Página 1 dos resultados de 550 itens digitais encontrados em 0.011 segundos

Sistemas de trabalho em turnos e seus impactos sobre a saúde dos trabalhadores : uma abordagem ergonômica

Silva, Marcelo Pereira da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
96.25%
A preocupação com a organização do trabalho vem se modificando nos últimos anos. O enfoque, anteriormente voltado ao volume de produção, hoje coloca os problemas de tolerância entre o trabalhador e a organização do trabalho no centro das atenções. Isso é evidenciado pelo número crescente de pesquisas sobre o assunto aplicadas em diferentes setores industriais. Nesse contexto, a necessidade de funcionamento contínuo das empresas traz consigo uma forma de organização com certas características, que podem gerar problemas de adaptação entre os horários de trabalho e as necessidades psicofisiológicas dos trabalhadores. A abordagem metodológica desenvolvida neste trabalho foi aplicada em duas empresas da indústria petroquímica para avaliar o reflexo de diferentes tipos de sistemas de trabalho em turnos sobre os trabalhadores. A avaliação foi realizada através de entrevistas com gestores, da aplicação de questionário com os trabalhadores e observação direta de critérios relacionados à agenda de turnos, organização do trabalho e promoção de saúde e educação. Constatou-se que ambas as empresas possuem problemas relacionados ao trabalho em turnos e que o nível de comprometimento aparente dos trabalhadores expostos varia conforme tempo de trabalho...

Efeitos do trabalho em turnos na saúde do trabalhador : revisão sistemática; Efecto del trabajo en turnos sobre la salud del trabajador: revisión sistemática; The effect of shift work on the health of workers: a systematic review

Gemelli, Karine Kummer; Hilleshein, Eunice Fabiani; Lautert, Liana
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
96.31%
Este estudo visa, por meio de uma revisão sistemática da literatura, descrever o efeito do trabalho em turnos na saúde do trabalhador. Foram utilizados os descritores “risco ocupacional”, “saúde ocupacional” e “trabalho em turnos” para publicações entre 2000 e 2007, disponíveis on-line. Foram selecionadas publicações das bases Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE) – associou-se Trabalho em Turnos e Risco Ocupacional e o primeiro com Saúde Ocupacional – e Scientific Eletronic Library Online (SciELO) – descritores foram usados isoladamente. Dos 117 artigos capturados, 37 foram incluídos, sendo 91,7% em inglês, 70,3% estudos transversais, 18,9% corte e 10,8% caso controle. As investigações abordam alterações cardiovasculares (24,4%), qualidade do sono e estado de alerta (17,7%), alterações metabólicas (13,3%), entre outros. Algumas pesquisas não associaram alterações da saúde dos trabalhadores ao trabalho em turno.; Este estudio tiene el objetivo de, por medio de una revisión sistemática de la literatura, describir el efecto del trabajo en turnos en la salud del trabajador. Se utilizaron los descriptores “riesgo ocupacional”, “salud ocupacional” y “trabajo en turnos” para publicaciones entre 2000 y 2007 disponibles on-line. Se seleccionaron publicaciones de las bases Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE) – asociándose Trabajo en Turnos y Riesgo Ocupacional y el primero con Salud Ocupacional – y Scientific Eletronic Library Online (SciELO) – se usaron descriptores aisladamente. De los 117 artículos escogidos se incluyeron 37 de los que un 91...

Trabalho em turnos nas empresas de Botucatu, São Paulo: estudo descritivo

Martinez, Miguel Angelo Rosa; Oliveira, Luiz Roberto de
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 213-220
POR
Relevância na Pesquisa
96.24%
Em face da inexistência de dados sobre esquema de trabalho em turnos em empresas de Botucatu, solicitaram-se delas informações sobre ramo de atividade, número de funcionários e esquema de trabalho. Às que registraram tal ocorrência, enviou-se um questionário visando à caracterização da forma de organização da jornada de trabalho. Das 66 empresas participantes da pesquisa, 14 referiram a existência de trabalho em turnos, englobando 6.541 funcionários, de um total de 9.502, sendo 2.346 de setores da produção. Nesses setores, os sistemas contínuo alternado e descontínuo permanente predominaram. em oito empresas os sistemas eram alternados, cinco delas com esquemas apresentando freqüência de revezamento de seis ou mais dias. São descritas outras formas de organização encontradas. Conclui-se que, com o quadro descrito, torna-se possível estudar as relações entre trabalho em turnos, saúde e vida social dos trabalhadores.; In view of the lack of information on shift-work schedules and working organization in companies located in Botucatu, São Paulo State, we obtained initial information on areas of economic activity, number of workers, and work schedules from companis by using facsimiles and mailgrams afler receiving a list of companies from the directory of the CIESP. To those who confirmed the use of work in shifts...

Efeitos do trabalho em turnos na saúde e em dimensões do contexto social e organizacional : um estudo na indústria eletrônica; Shiftwork effects on health and on social and organizational life : a study in the electronics industry

Prata, Joana Sofia Ribeiro; Silva, Isabel Maria Soares da
Fonte: Sociedade Brasileira de Psicologia Organizacional e do Trabalho Publicador: Sociedade Brasileira de Psicologia Organizacional e do Trabalho
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /08/2013 POR
Relevância na Pesquisa
106.3%
O estudo ocorreu em uma empresa industrial localizada em Portugal e teve como objetivo principal compreender os efeitos do trabalho em turnos. Especificamente, os turnos foram comparados ao nível da saúde, da vida familiar e social e da satisfação geral com o horário de trabalho (turno). Os dados foram recolhidos por meio de questionário junto a 490 trabalhadores, distribuídos por turnos fixos – manhã, tarde e noite – e turnos alternados. Os resultados indicam que os trabalhadores que realizam trabalho noturno apresentam maiores queixas de sono. Quanto às implicações na vida familiar e social, são os trabalhadores do turno da tarde os que referem maior interferência. A satisfação com o horário de trabalho também difere entre turnos, sendo que os de turnos alternados se encontram menos satisfeitos e manifestam maior desejo de mudança para o horário de trabalho considerado nor-mal, caso as condições salariais se mantivessem. O trabalho termina com a referência a possibilidades de intervenção passíveis de serem utilizadas pelas organizações no sentido de gerirem a adaptação aos diferentes horários de trabalho.; The study took place in a manufacturing company located in Portugal with the primary goal of understanding the effects of shiftwork...

Trabalho em turnos e dimensões sociais : um estudo na indústria têxtil; Shiftwork and social dimensions : a study in the textile industry; Trabajo por turnos y dimensiones sociales : un estudio en la industria têxtil

Ferreira, Ana Isabel Macedo Alves; Silva, Isabel Maria Soares da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Programa de Pós-graduação em Psicologia Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Programa de Pós-graduação em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /09/2013 POR
Relevância na Pesquisa
106.3%
O trabalho em turnos tem sido associado a diversas consequências na vida dos trabalhadores. Este estudo analisa as consequências do trabalho em turnos ao nível familiar, social e organizacional e de que forma tais dimensões podem interferir na adaptação a estes horários. Foi utilizada uma amostra de 239 trabalhadores de uma empresa têxtil portuguesa, distribuídos pelos seguintes horários: convencional (08h-12h30/13h30-17h), turno da manhã (06h/14h), turno da tarde (14h/22h) e turno da noite (22h/06h). Na coleta de dados foi usado um questionário para avaliar, entre outros aspectos, a relação do horário de trabalho com a vida conjugal, a vida social ou o apoio da empresa. Os resultados apontam para uma preferência dos trabalhadores relativamente ao turno da manhã, tendo este obtido os melhores scores em todos os aspectos. O horário convencional, por sua vez, apresenta os scores mais reduzidos. Genericamente, os resultados apontam para a importância de dimensões sociais na gestão do tempo de trabalho.; Shiftwork and social dimensions: A study in the textile industry. Shiftwork has been associated to several consequences on the lives of workers. This study analyzes such consequences at the family, social and organizational levels...

Fadiga e capacidade para o trabalho em turnos fixos de doze horas

Metzner,Ricardo Jorge; Fischer,Frida Marina
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
86.28%
OBJETIVO: Analisar as variáveis que interferem na percepção de fadiga e na capacidade para o trabalho em trabalhadores que executam suas atividades em turnos fixos diurnos e noturnos. MÉTODOS: Estudo transversal, com participação de 43 trabalhadores de turnos diurnos e noturnos de uma indústria têxtil, que trabalhavam em turnos fixos de 12 horas diárias e semana reduzida. Mediante vários questionários, o grupo estudado respondeu a questões sobre: fadiga, índice de capacidade para o trabalho, características individuais, estilos de vida e condições de trabalho. Foi feita análise de regressão linear univariada. RESULTADOS: Os fatores que influenciaram a percepção de fadiga associam-se a estilos de vida dos trabalhadores (a prática de exercício físico é um fator protetor) e à dificuldade em manter o sono, que, se presente, aumenta a percepção de fadiga. Os fatores associados à percepção do índice de capacidade para o trabalho (ICT) foram o tempo de exercício na função e o turno noturno de trabalho: quanto maior o primeiro, menor o ICT; trabalhar à noite aumenta o ICT. A duração da jornada diária de 12 horas pode provocar aumento considerável na carga de trabalho, influenciando a percepção do trabalhador sobre a capacidade para o trabalho...

Trabalho em turnos: estado geral de saúde relacionado ao sono em trabalhadores de enfermagem

Mendes,Sandra Soares; Martino,Milva Maria Figueiredo De
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
96.13%
O objetivo deste estudo foi identificar os sintomas referentes ao estado geral de saúde associado ao trabalho em turnos de enfermagem e relacioná-los com a qualidade do sono. O estudo foi realizado no Hospital da Irmandade da Santa Casa de Poços de Caldas, Minas Gerais. Participaram 136 profissionais de enfermagem, com média de idade de 33,1 anos, divididos nas seguintes categorias: enfermeiro (8,1%); técnico de enfermagem (80,9%); auxiliar de enfermagem dos turnos diurno e noturno (11%). Os sintomas de saúde foram identificados a partir do Inventário de Estado Geral de Saúde, e a qualidade do sono foi avaliada pelo Diário do Sono. Os dados foram estatisticamente significativos pelo Teste Qui-Quadrado (p=0,021) para a presença do sintoma de flatulência ou distensão abdominal no turno noturno. Constatou-se com a análise de regressão linear múltipla que os sujeitos do turno diurno que apresentaram os sintomas de má digestão (às vezes ou sempre) e irritabilidade (sempre) tiveram pior qualidade de sono noturno.

Trabalho em turnos nas empresas de Botucatu, São Paulo: estudo descritivo

Martinez,Miguel Angelo Rosa; Oliveira,Luiz Roberto de
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1997 PT
Relevância na Pesquisa
96.24%
Em face da inexistência de dados sobre esquema de trabalho em turnos em empresas de Botucatu, solicitaram-se delas informações sobre ramo de atividade, número de funcionários e esquema de trabalho. Às que registraram tal ocorrência, enviou-se um questionário visando à caracterização da forma de organização da jornada de trabalho. Das 66 empresas participantes da pesquisa, 14 referiram a existência de trabalho em turnos, englobando 6.541 funcionários, de um total de 9.502, sendo 2.346 de setores da produção. Nesses setores, os sistemas contínuo alternado e descontínuo permanente predominaram. Em oito empresas os sistemas eram alternados, cinco delas com esquemas apresentando freqüência de revezamento de seis ou mais dias. São descritas outras formas de organização encontradas. Conclui-se que, com o quadro descrito, torna-se possível estudar as relações entre trabalho em turnos, saúde e vida social dos trabalhadores.

Percepção dos efeitos do trabalho em turnos sobre a saúde e a vida social em funcionários da enfermagem em um hospital universitário do Estado de São Paulo

Costa,Ester de S.; Morita,Ione; Martinez,Miguel A. R.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2000 PT
Relevância na Pesquisa
96.27%
O trabalho em turnos existe desde o início da vida social dos homens, sendo utilizado em diferentes setores, como na indústria de produção de bens de consumo e de serviços. A área da saúde exige o sistema em turnos para manutenção de atividades durante 24 horas. Teve-se como objetivo identificar os sistemas de turnos em funcionários de enfermagem em um hospital universitário, avaliar a percepção sobre os prováveis efeitos do trabalho em turnos em sua saúde e vida social e o grau de participação desses funcionários na forma de organização de sua jornada. Trata-se de uma pesquisa descritiva e exploratória, cujos resultados foram obtidos mediante questionário aplicado a 348 funcionários da enfermagem do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, São Paulo. Dentre os resultados, observou-se que, em sua maioria, eles tinham menos de 40 anos, eram casados, do sexo feminino, com um filho pelo menos, cumprindo uma escala de turnos alternados, com freqüência de revezamento superior a quinze dias e referindo queixas de caráter neuro-psíquico, gastrintestinal e cardiovascular. Houve ainda queixas sobre relacionamento e tempo de convivência. Na maioria das vezes, era pouca a participação do funcionário na forma de organização de sua escala de trabalho.

Síndrome da Má-adaptação ao trabalho em turnos: uma abordagem ergonômica

Régis Filho,Gilsée Ivan
Fonte: Associação Brasileira de Engenharia de Produção Publicador: Associação Brasileira de Engenharia de Produção
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
96.34%
O sistema de trabalho em turnos e noturno por ir contra a natureza humana, eminentemente diurna, traz prejuízos para a saúde do trabalhador tanto nos aspectos físicos e psíquicos, como emocionais e sociais. As manifestações agudas como insónia, excessiva sonolência durante o trabalho, distúrbios de humor, aumento de acidentes e problemas familiares e as manifestações crônicas como desordens do sono, doenças cardiovasculares e gastrointestinais, separação e divórcio, compõem os sinais e sintomas da Síndrome da Má-adaptação ao Trabalho em Turnos. O presente trabalho teve por objetivos analisar a Síndrome da Má-adaptação ao Trabalho em Turnos e o Trabalho Noturno e apresentar um estudo de caso onde através de questionários foram pesquisados aspectos de cronobiologia, variáveis biológicas e psicossociais relacionadas com o trabalho em turnos e noturno em uma empresa do setor cerâmico de Santa Catarina que utiliza o sistema de trabalho em turnos não rodiziantes. O estudo de caso revelou que em média 1 em cada 5 trabalhadores apresentaram pelo menos um dos sintomas de inadaptação ao trabalho em turnos e noturno e que pelo menos 10% dos trabalhadores manifestaram sintomatologia característica da Síndrome da Má-adaptação ao Trabalho em Turnos.

Maquinistas ferroviários: trabalho em turnos e repercussões na saúde

Narciso,Fernanda Veruska; Teixeira,Cristiane Westin; Oliveira e Silva,Luciana; Koyama,Renata Guedes; Carvalho,Adriana Neves da Silva; Esteves,Andrea Maculano; Tufik,Sérgio; Mello,Marco Túlio de
Fonte: Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO Publicador: Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
106.23%
Objetivo descrever o impacto do trabalho em turnos na saúde, no sono e na qualidade de vida de maquinistas ferroviários. Métodos foram avaliados 611 maquinistas (escalas de trabalho 4 x 1 e 6 x 2), por meio de polissonografia, Índice da Qualidade do Sono de Pittsburgh, Índice de Gravidade de Insônia, Questionário de Qualidade de Vida SF-36, Questionário de Horne e Östberg, Capacidade de Trabalho e Escala de Sonolência de Epworth. Resultados os maquinistas apresentaram idade média de 36,6 ± 15,1 anos, 22% apresentaram obesidade e 38,1% risco para doenças cardiovasculares. Em relação ao sono, 64,2% dos maquinistas relataram qualidade ruim de sono, 11,6% apresentaram distúrbios do sono e 29,3% sonolência excessiva. Os resultados da polissonografia mostraram que 36...

Trabalho em turnos e dimensões sociais: um estudo na indústria têxtil

Ferreira,Ana Isabel; Silva,Isabel Soares
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
106.2%
O trabalho em turnos tem sido associado a diversas consequências na vida dos trabalhadores. Este estudo analisa as consequências do trabalho em turnos ao nível familiar, social e organizacional e de que forma tais dimensões podem interferir na adaptação a estes horários. Foi utilizada uma amostra de 239 trabalhadores de uma empresa têxtil portuguesa, distribuídos pelos seguintes horários: convencional (08h-12h30/13h30-17h), 1º turno (06h/14h; turno da manhã), 2º turno (14h/22h; turno da tarde) e 3º turno (22h/06h; turno da noite). Na coleta de dados foi usado um questionário para avaliar, entre outros aspectos, a relação do horário de trabalho com a vida conjugal, a vida social ou o apoio da empresa. Os resultados apontam para uma preferência dos trabalhadores relativamente ao 1º turno, tendo este obtido os melhores scores em todos os aspectos. O horário convencional, por sua vez, apresenta os scores mais reduzidos. Genericamente, os resultados apontam para a importância de dimensões sociais na gestão do tempo de trabalho.

Distúrbios do sono e acidentes ou incidentes no trabalho em turnos de profissionais de enfermagem

Bulhões, Claudia Corrêa; Ataíde Junior, Luiz (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
96.28%
Introdução: O trabalho em turnos pode alterar a qualidade do sono de profissionais de Enfermagem, especialmente naqueles trabalhando em unidades de terapia intensiva. Objetivo: Analisar a relação entre acidentes/incidentes de trabalho e distúrbios do sono em profissionais de enfermagem das unidades de terapia intensiva no Recife. Métodos: Estudo prospectivo, longitudinal, com duração de 12 meses, analítico, com comparação de grupos distribuídos por nível de formação. Foram avaliados 103 profissionais de Enfermagem trabalhando em turnos em unidade de terapia intensiva de dois hospitais, sendo um público e um privado, de agosto a dezembro de 2011, em primeira etapa, e de fevereiro a maio de 2012, em segunda etapa. A amostragem foi de conveniência, aleatória, estratificada, empregando para coleta dos dados: questionário sociodemográfico e de condições de trabalho; risco de acidentes; índice de Pittsburgh; escala de Epworth; síndrome de pernas inquietas e diagnóstico de movimentos involuntários dos membros; questionário de Berlim e de estado de alerta, além de exame físico direcionado aferindo circunferência cervical e classificação de Mallampati. A análise, realizada com o programa Statistical Package for Social Sciences...

Alterações gastrointestinais em trabalhadores de enfermagem em turnos

Lima, Helen de Oliveira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
86.29%
O trabalho em turnos é caracterizado pela continuidade das atividades realizadas pelos profissionais e possui como uma das maiores áreas de atuação, o ambiente hospitalar, no qual o cuidado é prestado durante as 24 horas do dia. Este sistema de trabalho pode causar efeitos na saúde dos trabalhadores, visto que altera o funcionamento biológico (ciclo circadiano). Dessa forma, o presente estudo visa descrever as alterações gastrointestinais em trabalhadores de enfermagem em turnos. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica realizada nas bases de dados BIREME, LILACS e SCIELO, com busca de artigos publicados nos últimos cinco anos. Constatou-se que os fatores predisponentes como estresse, as condições do ambiente de trabalho, o tabagismo, a má qualidade do sono e da alimentação podem causar alterações gastrointestinais em pessoas que trabalham em sistema de turnos. Baseado nesses aspectos sugeriu-se a melhoria nas condições do ambiente de trabalho, a promoção da saúde dos trabalhadores, aconselhamento nutricional, exercícios laborais e a realização de pesquisas referentes ao tema.; El trabajo por turnos es caracterizado por la continuidad de las actividades realizadas por los profissionales y tiene como una de las mayores áreas de actuación...

Trabalho em turnos: estado geral de saúde relacionado ao sono em trabalhadores de enfermagem; Trabajo por turnos: estado general de salud relacionado al sueño de trabajadores de enfermería; Shift work: overall health state related to sleep in nursing workers

Mendes, Sandra Soares; Martino, Milva Maria Figueiredo De
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2012 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
96.22%
O objetivo deste estudo foi identificar os sintomas referentes ao estado geral de saúde associado ao trabalho em turnos de enfermagem e relacioná-los com a qualidade do sono. O estudo foi realizado no Hospital da Irmandade da Santa Casa de Poços de Caldas, Minas Gerais. Participaram 136 profissionais de enfermagem, com média de idade de 33,1 anos, divididos nas seguintes categorias: enfermeiro (8,1%); técnico de enfermagem (80,9%); auxiliar de enfermagem dos turnos diurno e noturno (11%). Os sintomas de saúde foram identificados a partir do Inventário de Estado Geral de Saúde, e a qualidade do sono foi avaliada pelo Diário do Sono. Os dados foram estatisticamente significativos pelo Teste Qui-Quadrado (p=0,021) para a presença do sintoma de flatulência ou distensão abdominal no turno noturno. Constatou-se com a análise de regressão linear múltipla que os sujeitos do turno diurno que apresentaram os sintomas de má digestão (às vezes ou sempre) e irritabilidade (sempre) tiveram pior qualidade de sono noturno.; Se objetivó identificar síntomas referentes al estado general de salud asociado al trabajo por turnos de enfermería y relacionarlos con la calidad del sueño. Realizado en Hospital de la Hermandad de Santa Casa de Poços de Caldas...

O trabalho em turnos alternados e seus efeitos no cotidiano do trabalhador no beneficiamento de grãos; El trabajo en turnos alternados y sus efectos en lo cotidiano del trabajador que beneficia granos; Work in Rotating Shifts and its Effects on the Daily Life of Grain Processing Workers

Simões, Mariana Roberta Lopes; Marques, Flávia Cristina; Rocha, Adelaide de Mattia
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2010 ENG; POR; SPA
Relevância na Pesquisa
96.29%
Objetivou-se identificar os efeitos do trabalho em turnos alternados, no cotidiano dos trabalhadores no beneficiamento de grãos. Foi realizada pesquisa de coleta de dados, com abordagem quantitativa, em uma empresa de beneficiamento de grãos em Goiás, Brasil. Participaram da pesquisa 53 trabalhadores de turnos alternados. Foi elaborado e utilizado um questionário para a coleta de dados, baseado nos princípios da cronobiologia e no índice de qualidade do sono de Pittsburgh, com 31 questões fechadas e uma aberta. O resultado evidenciou que a qualidade de sono não é satisfatória para 50% dos participantes. As alterações fisiológicas mais evidenciadas se referiram ao trato digestivo. Quanto aos aspectos comportamentais, a irritabilidade foi destacada. Dos pesquisados, 70% consideraram que o lazer e a vida social ficam prejudicados pelo horário de trabalho. Conclui-se que existem manifestações negativas no cotidiano de pessoas que trabalham em turnos alternados, podendo afetar sua saúde física, mental e social.; Se tuvo por objetivo identificar los efectos del trabajo en turnos alternados en lo cotidiano de los trabajadores que benefician granos. Fue realizada una investigación de recolección de datos con abordaje cuantitativo en una empresa de beneficio de granos en Goiás - Brasil. Participaron de la investigación 53 trabajadores de turnos alternados. Fue elaborado y utilizado un cuestionario para la recolección de datos...

A influência da síndrome da má-adaptação ao trabalho em turnos na ocorrência dos acidentes do trabalho: um estudo de caso

Pavan, André Luís; Mestrado em Engenharia de Produção. Área Ergonomia, EPS/CTC/UFSC (2001). Orie
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; "Artigo Não Avaliado por Pares"; Descritiva Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/01/2001 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
106.29%
O sistema de trabalho em turnos e noturno traz prejuízo para a saúde do trabalhador nos aspectos físico, psíquico e social. Por não proporcionar uma condição favorável à adaptação humana pelas horas irregulares, pode influenciar na ocorrência de acidentes do trabalho. O impacto do trabalho em turnos e noturno gera a dessincronização orgânica dos ritmos biológicos, manifestando-se na forma de sintomas agudos (insônia, sonolência excessiva, acidentes do trabalho, etc.) e crônicos (doenças gastrintestinais e cardiovasculares, desordem no sono, etc.). Todos estes sintomas são característicos da Síndrome da Má-Adaptação ao Trabalho em Turno (SMTT). Com este trabalho pretendeu-se verificar a incidência de SMTT em trabalhadores que apresentaram registros de acidentes do trabalho numa empresa do setor cerâmico catarinense e averiguar a sua influência na ocorrência de tais acidentes. Para tal foram realizados levantamento bibliográfico sobre trabalho em turno, mais especificamente SMTT e acidentes do trabalho; levantamento do número de acidentes sofridos pela população pesquisada no período de janeiro de 1987 a agosto de 1999; entrevistas para identificação da presença dos sintomas de SMTT na população que apresentou acidentes do trabalho; tratamento estatístico dos resultados através da aplicação do teste qui-quadrado; e representação dos resultados através de gráficos. Dentre os resultados significativos encontrados estão: 21...

Qualidade de vida e capacidade para o trabalho dos profissionais em enfermagem no trabalho em turnos; Qualidade de vida e capacidade para o trabalho dos profissionais em enfermagem no trabalho em turnos

Mattéi Martins, Marilú; Mestrado em Engenharia de Produção
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; "Artigo Não Avaliado por Pares"; Descritiva Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/01/2003 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
86.28%
Este trabalho aborda a atividade dos profissionais em enfermagem, no enfoque da Qualidade de Vida (QV) e capacidade para o trabalho. Dessa forma, o objetivo foi investigar a QV e a capacidade para o trabalho dos profissionais de enfermagem e sua relação com os turnos de trabalho. Trata-se de um estudo descritivo correlacional realizado em um hospital universitário, com uma amostra de 168 profissionais em enfermagem. Utilizou-se o questionário WHOQOL-bref para avaliar a QV e o Índice de Capacidade para o Trabalho (ICT) para avaliar a capacidade para o trabalho, ambos são instrumentos de auto-avaliação e auto-aplicáveis. Além dos questionários, o instrumento incluiu dados para caracterização da amostra, turno de trabalho e ter ou não outro emprego. Os participantes do estudo eram adultos jovens, com idade média de 33,7 anos, na sua maioria (92,86%) do sexo feminino, distribuídos em 39,88% no turno da manhã, 26,19% no turno da tarde e 33,93% no turno da noite. Dentre os resultados, observou-se que no turno da manhã 79,01% dos trabalhadores obtiveram capacidade para o trabalho boa ou ótima e umescore médio de 66,41 para QV; no turno da tarde 81,82% obtiveram capacidade para o trabalho boa ou ótima e um escore médio de 66...

Percepção dos efeitos do trabalho em turnos sobre a saúde e a vida social em funcionários da enfermagem em um hospital universitário do Estado de São Paulo

Costa,Ester de S.; Morita,Ione; Martinez,Miguel A. R.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2000 PT
Relevância na Pesquisa
96.27%
O trabalho em turnos existe desde o início da vida social dos homens, sendo utilizado em diferentes setores, como na indústria de produção de bens de consumo e de serviços. A área da saúde exige o sistema em turnos para manutenção de atividades durante 24 horas. Teve-se como objetivo identificar os sistemas de turnos em funcionários de enfermagem em um hospital universitário, avaliar a percepção sobre os prováveis efeitos do trabalho em turnos em sua saúde e vida social e o grau de participação desses funcionários na forma de organização de sua jornada. Trata-se de uma pesquisa descritiva e exploratória, cujos resultados foram obtidos mediante questionário aplicado a 348 funcionários da enfermagem do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, São Paulo. Dentre os resultados, observou-se que, em sua maioria, eles tinham menos de 40 anos, eram casados, do sexo feminino, com um filho pelo menos, cumprindo uma escala de turnos alternados, com freqüência de revezamento superior a quinze dias e referindo queixas de caráter neuro-psíquico, gastrintestinal e cardiovascular. Houve ainda queixas sobre relacionamento e tempo de convivência. Na maioria das vezes, era pouca a participação do funcionário na forma de organização de sua escala de trabalho.

Trabalho em turnos nas empresas de Botucatu, São Paulo: estudo descritivo

Martinez,Miguel Angelo Rosa; Oliveira,Luiz Roberto de
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1997 PT
Relevância na Pesquisa
96.24%
Em face da inexistência de dados sobre esquema de trabalho em turnos em empresas de Botucatu, solicitaram-se delas informações sobre ramo de atividade, número de funcionários e esquema de trabalho. Às que registraram tal ocorrência, enviou-se um questionário visando à caracterização da forma de organização da jornada de trabalho. Das 66 empresas participantes da pesquisa, 14 referiram a existência de trabalho em turnos, englobando 6.541 funcionários, de um total de 9.502, sendo 2.346 de setores da produção. Nesses setores, os sistemas contínuo alternado e descontínuo permanente predominaram. Em oito empresas os sistemas eram alternados, cinco delas com esquemas apresentando freqüência de revezamento de seis ou mais dias. São descritas outras formas de organização encontradas. Conclui-se que, com o quadro descrito, torna-se possível estudar as relações entre trabalho em turnos, saúde e vida social dos trabalhadores.