Página 1 dos resultados de 769 itens digitais encontrados em 0.135 segundos

Avaliação fisiológica e agronômica de soja geneticamente modificada para maior tolerância à seca; Physiologic and agronomic evaluation of genetically modified soybean to improve drought tolerance

Salinet, Luana Held
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/02/2009 PT
Relevância na Pesquisa
75.98%
A soja é uma das culturas com maior importância sócio-econômica no mundo, visto o complexo agro-industrial que movimenta. A ocorrência de períodos de seca durante a estação de desenvolvimento das lavouras de soja é muito freqüente, provocando reduções drásticas na produtividade. Sendo a seca um fator limitante de produção fora do controle direto do homem, e a necessidade de suprir a demanda mundial crescente de alimentos, fazem com que a estabilidade da produtividade seja a chave para este entrave. O objetivo deste trabalho foi avaliar as respostas fisiológicas e agronômicas de dois genótipos de soja, um geneticamente modificado contendo a construção rd29A:DREB1A, visando maior tolerância à seca, e sua isolínea convencional, comparando-as frente a diferentes condições de disponibilidade hídrica no solo. Para tal, plantas de soja foram transformadas com o cassete rd29A:DREB1A, ambos elementos de Arabidopsis thaliana, introduzido por biobalística. O efeito da super expressão do gene AtDREB sobre parâmetros fisiológicos e agronômicos foi avaliado em casa de vegetação em três cultivos. Os experimentos foram instalados em blocos casualizados em arranjo fatorial (2x2), com quatros blocos e três amostras por bloco...

Estudo da expressão gênica entre cultivares de cana-de-açúcar contrastantes para a tolerância à seca

Dedemo, Gisele Cristina
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: xi, 108 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
85.9%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Agronomia (Genética e Melhoramento de Plantas) - FCAV; A cana-de-açúcar tem adquirido crescente importância no cenário mundial, não somente pela produção do açúcar, mas devido ao grande potencial como cultura bioenergética, sendo utilizada na produção do etanol, uma fonte energética alternativa, ecologicamente limpa e renovável e como co-geradora de energia elétrica através da queima do bagaço. O Brasil destaca-se mundialmente como o maior produtor da cultura e exportador de açúcar e etanol. Porém, esta cultura está sujeita a diferentes estresses ambientais, dentre os quais, a disponibilidade de água representa o principal fator que influencia o crescimento e o desenvolvimento vegetal e, conseqüentemente, a produtividade. Dessa forma, para a identificação dos possíveis genes envolvidos nas respostas de tolerância à seca em cana-de-açúcar, realizou-se, por meio da técnica de cDNA-AFLP, a análise comparativa do perfil de transcritos de duas cultivares tolerantes, SP83-5073 e RB867515 com o perfil de expressão da cultivar sensível à seca...

Caracterização fisiologica e molecular da tolerancia a seca e sua relação com o sistema radicular em especies de Coffea; Physiological and molecular characterization of drought tolerance and its relation with the root system in Coffea species

Adriana Brombini dos Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
85.98%
Plantas das cultivares Catuaí Vermelho e Mundo Novo de Coffea arabica L. e da cultivar Apoatã de C. canephora Pierre ex Froehner, e plantas de Mundo Novo enxertadas sobre Apoatã foram avaliadas quanto a possíveis estratégias utilizadas para suportar a baixa disponibilidade de água no solo. Em paralelo, foi conduzido um ensaio com suspensões celulares de Catuaí Vermelho sob estresse osmótico induzido por PEG. Assim, este estudo teve por objetivo examinar alguns mecanismos de tolerância à seca em café através da avaliação de aspectos morfológicos (sistema radicular), fisiológicos (ajuste osmótico) e moleculares (expressão de deidrinas e aquaporinas) em plantas jovens e cultura de células. A análise de expressão do gene CaDh1 (deidrina) em suspensão celular de café tratada com PEG (15% m/v), por 8, 24 e 72 h, mostrou aumento na atividade sob estresse osmótico, o que poderia estar associado a um possível mecanismo de proteção de membranas e macromoléculas contra a dessecação. Não foi verificada alteração na resposta dos genes PIP1, PIP2 e TIP1(aquaporinas) sob condição de estresse nas células de café. Plantas de café cultivadas em vasos (4,0 L) foram submetidas a estresse hídrico moderado por suspensão da irrigação...

Biotecnologia de cana-de-açúcar (Saccharum spp.) para tolerância a estresse hídrico; Biotechnology of sugarcane (Saccharum spp.) for drought stress tolerance

César Bueno de Souza
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
86.02%
O Brasil é o maior produtor mundial de cana-de-açúcar e no cenário atual, em que o aumento na busca por energia renovável é visível, o aumento na produtividade da cana é de extremo interesse para o setor sucroalcooleiro. Estresses abióticos influenciam grandemente a produtividade de espécies como a cana e, sendo assim, estudos relacionados com a tentativa de diminuir esse impacto na produtividade são de grande importância. A seca é o estresse ambiental que mais causa prejuízos ao agronegócio e por esse motivo é muito desejável que se desenvolvam novas variedades de cana-de-açúcar que sejam mais tolerantes a esses estresses e com isso o setor sucroalcooleiro será largamente beneficiado. A transgenia é uma das ferramentas utilizadas na produção de novos cultivares comerciais com características agronômicas interessantes e, para o seu sucesso, a identificação de genes com potencial para melhorar essas características faz-se necessária. Sendo assim, o maior objetivo desse trabalho foi a avaliação do potencial biotecnológico de seis genes de cana-de-açúcar que são modulados por seca. Os genes aqui estudados tiveram seu perfil de resposta a seca anteriormente avaliado por microarranjos de DNA e foram selecionados como candidatos para a produção de um novo cultivar de cana-de-açúcar que seja mais tolerante a estresses abióticos. Esses genes foram analisados em plantas transgênicas de tabaco...

Produção e tolerância à seca de cafeeiros

Mazzafera,Paulo; Carvalho,Alcides
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1987 PT
Relevância na Pesquisa
95.97%
Avaliaram-se dois experimentos de progênies instalados no Centro Experimental de Campinas (Instituto Agronômico), contendo híbridos entre introduções da Índia e da África, com linhagens dos cultivares Catuaí e Mundo Novo de Coffea arabica L. Apresentaram-se dados de treze anos de produção e de quatro anos, não consecutivos, de observações visuais de campo, em relação à tolerância à seca: as introduções C 1110-10 (cultivar BA-10, da Índia), C 1120-16 (cultivar X321, da Tanzânia) e C 1521-2 (cultivar BE-5, da Costa Rica) destacaram-se como as mais promissoras para fins de seleção de cafeeiros tolerantes à seca. Salientou-se, também, que é importante o acúmulo de informações sobre produtividade, pois algumas progênies pouco produtivas se mostraram tolerantes à seca. Outros experimentos, com progênies originadas de cafeeiros dos experimentos anteriores, foram avaliados quanto à produção.

Resposta fisiológica de clone de café Conilon sensível à deficiência hídrica enxertado em porta-enxerto tolerante

Silva,Vânia Aparecida; Antunes,Werner Camargos; Guimarães,Breno Lourenzzo Salgado; Paiva,Rita Márcia Cardoso; Silva,Vanisse de Fátima; Ferrão,Maria Amélia Gava; DaMatta,Fábio Murilo; Loureiro,Marcelo Ehlers
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.01%
O objetivo deste trabalho foi determinar alterações fisiológicas e de tolerância à seca em clones de café Conilon (Coffea canephora) contrastantes quanto à sensibilidade ao deficit hídrico. Foram avaliadas as enxertias recíprocas entre os clones 109A, sensível ao deficit hídrico, e 120, tolerante - 120/109A, 120/120, 109A/120, 109A/109A -, além de seus respectivos pés-francos. As plantas foram cultivadas em vasos de 12 L em casa de vegetação. Após seis meses, metade das plantas foi submetida ao deficit hídrico por meio da suspensão da irrigação, até que as folhas atingissem o potencial hídrico de antemanhã de -3,0 MPa. Quando o clone 120 foi usado como porta-enxerto, as plantas apresentaram sistema radicular mais profundo, mas com menor massa, retardaram por mais tempo a desidratação celular das folhas e apresentaram maior eficiência no uso da água. Sob seca severa, os teores de amido e sacarose decresceram em todos os tratamentos, enquanto os teores de glicose, frutose, aminoácidos totais e prolina aumentaram, particularmente nos tratamentos 109A pé-franco, 109A/109A e 120/109A. Essas plantas apresentaram menor eficiência no uso da água. O acúmulo de solutos não foi associado à tolerância à seca. O uso de porta-enxertos tolerantes à seca contribui para a maior tolerância das plantas ao deficit hídrico.

Características agronômicas e índice de colheita de diferentes genótipos de amendoim submetidos a estresse hídrico

Duarte,Elizabeth A. A.; Melo Filho,Péricles de A.; Santos,Roseane C.
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
85.79%
Objetivou-se, com este trabalho, avaliar os componentes agronômicos e o índice de colheita de genótipos de amendoim ereto e rasteiro submetidos a 27 dias de suspensão hídrica, no inicio da fase vegetativa. O experimento foi conduzido em casa de vegetação sob o delineamento inteiramente casualizado com esquema fatorial 8 x 2 (genótipos x tratamentos hídricos) com cinco repetições. As variáveis analisadas foram: peso seco da planta total, peso seco das raízes, altura da haste principal, produção de vagens planta-1, índice de colheita e índice de tolerância à seca. Verificou-se que os genótipos eretos apresentaram melhor ajuste fisiológico quando submetidos ao estresse hídrico prolongado destacando-se genotipo 55 437 como mais tolerante. Todos os genótipos rasteiros foram sensíveis ao estresse hídrico, porém LViPE-06 foi menos sensível, sendo o mais promissor para geração de populações divergentes.

Fenotipagem de milho para tolerância a deficiência hídrica e ao calor, em Teresina, Piauí.

CARDOSO, M. J.; BASTOS, E. A.; PARENTONI, S. N.; GUIMARAES, L. J. M.; GUIMARAES, P. E. de O.; ROCHA, L. M. P.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA, 17., 2011, Guarapari. Riscos climáticos e cenários agrícolas futuros: anais... Guarapari: Incaper, 2011. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA, 17., 2011, Guarapari. Riscos climáticos e cenários agrícolas futuros: anais... Guarapari: Incaper, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
95.85%
Trinta e seis híbridos de milho foram avaliados no ano de 2009 no município de Teresina, PI, sendo submetidos ao calor e a dois regimes de irrigação: plena e com deficiência hídrica, no período reprodutivo, objetivando selecionar genótipos que apresentem tolerância à seca e ao calor. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados, com três repetições. Foram avaliados o rendimento de grãos, componentes de produção e a eficiência do uso da água. A temperatura média máxima do ar, no campo, durante o período de deficiência hídrica foi de 36,5 oC. O rendimento médio de grãos e a eficiência de uso da água dos ensaios com irrigação plena e com deficiência hídrica foram de 8.029 kg ha-1; 11,4 kg ha-1 mm-1 e 3.718 kg ha-1; 7,0 kg ha-1 mm-1, respectivamente. O decréscimo no rendimento de grãos e na eficiência de uso da água foi, respectivamente, de 53,69 % e 38,6 %. No ensaio com deficiência hídrica dezesseis híbridos produziram acima da média geral (3.718 kg ha-1) com destaque para os híbridos DKB 390, 2 B 707, BRS 1001, BRS 1040, BRS 1031, BRS 2020 com rendimento de grãos acima de 5.000 kg ha-1. Os componentes de produção, número de fileiras de grãos por espiga, número de grãos por fileira...

Estratégias de engenharia genética para tolerância à seca em plantas através da expressão de fatores de transcrição.

NEPOMUCENO, A. L.; FUGANTI, R.; KANAMORI, N.; PEREIRA, S. dos S.; RODRIGUES, F. A.; NEUMAIER, N.; FARIAS, J. R. B.; MARCELINO, F. C.
Fonte: In: SIMPÓSIO SOBRE TOLERÂNCIA À DEFICIÊNCIA HÍDRICA EM PLANTAS: ADAPTANDO AS CULTURAS AO CLIMA DO FUTURO, 2010, Goiânia. Trabalhos apresentados... Santo Antônio de Goiás: Embrapa Arroz e Feijão, 2011. p. 103-109. (Embrapa Arroz e Feijão. Documentos, 265). Publicador: In: SIMPÓSIO SOBRE TOLERÂNCIA À DEFICIÊNCIA HÍDRICA EM PLANTAS: ADAPTANDO AS CULTURAS AO CLIMA DO FUTURO, 2010, Goiânia. Trabalhos apresentados... Santo Antônio de Goiás: Embrapa Arroz e Feijão, 2011. p. 103-109. (Embrapa Arroz e Feijão. Documentos, 265).
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: p. 103-109.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
85.79%
2011

Análises da expressão gênica por PCR quantitativo em tempo real (QPCR) de genes candidatos para a tolerância à seca em cafeeiro.

VINECKY, F.; ALVES, G. S. C.; VIEIRA, N. G.; FREIRE, L. P.; HEIMBECK, I. G. R.; FERRÃO, R. G.; FONSECA, A. F. A. da; FERRAO, M. A. G.; SILVA, V. A.; MARRACCINI, P.; ANDRADE, A. C.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 7., 2011, Araxá. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2011. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 7., 2011, Araxá. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
95.9%
A seca é uma das principais limitações climáticas à produção do cafeeiro. A importância dessa limitação deve aumentar, em função das mudanças reconhecidas no clima global e, também, porque a cafeicultura vem sendo expandida para regiões marginais onde a baixa pluviosidade e temperaturas desfavoráveis se constituem grandes limitações à produção do café. A seca induz diversas respostas fisiológicas e moleculares nas plantas, incluindo alterações da expressão gênica, visando atingir ajuste osmótico, a indução de reparadores de sistemas moleculares e a expressão de diversas proteínas protetoras. Existem diversas formas de se avaliar a expressão gênica em plantas submetidas ao estresse hídrico. Uma técnica amplamente utilizada nos últimos anos, para a análise quantitativa da expressão gênica é a de PCR quantitativo em tempo real (qPCR). O objetivo do presente trabalho foi analisar a expressão de 14 genes candidatos para a tolerância à seca em cafeeiro, pré-selecionados em estudos de macroarranjos de cDNA, utilizando clones de Coffea canephora (Clone 22 ? sensível e clones 14, 73 e 120 ? tolerantes ao estresse hídrico).; 2011

Desenvolvimento de cultivares de soja com tolerância à deficiência hídrica.

ARIAS, C. A. A.; OLIVEIRA, M. F. de; PIPOLO, A. E.; CARNEIRO, G. E. S.; MOREIRA, J. U. V.; KASTER, M.
Fonte: In: SIMPÓSIO SOBRE TOLERÂNCIA À DEFICIÊNCIA HÍDRICA EM PLANTAS: ADAPTANDO AS CULTURAS AO CLIMA DO FUTURO, 2010, Goiânia. Trabalhos apresentados... Santo Antônio de Goiás: Embrapa Arroz e Feijão, 2011. p. 130-134. (Embrapa Arroz e Feijão. Documentos, 265). Publicador: In: SIMPÓSIO SOBRE TOLERÂNCIA À DEFICIÊNCIA HÍDRICA EM PLANTAS: ADAPTANDO AS CULTURAS AO CLIMA DO FUTURO, 2010, Goiânia. Trabalhos apresentados... Santo Antônio de Goiás: Embrapa Arroz e Feijão, 2011. p. 130-134. (Embrapa Arroz e Feijão. Documentos, 265).
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
95.79%
Caracterização dos ambientes. Caracterização genética. Estratégias de melhoramento. Lançamento comercial de cultivares tolerantes à seca.; 2011

Tolerância de cultivares de mandioca (Manihot Esculenta) ao déficit hídrico.

DUARTE, S. de J.; ALVES, J. da S.; LEDO, C. A. da S.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE RECURSOS GENÉTICOS, 2., 2012, Belém, PA. Anais... Brasília, DF: Sociedade Brasileira de Recursos Genéticos, 2012. 1 CD-ROM. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE RECURSOS GENÉTICOS, 2., 2012, Belém, PA. Anais... Brasília, DF: Sociedade Brasileira de Recursos Genéticos, 2012. 1 CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
85.91%
O objetivo deste trabalho é verificar a tolerância à seca em variedades de mandioca. Manivas com 2 gemas de 6 variedades de mandioca (Do céu, Jaboti, Paulo Rosa, Cacau, Engana Ladrão e Cachimbo), foram plantadas em vasos plásticos de 32 cm x 15 cm, com aproximadamente 5 kg de substrato (solo + plantimax + areia lavada, 2:1:1). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado em esquema fatorial 6 x 2, sendo 6 variedades e 2 tratamentos: T1 - controle com irrigações periódicas mantendo o solo próximo a sua capacidade máxima de armazenamento de água; T2 - deficiência hídrica, imposta pela suspensão da irrigação. A partir de 60 DAP (dias após plantio), foram avaliados os seguintes caracteres: altura de planta, número de folhas, comprimento e largura da terceira folha, massa fresca e massa seca de toda a planta (parte aérea e raiz). Os dados foram submetidos a analise de variância e as medias dos tratamentos e as medias ao teste de Scott Knott 5% de probabilidade. De um modo geral, o déficit hídrico causou redução significativa na maioria dos parâmetros avaliados. As plantas estressadas se diferenciaram das plantas controle e em alguns caracteres avaliados, a variedade Do céu obteve menor estresse em condições déficit hídrico.; 2012

Anotação de genes relacionados à tolerância a seca em arroz (Oryza sativa) de terras altas.

SILVEIRA, R. D. D.; LANNA, A. C.; VIANELLO, R. P.; BRONDANI, C.
Fonte: In: SEMINÁRIO JOVENS TALENTOS, 7., 2013, Santo Antônio de Goiás. Coletânea dos resumos apresentados. Santo Antônio de Goiás: Embrapa Arroz e Feijão, 2013. Publicador: In: SEMINÁRIO JOVENS TALENTOS, 7., 2013, Santo Antônio de Goiás. Coletânea dos resumos apresentados. Santo Antônio de Goiás: Embrapa Arroz e Feijão, 2013.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Formato: p. 29.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
85.72%
O objetivo deste trabalho foi identificar e anotar os genes expressos em resposta ao déficit hídrico em tecido foliar de duas cultivares brasileiras de arroz de terras altas, a cultivar tolerante à seca Douradão e a cultivar sensível Primavera.; 2013; Apresentação oral - Pós-graduação.

Resposta fisiológica de clone de café Conilon sensível à deficiência hídrica enxertado em porta-enxerto tolerante.

SILVA, V. A.; ANTUNES, W. C.; GUIMARÃES, B. L. S.; PAIVA, R. M. C.; SILVA, V. de F.; FERRÃO, M. A. G.; DAMATTA, F. M.; LOUREIRO, M. E.
Fonte: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.45, n.5, p.457-464, maio. 2010 Publicador: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.45, n.5, p.457-464, maio. 2010
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.01%
Resumo ? O objetivo deste trabalho foi determinar alterações fisiológicas e de tolerância à seca em clones de café Conilon ( contrastantes quanto à sensibilidade ao deficit hídrico. Foram avaliadas as enxertias recíprocas entre os clones 109A, sensível ao deficit hídrico, e 120, tolerante ? 120/109A, 120/120, 109A/120, 109A/109A ?, além de seus respectivos pés-francos. As plantas foram cultivadas em vasos de 12 L em casa de vegetação. Após seis meses, metade das plantas foi submetida ao deficit hídrico por meio da suspensão da irrigação, até que as folhas atingissem o potencial hídrico de antemanhã de -3,0 MPa. Quando o clone 120 foi usado como porta-enxerto, as plantas apresentaram sistema radicular mais profundo, mas com menor massa, retardaram por mais tempo a desidratação celular das folhas e apresentaram maior eficiência no uso da água. Sob seca severa, os teores de amido e sacarose decresceram em todos os tratamentos, enquanto os teores de glicose, frutose, aminoácidos totais e prolina aumentaram, particularmente nos tratamentos 109A pé-franco, 109A/109A e 120/109A. Essas plantas apresentaram menor eficiência no uso da água. O acúmulo de solutos não foi associado à tolerância à seca. O uso de porta-enxertos tolerantes à seca contribui para a maior tolerância das plantas ao deficit hídrico.; 2010

Efeito do deficit de agua no periodo reprodutivo sobre a producao de feijao.

MAGALHAES, A. A. de; MILLAR, A. A.
Fonte: Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasilia, DF, v. 13, n. 2, p. 55-60, 1978. Publicador: Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasilia, DF, v. 13, n. 2, p. 55-60, 1978.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
85.88%
Usando um delineamento de blocos casualizados com 9 tratamentos e 3 repeticoes, estudou-se a tolerancia, a seca, do feijao, cultivar "IPA-74-19". Os tratamentos consistiram em diferentes numeros de dias de deficit de agua, 8 a 29 dias, usando-se uma faixa fenologica em torno do periodo mais critico, a partir do inicio da floracao. O conteudo de agua no solo foi mantido num nivel otimo antes e apos o periodo de seca. Por ocasiao da colheita fizeram-se determinacoes de producao de graos, numero de vagens por planta, e numero de graos por vagem. Para a producao de graos por vagem, verificaram-se diferencas significativas ao nivel de 1% de probabilidade entre os tratamentos; entretanto, para producao de vagens por planta, houve diferenca significativa entre os tratamentos ao nivel de 5%. Apos 14, 17 e 20 dias sem irrigacao, as reducoes nos rendimentos foram de 20, 38 e 52%, respectivamente, permanecendo quase constantes ate o final de 29 dias de seca.; 1978

Uso de bioestimulantes e enraizadores no crescimento inicial e tolerância à seca em cana-de-açúcar; Biostimulants and use of reinforcers on the grouth and drought tolerance in sugar cane

Wanderley Filho, Humberto Cristiano de Lins
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; BR; Agronomia; Produção vegetal; Proteção de plantas; Programa de Pós-Graduação em Agronomia; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; BR; Agronomia; Produção vegetal; Proteção de plantas; Programa de Pós-Graduação em Agronomia; UFAL
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
95.91%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; A cana-de-açúcar (Saccharum spp) é uma cultura em expansão no Brasil, necessitando de práticas que aumentem a produtividade nos diferentes ecossistemas do país. Dessa forma, o presente trabalho, teve como objetivo avaliar o crescimento inicial e a tolerância à seca da variedade de cana-de-açúcar RB92579 com a aplicação de bioestimulantes e enraizadores. Para isso, foi realizado um experimento em casa de vegetação, em delineamento inteiramente casualizado. Os tratamentos utilizados foram: T1 Controle; T2 - AIB (Ácido Indolbutírico), na concentração de 1000 mg.L-1; T3 - B+Zn (Bórax, 10 Kg por hectare + Sulfato de Zinco, 20 Kg por hectare); T4 - Triptofano, 7,2 Kg por hectare; T5 - (Kymon Plus®, 1,0 L por hectare + Potamol® 0,5 L por hectare) e T6 - Stimulate®, 0,5 L por hectare. Aos 41 e 124 DAP foram coletados dados morfológicos e de biomassa para análise do crescimento inicial da planta. Aos 117 dias após o plantio foi suspensa a rega por 36 horas para avaliar o efeito dos bioestimulantes e enraizadores em mitigar o efeito do estresse hídrico. A aplicação de AIB e Stimulate® proporcionaram maiores taxas de crescimento e acúmulo de biomassa. A aplicação de Ubyfol e Stimulate® proporcionaram maiores trocas gasosas na ausência de estresse hídrico e aumentaram a eficiência quântica efetiva do PSII mesmo quando a plantas estavam sob estresse hídrico...

Análise do papel do microtranscritoma na tolerância à seca em cana-de-açúcar : Analysis of sugarcane microtranscritome in drought tolerance; Analysis of sugarcane microtranscritome in drought tolerance

Lara Isys Dias
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
76.02%
A cana-de-açúcar (Saccharum spp.) é a cultura mais promissora para a obtenção de energia renovável, tendo sua produção movida pelo setor sucroenergético. O Brasil é o maior produtor mundial e os cultivares atualmente utilizados são híbridos interespecíficos aneuplóides, resultado do melhoramento genético clássico. As espécies selvagens que deram origem a esses cultivares, Saccharum officinarum e Saccharum spontaneum, possuem características importantes para a produção como alto teor de sacarose e resistência à doenças e estresse abióticos, respectivamente. Contudo, as perdas de produtividade são frequentes nas regiões produtoras. A regulação gênica mediada por microRNAs pode estar relacionada a mecanismos de tolerância a estresses abióticos. Os microRNAs são sequências de RNA de 19-24 nucleotídeos. Esses pequenos RNAs (sRNAs) atuam no silenciamento gênico através da clivagem ou repressão da tradução de genes alvos, por similaridade quase perfeita de suas sequências. Neste trabalho foi realizada a análise do microtranscritoma de plantas de cana-de-açúcar com 11 meses, cultivadas em campo sob regimes de irrigação (controle) ou sequeiro (estressado). Amostras de sRNAs folhas de quatro cultivares foram sequenciadas (RB867515...

Pré-melhoramento de mandioca: utilização de espécies silvestres de Manihot como fonte de resistência a estresses bióticos e abióticos.

ALVES, A. A. C.; RODRIGUEZ, M. A. D.; FARIAS, A. R. N.; SILVA, A. F.; BELLOTTI, A.; FREGENE, M.
Fonte: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS GENÉTICOS, 2., 2008, Brasília, DF. Anais... Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 2008. Publicador: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS GENÉTICOS, 2., 2008, Brasília, DF. Anais... Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 2008.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Formato: p. 78.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
85.84%
A mandioca (Manihot esculenta Crantz) é considerada um dos mais importantes alimentos básicos na dieta humana dos trópicos. Apesar de sua rusticidade, ela sofre grandes perdas causadas por fatores bióticos e abióticos. O programa de melhoramento de mandioca da Embrapa vem trabalhando apenas com a diversidade genética desta única espécie cultivada do gênero Manihot. As espécies silvestres, que abrigam genes de resistência aos principais estresses que afetam a mandioca, são muito pouco estudadas e muitas delas estão ameaçadas de extinção. O potencial de utilização de espécies silvestres tem sido confirmado por vários estudos desenvolvidos pelo CIAT, na Colômbia e pela Embrapa, no Brasil, dos quais destacamos os seguintes resultados: 1) moderado a alto níveis de resistência a ácaro, mosca branca e cochonilha foram encontrados em híbridos interespecíficos de M. esculenta sub spp flabellifoliar; 2) a única fonte de resistência a mandarová e uma fonte de resistência ao vírus do mosaico foram identificadas na 4ª progênie de retrocruzamentos de M. glaziovii; 3) surpreendente redução da deterioração fisiológica pós-colheita foi identificada em um híbrido interespecífico entre M. esculenta e M. walkerae; 4) híbridos interespecíficos apresentaram altos níveis de resistência à antracnose e cercosporiose...

Características de tolerância à seca em genótipos de uma coleção nuclear de arroz de terras altas.

TERRA, T. G. R.; LEAL, T. C. A. de B.; RANGEL, P. H. N.; OLIVEIRA, A. B. de.
Fonte: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 50, n. 9, p. 788-796, set. 2015. Publicador: Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 50, n. 9, p. 788-796, set. 2015.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96%
O objetivo deste trabalho foi avaliar características morfofisiológicas relacionadas à tolerância ao estresse hídrico em genótipos de uma coleção nuclear temática de arroz de terras altas, bem como identificar os materiais mais tolerantes. Foram avaliados 100 genótipos de arroz de terras altas em experimentos conduzidos com e sem estresse por deficiência hídrica. Os genótipos tenderam a aumentar o número de dias para o florescimento (FLO) e a diminuir a altura (ALT), na condição de estresse, mas manifestaram ampla variação de comportamento. A esterilidade das espiguetas (EST) foi a característica mais importante para a seleção, nas duas condições de cultivo, em razão de sua elevada correlação negativa com a produtividade. O número de perfilhos não diferiu entre os genótipos na condição sem estresse, mas houve diferença significativa sob estresse hídrico. Os genótipos Ligeiro e Canela de Ferro apresentaram baixos índices de susceptibilidade à seca (ISS), mas baixa produtividade em ambas as condições de cultivo; já os materiais Catetão, Jatobá e Arroz do Maranhão apresentaram elevada produtividade sob estresse e valores de ISS relativamente baixos. EST, FLO, ALT e ISS são características morfofisiológicas relacionadas à tolerância à seca...

Identificação de características agronômicas e fisiológicas relacionadas com a tolerância à seca em mandioca.

Fiuza, Danila Silva da
Fonte: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Publicador: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia
Relevância na Pesquisa
96.04%
Com o objetivo de estudar o efeito do déficit hídrico em variedades contrastantes de mandioca e identificar genótipos com potencial para tolerância à seca, foram conduzidos dois experimentos na Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical, em Cruz das Almas – BA. No primeiro experimento, foram estudadas 28 variedades de mandioca selecionadas como contrastantes para tolerância à seca por meio das seguintes características: Altura de planta, área foliar, comprimento do caule sem folha, retenção foliar, produtividade, condutância estomática e temperatura foliar. Em todas as épocas, foi observada redução nos parâmetros avaliados em resposta a baixos valores de potencial hídrico do solo. A menor sensibilidade ao déficit hídrico foi observada nos genótipos Engana Ladrão, Fio de Ouro e Pretinha V. No segundo experimento foram utilizados quatro variedades contrastantes de mandioca: Engana Ladrão, Tai 8, Pretinha V e COL 1468. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualisado com cinco repetições. Os tratamentos foram dois: T1 - controle; T2 - deficiência hídrica. As avaliações realizadas foram: Umidade do solo, altura de planta, área foliar total, número de folhas, crescimento da folha, condutância estomática...