Página 1 dos resultados de 208 itens digitais encontrados em 0.050 segundos

Sintomas indicativos de disfagia em portadores de DPOC; Symptoms of dysphagia in patients with COPD

CHAVES, Rosane de Deus; CARVALHO, Celso Ricardo Fernandes de; CUKIER, Alberto; STELMACH, Rafael; ANDRADE, Claudia Regina Furquim de
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
86.04%
OBJETIVO: Identificar os sintomas indicativos de disfagia em indivíduos portadores de DPOC a partir de um questionário de autopercepção. MÉTODOS: Foram avaliados 35 indivíduos portadores de DPOC e 35 indivíduos sem a doença pareados por gênero e idade. O grupo de estudo foi avaliado quanto a gravidade da doença, sensação de dispneia, índice de massa corpórea (IMC) e sintomas de disfagia. O grupo controle foi avaliado quanto a IMC e sintomas de disfagia. RESULTADOS: Os sintomas mais frequentes de disfagia apresentados pelos participantes do grupo de estudo foram sintomas faríngeos/proteção de vias aéreas (p < 0,001), sintomas esofágicos/histórico de pneumonia (p < 0,001) e sintomas alimentares (p < 0,001). As seguintes variáveis apresentaram correlações positivas: VEF1 e IMC (r = 0,567; p < 0,001); sintomas faríngeos/proteção de vias aéreas e dispneia (r = 0,408; p = 0,015); e sintomas esofágicos/histórico de pneumonia e sintomas faríngeos/proteção de vias aéreas (r = 0,531; p = 0,001). Houve correlação negativa entre sintomas alimentares e IMC (r = -0,046; p < 0,008). CONCLUSÕES: Os resultados mostraram que os participantes com DPOC apresentaram sintomas de disfagia relacionados à fase faríngea e esofágica da deglutição; ao mecanismo de proteção das vias aéreas; ao histórico de pneumonia e aos sintomas alimentares.; OBJECTIVE: To identify symptoms of dysphagia in individuals with COPD...

Achados fluoroscópicos da deglutição: comparação entre recém-nascidos pré-termo e recém-nascidos de termo; Fluoroscopic findings of swallowing: comparison between preterm and full-term infants

SILVA-MUNHOZ, Lenice de Fatima da; BÜHLER, Karina Elena Bernadis
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
96.3%
OBJETIVO: Descrever os achados fluoroscópicos da deglutição de recém-nascidos pré-termo de zero a seis meses de idade, assim como as doenças e os sinais e sintomas clínicos relacionados à alteração na deglutição, e compará-los com os respectivos dados obtidos de recém-nascidos de termo. MÉTODOS: Foram analisados, retrospectivamente, os dados das avaliações fluoroscópicas realizadas no período de um ano em lactentes de zero a seis meses de idade e aos respectivos prontuários. Participaram 40 sujeitos, divididos em dois grupos: Grupo Pré-Termo, constituído de 23 recém-nascidos pré-termo; e Grupo de Termo, constituído por 17 recém-nascidos de termo. RESULTADOS: Os principais achados fluoroscópicos da deglutição observados em ambos os grupos foram refluxo para a nasofaringe e refluxo gastresofágico. Não houve diferença entre os grupos para a presença de alteração na deglutição . O Grupo Pré-Termo apresentou mais problemas cardíacos do que o Grupo de Termo. Não houve diferença entre os grupos para problemas neurológicos e respiratórios. Em relação aos sinais e sintomas clínicos sugestivos de alteração na deglutição, o Grupo Pré-Termo apresentou mais dessaturação de oxigênio e o Grupo de Termo mais vômitos. CONCLUSÃO: Os principais achados fluoroscópicos da deglutição encontrados em recém-nascidos pré-termo de zero a seis meses de idade foram refluxo para a nasofaringe e refluxo gastresofágico. Novos estudos de seguimento desta população devem ser realizados para confirmar a hipótese de que as alterações na deglutição observadas ocorreram devido à imaturidade na função de deglutição.; PURPOSE: To describe the fluoroscopic findings of swallowing in preterm infants with zero to six months of age...

Estudo multicêntrico sobre escalas para grau de comprometimento em disfagia orofaríngea neurogênica; Multicenter study about severity scales of neurogenic oropharyngeal dysphagia

Silva, Roberta Gonçalves da; Motonaga, Suely Mayumi; Cola, Paula Cristina; Gatto, Ana Rita; Ribeiro, Priscila Watson; Carvalho, Lídia Raquel de; Schelp, Arthur Oscar; Jorge, Adriana Gomes; Peres, Fernanda Matias; Dantas, Roberto Oliveira
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
86.03%
OBJETIVO: Analisar a concordância entre distintas escalas para grau de comprometimento em disfagia orofaríngea neurogênica. MÉTODOS: Foi realizado estudo clínico transversal. Participaram 200 indivíduos com disfagia orofaríngea neurogênica, 108 do gênero masculino e 92 do gênero feminino, com idades de 3 meses a 91 anos. Foram aplicadas quatro escalas para classificar o grau de comprometimento da disfagia orofaríngea, sendo duas escalas clínicas e duas videofluoroscópicas. Análises estatísticas foram realizadas para verificar a concordância entre as escalas clínicas e objetivas. RESULTADOS: Os resultados mostraram concordância muito boa entre as escalas clínicas estudadas (Kappa=0,92) e concordância moderada entre as escalas objetivas (Kappa=0,52). CONCLUSÃO: Embora a concordância entre as escalas clínicas tenha sido muito boa e entre as escalas objetivas tenha sido moderada, ainda é necessária ampla discussão e possível revisão dos parâmetros que definem o grau de comprometimento da disfagia orofaríngea em pacientes neurológicos.

Deglutição e consistências alimentares pastosas e sólidas: revisão crítica de literatura; Deglutition of pasty and solid food: a critical review of the literature

Pansarini, Amanda Checchinato; Sassi, Fernanda Chiarion; Mangilli, Laura Davison; Fortunato-Tavares, Talita; Limongi, Suelly Cecília Olivan; Andrade, Claudia Regina Furquim de
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
86.21%
OBJETIVO: Levantar artigos científicos internacionais sobre a fisiologia da deglutição de alimentos nas consistências néctar, mel, pudim, pastosa heterogênea, semissólida e sólida, nas fases oral e faríngea. MÉTODOS: Trata-se de estudo de revisão qualitativa da literatura. Para a seleção dos artigos, foi utilizada a base de dados PubMed com emprego dos descritores "Swallowing and consistency", "Swallowing and solid" e "Swallowing and pasty", limitando-se a pesquisas publicadas no idioma inglês, entre os anos de 2005 e 2010, realizadas com seres humanos maiores de 18 anos. A metodologia empregada envolveu formulação da pergunta, localização e seleção dos estudos, e avaliação crítica dos artigos, conforme os preceitos do Cochrane Handbook. RESULTADOS: Foram identificados 211 estudos, dos quais 18 foram analisados, pois permitiam acesso ao texto completo e eram diretamente relacionados ao tema. CONCLUSÃO: Os estudos apresentam metodologia pouco uniforme, não havendo padronização, principalmente quanto aos métodos de avaliação. Em geral, as pesquisas foram realizadas com sujeitos saudáveis ou remeteram a um tipo de patologia, sem utilização de casos-controle. A heterogeneidade dos estudos possibilita que diferentes grupos de patologias sejam avaliados...

Alimentos na consistência líquida e deglutição: uma revisão crítica da literatura; Food in liquid consistency and deglutition: a critical review of the literature

Pires, Elaine Cristina; Sassi, Fernanda Chiarion; Mangilli, Laura Davison; Limongi, Suelly Cecília Olivan; Andrade, Claudia Regina Furquim de
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
86.21%
O objetivo da presente revisão de literatura foi analisar artigos científicos internacionais publicados sobre a fisiologia da deglutição de alimentos líquidos nas fases oral e faríngea. A metodologia empregada envolveu a formulação da pergunta; localização e seleção dos estudos; avaliação crítica dos artigos; conforme os preceitos do Cochrane Handbook. Foram identificados 185 artigos, dos quais se excluiu 141 por não relacionarem-se diretamente ao tema e analisou-se 29 estudos. As pesquisas estão fortemente relacionadas às formas de identificação de disfagia e não as características proporcionadas pela deglutição de diferentes consistências. Quanto à metodologia empregada nos artigos analisados observa-se que na maioria dos estudos não há grupo-controle. Os grupos estudados são heterogêneos, principalmente quando considerando indivíduos com alterações neurológicas, além disso, não há pareamento de idade na maioria dos estudos. Dessa forma, os achados desta revisão demonstram que há dificuldade na aplicabilidade clínica dos achados científicos, dificultando a prática baseada evidências.

Disfagia e tétano: caracterização fonoaudiológica de pacientes em UTI; Dysphagia and tetanus - orofacial myofunctional system characterization of patients in UTI

Mangilli, Laura Davison
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
86.18%
Alterações na musculatura facial e/ou cervical são alguns dos primeiros sintomas encontrados nos pacientes com quadro clínico de tétano. No entanto, a atuação fonoaudiológica como área de conhecimento que contribua para o restabelecimento do paciente com esse quadro clínico não é citada na literatura pesquisada. O objetivo desta dissertação foi caracterizar a atividade muscular e as funções orofaciais em pacientes com diagnóstico clínico de tétano internados em Unidades de Terapia Intensiva. Participaram deste estudo 13 pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva do Departamento de Moléstias Infecciosas e Parasitárias do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo com diagnóstico clínico de tétano, no período de dezembro de 2005 a maio de 2007. A idade dos pacientes variou de 36 a 85 anos, com média de 53,69 anos, sendo 1 do gênero feminino e 12 do masculino. Os pacientes foram encaminhados para avaliação fonoaudiológica quando se encontravam em fase de convalescença e para esta foram utilizados dados contidos nos prontuários dos pacientes e um protocolo específico de avaliação da disfagia. Este protocolo se divide em duas seções - Exame das funções oromotoras e testes clínicos da deglutição. Esta dissertação foi dividida em dois estudos. O primeiro estudo teve como objetivo a caracterização da atividade muscular e das funções orofaciais e a identificação de fatores clínicos e/ou testes de deglutição que poderiam estar mais relacionados a esta patologia. De acordo com os resultados a maioria dos aspectos avaliados foi considerada prioritariamente alterada. O fator clínico Reflexo de GAG e a etapa de elevação laríngea do teste clínico de deglutição de água encontraram-se alterados em todos os participantes que puderam ser avaliados. Os fatores clínicos movimento da língua e presença de tosse e/ou mudança vocal foram os aspectos que se relacionaram quando se comparou as duas etapas da avaliação. O segundo estudo teve como objetivo a caracterização do quadro clínico...

Disfagia em cardiopatas idosos: teste combinado de deglutição e monitorização dos sinais vitais; Dysphagia in older people with heart diseases: a combined vital sign monitoring and swallowing test

Dantas, Mara de Oliveira Rodrigues Luiz
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 12/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
106.32%
Disfagia orofaríngea ocorre em pacientes após cirurgias cardíacas e prolonga o tempo de internação. O objetivo da presente Tese foi identificar as características da deglutição nos cardiopatas idosos indicados à cirurgia de Revascularização Miocárdica. Foi utilizado um protocolo combinado de deglutição de água, ausculta cervical e monitorização dos sinais vitais. O registro da freqüência cardíaca e da saturação de oxigênio (FC e SpO2) foi realizado com oxímetro de pulso antes, durante e após o teste de deglutição de água com 1,3,5,10, 15 e 20 ml. A ausculta cervical foi realizada com estetoscópio eletrônico para a análise do número, tempo de resposta e classificação do som da deglutição. Foram registradas a freqüência respiratória (FR) e a presença de tosse e engasgo. Os resultados foram analisados através de dois estudos. O primeiro avaliou 60 idosos saudáveis, sendo 45 mulheres e 11 homens, com média de idade de 74,5 anos. Os resultados mostraram aumento da FC durante o teste e diminuição logo após. Houve aumento de SpO2 e FR após o teste. Houve deglutição única em todas as medidas exceto em 20 ml. O tempo de resposta da deglutição em todos os volumes foi menor que 1 segundo exceto em 1 e 3 ml. A ausência de tosses e engasgos foi predominante. O som do tipo 3 predominou em todos os volumes exceto em 20 ml onde predominou o som do tipo 1. Concluindo...

Protocolo fonoaudiológico de introdução e transição da alimentação por via oral para pacientes com risco para disfagia (PITA); Oral feeding transition protocol (OFTP)

Padovani, Aline Rodrigues
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
86.18%
A disfagia orofaríngea é um déficit frequentemente relacionado à consequências graves, como a desidratação, desnutrição, aspiração, pneumonia e morte. A avaliação fonoaudiológica a beira do leito é indicada para a detecção precoce deste distúrbio, no ambiente hospitalar. Geralmente inclui a coleta de informações acerca da dificuldade de deglutição; revisão da história médica; observação do estado clínico atual; avaliação da fala, voz e estruturas orofaciais e; observação do paciente durante os testes de deglutição com diferentes consistências de alimentos. Neste estudo, foi proposta a elaboração e validação de conteúdo do Protocolo Fonoaudiológico de Introdução e Transição da Alimentação por Via Oral para pacientes com risco para disfagia orofaríngea (PITA). Este protocolo visa auxiliar o fonoaudiólogo no gerenciamento clínico da disfagia, durante a fase de introdução e transição da alimentação por via oral na internação. O processo de elaboração e validação de conteúdo do PITA foi conduzido em três fases. A primeira fase baseou-se na fundamentação teórica e avaliação do protocolo-piloto. A segunda fase teve como objetivo a elaboração do PITA, sendo determinadas as definições constitutivas e operacionais de cada variável eleita. A terceira fase...

Disfagia orofaríngea em pacientes submetidos à intubação orotraqueal prolongada em UTIs; Oropharyngeal dysphagia in patients submitted to prolonged orotracheal intubation in intensive care units

Medeiros, Gisele Chagas de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
86.3%
INTRODUÇÃO: A deglutição é um processo complexo que requer a coordenação precisa de mais de 25 músculos, seis pares de nervos cranianos e os lobos frontais. O comprometimento neste processo, denominado de disfagia, pode aumentar a taxa de morbidade dos pacientes e também o risco para a aspiração, retardando a administração de uma nutrição adequada por via oral. A intubação orotraqueal prolongada, definida na literatura como período superior a 48 horas de intubação, poderá causar alterações na deglutição e ocasionar a disfagia após a extubação. O objetivo deste estudo foi verificar as variáveis independentes da avaliação fonoaudiológica da deglutição que são preditoras do risco de disfagia após intubação orotraqueal prolongada nas Unidades de Terapia Intensiva. MÉTODOS: Foi realizado um estudo transversal observacional. Participaram deste estudo 148 pacientes submetidos à avaliação em beira de leito da deglutição, no período entre setembro de 2009 e setembro de 2011. Todos os pacientes apresentavam histórico de intubação orotraqueal prolongada e foram admitidos em uma das Unidades de Terapia Intensiva de um grande hospital escola brasileiro. Os critérios de inclusão adotados foram: estabilidade clínica e respiratória; pontuação na Escala de Coma Glasgow acima de 14 pontos; idade acima de 18 anos; ausência de traqueostomia; ausência de doenças neurológicas; ausência de disfagia esofágica; ausência de procedimentos cirúrgicos envolvendo a área de cabeça e pescoço. Além disso...

Achados clínicos e da análise videofluoroscópica da deglutição em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica; Clinical and videofluoroscopic evaluation of swallowing in patients with chronic obstructive pulmonary disease

Chaves, Rosane de Deus
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
96.32%
Indivíduos com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) apresentam sintomas de disfagia, indicando a existência de alteração da deglutição nessa população. O objetivo da presente tese foi identificar as características da deglutição nos pacientes com DPOC. A deglutição foi avaliada por meio do exame videofluoroscopia da deglutição. Foi utilizado um protocolo para análise dos seguintes parâmetros: tempo de trânsito faríngeo, duração do contato da base de língua com a parede posterior da faringe, resíduo em valécula e penetração/aspiração. Os resultados foram analisados através de dois estudos. No primeiro estudo foi verificada a reprodutibilidade do protocolo para análise da videofluoroscopia da deglutição em uma população de adultos saudáveis. Foram avaliados 20 indivíduos saudáveis, de ambos os gêneros, com idades entre 50 e 65 anos. O protocolo consistiu na avaliação da deglutição de 10ml de consistência líquida. A análise estatística envolveu a avaliação da reprodutibilidade do método de análise entre juízes e a análise dos dados quantitativos, levando-se em consideração os gêneros. Em relação à análise das respostas dos juízes, foi observada significância estatística...

Avaliação fonoaudiológica da deglutição na demência frontotemporal; Phonoaudiological swallowing evaluation in frontotemporal dementia

Marin, Sheilla de Medeiros Correia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
86.55%
Introdução: A deglutição e suas características principais ainda são desconhecidas na demência frontotemporal. Objetivos: Caracterizar a deglutição e o comportamento alimentar de pacientes com diagnóstico de demência frontotemporal que apresentam a variante comportamental (DFTvc) e a afasia progressiva primária (APP). Caracterizar os pacientes com DFT e seus cuidadores. Descrever aspectos cognitivos e comportamentais, funcionalidade global, comunicação funcional, e a funcionalidade da deglutição na DFT. Descrever os problemas de deglutição e do comportamento alimentar na DFTvc e APP. Correlacionar os aspectos cognitivos e comportamentais, funcionalidade global e a comunicação com as características da deglutição. Identificar fatores preditivos da piora da funcionalidade da deglutição e do comportamento alimentar na DFT. Avaliar o comportamento dos instrumentos empregados. Desenvolver a versão reduzida do Questionário de Habilidades de Alimentação e Deglutição nas Demências e do Questionário de Comunicação Funcional na Afasia. Método: Este estudo incluiu 46 indivíduos com DFT nas fases leve, moderada e grave, e seus 46 cuidadores. O Mini exame do estado mental (MEEM) e o Mini exame do estado mental grave (MEEM-g) foram usados para avaliar os aspectos cognitivos. A Escala de estadiamento da demência (CDR-DLFT) foi usada para confirmar a fase da doença. O Inventário Neuropsiquiátrico (INP) foi aplicado para investigar os problemas comportamentais. A Bateria de Avaliação Frontal (BAF) investigou as funções executivas. O Índice das Atividades de Vida Diária (Katz)...

Avaliação reológica e sensorial de espessantes domésticos em diferentes líquidos como alternativa para pacientes disfágicos

Schmidt, Helena de Oliveira Santos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
86.12%
A disfagia é definida como dificuldade de deglutição, é sintoma do sistema digestivo, pode ocasionar riscos de engasgos, sufocamento, aspiração, problemas pulmonares e pneumonia, deficiências nutricionais e desidratação. O tratamento dietético possui importante papel para a melhora do quadro e adequação do estado nutricional, o espessamento de alimentos e preparações oferecidas facilita a deglutição, diminui o risco de pneumonia aspirativa, além de aumentar a oferta de nutrientes, atendendo às necessidades nutricionais do indivíduo. Existem muitos tipos de espessantes comerciais que podem ser utilizados para engrossar líquidos, diminuindo, assim, o risco de aspiração, porém, estes são de alto custo, limitando a aquisição e ajuste da consistência correta. A viscosidade é uma das propriedades mais importantes dos materiais amiláceos, alimentos que possuem amido também são capazes de engrossar líquidos. Objetivo: Avaliar reológicamenente e sensorialmente espessantes em diferentes líquidos como alternativa para pacientes disfágicos. Metodologia: Foram utilizadas as amostras a base de farinhas de alimentos como a fécula de batata, amido de milho, polvilho doce, farinha de arroz, e dois espessantes comerciais...

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica e Transtornos de Deglutição: revisão de literatura

Rosa, Flávio Prado da
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 47 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
116.54%
TCC(graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde. Fonoaudiologia.; Introdução: Pelas projeções dos órgãos de saúde e sociedades científicas da área, nas próximas décadas a DPOC será uma das cinco primeiras causas de morte em todo o mundo sendo que no Brasil já é uma das doenças mais incapacitantes e com elevados índices de mortalidade. A DPOC corresponde a presença de obstrução ou limitação crônica do fluxo aéreo, apresentando progressão lenta e irreversível. A respiração é a parte intrínseca e vital no processo de deglutição, porém, é a função mais afetada na DPOC. Objetivo:Realizar uma revisão de literatura visando encontrar artigos que busquem a relação da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica com transtornos de deglutição.Metodologia:Foi conduzida uma busca em artigos nos idiomas PORTUGUES, INGLES e ESPANHOL sobre a relação da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica com transtornos de deglutição, sem limite de tempo, texto na íntegra, tipo de estudo (sem delimitação), população-alvo (adultos) nas bases de dados MEDLINE-PUBMED, LILACS, SCIELO e SCOPUS. As palavras-chave usadas isoladas e em cruzamentos foram: em português: DPOC; transtornos de deglutição...

Qualidade de vida e deglutição em indivíduos com doença de Parkinson que realizam terapia vocal

Souza, Cintya Meneghel de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 82 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.31%
TCC(graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde. Fonoaudiologia.; Introdução: A doença de Parkinson é uma doença neurodegenerativa, em que ocorre diminuição da dopamina na substância negra, ocasionando alterações motoras. Essas alterações motoras, podem consequentemente causar dificuldade de deglutição. A disfagia orofaríngea tem oferecido riscos à saúde, como desnutrição, desidratação e até mortalidade, causando impactos na qualidade de vida desses indivíduos. O Questionário de Qualidade de Vida em Deglutição (SWAL-QOL) é um instrumento que avalia a qualidade de vida em deglutição, e nos permite analisar se há diferença da percepção das dificuldades de deglutição entre o grupo que realiza e o grupo que não realiza terapia fonoaudiológica vocal. Objetivo: Analisar a percepção de portadores da Doença de Parkinson que realizam e que não realizam terapia fonoaudiológica vocal sobre as suas dificuldades de deglutição e o impacto destas na qualidade de vida. Metodologia: Este estudo foi realizado no período de abril a maio de 2015, com 21 indivíduos com Doença de Parkinson que realizam (n=12) e que não realizam (n=9) terapia vocal, classificados nos estágios de 1 a 3 da escala Hoehn & Yahr modificada. Para avaliá-los foi aplicado o Questionário Sóciodemográfico e Aspectos Clínicos...

Desempenho de idosos brasileiros no teste de deglutição de 100 ml de água

Moreira,Graziela Maria Martins; Pereira,Sílvia Regina Mendes
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
86.45%
OBJETIVO: Comparar o desempenho de idosos brasileiros, residentes em uma instituição de longa permanência, no teste de deglutição de 100 ml de água com os resultados obtidos em idosos ingleses. MÉTODOS: Dezoito idosos residentes numa instituição de longa permanência, considerados normais para a função de deglutição (13 mulheres e cinco homens, com idade média de 83,46 anos) foram solicitados a beber 100 ml de água de um copo plástico, reproduzindo o estudo inglês. O avaliador observou lateralmente o número de goles, tempo gasto e intercorrências, gerando três índices: volume por deglutição (ml), tempo por deglutição (s) e capacidade de deglutição (ml/s). RESULTADOS: A capacidade de deglutição para homens foi menor do que a das mulheres, divergindo do estudo original. O tempo médio de cada deglutição e o volume médio por deglutição foi semelhante para ambos os gêneros. CONCLUSÃO: A capacidade de deglutição em idosos é inferior à de adultos normais, indicando lentificação da deglutição. A diferença entre gêneros encontrada no estudo original não foi reproduzida, entretanto nossa amostra foi mais idosa.

Doença de Forestier e suas implicações otorrinolaringológicas: revisão de literatura

Pulcherio,Janaina Oliveira Bentivi; Velasco,Cláudia Márcia Malafaia de Oliveira; Machado,Rosane Siciliano; Souza,Wallace Nascimento de; Menezes,Daniella Rossi de
Fonte: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial Publicador: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
86%
Introdução: A Doença de Forestier afeta a coluna vertebral, preferencialmente em homens Coluna vertebral; idosos. Não é rara, mas é frequentemente não reconhecida e pode levar a relevante morbimortalidade. Quando acomete a coluna cervical, pode gerar importantes manifestações otorrino-Transtornos de laringológicas. Objetivo: Destacar os sintomas faringolaríngeos da doença de Forestier. Método: Revisão da literatura nas bases de dados Web of Knowledge, PubMed e SciELO e entre os dez periódicos de maior número de citações na área de otorrinolaringologia e também busca manual por publicações nas listas de referências dos artigos selecionados, principalmente os de cunho histórico. Resultados: A doença não tem etiologia clara. Os sintomas das complicações são mais exuberantes que os da doença propriamente dita. A disfagia é o sintoma cervical mais conhecido. Outros sintomas discutidos são a apneia do sono, globus faríngeo, tosse, disfonia, dispneia, otalgia reflexa e sintomas medulares compressivos. O diagnóstico é efetuado com apropriado estudo radiológico. O tratamento é baseado em estratégia conservadora. Pacientes com disfagia refratária e comprometimento respiratório podem ser submetidos a tratamento cirúrgico. Conclusão: A doença de Forestier deve ser suspeitada em pacientes idosos com os principais sintomas das complicações...

Achados fluoroscópicos da deglutição: comparação entre recém-nascidos pré-termo e recém-nascidos de termo

Silva-Munhoz,Lenice de Fatima da; Bühler,Karina Elena Bernadis
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
86.3%
OBJETIVO: Descrever os achados fluoroscópicos da deglutição de recém-nascidos pré-termo de zero a seis meses de idade, assim como as doenças e os sinais e sintomas clínicos relacionados à alteração na deglutição, e compará-los com os respectivos dados obtidos de recém-nascidos de termo. MÉTODOS: Foram analisados, retrospectivamente, os dados das avaliações fluoroscópicas realizadas no período de um ano em lactentes de zero a seis meses de idade e aos respectivos prontuários. Participaram 40 sujeitos, divididos em dois grupos: Grupo Pré-Termo, constituído de 23 recém-nascidos pré-termo; e Grupo de Termo, constituído por 17 recém-nascidos de termo. RESULTADOS: Os principais achados fluoroscópicos da deglutição observados em ambos os grupos foram refluxo para a nasofaringe e refluxo gastresofágico. Não houve diferença entre os grupos para a presença de alteração na deglutição . O Grupo Pré-Termo apresentou mais problemas cardíacos do que o Grupo de Termo. Não houve diferença entre os grupos para problemas neurológicos e respiratórios. Em relação aos sinais e sintomas clínicos sugestivos de alteração na deglutição, o Grupo Pré-Termo apresentou mais dessaturação de oxigênio e o Grupo de Termo mais vômitos. CONCLUSÃO: Os principais achados fluoroscópicos da deglutição encontrados em recém-nascidos pré-termo de zero a seis meses de idade foram refluxo para a nasofaringe e refluxo gastresofágico. Novos estudos de seguimento desta população devem ser realizados para confirmar a hipótese de que as alterações na deglutição observadas ocorreram devido à imaturidade na função de deglutição.

Atividade elétrica do músculo masseter durante a deglutição de líquido em adultos jovens

Araújo Pernambuco,Leandro de; Silva,Hilton Justino da; Lima,Leilane Maria de; Cunha,Renata Andrade da; Santos,Veridiana da Silva; Cunha,Daniele Andrade da; Leão,Jair Carneiro
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
86.27%
OBJETIVO: Caracterizar a atividade elétrica muscular do masseter durante a deglutição de líquido em indivíduos adultos jovens saudáveis. MÉTODOS: A população constou de 14 voluntários considerados saudáveis seguindo os critérios de inclusão e exclusão estabelecidos para esta pesquisa. Foi realizada avaliação eletromiográfica do músculo masseter bilateralmente, durante o repouso e nas tarefas de deglutição de 14,5 ml, 20 ml e 100 ml de líquido. O sinal eletromiográfico foi normalizado pela máxima atividade voluntária resistida (MAVR), considerada como 100% de atividade elétrica muscular. RESULTADOS: No masseter direito, a maior média percentual foi encontrada na tarefa de deglutição de 20 ml e no masseter esquerdo na tarefa de 14,5 ml. No masseter direito ocorreu diferença entre as deglutições de 14,5 ml e 20 ml. No masseter esquerdo não houve diferença entre as tarefas de deglutição. CONCLUSÃO: A atividade elétrica muscular do masseter em adultos jovens saudáveis durante a deglutição de líquido pode ser influenciada pelo volume deglutido e apresenta diferentes respostas bilateralmente.

Acurácia do diagnóstico clínico da disfagia em crianças com paralisia cerebral; ARAÚJO, Brenda Carla Lima. Acurácia do diagnóstico clínico da disfagia em crianças com paralisia cerebral. Recife, 2012. 78 f. : Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, 2012

Araújo, Brenda Carla Lima; Araújo, Cláudia Marina Tavares de (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
86.37%
O comprometimento neurológico em crianças com paralisia cerebral pode acarretar transtornos na deglutição. Este tipo de dificuldade frequentemente encontrado é denominado de disfagia, cujo diagnóstico deve ser realizado através de avaliação clínica e instrumental. A avaliação clínica é um método reconhecido ao longo do tempo e precede qualquer investigação complementar com característica mais objetiva. Porém, a avaliação clínica em alguns momentos é utilizada como único instrumento de diagnóstico e pode não fornecer informações fidedignas sobre as alterações na deglutição. Por outro lado, o exame de videofluoroscopia é considerado o método mais indicado no diagnóstico das disfagias, por permitir análise dinâmica desta função. O objetivo deste estudo foi avaliar a acurácia da avaliação clínica no diagnóstico das disfagias em crianças portadoras de paralisia cerebral, retardo neuropsicomotor e/ou disfunção neuromotora, através de sua comparação com o método videofluoroscópico da deglutição, este último considerado padrão ouro neste estudo. A amostra foi constituída por 93 crianças com diagnóstico de paralisia cerebral, retardo neuropsicomotor e/ou disfunção neuromotora com idade entre dois e cinco anos...

Disfagia em pacientes com doença de Chagas e divertículo de Zenker; Dysphagia in patients with Chagas' disease and Zenker's diverticulum

NASCIMENTO, Weslania Viviane do; CASSIANI, Rachel de Aguiar; DANTAS, Roberto Oliveira
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
86.12%
Descrevemos dois pacientes, um do sexo feminino e outro do sexo masculino, ambos com 64 anos, que apresentavam a associação entre divertículo de Zenker e esofagopatia provocada por doença de Chagas. Um dos pacientes iniciou com disfagia esofágica há cinco anos, que depois se associou a disfagia orofaríngea há nove meses. O outro paciente tinha disfagia orofaríngea há oito meses. Ambos tinham antecedentes de doença de Chagas. Os dois pacientes tinham alterações do exame clínico da deglutição, ou seja, dificuldade de ingestão de líquidos e pastosos. A ingestão era lenta e havia resíduos em cavidade oral, sem tosse após a deglutição. O diagnóstico foi feito por exame sorológico e estudo radiológico de faringe e esôfago, complementados por exame endoscópico. Os resultados dos exames radiológicos de faringe e esôfago mostraram, em um paciente, o divertículo faringo-esofágico (Zenker), trânsito lento (duração superior a dez segundos) do meio de contraste pelo esôfago e, no outro, o divertículo de Zenker e trânsito pelo esôfago com duração normal (duração inferior a dez segundos) com presença de contrações terciárias. O tratamento foi realizado com diverticulectomia, miotomia do cricofaringeo e miotomia da transição gastroesofágica em um paciente e miotomia do cricofaríngeo no outro. Concluímos que é possível haver a associação de duas causas de disfagia no mesmo paciente...