Página 1 dos resultados de 3251 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Efeitos de um treino aeróbio em doentes em programa de hemodiálise

Sousa, Tânia
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Saúde Publicador: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Saúde
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
A Insuficiência Renal Crónica e consequente tratamento hemodialítico tem um potencial significativo na alteração do estilo de vida destes doentes, conduzindo-os a uma dependência de cuidados de saúde e reabilitação e, eventualmente, à perda de papéis sociais, tornando a promoção de um Envelhecimento Ativo fulcral nesta população. Em virtude das alterações mencionadas torna-se imprescindível a implementação de estratégias e programas de treino de exercício físico que visem minimizar grande parte das complicações recorrentes desta síndrome e que contribuam consequentemente para uma melhoria da qualidade de vida. Esta investigação pretende avaliar os efeitos de um treino aeróbio em doentes hemodialisados com insuficiência renal crónica. A população deste estudo foi constituída pelos 100 doentes com Insuficiência Renal Crónica em programa regular de hemodiálise na clínica de hemodiálise Tecnologias e Serviços Médicos, SA, de Mirandela, sendo oferecida a todos a mesma possibilidade de participar no programa de treino. Após aplicados os critérios de exclusão resultou um grupo com condições para participar no treino, do qual foram seleccionados aleatoriamente por ordem alfabética 16 doentes...

Benefícios do treino aeróbio de alta intensidade em programas de reabilitação cardíaca em adultos

Alho, Tito Guerreiro Assunção
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.25%
A nível global, a doença cardiovascular é a causa principal de mortalidade. Foi relatada uma estimativa de 17,3 milhões de mortes causadas por doença cardiovascular (OMS, 2011). Uma das formas de prevenção é a reabilitação cardíaca, que consiste num programa supervisionado por profissionais, com o intuito de ajudar os participantes a recuperar de episódios cardíacos, cirurgia coronária e intervenções coronárias percutâneas das quais a angioplastia e “Stenting” (AHA,2011). Este relatório de estágio é constituído por duas partes que abordam temas diferentes. A primeira parte pertence à revisão Sistemática de literatura (RSL) que aborda os benefíciosdo treino aeróbio de alta intensidade em programas de reabilitação cardíaca em adultos. A segunda parte pertence a intervenção de estágio realizada no Ginásio Clube Português com especial atenção no programa de reabilitação cardíaca. Na RSL foram analisados vários estudos. Neles os principais resultados verificados na comparação entre cada tipo de treino foram os seguintes: a intervenção com intensidade moderada verificou-se o aumento do C-HDL; com o treino de força máxima, observou-se o aumento da ventilação, dos valores pico de lactato...

Efeitos do treino de força nos níveis de testosterona e cortisol

Sá, Mário Joaquim Peixoto Moreira
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Introdução: A razão entre a concentração de testosterona e cortisol é frequentemente utilizada como indicador do nível de stress imposto pelo exercício, alterações na concentração destas hormonas são responsáveis por modular diversas respostas induzidas pelo treino, como hipertrofia e ganho de força (Uchida, et al, 2004). O presente trabalho (através de dois artigos elaborados) tem como principal objetivo conhecer a associação entre o treino de força e suas implicações hormonais, em particular com dois protocolos do treino de força e as alterações que esses mesmos protocolos influenciam a produção hormonal de testosterona e cortisol. Método: Efetuou-se uma pesquisa de estudos através da fonte online da PubMed/Medline e Google Scholar entre janeiro e fevereiro de 2014 de forma a conhecer melhor os estudos associados ao treino de força e, as implicações que têm em questões hormonais, especificamente em relação à testosterona e cortisol (artigo 1) e aplicação de dois protocolos de treino de força e verificar as suas repercussões hormonais em homens adultos e saudáveis. Resultados: Dos 56 artigos identificados foram selecionados 15 para leitura integral e incluídos 7 artigos para a RSL. Para cada um extraiu-se a informação relativa ao tipo e desenho de estudo...

Efeitos de uma época competitiva, de um programa de treino compensatório e respetivo destreino na força e equilíbrio muscular dos rotadores dos ombros em jovens nadadores.

Batalha, Nuno
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
O trabalho apresentado nesta dissertação teve como principais objectivos caracterizar o perfil de força isocinética dos músculos rotadores dos ombros, avaliar o efeito de uma época de treino aquático, um período de treino de força compensatório e respetivo destreino no equilíbrio, força e resistência muscular dos mesmos grupos musculares em jovens nadadores de competição. Quarenta nadadores masculinos em idade juvenil foram inicialmente avaliados e aleatoriamente divididos em dois grupos – grupo experimental (N=20) e grupo de treino (N=20). Para além destes foi ainda avaliado um grupo de controlo (N=16) composto por indivíduos sedentários com características idênticas aos elementos dos grupos anteriores. Os nadadores do grupo experimental participaram num programa de 16 semanas de treino de força compensatório realizado com bandas elásticas Thera-Band®, tendo cumprido um período de destreino entre as 16 semanas e o final da época. O grupo de treino apenas realizou treino aquático. Em todos os grupos foi avaliada a força isocinética dos rotadores dos ombros através de ações concêntricas ao longo da época desportiva (início, meio e final da época), com a realização de dois distintos protocolos...

Exercícios de Treino Para as Situações Fixas de Jogo: Cantos Defensivos Caracterização dos Exercícios de treino

Faria, Filipe
Fonte: Escola Superior de Desporto de Rio Maior Publicador: Escola Superior de Desporto de Rio Maior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Relatório apresentado com vista à obtenção do grau de Mestre em Desporto, Especialização em Treino Desportivo - Futebol Orientador:Mestre João Paulo Azevedo da Costa; Este relatório descreve a experiência do treinador-estagiário durante o seu ano de estágio em que planeou e operacionalizou o processo de treino na equipa Júnior “A” (Sub 19) do Ginásio Clube de Alcobaça, em Alcobaça. Nele estão expressas todas as decisões e estratégias de planeamento, condução e operacionalização do processo de treino sustentadas e fundamentadas na bibliografia de autores de referência. Neste estágio o treinador-estagiário analisou oito momentos competitivos (de cariz oficial) em dois momentos diferentes do período competitivo. Assim, foi realizada uma análise a quatro jogos observando um conjunto de variáveis numa das Situações Fixas de Jogo: Cantos Defensivos. Posteriormente, foi aplicado um programa contínuo de treino durante oito microciclos para implementação de conteúdos técnico – tácticos relacionados com esta temática, com o objectivo de promover uma melhoria do rendimento desportivo da equipa. De seguida...

Efeitos de uma época competitiva, de um programa de treino compensatório e respetivo destreino na força e equilíbrio muscular dos rotadores dos ombros em jovens nadadores

Batalha, Nuno Miguel Prazeres
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
Tese de Doutoramento em Ciências do Desporto; O trabalho apresentado nesta dissertação teve como principais objectivos caracterizar o perfil de força isocinética dos músculos rotadores dos ombros, avaliar o efeito de uma época de treino aquático, um período de treino de força compensatório e respetivo destreino no equilíbrio, força e resistência muscular dos mesmos grupos musculares em jovens nadadores de competição. Quarenta nadadores masculinos em idade juvenil foram inicialmente avaliados e aleatoriamente divididos em dois grupos – grupo experimental (N=20) e grupo de treino (N=20). Para além destes foi ainda avaliado um grupo de controlo (N=16) composto por indivíduos sedentários com características idênticas aos elementos dos grupos anteriores. Os nadadores do grupo experimental participaram num programa de 16 semanas de treino de força compensatório realizado com bandas elásticas Thera-Band®, tendo cumprido um período de destreino entre as 16 semanas e o final da época. O grupo de treino apenas realizou treino aquático. Em todos os grupos foi avaliada a força isocinética dos rotadores dos ombros através de ações concêntricas ao longo da época desportiva (início, meio e final da época), com a realização de dois distintos protocolos...

Efeitos do treino excêntrico versus concêntrico na força máxima e EMG dos extensores e flexores da perna

Andrade, Alberto César Pereira de Carvalho Froufe
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Tese de Doutoramento em Ciências do Desporto e Educação Física, especialidade Ciências do Desporto; A presente dissertação teve como propósito comparar o efeito do treino concêntrico e excêntrico no desenvolvimento da força máxima dos quadricípedes e isquiotibiais. Neste sentido, e antes de aplicarmos o programa de treino, era importante analisar a fiabilidade dos equipamentos que iríamos utilizar na avaliação e treino da força. O estudo 1 mostrou que existe uma alta reprodutividade da força máxima concêntrica, isométrica e excêntrica dos extensores e flexores da perna quando avaliados no dinamómetro isocinético REV 9000 (Technogym), o que nos permite confirmar que este equipamento pode ser utilizado, com segurança, em estudos científicos e em programas de reabilitação ou desenvolvimento da força muscular. No estudo 2, também pretendíamos avaliar a fiabilidade mas agora do registo electromiográfico, concluímos que temos de ter alguma precaução na sua utilização, porque sem remover os eléctrodos a fiabilidade é considerada alta, contudo, retirando os eléctrodos a reprodutividade dos seus resultados torna-se mais baixa, provavelmente devido à nova posição dos mesmos. De todos os músculos analisados o Rectus Femoris (RF) parece ser aquele que apresenta uma menor fiabilidade. No estudo 3 comparamos o efeito do treino isocinético excêntrico vs concêntrico e concluímos que os ganhos do treino excêntrico foram superiores e mais específicos do que os ganhos do treino concêntrico...

Efeito da ordem de conjugação de um exercício do treino aeróbio com exercício de treino de força na resposta hormonal aguda

Rosa, Claudio José Vieira
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.21%
Dissertação de Mestrado em Ciências do Desporto com Especialização em Avaliação e Prescrição de Atividade Física; O treinamento concorrente tem sido amplamente utilizado em academias e em alguns esportes, sendo realizado por diversas populações. Contudo, poucos estudos avaliaram a resposta hormonal de homens treinados conjugando um exercício do treino aeróbio com o exercício de força. Com isso, o objetivo deste estudo é observar o efeito do treinamento concorrente na resposta hormonal aguda (testosterona, cortisol, hormônio do crescimento e IGFBP-3 de homens treinados. Vinte homens treinados (24±5 anos) foram divididos em 2 grupos: treino aeróbio mais força (AF, n=10) e treino de força mais aeróbio (FA, n=10). Cada grupo treinou uma única sessão de treinamento. Antes do período de treino, os sujeitos foram avaliados em parâmetros relacionados à força muscular, teste de 1RM, capacidade aeróbia, teste de lactato. Antes e após a sessão de treino era realizada a coleta sanguínea. Os resultados mostraram que houve diferença significativa nos níveis de cortisol pré e pós (G1=11,55±6,52 e 15,43±6,59) comparado ao (G2= 19,81±6,98 e 31,40±14,89) respectivamente, em que FA apresentou um aumento mais acentuado entre momentos. Houve aumento significativo de testosterona ao longo do tempo...

Avaliação da performance no treino em jogos desportivos coletivos

Abade, Eduardo André de Azevedo
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
Tese de Doutoramento em Ciências do Desporto; O planeamento a curto prazo em jogos desportivos coletivos representa um desafio para os treinadores, uma vez que o microciclo semanal inclui sessões de treino com objetivos múltiplos. A necessidade de manter ou melhorar a capacidade física, o desenvolvimento das habilidades técnicas e o treino tático, convergem numa complexidade de conteúdos que requer conhecimentos profundos acerca das suas interações, no sentido de otimizar a periodização e o planeamento do treino. Neste sentido, conhecer os perfis de carga externa e interna dos jogadores torna-se imprescindível para um planeamento dirigido à melhoria da performance desportiva. Uma vez que o treino técnico-tático é incapaz de induzir adaptações neuromusculares significativas, a primeira parte deste estudo procurou descrever os efeitos agudos que a adição de sessões específicas de treino de força teve na resposta física, fisiológica e performance técnico-tática em sessões de treino de Andebol. O treino de força mostrou-se influenciador da intensidade do esforço durante a prática dos jogos reduzidos. Os jogadores passaram mais tempo em zonas elevadas de frequência cardíaca quando existiu treino de força antecedente. Em sessões de treino com jogos reduzidos 6x6...

O Controlo biológico do treino na performance de alto rendimento no futebol

Silvério, André Alexandre Fonseca
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa Publicador: Universidade Técnica de Lisboa
Tipo: Relatório
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Mestrado em Treino Desportivo; Este relatório aborda o tema do controlo biológico do treino em alto rendimento, no futebol profissional do Estoril Praia, onde se utilizou a escala de Perceção Subjetiva de Esforço (PSE) como instrumento de monitorização. Pretendemos ao longo deste relatório demonstrar a nossa maneira de olharmos para o jogo e treino de Futebol, aplicando conhecimentos adquiridos ao longo da experiencia e do estudo nesta modalidade. Procuraremos evidenciar a metodologia de trabalho desenvolvida ao longo da época e que fez parte do sucesso desta Equipa, bem como as estratégias que ajudaram no controlo biológico do treino e jogo. Os dados recolhidos ao longo da época permitiram-nos definir um microciclo padrão, onde as curvas de carga foram bastante semelhantes entre os jogadores que jogam mais tempo e aqueles que jogam menos de 45 minutos de jogo, com exceção do dia de jogo. Mesmo tendo conhecimento que o índice de monotonia, que é uma medida da variabilidade diária do treino que está relacionada com o aparecimento de sintomas de sobresolicitação, está pouco documentado na literatura, decidimos apresentar alguns dados que nos ajudaram a constatar que o controlo do treino ao longo da época foi eficiente...

Uma equipa de futebol como um sistema complexo : visão multidisciplinar do planeamento, operacionalização e avaliação do treino e da competição: relatório de estágio em futebol realizado na equipa de Juniores do Real Sport Clube, 1ª Divisão do Campeonato Nacional, época 2012-2013

Antunes, Filipe Manuel Lopes
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa Publicador: Universidade Técnica de Lisboa
Tipo: Relatório
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.26%
Mestrado em Treino Desportivo; Muitos autores têm proposto que o conhecimento sobre o funcionamento e a construção de uma equipa de futebol deverá ser perspetivada à luz dos sistemas complexos (e.g. McGarry et al., 2002; Duarte, 2012a). Neste relatório, pretendemos apresentar, analisar e refletir acerca da conceção e implementação das atividades práticas durante uma época desportiva nos juniores do Real Sport Clube, realizando uma abordagem integradora e multidisciplinar, e respeitando a complexidade e interligação dos fenómenos (Esteves, 2008). Partindo da análise do contexto e da formulação dos objetivos da equipa, descrevemos e fundamentamos a conceção de jogo criada pela equipa técnica, que foi materializada através de um modelo de treino congruente com o modelo de jogo, sistematizando de forma inovadora o controlo dos conteúdos de treino. Foi também realizada uma análise à equipa em competição. Criaram-se indicadores para representar aspetos específicos do modelo de jogo, nomeadamente as relações estabelecidas através do passe, o tempo de recuperação da posse da bola, a capacidade de recuperação da posse da bola e, ainda, a capacidade de transição defesa-ataque da equipa. Em termos do processo de treino...

Avaliação e controlo de treino : caracterização do desempenho, de variáveis biomecânicas gerais, antropométricas e maturacionais em jovens nadadores durante 28 semanas de treino

Dias, Pedro Brites
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.25%
O objectivo deste estudo é verificar a evolução do desempenho dos nadadores ao longo de 28 semanas de treino. Mais concretamente pretendeu-se analisar o desempenho dos nadadores nas distâncias 25m, 50m livres e 1ºEstilo, Velocidade Crítica, as variáveis biomecânicas gerais (Distância e Frequência de Braçada, Velocidade Média, Índice de Braçada), as suas variáveis antropométricas (Peso, Altura, Envergadura, Índice de Massa Corporal, Comprimento dos Membros Inferiores e Superiores.) e caracterizar maturacionalmente os jovens nadadores de diferentes faixas etárias. A amostra foi constituída por seis nadadores do Clube de Natação de Portalegre, com idade média de 14,16 ± 1,32 anos, com 160,41±14,01cm de altura média, peso médio de 47,80±13,68 kg e experiência anterior na natação de 4,5±2,1 anos. Foram realizados testes de desempenho, em cada duas semanas de treino, para as distâncias de 25m e 50m livres e no 1ºestilo do nadador, onde o nadador teria que nadar à sua máxima velocidade possível. Para se avaliar a Velocidade Média, Índice de Braçada, Distância e Frequência de Braçada foi efectuado o registo vídeo, dos testes de 50m livres e 1ºestilo. A avaliação antropométrica foi realizada também em cada duas semanas de treino...

Avaliação e controlo do treino em natação : a evolução da performance de sprint durante 24 semanas de treino em jovens nadadores

Barros, Paulo Jorge Lobarinhas
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /10/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Os efeitos do treino específico, bem como das diferentes cargas ao longo do tempo, em nadadores jovens, parecem não ser muito conhecidos. Com o presente estudo, pretendemos avaliar a evolução do rendimento dos nadadores pré-juvenis, em distâncias curtas, nadadas à máxima velocidade, ao longo de dois macrociclos de treino. 13 nadadores de ambos os sexos participaram no estudo (12.3 ± 0.7 anos de idade; 159.9 ± 9.4 cm de altura; 47.1 ± 6.7 kg de massa corporal). Estes foram distribuídos pelas diferentes especialidades de nado, nomeadamente: 25 mariposa (n=5), 25 costas (n= 3), 25 bruços (n=5), 50 costas (n=7), 50 bruços (n=6). As avaliações decorreram durante 24 semanas de treino, abrangendo o primeiro e o segundo macrociclo da época desportiva. Durante este período, os nadadores realizaram um total de 147 unidades de treino, com um volume total de 542 km nadados. Em cada semana os nadadores eram avaliados em dois sprints de 25 m e dois de 50 m, sendo aproveitado o melhor tempo realizado em cada distância nadada. Foram realizadas comparações entre a primeira semana e as semanas seguintes e o nível de significância estabelecido em 5%. Foram verificadas melhorias no sprint de 25 m mariposa após 15 semanas de treino e após 22 semanas na técnica de costas. A técnica de bruços não registou alterações de performance nos 25 m ao longo da avaliação. Relativamente ao rendimento nos 50 m...

A influência do volume de treino de resistência aeróbia sobre o treino combinado de força e de resistência em contexto escolar

Carneiro, Carlos Belmiro da Rocha
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.28%
O presente estudo teve como objetivo examinar os efeitos de 8 semanas de treino de combinado de força e de resistência sobre parâmetros de força e de resistência aeróbia; e se o dobro do volume de treino de resistência, aplicado simultaneamente com o trabalho de força, permite maiores ganhos na capacidade aeróbia dos jovens sujeitos a este procedimento. A amostra foi constituída por 31 alunos saudáveis (sexo masculino), do 3º ciclo do ensino básico, com idades compreendidas entre os 13 e os 16 anos (163,83±8,873 cm de altura e 58,28±11,66 quilogramas de peso), os quais realizaram 2 sessões de treino semanais, durante 8 semanas, e que foram distribuídos por 3 grupos de trabalho, a saber: Grupo Experimental 1 (GE1, n = 12) realizou protocolos de treino simultâneo de resistência aeróbia e de força; Grupo Experimental 2 (GE2, n = 10) realizou protocolos de treino simultâneo de resistência aeróbia (o dobro do volume) e de força; Grupo de Controlo (GC, n = 9) não realizou quaisquer protocolos de treino. De referir que todos os elementos constituintes da amostra (GE1, GE2 e GC) continuaram a realizar as aulas de Educação Física conforme o estipulado em termos curriculares para o ano de escolaridade em que se encontravam. A aferição de resultados foi obtida através da avaliação...

Comparação dos efeitos da utilização de métodos lineares e não lineares no treino e destreino da força em voleibolistas

Ribeiro, Bruno Valdemar Rodrigues
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.29%
O volume de treino é considerado como um dos componentes principais do treino de força, refletindo a quantidade de trabalho que é realizada durante uma sessão de treino. No que se refere à sua distribuição ao longo de ciclos de treino, a literatura carece de estudos que abordem diferentes modelos de periodização e suas consequências no desempenho do atleta. O objetivo do estudo é comparar os efeitos do treino da Força, do Índice de Elasticidade e do respetivo destreino entre dois modelos de periodização, o Método de Treino Linear e Método de Treino Não Linear. Assim, pretende-se contribuir para o desenvolvimento dos processos do treino da força e verificar qual o método de treino que incrementa maiores índices de força. A amostra é constituída por vinte praticantes masculinos de voleibol, sendo formados dois grupos, um pertencente ao Método de Treino Linear (N=10) e outro grupo ao Método Treino Não Linear (N=10). Ambos os grupos treinam 3 vezes por semana. O treino engloba trabalho de Força Máxima, Força Explosiva e Força de Resistência e serão feitas 3 avaliações: 1ª avaliação inicial; 2ª após 9 semanas de treino e 3ª após 4 semanas de destreino. Os resultados encontrados indicam que 9 semanas de treino...

Efeitos de 1 macrociclo de treino aquático na resistência e equilíbrio muscular dos rotadores dos ombros em nadadores de competição

Batalha, Nuno; Raimundo, Armando; Tomas-Carus, Pablo; Silva, António
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
INTRODUÇÃO O equilíbrio muscular é, em qualquer actividade desportiva, de vital importância para a manutenção da funcionalidade das articulações. Na natação pura desportiva, devido ao carácter cíclico da utilização dos músculos dos ombros, existe uma maior propensão para lesões nesta articulação, essencialmente motivadas pelos desequilíbrios musculares entre rotadores internos (RI) e rotadores externos (RE) [1]. Existem algumas evidências de que as técnicas de nado suscitam de facto os mencionados desequilíbrios, mas são essencialmente estudos biomecânicos que o comprovam[2]. Apenas temos conhecimento de um trabalho que tenha avaliado o efeito de uma época de treino ao nível da força (isométrica) e equilíbrio muscular nos rotadores do ombro[3]. O objectivo do presente estudo é avaliar os efeitos de um macrociclo de treino aquático na resistência e equilíbrio muscular dos rotadores do complexo articular do ombro em nadadores. MÉTODOS A amostra foi constituída por dois grupos distintos de jovens do género masculino: um grupo de treino composto por 20 nadadores (idade: 14.45  0.5 anos; massa corporal: 61.73  4.68Kg; altura: 170.79  6.5cm; treinos/semana: 6.75  0.86 sessões; volume treino/dia: 5.52 0.31Km) e um outro grupo de controlo (N=16; idade: 14.69  0.48 anos; massa corporal: 60.84  10.69 Kg; altura: 169.38  6.19 cm) com as mesmas características mas sedentários. Apenas foram admitidos sujeitos sem historial clínico ao nível dos ombros e nadadores sem treino de força prévio e com o mínimo de 2 anos de prática. As avaliações ocorreram no início da época desportiva e após 16 semanas de treino exclusivamente aquático...

A influência do volume de treino de resistência aeróbia sobre o treino combinado de força e de resistência em contexto escolar

Carneiro, Carlos Belmiro da Rocha
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.28%
O presente estudo teve como objetivo examinar os efeitos de 8 semanas de treino de combinado de força e de resistência sobre parâmetros de força e de resistência aeróbia; e se o dobro do volume de treino de resistência, aplicado simultaneamente com o trabalho de força, permite maiores ganhos na capacidade aeróbia dos jovens sujeitos a este procedimento. A amostra foi constituída por 31 alunos saudáveis (sexo masculino), do 3º ciclo do ensino básico, com idades compreendidas entre os 13 e os 16 anos (163,83±8,873 cm de altura e 58,28±11,66 quilogramas de peso), os quais realizaram 2 sessões de treino semanais, durante 8 semanas, e que foram distribuídos por 3 grupos de trabalho, a saber: Grupo Experimental 1 (GE1, n = 12) realizou protocolos de treino simultâneo de resistência aeróbia e de força; Grupo Experimental 2 (GE2, n = 10) realizou protocolos de treino simultâneo de resistência aeróbia (o dobro do volume) e de força; Grupo de Controlo (GC, n = 9) não realizou quaisquer protocolos de treino. De referir que todos os elementos constituintes da amostra (GE1, GE2 e GC) continuaram a realizar as aulas de Educação Física conforme o estipulado em termos curriculares para o ano de escolaridade em que se encontravam. A aferição de resultados foi obtida através da avaliação...

Avaliação e controlo de treino : caracterização do desempenho, de variáveis biomecânicas gerais, antropométricas e maturacionais em jovens nadadores durante 28 semanas de treino

Dias, Pedro Brites
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.25%
O objectivo deste estudo é verificar a evolução do desempenho dos nadadores ao longo de 28 semanas de treino. Mais concretamente pretendeu-se analisar o desempenho dos nadadores nas distâncias 25m, 50m livres e 1ºEstilo, Velocidade Crítica, as variáveis biomecânicas gerais (Distância e Frequência de Braçada, Velocidade Média, Índice de Braçada), as suas variáveis antropométricas (Peso, Altura, Envergadura, Índice de Massa Corporal, Comprimento dos Membros Inferiores e Superiores.) e caracterizar maturacionalmente os jovens nadadores de diferentes faixas etárias. A amostra foi constituída por seis nadadores do Clube de Natação de Portalegre, com idade média de 14,16 ± 1,32 anos, com 160,41±14,01cm de altura média, peso médio de 47,80±13,68 kg e experiência anterior na natação de 4,5±2,1 anos. Foram realizados testes de desempenho, em cada duas semanas de treino, para as distâncias de 25m e 50m livres e no 1ºestilo do nadador, onde o nadador teria que nadar à sua máxima velocidade possível. Para se avaliar a Velocidade Média, Índice de Braçada, Distância e Frequência de Braçada foi efectuado o registo vídeo, dos testes de 50m livres e 1ºestilo. A avaliação antropométrica foi realizada também em cada duas semanas de treino...

Avaliação e controlo do treino em natação : a evolução da performance de sprint durante 24 semanas de treino em jovens nadadores

Barros, Paulo Jorge Lobarinhas
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /10/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Os efeitos do treino específico, bem como das diferentes cargas ao longo do tempo, em nadadores jovens, parecem não ser muito conhecidos. Com o presente estudo, pretendemos avaliar a evolução do rendimento dos nadadores pré-juvenis, em distâncias curtas, nadadas à máxima velocidade, ao longo de dois macrociclos de treino. 13 nadadores de ambos os sexos participaram no estudo (12.3 ± 0.7 anos de idade; 159.9 ± 9.4 cm de altura; 47.1 ± 6.7 kg de massa corporal). Estes foram distribuídos pelas diferentes especialidades de nado, nomeadamente: 25 mariposa (n=5), 25 costas (n= 3), 25 bruços (n=5), 50 costas (n=7), 50 bruços (n=6). As avaliações decorreram durante 24 semanas de treino, abrangendo o primeiro e o segundo macrociclo da época desportiva. Durante este período, os nadadores realizaram um total de 147 unidades de treino, com um volume total de 542 km nadados. Em cada semana os nadadores eram avaliados em dois sprints de 25 m e dois de 50 m, sendo aproveitado o melhor tempo realizado em cada distância nadada. Foram realizadas comparações entre a primeira semana e as semanas seguintes e o nível de significância estabelecido em 5%. Foram verificadas melhorias no sprint de 25 m mariposa após 15 semanas de treino e após 22 semanas na técnica de costas. A técnica de bruços não registou alterações de performance nos 25 m ao longo da avaliação. Relativamente ao rendimento nos 50 m...

Estudo da estrutura do treino de jovens mesatenistas dos Centros de Treino da Federação Portuguesa de Ténis de Mesa

Malheiro,Fernando
Fonte: Faculdade de Desporto da Universidade do Porto Publicador: Faculdade de Desporto da Universidade do Porto
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.31%
Conhecer o processo de treino realizado nos centros de treino da Federação Portuguesa de Ténis de Mesa é o objectivo deste estudo. A caracterização das metodologias adoptadas na preparação dos jovens jogadores e a sua comparação com os modelos de referência permitirão avaliar até que ponto as estratégias seguidas promovem um harmonioso desenvolvimento da formação desportiva dos mais jovens, por forma a possibilitar as melhores performances na idade adulta. O desenho metodológico escolhido é de carácter exploratório-descritivo (2). A técnica de pesquisa adoptada foi a análise documental, que nos permitiu caracterizar a estrutura e os conteúdos do treino a partir de documentos não elaborados especificamente para fins de investigação. Os documentos analisados foram os dossiers de treino - 739 unidades de treino, correspondentes a 1641 horas de treino - dos três centros de treino (CT) da Federação Portuguesa de Ténis de Mesa, relativos à época de 2002/2003. Esses documentos constituíam os programas de preparação de 32 crianças e jovens mesatenistas com idades no intervalo 10 a 15 anos: 11 no CT de Bragança, 15 no CT do Porto e 6 no CT da Madeira. Os resultados deste estudo evidenciam que: (i) os valores registados quanto ao volume anual de treino parecem não ser suficientes para a obtenção das melhores performances na idade adulta; (ii) é perceptível que os treinadores valorizam o treino técnico e o treino táctico...