Página 1 dos resultados de 14601 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Adesão à terapêutica em diabéticos tipo II

Carvalho, C.; Martins, C.; Soares, N.; Rafael, R.; Ribeiro, Maria Isabel; Pinto, Isabel C.
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Saúde Publicador: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Saúde
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
36.75%
Atualmente regista-se um aumento significativo dos casos de Diabetes mellitus tipo 2 a nível mundial e em idades cada vez mais precoces (WHO, 2003; SPD, 2012). Segundo a SPD (2012), a prevalência desta patologia, em Portugal, em 2011, foi de 7,0%. Esta doença carateriza-se pelo aumento dos níveis de glicose no sangue, a hiperglicemia, que se deve, à insuficiente produção de insulina e/ou, à ação insuficiente da mesma (WHO, 2003; Nogueira et al, 2006; SPD, 2012). Na literatura a adesão terapêutica é retratada como o grau de concordância do comportamento do doente face às indicações do médico ou outro profissional de saúde, ao nível do cumprimento da prescrição médica e ao nível das indicações relativas ao estilo de vida e comportamentos saudáveis (WHO, 2003). Foram objetivos desta investigação determinar a adesão à terapêutica em diabéticos do tipo 2, utentes de uma farmácia comunitária localizada no concelho de Bragança, e identificar os motivos que mais contribuíram para a não adesão à terapêutica. Este estudo é quantitativo, transversal. A recolha de dados foi feita de janeiro a março de 2012 usando uma técnica de amostragem não probabilística acidental. Os utentes da farmácia foram abordados e convidados a participar...

Diferenças de género na adesão terapêutica na diabetes Mellitus tipo 2

Cunha, Andreia Alves da
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.81%
Dissertação de mestrado integrado em Psicologia (área de especialização em Psicologia da Saúde); O impacto da Diabetes Mellitus no estilo de vida do doente pode ser dramático, uma vez que o tratamento torna-se extremamente exigente e complexo do ponto de vista físico e psicológico, implicando um envolvimento activo por parte do paciente, na gestão da sua doença (Silva, 2006). É sabido que o género é um dos factores sociais directamente implicados nas desigualdades de saúde, tanto por determinantes sociais de género, como por determinantes subjectivos e identidades de género (Arias, 2009; Marques, 2010). Contudo, a literatura acerca da Diabetes, tem-se focado, essencialmente, nas diferenças de sexo na adesão terapêutica, negligenciando o género, como um factor determinante na compreensão das diferenças entre homens e mulheres na diabetes. O presente estudo tem por objectivos centrais compreender como os determinantes psicossociais de género influenciam as diferenças entre homens e mulheres ao nível da adesão terapêutica na diabetes tipo 2; e compreender como os determinantes sociais de género condicionam a actuação dos profissionais de saúde junto dos doentes diabéticos e conduzem a diferenças de género na adesão terapêutica na diabetes tipo 2. A presente investigação qualitativa compreendeu a realização de três estudos empíricos...

Arrefecimento pós-paragem Cardiorespiratorio: Uso da Hipotermia Terapéutica; Cooling after cardiac arrest: use of therapeutic hypothermia

Frias, Ana; Pereira, Ana; Louro, Isa
Fonte: Revista de Enfermagem UFPE Publicador: Revista de Enfermagem UFPE
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.75%
Objetivo: analisar a eficácia da hipotermia terapêutica realizada ao paciente adulto sobrevivente de paragem cardiorrespiratória. Metodologia: pesquisa realizada em bases de dados internacionais (EBSCOhost, CHINHAL, MEDLINE, Cochrane e SciELO), obtendo-se nove artigos publicados entre 2009 e 2011. A presente revisão sistemática da literatura envolveu o trabalho de dois revisores, que avaliaram de forma independente a qualidade metodológica de cada artigo selecionado. Adotou-se como estratégia metodológica a pesquisa rigorosa que permitisse incluir os estudos referentes a pacientes adultos sobreviventes de paragem cardiorrespiratória submetidos a hipotermia terapêutica. Com o intuito de conhecer os benefícios desta terapêutica, pretendemos responder à pergunta de investigação: Será que a hipotermia terapêutica realizada a pacientes adultos sobreviventes de paragem cardiorrespiratória é eficaz? Resultados: foram analisados nove artigos e constatou-se que a paragem cardiorrespiratória é um evento de alta mortalidade que causa isquemia cerebral por hipoperfusão, o que leva a agressão neurológica grave. A hipotermia terapêutica contribui para a melhoria destas lesões. Este procedimento é induzido por quatro fases e por isso necessita de uma monitorização contínua. Conclusão: ficou evidenciado que a hipotermia terapêutica representa um importante avanço na melhoria das lesões neurológicas dos pacientes sobreviventes de paragem cardiorrespiratória. Assim...

Arrefecimento pós-paragem Cardiorespiratorio: Uso da Hipotermia Terapéutica; Cooling after cardiac arrest: use of therapeutic hypothermia; El Enfriamiento Después del Paro Cardíaco: El Uso de la Hipotermia Terapéutica

Frias, Ana; Pereira, Ana; Louro, Isa
Fonte: Centro de Investigação em Ciências e Tecnologias da Saúde Publicador: Centro de Investigação em Ciências e Tecnologias da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.77%
Embora tenha havido evolução e aperfeiçoamento das manobras de reanimação, a mortalidade dos pacientes vítimas de Paragem Cardiorrespiratória (PCR) persiste muito elevada (Rech & Vieira, 2010). A nível mundial, a taxa de sobrevivência média extra-hospital por PCR é apenas de 6%. Os que sobrevivem estão em risco de desenvolverem lesão neurológica. Objetivo: analisar a eficácia da hipotermia terapêutica realizada ao paciente sobrevivente de paragem cardiorrespiratória. Metodologia: pesquisa realizada em bases de dados internacionais (EBSCOhost, CHINHAL, MEDLINE Cochrane e SciELO), obtendo-se oito artigos publicados entre 2009 e 2011. A presente revisão sistemática da literatura envolveu o trabalho de dois revisores. A mesma foi realizada sem metasíntese e sem meta-análise. Adotou-se como estratégia metodológica a “pesquisa rigorosa que permite agrupar estudos primários extraindo deles a melhor evidência científica”(Ramalho, 2005:29). Com o intuito de conhecer os benefícios desta terapêutica, pretendemos responder à pergunta de investigação: Será que a hipotermia terapêutica realizada a pacientes sobreviventes de paragem cardiorrespiratória é eficaz? Conclusões: ficou evidenciado que a hipotermia terapêutica representa um importante avanço na melhoria das lesões neurológicas dos pacientes sobreviventes de paragem cardiorrespiratória. Assim...

Adesão terapêutica, auto-conceito e doença coronária

Cardoso, Ana Catarina Couto; Dias, António Madureira, orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.75%
É universalmente aceite a importância dos factores psicológicos, nomeadamente o auto-conceito, na doença coronária. O modo como a pessoa se vê a si própria poderá exercer influência no indivíduo contribuindo para uma melhor e mais rápida reabilitação, onde a adesão à terapêutica assume um papel primordial. Objectivos: este estudo pretende a) determinar a prevalência da adesão terapêutica; b) associar o auto-conceito com as características sócio-demográficas, sócio-familiares, clínicas, características relacionadas com os serviços de saúde e com a terapêutica farmacológica e c) avaliar a influência do auto-conceito na adesão terapêutica no indivíduo com doença coronária. Metodologia: estudo quantitativo, descritivo-correlacional e transversal em que participaram 96 indivíduos, utilizadores da consulta externa de cardiologia do Centro Hospitalar Tondela Viseu e do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, sendo que 78,1% são do sexo masculino, com idade média de 66,54±10,51anos, 75% casados, 60,4% reformados, 54,2% completou o ensino primário, 53,5% reside na aldeia, 43,8% aufere de um rendimento mensal inferior a 485€, 36,5% referindo ter algumas dificuldades financeiras. Resultados: têm elevada adesão ao tratamento 43...

Análise longitudinal da mudança terapêutica nos doentes seropositivos para o VIH

Leite, Andreia Heitor Martins da Cunha
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
Tese de mestrado em Bioestatística, apresentada à Universidade de Lisboa, através da Faculdade de Ciências, 2012; Introdução: A terapêutica anti retrovírica (TAR) diversificou-se nos últimos anos, sendo complexa a decisão da mudança terapêutica. Alguns estudos internacionais descrevem os fatores associados a mudança terapêutica não sendo consensuais nos resultados obtidos. Objetivos: Descrever os fatores associados a mudança terapêutica nos doentes seropositivos para o VIH-1, utilizando os modelos de analise de sobrevivência mais adequados as características do estudo. Métodos: Foi realizado um estudo de coorte retrospetiva com os indivíduos seropositivos para o VIH-1, seguidos no Hospital de Santa Maria. A informação constante no processo clinico foi registada para uma amostra aleatória de 320 indivíduos com pelo menos duas dispensas de terapêutica entre 2005 e 2008. Foram consideradas mudanças as alterações em pelo menos um dos fármacos do regime. Os indivíduos foram censurados caso interrompessem a terapêutica. Foi utilizado o modelo de regressão de Cox para descrever os fatores associados a primeira mudança terapêutica e o modelo PWP para os fatores associados as mudanças ate a quarta. Nos modelos construídos a seleção das covariáveis candidatas foi feita com recurso ao método stepwise considerando um valor-p de inclusão de 0...

Adesão à terapêutica anti-retrovírica - VIH: determinação dos principais fatores associados à não-adesão à terapêutica e caracterização dos diferentes perfis de doentes

Marques, João Carlos Proença
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.75%
Trabalho de projeto de mestrado em Estatística e Investigação Operacional, apresentada à Universidade de Lisboa, através da Faculdade de Ciências, 2013; Introdução: O tratamento anti-retovírico tem contribuído significativamente para a redução da morbilidade e mortalidade em indivíduos infetados pelo VIH, principalmente, a partir de 1996, com a introdução da terapia anti-retroviral combinada (TARc). Todavia, o sucesso do regime terapêutico está fortemente dependente de uma adesão (preferencialmente) ótima. A maioria dos estudos efetuados até à data, aceita como ponto ótimo de coorte, o uso correto de, pelo menos, 95% das doses prescritas. São vários os métodos e recursos já utilizados para avaliar a adesão à terapêutica anti-retrovírica (TAR). Objetivos: O presente estudo procura estimar a prevalência da não-adesão à terapêutica anti-retrovírica, através de questionários efetuados aos doentes e relacionar a não-adesão com características socio-demográficas, biomédicas e psicossociais em adultos infetados com VIH-1. Consequentemente, procura-se caracterizar os diferentes perfis de doentes. Métodos: Foi conduzido um estudo prospetivo, através de uma amostra sistemática de adultos infetados com VIH-1 aos quais foi prescrita a TARc e seguidos no Hospital de Santa Maria...

Adesão terapêutica e hipertensão arterial : o uso de fontes administrativas de dados de prescrição e levantamento de medicação na estimação da adesão à terapêutica com antagonistas dos recetores da angiotensina

Moita, Bruno Domingues
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Outros
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.83%
RESUMO - Objetivos: São objetivos do presente estudo caraterizar a adesão terapêutica, primária e secundária, na Região de Saúde do Alentejo em utentes que seguiram tratamento para Hipertensão Arterial com Antagonistas dos Receptores da Angiotensina e constatar se a adopção de diferentes medidas produz diferentes resultados de adesão terapêutica. Metodologia: Este estudo é uma análise retrospetiva da prescrição e levantamento de ARA nos anos de 2010 e 2011 na Região de Saúde do Alentejo. Foram considerados 22.450 utentes e cinco diferentes medidas de adesão terapêutica: Rácio de Adesão Primária, Medication Possession Ratio, Compliance Rate, Refill Compliance Rate, Continuous Measure of Medication Gaps. Resultados: Constatou-se que a adesão terapêutica primária para os 22.450 utentes considerados na amostra foi de 0,612 (DP 0,325), a adesão terapêutica medida pelo indicador MPR foi de 0,557 (DP 0,380), pelo indicador CR foi de 0,697 (DP 0,517), pelo indicador RCR foi de 0,695 (DP 0,518) e pelo indicador CMG foi de 0,648 (DP 0,351). Independentemente do indicador considerado, a adesão terapêutica foi mais elevada no sexo feminino do que no sexo masculino, os utentes do sexo feminino apresentaram níveis de sobre-aquisição de medicação mais elevados e a prevalência de utentes que no período não chegaram a levantar nenhuma embalagem de medicação...

Intervenção educativa junto de um grupo de enfermeiros de um serviço de medicina : impacto na prática da terapêutica inalatória

Cordeiro, Maria do Carmo Oliveira
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
RESUMO: O presente estudo, enquadra-se, no domínio do exercício profissional dos enfermeiros e na formação em serviço destes profissionais e teve por objectivo avaliar, num grupo de enfermeiros de um serviço de medicina, o impacto de uma intervenção educativa na melhoria dos procedimentos a executar na prática da terapêutica inalatória. A amostra do estudo (amostra por conveniência) foi constituída por oito enfermeiros do serviço de medicina do Hospital Curry Cabral (idades compreendidas entre os 24 a 43 anos de idade), sem anterior formação específica na área da terapêutica inalatória, mas com experiencia profissional prévia com doentes respiratórios. O estudo decorreu em dois momentos de avaliação: avaliação 0 (antes da intervenção educativa) e avaliação 1 (após a intervenção educativa). Entre estes dois momentos, foi ministrada, a todos os enfermeiros, uma acção de formação sobre terapêutica inalatória, com componente teórico-prática. Antes e depois da intervenção educativa foram aplicados dois instrumentos: para avaliação dos conhecimentos teóricos, construi-se e aplicou-se, um questionário de auto-avaliação de conhecimentos sobre terapêutica inalatória ao grupo dos enfermeiros...

Caracterização da complexidade da terapêutica geriátrica

Borges, Fábia Sofia Gomes
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.83%
Introdução: O aumento da esperança média de vida traduz-se num inevitável aumento da proporção de idosos e maior prevalência de doenças crónicas. A polimedicação é por isso característica na população geriátrica, o que aumenta a complexidade da terapêutica, predispondo o idoso a problemas de adesão à terapêutica e risco de interacções e reacções adversas. A complexidade terapêutica pode ser medida usando o Índice de Complexidade da Farmacoterapia (ICFT), que tem em conta a forma farmacêutica, frequência de dosagem e instruções adicionais subjacentes à toma da medicação. Outros factores relacionados com a diminuição da audição e visão, entre outros, podem também agravar a complexidade da terapêutica. Objectivo: Quantificar a complexidade da terapêutica na população idosa e identificar os principais factores de complexidade. Material e métodos: Foi realizado um estudo descritivo numa farmácia de Castelo Branco, incluindo uma amostra aleatória de 100 doentes com idade igual ou superior a 60 anos. Foi recolhida informação sobre o número e formas farmacêuticas dos medicamentos que o doente tomava, a sua posologia, principais instruções a seguir e factores de complexidade adicionais. A complexidade da terapêutica foi avaliada usando o ICFT. Resultados: Na amostra de idosos estudada o ICFT apresentou uma média de 30...

Métodos de avaliação da adesão à terapêutica medicamentosa : experiência profissionalizante na vertente de farmácia comunitária, hospitalar e investigação

Carvalho, Eva Liberal Ferreira
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /01/2015 POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
O presente trabalho divide-se em três capítulos e tem como base as três vertentes inseridas no meu Estágio Curricular, presente no plano de estudos do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas: Investigação, Farmácia Comunitária e Farmácia Hospitalar. O primeiro capítulo diz respeito ao trabalho de investigação que desenvolvi relativamente aos métodos tecnológicos inovadores para a monitorização da adesão à terapêutica medicamentosa. Nos tempos que correm, verificamos que uma percentagem significativa da população mundial tem necessidade de tomar medicação e de controlar e/ou tratar, tanto as patologias agudas como as crónicas. A avaliação da adesão à terapêutica medicamentosa e o conhecimento dos diversos fatores que a influenciam são determinantes para o desenvolvimento de estratégias, por parte dos diversos profissionais de saúde, tendo em vista aumentar essa mesma adesão, fundamental para o controlo eficaz e eficiente das doenças crónicas e para a prevenção de muitas das complicações graves que lhes estão associadas. Existem sistemas eletrónicos, como o Medication Event Monitoring System (MEMS), o Short Message Service (SMS) e, mais recentemente, uma tecnologia à base de circuitos integrados (CIs) digeríveis que se revelaram promissores na avaliação da adesão à terapêutica medicamentosa. Estes sistemas/tecnologias permitiram ultrapassar muitas das desvantagens associadas aos métodos de avaliação da adesão à terapêutica correntemente utilizados. Foi efetuada uma revisão da literatura envolvendo todos os artigos que mencionam as tecnologias anteriormente mencionadas...

Empatia e aliança terapêutica sob a ótica dos terapeutas cognitivo-comportamentais

Araújo, Mara Lívia de
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
36.77%
Na abordagem cognitivo-comportamental, a empatia é considerada uma habilidade social importante para a formação de um bom relacionamento terapêutico. Considerando a importância da empatia e da aliança entre terapeuta e cliente para o progresso do tratamento psicoterapêutico o presente estudo investigou junto aos terapeutas cognitivo-comportamentais a capacidade empática pessoal por meio do Inventário de Empatia (IE) e a qualidade da relação terapêutica por meio do Inventário Cognitivo-Comportamental para Avaliação da Aliança Terapêutica, além de identificar a definição de empatia terapêutica para esses psicólogos. Uma amostra de 30 psicoterapeutas especialistas em Terapia Cognitivo- Comportamental respondeu os dois inventários. Além disso, realizou-se uma prova de juízes para o Inventário Cognitivo-Comportamental para Avaliação da Aliança Terapêutica, elaborado neste trabalho a partir dos pressupostos teóricos desenvolvidos por J. Beck. Esta prova foi realizada com oito juízes, também psicólogos especialistas em Terapia Cognitivo- Comportamental. Os resultados mostraram que os participantes apresentaram-se como pessoalmente empáticos, principalmente nos fatores Sensibilidade Afetiva e Tomada de Perspectiva do IE. No que tange à relação terapêutica...

Avaliação da adesão à terapêutica em doentes com hipertensão em Vila Franca de Xira

Lopes, André Filipe Freire
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.77%
O trabalho que se apresenta centra-se na identificação dos principais factores que levam um doente hipertenso a não seguir uma terapêutica prescrita pelo seu médico, mas também pretende identificar a importância do farmacêutico no aumento da adesão à terapêutica. As doenças Cardiovasculares (DCV) são a principal causa de morte e a hipertensão arterial (HTA) é um fator de risco cardiovascular, tendo cada vez mais prevalência na população portuguesa. Para ser eficaz, a terapêutica farmacológica anti-hipertensiva deve ser utilizada de forma constante e regular. A não adesão à terapêutica é apontada frequentemente como a razão principal para o fracasso da terapêutica anti-hipertensiva. Este trabalho de investigação foi desenvolvido numa Farmácia em Vila Franca de Xira de Setembro a Dezembro de 2012, com recurso a entrevista baseadas na aplicação de questionário, bem como a medição da pressão arterial. As pessoas foram selecionadas aleatoriamente bastando para tal que fossem adquirir terapêutica anti-hipertensiva que tivesse sido previamente prescrita por um médico. Foram feitos 97 inquéritos durante este período o que não nos possibilitou uma análise conclusiva em muitos parâmetros. Ainda assim...

Comportamentos de adesão à terapêutica em pessoas com doença respiratória crónica em Portugal

Gonçalves, Marlene Novais
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.75%
Mestrado em Gestão de Serviços de Saúde; Non-adherence to therapy in chronic respiratory patients is a behavior influenced by many factors, and that can translate into loss-health indicators, with important economic and social impact. Being a reality little known nationally, this study aims to examine the effective adherence of these patients, the reasons for not joining, what strategies that patients consider shown to prevent non-compliance, as well as the relationship they have with your doctor. In order to analyze the above mentioned goals, a questionnaire to a sample of chronic respiratory diseases, of legal age to do drugs / treatments (oxygen, non-invasive ventilation, respiratory functional rehabilitation) for at least four months was applied. Of the 166 respondents, 43% were patients with Chronic Obstructive Pulmonary Disease, 28% were suffering from Obstructive Sleep Apnea Syndrome and 18% were asthmatic, the remaining 16% had other respiratory diseases. Just over half of respondents (54%) were males and the average age is 60 years. The most common treatment is inhalation therapy (78%), followed by oral medication and non-invasive ventilation and oxygen therapy (43% and 37%, respectively). Lack of money to buy the drugs was more pointed reason (17%)...

Caracterização da complexidade da terapêutica geriátrica

Borges, Fábia Sofia Gomes
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.83%
Introdução: O aumento da esperança média de vida traduz-se num inevitável aumento da proporção de idosos e maior prevalência de doenças crónicas. A polimedicação é por isso característica na população geriátrica, o que aumenta a complexidade da terapêutica, predispondo o idoso a problemas de adesão à terapêutica e risco de interacções e reacções adversas. A complexidade terapêutica pode ser medida usando o Índice de Complexidade da Farmacoterapia (ICFT), que tem em conta a forma farmacêutica, frequência de dosagem e instruções adicionais subjacentes à toma da medicação. Outros factores relacionados com a diminuição da audição e visão, entre outros, podem também agravar a complexidade da terapêutica. Objectivo: Quantificar a complexidade da terapêutica na população idosa e identificar os principais factores de complexidade. Material e métodos: Foi realizado um estudo descritivo numa farmácia de Castelo Branco, incluindo uma amostra aleatória de 100 doentes com idade igual ou superior a 60 anos. Foi recolhida informação sobre o número e formas farmacêuticas dos medicamentos que o doente tomava, a sua posologia, principais instruções a seguir e factores de complexidade adicionais. A complexidade da terapêutica foi avaliada usando o ICFT. Resultados: Na amostra de idosos estudada o ICFT apresentou uma média de 30...

Métodos de avaliação da adesão à terapêutica medicamentosa : experiência profissionalizante na vertente de farmácia comunitária, hospitalar e investigação

Carvalho, Eva Liberal Ferreira
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /01/2015 POR
Relevância na Pesquisa
36.79%
O presente trabalho divide-se em três capítulos e tem como base as três vertentes inseridas no meu Estágio Curricular, presente no plano de estudos do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas: Investigação, Farmácia Comunitária e Farmácia Hospitalar. O primeiro capítulo diz respeito ao trabalho de investigação que desenvolvi relativamente aos métodos tecnológicos inovadores para a monitorização da adesão à terapêutica medicamentosa. Nos tempos que correm, verificamos que uma percentagem significativa da população mundial tem necessidade de tomar medicação e de controlar e/ou tratar, tanto as patologias agudas como as crónicas. A avaliação da adesão à terapêutica medicamentosa e o conhecimento dos diversos fatores que a influenciam são determinantes para o desenvolvimento de estratégias, por parte dos diversos profissionais de saúde, tendo em vista aumentar essa mesma adesão, fundamental para o controlo eficaz e eficiente das doenças crónicas e para a prevenção de muitas das complicações graves que lhes estão associadas. Existem sistemas eletrónicos, como o Medication Event Monitoring System (MEMS), o Short Message Service (SMS) e, mais recentemente, uma tecnologia à base de circuitos integrados (CIs) digeríveis que se revelaram promissores na avaliação da adesão à terapêutica medicamentosa. Estes sistemas/tecnologias permitiram ultrapassar muitas das desvantagens associadas aos métodos de avaliação da adesão à terapêutica correntemente utilizados. Foi efetuada uma revisão da literatura envolvendo todos os artigos que mencionam as tecnologias anteriormente mencionadas...

Relação Terapêutica: estudo sobre a percepção dos clientes

Lopes, Elisabete Silva
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
36.75%
A Relação Terapêutica, de um modo geral e a Aliança Terapêutica, de um modo particular, são elementos fundamentais da psicoterapia e comuns às diferentes abordagens psicoterapêuticas. Apesar dos estudos nacionais serem escassos, os estudos feitos além-fronteiras testemunham a existência de uma relação entre a relação terapêutica e os resultados da terapia, uma vez que esta tem sido considerada um elemento preditor de resultados, na medida em que a percepção dos clientes acerca da relação é aquela que prediz melhores resultados. No presente estudo pretendemos compreender a Aliança Terapêutica, como uma das dimensões do processo terapêutico, segundo a percepção dos clientes, nas diferentes abordagens terapêuticas consideradas. A amostra é constituída por 60 clientes de psicoterapia, com idade igual ou superior a 18 anos, de três distritos da zona centro do país. A recolha da amostra foi efectuada através de um questionário construído por nós e de um questionário destinado a avaliar a aliança – Inventário da Aliança Terapêutica (Machado & Horvath, 1999). A análise estatística dos resultados obtidos mostra que não existem diferenças estatisticamente significativas entre as abordagens psicoterapêuticas consideradas no estudo...

Aportes a la comprensión de la relación terapéutica desde la teoría del apego y el modelo de la asertividad generativa, en el marco del modelo constructivista cognitivo

Urbano Moncada, Linda Alejandra; Godoy Quinteros, Eduardo Cristobal
Fonte: Universidad de Chile Publicador: Universidad de Chile
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
36.79%
Psicóloga; La presente investigación tiene como propósito abordar y profundizar la teorización existente en el modelo Constructivista Cognitivo respecto a la relación terapéutica, la cual ha sido insuficientemente abordada. Se incluyen, además, la alianza terapéutica y el rol del terapeuta como temas relevantes a considerar en el desarrollo de la investigación, ya que la primera ha sido considerada como el componente más relevante de la relación terapéutica, mientras que el rol del terapeuta respecto a la relación terapéutica se considera fundamental para el devenir de ésta. Por lo que se revisaron los antecedentes correspondientes a dichos tópicos, además, se revisó la teoría del apego y el modelo de la asertividad generativa como modelos para abordar el análisis y realizar la propuesta teórica de la presente investigación. Ésta corresponde a una investigación Teórica-Monográfica, documental, exploratoria, descriptiva y analítica. La investigación permitió profundizar la comprensión de los conceptos de relación terapéutica y alianza terapéutica, entendiéndose que en la primera debiera generarse un apego seguro entre paciente y terapeuta que permita que ésta se constituya y sirva de base segura para la exploración del paciente...

Obstinação terapêutica como questão ética: enfermeiras de unidades de terapia intensiva; La obstinación terapéutica como una cuestión ética: enfermeras de unidades de terapia intensiva; Therapeutic futility as an ethical issue: intensive care unit nurses

Carvalho, Karen Knopp de; Lunardi, Valéria Lerch
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/06/2009 ENG; POR; SPA
Relevância na Pesquisa
36.83%
A obstinação terapêutica, presente nas unidades de terapia intensiva (UTIs), ainda é pouco discutida especialmente por enfermeiras, responsáveis por implementar procedimentos, dos quais, muitas vezes, podem discordar. Para compreender como enfermeiras de UTIs vêm enfrentando a aplicação de medidas terapêuticas que reconhecem como fúteis, foram realizadas entrevistas com essas profissionais e análise de conteúdo dos dados, construindo-se categorias: - "Obstinação terapêutica: o que é isso?"; - "A obstinação terapêutica como o prolongamento do sofrimento"; - "A obstinação terapêutica como a priorização da cura"; - "Enfrentamento da obstinação terapêutica: cuidado humanizado?". O trabalho demonstra a necessidade de avaliar as medidas terapêuticas a serem utilizadas com pacientes em processo de morrer e de morte, de modo que possam viver a fase final de sua vida com qualidade. Quando a cura não é mais possível, é necessário cuidar, respeitando a integridade da pessoa doente, pois o cuidado é a base do exercício profissional da enfermagem.; La obstinación terapéutica, presente en las Unidades de Terapia Intensiva (UTIS), aún es poco discutida entre los profesionales de enfermería que son responsables por la implementación de las terapéuticas y con las cuales pueden discordar. Así...

La alianza terapéutica en tratamiento conjunto de parejas: evaluación de la alianza y análisis de los factores influyentes en el triángulo terapéutico

Aznar-Martínez,Berta; Pérez-Testor,Carles; Davins-Pujols,Montse; Aramburu,Inés; Salamero,Manel
Fonte: Subjetividad y procesos cognitivos Publicador: Subjetividad y procesos cognitivos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 ES
Relevância na Pesquisa
36.79%
La alianza terapéutica en psicoterapia se ha ido configurando como una relación interpersonal existente y necesaria entre el paciente y el terapeuta. Hoy en día todas las orientaciones teóricas otorgan a la alianza terapéutica un papel importante en la relación terapéutica, ya que la relación entre la alianza terapéutica y la eficacia del tratamiento en psicoterapia ha sido constatada en numerosos estudios. La alianza debe ser tomada en consideración en cualquier tratamiento, ya que si no es debidamente trabajada puede dificultar el trabajo terapéutico y, por tanto, deben destinarse a su formación y mantenimiento tanto técnicas interpretativas como no interpretativas cuando se requieran. En psicoterapia de pareja, a causa del triángulo terapéutico y de la gran diversidad de mecanismos que operan en el tratamiento conjunto, la formación y el desarrollo de la alianza adquieren mayor dificultad. En el trabajo se describen las dimensiones de la alianza terapéutica en este tipo de tratamiento siguiendo el modelo del Sistema de Observación de la Alianza Terapéutica en Intervención Familiar (SOATIF). Evaluamos mediante la versión observacional del SOATIF (SOATIF-o) la alianza terapéutica que establece el psicoterapeuta de la serie norteamericana In treatment con la pareja que acude a su consulta durante nueve sesiones...