Página 1 dos resultados de 541 itens digitais encontrados em 0.068 segundos

Modelo de intervenções educativas para o uso racional de medicamentos; Education Interventions Model for Rational Drug Use

Olivera, Carolina Maria Xaubet
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/05/2013 PT
Relevância na Pesquisa
146.16%
O farmacêutico, uma vez inserido na equipe multidisciplinar, tem um papel importante a desempenhar na educação em saúde com o objetivo de melhorar o conhecimento sobre as condições crônicas, refletindo positivamente na adesão ao tratamento e em conseqüência nos resultados clínicos e na qualidade de vida dos indivíduos. O objetivo deste estudo foi elaborar, implementar e avaliar o modelo de intervenções educativas para o uso racional de medicamentos. O estudo clínico longitudinal, prospectivo, randomizado foi conduzido por uma equipe multidisciplinar com 119 pacientes asmáticos (60/grupo controle e 59/grupo intervenção) atendidos no Ambulatório Especializado em Asma do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. A elaboração do modelo foi composto de cinco módulos contendo informações básicas sobre a doença, adesão ao tratamento proposto, medicamentos, técnicas de uso de dispositivos e cuidados com os medicamentos, complementado com material impresso e visual. O modelo foi implementado por meio de reuniões de educação dirigidas por profissional farmacêutico e avaliado de acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde. As intervenções educativas para o uso racional de medicamentos proporcionaram ao grupo intervenção o aumento de 21% no conhecimento sobre a doença e aprimoramento das técnicas de utilização dos dispositivos inalatórios com significância estatística intra e intergrupos (p<.0001). Os resultados também mostraram aumento do número de pacientes classificados como mais aderentes após a intervenção mensurada pelo Teste de Morisky Green com significância estatística (p. 0.0244) e pelo reabastecimento da receita com significância intragrupo (p = 0.0113). Em relação à função pulmonar...

Estudo da implementação do fracionamento de medicamentos no Brasil : aspectos regulatórios, acesso e uso racional; Study of medicine fractionation implement on Brazil: regulatories aspects, access and rational use

Oliveira, Nelyson Dias de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
116.19%
O setor farmacêutico brasileiro tem passado por importantes transformações nos últimos anos, entre elas a aprovação da Política Nacional de Medicamentos (PNM), a criação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a publicação da Lei de Genéricos e a aprovação da Política Nacional de Assistência Farmacêutica (PNAF). Considerando que alguns dos objetivos da PNM são o acesso que propõe disponibilidade equitativa e acessibilidade; a qualidade, segurança e eficácia e o uso racional relativos à medicamentos, é que houve a iniciativa do governo brasileiro em implementar uma estratégia na área de políticas de saúde, o fracionamento de medicamentos. Este estudo procura analisar a implementação desta estratégia e o seu decurso de 2005 a 2009, tendo como objetivos: 1) compará-lo com as propostas preconizadas pela PNM e PNAF; 2) promover um panorama do desenvolvimento e das ações atualmente realizadas; 3) refletir em conjunto com as ações desenvolvidas no Brasil nos últimos anos para a promoção do acesso e uso racional de medicamentos. Foi realizada uma pesquisa do tipo análise documental e bibliográfica por meio de um estudo sistematizado desenvolvido a partir de material bibliográfico, documentos e legislações na área de medicamentos...

Qualificação da dispensação para a promoção do uso racional de medicamentos

Marques, Carmen Lígia Firmino
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
126.13%
Em virtude da necessidade de se disponibilizar medicamentos nos serviços de atenção à saúde e da utilização racional deste insumo, torna-se imperativo organizar a Assistência Farmacêutica (AF) e reorientar a atuação do farmacêutico no Sistema Único de Saúde (SUS), aproximando-o do usuário. O objetivo deste estudo foi avaliar um treinamento em dispensação para promoção do uso racional de medicamentos, composto por sete módulos, aplicado aos farmacêuticos da rede de atenção à saúde de municípios de São Paulo. A estruturação do treinamento se deu a partir do levantamento das necessidades dos serviços de atenção à saúde em relação ao farmacêutico, da definição do seu papel nestes serviços e das competências a serem desenvolvidas para o desempenho desse papel. Para aplicação do treinamento utilizou-se o método de ensino baseado em problemas. A estratégia adotada para esta avaliação foi a aplicação de um mesmo questionário pré e pós-treinamento, seguido pela medida das diferenças encontradas nas respostas fornecidas por cada farmacêutico e pelo grupo de farmacêuticos, antes e depois do treinamento. A avaliação dos módulos de treinamentos não mostrou diferenças significativas entre as médias de acertos das questões...

Uso racional de medicamentos: relato de experiência no ensino médico da Unesc, Criciúma/SC

Franceschet-de-Sousa,Iane; Biscaro,Andressa; Biscaro,Fernanda; Fernandes,Marcelo Soares
Fonte: Associação Brasileira de Educação Médica Publicador: Associação Brasileira de Educação Médica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
126.22%
O presente estudo objetivou disseminar entre os alunos do curso de Medicina da Unesc a lógica do Uso Racional de Medicamentos e suas aplicações na prática médica. Utilizou-se como modelo o curso de formação sobre Uso Racional de Medicamentos promovido pela OMS, por meio do método didático-pedagógico da aprendizagem baseada em problemas, a mesma concepção utilizada pelo curso de Medicina da Unesc. Com apoio e financiamento da Diretoria de Pesquisa e da Diretoria de Extensão e Ação Comunitária (Unesc), o trabalho foi desenvolvido a partir de duas vertentes: a primeira visou capacitar acadêmicos do curso de Medicina na lógica do Uso Racional de Medicamentos; a segunda vertente objetivou desenvolver ações educativas na comunidade dos bairros adjacentes à universidade, envolvendo temas como Uso Racional de Medicamentos. Foram capacitados 35 alunos e realizadas intervenções na comunidade que abrangeram 689 pessoas. Os acadêmicos envolvidos neste trabalho passaram a visualizar a prescrição de medicamentos de forma mais racional e ainda adquiriram a noção da importância de priorizar uma lista de medicamentos essenciais, tendo como base condutas pautadas nas melhores evidências disponíveis.

A percepção da comunidade sobre a atuação do Serviço de Atenção Farmacêutica em ações de educação em saúde relacionadas à promoção do uso racional de medicamentos

Vinholes,Eduardo Rocha; Alano,Graziela Modolon; Galato,Dayani
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
116.19%
A educação em saúde visa democratizar o acesso ao conhecimento e tornar os indivíduos da comunidade capazes de atuar como corresponsáveis na promoção da saúde. O objetivo deste trabalho foi apresentar a experiência do Serviço de Atenção Farmacêutica em ações na comunidade com vistas a promover o uso racional de medicamentos. Utilizou-se uma abordagem qualitativa, do tipo pesquisa-ação. Realizou-se a descrição da experiência e o levantamento das percepções dos responsáveis pelos grupos envolvidos nas palestras. Foram realizadas 22 palestras alcançando 565 participantes; os temas pré-selecionados envolviam assuntos como polimedicação, automedicação e adesão terapêutica, e os que surgiram no decorrer das palestras foram classificados como temas emergentes, representados por experiências dos participantes quanto às doenças e suas formas de tratamento, os efeitos colaterais de medicamentos, o manejo não farmacológico de problemas de saúde, qualidade, segurança e eficácia de medicamentos genéricos e o acesso aos medicamentos. Na percepção dos líderes dos grupos foi mencionado que as palestras contribuíram para o uso racional de medicamentos, proporcionando a mudança de postura, segundo alguns relatos. As palestras colaboraram para reforçar que o papel da equipe de saúde não é apenas o de permitir o acesso aos medicamentos...

Informação sobre medicamentos na imprensa: uma contribuição para o uso racional?

Lage,Eloína Araújo; Freitas,Maria Imaculada de Fátima; Acurcio,Francisco de Assis
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
126.18%
O artigo tem por objetivo identificar como o tema "medicamentos" é apresentado pela imprensa e verificar a contribuição deste meio de comunicação para o uso racional de medicamentos. A pesquisa foi realizada a partir de artigos publicados por um jornal de grande circulação nacional disponibilizados em bancos de dados em CD-ROM e Internet. Os artigos que focalizaram temas relacionados a medicamentos foram selecionados e analisados pelo método de análise de conteúdo, com a identificação das categorias que emergiram no transcorrer do estudo. Este trabalho apresenta os resultados relativos a 377 textos jornalísticos que abordaram medicamentos no contexto da "medicina e saúde", em uma amostra aleatória de 1.067 artigos. Nos textos analisados, mensagens alertando para aspectos negativos relacionados ao uso de medicamentos foram menos veiculadas do que mensagens positivas. Destaca-se a necessidade de acompanhamento e avaliação da qualidade da informação veiculada pela imprensa visando ao uso racional de medicamentos.

Por que o uso racional de medicamentos deve ser uma prioridade?

Aquino,Daniela Silva de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2008 PT
Relevância na Pesquisa
126.18%
A Organização Mundial de Saúde diz que há uso racional de medicamentos quando pacientes recebem medicamentos apropriados para suas condições clínicas, em doses adequadas às suas necessidades individuais, por um período adequado e ao menor custo para si e para a comunidade. Porém, o que se observa, mostra uma realidade bastante diferente. Pelo menos 35% dos medicamentos adquiridos no Brasil são feitos através de automedicação. Os medicamentos respondem por 27% das intoxicações no Brasil e 16% dos casos de morte por intoxicações são causados por medicamentos. Além disso, 50% de todos os medicamentos são prescritos, dispensados ou usados inadequadamente, e os hospitais gastam de 15 a 20% de seus orçamentos para lidar com as complicações causadas pelo mau uso dos mesmos. A proposta de alívio imediato do sofrimento, como em um passe de mágica, é um apelo atraente, mas tem seu preço. Este preço nem sempre se restringe ao desembolso financeiro e pode ser descontado na própria saúde. Os requisitos para o uso racional de medicamentos são muito complexos e envolvem uma série de variáveis, em um encadeamento lógico. Para que sejam cumpridos, devem contar com a participação de diversos atores sociais: pacientes...

Papel do agente comunitário de saúde no controle do estoque domiciliar de medicamentos em comunidades atendidas pela estratégia de saúde da família

Laste,Gabriela; Deitos,Alícia; Kauffmann,Carla; Castro,Luís César de; Torres,Iraci Lucena da Silva; Fernandes,Luciana Carvalho
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
126.03%
O objetivo deste estudo foi avaliar o estoque domiciliar de medicamentos em comunidades atendidas pela Estratégia de Saúde da Família (ESF) em município localizado no Sul do Brasil. Foram amostrados 10% dos domicílios de cinco ESF. Os dados foram coletados por Agentes Comunitários de Saúde (ACS) através de questionário adaptado. A idade média dos entrevistados foi de 42 anos e dos moradores foi de 16 anos, destes 51% eram mulheres. Foi observada renda de 1 a 3 salários mínimos (69,1%), e escolaridade de 0 a 4 anos de estudo (42%). Dos domicílios visitados, 98,7% apresentavam pelo menos um medicamento estocado. Dos 533 lugares de guarda averiguados, 43,5% estava exposto ao calor, 39,6% a umidade, 16,5% a luz. Dos 2.717 medicamentos encontrados, 6,9% estavam vencidos, 35,3% não estavam dentro da embalagem secundária, quando esta se aplica, 67,9% não continham a presença de bula. Os fármacos analgésicos foram os mais prevalentes no estoque (21%). Os resultados nos levam a concluir que há necessidade de equipe multiprofissional para a promoção de saúde e a racionalização dos estoques domiciliares de medicamentos, sendo que o ACS é um profissional indispensável para a promoção do uso racional de medicamentos.

Uma abordagem sobre o uso de medicamentos nos livros didáticos de biologia como estratégia de promoção de saúde

Corrêa,Anderson Domingues; Caminha,Juliana dos Reis; Souza,Cristina Alves Magalhães de; Alves,Luiz Anastacio
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
126.1%
O uso inadequado de medicamentos constitui uma grande ameaça à saúde pública e os medicamentos ocupam a primeira posição dentre os agentes causadores de intoxicação no Brasil, à frente de venenos para roedores e insetos, drogas ilícitas, agrotóxicos, produtos de limpeza e alimentos estragados. Os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio (PCN+) dão grande ênfase à saúde, uma vez que encontramos o tema Medicamentos mencionado repetidas vezes em seus conteúdos. O objetivo da pesquisa foi estudar as abordagens sobre o uso de medicamentos nos livros didáticos. Foram analisados onze livros didáticos de biologia, sendo seis constituídos de volumes únicos e cinco com três volumes cada, num total de vinte e um volumes. O uso racional de medicamentos deve ser considerado um tópico importante da promoção da saúde que atinge todos os setores da sociedade, devendo ser enfatizado na educação básica. Diante disso, e com base nos presentes resultados, sugerimos que os livros didáticos analisados sejam adequados às novas legislações e que os conteúdos o URM, atendendo assim as recomendações dos PCN+. Para tanto, os livros poderiam tratar de forma concisa os temas: automedicação, adesão ao tratamento medicamentoso...

Uso racional de medicamentos entre indivíduos com diabetes mellitus e hipertensão arterial no município do Rio de Janeiro, Brasil

Mendes,Luiz Villarinho Pereira; Luiza,Vera Lucia; Campos,Mônica Rodrigues
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
136.16%
Este estudo tem como objetivo o uso racional de medicamentos (URM) entre indivíduos com Hipertensão Arterial (HA) e/ou Diabetes Mellitus (DM) atendidos em unidades básicas de saúde no município do Rio de Janeiro. Trata-se de estudo transversal utilizando os dados de inquérito domiciliar realizado de janeiro a fevereiro de 2010. Foram elaborados indicadores para mensurar a taxa de adesão ao tratamento, automedicação e cuidados domiciliares relacionados aos medicamentos. O tratamento dos dados incluiu análise uni e multivariada. Dos 547 pacientes entrevistados, 77,5% relataram não costumar deixar sobrar medicamentos e 80,3% relataram não costumar esquecer de tomá-los. Quase a totalidade dos entrevistados relataram apenas tomar medicamentos prescritos por prescritores. Metade dos pacientes não tinham medicamentos com validade vencida ou embalagem danificada no domicílio. Os testes estatísticos mostraram que houve maior uso racional entre hipertensos, indivíduos casados, que trabalham, que referem receber orientações de seu médico sobre dieta e exercício físico e que não faltaram a consultas na unidade básica de saúde nos 6 meses anteriores à pesquisa. O achados reforçam a importância da atenção primária em saúde para a promoção do URM.

Perfil e ações dos agentes comunitários de saúde para promoção do uso racional de medicamentos no âmbito da estratégia da saúde da família no município de Palmas - TO

Guimarães, Maria Sortênia Alves
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
116.29%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2014.; A inadequação no uso de medicamentos apresenta-se como sério problema de saúde pública. O foco dos sistemas de saúde não está apenas em garantir o acesso, mas, principalmente, em promover o uso racional dos medicamentos. De maneira geral, as soluções propostas para reverter ou minimizar este quadro devem passar pela educação da população. O Agente Comunitário de Saúde (ACS) conhece a realidade da comunidade e constrói junto dela processos pedagógicos, contribuindo para o uso racional de medicamentos. Este estudo analisa as ações dos ACS, referentes à orientação da comunidade sobre o uso racional de medicamentos. Foram pesquisados 246 ACS, em Palmas – TO, entre janeiro e abril de 2014. A coleta de dados foi por questionários, composto por uma parte para traçar o perfil dos ACS e de formação e informação específica sobre medicamentos e riscos da farmacoterapia e a outra para verificação dos conhecimentos dos ACS sobre o uso racional de medicamentos. O banco de dados foi construído no programa EPI-INFO, assim como tabulação dos dados e análise estatística. Verificou-se que a maioria dos ACS pertence ao gênero feminino (85...

Fatores que interferem o uso racional de medicamentos em idosos

Britto, Mayara Oliveira de Aguiar
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
146.21%
O envelhecimento é acompanhado por mudanças no perfil de morbidade da população, e isso gera aumento no consumo de medicamentos por esse grupo tornando-o mais susceptível aos problemas relacionados afarmacoterapia.Objetivo: Este trabalho trata de revisar a literatura referente aos aspectos determinantes na promoção do uso racional de medicamentos nos idosos.Metodologia: Foi realizada uma revisão bibliográfica sobre fatores determinantes para o uso racional de medicamentos em idosos. Para a revisão, foram selecionados livros da área e artigos, dissertações e teses publicados nas bases de dados: Scielo, Bireme, Pubmed, Lilacs, Medline, Biblioteca Digital de Teses e Dissertações e Portal da CAPES. Resultados:Os fatores que interferem no Uso Racional de Medicamentos (URM) que incluem a polimedicação, Reações Adversas a Medicamentos(RAMs), automedicação, falta de adesão e uso de medicamentos inapropriados para idosos que comprometem a segurança da terapêutica do paciente idoso, devem ser trabalhados de forma conjunta.Conclusão:Dada a natureza multifatorial do URM, é notável que os fatores da farmacoterapia estão associados e devem ser contemplados em conjunto. O farmacêutico deve compreender a grandeza dessa relação para o estabelecimento de práticas educativas que favoreçam o URM.; Farmácia

Uso racional de medicamentos no tratamento de obesidade

Oliveira, Evelyn Braga de
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
136.07%
A obesidade é um grave problema de saúde caracterizado pelo acúmulo excessivo de gordura. Várias causas podem ser consideradas, como dietas inadequadas, pouca atividade física e sedentarismo. Também está associada a um aumento de risco para doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes, osteoartrose, apnéia do sono, entre outras. O índice de massa corpórea acima de 25 kg/m2 é considerado Pré-obeso. O tratamento da obesidade inclui: farmacológico, não farmacológico e cirúrgico. A sibutramina, um medicamento sacietógeno disponível para o tratamento em longo prazo, foi proibido pela Agência Européia de Medicamentos por colocar em risco pacientes com problemas cardíacos, no Brasil ainda não foi proibido, mas a ANVISA recomendou para os profissionais de saúde para que tivessem cuidado ao receitar esse medicamento. O uso racional de medicamentos no tratamento de obesidade é preciso estabelecer que receite o medicamento correto, forma farmacêutica, dose e tempo correto para o paciente obter um tratamento seguro e eficaz.; Farmácia

Representações sobre uso racional de medicamentos em equipes da Estratégia Saúde da Família; Representaciones sobre el uso racional de medicamentos en equipos de estrategia salud de la familia; Representations regarding the rational use of medications in family health strategy teams

Cunha, Kamila Onose Araujo; Renovato, Rogério Dias; Descovi, Marina Sampaio; Vesco, Jéssica Ribeiro Dal; Silva, Cássia Aparecida da; Missio, Lourdes; Alvarenga, Márcia Regina Martins
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2012 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
116.26%
Pesquisa qualitativa, descritiva e exploratória, cujo objetivo foi conhecer e compreender as representações sobre o uso racional de medicamentos em três equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF) da zona urbana do município de Dourados-MS, tendo como aporte teórico o conceito de representações de Stuart Hall. Como técnica utilizaram-se os grupos focais, e a avaliação de dados deu-se a partir da análise temática, modalidade da análise de conteúdo. Participaram da pesquisa 26 componentes. Verificou-se que os profissionais destacaram papel curativo e aspectos negativos dos medicamentos. Também apresentaram representações acerca dos pacientes, relatando que não compreendem o uso correto dos medicamentos, não aderem ao tratamento e se automedicam. Nota-se a necessidade de implantação de práticas educativas em saúde para promoção do uso racional de medicamentos.; Investigación cualitativa, descriptiva y exploratoria, cuyo objeto fue conocer y comprender las representaciones sobre el uso racional de medicamentos en tres equipos de la Estrategia Salud de la Familia (ESF) da la zona urbana del municipio de Dourados-MS, teniendo como aporte teórico el concepto de representaciones de Stuart Hall. Como técnica...

Representações sociais de professores sobre o uso racional de medicamentos

Magalhães,Alexandra; Lunet,Nuno; Silva,Susana
Fonte: ArquiMed - Edições Científicas AEFMUP Publicador: ArquiMed - Edições Científicas AEFMUP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
126.28%
Perante a constatação do uso indevido de medicamentos, prejudicando a saúde das pessoas e desperdiçando recursos, e a escassez de políticas básicas neste domínio, desde 2001 que a Organização Mundial de Saúde sugere um investimento na educação para a saúde para promover o uso racional de medicamentos. O objetivo deste estudo foi conhecer as representações sociais de professores sobre o uso racional de medicamentos. Realizaram-se 15 entrevistas semiestruturadas a docentes com responsabilidades na educação para a saúde no Porto, Portugal, entre janeiro e maio de 2012. Indagaram-se os significados atribuídos ao uso racional de medicamentos e os conhecimentos e atitudes acerca de medicamentos genéricos, medicamentos não sujeitos a receita médica e medicamentos adquiridos através da internet, atendendo às especificidades quanto à segurança, efetividade e facilidade de acesso. Procedeu-se a uma análise de conteúdo temática, registando-se a frequência de respostas semelhantes e os excertos mais ilustrativos. Identificaram-se lacunas em conhecimentos específicos sobre o uso racional de medicamentos e relatos heterogéneos acerca da mediação profissional e da adesão à terapêutica. Predominaram referências a experiências pessoais...

Papel do agente comunitário de saúde no controle do estoque domiciliar de medicamentos em comunidades atendidas pela estratégia de saúde da família

Laste,Gabriela; Deitos,Alícia; Kauffmann,Carla; Castro,Luís César de; Torres,Iraci Lucena da Silva; Fernandes,Luciana Carvalho
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
126.03%
O objetivo deste estudo foi avaliar o estoque domiciliar de medicamentos em comunidades atendidas pela Estratégia de Saúde da Família (ESF) em município localizado no Sul do Brasil. Foram amostrados 10% dos domicílios de cinco ESF. Os dados foram coletados por Agentes Comunitários de Saúde (ACS) através de questionário adaptado. A idade média dos entrevistados foi de 42 anos e dos moradores foi de 16 anos, destes 51% eram mulheres. Foi observada renda de 1 a 3 salários mínimos (69,1%), e escolaridade de 0 a 4 anos de estudo (42%). Dos domicílios visitados, 98,7% apresentavam pelo menos um medicamento estocado. Dos 533 lugares de guarda averiguados, 43,5% estava exposto ao calor, 39,6% a umidade, 16,5% a luz. Dos 2.717 medicamentos encontrados, 6,9% estavam vencidos, 35,3% não estavam dentro da embalagem secundária, quando esta se aplica, 67,9% não continham a presença de bula. Os fármacos analgésicos foram os mais prevalentes no estoque (21%). Os resultados nos levam a concluir que há necessidade de equipe multiprofissional para a promoção de saúde e a racionalização dos estoques domiciliares de medicamentos, sendo que o ACS é um profissional indispensável para a promoção do uso racional de medicamentos.

Uso racional de medicamentos entre indivíduos com diabetes mellitus e hipertensão arterial no município do Rio de Janeiro, Brasil

Mendes,Luiz Villarinho Pereira; Luiza,Vera Lucia; Campos,Mônica Rodrigues
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
136.16%
Este estudo tem como objetivo o uso racional de medicamentos (URM) entre indivíduos com Hipertensão Arterial (HA) e/ou Diabetes Mellitus (DM) atendidos em unidades básicas de saúde no município do Rio de Janeiro. Trata-se de estudo transversal utilizando os dados de inquérito domiciliar realizado de janeiro a fevereiro de 2010. Foram elaborados indicadores para mensurar a taxa de adesão ao tratamento, automedicação e cuidados domiciliares relacionados aos medicamentos. O tratamento dos dados incluiu análise uni e multivariada. Dos 547 pacientes entrevistados, 77,5% relataram não costumar deixar sobrar medicamentos e 80,3% relataram não costumar esquecer de tomá-los. Quase a totalidade dos entrevistados relataram apenas tomar medicamentos prescritos por prescritores. Metade dos pacientes não tinham medicamentos com validade vencida ou embalagem danificada no domicílio. Os testes estatísticos mostraram que houve maior uso racional entre hipertensos, indivíduos casados, que trabalham, que referem receber orientações de seu médico sobre dieta e exercício físico e que não faltaram a consultas na unidade básica de saúde nos 6 meses anteriores à pesquisa. O achados reforçam a importância da atenção primária em saúde para a promoção do URM.

Informação sobre medicamentos na imprensa: uma contribuição para o uso racional?

Lage,Eloína Araújo; Freitas,Maria Imaculada de Fátima; Acurcio,Francisco de Assis
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
126.18%
O artigo tem por objetivo identificar como o tema "medicamentos" é apresentado pela imprensa e verificar a contribuição deste meio de comunicação para o uso racional de medicamentos. A pesquisa foi realizada a partir de artigos publicados por um jornal de grande circulação nacional disponibilizados em bancos de dados em CD-ROM e Internet. Os artigos que focalizaram temas relacionados a medicamentos foram selecionados e analisados pelo método de análise de conteúdo, com a identificação das categorias que emergiram no transcorrer do estudo. Este trabalho apresenta os resultados relativos a 377 textos jornalísticos que abordaram medicamentos no contexto da "medicina e saúde", em uma amostra aleatória de 1.067 artigos. Nos textos analisados, mensagens alertando para aspectos negativos relacionados ao uso de medicamentos foram menos veiculadas do que mensagens positivas. Destaca-se a necessidade de acompanhamento e avaliação da qualidade da informação veiculada pela imprensa visando ao uso racional de medicamentos.

Uma abordagem sobre o uso de medicamentos nos livros didáticos de biologia como estratégia de promoção de saúde

Corrêa,Anderson Domingues; Caminha,Juliana dos Reis; Souza,Cristina Alves Magalhães de; Alves,Luiz Anastacio
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
126.1%
O uso inadequado de medicamentos constitui uma grande ameaça à saúde pública e os medicamentos ocupam a primeira posição dentre os agentes causadores de intoxicação no Brasil, à frente de venenos para roedores e insetos, drogas ilícitas, agrotóxicos, produtos de limpeza e alimentos estragados. Os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio (PCN+) dão grande ênfase à saúde, uma vez que encontramos o tema Medicamentos mencionado repetidas vezes em seus conteúdos. O objetivo da pesquisa foi estudar as abordagens sobre o uso de medicamentos nos livros didáticos. Foram analisados onze livros didáticos de biologia, sendo seis constituídos de volumes únicos e cinco com três volumes cada, num total de vinte e um volumes. O uso racional de medicamentos deve ser considerado um tópico importante da promoção da saúde que atinge todos os setores da sociedade, devendo ser enfatizado na educação básica. Diante disso, e com base nos presentes resultados, sugerimos que os livros didáticos analisados sejam adequados às novas legislações e que os conteúdos o URM, atendendo assim as recomendações dos PCN+. Para tanto, os livros poderiam tratar de forma concisa os temas: automedicação, adesão ao tratamento medicamentoso...

Por que o uso racional de medicamentos deve ser uma prioridade?

Aquino,Daniela Silva de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2008 PT
Relevância na Pesquisa
126.18%
A Organização Mundial de Saúde diz que há uso racional de medicamentos quando pacientes recebem medicamentos apropriados para suas condições clínicas, em doses adequadas às suas necessidades individuais, por um período adequado e ao menor custo para si e para a comunidade. Porém, o que se observa, mostra uma realidade bastante diferente. Pelo menos 35% dos medicamentos adquiridos no Brasil são feitos através de automedicação. Os medicamentos respondem por 27% das intoxicações no Brasil e 16% dos casos de morte por intoxicações são causados por medicamentos. Além disso, 50% de todos os medicamentos são prescritos, dispensados ou usados inadequadamente, e os hospitais gastam de 15 a 20% de seus orçamentos para lidar com as complicações causadas pelo mau uso dos mesmos. A proposta de alívio imediato do sofrimento, como em um passe de mágica, é um apelo atraente, mas tem seu preço. Este preço nem sempre se restringe ao desembolso financeiro e pode ser descontado na própria saúde. Os requisitos para o uso racional de medicamentos são muito complexos e envolvem uma série de variáveis, em um encadeamento lógico. Para que sejam cumpridos, devem contar com a participação de diversos atores sociais: pacientes...