Página 1 dos resultados de 27 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Michael Walzer : a teoria da guerra justa e o terrorismo

Costa, Maria de Fátima Machado da
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 12/12/2005 POR
Relevância na Pesquisa
26.88%
Dissertação mestrado em Filosofia; Esta dissertação tem como principal objectivo analisar as problemáticas morais subjacentes à guerra e ao terrorismo, a partir da perspectiva de Michael Walzer. A teoria da guerra justa de Walzer relaciona-se com a defesa de uma dualidade moral que integra um universalismo moral minimalista e um particularismo moral maximalista. A concepção de moralidade mínima walzeriana manifesta-se na teoria da guerra justa por meio da protecção universal dos direitos, nomeadamente, dos direitos à vida e à liberdade e do direito à autodeterminação política. A defesa do particularismo moral conduz à condenação das guerras agressivas e da ingerência na organização política de outro Estado, que se traduz na tese da integridade comunitária, na valorização da soberania e no princípio da não-intervenção. Confrontamos a perspectiva deontologista da guerra de Walzer com as éticas utilitaristas e com as teorias que rejeitam o carácter moral da guerra, tais como o realismo político e o pacifismo, para, em seguida, problematizar as relações da doutrina das emergências supremas com o realismo e o utilitarismo. As principais questões morais suscitadas pela guerra são analisadas à luz da tensão entre universalismo e particularismo subjacentes às três divisões da teoria da guerra justa: a teoria do jus ad bellum...

Pais e valores: um estudo no pré-escolar

Garcia, Maria João Pereira
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
26.42%
Tese de mestrado, Educação (Formação Pessoal e Social), Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2009; Têm-se verificado inúmeras alterações na sociedade nos últimos anos. Também a instituição familiar sofreu alterações significativas. Esse trabalho centra-se num subsistema familiar de extrema importância: os pais. Assim, o presente estudo tem como principal objectivo compreender quais os valores que os progenitores dizem privilegiar e como dizem promover a formação desses valores nos filhos. Optando por um paradigma interpretativo de natureza qualitativa, o estudo envolveu três mães de filhos em idade pré-escolar (três, quatro e cinco anos) e desenrolou-se em vários momentos ou fases distintas. Primeiramente, foi pedido a estas mães que registassem alguns momentos de vivência em família onde estivessem envolvidos valores, a que chamámos de Registos Escritos de Vivências Familiares; seguidamente, foram realizadas entrevistas semidirectivas a cada uma das mães participantes deste estudo. Aplicou-se, ainda, um questionário sobre quais os valores que os pais gostariam que os filhos manifestassem quando adultos (Suizzo, 2004), a todos os pais das crianças de pré-escolar, isto é, das salas de três...

Human values and opposition towards immigration in Europe

Ramos, Alice, 1963-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 ENG
Relevância na Pesquisa
16.42%
Tese de doutoramento, Ciências Sociais (Sociologia Geral), Universidade de Lisboa, Instituto de Ciências Sociais, 2011; Three main objectives underlie this thesis: 1) understand opposition towards immigration in Europe; 2) test the hypothesis that human values contribute to the understanding of opposition towards immigration over and above other social factors; 3) undertake this analysis from a multilevel perspective. From these three objectives we derived two main hypotheses: a) at the individual level, values have an impact on opposition towards immigration over and above other important factors; b) the effect of values is maintained over and above other important factors, also when socio-structural factors are included in the statistical models. In other words, we contrast values with other theoretical models (economic self-interest and social capital) and include values at the individual level in multilevel models; two strategies that we have not seen developed in the literature produced to date. Data from the three first Rounds of the European Social Survey (2002- 2004-2006) was used to test both hypotheses; multilevel analysis was performed in order to analyse the effect of individual and socio-structural variables on opposition towards immigration. Results showed that these attitudes are mainly associated to individual variables: the values of universalism stem negative attitudes towards immigrants while conservation values boost them; moreover human values have an effect on opposition towards immigration over and above other important individual and socio-structural factors. We extended the analysis of the impact of human values to the study of racial prejudice and threat perceptions...

As objeções de Albrecht Wellmer à Ética do Discurso e a filosofia moral fundamentada em uma teoria do reconhecimento social

Holmes,Pablo
Fonte: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
56.79%
Este artigo trata das críticas, elaboradas por Albrecht Wellmer, ao tipo de teoria moral baseada em princípios universalistas. Inicialmente, é abordada sua tentativa de uma reelaboração da própria idéia de universalismo moral, para depois esboçar a radicalidade de sua crítica a qualquer moral universalista. Nesse ponto, a Ética do Discurso de Jürgen Habermas, é que lhe serve de objeto. Por fim, também a partir de Wellmer, apontam-se possíveis alternativas a esse tipo de ética, sobretudo, a formulação de um ponto de vista moral fundamento numa teoria do reconhecimento social.

O universalismo ético: Kohlberg e Habermas

Venturi,Gustavo
Fonte: CEDEC Publicador: CEDEC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1995 PT
Relevância na Pesquisa
26.42%
Examina-se a concepção de universalismo ético a que Lawrence Kohlberg chegou em suas pesquisas sobre o desenvolvimento do pensamento moral, sobretudo a idéia de que esse desenvolvimento, em todos os seres humanos, culmina em uma moralidade "pós-convencional" concebida em termos de princípios de justiça. Discutem-se algumas das tentativas que foram feitas de submeter essa concepção à verificação empírica e a apreciação crítica que dela fez Jürgen Habermas.

Diversidade cultural, patrimônio cultural material e cultura popular: a Unesco e a construção de um universalismo global

Alves,Elder Patrick Maia
Fonte: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília Publicador: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.71%
Este artigo procura situar o advento e a operacionalização de uma formação discursiva responsável pela emergência de um novo universalismo global. Tal universalismo traz como imperativo ético-moral a defesa e a promoção de valores como a diversidade cultural. Para compreender as implicações políticas e culturais desse universalismo, este trabalho elege como eixo empírico a atuação da Organização das Nações Unidas Para Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), destacando as ações dessa organização na coordenação e dinamização de um trânsito simbólico e discursivo transnacional envolvendo governos, organizações não-governamentais e grupos políticos.

Universalismo versus relativismo no julgamento moral

Biaggio,Angela M. B.
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
36.87%
Este trabalho analisa a posição de diversos autores que têm-se destacado no estudo do julgamento moral, quanto à questão do universalismo versus relativismo. Há valores universais? Há uma seqüência evolutiva de estágios de maturidade moral que se encontre em todas as culturas? Com base em análises e críticas de James Rest, Orlando Lourenço, Lutz Eckensberger e John Snarey, são analisadas posições universalistas, como as de Piaget e Kohlberg (com seus fundamentos em Kant) e as posições relativistas, tendo como ponto extremo a de Shweder. Entre os dois campos extremos são comentadas as posições de Turiel, Gilligan, e outros autores.

A luta pelo reconhecimento: uma crítica universalista ao argumento multiculturalista contemporâneo

Gomes Leite, Rodrigo; André Barreto Campelo de Melo, Marcus (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.42%
Muitos trabalhos vindos da teoria política contemporânea dão atenção especial a políticas de reconhecimento. Esta tese tem como foco uma analise da relação entre teoria política e o argumento multiculturalista contemporâneo. Começo com uma análise do paradigma d A Política do Reconhecimento de Charles Taylor e suas fontes teóricas e considero outros contemporâneos teóricos do reconhecimento com suas respectivas fontes teóricas como: Axel Honneth, Nancy Fraser, Will Kimlicka, John Rawls, e Jürgen Habermas. Posteriormente volto a analisar a interdependência entre reconhecimento, teoria crítica e universalismo de direitos. Em minha visão este é o único caminho rumo a um reconhecimento autêntico em sociedades democráticas, liberais e pluralistas

M??dulo 2 - relativismo de valores y universalismo de principios en la pr??ctica administrativa: curso ??tica y administraci??n p??blica en Am??rica Latina

Motta, Paulo Roberto (conteudista, 2012)
Fonte: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP) Publicador: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP)
Tipo: M??dulo Completo
IDIOMA::ESPANHOL:ESPA??OL:ES
Relevância na Pesquisa
36.32%
Este trabajo se ocupa de los conceptos de ??tica y moral bajo la perspectiva de los principios y valores que permean la actuaci??n del servidor p??blico en la Administraci??n P??blica; la naturaleza sociocultural de esos conceptos referente a la diversidad de valores y principios universales que puedan ser adoptados en la pr??ctica administrativa; N??mero de p??ginas: 8 p.; ??tica P??blica

Habermas y el universalismo moral

Prior Olmos, Ángel
Fonte: Murcia: Universidad, Secretariado de Publicaciones Publicador: Murcia: Universidad, Secretariado de Publicaciones
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
26.15%

Razones de la moral y exigencias de la vida : Kant contra Nietzsche

Sánchez Meca, Diego
Fonte: Murcia: Universidad, Secretariado de Publicaciones Publicador: Murcia: Universidad, Secretariado de Publicaciones
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
36.46%
El rechazo de Nietzsche al universalismo moral kantiano se debe a que reduce la esencia del hombre a la del tipo gregario y nihilista que impide el progreso hacia el superhombre. Por eso le opone un «inmoralismo» de la singularidad cuyas virtudes están en armonía con la afirmación dichosa del carácter móvil y perspectivista de la vida. Inmoralismo no tiene por qué significar, por tanto, negación de toda moral, sino que puede significar moralidad reductible a estética, o sea, reducción genealógica de la moral al juicio de gusto por oposición al imperativo categórico. No obstante, lo que distancia y distingue más que nada a estas dos propuestas morales es su atenimiento diferente, la una a la seguridad, la otra al riesgo. Riesgo y seguridad son la expresión de dos genealogías opuestas: proceden de dos tipos humanos diferentes y dan lugar a formas distintas de humanidad

En el corazón de la libertad: El universalismo kantiano desde una aproximación de género

Villarmea Requejo, Stella
Fonte: UNED Publicador: UNED
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
26.15%
La ética universalista sostiene que no hay distinciones morales que quepa atribuir a la diferencia genérica. La concepción de la ley moral que defiende Kant va unida al respetoy protección de las necesidades individuales (no del agente, sino de quienes le rodean). La apelación al imperativo categórico revela numerosos defectos morales en el trato que reciben las mujeres en virtud de su género.

Notas sobre la universalidad de los derechos humanos

Lema Añón, Carlos
Fonte: Universidade Carlos III de Madrid Publicador: Universidade Carlos III de Madrid
Tipo: info:eu-repo/semantics/publishedVersion; info:eu-repo/semantics/workingPaper
Publicado em //2011 SPA
Relevância na Pesquisa
26.15%
Proyecto Consolider-Ingenio 2010 “El tiempo de los derechos” (CSD2008-00007) y “Derechos humanos y grupos vulnerables. La idea de vulnerabilidad en el discurso y la práctica de los derechos” CCG10-UC3M/ENE-5126.

Humanidad y barbarie. De la 'barbarie cultural' a la 'barbarie moral'

P??rez Tapias, Jos?? Antonio
Fonte: Pedro G??mez Publicador: Pedro G??mez
Tipo: Artigo de Revista Científica
SPA
Relevância na Pesquisa
46.83%
Las guerras que azotan lo que era la antigua Yugoslavia, as?? como los fen??menos de racismo y xenofobia de nuestro entorno m??s inmediato, obligan a repensar la barbarie, y ello como parte de la estrategia moral que ha de suponer movilizarse activamente contra ella. El t??rmino ??barbarie?? se ha utilizado desde mucho tiempo atr??s para designar un comportamiento que aparece como no humano. Tal uso, cargado de ambig??edad, se ha ido desplazando desde la descalificaci??n de los otros como ??no civilizados?? hasta la recusaci??n de todo comportamiento in-humano respecto al otro, que des-humaniza en primer lugar a quien lo protagoniza. Si en el primer sentido (barbarie cultural) el uso del t??rmino no es aceptable, el segundo (barbarie moral) es el que hoy resulta, en cambio, pertinente. Y cuando empleamos as?? la noci??n de barbarie, para denunciar comportamientos que violan derechos humanos fundamentales, nos estamos comprometiendo con un universalismo moral que reconoce validez transcultural a la exigencia de respeto incondicional a la dignidad de cada individuo. Tal es el n??cleo ??tico del renovado humanismo que hay que hacer valer frente a la barbarie que ??desde dentro?? de nuestra cultura emerge amenazante para todos.; The wars that wiped out the former Yugoslavia...

MULTICULTURALISMO E DIREITOS HUMANOS

da Cruz, André Viana; Universidade Federal do Paraná
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 10/01/2007 POR
Relevância na Pesquisa
16.41%
Mediante a compreensão do fenômeno cultural, é possível situar ereconhecer a diversidade existente no mundo, e sob a premissa da pluralidade devecaminhar o entendimento dos direitos humanos. Cultura é o processo acumulativoresultante de toda a experiência histórica das gerações anteriores, e os direitoshumanos não podem adotar um critério universalista, consagrando a concepção deum ser abstrato, em um determinado estágio de civilização, conforme concebido eerigido na Declaração Universal dos Direitos Humanos. Nem todos os povos eculturas estavam incluídos no estabelecimento do conteúdo dado aos direitoshumanos, que poderiam servir à afirmação da hegemonia ocidental. A concepçãouniversalista defende, em última análise, o projeto da modernidade porque nãoreconhece o relativismo cultural das coletividades envolvidas na tutela e garantia dosdireitos em lume. Para o relativista é ilusória a convicção das teorias-padrão defilosofia moral da era moderna de que poderia fundamentar uma moral universalista.Sob os cânones universalistas...

Hume e o universalismo na moral: por uma alternativa não kantiana

Brito, Adriano Naves
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.82%
http://dx.doi.org/10.5007/1677-2954.2008v7n2p123O texto é uma defesa, inspirada em Hume, da naturalização de valores morais, especificamente da universalidade e da igualdade. Tomo a posição de Tugendhat a respeito da relação entre afetos e julgamentos morais como o ponto de partida para explicitar o problema central da naturalização na moralidade, que é a naturalização dos valores. Mostro, então, que a assunção de uma assimetria entre afetos e razão, em favor desta última, é a nota característica da tradição kantiana, cujo núcleo é uma teoria antinaturalista de valor. Discuto, em seguida, em favor de naturalismo moral de Hume, mas indico suas limitações em esclarecer distinções morais a respeito das virtudes artificiais. Por fim, concluo apresentando uma análise naturalizada do universalismo e do igualitarismo baseada na assimetria entre a culpa e a indignação.

Habemus habermas: o universalismo ético entre o naturalismo e a religião

Oliveira, Nythamar de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 14/07/2009 POR
Relevância na Pesquisa
36.32%
http://dx.doi.org/10.5007/1677-2954.2009v8n1p31The article revisits Habermas’s recasting of moral universalism, so as to avoid the aporias of naturalism and cultural relativism, according to a pragmatic-formal perspective that does justice to the complex phenomenon of religion in a postsecular, pluralist world, where believers, atheists, and agnostics can coexist together and actively participate in the construction of a more tolerant, just society.

Diversidade cultural, patrimônio cultural material e cultura popular: a Unesco e a construção de um universalismo global

Alves, Elder
Fonte: Universidade de Brasilia Publicador: Universidade de Brasilia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 19/04/2011 POR
Relevância na Pesquisa
26.65%
Este artgo procura situar o advento e a operacionalização de uma for- mação discursiva responsável pela emergência de um novo universalismo glo- bal. Tal universalismo traz como imperatvo étco-moral a defesa e a promoção  de valores como a diversidade cultural. Para compreender as implicações polí- tcas e culturais desse universalismo, este trabalho elege como eixo empírico a  atuação da Organização das Nações Unidas Para Educação, a Ciência e a Cultura  (UNESCO), destacando as ações dessa organização na coordenação e dinamiza- ção de um trânsito simbólico e discursivo transnacional envolvendo governos,  organizações não-governamentais e grupos polítcos

Vigencia de la filosofía de Kant en dos expresiones actuales de la inteligencia filosófica en América Latina: Arturo Andrés Roig y Franz J. Hinkelammert

Acosta,Yamandú
Fonte: Estudios de filosofía práctica e historia de las ideas Publicador: Estudios de filosofía práctica e historia de las ideas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 ES
Relevância na Pesquisa
26.82%
Al cumplirse doscientos años de la muerte de Immanuel Kant 2004), considerar la vigencia de su pensamiento filosófico, se constituyó en un imperativo categórico, para quienes nos inscribimos en la tradición de la filosofía occidental. En cumplimiento del mismo, el texto que se presenta se ocupa de la vigencia de la filosofía del filósofo de Königsberg a través de la consideración de dos expresiones de la inteligencia filosófica en América Latina: Arturo Andrés Roig (Mendoza, Argentina, 1922) y Franz J. Hinkelammert (Emsdetten, Alemania,1931). Los programas de investigación en curso de los dos autores elegidos, en el abordaje y desarrollo de distintos tópicos, proceden argumentativamente desde, contra y más allá de Kant, exhibiendo una singular vigencia de su filosofía al interior de los mismos. En el pensamiento de Arturo Andrés Roig, los tópicos de referencia que se consideran son: la normatividad del pensamiento filosófico, la filosofía de la historia, la fundamentación de una moral emergente y la fundamentación de una estética motivacional. De la producción teórica de Franz J. Hinkelammert, se presentan: la crítica a la razón utópica y el realismo político, la crítica trascendental de los marcos categoriales de los pensamientos sociales...

Universalismo y particularismo en la ética de Kant

De Zan,Julio
Fonte: Tópicos Publicador: Tópicos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 ES
Relevância na Pesquisa
36.73%
Este artículo plantea (1) el problema de la fundamentación de la ética en la situación del pluralismo de la sociedad moderna y contemporánea. Se analizan luego (2) dos tipos de respuesta a este problema: el comunitarismo como la ética identitaria de un nosotros, y el contractualismo como la ética de los intereses de los socios, los cuales se presentan como teorías rivales frente al universalismo de la moralidad kantiana. Se muestra sin embargo (3) cómo el propio Kant había trabajado ya en distintos planos de la integración humana con los dos modelos del contrato social y de la comunidad ética, y los había articulado en su sistema. El principio universal de la moralidad (4) se ubica en cambio en el meta-nivel de la gramática profunda del ethos de las comunidades y de los contratos (Metaphysik der Sitten). Se observa finalmente (5) que los textos éticos fundamentales de Kant no han tratado de manera explícita el problema hermenéutico del juicio moral en los contextos de acción. Se analizan no obstante algunos pasajes de la Grundlegung y la Segunda Parte de la Crítica de la Razón Práctica, en los que hay indicaciones precisas sobre este problema. Se sostiene que la observada laguna se puede sortear mediante la ampliación de los alcances de la doctrina del juicio reflexivo del gusto estético de la primera parte de la Tercera Crítica...