Página 1 dos resultados de 253 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

A Previdência Social Brasileira após a transição demográfica : simulações de propostas de reforma

Vigna, Bruno Zanotto
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Relevância na Pesquisa
66.77%
É consenso que as tendências demográficas de longo prazo estão por trás da deterioração das contas previdenciárias na grande maioria dos países do globo. O problema se agrava no Brasil, pois a informalidade do mercado de trabalho exclui milhões de potenciais contribuintes do regime de repartição. O trabalho mensura, através de simulações de um modelo de longo prazo, qual o impacto fiscal das mudanças introduzidas pela transição demográfica. E, admitindo a persistência dessa nova estrutura etária no país, simula quais propostas de reforma da previdência têm maior resultado na redução dos déficits atualmente registrados no INSS. Dentre as principais conclusões estão: (i) a transição demográfica sozinha é responsável por quase dobrar a alíquota previdenciária necessária para equilibrar o sistema, e; (ii) apesar de ser extremamente importante aprovar as propostas de reforma tradicionais (instituição de idade mínima, taxação dos inativos e mudanças nas regras de cálculo dos benefícios), aumentar a cobertura do regime de repartição através da inclusão dos aproximadamente 45 milhões de trabalhadores informais não-contribuintes reduz déficits em magnitude semelhante.

Janela de oportunidade demográfica : um estudo sobre os impactos econômicos da transição demográfica no Brasil

Kieling, Rejane Inês
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.94%
Este trabalho analisa as relações entre o processo de transição demográfica pelo qual o Brasil está passando e o crescimento econômico. Levando em consideração o que os demógrafos denominam de “janela de oportunidade demográfica”, o Brasil tem hoje uma potencialidade única para acelerar o crescimento econômico e conduzir o país para um desenvolvimento sustentado. O trabalho está dividido em três capítulos. Partindo da discussão filosófica entre o iluminista Marquês de Condorcet e o pastor anglicano Thomas Malthus, apresenta-se a teoria da transição demográfica e a relação entre transição demográfica e desenvolvimento econômico, com destaque para a transição das tendências de mortalidade e de fecundidade. O processo de transição demográfica que o Brasil está passando e as possibilidades de crescimento econômico advindas da demografia são apresentadas no segundo capitulo. No último, são discutidos dois pontos essenciais para o sucesso de qualquer política que vise crescimento econômico sustentável: o mercado de trabalho brasileiro e o sistema educacional do país. Apresenta-se, também, uma análise da desigualdade social no Brasil. Considerando-se que as oportunidades demográficas se apresentam tão somente por este lado...

A interação entre o desenvolvimento econômico e a transição demográfica do Brasil no século XX

Souza, Ângela Patricia Lima de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.55%
Este trabalho apresenta um estudo da interação do desenvolvimento econômico brasileiro ocorrido no século XX com a transição demográfica da mesma época. A mudança de comportamento da população brasileira nos mostra grande influência da economia, mas também que a evolução demográfica foi essencial para o desempenho econômico. O Brasil chegou ao final do século passado completamente diferente, tanto no âmbito econômico como demográfico, do país de 1900. Quando o centro da pirâmide etária brasileira alargou, o país pôde aproveitar uma indispensável variável para o desenvolvimento econômico, o capital humano. O Brasil termina o século XX com a maioria de sua população em idade ativa e vivendo um período de “Bônus Demográfico”, condição propícia ao desenvolvimento econômico. Resta agora aproveitar os resultados destas mudanças.; This paper presents a study of the interaction of Brazilian economic development occurred in the twentieth century with the demographic transition at the same era. The population’s behaviour change shows great influence of the economy, but also that the demographic evolution was essential to economic performance. Brazil has reached the end of the last century completely different...

O processo de envelhecimento e a transição demográfica na cidade de Rio Claro - SP

Munhoes, Leonardo Buldrini de Oliveira Neves
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 31 f.
POR
Relevância na Pesquisa
66.64%
The proposed work aims to analyze the due process of demographic transition and pronounced population aging present in the city of Rio Claro-SP and the implications that such situation entails the locality. Given that the city is at an advanced point of this phenomenon is noticed a large contingent of people aged over 65 years living on site, so they depend on actions in order to live with dignity. Therefore, the project has the aim of investigating the evolution of population, mainly focusing on the plot elderly, verifying the importance of state enterprises that were present in the town in the lives of citizens, for example, FEPASA and Cesp; O trabalho proposto visa analisar o processo de transição demográfica e de acentuado envelhecimento demográfico presente na cidade de Rio Claro-SP e as implicações que tal situação acarreta à localidade. Tendo em vista que a cidade encontra-se em um nível avançado desse fenômeno, é notado um grande contingente de pessoas com idade superior a 65 anos residindo no local, que assim dependem das ações do poder público e de suas famílias para conseguir viver dignamente. Sendo assim, o projeto possui o intuito de investigar a evolução da população, focando principalmente na parcela idosa...

Dissolução e formação de novas uniões : uma analise demografica das tendencias recentes no Uruguai

Wanda Maria Cabella Vaz
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/04/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.62%
O aumento do divórcio e das uniões consensuais nas camadas jóvens têm sido os rasgos mais reveladores da emergência de um novo pacto conjugal na sociedade uruguaia do fim do século XX. Este trabalho estuda a dinâmica demográfica das dissoluções conjugais e das uniões posdivórcio a partir da combinação de diversas fontes estatísticas. Seu objetivo é contribuir a um maior entendimento da nova instabilidade matrimonial e a subsequente complexidade das biografías conjugais, no marco das grandes transformações ocorridas na família uruguaia das duas últimas décadas. O estudo pretende também aportar à discussão sobre o início e as particularidades da segunda transicão demográfica num pais não desenvolvido ecom uma forte tradição secular; In the past two decades, divorce and cohabiting unions increased significantly in Uruguay. These two phenomena have been the most revealing features of the emergence of a new conjugal agreement. This research work analyses the demographic dynamics of conjugal dissolutions and repartnerings, drawing on different statistical sources (cross sectional official microdata and retrospective surveys). Its main purpose is to contribute to a further understanding of the new conjugal instability -and the subsequent complexity of marital histories- in the context of recent Uruguayan family change. It also aims at providing some evidence of the singularity of the Second Demographic Transition in a strongly seculariseddeveloping country

A Freguesia de Nossa Senhora das necessidades e Santo Antonio : 1841 a 1910 : a sua transição demografica

Barros, Edy Alvares Cabral de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 172f.| il., tabs
POR
Relevância na Pesquisa
46.64%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciencias Humanas; Empregando técnicas disponíveis em demografia histórica, que permitem a composicão das Fichas de Família, a autora estudou, no período de 1841 a 1910, a população da freguesia de Nossa Senhora das Necessidades e Santo Antônio, localizada na Ilha de Santa Catarina. A hipótese que norteia o presente trabalho é a de que esta população, na época em questão, evoluiu de tradicional para uma etapa de transição demográfica, em direção a uma sociedade moderna (malthusiana). A verificação da hipótese é feita através de indicadores de mortalidade (expectativa de vida ao nascer, coeficientes de mortalidade geral e infantil, entre outros), da influência da Igreja na sazonalidade dos casamentos e concepções e de outros fatores demográficos, tais como a idade da mulher ao casar, natalidade, tamanho médio da família e o intervalo entre os filhos. Os indicadores foram gerados com base nos documentos sobre população e registros paroquiais de batizados, casamentos e óbitos. Esboçados os critérios para avaliar a evolução das variáveis, foram realizados testes paramétricos e não paramétricos, conforme o caso...

O bônus populacional no Brasil: uma janela de oportunidades para o crescimento econômico do país

Brum, Debora
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 82 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.81%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio-Econômico. Economia.; A transição demográfica é caracterizada pela redução da taxa de mortalidade e redução da taxa de natalidade da população, na medida em que a transição vai avançando, as pessoas vão vivendo mais e a reposição da população vai ficando mais lenta, modificando a estrutura etária da população. Dentro desse contexto, temos dois períodos principais: o bônus populacional e o envelhecimento da população. O bônus populacional é o período da transição demográfica que a parcela da população em idade ativa é maior do que a razão de dependência total da população; esse momento representa uma janela de oportunidades econômicas, que se bem aproveitada pode ser a responsável pelo crescimento econômico do país. O Brasil está passando por esse fenômeno e para que a janela seja aproveitada é necessário, a priori, que a economia esteja aquecida e que todos àqueles que estejam dispostos a trabalhar, possam fazê-lo. Mesmo que o bônus passe despercebido, o segundo período é inevitável: o envelhecimento da população, que trará, com o aumento da população dependente em relação à população em idade ativa...

Transição demográfica : a experiência brasileira; Demographic transition : the Brazilian experience

Vasconcelos, Ana Maria Nogales; Gomes, Marília Miranda Forte
Fonte: Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde Publicador: Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.71%
Objetivo: descrever o processo de transição demográfica no Brasil e suas grandes regiões. Métodos: estudo descritivo com dados dos Censos Demográficos de 1950 a 2010, e estimativas da dinâmica demográfica publicadas pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Rede Interagencial de Informações para a Saúde (RIPSA). Resultados: desde 1950, as quedas dos níveis de mortalidade, natalidade e fecundidade caracterizaram o processo de transição demográfica brasileiro; a estrutura etária iniciou seu processo de envelhecimento; essas mudanças não ocorreram simultânea, nem homogeneamente, nas grandes Regiões brasileiras; enquanto Sudeste, Sul e Centro-Oeste se encontram mais adiantadas nesse processo, Norte e Nordeste permanecem com níveis de mortalidade e fecundidade mais elevados e estruturas etárias menos envelhecidas. Conclusão: ainda que os níveis de fecundidade tenham declinado abaixo do nível de reposição na maior parte do país, todavia não se alcançou o equilíbrio demográfico, com baixos níveis de mortalidade e natalidade. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; Objective: to describe the process of demographic transition in Brazil and its regions. Methods: descriptive study with demographic Census data from 1950 to 2010...

As implicações do movimento migratório e seu contributo sobre a dinâmica populacional das sociedades brasileira e portuguesa

Maciel, Andreia; Mendes, Maria Filomena; Santos, José
Fonte: Actas do XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais Publicador: Actas do XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.77%
O declínio e a manutenção da fecundidade em níveis inferiores à reposição geracional originaram a reflexão de uma segunda transição demográfica conforme propôs Lesthaeghe e Van de Kaa (Van de Kaa, 2002). Nos países desenvolvidos onde são bastante reduzidos os níveis da fecundidade e elevados os níveis de envelhecimento populacional, a imigração tem revelado um papel importante sobre sua dinâmica populacional, suscitando a ideia, entre autores como Coleman (2006), da ocorrência de uma terceira transição demográfica. Portugal insere-se neste quadro, tendo deixado de garantir a renovação geracional desde a década de 1980, sendo que seu crescimento populacional vem sendo determinado “quase exclusivamente pelo saldo migratório dado que o saldo natural observado é diminuto” (Carrilho, 2010:135). O país, tradicionalmente de emigração passa a ser também, principalmente após sua adesão à União Europeia, um país de imigração, passando a experimentar fluxos imigratórios cada vez mais intensos. Conforme os dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteira (SEF) entre 1980 e 2009 a população estrangeira residente em Portugal passou de 50750 indivíduos para 451752, maioria em idade activa. Entre estes...

Das causas às conseqüências econômicas da transição demográfica no Brasil

Paiva,Paulo de Tarso Almeida; Wajnman,Simone
Fonte: Associação Brasileira de Estudos Populacionais Publicador: Associação Brasileira de Estudos Populacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.82%
As relações entre crescimento populacional e desenvolvimento desafiam estudiosos por muito tempo e referem-se tanto aos impactos do crescimento e estrutura da população sobre o crescimento e a distribuição da renda (crescimento econômico), quanto sobre os impactos do crescimento econômico sobre o crescimento e a estrutura da população. Há cerca de três décadas discutiam-se as causas e conseqüências do crescimento populacional. Hoje, discutem-se as causas e conseqüências da transição demográfica. Muita coisa mudou no mundo e, do ponto de vista demográfico, a maior mudança foi a universalização do processo de transição demográfica. Expressões como "bomba demográfica" foram substituídas por "bônus demográfico" ou "janela de oportunidades". Este artigo pretende examinar como essas relações entre população e economia foram interpretadas e discutidas e como influenciaram o pensamento, a pesquisa acadêmica e, eventualmente, algumas propostas de políticas públicas no Brasil. O artigo procura sumariar os avanços que estão em curso na pesquisa sobre população e economia e suas implicações para as políticas públicas e o desenvolvimento.

Transição demográfica e desigualdades sociais no Brasil

Brito,Fausto
Fonte: Associação Brasileira de Estudos Populacionais Publicador: Associação Brasileira de Estudos Populacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.96%
O artigo analisa a originalidade da transição demográfica no Brasil determinada pelos fortes desequilíbrios regionais e sociais. Ainda que única, enquanto um processo global que atinge toda a sociedade brasileira, a transição demográfica apresenta-se como múltipla, pois se manifesta diferentemente segundo as diversidades regionais e, principalmente, sociais. Nessa perspectiva, a transição demográfica está longe de ser considerada neutra: pode tanto criar possibilidades demográficas que potencializem o crescimento da economia e do bem-estar social da população, quanto ampliar as graves desigualdades sociais que marcam a sociedade brasileira. Essa situação torna-se mais complexa em função de o Brasil ainda estar inserido no grande ciclo de crescimento absoluto da sua população. Devido às desigualdades sociais e às correspondentes diferenças nas taxas de fecundidade total, a população mais pobre é a que mais tem crescido, com fortes conseqüências sobre as mudanças na estrutura etária. As relações entre os diversos indicadores da transição demográfica e a renda domiciliar per capita mostram que as diferenças sociais levam, no Brasil, a "desigualdades demográficas" maiores do que aquelas observadas entre as diferentes regiões. Seus benefícios...

Transição demográfica e transição do consumo urbano de água no Brasil

Carmo,Roberto Luiz do; Dagnino,Ricardo de Sampaio; Johansen,Igor Cavallini
Fonte: Associação Brasileira de Estudos Populacionais Publicador: Associação Brasileira de Estudos Populacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.81%
Este artigo discute que, embora o volume da população seja um aspecto relevante a se considerar na relação entre população e ambiente, existem outros fatores que podem ser ainda mais importantes. Na perspectiva demográfica, elementos como a composição e distribuição espacial da população são fundamentais. Em termos ambientais, o estilo de desenvolvimento e o nível de consumo são decisivos. O Brasil vive um momento de transições flagrantes. Por um lado, existe a transição demográfica (queda nas taxas de mortalidade e natalidade), marcada pelo rápido declínio na taxa de fecundidade total, de cerca de 6 filhos por mulher, em 1960, para menos de 2 filhos, em 2010. Por outro lado, há uma transição de consumo, discutida neste trabalho tendo como referência a melhoria da situação econômica do país e o aumento do consumo de água, que é causado tanto pela expansão do sistema de abastecimento em áreas urbanas quanto pela tendência de aumento do gasto per capita. Assim, enquanto houve uma redução significativa das taxas de crescimento populacional, o consumo de água apresentou tendência de aumento, como resultado de alterações nos padrões de acesso e níveis de consumo.

Diferenciais intra-urbanos de mortalidade em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, 1994: revisitando o debate sobre transições demográfica e epidemiológica

Paes-Sousa,Rômulo
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2002 PT
Relevância na Pesquisa
46.7%
Modelos de transições demográfica e epidemiológica não têm sido debatidos com grande freqüência pela comunidade acadêmica brasileira. Este estudo tem por objetivo rever criticamente os estudos referentes a estes modelos de transição, analisando suas contribuições e limites à investigação em saúde das populações urbanas do Brasil. Dados do Município de Belo Horizonte são usados para ilustrar os aspectos teóricos levantados neste artigo. Um total de 10.558 declarações de óbito do ano de 1994 foram processadas visando à classificação da causa básica do óbito e local de residência - 75 unidades geográficas. As áreas foram classificadas de acordo com a proporção de chefes de domicílio com baixa escolaridade. Estruturas populacionais e taxas de mortalidade ajustadas por sexo e idade das áreas foram comparadas. As taxas de mortalidade indicam que Belo Horizonte está experimentando múltiplos e desiguais processos de transição epidemiológica. Nas áreas mais pobres, as doenças infecciosas dos adultos têm sido substituídas pelos homicídos. Em geral, os achados sugerem que as grandes cidades brasileiras possuem padrões de mortalidade que variam de acordo com os diferenciais sociais e econômicos.

Assistência pública de saúde no contexto da transição demográfica brasileira: exigências atuais e futuras

Mendes,Antonio da Cruz Gouveia; Sá,Domicio Aurélio de; Miranda,Gabriella Morais Duarte; Lyra,Tereza Maciel; Tavares,Ricardo Antonio Wanderley
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.7%
Este estudo avalia a assistência hospitalar e ambulatorial e sua capacidade de responder às novas exigências neste contexto da transição demográfica brasileira. As informações foram obtidas dos estudos do IBGE, e sistemas de informações assistenciais do SUS (CNES, SIH e SIA). A redução das taxas de natalidade, fecundidade, mortalidade infantil e aumento da expectativa de vida ao nascer determinam ainda um crescimento demográfico, com redução da taxa de dependência, o que permite uma oportunidade para promover ajustes necessários. Entre 1999 e 2009, a população cresceu em mais 27,5 milhões de habitantes com redução de 26,7% dos leitos e 947 mil internações com distorções na distribuição por clínicas, mas com aumento da assistência de alta complexidade ambulatorial e hospitalar. Os resultados demonstram que vivemos um momento de transição do modelo assistencial que exige maior capacidade de planejamento do futuro da assistência à saúde, tornando mais complexa a rede assistencial e repensando o modelo de atenção à saúde, preparando-se para o grande crescimento da população idosa nas próximas décadas.

Transição demográfica

Rigotti,José Irineu Rangel
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.71%
Este artigo tem por objetivo principal analisar o papel que a dinâmica demográfica poderá exercer sobre a educação da população brasileira nas próximas décadas, com enfoque nas suas tendências e nas oportunidades que dela decorrem. Para atingir este objetivo, comenta-se brevemente alguns aspectos da transição demográfica e aquilo que alguns estudiosos denominam janela de oportunidades. Em seguida, discute-se a evolução da estrutura etária brasileira, a partir da razão de dependência e suas perspectivas, enfatizando o processo de envelhecimento populacional. Posteriormente, aborda-se a evolução das matrículas e do sistema de educação no Brasil, para então discutir algumas perspectivas de desenvolvimento, tendo em vista a escolaridade.

Estimações de elasticidade-substituição do trabalho segundo faixas etárias

Bragança, Raissa Carvalho
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 79f. : il., tabs., grafs., algumas color.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
47%
Orientador : Prof. Dr. Alexandre Alves Porsse; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Ecônomico. Defesa : 31/03/2015; Inclui referências; Resumo: O Brasil apresentou nas últimas décadas profundas transformações demográficas resultando em mudanças na sua estrutura etária, devido às reduções de suas taxas de mortalidade e de fecundidade. Ao longo desse processo, chamado de transição demográfica, pode-se observar tanto um crescimento populacional em um primeiro momento, como posteriormente um envelhecimento populacional, modificando a estrutura etária do país. A esse respeito, uma vasta literatura de demografia pauta as mudanças às quais a transição demográfica poderá trazer, já que o processo de envelhecimento atinge diversas áreas da economia e afeta diretamente o mercado de trabalho. Com uma população economicamente ativa cada vez mais madura e com menos jovens no estágio avançado da transição demográfica, torna-se necessário estudar estratégias para o aumento da produtividade e absorção da mão de obra mais idosa. Tendo este processo em mente, o objetivo deste trabalho foi estimar as elasticidades-substituição do trabalho segundo quatro faixas etárias segregadas por três níveis de qualificação (baixo...

Estrutura etária, bônus demográfico e população economicamente ativa no Brasil: cenários de longo prazo e suas implicações para o mercado de trabalho; Texto para Discussão (TD) 1528: Estrutura etária, bônus demográfico e população economicamente ativa no Brasil: cenários de longo prazo e suas implicações para o mercado de trabalho; Texto para Discussão Cepal Ipea 10: Estrutura etária, bônus demográfico e população economicamente ativa no Brasil: cenários de longo prazo e suas implicações para o mercado de trabalho; Age structure, demographic dividend and economically active population in Brazil: long-term scenarios and their implications for the labor market

Alves, José Eustáquio Diniz; Vasconcelos, Daniel de Santana; Carvalho, Angelita Alves de
Fonte: Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL); Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL); Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
46.64%
O trabalho expõe como o Brasil vem atravessando sua transição demográfica, saindo de um regime de alto crescimento populacional no século XX para uma fase de crescimento moderado, podendo mesmo, nas próximas décadas, vir a testemunhar uma redução de sua população. Com a noção de transição demográfica estabelecida na introdução, as próximas seções introduzem o leitor nas condições recentes de evolução da população brasileira, e avançam em um exercício de prognóstico de quais seriam os possíveis cenários, relacionando população brasileira e economia nas próximas décadas até meados do século XXI.; 36 p. : il.

Um ensaio sobre transição demográfica, geração de emprego e migração*

Soares, Cristiane; Campos, Marden
Fonte: Cadernos OBMigra - Revista Migrações Internacionais Publicador: Cadernos OBMigra - Revista Migrações Internacionais
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 07/09/2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.64%
As projeções populacionais têm apontado uma redução da população jovem no Brasil e um progressivo envelhecimento populacional. Além das mudanças na estrutura etária, outro aspecto que tem alterado a composição da população é a migração internacional. Desde a década de 2000, observa-se uma reversão do saldo migratório internacional, assim como um aumento dos pedidos de vistos de trabalho de estrangeiros. O crescimento da escolaridade da população economicamente ativa tem contribuído também para a alteração do perfil da mão de obra no País. Neste sentido, o artigo faz uma discussão sobre as mudanças demográficas em curso, cujo padrão projetado implicará em mudanças para o mercado de trabalho. Além disso, são analisados alguns indicadores estruturais para o mercado de trabalho brasileiro com base nos microdados dos Censos Demográficos 2000 e 2010 por sexo e grupos de idade, identificando também os setores e ocupações mais dinâmicos em relação à geração de emprego. O estudo analisa ainda o perfil dos migrantes interno e internacional, para verificar se essa população pode vir a suprir uma possível escassez de mão de obra no Brasil, seja com relação a uma redução da PEA ou um descompasso de qualificação em decorrência de um novo quadro sociodemográfico.   10  Um ensaio sobre transição demográfica...

Diferenciais intra-urbanos de mortalidade em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, 1994: revisitando o debate sobre transições demográfica e epidemiológica

Paes-Sousa,Rômulo
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2002 PT
Relevância na Pesquisa
46.7%
Modelos de transições demográfica e epidemiológica não têm sido debatidos com grande freqüência pela comunidade acadêmica brasileira. Este estudo tem por objetivo rever criticamente os estudos referentes a estes modelos de transição, analisando suas contribuições e limites à investigação em saúde das populações urbanas do Brasil. Dados do Município de Belo Horizonte são usados para ilustrar os aspectos teóricos levantados neste artigo. Um total de 10.558 declarações de óbito do ano de 1994 foram processadas visando à classificação da causa básica do óbito e local de residência - 75 unidades geográficas. As áreas foram classificadas de acordo com a proporção de chefes de domicílio com baixa escolaridade. Estruturas populacionais e taxas de mortalidade ajustadas por sexo e idade das áreas foram comparadas. As taxas de mortalidade indicam que Belo Horizonte está experimentando múltiplos e desiguais processos de transição epidemiológica. Nas áreas mais pobres, as doenças infecciosas dos adultos têm sido substituídas pelos homicídos. Em geral, os achados sugerem que as grandes cidades brasileiras possuem padrões de mortalidade que variam de acordo com os diferenciais sociais e econômicos.

Assistência pública de saúde no contexto da transição demográfica brasileira: exigências atuais e futuras

Mendes,Antonio da Cruz Gouveia; Sá,Domicio Aurélio de; Miranda,Gabriella Morais Duarte; Lyra,Tereza Maciel; Tavares,Ricardo Antonio Wanderley
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.7%
Este estudo avalia a assistência hospitalar e ambulatorial e sua capacidade de responder às novas exigências neste contexto da transição demográfica brasileira. As informações foram obtidas dos estudos do IBGE, e sistemas de informações assistenciais do SUS (CNES, SIH e SIA). A redução das taxas de natalidade, fecundidade, mortalidade infantil e aumento da expectativa de vida ao nascer determinam ainda um crescimento demográfico, com redução da taxa de dependência, o que permite uma oportunidade para promover ajustes necessários. Entre 1999 e 2009, a população cresceu em mais 27,5 milhões de habitantes com redução de 26,7% dos leitos e 947 mil internações com distorções na distribuição por clínicas, mas com aumento da assistência de alta complexidade ambulatorial e hospitalar. Os resultados demonstram que vivemos um momento de transição do modelo assistencial que exige maior capacidade de planejamento do futuro da assistência à saúde, tornando mais complexa a rede assistencial e repensando o modelo de atenção à saúde, preparando-se para o grande crescimento da população idosa nas próximas décadas.