Página 1 dos resultados de 160 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Regulação da temperatura local da pele

Júlio, Nuno Miguel Pereira
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
27.61%
O controlo da termorregulação assim, como o aquecimento e arrefecimento da pele influenciam o nível de fluxo sanguíneo a que a pele está sujeita. As alterações ou variações da temperatura local produzem um efeito de vasoconstrição ou de vasodilatação na pele. Este efeito, é o resultado de um conjunto de mecanismos como a activação dos receptores adrenérgicos, a resposta endotelial e sistemas sensoriais. Tanto a fase de vasodilatação como a fase de vasoconstrição da pele, são suportadas por transmissores simpáticos, e controlo nervoso local. Como consequência do aquecimento local verifica-se uma vasodilatação transitória através de um reflexo axonal, seguida de uma fase de “plateau”, em grande parte devido à presença de óxido nítrico. Após a fase de planalto ou “plateau” dá-se um fenómeno designado de “die-away”, que corresponde a uma lenta inversão da vasodilatação que está dependente dos nervos simpáticos vasoconstritores. A fase de vasoconstrição com consequente arrefecimento da temperatura local cutânea é originada por uma sobre-regulação pós-sináptica de α2C-adrenérgico, assim como pela inibição do sistema de óxido nítrico. [3] A termorregulação enquanto controlo da circulação sanguinea na pele humana é de extrema importância com vista a manter uma temperatura corporal normal durante variações da homeostase térmica. [2] Os principais objectivos desta monografia são efectuar uma revisão sobre a regulação da temperatura local da pele...

Influence of the bipartite scrotum on the testicular and scrotal temperatures in goats; Influência do escroto bipartido sobre as temperaturas dos testículos e escroto em caprinos

MACHADO JÚNIOR, Antonio A.N.; MIGLINO, Maria A.; MENEZES, Danilo J.A.; ASSIS NETO, Antonio C.; LEISER, Rudolf; SILVA, Ricardo A.B.; CARVALHO, Maria A.M.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
27.61%
The influence of the scrotal bipartition and of the year period on the scrotal-testicular thermal regulation was evaluated in male goats raised in Piaui State, Brazil. Eighteen male goats at mating age were accomplished in this study and arranged into three Groups (6 animals each) obeying the classification as goats presenting no scrotal bipartition (Group I), goats showing scrotal bipartition at 50% of the testicular length (Group II), and goats with more than 50% of scrotal bipartition (Group III). The scrotal, testicular and spermatic funiculi temperatures were evaluated invasively with the aid of a digital thermometer and non-invasive with a pyrometer in the proximal, medial and distal portion. The data were acquired during the dry (October-November) and rainy (February-March) period of the year, measured in two shifts: morning (6h00-7h00) and afternoon (14h00-15h00). The results were submitted to variance analysis (ANOVA) following the SNK test for average comparison (p<0.05). The year period interfered on the scrotal-testicular thermal regulation, due to increased temperatures of the scrotal, testicular and spermatic funiculi during the dry period in comparison with the rainy period. The bipartition level was also a factor which contributed to the influence of scrotal-testicular temperature regulation...

Diferentes recursos de climatização e sua influência na produção de leite, na termorregulação dos animais e no investimento das instalações.; The influence of some cooling systems on the milk yield, animal thermoregulation and housing investments.

Martello, Luciane Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/06/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.43%
Este trabalho foi realizado no verão de 2002 e teve como objetivo avaliar a influência de alguns recursos de climatização na produção de leite, na termorregulação dos animais e nos investimentos nas instalações. Foram utilizadas 10 primíparas e 17 vacas em lactação, distribuídas em instalação controle (ICO), instalação com nebulizador associado a ventiladores (ICL) e instalação com tela de sombreamento. A produção de leite e o consumo individual foram medidos diariamente para cada animal. A temperatura retal foi medida três vezes ao dia, em três animais de cada instalação; a temperatura de superfície da pele, três vezes ao dia em todos os animais; e a freqüência respiratória, duas vezes ao dia em todos os animais. Os dados climáticos de cada instalação foram registrados e posteriormente calculados os índices de temperatura e umidade (ITU), de globo negro e umidade (ITGU) e a entalpia. Foram selecionados e analisados 26 dias com entalpia elevada. O índice de globo negro e umidade foi menor no tratamento climatizado, porém a entalpia menor foi observada no tratamento com tela. O índice de temperatura e umidade não diferenciou o ambiente climático das instalações. Índice de temperatura e umidade entre 75 e 76...

Termorregulação colonial e energética individual em abelhas sem ferrão Melipona quadrifasciata Lepeletier (Hymenoptera, Apidae, Meliponini); Colonial thermoregulation and energetics in stingless bees Melipona quadrifasciata Lepeletier (Hymenoptera, Apidae, Meliponini).

Loli, Denise
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.83%
Em abelhas eussociais o controle das condições internas do ninho é importante para a sobrevivência da colônia e um dos principais mecanismos para controle da temperatura colonial é a escolha do local de nidificação, como ocos de troncos de árvores, tal qual ocorre nas abelhas sem ferrão Melipona quadrifasciata, sistema biológico deste estudo. Além de mecanismos comportamentais, em Hymenoptera são também conhecidos mecanismos fisiológicos de termorregulação (termogênese) como a ocorrência de ciclos fúteis (descritos para mamangavas Bombus) e o tremor muscular. A termogênese em abelhas ocorre principalmente durante incubação da cria, atividades sociais e aquecimento pré-vôo. As aminas biogênicas desempenham um amplo espectro de funções em abelhas, e é sugerido que o sistema noradrenérgico/adrenérico de vertebrados é funcional e estruturalmente equivalente ao sistema octopaminérgico/tiraminérgico de insetos. O emprego de bloqueador beta-adrenérgico em abelhas pode levar a hipotermia, emergindo a hipótese de que haveria envolvimento de uma via octopaminérgica na energética e termogênese de abelhas. Os três principais aspectos da termorregulação focados neste trabalho são a termorregulação colonial...

Termorregulação em cavalos submetidos a diferentes métodos de resfriamento pós-exercício; Thermoregulation in horses undergoing three different post exercise cooling methods

Etchichury, Mariano
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 12/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
27.12%
O presente trabalho teve como objetivo comparar dois métodos alternativos de resfriamento pós-exercício em eqüinos, consistentes no uso de água a temperatura ambiente e de gelo nas extremidades, com o método de hiperresfriamento, usado habitualmente nos cavalos de esporte. A necessidade de métodos de resfriamento mais efetivos se baseia no grande quantidade de cavalos eliminados em provas de resistência no país, relacionada à temperaturas ambiente e umidade relativa elevadas. Para comparações foram usados nove cavalos de lida, três machos castrados e seis fêmeas, mestiços, de 8±2,5 anos e peso médio de 462±33 kg, em dois experimentos, um no mês de maio e outro em julho, de 4 dias de duração cada um, com delineamento em cross-over. Os cavalos foram exercitados com protocolo pré-estabelecido em picadeiro durante 30 minutos, e os tratamentos foram aplicados em Câmara Bioclimática. As variáveis estudadas foram: freqüência cardíaca (FC), freqüência respiratória, temperatura retal (TR), taxa de sudação (SUD), temperatura superficial do pescoço (TSP), temperatura superficial do tórax (TST), temperatura superficial da garupa (TSG), temperatura auricular (TAu) e temperatura da base da cauda (TBC). Foram mensurados valores basais pré-exercício...

Termorregulação e depressão metabólica em endotermos.; Thermoregulation and metabolic depression of endotherms.

Martins, Ricardo Alves
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.74%
A depressão metabólica em aves e mamíferos, dada a alta demanda energética destes animais, se apresenta, geralmente, como resposta às condições de escassez de alimentos e baixas temperaturas. Desta forma, este projeto busca explorar, no campo teórico, como o sistema de termorregulação poderia atuar no sentido de maximizar as reservas energéticas minimizando os gastos metabólicos (depressão metabólica). Para tanto, fazemos uso de teorias da engenharia de controle que propiciam ferramental teórico para analisar como se dariam essas minimizações, ou seja, como o sistema nervoso atuaria estabelecendo um controle (set-point hipotalâmico) que minimizasse estes gastos à medida que se desse o processo de termorregulação. Neste contexto, propomos um modelo básico de termorregulação que leva em conta temperatura corpórea, taxa metabólica e temperatura ambiente, no qual o set-point atua como um controle. Mostramos como este modelo de regulação térmica propicia, devido à sua configuração, significativa redução dos distúrbios causados por variações da temperatura ambiente. Através da teoria de controle ótimo, mostramos como o set-point hipotalâmico pode surgir como resultado da minimização de um funcional relacionado ao custo com a termorregulação. Além disso...

Termorregulação colonial e a influência da temperatura no desenvolvimento da cria em abelhas sem ferrão, Melipona scutellaris (Hymenoptera, Apidae, Meliponini); Nest thermorregulation and the influence of temperature on the brood development in stingless bees Melipona scutellaris (Hymenoptera, Apidae, Meliponini)

Roldão, Yara Sbrolin
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.74%
Uma característica dos insetos sociais, entre elas as abelhas, é o controle da temperatura de seus ninhos. Abelhas sociais são denominadas como animais heterotérmicos, ou seja, são endotérmicas quando realizam atividades motoras (adultas) e ectotérmicas quando apresentam inatividade (cria e abelhas jovens). Essa característica está entrelaçada com o comportamento social. As abelhas melíferas (Apidae; Apini: Apis mellifera) são conhecidas por apresentarem uma temperatura ótima dentro de seus ninhos, regulando a temperatura independente da variação de temperatura ambiente (externa). Entretanto, as abelhas sem ferrão (Apidae; Meliponini) não mantém a temperatura dentro de seus ninhos rigorosamente como as abelhas melíferas. Apesar disso, essas abelhas conseguem manter uma temperatura mais ou menos estável para a emergência perfeita da prole. Porém, se ocorrer algum tipo de alteração de temperatura durante a fase do desenvolvimento ontogênico, esses indivíduos podem não desempenhar suas funções com eficiência, podendo trazer malefícios para a colônia. O objetivo do presente trabalho foi registrar essas temperaturas internas e compará-las com as temperaturas externas (ambiente), como também analisar a termorregulação passiva nas abelhas sem ferrão. Além disso...

Biologia térmica de Scaptotrigona depilis (Apidae, Meliponini): adaptações para lidar com altas temperaturas; Thermal biology of Scaptotrigona depilis (Apidae, Meliponini): adaptations to deal with high temperatures

Vollet Neto, Ayrton
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
27.12%
O grande sucesso ecológico dos insetos sociais se deve, em grande parte, ao controle das condições climáticas do ninho, entre as quais é possível destacar a temperatura como uma das variáveis mais importantes. Nas abelhas sem ferrão, um grupo de abelhas eussociais com cerca de 400 espécies distribuidas pela região Neotropical, apesar dos poucos estudos existentes é possível identificar uma grande variedade de estratégias para lidar com a heterogeneidade térmica do ambiente. Em comparação com Apis mellifera (o inseto social mais bem estudado no mundo), é possível verificar, de maneira geral, uma menor capacidade termorregulatória nas abelhas sem ferrão. Portanto, isto coloca as abelhas sem ferrão como importantes modelos que podem permitir a melhor compreensão da evolução da diversidade de estratégias de sucesso nos insetos sociais para lidar com a heterogeneidade térmica. Adicionalmente, as abelhas sem ferrão realizam a polinização, um serviço ambiental chave para a manutenção dos ecossistemas Neotropicais. Dessa forma é necessário conhecer as adaptações térmicas nestes organismos, principalmente as voltadas para as altas temperaturas, para que possam ajudar a prever os impactos das mudanças climáticas nestes organismos. Assim...

Ritmo circadiano de temperatura corporal no tuco-tuco (Ctenomys aff. knighti), um roedor subterrâneo sul-americano; Circadian rhythm of body temperature in the tuco-tuco (Ctenomys aff. knighti), a South-American subterranean rodent

Silva, Patricia Tachinardi Andrade
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
27.12%
Em mamíferos, a temperatura corporal (Tc) varia ao longo do dia, de forma rítmica, bem como a atividade locomotora. Essa ritmicidade diária é gerada endogenamente, por osciladores circadianos. Em geral, os valores mais elevados de Tc concentram-se nos mesmos horários em que há atividade locomotora. No entanto, variações diárias de Tc são observadas mesmo em indivíduos imóveis, evidenciando que o ritmo de Tc não é uma mera consequência dos efeitos agudos da atividade locomotora. Este trabalho teve o objetivo de estudar o ritmo circadiano de Tc no roedor Ctenomys aff. knighti (tuco-tuco) e sua relação temporal com o ritmo de atividade locomotora. A caracterização do ritmo de Tc nesse animal é particularmente interessante, pois ele habita o ambiente subterrâneo, que impõe desafios tanto à expressão rítmica (pois os ciclos ambientais são ausentes ou têm baixa amplitude) quanto à termorregulação (devido à características como alta umidade e atmosfera hipóxica e estagnada). Medimos a Tc e a atividade locomotora dos tuco-tucos em condições controladas de laboratório. Na caracterização inicial, constatamos que o ritmo de Tc dos tuco-tucos persiste mesmo em escuridão e temperatura constantes. Quando houve exposição a um ciclo diário de claro/escuro...

Paleobiologia de Jachaleria Candelariensis Araújo & Gonzaga, 1980 e comentários sobre a termorregulação em dicynodontia

Francischini Filho, Heitor Roberto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
27.12%
Dicinodontes (Therapsida: Anomodontia) compreendem os principais herbívoros do intervalo Permiano Médio-Triássico Superior. Algumas de suas características morfofuncionais cranianas têm se mostrado boas adaptações à herbivoria e ao eficiente processamento oral de materiais vegetais, bem como à termorregulação. Dentre estas, a aquisição da propalinia (movimentação ânteroposterior da mandíbula) e a substituição de um aparelho mastigatório com dentes por uma ranfoteca cobrindo boa parte da extremidade anterior do crânio são os mais característicos. Na anatomia corpórea como um todo, a aquisição de uma postura mais ereta (upright), o aumento do tamanho corpóreo e a presença de turbinais são indicativos de que o grupo evoluiu para um padrão de vida mais ativo e, consequentemente, com um maior gasto energético. Neste trabalho, é apresentada uma revisão bibliográfica sobre tais adaptações e uma discussão sobre sua origem e evolução no clado Anomodontia, focando a espécie Jachaleria candelariensis Araújo & Gonzaga, 1980 do Triássico Superior do Rio Grande do Sul, Brasil.; Dicynodonts (Therapsida: Anomodontia) comprise the main herbivores of the Middle Permian - Upper Triassic interval. Some of their morphological and functional cranial characteristics revealed to be adaptations to herbivory and efficient oral processing of plant materials...

Influence of the bipartite scrotum on the testicular and scrotal temperatures in goats

Machado Júnior, Antonio A. N.; Miglino, Maria A.; Menezes, Danilo J. A.; Assis Neto, Antonio C.; Leiser, Rudolf; Silva, Ricardo A. B.; Carvalho, Maria A. M.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 797-802
ENG
Relevância na Pesquisa
27.61%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do grau de bipartição escrotal e do período do ano sobre a termorregulação escroto-testicular em caprinos criados no Estado do Piauí. Foram utilizados 18 reprodutores caprinos machos, divididos em três grupos de seis animais: O Grupo I contendo caprinos com escroto simples, o Grupo II, caprinos com escroto bipartido até 50% do comprimento testicular e o Grupo III, caprinos com bipartição superior a 50% do comprimento testicular. Os parâmetros avaliados foram as temperaturas do escroto, testículo e funículo espermático, obtidas de forma invasiva, com um termômetro digital termoacoplável, e não invasiva, com um pirômetro, nos terços proximal, médio e distal. Os dados foram coletados nos períodos seco (outubro-novembro) e chuvoso (fevereiro-março) do ano, bem como, nos turnos da manhã (6h00 às 7h00) e tarde (14h00 às 15h00). Os resultados foram submetidos à análise de variância (ANOVA) seguida do teste SNK para comparação das médias (p<0,05). O período do ano interferiu na termorregulação escroto-testicular, pois no período seco as temperaturas do escroto, testículo e funículo espermático foram mais elevadas que as observadas no período chuvoso. O grau de bipartição do escroto foi outro fator que modificou a temperatura escroto-testicular...

Efeito do estresse térmico calórico na expressão de alguns genes relacionados à implantação e desenvolvimento inicial de embriões Nelore (Bos indicus) e Jersey (Bos taurus) produzidos in vitro

Silva, Cíntia Fernandes da
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 52 f.
POR
Relevância na Pesquisa
27.12%
Pós-graduação em Ciências Biológicas (Farmacologia) - IBB; Os efeitos deletérios do estresse térmico calórico (ETC) sobre a fertilidade são menos pronunciados em raças tolerantes ao calor, devido às diferenças na capacidade de termorregulação. Para melhor compreender as diferenças entre zebuínos e taurinos em relação ao ETC, objetivou-se com o presente trabalho comparar a expressão dos genes COX2, CDX-2, IFN-τ, HSF1, HSP70 PLAC8, relacionados com o desenvolvimento embrionário inicial, em embriões bovinos produzidos in vitro (zebuínos vs. taurinos), submetidos ou não ao ETC. Oócitos de vacas Nelore (Bos indicus) e Jersey (Bos taurus) foram obtidos por aspiração folicular guiada por ultrasson (OPU) e maturados in vitro por 24 horas. Em seguida, foram fertilizados in vitro (D=0) com sêmen Nelore e Jersey, respectivamente. Doze horas após a fertilização, os prováveis zigotos (zebuínos e taurinos) foram cultivados in vitro em temperatura de 38,5oC. Noventa e seis horas após a fertilização, os embriões ≥ 16 células, de ambas as raças, foram divididos aleatoriamente em dois grupos experimentais: controle, cultivado continuamente a 38,5 oC, e ETC, exposto a 41 oC por 6 horas, retornando a seguir para 38...

Variação sazonal da temperatura corpórea no lagarto Teiú, Tupinambis merianae (Squamata, Lacertilia, Teiidae)

Ribas, Elis Regina
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: ix, 64 f. : il., gráfs., fots.
POR
Relevância na Pesquisa
27.12%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Ciências Biológicas (Zoologia) - IBRC; Com o propósito de obter um perfil da variação sazonal e diária da temperatura corpórea (Tc) do lagarto teiú, T. merianae, sensores/ registradores de temperatura (data-loggers) foram cirurgicamente implantados, em oito espécimes adultos de ambos os sexos.Os lagartos foram mantidos em baias ao ar livre e acompanhados durante um ano. As temperaturas dos microambientes ao sol, na sombra e na toca foram igualmente registradas. A Tc dos teiús mostrou variação sazonal e diária relacionadas às mudanças nas temperaturas dos microambientes e aos ajustes fisiológicos nas taxas de aquecimento e de resfriamento. A Tc média diária seguiu um ritmo circadiano, com temperaturas mínimas no início da manhã, aumento entre 12h e 16h e queda gradual ao final da tarde. A Tc media diária de atividade durante a estação de atividade (agosto/dezembro) ficou em 33,6oC l 1,4 oC. A taxa média de aquecimento foi cinco vezes maior que a de resfriamento durante a estação de atividade, o que permitiu ao animal manter sua Tc acima da temperatura do abrigo e da sombra. Com o declínio da temperatura ambiente em meados do outono...

Aspectos fisiológicos de Chrysomya megacephala (F.) (Diptera: Calliphoridae): metabolismo energético, termorregulação e neurofisiologia

Gomes, Guilherme
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 167 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
27.43%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Ciências Biológicas (Zoologia) - IBRC; Chrysomya megacephala (Fabricius) (Diptera: Calliphoridae) foi introduzida no Brasil há algumas décadas atrás, e é uma espécie de mosca-varejeira de considerável importância médico-sanitária por ser veiculadora de enteropatógenos, poder causar miíases secundárias, e também ter grande importância em estudos forenses por auxiliar na estimativa do intervalo pós-morte (IPM) em cadáveres, além de ter importância agrícola, como polinizadora. Desta forma, diversos trabalhos utilizam esta espécie como modelo de estudo, avaliando suas características biológicas e processos ecológicos envolvidos. Porém, poucos estudos analisaram processos fisiológicos nas diferentes fases da vida deste inseto. O estudo desses processos é fundamental para auxiliar na compreensão da biologia e comportamento da espécie, o que facilitaria a elaboração de desenhos experimentais em trabalhos envolvendo C. megacephala, além de fornecer embasamento para a proposição de métodos de controle para esta espécie. Por este motivo, o objetivo deste trabalho foi estudar aspectos de alguns processos fisiológicos de C. megacephala...

Termorregulação de equinos em uma construção rural feita com blocos vazados de argamassa de cimento, areia e casca de arroz

Juliano Henrique Vieira Tojal
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em /03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
27.12%
O intuito deste trabalho foi o de buscar o aproveitamento de um resíduo agro-industrial (casca de arroz) para fabricação de blocos vazados à base de argamassa de cimento e areia, a serem utilizados em uma cocheira para eqüinos, para fins de comparação com outra construída com material padrão (tijolos de cerâmica). Buscou-se uma melhoria em termorregulação ambiental para o animal e ainda diminuição nos custos de construção devido à utilização de um material alternativo. O compósito foi inicial mente avaliado em condições laboratoriais e, após a análise dos resultados, a partir de misturas mais adequadas foram confeccionados blocos vazados de cimento, areia e casca de arroz, os quais serviram para a vedação da parede da baia. Posteriormente, a baia foi instrumentada, de forma a permitir avaliar o comportamento do conjunto sobre o conforto térmico do animal, com auxílio de termopares, termômetro de globo negro e higrômetro para avaliar as cocheiras. Quanto aos animais, a temperatura retal foi medida com o auxílio de termômetro de coluna de mercúrio; batimentos cardíacos e movimentos respiratórios foram medidos com o auxílio de um estetoscópio. Todas as medidas foram efetuadas nos horários das 8:00...

Notas sobre a bionomia de Tetragonisca weyrauchi schwarz, 1943 (Apidae, MeliponinI)

Cortopassi-Laurino,Marilda; Nogueira-Neto,Paulo
Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Publicador: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
27.12%
No Brasil, a abelha sem ferrão, Tetragonisca weyrauchi tem sua distribuição restrita à região Amazônica. Constrói ninhos aéreos freqüentemente em forquilhas inclinadas de árvores. Os ninhos, cilindróides e verticais, medem cerca de 60cm de circunferência na parte mais larga e 35cm de altura. A cobertura é de uma película fina e maleável com diferentes consistências. A maioria dos ninhos apresenta, na parte superior, um prolongamento com várias protuberâncias e aberturas, ou só aberturas, com diâmetros milimétricos variáveis ao longo do dia, denominado aqui de respiráculo. A morfologia do ninho, com a porta na parte inferior e o respiráculo na parte superior, parece estar bem adaptado ao ambiente tropical em que se encontra. As médias das temperaturas internas de um ninho habitado e outro vazio acompanharam as flutuações ambientais com alto valor de correlação (r=0,98). Os resultados sugerem que a estrutura física do ninho seria responsável por uma pequena parcela na retenção da energia calorífera. Se existe termorregulação, ela deve ser mais evidente acima dos 33ºC ambientais, temperatura onde ocorreu tendência de estabilidade. A grande quantidade de lamelas de cerume ao redor dos favos de cria horizontais...

Uso da termografia infravermelha na análise da termorregulação de cavalo em treinamento

Moura,Daniella J. de; Maia,Ana Paula de A; Vercellino,Rimena do A; Medeiros,Brenda B. L; Sarubbi,Juliana; Griska,Paulo R
Fonte: Associação Brasileira de Engenharia Agrícola Publicador: Associação Brasileira de Engenharia Agrícola
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2011 PT
Relevância na Pesquisa
27.61%
O estresse térmico em equinos aciona mecanismos termorregulatórios, como mudanças no fluxo sanguíneo periférico, para a manutenção da homeostase corporal. A termografia infravermelha permite detectar estas alterações, sendo uma ferramenta útil para avaliar o estresse em animais. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar o uso da termografia infravermelha na termorregulação de equino em condição de treinamento. Foi utilizado um cavalo anglo-árabe, exercitado uma vez ao dia. Foram captadas imagens termográficas da axila, garupa, peito e virilha do cavalo e registrados os parâmetros fisiológicos antes e após exercício e 0; 5 e 10 minutos após o banho, durante 8 dias. A temperatura, a umidade relativa e a velocidade do ar foram monitoradas. A temperatura de superfície da garupa e do peito não diferiu entre os tratamentos, indicando baixa participação destas partes na termorregulação. Em contrapartida, a temperatura superficial da axila e da virilha aumentou após o exercício e diminuiu após o banho, sugerindo evidência dos mecanismos vasomotores para a troca térmica do cavalo. Comportamento semelhante foi observado para as variáveis fisiológicas, o que demonstra tentativas orgânicas do organismo para sair das condições de estresse térmico. Concluiu-se que a termografia infravermelha permitiu determinar com precisão a temperatura de superfície corporal do cavalo...

Respostas fisiológicas e produtivas de vacas holandesas em lactação submetidas a diferentes ambientes

Martello,Luciane Silva; Savastano Júnior,Holmer; Silva,Saulo da Luz e; Titto,Evaldo Antonio Lencioni
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2004 PT
Relevância na Pesquisa
27.12%
Este trabalho foi realizado, no verão de 2002, com o objetivo de avaliar a influência de alguns recursos de climatização na produção de leite e na termorregulação dos animais. Foram utilizadas 10 primíparas e 17 multíparas em lactação, distribuídas em instalação controle (ICO), instalação com nebulizador associado a ventiladores (ICL) e instalação com tela de sombreamento (IT). A produção de leite e o consumo individual foram medidos diariamente para cada animal. A temperatura retal foi medida três vezes ao dia, em três animais de cada instalação; a temperatura de superfície da pele, três vezes ao dia em todos os animais; e a freqüência respiratória, duas vezes ao dia em todos os animais. Os dados climáticos de cada instalação foram registrados e posteriormente calculados os índices de temperatura e umidade (ITU) e de globo negro e umidade (ITGU). Foram selecionados e analisados 26 dias com entalpia elevada. O ITU entre 75 e 76, apesar de considerado estressante por diversas fontes da literatura, não foi associado à condição de estresse pelos animais. As multíparas da instalação climatizada apresentaram freqüência respiratória e temperatura de pele significativamente menor em relação às multíparas das demais instalações. As primíparas apresentaram freqüências respiratórias e temperaturas retais mais altas que as multíparas...

Hidratação e Nutrição no Esporte

Carvalho,Tales de; Mara,Lourenço Sampaio de
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
27.12%
Existem distúrbios decorrentes de falhas nos esquemas de alimentação e reposição hídrica, eletrolítica e de substrato energético, que prejudicam sobremaneira a tolerância ao esforço e colocam em risco a saúde dos praticantes de exercícios físicos, podendo até mesmo causar a morte. Esses distúrbios, mais frequentemente observados em atividades de longa duração, são bastante influenciados pelas condições ambientais. Este artigo, direcionado aos profissionais que militam no esporte e atuam em programas de exercícios físicos destinados à população em geral, apresenta informações, embasadas em evidências científicas, visando a uma prática de exercícios desenvolvida com segurança e preservação da saúde. São informações que devem ser consideradas por todos os praticantes de exercícios físicos, sejam os atletas competitivos, sejam os anônimos frequentadores de academias e outros espaços destinados à prática de exercícios. O artigo aborda alguns dos aspectos essenciais da hidratação e da nutrição do esporte, por razões didáticas distribuídos em seis sessões: compartimento dos líquidos corporais; termorregulação no exercício físico; composição do suor; desidratação; reposição hidroglicoeletrolítica; e recomendações nutricionais.

Características do velo de ovinos Ile de France e Texel durante a estação de inverno.

FERREIRA, R. C. M.; RIBEIRO, A. R. B.; SANTANA, R. S.; PAÇÓ, A. L.; ALENCAR, M. M. de; STARLING, J. M. C.
Fonte: In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 49., Brasília, DF. A produção animal no mundo em transformação: Anais. Brasília: SBZ, 2012. Publicador: In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 49., Brasília, DF. A produção animal no mundo em transformação: Anais. Brasília: SBZ, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.43%
A alta competitividade da pecuária moderna necessita que a ovinocultura brasileira desenvolva grupos genéticos que aliem características de alto desempenho, com melhores índices produtivos, mas que também sejam adaptadas às condições tropicais. Desta forma, o objetivo neste estudo foi avaliar características da capa externa relacionadas a termorregulação e à tolerância ao calor de duas raças de ovinos de alta expressão para a produção de carne. No inverno de 2011 foram coletadas em um rebanho comercial localizado na região de Cunha, SP amostras do velo de 15 borregas das raças Ile de France e Texel e mensurado a espessura do velo (EV). A partir dessas amostras foi determinado o número de fibras (NF), comprimento das fibras (CF), peso da amostra (PA) e o ângulo de inclinação das fibras (AI) e as diferenças entre os grupos genéticos foram analisadas por meio de análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Turkey (P<0,05). Os animais da raça Texel apresentaram maiores médias (P<0,01) de NF (472,93 ± 404,81), CF (14,61 ± 0,28cm), EP (8,04 ± 0,12cm), PA (0,09 ± 0,002g) e AI (33,57 ± 0,63o) do que os animais da raça Ile de France (404.81 ± 14.27 fibras; 11,43± 0,27cm; 4,62 ± 0,12cm; 0,05 ± 0...