou-se o número médio de brotos e de gemas por explante, o comprimento médio dos brotos e a taxa de multiplicação. Concluiu-se que plantas de mirtilo, micropropagadas na presença de citocinina e submetidas a sucessivas repicagens, demonstram elevada habilidade de rejuvenescimento in vitro do material adulto, podendo ser comparadas às plantas obtidas de semente, tanto na capacidade de emitir novas brotações, quanto no número de gemas e taxa de multiplicação.

Poliniza????o em amoreira-preta (Rubus sp.), mirtilo (Vaccinium ashei) e ameixeirajaponesa (Prunus salicina); Pollination in blackberries (Rubus sp.), blueberry (Vaccinium ashei) and japanese plum (Prunus salicina)

SILVEIRA, Tiago Madruga Telesca da
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Agronomia; Programa de P??s-Gradua????o em Fruticultura de Clima Temperado; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Agronomia; Programa de P??s-Gradua????o em Fruticultura de Clima Temperado; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
47.66%
Temperate fruit species have a great economic and social importance for the South and Southeast region of Brazil. Among the several fruit species which can be produced in these regions, some were recently introduced in the country and others had a limited expansion. Blueberry (Vaccinium ashei Read) is part of the first group whereas japanese plums (Prunus salicina L.) and blackberries (Rubus spp), are examples of the last case. Pollination and fertilization process is, perhaps, the most important in the production system, since yield is directly dependent of it. The objectives of the this work were: verifying the need of cross pollination of a few blackberry and plum genotypes; to observe the main pollinizers for blueberries and blackberries, under the climatic conditions of Rio Grande do Sul State and to observe a possible influence of the pollen on fruit quality. Seven experiments were conducted, during the year of 2007, under field conditions, using plants of the Embrapa Clima Temperado collections of plums, blackberries and blueberries. Another experiment was carried out under greenhouse conditions with potted plants of blueberry cultivars. Four blackberry selections and three selections and one cultivar of plum were tested for degree of self-fertilization...

Ecologia da polinização do mirtilo (Vaccinium ashei Reade cvs. Climax e Powderblue) no município de Bom Retiro, SC

Sezerino, André Amarildo
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 79 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
47.47%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais, Florianópolis, 2010; A introdução de novas espécies e cultivares de plantas frutíferas de clima temperado no Brasil, em especial no Estado de Santa Catarina, vem crescendo em área cultivada e conseqüentemente em importância econômica. O mirtilo (Vaccinium ashei Reade) (Ericaceae) é uma espécie introduzida comercialmente em Santa Catarina e no Brasil há relativamente pouco tempo e, para uma produção comercial satisfatória, necessita que pelo menos 80% das flores frutifiquem. Objetivou-se neste trabalho elucidar alguns aspectos da ecologia da polinização de Vaccinium ashei cvs Climax e Powderblue, por meio da realização de testes de polinização, da análise da produção quantitativa e qualitativa de néctar e a sua coleta pelos polinizadores, da contagem do número de grãos de pólen produzidos por flor e do levantamento da diversidade e abundância dos visitantes florais em uma área de cultivo comercial situada no município de Bom Retiro - SC, bem como da análise do comportamento forrageiro dos principais visitantes florais do mirtilo. Observou-se Os resultados obtidos neste estudo mostram que as cultivares Climax e Powderblue possuem flores com morfologia floral adaptada a polinização por abelhas. Ambas mostraram ser uma importante fonte de recursos tróficos (néctar e pólen) para as abelhas...

Aclimatização e crescimento de plântulas de mirtileiro 'climax' micropropagadas em função do substrato e da cobertura plástica

Pelizza,Tânia Regina; Damiani,Cláudia Roberta; Rufato,Andrea de Rossi; Affonso,Luana Borges; Hawerroth,Fernando José; Schuch,Márcia Wulff
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar a aclimatização e o crescimento de plântulas micropropagadas de mirtileiro (Vaccinium ashei) cv. Climax, em função do substrato e da cobertura plástica, durante os meses de abril a dezembro de 2008. Foram utilizados três substratos (casca de arroz carbonizada + Húmus Fértil®, Plantmax® + vermiculita e solo + serragem jovem de Pínus) e dois sistemas de cobertura (com e sem cobertura plástica sobre as plântulas). As plântulas, acondicionadas em sacos plásticos com os respectivos substratos e sistemas de cobertura, permaneceram em casa de vegetação com temperatura controlada, por 30 dias. Após, permaneceram por 60 dias sem controle ambiental e, em seguida, foram transferidas para telado. A partir de 30 dias, foram avaliados a percentagem de sobrevivência e o incremento de altura das plântulas. Ao término do experimento, foi avaliada a massa fresca e seca da parte aérea e da raiz das plântulas. A percentagem de sobrevivência das plântulas de mirtileiro em substrato Plantmax® + vermiculita é igual quando utilizada ou não a cobertura plástica. O uso da cobertura plástica não foi eficiente para incrementar a altura média das plântulas nos substratos Plantmax® + vermiculita e solo + serragem jovem. A maior massa seca de parte aérea foi obtida com o uso de Plantmax® + vermiculita sem cobertura plástica sobre as plântulas. Plantmax® + vermiculita com e sem cobertura plástica proporcionam maior massa seca radicular que os demais substratos e respectivos sistemas de cobertura...

Short-Term Flooding Effects on Gas Exchange and Quantum Yield of Rabbiteye Blueberry (Vaccinium ashei Reade) 1

Davies, Frederick S.; Flore, James A.
Fonte: PubMed Publicador: PubMed
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /05/1986 EN
Relevância na Pesquisa
47.16%
Roots of 1.5-year-old `Woodard' rabbiteye blueberry plants (Vaccinium ashei Reade) were flooded in containers or maintained at container capacity over a 5-day period. Carbon assimilation, and stomatal and residual conductances were monitored on one fully expanded shoot/plant using an open flow gas analysis system. Quantum yield was calculated from light response curves. Carbon assimilation and quantum yield of flooded plants decreased to 64 and 41% of control values, respectively, after 1 day of flooding and continued decreasing to 38 and 27% after 4 days. Stomatal and residual conductances to CO2 also decreased after 1 day of flooding compared with those of unflooded plants with residual conductance severely limiting carbon assimilation after 4 days of flooding. Stomatal opening occurred in 75 to 90 minutes and rate of opening was unaffected by flooding.

Registro de Cyclocephala flavipennis Arrow, 1914 (Coleoptera: Melolonthidae) danificando plantas de mirtileiro no Brasil

Diez-Rodríguez,Gabriela Inés; Hübner,Lucas Khun; Antunes,Luis Eduardo Corrêa; Guedes,Jerson Vanderlei Carús; Nava,Dori Edson
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
Larvas de Cyclocephala flavipennis Arrow, 1914, são comumente encontradas em cereais de inverno (trigo, cevada, aveia e triticale), milho e soja, no Rio Grande do Sul. Em março de 2012, larvas desta espécie foram detectadas em plantas de mirtileiro (Vaccinium ashei Reade), cultivar 'O´Neal', no município de Pelotas, RS. Os insetos alimentaram-se de raízes em áreas restritas do pomar. Este é o primeiro relato da ocorrência do coró-pequeno, C. flavipennis, em plantas de mirtileiro

Enraizamento in vitro de mirtilo em condições fotoautotróficas

Damiani,Cláudia Roberta; Schuch,Márcia Wulff
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência do enraizamento fotoautotrófico de mirtilo (Vaccinium ashei Reade), cultivar 'Delite', comparando o efeito da luz natural (casa de vegetação) e da luz artificial (sala de crescimento) durante duas épocas do ano (verão e inverno), bem como o efeito de três concentrações de sacarose (0; 15 e 30g L-1) adicionadas ao meio de cultura e de diferentes tipos de vedação dos frascos de cultivo (alumínio, algodão e filme plástico). Após 60 dias de enraizamento in vitro em meio de cultura WPM, contendo 9µM L-1 de AIB, observou-se que o enraizamento em meio de cultura livre de sacarose promoveu o aumento do número de raízes e da porcentagem de enraizamento e, quando associado ao fechamento dos frascos com algodão, favoreceu, também, o incremento do comprimento das raízes e da massa fresca total. Quanto ao ambiente de cultivo e às épocas do ano, concluiu-se que o enraizamento pode ser realizado com sucesso de forma fotoautotrófica e, durante o verão, independentemente do ambiente de cultivo, verifica-se um aumento do comprimento de raízes, da porcentagem de enraizamento e da massa fresca total.

Produção e qualidade de frutos de mirtileiros sob diferentes intensidades de poda

Souza,André Luiz Külkamp de; Pereira,Robson Rodrigues; Camargo,Samila Silva; Fisher,Doralice Lobato de Oliveira; Schuch,Márcia Wulff; Pasa,Mateus da Silveira; Schmitz,Juliano Dutra
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
O sistema de poda do mirtileiro (Vaccinium ashei Read) utilizado no país se fundamenta em estudos realizados em locais com condições edafoclimáticas distintas da nossa realidade. Assim, foram avaliadas diferentes intensidades de poda de frutificação em dois genótipos de mirtileiro, e seus efeitos na produção e na qualidade dos frutos. O experimento foi conduzido em pomar comercial, localizado em Pelotas-RS. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados completos, em esquema fatorial (2x4), com quatro repetições. Plantas de sete anos de idade, do grupo Rabbiteye, cultivares 'Briteblue' e 'Woodard', foram submetidas às intensidades de poda leve, moderada, drástica e sem poda (testemunha) nos anos de 2010 e 2011, no período de repouso hibernal (primeira quinzena de agosto). Foram avaliadas a produção média por planta, sendo estimada a produtividade por área, peso fresco, diâmetro, teor de sólidos solúveis, pH e acidez titulável dos frutos. De acordo com os resultados, a intensidade de poda tem efeito sobre a antecipação da colheita. Com a decorrência de uma maior intensidade de poda, houve uma tendência de aumento do tamanho dos frutos. Para mirtileiros Briteblue...

Diferentes substratos e ambientes no enraizamento in vitro de mirtilo

Damiani,Cláudia Roberta; Schuch,Márcia Wulff
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
47.16%
O objetivo neste trabalho foi comparar a capacidade de enraizamento in vitro de mirtilo (Vaccinium ashei Reade cv. 'Delite' e V. corymbosum L. cv. 'Georgiagem') e estudar o efeito de substratos alternativos ao ágar (perlita, vermiculita e ágar + carvão ativado) adicionados ao meio de cultura 'WPM' contendo 7µM L-1 de AIB e o efeito da luminosidade por meio do cultivo em diferentes ambientes: sala de crescimento convencional e casa de vegetação. Concluiu-se que o uso de perlita, seguido da vermiculita, promovem o aumento do número e comprimento de raízes, matéria fresca total e radicular e maiores porcentagens de enraizamento. A adição de carvão ativado inibe o enraizamento. O ambiente de cultivo não alterou o número de raízes formadas. A cultivar 'Georgiagem' apresentou maiores porcentagens de enraizamento quando comparada a cv. 'Delite', independentemente do local de cultivo e substrato.