Página 1 dos resultados de 104 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Comparação da prevalência das anomalias de vértebras cervicais superiores em pacientes com fissura de lábio e/ou palato e pacientes sem fissura; Prevalence comparison of upper cervical vertebral anomalies in patients with cleft lip and/or palate and noncleft patients

Lima, Marta da Cunha
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/05/2007 PT
Relevância na Pesquisa
67.36%
Um dos possíveis mecanismos de desenvolvimento da fissura palatina é representado pelas anomalias congênitas da coluna vertebral. Se faz necessária a correlação dos diferentes tipos de anomalias com as fissuras de lábio e/ou palato para um melhor entendimento do fenômeno embriológico e do processo de malformação. Embora alguns achados indiquem que as anomalias de vértebras cervicais estão presentes mais freqüentemente em fissuras palatinas que em outras categorias de fissura, ou que no grupo controle, a distribuição das anomalias em relação aos tipos de fissura é pouco analisada. Desta maneira o objetivo do trabalho foi determinar a prevalência das anomalias de vértebras cervicais superiores em indivíduos com e sem fissura e comparar a prevalência destas anomalias entre as amostras, bem como comparar a incidência das anomalias vertebrais entre os tipos de fissura. Foram utilizados 300 pacientes com fissura e 300 sem fissura. O presente estudo confirma a provável associação entre fissuras labiopalatinas e as anomalias cervicais. Houve diferença estatisticamente significante na incidência das anomalias cervicais no grupo com fissura (38,67%) quando comparada com o grupo controle (31,00%). Concordando com os achados da literatura...

Avaliação cefalométrica do crescimento craniofacial em crianças leucodermas brasileiras, com má oclusão de Classe II durante as fases de crescimento determinadas pela maturação das vértebras cervicais; Cephalometric evaluation of craniofacial growth in Class II malocclusion and Normal Occlusion Brazilian children during stages of growth determined by maturation of cervical vertebrae

Silva, Fabiane Louly Baptista Santos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
67.1%
As características do crescimento craniofacial dos indivíduos portadores de má oclusão de Classe II na fase de crescimento, são de intenso interesse dos ortodontistas por esta má oclusão representar uma alta porcentagem dos casos em tratamento nos consultórios. Esta investigação objetivou estudar cefalométrica e comparativamente o crescimento craniofacial em crianças leucodermas portadoras de má oclusão de Classe II e de Oclusão Normal. Foram utilizadas 148 telerradiografias em norma lateral de 78 meninos e 70 meninas, faixa etária dos 7 aos 12 anos, portadores de má oclusão de Classe II, e 60 telerradiografias em norma lateral de 30 meninas e 30 meninos com Oclusão Normal. As amostras foram divididas considerando-se o estágio da maturação das vértebras cervicais pelo método de Hassel e Farman(HASSEL; FARMAN 1995), estando os grupos nos níveis Iniciação(I), Aceleração (A) e Transição (T) do desenvolvimento esquelético. Foram utilizadas as grandezas SNA, A-Nperp e Co-A para avaliar o componente maxilar; SNB, P-Nperp, Co-Gn, Co-Go e Go-Gn para o componente mandibular; ANB representou a relação maxilomandibular; SN.GoGn, FMA, NS.Gn, BaN.PtGn e ENA-Me para o componente vertical, e o ângulo da base do crânio representado por NS.Ba. O teste t independente foi aplicado: entre os grupos para verificar a precocidade dos índices entre os gêneros; em cada grupo e índice nos gêneros feminino e no masculino; na comparação entre os grupos em cada índice nos gêneros feminino e no masculino; na comparação entre os grupos na fase IT (Iniciação Transição) em cada gênero. Os resultados mostraram: precocidade do índice A (aceleração) no gênero feminino do grupo de Classe II. Na comparação entre os gêneros do grupo de Classe II no nível I...

Avaliação da maturação esquelética por meio da análise das vertebras cervicais em telerradiografias laterais

Neves, Thiago Faria
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
47.26%
Este trabalho teve como objetivo de avaliar os aspectos importantes do crescimento esquelético por meio das vértebras cervicais em teleradiografias. O estudo foi realizado por meio de revisão de literatura atual, com a finalidade de ampliar os conhecimentos sobre os estágios de maturação esquelética, que tem um papel importante no diagnóstico e plano de tratamento ortodôntico. No presente estudo foi comparada a maturação das vértebras cervicais em relação ao crescimento facial, índice carpal, índice de Nolla e idade cronológica. A partir da análise dos artigos selecionados, pôde-se concluir que o método de determinação da maturação esquelética por meio das vértebras cervicais mostrou-se confiável e de fácil execução na avaliação do estágio em que o indivíduo se encontra na curva de crescimento.; This study aimed to evaluate the important aspects of skeletal growth through the cervical vertebrae in teleradiography. The study was made by a review of current literature, in order to increase knowledge about the stages of skeletal maturation, which plays an important role in the diagnosis and orthodontic treatment plan. The present study compared the maturation of cervical vertebrae in relation to facial growth...

Morfologia das 3ª e 4ª vértebras cervicais representativa do surto de crescimento puberal

Lara, Tulio Silva; Bertoz, Francisco Antônio; Santos, Eduardo César Almada; Bertoz, André Pinheiro de Magalhães
Fonte: Dental Press Editora Publicador: Dental Press Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 66-76
POR
Relevância na Pesquisa
67.26%
OBJETIVOS: determinar a morfologia das 3ª e 4ª vértebras cervicais representativa dos estágios de pré-pico, pico e pós-pico de velocidade de crescimento estatural, definidos previamente pelos centros de ossificação do primeiro dedo em radiografias carpais ou do dedo polegar. MÉTODOS: foram utilizadas 120 telerradiografias em norma lateral de 106 pacientes selecionados da clínica de Ortodontia Preventiva e Interceptiva da Faculdade de Odontologia de Araçatuba-UNESP e Profis/HRAC-USP que apresentavam as correspondentes radiografias carpais ou do dedo polegar. As telerradiografias foram divididas em três grupos de 40 radiografias, de acordo com os estágios maturacionais pré-pico, pico e pós-pico, definidos pela imagem do primeiro dedo. A morfologia dos corpos das 3ª e 4ª vértebras cervicais foi determinada por dois examinadores devidamente calibrados em dois tempos diferentes. CONCLUSÕES: concluiu-se que o formato retangular horizontal com borda inferior reta foi representativo do estágio de pré-pico, independentemente da vértebra analisada. Já o formato retangular horizontal com borda inferior curva, especialmente se encontrado em C4, ou o formato quadrado com borda inferior reta caracterizaram o pico de velocidade de crescimento. O formato quadrado ou...

Morfologia das 3ª e 4ª vértebras cervicais representativa do surto de crescimento da adolescência

Lara, Tulio Silva
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 63 f. : il. + 1 CD-ROM
POR
Relevância na Pesquisa
67.26%
Pós-graduação em Odontologia - FOA; O objetivo do presente estudo foi determinar a morfologia das 3ª e 4ª vértebras cervicais representativa dos estágios correspondentes ao pré-pico, pico e pós-pico de velocidade de crescimento estatural, definidos previamente pelos centros de ossificação do primeiro dedo em radiografias carpais ou do dedo polegar. Foram utilizadas 120 telerradiografias em norma lateral de 106 pacientes selecionados da clínica de ortodontia da Faculdade de Odontologia de Araçatuba-UNESP e Profis/HRAC-USP que apresentavam radiografias carpais ou do dedo polegar correspondentes. As telerradiografias foram divididas em três grupos de 40 radiografias de acordo com os estágios maturacionais pré-pico, pico e pós-pico definidos pela imagem do primeiro dedo. A morfologia dos corpos das 3ª e 4ª vértebras cervicais foi determinada por dois examinadores devidamente calibrados em dois tempos diferentes. Concluiu-se que o formato retangular horizontal com borda inferior reta foi representativo do estágio correspondente ao pré-pico, independentemente da vértebra analisada. Já o formato retangular horizontal com borda inferior curva, especialmente se encontrado em C4, ou o formato quadrado com borda inferior reta caracterizou o pico de velocidade de crescimento. O formato quadrado ou...

Estudo da relação entre a análise de maturação das vértebras cervicais por meio de medidas em radiografias cefalométricas laterais e a curva de crescimento ósseo

Tanaka, Jefferson Luis Oshiro
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 109 f. il.
POR
Relevância na Pesquisa
67.26%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Biopatologia Bucal - ICT; As vértebras cervicais vêm sendo cada vez mais empregadas para a análise de maturação óssea em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares. Visto que as mudanças que ocorrem nessas estruturas são sutis, comparou-se, por meio de medidas, sete razões obtidas nas vértebras cervicais C2, C3 e C4 em radiografias cefalométricas laterais entre as fases da curva de crescimento puberal de 95 pacientes do sexo feminino e 136 do masculino. Os resultados demonstraram que a razão 1 (C2Conc/C2PI-C2AI) difere estatisticamente entre os grupos A/B e C/D nos indivíduos do sexo masculino e entre B/C e D/E nos do feminino; a razão 2 (C3Conc/C3PI-C3AI) difere estatisticamente entre os grupos A/B/C/D nos indivíduos do sexo masculino e entre B/C e D/E nos do feminino; a razão 3 (C4Conc/C4PI-C4AI) difere estatisticamente entre os grupos B/C/D nos indivíduos do sexo masculino e entre B/C e D/E nos do feminino; a razão 4 (C3AS-C3AI/C3PS-C3PI) difere estatisticamente entre os grupos B/C nos indivíduos do sexo masculino e entre B/C/E nos do feminino; a razão 5 (Altura do corpo de C3/Comprimento do corpo de C3) difere estatisticamente entre os grupos A/C/D/E nos indivíduos do sexo masculino e entre A/C e D/E nos do feminino; a razão 6 (C4ASC4AI/ C4PS-C4PI) difere estatisticamente entre os grupos B/C nos indivíduos do sexo masculino e entre os grupos B/C/D nos do feminino; e a razão 7 (Altura do corpo de C4/Comprimento do corpo de C4) difere estatisticamente entre os grupos C/D nos indivíduos do sexo masculino e entre A/C/D nos do feminino.; The cervical vertebrae have been employed on the assessment of the bone maturation stage on the last years. Since the changes on these structures are subtle...

Desenvolvimento e análise de um método de avaliação de maturação óssea por meio de medidas das vértebras cervicais em radiografias cefalométricas laterais

Tanaka, Jefferson Luis Oshiro
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 103 f. : il. + anexo
POR
Relevância na Pesquisa
47.32%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Biopatologia Bucal - ICT; As alterações anatômicas das vértebras cervicais têm sido empregadas na análise de maturação óssea em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares. Como essas mudanças são sutis, o objetivo neste estudo foi desenvolver e avaliar um método de análise de maturação óssea empregando-se medidas dessas estruturas. Foram utilizados 246 pares de radiografias cefalométricas laterais e de mão/punho, 135 de indivíduos do sexo feminino e 111 do masculino, divididos em 5 grupos segundo a Curva de Crescimento de Mercadante. Nas radiografias cefalométricas laterais, 15 razões foram obtidas das vértebras C2, C3 e C4, utilizando o programa Radiocef 4.0®. A média de cada razão foi comparada entre os grupos por meio das análises ANOVA e Tukey, que apontaram 10 razões como as que melhor diferem cada fase e que foram utilizadas na criação do novo método. Neste método, denominado Maturação por Razões em Vértebras Cervicais (MRVC), a maturação óssea é classificada em 7 estágios a partir dos resultados das 10 razões. Para sua validação, utilizou-se outra amostra de 58 pares de radiografias cefalométricas laterais e de mão/punho...

Anatomical evaluation of the cervical vertebrae of Wistar rats by means of digital radiographs and its correlation with the maturation stages of human cervical vertebrae

Matsui, Roberto Hiroshi; Castilho, Julio Cezar De Melo; Moraes, Luiz César De; Gomes, Mônica Fernandes; Faltin Júnior, Kurt; Matsui, Miriam Yumi
Fonte: Dental Press International Publicador: Dental Press International
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 82-88
ENG
Relevância na Pesquisa
47.47%
INTRODUCTION: Biological age is an important parameter for growth and development assessment. It can be evaluated through the observation of radiographic changes in skeletal maturation of cervical vertebrae. OBJECTIVE: This study aims to: a) verify if there is correlation between growth curve and the stages of bone age of animals used in laboratories, by evaluating radiographs of the cervical vertebrae; b) correlate these stages with their correspondents in humans. METHODS: 35 Wistar rats were evaluated for a period of 160 days, starting at day 22nd (weaning), with cross sections for periodic weighing, length measurement and digital radiography. Radiographs of the cervical vertebrae (C2 and C3) were measured by means of a computer program (Radio IMP). Data were submitted to statistical analysis (ANOVA) and Pearson correlation. RESULTS: Growth spurt was characterized by fast increasing in weight and length. Through ANOVA, differences were observed in the cervical measurements between days 22, 97, 127, 157, 187 and 217 (p <0.001). A high correlation was found between increasing in body length and weight, as well as in cervical vertebrae height (r = 0.86). Increments in concavities of vertebrae were also observed, similar to humans. CONCLUSIONS: There is correlation between body growth and maturation of cervical vertebrae in rats. Despite the continuous development of concavities...

Estimativa do surto de crescimento puberal pela avaliação das vértebras cervicais em radiografias cefalométricas laterais

Armond, Mônica Costa
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 98 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
47.37%
The aim of this research was to estimate the skeletal growth and development by observingradiographically the morphological changes of the first, second and third cervical vertebrae, according to the method proposed by Hassel &Farman32 (1995) in patients who were going through the outbreak of pubertal growth. The radiographic inspection of the cervical vertebrae was performed by means of cephalometric radiographs and the outbreak of pubertal growth was identified through the events of ossification of the hand and wrist. For that purpose, we selected thecephalometric radiographs and hand•wrist radiographs of 110 Brazilianleukoderms, male and female,with chronological age ranging from 8 to 14,6 years old for the girls and from 9,5 to 15,4 years old for the boys.The results showed that there was a statistically significant correlation between the maturation indicators of the cervical vertebrae and the patients who were going through the outbreak of pubertal growth. The conclusion was that the radiographic evalution of the changes of the cervical vertebrae, in the cephalometric radiographs, is an alternative parameter, which is reliable and practical in the skeletal evalution, and the it completes the range of information that must be obtained from the patient under orthodontic treatment and that it can...

Estudo comparativo da maturação óssea das vértebras cervicais, por meio de radiografias cefalométricas laterais, com as más-oclusões classes I e II de angle

Armond, Mônica Costa
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 103 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
47.45%
Pós-graduação em Biopatologia Bucal - ICT; The estimation of puberal growth of the cervical vertebrae, examined through side cephalometric radiographs, has been more an more studied and used by orthodontists an facial orthopedists due to its reliability an simplicity, besides minimizing the ionizing exposure to the patients. The aim in this research has been to compare the phases oh the bone maturation of cervical vertebrae, according to the Hassel & Farman method26(1995) with the malocclusion Classes I and II of Angle5(1899). The radiographs examination of the cervical vertebrae has been carried out, through cephalometric radiographies, in lateral norm, and the malocclusions through studying models in plaster. For this research 194 brazilian patients who had never undergone a previous orthodontic/facial orfhopedic treatment have been chosen. From this group 90 were boys and 104 were girls, all of them between ten and 14 years old. After statisfical analysis, the results allowed the conclusion that there has not been a significant statistic association between the bone maturation phases of the cervical vertebrae with the malocclusion Classes I and II of Angle, and both the examination of the phases of the cervical vertebrae and the evaluation of the dental malocclusions of Angle should be interpreted in a single and independent way; A estimativa de crescimento puberal pelas vértebras cervicais...

Avaliação da maturação esqueletica na população brasileira por meio da analise das vertebras cervicais; Skeletal maturation assessment of Brazilians using cervical vertebrae analysis

Maria de Paula Caldas
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
47.56%
O objetivo deste estudo foi avaliar a aplicabilidade do método de análise da idade óssea das vértebras cervicais desenvolvido por Mito et al. (2002) em meninas japonesas na população brasileira, assim como estabelecer dois novos métodos para meninas e meninos brasileiros, no intuito de determinar de forma objetiva a maturação esquelética das vértebras cervicais em radiografias cefalométricas laterais. Foram selecionadas radiografias cefalométricas laterais e radiografias carpais de 128 meninas e 110 meninos, com faixa etária variando entre 7 e 15.9 anos, pertencentes à Clínica de Radiologia da Faculdade de Odontologia de Piracicaba ? Unicamp. A idade óssea das vértebras cervicais foi determinada segundo o método de Mito et al. (2002). A idade óssea das crianças foi determinada pelo método de Tanner & Whitehouse (TW3) e usada como padrão ouro para determinar a confiabilidade do método japonês. Posteriormente, terceiro e quarto corpos das vértebras cervicais foram traçados e medidos e fórmulas de regressão foram criadas, no intuito de se estabelecer a idade óssea das vértebras cervicais de meninos e meninas brasileiros. Uma outra amostra composta por radiografias cefalométricas laterais e radiografias carpais de 55 meninas e 54 meninos com a mesma faixa etária foi utilizada para verificar a confiabilidade das fórmulas criadas...

Analise computadorizada da idade ossea vertebral em radiografias cefalometricas laterais na população brasileira; Computer-assisted analysis of cervical vertebral bone age using cephalometric radiographs in brazilian subjects

Maria de Paula Caldas
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/11/2009 PT
Relevância na Pesquisa
47.32%
O objetivo neste trabalho foi avaliar a aplicabilidade do método de análise da idade óssea vertebral, proposto por Caldas et al. (2007) nas diferentes regiões do país. Para isso, foram utilizadas radiografias cefalométricas laterais e radiografias carpais de 381 meninas e 336 meninos, com faixa etária variando entre 7 e 15.9 anos, pertencentes a arquivos digitais de seis clínicas de Radiologia Odontológica provenientes das cidades de Belém-PA, Fortaleza-CE, Recife-PE, Brasília-DF e Curitiba-PR. Nas radiografias cefalométricas laterais, os corpos das vértebras C3 e C4 foram medidos com o auxílio de uma análise computadorizada das vértebras cervicais inserida no programa de cefalometria digital Radiocef Studio 2 e as idades ósseas das vértebras cervicais foram automaticamente calculadas, utilizando as equações de regressão desenvolvidas por Caldas et al. (2007). Nas radiografias carpais, os eventos de ossificação da mão e do punho foram avaliados e as idades ósseas determinadas pelo método de Tanner e Whitehouse (TW3). Os dados foram encaminhados à análise estatística de variância e teste de Tukey (p<0,05) para comparar idade óssea vertebral, idade óssea carpal e idade cronológica. Os resultados obtidos revelaram que...

Estimativa de idade óssea e cronológica : comparação entre as vértebras cervicais e a região de mão e punho; Estimation of bone age and chronological : comparison between the cervical vertebrae and hand-wrist region

Silas Henrique Rabelo de Lima
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
47.41%
A estimativa da idade cronológica (IC) e idade óssea (IO) têm sua importância nos casos forenses e clínicos. O objetivo deste estudo foi comparar a estimativa de idade, obtido pelo desenvolvimento ósseo das vértebras cervicais, em relação à estimativa de idade obtida pelo desenvolvimento ósseo da região da mão e punho, usando três métodos carpais. A amostra foi composta de telerradiografias em norma lateral e radiografias carpais, realizadas na mesma data, de 288 indivíduos, selecionados de um total de 500 inicialmente, pertencentes aos arquivos da Disciplina de Radiologia da Faculdade de Odontologia de Piracicaba - Unicamp (Brasil). A referida amostra constou de 132 indivíduos do sexo feminino, com idade entre 10 e 16 anos, e 156 indivíduos do sexo masculino, com idade entre 11 e 16 anos. As vértebras cervicais foram classificadas segundo os estágios vertebrais (EVs) proposto por Hassel & Farman (1995), de uma forma modificada. Foram analisadas separadamente as bordas inferiores das vértebras cervicais CII, CIII e CIV, obtendo-se a média, e, em seguida, análise dos corpos vertebrais das vértebras CIII e CIV, obtendo-se a média, pelo mesmo método. O estágio vertebral correspondente foi obtido fazendo-se a média entre a média das bordas inferiores e a média dos corpos vertebrais. As radiografias carpais foram analisadas pelos métodos carpais Greulich & Pyle (GP)...

Avaliação da reprodutibilidade do método de determinação da maturação esquelética por meio das vértebras cervicais

Santos,Eduardo César Almada; Bertoz,Francisco Antônio; Arantes,Flávia de Moraes; Reis,Patrícia Maria Pizzo
Fonte: Dental Press Editora Publicador: Dental Press Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 PT
Relevância na Pesquisa
67.26%
Dentre os diversos meios de se determinar o grau de maturação esquelética do paciente destaca-se o Método de Lamparski modificado por Hassel e Farman, em 1995, que propuseram a identificação do estágio da maturação por meio das modificações anatômicas das 2ª, 3ª e 4ª vértebras cervicais. Cientes das qualidades advogadas ao método citado surgiu o interesse em avaliar sua reprodutibilidade com o intuito de divulgá-lo e incorporá-lo como um elemento no diagnóstico e auxiliar no prognóstico dos tratamentos das más oclusões. A amostra constou de 100 telerradiografias em norma lateral de pacientes triados para tratamento ortodôntico na Faculdade de Odontologia de Araçatuba - UNESP nos períodos de 2000 e 2001. Foram incluídos pacientes de ambos os gêneros na faixa etária de 6 a 16 anos e a média de 9 anos e 7 meses. Três examinadores devidamente calibrados realizaram a avaliação das radiografias classificando-as em escores de 1 a 6. Após a análise dos resultados, os mesmos foram tabulados e submetidos ao coeficiente Kappa de concordância para avaliação inter e intra-examinador concluindo, dessa forma, a reprodutibilidade do referido método. O método de determinação da maturação esquelética por meio das vértebras cervicais mostrou-se reproduzível na avaliação do estágio em que o indivíduo se encontra na curva de crescimento.

Avaliação cefalométrica em norma lateral entre indivíduos Classe I e II esqueléticas com a maturação óssea das vértebras cervicais

Vieira,Alexandre Medeiros; Carlos,Rodrigo Generoso; Paula,Anderson Vieira de; Bothrel,José Roberto Santos; Armond,Mônica Costa; Ribeiro,Adair
Fonte: Dental Press Editora Publicador: Dental Press Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
67.37%
OBJETIVO: o objetivo deste trabalho foi averiguar a existência de diferenças no efetivo da face média (Co-A) entre indivíduos dos gêneros masculino e feminino, leucodermas, apresentando padrões esqueléticos Classe I e Classe II, na faixa etária dos sete aos treze anos, apresentando as mesmas fases de maturação óssea das vértebras cervicais. METODOLOGIA: a amostra foi formada por 160 radiografias cefalométricas laterais de indivíduos sem prévio tratamento ortodôntico ou ortopédico facial. RESULTADOS: os resultados mostraram não existir diferenças estatisticamente significantes entre os indivíduos com padrão esquelético Classe I e padrão esquelético Classe II, nem entre os gêneros masculino e feminino. Apenas a variação da medida Co-A na fase 1 (iniciação) de maturação das vértebras cervicais foi estatisticamente menor do que as demais fases (2 = aceleração, 3 = transição e 4 = desaceleração) nos dois grupos estudados. CONCLUSÃO: dessa forma, concluímos que tanto indivíduos apresentando padrões esqueléticos Classe I como Classe II, dos gêneros masculino e feminino, apresentaram o comprimento efetivo da face média semelhante, nas fases de maturação óssea das vértebras cervicais estudadas.

Maturação das vértebras cervicais e sua correlação com a idade óssea da mão e punho como indicadores no tratamento ortodôntico

Moscatiello,Vitoria Aparecida Muglia; Lederman,Henrique; Moscatiello,Rafael Andrade; Faltin Júnior,Kurt; Moscatiello,Rafael Muglia
Fonte: Dental Press Editora Publicador: Dental Press Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
67.45%
OBJETIVOS: a proposta deste estudo prospectivo, transversal e multicêntrico foi correlacionar as alterações morfológicas das vértebras cervicais C2, C3 e C4, com a idade cronológica e comparar com a idade esqueletal dos ossos da mão e punho; e verificar se existem diferenças no padrão de crescimento ósseo entre os gêneros masculino e feminino. METODOLOGIA: a amostra foi constituída por 140 pacientes, 74 do gênero feminino e 66 do masculino. A avaliação das alterações das vértebras cervicais foi feita pelo método de Hassel e Farman modificado por Baccetti, Franchi e McNamara para 5 estágios que se correlacionam com o crescimento puberal em telerradiografias cranianas em norma lateral. As radiografias da mão e punho avaliaram os eventos de ossificação por meio do método de Greulich e Pyle. RESULTADOS: os resultados demonstraram correlação dos estágios de maturação das vértebras cervicais com a idade cronológica; e correlação positiva e moderada, estatisticamente significante entre os dois métodos com r = 0,6326 (IC = 95%) e p < 0,0001. CONCLUSÕES: desta forma, pôde-se concluir que a idade aumenta proporcionalmente em relação aos estágios de maturação, sendo que a maioria dos pacientes da amostra encontrou-se no estágio II...

Morfologia das 3ª e 4ª vértebras cervicais representativa do surto de crescimento puberal

Lara,Tulio Silva; Bertoz,Francisco Antônio; Santos,Eduardo César Almada; Bertoz,André Pinheiro de Magalhães
Fonte: Dental Press Editora Publicador: Dental Press Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
67.26%
OBJETIVOS: determinar a morfologia das 3ª e 4ª vértebras cervicais representativa dos estágios de pré-pico, pico e pós-pico de velocidade de crescimento estatural, definidos previamente pelos centros de ossificação do primeiro dedo em radiografias carpais ou do dedo polegar. MÉTODOS: foram utilizadas 120 telerradiografias em norma lateral de 106 pacientes selecionados da clínica de Ortodontia Preventiva e Interceptiva da Faculdade de Odontologia de Araçatuba-UNESP e Profis/HRAC-USP que apresentavam as correspondentes radiografias carpais ou do dedo polegar. As telerradiografias foram divididas em três grupos de 40 radiografias, de acordo com os estágios maturacionais pré-pico, pico e pós-pico, definidos pela imagem do primeiro dedo. A morfologia dos corpos das 3ª e 4ª vértebras cervicais foi determinada por dois examinadores devidamente calibrados em dois tempos diferentes. CONCLUSÕES: concluiu-se que o formato retangular horizontal com borda inferior reta foi representativo do estágio de pré-pico, independentemente da vértebra analisada. Já o formato retangular horizontal com borda inferior curva, especialmente se encontrado em C4, ou o formato quadrado com borda inferior reta caracterizaram o pico de velocidade de crescimento. O formato quadrado ou...

Relação entre os índices de maturação das vértebras cervicais e os estágios de calcificação dentária

Vieira,Clarissa Lopes; Oliveira,Ana Emília Figueiredo de; Ribeiro,Cecília Cláudia Costa; Jacintho Lima,Andréa Arraes dos S.
Fonte: Dental Press Editora Publicador: Dental Press Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
67.37%
OBJETIVO: avaliar a relação entre os diferentes índices de maturação óssea das vértebras cervicais e os estágios de calcificação dentária, bem como verificar as diferenças existentes entre os gêneros, em uma amostra de indivíduos de 10 a 14 anos de idade. MÉTODOS: a amostra consistiu de telerradiografias laterais e radiografias panorâmicas de 464 indivíduos de ambos os gêneros, classificadas de acordo com os índices de maturação das vértebras cervicais descritos por Hassel e Farman (1995) e os estágios de calcificação descritos por Nolla (1960). RESULTADOS: os resultados obtidos mostraram correlação entre as variáveis estudadas (p < 0,05). CONCLUSÃO: confirmando dados da literatura, observou-se uma precocidade, tanto nos índices de maturação das vértebras cervicais quanto nos estágios de calcificação dentária para o gênero feminino em relação ao gênero masculino.

Relação da velocidade de crescimento mandibular com estágios de ossificação das vértebras cervicais

Chevarria, Marcos Gonzales
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
67.41%
Este estudo avaliou a velocidade de crescimento da mandíbula considerando a relação do crescimento com a maturação esquelética das vértebras cervicais, em indivíduos brasileiros, portadores de maloclusão de Classe I, II e III esquelética, durante o período puberal. Foram analisadas telerradiografias de perfil, obtidas em dois momentos, com intervalo de 6 a 18 meses, de 133 indivíduos, sendo 54 do gênero masculino e 79 do feminino, com idades entre 7 e 18 anos de idade. A amostra foi dividida em cinco grupos, de acordo com os estágios de maturação das vértebras. As telerradiografias de perfil foram traçadas e os pontos cefalométricos digitalizados no Software DentoFacial Planner Plus (DFL Plus, 2. 0). O ângulo ANB foi determinado para caracterização da amostra. Foram avaliadas as distâncias entre Co-Go, Go-Gn e Co-Gn entre as duas cefalometrias, obtendo-se uma taxa de crescimento anual.No tratamento estatístico utilizou-se análise de variância e teste de Tukey para comparar a velocidade de crescimento mandibular entre os estágios de maturação das vértebras cervicais e entre as classes, e teste t-student para comparar a velocidade de crescimento entre os gêneros. Os resultados indicaram que a velocidade média de crescimento da mandíbula foi maior no estágio 2 de maturação das vértebras cervicais. Os indivíduos do gênero masculino apresentaram pico de velocidade de crescimento nos estágios 2 e 3...

"Estudo da relação entre os estágios de maturidade óssea avaliados em radiografias de mão e punho e das vértebras cervicais em telerradiografias em norma lateral" ; Study of the relationship between the stages of skeletal maturation by means of hand-wrist radiography and cervical vertebrae in lateral cephalograms.

Horliana, Ricardo Fidos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/02/2005 PT
Relevância na Pesquisa
67.51%
O objetivo neste estudo foi avaliar a possível relação entre os estágios de maturidade óssea avaliados em radiografias de mão e punho e das vértebras cervicais em telerradiografias em norma lateral, em indivíduos com idade média de 13 anos e 6 meses e desvio padrão de 2 anos e 3 meses (variando de 8 anos e 6 meses a 16 anos e 11 meses). A casuística foi composta por 209 conjuntos radiográficos (radiografias de mão e punho e telerradiografias em norma lateral) tomados na mesma data para cada indivíduo . Dois avaliadores, devidamente treinados e calibrados classificaram por estágios de maturidade óssea todas as radiografias, as de mão e punho segundo Helm et al, e a avaliação das vértebras cervicais nas telerradiografias em norma lateral, segundo O’Reilly e Yaniello (1988) e Baccetti, Franchi e McNamara (2002). Considerando a classificacão de Helm et al (1971) como padrão áureo, teste de correlação de Spearman foi aplicado para verificar relação com os dois métodos que avaliam as vértebras cervicais. Os resultados indicam que houve forte correlação entre os métodos de avaliação das vértebras cervicais e de mão e punho (Rs= 0,906 para O’Reilly e Yaniello(1988) e Helm et al. (1971) e Rs= 0,889 para Baccetti...