Página 1 dos resultados de 52 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Escrita e autoria: vozes que constituem e atravessam o discurso do sujeito-professor; Writing and authorship: voices that constitute and traverse the discourse of teacher subject.

Souza, Juliana Christina Rezende de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
26.71%
Pretendemos investigar, filiados à Análise de Discurso de linha francesa, a assunção (ou não) à autoria pelo sujeito - professor no contexto escolar, por meio de textos escritos. Pela Análise de Discurso, entendemos que o sujeito, considerado como posição discursiva, pode ocupar a posição - autor dependendo das condições de produção nas quais formula seus dizeres, costurando o intradiscurso (o fio discursivo) no interdiscurso (relação com outros discursos, o já-dito), historicizando, assim, o que diz. Utilizamos, para compreender o movimento do sujeito em relação à autoria no texto escrito, recortes de um corpus formado por 15 textos dissertativo-argumentativos produzidos por 03 sujeitos - professores que atuam no Ensino Fundamental na cidade de Ribeirão Preto. Para a produção desses textos, os sujeitos foram convidados à leitura de textos fílmicos, literário, científico que foram discutidos em 05 encontros, com o objetivo de fazer circular uma multiplicidade de sentidos sobre educação, tema central das produções dos sujeitos. Para compreendermos, então, o funcionamento do discurso dos sujeitos professores no contexto escolar, retomamos a tipologia discursiva de Orlandi (2006a), observando que o discurso pedagógico tende a ser autoritário...

Texto dissertativo: um produto para o ensino; Dissertative text: a product for teaching

Nunes, Leandro Anderson de Loiola
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
67.01%
O estudo do ensino de textos dissertativos, a partir de materiais didáticos apostilados de língua portuguesa, mostra-se relevante neste início de século XXI, devido a uma estreita relação entre esses materiais e as grandes redes de ensino privadas. Observa-se uma padronização de conteúdos, para a produção de textos dissertativos com a finalidade de levar o aluno a ser aprovado no exame vestibular. O objetivo deste trabalho é examinar os apostilados do Sistema Anglo de Ensino no que se refere à produção de textos dissertativos. Esse sistema de ensino, conhecido também por sua tradição, aprova, em geral, conceituados e concorridos exames vestibulares nas importantes universidades brasileiras. O objeto de pesquisa trata do conteúdo no ensino de produção do texto dissertativo enquanto enunciado discursivo. Estabeleceu-se como parâmetro de pesquisa os seguintes conceitos: gênero, texto e relações dialógicas, na perspectiva de Bakhtin e o Círculo. A esses três núcleos conceituais procura-se o efeito retroativo exercido pelo exame vestibular, bem como as noções de modelo para o texto bem escrito, muito enfatizadas pelo Sistema Anglo de Ensino, no material. A metodologia utilizada para a análise parte do estudo do enunciado a fim de estabelecer possíveis relações dialógicas entre as sequências didáticas e os eixos teóricos definidos pelo material didático. Foi analisado um conjunto de 36 apostilas...

"Portanto, conclui-se que": processos de conclusão em textos argumentativos; "Portanto, conclui-se que": conclusion processes in argumentative texts

Defendi, Cristina Lopomo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.34%
Esta pesquisa tem como objetivo descrever as construções linguísticas usadas para marcar a conclusão de um texto dissertativo-argumentativo e analisar, pela perspectiva da Gramaticalização e da Cognição, a construção mais frequente. Para tanto, uso um corpus composto por 500 redações de vestibular da FUVEST (Fundação para o vestibular USP), produzidas nos anos de 2007 a 2011, consideradas as melhores pela banca corretora. Como material de controle, analiso redações da FUVEST, de mesmos anos, consideradas as piores, bem como redações escolares e textos jornalísticos argumentativos (editoriais e artigo de opinião). Fundamento teoricamente esta tese nos estudos sobre Cognição, a partir de Tomasello (2003) e Bybee (2010), sobre Gramaticalização, com Diewald (2006), Traugott e Dasher (2005), Traugott (2008), Lehmann (1985, 2002 e 2011) e sobre Texto, com Halliday (1973), Halliday e Hasan (1976) e Koch (2002). Todo o material analisado teve tratamento quantitativo e qualitativo e chegou-se à determinação de quatro formas básicas de conclusão textual com uso de uma marca gramatical ou lexical para esse fim: fecho de raciocínio lógico, retomada, finalização e sinalização de conclusão. A construção mais frequente utilizada para concluir o texto (o portanto...

Argumentação, livro didático e discurso jornalístico: vozes que se cruzam na disputa pelo dizer e silenciar; Argumentation, textbook and journalistic discourse: voices that cross in dispute between to say and to silence

Lemes, Noemi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/07/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.8%
Este trabalho buscou analisar, ancorado na Análise de Discurso de filiação francesa, a qual tem em Michel Pêcheux seu autor de referência, quais as posições discursivas ocupadas por sujeitos-alunos do último ano do Ensino Médio quando lhes é solicitada a produção de um texto dissertativo-argumentativo. Isso porque, na perspectiva discursiva o ato de argumentar constitui-se como uma posição discursiva que o sujeito pode ou não ocupar. Investigamos, assim, quais as implicações, para esses sujeitos-alunos, do modo como a argumentação é tratada, no livro didático, uma vez que a circulação do discurso jornalístico é usada como modelo de texto argumentativo a ser seguido por esses estudantes. Para isso, partimos de um corpus constituído por quatro livros didáticos de língua portuguesa utilizados, no Ensino Médio, nos dias atuais, em escolas públicas da cidade de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo e, também, por textos dissertativo-argumentativos produzidos por sujeitos-alunos do terceiro ano do Ensino Médio que frequentam essas escolas. Analisamos, primeiramente, as seções dos livros didáticos de língua portuguesa destinadas ao ensino do texto argumentativo e verificamos que, dos quatro livros analisados...

Um estudo sobre a paráfrase em redações de vestibular; study on paraphrase in college application essays

Gonzales, Karen Liliana Osorio
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/05/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.57%
Este estudo tem por objetivo investigar o procedimento parafrástico em redações de vestibular com base na hipótese de que nos textos analisados os distintos tipos de procedimentos parafrásticos empregados permitem vislumbrar diferentes concepções de língua no ensino da escrita. Desse modo, as reformulações do tipo paráfrase discursiva produzidas pelos escreventes, a partir dos posicionamentos históricos presentes nos textos da coletânea, constituem um mecanismo dialógicoargumentativo. O trabalho se fundamenta no conceito de paráfrase proposto pela corrente teórica da Análise do Discurso de linha francesa. De forma específica objetiva-se: a) investigar a ocorrência das chamadas paráfrase linguística e paráfrase discursiva em redações de vestibular em que a proposta de escrita é direcionada pelos textos da coletânea; b) analisar a paráfrase discursiva tomando-a como um procedimento dialógico-argumentativo no texto dissertativo; c) apontar razões para as ocorrências de reformulações parafrásticas encontradas. A presente investigação partiu de uma amostra de 205 redações das quais 137 apresentaram ao menos uma paráfrase de uma das filiações sócio-históricas veiculadas nos textos da coletânea fornecida na prova de redação do vestibular da FUVEST/2006. Das 137 redações que exibiram formulações em relação de paráfrase com os textos da coletânea...

Redações do ENEM/2012: réplicas ativas nas múltiplas vozes; Essays of Enem/2012: active responses in the multiple voices

Polachini, Nathália Rodrighero Salinas
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.34%
Nesta dissertação, o objetivo é investigar um conjunto de redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)/2012, analisando as relações dialógicas estabelecidas pelos escreventes a partir da interação ativa com as vozes reportadas para a defesa de um ponto de vista sobre o tema: O movimento imigratório para o Brasil no século XXI. Desde 2009, o Enem seleciona candidatos para o ingresso no ensino superior e a redação é o instrumento que solicita a elaboração de um texto dissertativo-argumentativo. A partir do total de 2720 redações cedidas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o corpus foi constituído por 121 redações, segundo dois critérios: (a) a faixa de desempenho de 200 a 1000 pontos, respeitando a diversidade de notas, e (b) as cinco regiões brasileiras, marcando a representatividade regional. A fundamentação teórica deste trabalho centra-se na perspectiva dialógica da linguagem de Bakhtin e o Círculo, principalmente, nos conceitos de enunciado concreto e discurso citado, e na perspectiva ideológica dos estudos de letramento. Assumindo o trabalho com a escrita como um processo de compreensão responsiva, esta pesquisa buscou compreender cada texto como uma réplica ativa à proposta de redação e aos discursos oficiais que dela ecoam. No conjunto das redações...

A questão da possibilidade da liberdade na Crítica da Razão Pura : uma interpretação de B 560 e B 586

Fagherazzi, Onorato Jonas
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.44%
É inegável que as passagens B 560 e B 586 da Crítica da Razão Pura sejam paradoxais. Isso porque, embora Kant tenha afirmado haver uma possibilidade da liberdade na solução da terceira antinomia (B 560), de forma aparentemente contraditória a esse resultado, alega, numa passagem da nona seção do segundo capítulo do segundo livro da dialética transcendental, sequer ter tido o problema de demonstrar a possibilidade daquele conceito. Esse problema, correlato à dificuldade de compatibilizar- se aquelas passagens, é a causa motriz do engendramento deste texto dissertativo. Logo, por meio dele, busca-se explicar por que razão tais passagens não são contraditórias. Não o são, porque a acepção do termo “possibilidade” nelas empregadas é ambígua, ou seja, possui mais de um significado. Como veremos, distinguindo o significado dos conceitos de possibilidade aí envolvidos, pode-se defender uma possibilidade lógica da idéia transcendental da liberdade enquanto númeno. Mas seria tal possibilidade lógica do conceito da liberdade transcendental um princípio regulativo? Que princípio regulativo seria ele? Ao se analisar esse segundo problema dissertativo, delimitando-se a segunda questão à relação da possibilidade da liberdade com os princípios regulativos em seu uso empírico...

Dissertação escolar: um gênero em discussão

Manzoni, Rosa Maria
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 236 f. il. anexo
POR
Relevância na Pesquisa
26.82%
Pós-graduação em Letras - FCLAS; Esta pesquisa tem por objetivo investigar a textualização das produções dissertativas escritas na escola, de concluintes do Ensino Médio e ingressantes no Ensino Superior. Pretende, portanto, estudar suas dimensões textuais e discursivas, detectando recorrências a partir das características típicas desse discurso para, então, indexarmo-las em um gênero textual. Em outros termos, esta pesquisa pretende caracterizar a dissertação escolar como uma das práticas efetivas de linguagem na escola e, por conseguinte, legitimá-la como um gênero discursivo. O tratamento das práticas de produção do texto dissertativo a partir da perspectiva do gênero elimina a artificialidade, até então peculiar a essa prática, e leva o aluno ao seu domínio, já que o gênero é objeto concreto de ensinoaprendizagem por estar diretamente relacionado com uma situação de comunicação autêntica. Como esta pesquisa qualifica o texto dissertativo escolar como a materialização de um gênero específico da esfera de comunicação escolar, pretende, ainda, servir como um ponto de partida e instrumento para proporcionar aos professores de língua portuguesa a elaboração de propostas metodológicas para o ensino da dissertação escolar como um gênero. Dessa forma...

O significado do trabalho com o texto dissertativo-argumentativo escrito em sala de aula

Santos, Nelson dos
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 128 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
46.84%
Pós-graduação em Educação - FFC; The poor performance of Brazilian high school students for reading and writing texts is one of the problems highlighted by researches of the Program for International Student Assessment (PISA) which requires, from our educational system, urgent and effective actions seeking its reversal. From those findings, we drew up the project and defined as main objective of the research to contribute to the understanding and improving the process of writing texts in classes. For that, at first, we made a review of literature about the subject and, as methodological procedures, we analyzed five dissertative-argumentative texts gotten from Brazilian magazines and newspapers of general circulation. Those texts were studied in their dialogical and argumentative aspects during the application of a practice of texts writing, of that text genre, with six students, on the second grade, of the Health and Safety at Work Technical Course, of the Federal University of Technology in Paraná - UTFPR, Medianeira City, addressing the theme Crime in Brazil”. Besides the mentioned activities, the survey participants also wrote individually a dissertative-argumentative text at the beginning of the investigation, several intermediate ones and another text at the end. Between the early and the final texts...

A produção do texto dissertativo por alunos de 3ºgrau

Dilzete da Silva Mota
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/10/2000 PT
Relevância na Pesquisa
46.84%
Este é um estudo sobre a produção do texto dissertativo na modalidade escrita por alunos do terceiro grau (faixa etária de adultos). Pelo que se tem notícia, trata-se de tema pouco investigado, tendo os estudiosos da área da aquisição da linguagem escrita, em sua grande maioria, centrado seus estudos nas fases iniciais da aquisição, que em geral coincide com o início da escolaridade. Foram analisados no total 97 textos de alunos do primeiro e do oitavo semestres do Curso de Pedagogia da FESIUNEB em Serrinha, Bahia, com o objetivo de identificar e analisar os recursos lingüísticos mais freqüentemente usados por esses alunos universitários para obter os efeitos de atemporalidade, de generalidade de sujeito e de generalidade de objeto, os quais constituem aspectos fundamentais do texto dissertativo. Este trabalho se propõe também a identificar e analisar alguns dos problemas daqueles textos, relativos aos fatores de coesão e de coerência. Os resultados a que chegamos apontanl que esses alunos de fato dominam a habilidade de produzir textos dissertativos escritos, do ponto de vista fonnal, sendo as dificuldades encontradas relativas ao uso dos recursos lingüísticos de estabelecimento de coesão e de coerência ao texto. A pesquisa apresenta resultados que julgamos relevantes sobre os aspectos fonnais de enunciados usados por alunos universitários ao produzirem textos dissertativos. Espera-se assim contribuir para o desenvolvimento da área de Aquisição da Linguagem...

O desenvolvimento do texto dissertativo em crianças da 4ª série

Leite,Sérgio Antonio da Silva; Vallim,Ana Marisa de Campos
Fonte: Fundação Carlos Chagas Publicador: Fundação Carlos Chagas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2000 PT
Relevância na Pesquisa
36.39%
Esta pesquisa analisa o desenvolvimento da habilidade de produzir textos dissertativos em crianças da 4ª. série, relacionando com o contexto em que foram produzidos. Este estudo justifica-se devido à escassez de trabalhos lingüísticos na área, bem como ao alto índice de fracasso dos alunos nesta modalidade de texto. Coletou-se a produção escrita de crianças de rede pública, durante um período de três meses. O material foi analisado buscando-se identificar os operadores argumentativos, os tipos de argumentos utilizados e o estágio da capacidade argumentativa dessas crianças. O estudo sugere que a introdução do texto argumentativo nas séries iniciais do 1º grau, além de proporcionar mais chances de sucesso aos alunos na produção deste tipo de texto ao término do 2º grau, certamente facilitará o desenvolvimento de uma postura crítica, possibilitando aos alunos refletirem sobre a realidade social onde vivem.

Ensinar a escrever no ensino médio: cadê a dissertação?

Riolfi,Claudia Rosa; Igreja,Suelen Gregatti da
Fonte: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.84%
Visando a elucidar em que medida o aluno aprende a escrever uma dissertação na aula de língua portuguesa no ensino médio, analisamos 2.434 horas de aula previamente registradas em diário de campo e que foram ministradas de 2006 a 2008 em 61 escolas públicas na capital de São Paulo. A análise dos dados mostrou que a literatura foi o conteúdo privilegiado em metade das aulas, e a gramática, em um quarto delas. Apenas 15% do tempo foi utilizado para ensinar a escrever, preferencialmente o texto não dissertativo. Assim, a pesquisa constatou que o ensino da escrita do texto dissertativo vem sendo negligenciado. Apenas 6% do tempo das aulas de língua portuguesa foi dedicado à exposição das características desse tipo de texto, seguida da demanda de produção escrita. Os momentos dedicados à correção coletiva e à reescrita foram praticamente inexistentes e aqueles dedicados a fazer uma reflexão prévia à prática da escrita, raríssimos. Frente às repetidas denúncias dos graves problemas de escrita que se encontram nos textos dos egressos do ensino médio, incapazes de vencer as barreiras dos vestibulares das universidades públicas, fica um alerta para os formadores de professores e para os pesquisadores que se dedicam ao ensino da escrita.

Pesquisa na web e produção textual: reflexões sobre o ensino do gênero dissertativo na escola

Braga,Denise Bértoli; Moraes,Marcio Antônio de
Fonte: Universidade do Sul de Santa Catarina Publicador: Universidade do Sul de Santa Catarina
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
56.84%
Este ensaio discute o uso da Internet nas práticas de ensino de língua materna. Inicialmente, o texto ressalta a distância existente entre as práticas letradas escolares e os usos cotidianos da escrita, a qual foi agravada pela presença das TICs em um conjunto de práticas sociais. A seguir, o texto relata os resultados de duas investigações empíricas. A primeira busca investigar como alunos de uma escola particular do ensino médio estão incorporando a Internet em seu cotidiano dentro e fora da escola. O segundo estudo, centrado em uma tarefa de produção de um texto dissertativo, buscou entender como a pesquisa on-line pode favorecer a construção desse tipo específico de gênero textual. Os resultados indicam que o uso da Internet na sala de aula pode ser produtivo e ressalta a importância da orientação do professor.

O gênero textual dissertação : um caso de referenciação anafórica

Fernandes Viana Filho, Daniel; Maria Lins de Araujo, Gilda (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.34%
Este trabalho, O gênero textual dissertação: um caso de referenciação anafórica, inserese nos estudos da Lingüística Textual, tendo como linhas de investigação a teoria dos gêneros textuais e a referenciação anafórica. No que diz respeito aos gêneros textuais, utilizamos como apoio teórico Bakhtin (2000 e 2002); Marcuschi (2000), (2002), (2005); Koch (1999), (2002), (2004 a,b,c); Bronckart (2003), entre outros. Quanto à questão da referenciação, tomamos Cavalcanti et al (2003); Figueiredo (2003); Koch et al (2005) entre outros. A nossa hipótese de trabalho é que o aluno, ao construir seu texto dissertativo, utiliza recursos de natureza referencial, de natureza anafórica, para constituir o gênero. É nosso objetivo tentar contribuir para que a discussão a respeito da produção textual na escola seja mais produtiva, a fim de que o professor mantenha um olhar mais atento ao texto do aluno, investigando-o não só a partir de recursos léxico-gramaticais, mas também a partir de aspectos sócio-cognitivos de natureza anafórica, bem como através da noção de gênero de texto. Trabalhamos com três unidades de ensino e nelas recolhemos as redações que serviram de objeto para nossa análise; utilizamos questionários sócio-econômicos e culturais para os alunos...

Ensinar a escrever no ensino médio: cadê a dissertação?; Teaching writing in secondary education: where's the dissertation?

RIOLFI, Claudia Rosa; IGREJA, Suelen Gregatti da
Fonte: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.84%
Visando a elucidar em que medida o aluno aprende a escrever uma dissertação na aula de língua portuguesa no ensino médio, analisamos 2.434 horas de aula previamente registradas em diário de campo e que foram ministradas de 2006 a 2008 em 61 escolas públicas na capital de São Paulo. A análise dos dados mostrou que a literatura foi o conteúdo privilegiado em metade das aulas, e a gramática, em um quarto delas. Apenas 15% do tempo foi utilizado para ensinar a escrever, preferencialmente o texto não dissertativo. Assim, a pesquisa constatou que o ensino da escrita do texto dissertativo vem sendo negligenciado. Apenas 6% do tempo das aulas de língua portuguesa foi dedicado à exposição das características desse tipo de texto, seguida da demanda de produção escrita. Os momentos dedicados à correção coletiva e à reescrita foram praticamente inexistentes e aqueles dedicados a fazer uma reflexão prévia à prática da escrita, raríssimos. Frente às repetidas denúncias dos graves problemas de escrita que se encontram nos textos dos egressos do ensino médio, incapazes de vencer as barreiras dos vestibulares das universidades públicas, fica um alerta para os formadores de professores e para os pesquisadores que se dedicam ao ensino da escrita.; With the purpose of clarifying to what extent students do learn to write a dissertation in their Portuguese language secondary school classes...

Tipologias textuais : um estudo, em escola de 1o. grau (5a. a 8a. serie), sobre formas de sua aquisição e de estrategias em seu uso; Textual typologies : a study of strategies of use and acquism on in public school (5th to 8th grade)

Cecilia Vaz Pupo de Mello
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/03/1996 PT
Relevância na Pesquisa
27.07%
Esta dissertação apresenta resultados de uma pesquisa sobre a aquisição de novas tipologias textuais, pelo aluno de escola pública de 10 grau (53 a 83 série), dentro do campo dos problemas de ensino/aprendizagem de língua materna e as implicações dessa aquisição de tipologias na manutenção/alteração do papel social tanto do professor como de seus alunos. Este trabalho é constituído por um estudo longitudinal (de 53 à 83 série) da aquisição do texto narrativo, e pontual da aquisição do texto dissertativo em sua fase inicial (73 série para o texto dissertativo expositivo e 83 série, para o texto dissertativo argumentativo); no estudo, procura-se identificar as condições necessárias para a produção do texto dissertativo; a partir da participação em diálogos sobre temas de maior abrangência que aqueles comuns no cotidiano do aluno. Procurando constatar o conhecimento encicplopédico do aluno, procedeu-se à identificação do tipo de informações, dentre as muitas disponiveis nos textos estudados em sala de aula, que foram incorporadas a seu texto dissertativo, e o modo como se deu esta incorporação. A intenção dessa análise é verificar a possibilidade de interferência desse trabalho desenvolvido na escola na manutenção/alteração do já construído na consciência sociaVindividual do aluno. As produções de texto oriundas de atividades desenvolvidas na escola...

A importância dos operadores argumentativos na produção do texto dissertativo.

Soares, Michael Marques
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.57%

Ensinar a escrever no ensino médio: cadê a dissertação?; Teaching writing in secondary education: where's the dissertation?

Riolfi, Claudia Rosa; Igreja, Suelen Gregatti da
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2010 POR
Relevância na Pesquisa
46.84%
Visando a elucidar em que medida o aluno aprende a escrever uma dissertação na aula de língua portuguesa no ensino médio, analisamos 2.434 horas de aula previamente registradas em diário de campo e que foram ministradas de 2006 a 2008 em 61 escolas públicas na capital de São Paulo. A análise dos dados mostrou que a literatura foi o conteúdo privilegiado em metade das aulas, e a gramática, em um quarto delas. Apenas 15% do tempo foi utilizado para ensinar a escrever, preferencialmente o texto não dissertativo. Assim, a pesquisa constatou que o ensino da escrita do texto dissertativo vem sendo negligenciado. Apenas 6% do tempo das aulas de língua portuguesa foi dedicado à exposição das características desse tipo de texto, seguida da demanda de produção escrita. Os momentos dedicados à correção coletiva e à reescrita foram praticamente inexistentes e aqueles dedicados a fazer uma reflexão prévia à prática da escrita, raríssimos. Frente às repetidas denúncias dos graves problemas de escrita que se encontram nos textos dos egressos do ensino médio, incapazes de vencer as barreiras dos vestibulares das universidades públicas, fica um alerta para os formadores de professores e para os pesquisadores que se dedicam ao ensino da escrita.; With the purpose of clarifying to what extent students do learn to write a dissertation in their Portuguese language secondary school classes...

SUBJETIVIDADE E DESSUBJETIVAÇÃO EM TEXTOS DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVOS: CONCEPÇÕES, PROPOSTAS PEDAGÓGICAS E PRÁTICAS DE PRODUÇÃO DE TEXTO

Vidon, Luciano; dos Santos, Izabelle de Jesus; Ricardo, Flávia Conceição da Rocha; Moreira, Marina de Paiva; dos Santos, Rejiane
Fonte: PERcursos Linguísticos Publicador: PERcursos Linguísticos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 15/04/2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.73%
Quais as concepções, propostas didático-pedagógicas e práticas de produção de textos dissertativo-argumentativos que encontramos no contexto atual do ensino de língua portuguesa? Essa questão se faz pertinente, no momento, tendo-se em conta as mudanças vislumbradas para o ensino de língua portuguesa nos últimos anos, em especial a partir da implementação dos Parâmetros Curriculares Nacionais, em 1998. Este artigo, com base nas investigações realizadas no âmbito do Projeto de Pesquisa “Subjetividade e dessubjetivação em enunciados argumentativos: gênero, estilo e autoria”, tem como objetivo discutir alguns dados que refletem o atual estado desse processo ensino-aprendizagem. Com base em um paradigma indiciário de investigação, conforme Ginzburg (1986), e em uma concepção dialógica de linguagem, segundo Bakhtin/Voloshinov (2003), procuramos, nos dados levantados pela equipe do projeto, analisar marcas de subjetividade e dessubjetivação em materiais didáticos trabalhados para o ensino do texto dissertativo-argumentativo e, também, em textos produzidos por estudantes de ensino médio, em situações diversas de enunciação nesse campo do discurso.

A forma linguística "nós" no texto / discurso dissertativo; A forma linguística "nós" no texto / discurso dissertativo

GUIMARÃES, Elisa
Fonte: Acta Semiótica et Lingvistica Publicador: Acta Semiótica et Lingvistica
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion;
Publicado em 04/11/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.8%
Este ensaio tem por objetivo explorar a diversidade de funções e valores do pronome “nós” no texto/discurso dissertativo. Encara essa forma linguística enquanto intrinsecamente ligada à condição do sujeito, discutindo o posicionamento de Benveniste que considera as formas “eu” e “tu” apondo-se, juntas, à forma “ele” definida pelo mesmo autor como não-pessoa. Conclui-se, a partir da analise de trechos extraídos de um discurso político, que há possibilidade de diferentes interpretações do emprego de “nós”, segundo o grau de amplitude de sua significação na rede textual/discursiva.; The presente essay aims at exploring the diversity of forms and values of the pronoun “we” in the argumentative text/discourse. It regards this linguistic form as intrinsically linked to the subject´s condition, discussing Benveniste’s position which considers the form “I” and “you” as, together, opposed to the form “he/she” defined by the same author as non person. Based on the analysis of excerpts taken form a political discourse, we conclude that it is possible to have different interpretations of the use of “we”, according to the range of its meaning in the textual/discursive net.