Página 1 dos resultados de 206 itens digitais encontrados em 0.088 segundos

A Fisioterapia nas Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais

Fonseca, Andreia Fátima Moreira
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
146.37%
Projeto de Graduação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Licenciada em Fisioterapia; Atualmente é muito frequente o nascimento de bebés muito prematuros e que nascem com muito baixo peso e que depois de 28 dias de vida continuam a necessitar dos cuidados neonatais. A neonatologia evoluiu bastante nos últimos anos, obtendo índices de mortalidade e morbilidade mais reduzidos. No mundo por ano nascem 20 milhões de crianças prematuramente. O aumento da sobrevivência de bebés cada vez mais prematuros faz com que o tempo de internamento destes bebés seja maior principalmente devido a imaturidade pulmonar. A fisioterapia é uma área da saúde relativamente recente e muito mais recente é a atuação do fisioterapeuta nas unidades de cuidados intensivos neonatais. A fisioterapia tem tido algum sucesso tanto na prevenção como no tratamento de problemas dos bebés prematuros. O principal objetivo desta revisão é demonstrar quais as principais consequências e quais os procedimentos de fisioterapia dentro de uma unidade de cuidados neonatais e demonstrar a sua efetividade. Currently it’s frequent the birth of babies who are born preterm and with very low weight and that after 28 days still require neonatal care. The neonatology has evolved considerably in recent years...

A massagem como forma de influência positiva na relação da tríade numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais

Machado, Cidália Maria de Oliveira
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 05/01/2012 POR
Relevância na Pesquisa
116.45%
Com os progressos tecnológicos no campo da medicina neonatal, são cada vez mais os bebés prematuros com hipóteses de sobrevivência, e cada vez mais precoce a sua idade gestacional. Tendo como premissa que a família constitui um pilar básico na estrutura da nossa sociedade, para o enfermeiro que presta cuidados numa Unidade de Cuidados Neonatais, é essencial que os cuidados prestados assentem numa lógica de cuidados centrados na família. O cuidado centrado na família impulsiona uma mudança, da família como recipiente passivo para a família como participante activo nos cuidados ao seu bebé, representando uma abordagem holística dos cuidados; capacitando e empoderando as famílias; eleva a posição dos pais na UCIN a parceiros dos profissionais de saúde, com o objectivo comum de prestar os melhores cuidados possíveis ao bebé. Este relatório tem como finalidade analisar o trabalho desenvolvido sobre a temática: A massagem como forma de influência positiva na relação da tríade numa unidade de cuidados intensivos neonatais desenvolvido em contexto de trabalho, no estágio de Saúde Infantil e Pediatria (Módulo III – Serviço de Neonatologia), realizado na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais do Centro Hospitalar Lisboa Norte...

Infeções associadas aos cuidados de saúde numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais: avaliação da eficácia das estratégias de prevenção implementadas

Pinho, L; Pinto, J; Braga, AC; Gouveia, S; Matos, L; Pombeiro, J; Almeida, A
Fonte: Nascer e Crescer Publicador: Nascer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2013 POR
Relevância na Pesquisa
136.28%
RESUMO Introdução: Os recém-nascidos (RN) internados em unidades de cuidados intensivos (UCIN) apresentam um risco acrescido de infeções associadas aos cuidados de saúde (IACS). Na Maternidade Júlio Dinis (MJD), após ter sido constatada uma incidência elevada de IACS, efetuaram-se alterações na prática clínica diária. Objetivos: Avaliar a eficácia das estratégias de prevenção de infeção implementadas na UCIN da MJD. Material e métodos: Estudo prospetivo incluindo os RN internados na UCIN da MJD nos 16 meses anteriores (grupo 1) e nos 16 meses subsequentes (grupo 2) às intervenções, comparando-se os índices de infeção nestes dois períodos temporais. Resultados: O grupo 1, com 528 RN, e o grupo 2, com 593 RN, não mostraram diferença em relação ao peso, idade gestacional, taxa de utilização de cateter vascular central (CVC) e duração da nutrição parentérica e da ventilação invasiva. Verificou-se uma diminuição da incidência global de infeção: densidade de incidência de IACS – sépsis, pneumonia, enterocolite necrotizante e meningite – (10,0vs.6,3, p=0,0007), densidade de incidência de sépsis clínica e confirmada bacteriologicamente (9,6vs.5,9, p=0,0007), densidade de incidência de sépsis confirmada bacteriologicamente (6...

A Vertente Cirúrgica de uma Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais – 25 Anos de Experiência

Neto, MT; Trindade, MN; Serelha, M; Casella, P
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
146.29%
Introdução e objectivos: O Hospital de Dona Estefânia é um hospital pediátrico com Área de Cirurgia Pediátrica e uma Maternidade da Apoio Perinatal Diferenciado. O objectivo deste estudo prospectivo histórico é analisar a população de recém-nascidos (RN) admitidos na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN) submetidos a intervenção cirúrgicanum período de 25 anos. Métodos e doentes: Os dados foram obtidos de estudos de casuística e do ficheiro electrónico da UCIN. Foi realizada pesquisa individual pelo código de intervenção cirúrgica e pelo código de cada uma das condições cirúrgicas. Todos os RN submetidos a intervenção cirúrgica foram englobados. Cada doente foi contabilizado apenas uma vez mas as anomalias cirúrgicas major foram contabilizadas uma a uma. As taxas de letalidade são brutas, englobando-se no denominador todos os RN com a mesma anomalia, operados. Resultados: Neste período foram admitidos na UCIN 5937 RN dos quais 1140 (19.2%) foram operados. A mediana do tempo de internamento foi 30 dias. O número de RN submetidos a intervenção cirúrgica subiu de 2% dos admitidos em 1983 para 29.4% em 2007. Vinte e seis por cento do total de operados nasceram na maternidade do hospital. A patologia gastrointestinal foi a mais frequente tanto no grupo da patologia congénita como no grupo da adquirida; a patologia torácica/pulmonar ocupou o 2º lugar no grupo da patologia congénita...

Taxa de Utilização de Antibióticos numa UCIN

Rodrigues, V; Santos, S; Maia, R; Neto, MT; Serelha, M
Fonte: Pediatria Médica, Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central EPE Publicador: Pediatria Médica, Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central EPE
Tipo: Outros
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
136.24%
Introdução: Os antibióticos são dos fármacos mais prescritos em Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN). Apesar disso, os estudos sobre este assunto são escassos. Objectivos: Avaliar a taxa de utilização de antibióticos numa UCIN médico-cirúrgica. Métodos: Estudo prospectivo, observacional. Foi realizado o registo diário dos antibióticos efectivamente administrados a todos os recém-nascidos internados, durante dois períodos de 2 meses do ano de 2010. Os dados foram registados todos os dias após a segunda visita diária. Variáveis: número de doentes tratados, dias de antibióticos (AB), dias de tratamento/doente, número de cursos de AB e número de AB por doente. Resultados: Recém-nascidos internados - 113; dias de internamento - 1722; duração do internamento - 15,2 dias; 85 recém-nascidos receberam antibióticos; dias de antibióticos - 771; taxa de utilização de antibióticos - 44,8; 292 antibióticos foram prescritos; 61,8% dos doentes receberam mais de dois antibióticos e 15,3% fizeram mais de um curso. Os mais frequentes foram gentamicina, cefotaxima, ampicilina, vancomicina e metronidazol. Conclusão: A taxa de utilização de antibióticos deve ser objecto de auditorias e considerado critério de qualidade na avaliação das UCINs.

Vigilância Prospectiva da Infecção Relacionada com a Prestação de Cuidados de Saúde numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais – Uma Experiência de Seis Anos

Neto, MT; Serelha, M
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
136.34%
As infecções associadas à prestação de cuidados de saúde são ocorrências temíveis em unidades de cuidados intensivos neonatais (UCIN). A vigilância prospectiva dá aos neonatologistas um conhecimento da sua frequência, dos agentes mais comuns isolados na sua unidade e respectiva sensibilidade, influenciando de modo positivo as tentativas de controlar a sua frequência. Objectivo: Divulgar os resultados da vigilância epidemiológica da infecção de origem hospitalar numa UCIN. População e Métodos: Todos os recém-nascidos (RN) admitidos na unidade são registados, independentemente da idade gestacional, do peso ao nascer e da idade na admissão. Todos os episódios de infecção sistémica ocorridos desde a admissão até à alta são registados: sépsis, septicémia, pneumonia e meningite. É classificada como infecção de origem hospitalar a que surge 72h após a admissão. Resultados: No período de seis anos decorrido entre 2002 e 2007, foram tratados 1648 recém-nascidos a que corresponderam 27 862 dias de tratamento, 4 395 dias de ventilação e 10 537 dias de cateterismo venoso central (CVC); 261 RN eram de muito baixo peso (MBP) e 369 foram submetidos a grande cirurgia. Houve 242 episódios de infecção em 229 doentes. As taxas de infecção foram as seguintes (mediana e limites): RN infectados em % de tratados 13% (10...

A Vertente Cirúrgica de uma Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais – 25 Anos de Experiência

Neto, MT; Trindade, MN; Serelha, M; Casella, P
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
146.29%
Introdução e objectivos: O Hospital de Dona Estefânia é um hospital pediátrico com Área de Cirurgia Pediátrica e uma Maternidade da Apoio Perinatal Diferenciado. O objectivo deste estudo prospectivo histórico é analisar a população de recém-nascidos (RN) admitidos na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN) submetidos a intervenção cirúrgicanum período de 25 anos. Métodos e doentes: Os dados foram obtidos de estudos de casuística e do ficheiro electrónico da UCIN. Foi realizada pesquisa individual pelo código de intervenção cirúrgica e pelo código de cada uma das condições cirúrgicas. Todos os RN submetidos a intervenção cirúrgica foram englobados. Cada doente foi contabilizado apenas uma vez mas as anomalias cirúrgicas major foram contabilizadas uma a uma. As taxas de letalidade são brutas, englobando-se no denominador todos os RN com a mesma anomalia, operados. Resultados: Neste período foram admitidos na UCIN 5937 RN dos quais 1140 (19.2%) foram operados. A mediana do tempo de internamento foi 30 dias. O número de RN submetidos a intervenção cirúrgica subiu de 2% dos admitidos em 1983 para 29.4% em 2007. Vinte e seis por cento do total de operados nasceram na maternidade do hospital. A patologia gastrointestinal foi a mais frequente tanto no grupo da patologia congénita como no grupo da adquirida; a patologia torácica/pulmonar ocupou o 2º lugar no grupo da patologia congénita...

Taxa de Utilização de Antibióticos numa UCIN

Rodrigues, V; Santos, S; Maia, R; Neto, MT; Serelha, M
Fonte: Pediatria Médica, Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central EPE Publicador: Pediatria Médica, Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, Hospital de Dona Estefânia, Centro Hospitalar de Lisboa Central EPE
Tipo: Outros
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
136.24%
Introdução: Os antibióticos são dos fármacos mais prescritos em Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN). Apesar disso, os estudos sobre este assunto são escassos. Objectivos: Avaliar a taxa de utilização de antibióticos numa UCIN médico-cirúrgica. Métodos: Estudo prospectivo, observacional. Foi realizado o registo diário dos antibióticos efectivamente administrados a todos os recém-nascidos internados, durante dois períodos de 2 meses do ano de 2010. Os dados foram registados todos os dias após a segunda visita diária. Variáveis: número de doentes tratados, dias de antibióticos (AB), dias de tratamento/doente, número de cursos de AB e número de AB por doente. Resultados: Recém-nascidos internados - 113; dias de internamento - 1722; duração do internamento - 15,2 dias; 85 recém-nascidos receberam antibióticos; dias de antibióticos - 771; taxa de utilização de antibióticos - 44,8; 292 antibióticos foram prescritos; 61,8% dos doentes receberam mais de dois antibióticos e 15,3% fizeram mais de um curso. Os mais frequentes foram gentamicina, cefotaxima, ampicilina, vancomicina e metronidazol. Conclusão: A taxa de utilização de antibióticos deve ser objecto de auditorias e considerado critério de qualidade na avaliação das UCINs.

Vigilância Prospectiva da Infecção Relacionada com a Prestação de Cuidados de Saúde numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais – Uma Experiência de Seis Anos

Neto, MT; Serelha, M
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
136.34%
As infecções associadas à prestação de cuidados de saúde são ocorrências temíveis em unidades de cuidados intensivos neonatais (UCIN). A vigilância prospectiva dá aos neonatologistas um conhecimento da sua frequência, dos agentes mais comuns isolados na sua unidade e respectiva sensibilidade, influenciando de modo positivo as tentativas de controlar a sua frequência. Objectivo: Divulgar os resultados da vigilância epidemiológica da infecção de origem hospitalar numa UCIN. População e Métodos: Todos os recém-nascidos (RN) admitidos na unidade são registados, independentemente da idade gestacional, do peso ao nascer e da idade na admissão. Todos os episódios de infecção sistémica ocorridos desde a admissão até à alta são registados: sépsis, septicémia, pneumonia e meningite. É classificada como infecção de origem hospitalar a que surge 72h após a admissão. Resultados: No período de seis anos decorrido entre 2002 e 2007, foram tratados 1648 recém-nascidos a que corresponderam 27 862 dias de tratamento, 4 395 dias de ventilação e 10 537 dias de cateterismo venoso central (CVC); 261 RN eram de muito baixo peso (MBP) e 369 foram submetidos a grande cirurgia. Houve 242 episódios de infecção em 229 doentes. As taxas de infecção foram as seguintes (mediana e limites): RN infectados em % de tratados 13% (10...

Infeções fúngicas invasivas em cuidados intensivos neonatais

Mascarenhas, MI; Ferreira, M; Barroso, R
Fonte: Sociedade Portuguesa de Doenças Infecciosas e Microbiologia Clínica Publicador: Sociedade Portuguesa de Doenças Infecciosas e Microbiologia Clínica
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
136.23%
Introdução: A incidência de doença fúngica invasiva (DFI) em recém-nascidos (RN) pré-termo tem aumentado nas últimas décadas. Estudos recentes apoiam a implementação de profilaxia antifúngica em Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN) com elevadas taxas de DFI (>5%). Foi objectivo deste estudo determinar a incidência de DFI na UCIN do Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca, respectivos factores de risco e determinar a necessidade de implementar profilaxia antifúngica. Métodos: Estudo descritivo retrospetivo, entre 2004 e 2011, que incluiu todos os RN internados na UCIN com o diagnóstico de DFI, definida pelo isolamento de fungos no sangue, líquor ou urina. Foram analisados factores de risco, etiologia e terapêutica. Resultados: Dos 3229 RN internados neste período, 20 (0,57%) tiveram DFI, sendo que nos RN de extremo baixo peso a incidência foi de 8,6%. A mediana da idade gestacional e do peso ao nascer foi de 27 semanas (24-41s) e 775g (630-5270g), respectivamente. A mediana de dias de internamento à data do diagnóstico foi 20 dias (5-103d). Todos os RN tinham um ou mais factores de risco com uma média de seis por RN (3-7). Para além do baixo peso e idade gestacional, outros factores de risco foram : presença de cateter venoso central (100%) e administração de antibioticoterapia de largo espectro (100%). O agente etiológico foi Candida spp em 100% dos casos. Não se verificou nenhum óbito e todos os RN iniciaram terapêutica antifúngica: fluconazole (74%) ou anfotericina B lipossómica (26%). Conclusão: A taxa de incidência global de DFI observada foi semelhante à descrita na literatura. A prematuridade...

Persistência do Canal Arterial: Casuística de uma Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais

Andrade, H; Loureiro, C; Tiago, J; Henriques, R; Marinho da Silva, A; Rodrigues, D; Sá e Melo, A; Alves, RR
Fonte: Sociedade Portuguesa de Cardiologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
126.15%
OBJECTIVES: This study took place at the Neonatal Intensive Care Unit (NICU) of the Dr Daniel de Matos Maternity Hospital and evaluated the incidence of patent ductus arteriosus (PDA), the clinical evolution of the newborns affected, the treatment prescribed, and associated morbidity and mortality. METHODS: We carried out a retrospective medical chart review of newborns admitted to the NICU between January 2001 and December 2005. RESULTS: PDA was found in 69 newborns. Median gestational age (GA) was 28 weeks and birth weight (BW) 1100 grams. The diagnosis of PDA was established, on average, between the fifth and sixth day of life. Of the 53 newborns with criteria for closure, 49 had indomethacin therapy, with a success rate of 88%; surgical ligation was subsequently necessary in six of these. Thirty-eight newborns presented associated comorbidities, and eight died. CONCLUSIONS: The results obtained in this study are in agreement with the literature. In cases with GA of less than 30 weeks and/or BW below 1500g, the need for treatment for PDA closure is greater than in cases with higher GA/BW, and a more aggressive approach is required, with presymptomatic prolonged indomethacin. The results obtained in this work led us to conclude that echocardiography should be performed to screen for PDA in all newborns of less than 30 weeks or with BW below 1500g. We intend in the near future to answer a question that emerged from this study: will earlier diagnosis lead to improved outcomes?

Validade, confiabilidade e evitabilidade da causa básica dos óbitos neonatais ocorridos em unidade de cuidados intensivos da Rede Norte-Nordeste de Saúde Perinatal

Silva,Carla Maria de Castro Dias e; Gomes,Keila R. O.; Rocha,Oneide Angélica Monteiro Santos; Almeida,Isabel Marlúcia Lopes Moreira de; Moita Neto,José Machado
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
116.21%
Analisar a validade e confiabilidade da causa básica e a evitabilidade dos óbitos neonatais ocorridos em unidade de cuidados intensivos da Rede Norte-Nordeste de Saúde Perinatal (RENOSPE). A amostra foi de 53 óbitos neonatais contidos no banco de dados da RENOSPE e ocorridos em maternidade de Teresina, Piauí, Brasil. A validade foi feita comparando-se as causas da Rede com as obtidas dos prontuários, sendo calculado kappa, sensibilidade e valor preditivo positivo (VPP). Na análise da evitabilidade, foi utilizada a Lista Brasileira de Causas de Mortes Evitáveis. Quando comparadas as causas de óbitos entre RENOSPE e prontuários, o kappa foi de 47,6% para causas maternas e 73,9% para malformações congênitas, sensibilidade de 95% e 83,3%, e VPP de 88,9% e 85,7%, respectivamente. O percentual de óbitos evitáveis na RENOSPE foi elevado, sendo por adequada atenção à mulher na gestação em 72% dos casos. As causas classificadas como malformações congênitas foram válidas, e os óbitos evitáveis apontam para necessidade do controle da gravidez.

Bone Fractures in a Neonatal Intensive Care Unit; Fraturas Ósseas em uma Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais

Machado, Ângela; Serviço de Neonatologia. Hospital Pediátrico Integrado. Centro Hospitalar de São João E.P.E. Porto. Portugal.; Rocha, Gustavo; Serviço de Neonatologia. Hospital Pediátrico Integrado. Centro Hospitalar de São João E.P.E. Porto. Po
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 29/05/2015 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
156.46%
Introduction: Fractures during the neonatal period are rare. Some fractures, especially long bones, may occur during birth. Moreover, neonates hospitalized in the Neonatal Intensive Care Unit have an increased risk of fractures for several reasons.Objective: To evaluate the incidence and characterize fractures in newborns admitted in a tertiary Neonatal Intensive Care Unit.Material and Methods: A retrospective analysis of the newborns admitted to the Neonatal Intensive Care Unit with a diagnosis at discharge of one or more bone fractures from January 1996 to June 2013.Results: Eighty neonates had one or more fractures. In 76 (95%) infants the fractures were attributed to birth injury. The most common fracture was the clavicle fracture in 60 (79%) neonates, followed by skull fracture in 6 (8%). In two (2.5%) neonates, extremely low birth weight infants, fractures were interpreted as resulting from osteopenia of prematurity. Both had multiple fractures, and one of them with several ribs.Conclusion: A change in obstetric practices allied to improvement premature neonate’s care contributed to the decreased incidence of fractures in neonatal period. But in premature infants the diagnosis may be underestimated, given the high risk of fracture that these infants present.; Introdução: As fraturas ósseas são raras durante o período neonatal. Algumas das fraturas...

Off-Label and Unlicensed Drug Use in Neonatology: Reality in a Portuguese University Hospital; Uso de Fármacos Off-Label e Não Licenciados em Neonatologia: Realidade de um Hospital Universitário Português

Silva, Joana; Faculdade de Medicina. Universidade do Porto. Porto. Portugal.; Flor-de-Lima, Filipa; Faculdade de Medicina. Universidade do Porto. Porto. Portugal. Neonatology Division. Paediatric Department. Centro Hospitalar de São João/ Faculdade de M
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2015 ENG
Relevância na Pesquisa
116.29%
Introduction: This study aims to characterize the drugs used in a Portuguese Neonatal Intensive Unit Care, assess the rate of off-label or unlicensed drugs use according to the information available in the Summary of Product Characteristics and compare results between preterm and full-term neonates.Material and Methods: A 6-month period retrospective cross-sectional study was conducted in our Neonatal Intensive Unit Care in 2013. Prescribed drugs data were recorded and compared with the paediatric information contained in drugs Summary of Product Characteristics.Results: We analyzed 1011 prescriptions of 84 active substances, made in 218 admissions. In 42.9% of the cases, medicines were used according to Summary of Product Characteristics information; 27.9% of drugs were approved for neonatal period but used in an off-label manner; off-label drugs for neonates were used in 10.1%, whereas those with undetermined approval state and contraindicated were used6.0% and 8.7% of the cases, respectively. Unlicensed prescriptions accounted for 4.4% of total. Preterm received a higher rate of drugs used according to Summary of Product Characteristics (p < 0.0001), whereas full-term received more off-label drugs for dose/frequency (p < 0.0001) and contra-indicated for neonates (p < 0.012).Discussion: Preterm neonates received a higher median number of drugs...

Interacção mãe-bebé prematuro numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais

Forte Camarneiro, Ana Paula; Alexandra das Neves Alves, Catarina; Castro Ferreira, Ana Patrícia; Ferreira Gomes, Ana Isabel
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 11/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
116.19%
Os recém-nascidos prematuros, internados em Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN), ficam afastados da mãe devido às intervenções clínicas a que estão sujeitos, podendo quebrar-se a ligação que vinham estabelecendo desde a gravidez. Nesta situação, os pais e, particularmente, a mãe ao verem-se impedidos de interagir continuamente com o filho e de o cuidar conforme tinham imaginado podem desencadear reacções emocionais de culpabilidade e medo face a um bebé diferente, alterando a qualidade das interacções diádicas. Os objectivos deste estudo visam conhecer a qualidade do comportamento interactivo que se estabelece entre a mãe e o bebé prematuro nas situações face-a-face e alimentar e identificar os factores que influenciam essa interacção. É um estudo observacional, de natureza quantitativa, descritivo e correlacional, cuja amostra é constituída por 30 díades mãe-filho prematuro internado em UCIN. Aplicaram-se as Interaction Rating Scales (IRS) na versão portuguesa, que propõem a observação e avaliação da qualidade da interacção na situação face-a-face (Face-to-face Interactions) e na situação alimentar (Feeding Interactions). Verificou-se que as díades estabelecem interacções positivas e adequadas; a mãe é quem mais contribui para a interacção na situação face-a-face; existe relação positiva e significativa entre os comportamentos interactivos da mãe e do filho; os comportamentos interactivos do bebé prematuro com a mãe aumentam com a idade materna...

Monitorização Epidemiológica numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais

Barreira, Rita; M. Graça, André; Gonçalves, Cristina; Abrantes, Margarida; Gouveia, Raquel; Carvalho, Dinah; Lito, Luís; Moniz, Carlos; Cristino, José Melo; Machado, Maria do Céu
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 08/07/2015 PT
Relevância na Pesquisa
146.37%
Introdução: A infeção neonatal está associada a um aumento significativo da morbilidade e da mortalidade. O conhecimentodos agentes etiológicos com maior prevalência em cada unidade e da sua sensibilidade aos antimicrobianos é essencial paraa seleção da terapêutica. Pretendeu-se conhecer a prevalência e a sensibilidade aos antimicrobianos dos agentes isolados nosprodutos biológicos dos recém-nascidos internados numa unidade de cuidados intensivos neonatais num período de cincoanos (2007-2011), comparando-a com os resultados de um estudo anterior realizado na mesma unidade (1998-2002).Métodos: Estudo retrospetivo de todos os agentes isolados em recém-nascidos internados na unidade durante o período doestudo, a partir da análise da base de dados eletrónica do serviço de patologia clínica e do livro de registo de admissões da unidade.Resultados: A taxa de positividade global em todos os produtos biológicos aumentou de 11,1% (1998-2002) para 18,3%(2007-2011). O Staphylococcus coagulase-negativo manteve-se como o principal agente em exames culturais não superficiais.A incidência anual de isolamento de Streptococcus grupo B diminuiu progressivamente. A Escherichia coli surgiu como o principalagente isolado em urocultura e a Pseudomonas aeruginosa continuava a ser o agente mais frequentemente isolado nassecreções respiratórias. Verificou-se um padrão de sensibilidade aos antibióticos sobreponível ao encontrado numa avaliaçãosemelhante realizada num período anterior.Discussão: Os resultados do estudo permitiram não só conhecer os agentes infecciosos mais frequentemente isolados na unidade...

Comunicação na passagem de plantão da equipe de enfermagem em unidades de cuidados intensivos neonatais e fatores relacionados à segurança do paciente

Gonçalves, Mariana Itamaro
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 145 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
126.18%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2012.; Este estudo teve como objetivo avaliar os fatores relacionados à comunicação durante a passagem de plantão de enfermagem em Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIs-Neo) que podem interferir na segurança do paciente. Trata-se de uma pesquisa descritiva-exploratória, de abordagem quantitativa. A amostra foi composta por 70 profissionais de enfermagem das Equipes de UCIs-Neo de três hospitais do Sul do Brasil. O estudo compreendeu quatro etapas: elaboração dos formulários (1 e 2) de coleta de dados, entrada no campo, coleta de dados e análise dos dados. Para elaboração dos formulários de coleta de dados foram utilizadas diretrizes para a segurança do paciente da Organização Mundial da Saúde e revisão de literatura. Estes foram enviados à experts na área de segurança do paciente e/ou neonatologia para apreciação. Após isto, os mesmos foram aprimorados. A coleta de dados foi realizada nos meses de abril a maio de 2012. Para tanto, a mesma foi realizada de duas formas: com a entrega de formulário 1 de coleta de dados aos sujeitos e por meio de observação não participante...

Satisfação dos pais com os cuidados de enfermagem. Aplicação da escala de apoio dos enfermeiros aos pais na Unidade de Cuidados Intensivos e Especiais Neonatais e Pediátricos, HFF

Sousa, M
Fonte: Enfermeiros Neonatologia Área de Lisboa Publicador: Enfermeiros Neonatologia Área de Lisboa
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
146.53%
Atualmente, a percepção do cliente sobre os serviços de saúde é um factor motivador que afecta as decisões tomadas com vista à melhoria dos cuidados, havendo um foco nos cuidados centrados no cliente e na medição de resultados. Compreender a satisfação da criança e / ou família com os cuidados prestados é parte vital dos cuidados de enfermagem ao facilitar o desenvolvimento de estratégias na procura da excelência e da melhoria da qualidade (Latour, 2007), permitindo criar um ambiente colaborativo na unidade (Latour et al, 2009). A aplicação de escalas, validadas e fiáveis, podem contribuir para a aceitação da satisfação parental como um indicador de qualidade (Latour et al, 2009), essencial para a prestação de cuidados centrados na família. Compreendendo a importância da avaliação da satisfação parental com os cuidados de enfermagem, identificámos a necessidade de um instrumento específico ao contexto e sensível aos cuidados de enfermagem prestados na Unidade de Cuidados Intensivos e Especiais Neonatais e Pediátricos (UCIENP). Os estudos realizados sobre a satisfação dos pais nas UCIN’s relacionam a satisfação parental com a relação estabelecida com os enfermeiros e o apoio recebido...

Infeções associadas aos cuidados de saúde numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais: avaliação da eficácia das estratégias de prevenção implementadas

Pinho,Liliana; Pinto,Joana; Braga,Ana Cristina; Gouveia,Sónia; Matos,Luísa; Pombeiro,José; Almeida,Alexandra
Fonte: Centro Hospitalar do Porto Publicador: Centro Hospitalar do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
136.28%
Introdução: Os recém-nascidos (RN) internados em unidades de cuidados intensivos (UCIN) apresentam um risco acrescido de infeções associadas aos cuidados de saúde (IACS). Na Maternidade Júlio Dinis (MJD), apos ter sido constatada uma incidência elevada de IACS, efetuaram-se alterações na pratica clínica diária. Objetivos: Avaliar a eficácia das estratégias de prevenção de infeção implementadas na UCIN da MJD. Material e métodos: Estudo prospetivo incluindo os RN internados na UCIN da MJD nos 16 meses anteriores (grupo 1) e nos 16 meses subsequentes (grupo 2) as intervenções, comparando-se os índices de infeção nestes dois períodos temporais. Resultados: O grupo 1, com 528 RN, e o grupo 2, com 593 RN, não mostraram diferença em relação ao peso, idade gestacional, taxa de utilização de cateter vascular central (CVC) e duração da nutrição parentérica e da ventilação invasiva. Verificou-se uma diminuição da incidência global de infeção: densidade de incidência de IACS - sépsis, pneumonia, enterocolite necrotizante e meningite - (10,0vs.6,3, p=0,0007), densidade de incidência de sépsis clínica e confirmada bacteriologicamente (9,6vs.5,9, p=0,0007), densidade de incidência de sépsis confirmada bacteriologicamente (6...

Validade, confiabilidade e evitabilidade da causa básica dos óbitos neonatais ocorridos em unidade de cuidados intensivos da Rede Norte-Nordeste de Saúde Perinatal

Silva,Carla Maria de Castro Dias e; Gomes,Keila R. O.; Rocha,Oneide Angélica Monteiro Santos; Almeida,Isabel Marlúcia Lopes Moreira de; Moita Neto,José Machado
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
116.21%
Analisar a validade e confiabilidade da causa básica e a evitabilidade dos óbitos neonatais ocorridos em unidade de cuidados intensivos da Rede Norte-Nordeste de Saúde Perinatal (RENOSPE). A amostra foi de 53 óbitos neonatais contidos no banco de dados da RENOSPE e ocorridos em maternidade de Teresina, Piauí, Brasil. A validade foi feita comparando-se as causas da Rede com as obtidas dos prontuários, sendo calculado kappa, sensibilidade e valor preditivo positivo (VPP). Na análise da evitabilidade, foi utilizada a Lista Brasileira de Causas de Mortes Evitáveis. Quando comparadas as causas de óbitos entre RENOSPE e prontuários, o kappa foi de 47,6% para causas maternas e 73,9% para malformações congênitas, sensibilidade de 95% e 83,3%, e VPP de 88,9% e 85,7%, respectivamente. O percentual de óbitos evitáveis na RENOSPE foi elevado, sendo por adequada atenção à mulher na gestação em 72% dos casos. As causas classificadas como malformações congênitas foram válidas, e os óbitos evitáveis apontam para necessidade do controle da gravidez.