Página 1 dos resultados de 4636 itens digitais encontrados em 0.015 segundos

Inteligência artificial e teoria de resolução de problemas

Teixeira, João de Fernandes; Gonzales, Maria Eunice Quilici
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP), Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP), Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 45-52
POR
Relevância na Pesquisa
45.57%
Este artigo é uma tentativa de delinear as principais características da pesquisa numa nova área de estudos a chamada Inteligência Artificial (AI). Os itens 1 e 2 constituem um rápido histórico da AI e seus pressupostos básicos. O item 3 trata da teoria de resolução de problemas, desenvolvida por A. Newell e H. Simon. O item 4 procura mostrar a relevância da AI para a Filosofia, em especial para a filosofia da Mente e para a Teoria do Conhecimento.; This article is an attempt to outline the main characteristics of research on a new area of studies, the so-called Artificial Intelligence (AI). Items 1 and 2 sketch the historical background of AI and its basic pressuppositions. Item 3 focus on the problem-solving theory developed by A. Newell and H. Simon. Item 4 is an attempt to show the philosophical and epistemological relevance of Artificial Intelligence.

Inteligência artificial e teoria de resolução de problemas

Teixeira,João de Fernandes; Gonzales,Maria Eunice Quilici
Fonte: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1983 PT
Relevância na Pesquisa
45.57%
Este artigo é uma tentativa de delinear as principais características da pesquisa numa nova área de estudos a chamada Inteligência Artificial (AI). Os itens 1 e 2 constituem um rápido histórico da AI e seus pressupostos básicos. O item 3 trata da teoria de resolução de problemas, desenvolvida por A. Newell e H. Simon. O item 4 procura mostrar a relevância da AI para a Filosofia, em especial para a filosofia da Mente e para a Teoria do Conhecimento.

Werner Heisenberg e a Interpretação de Copenhague: a filosofia platônica e a consolidação da teoria quântica

Leite,Anderson; Simon,Samuel
Fonte: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
45.61%
Este artigo discute o uso que Werner Heisenberg faz da filosofia grega clássica no âmbito dos debates acerca da teoria quântica realizados na primeira metade do século xx. Para esse autor, a ciência foi determinada pelo influxo de duas correntes de pensamento que surgiram na Grécia antiga: o materialismo e o idealismo. A partir de tal clivagem, Heisenberg fundamenta sua crítica aos opositores da Interpretação de Copenhague, além de justificar filosoficamente suas próprias teses sobre a mecânica quântica. Apesar de suas concepções filosóficas não serem passíveis de uma sistematização completa, a relação que Heisenberg estabeleceu entre a filosofia grega e os problemas da teoria dos quanta acabou por resultar em uma interpretação da realidade física na qual é predominante um platonismo e um incipiente estruturalismo matemático.

A inferência causal na filosofia moral de Hume.

Jota, Renato de Medeiros
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
45.59%
Starting from the idea that the result of the Humean analysis of causal inferences must be applied coherently to the remaining part of his work, including its moral theory, the present master thesis aims at investigating whether Hume´s moral philosophy is essentially based on feeling, or whether this would not be rather essentially a consequence of our causal inferences in human actions and deliberations. The main idea consists in showing that our moral inferences, to the extent that they are for Hume empirical , depend on our belief in a connexion between something which has been previously observed and something which is not being observed ( but that it is expected to occur or to be observed in the future). Thus, this very belief must base our moral inferences concerning the actions and deliberations of the individuals. Therefore, must e o ipso induce us to associate actions and behaviors, as well as character and moral claims of men to certain moral feelings. Accordingly, the thesis is unfolded in three chapters. In the first chapter Hume´s theory of the perception is reported as essential part of the explanation or the principles that bind ideas in our mind and constitute our inferences. In the second chapter...

Os direitos humanos no Direito dos Povos: seu conte??do, fun????es, participa????o em uma teoria de paz e poss??vel fundamenta????o; Os direitos humanos no Direito dos Povos: seu conte??do, fun????es, participa????o em uma teoria de paz e poss??vel fundamenta????o

OLIVEIRA, Fernando Nunes
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Filosofia; Progama de P??s-Gradua????o em Filosofia; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Filosofia; Progama de P??s-Gradua????o em Filosofia; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
45.59%
The list of human rights present in The Law of Peoples differs from that list usually found in many democratic constitutions and it suffers accusations of not being properly justified. The fact of bringing a list of human rights with liberal roots to where certain guarantees are absent might make one theory of peace based on the Law of Peoples especially efficient, because it leaves open the possibility that non-liberal, but decent, peoples integrate the Society of Peoples, reducing the mistrust as well the resentment. Furthermore, this list of human rights is properly justified. However, in order to understand such justification is necessary to have a certain knowledge of the ideal of Justice as Fairness, especially of some of its features and assumptions such as the original position in a veil of ignorance, the use of the public reason and the reasonable pluralism, because the Law of Peoples does a diverse and analogous use of these features and assumptions. The Law of Peoples conceives peoples as free and equals and sets forth which principles ideal representatives of peoples, under a veil of ignorance, would choose in order to regulate the relations between peoples. It is an extension of a liberal theory of justice towards the international level. As such...

Uma abordagem sobre a concepção de proposição da teoria institucionalista de tipos; An approach to Intuitionistic type theory 's conception of a prosition

Mundim, Bruno Rigonato
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Filosofia (FAFIL); Faculdade de Filosofia - FAFIL (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Filosofia (FAFIL); Faculdade de Filosofia - FAFIL (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
45.59%
By means of the Curry-Howard Correspondence Martin-Löf’s intuitionistic type theory claims that to define a proposition by laying down how its canonical proofs are formed is the same as to define a set by laying down how its canonical elements are formed; consequently a proposition can be seen as the set of its proofs. On the other hand, we find in this very same theory a distinction between the notions of set and of type, such that the difference of the latter in relation to the former consists in the fact that to form a type we do not need to present an exhaustive prescription for the formation of its objects; it is sufficient to just have a general notion of what would be an arbitrary object that inhabits such type. Thus we argue that we can extract two distinct notions of propositon from the intuitionistic type theory, one which treats propositions as types and another which treats propositions as sets. Such distinction will have some bearing on discussions concerning hypothetical demonstrations and conjecture’s formation.; Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES; A teoria intuicionista de tipos, de Martin-Löf, alega, à luz da correspondência Curry- Howard, que definir uma proposição por meio do estabelecimento de como as suas provas canônicas são formadas é o mesmo que definir um conjunto por meio do estabelecimento de como os seus elementos canônicos são formados...

En torno a la obra de Adolfo Sánchez Vázques (Filosofía, ética, estética y política) (Publicación completa)

Vargas Lozano, Gabriel (Editor)
Fonte: Universidad Nacional Autónoma de México. Facultad de Filosofía y Letras Publicador: Universidad Nacional Autónoma de México. Facultad de Filosofía y Letras
Tipo: Libro
ES
Relevância na Pesquisa
45.6%
Presentación, Gabriel Vargas Lozano 7, VIDA Y FILOSOFÍA, Biografía intelectual, Ramón Vargas Machuca19; El ciclo del exilio, José Luis Abellán 27; La generación del marxismo-leninismo, Fernando Claudín 43; Testimonios, Javier Muguerza, Carlos París, Valeriano Boza¿ José Jiménez 53; La capacidad de dudar, Jaime Labastida 73; Elogio del marxismo, Bolívar Echeverría 77; La concepción del marxismo en Sánchez Vázquez, Gilvan P. Ribeiro 83; Adolfo Sánchez Vázquez: filósofo español en México, filósofo mexicano en España, Javier Muguerca 97; ¿Qué significa filosofar?, Adolfo Sánchez Vázquez 109, LOS MANUSCRITOS ECONÓMICO-FILOSÓFICOS DE MARX; Humanismo y ontología en los Manuscritos de 1844 de Marx, Juliana González Valenzuela 121; El marxismo inevitable, Cesáreo Morales 149; Actualidad de los Manuscritos económico-filosóficos de 1844, Andrés Barreda Marín 155; Sobre la teoría del valor y la política de la revolución en el joven Marx, David Moreno Soto 165; Adolfo Sánchez Vázquez y los Manuscritos de 1844, Jorge Veraza 201; Los Manuscritos de 1844 de Marx en mi vida y en mi obra, Adolfo Sánchez Vázquez 221; Sobre la polémica Veraza-Sánchez Vázquez, Andrés Sierra 237; Respuesta a Adolfo Sánchez Vázquez...

Kant, la teoría de la relatividad y la filosofía de la ciencia de comienzos del siglo XX

Peláez Cedrés, Álvaro J.
Fonte: Facultad de Filosofía y Letras, Universidad Nacional Autónoma de México Publicador: Facultad de Filosofía y Letras, Universidad Nacional Autónoma de México
Tipo: Articulo
ES
Relevância na Pesquisa
45.6%
El ascenso de la teoría de la relatividad implicó no sólo un profundo cambio en las estructuras conceptuales de las fisicomatemáticas, sino también rompió con una serie de reflexiones y discusiones acerca de la situación de nuestro esquema conceptual y su relación con los principios fundamentales de la física. Kant sostenía que las leyes de la física de Newton tenían un estatus apriorístico, determinado por la relación de estas leyes con las estructuras conceptuales del sujeto trascendental. El presente artículo intenta iluminar algunos aspectos de la discusión en torno al impacto epistemológico sobre la teoría de la relatividad. Un resultado importante será que, a pesar de los profundos cambios que la física ha desplegado, los filósofos que fueron imbricados en esta discusión no abandonaron el espíritu de la filosofía de Kant, pero modificaron algunas de sus nociones fundamentales de manera que pudieran explicar los cambios que estaban presenciando. Estas modificaciones del paradigma kantiano pueden todavía ser defendidas como una manera elucidación del conocimiento científico. //// The rise of the Theory of Relativity implied not only a deep change in the conceptual structures of physicomathematics, but also broke out a series of reflections and discussions about the status of our conceptual scheme and its relation with the fundamental principles of physics. Kant maintained that the Newton’s physic laws had an a priori status...

Theoría. Revista del Colegio de Filosofía. Núm. 16-17 junio de 2005

Colegio de Filosofía, Facultad de Filosofía y Letras
Fonte: Facultad de Filosofía y Letras, Universidad Nacional Autónoma de México Publicador: Facultad de Filosofía y Letras, Universidad Nacional Autónoma de México
Tipo: Revista
ES
Relevância na Pesquisa
55.52%
Publicación completa.; ARTÍCULOS; Carlos Pereda, Pensamiento crítico versus razón arrogante 11; Guillermo Hurtado, Dudas y sospechas 29; Pedro Stepanenko, La filosofía de Gaos desde la perspectiva de Fernando Salmerón 45; José Ezcurdia, Bergson y la crítica al esquematismo de la representación: la filosofía como máquina de plantear problemas y horizonte del pensar 63; SOBRE ÉTICA; Fernando Pérez-Borbujo Álvarez, El «sistema de la libertad» en el pensamiento de Schelling 85; Antonio Hermosa Andújar, La conquista de la fortuna 119; María Teresa López de la Vieja, Literatura en la filosofía moral 149; Pedro Enrique García Ruiz, Hermenéutica del sí mismo y ética. Hacia una teoría del sujeto a partir de Paul Ricoeur 159; RESEÑAS Y NOTAS; Griselda Gutiérrez Castañeda, Graciela Hierro: universitaria y filósofa 177; Elisabetta Di Castro, Norberto Bobbio (1909-2004) 181; Lizbeth Sagols Sales, La carrera académica y la educación 183; Susana Bercovich, La opacidad de la ética 187; Alberto Constante, El instante eterno 191; ABSTRACTS 199; COLABORADORES 205

Bases para una teoría del conocimiento proposicional del absoluto en Apariencia y realidad

Díaz Contreras, Javiera
Fonte: Universidad de Chile; CyberDocs Publicador: Universidad de Chile; CyberDocs
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
45.59%
El interés de esta investigación radica en dilucidar las posibilidades y límites de una teoría del conocimiento, en miras a la dificultad que presenta el concepto de pensamiento bajo la perspectiva de F. H. Bradley, principalmente en su texto Apariencia y Realidad. Resulta necesario preguntar no sólo por el cómo se conoce - asunto para el que abundan las respuestas en filosofía y en otros ámbitos - ,sino que más importante y prioritario es preguntar si efectivamente es posible un conocimiento del mundo. Lo que aquí defendemos es la posibilidad de un conocimiento mínimo respecto de lo que nuestra experiencia vislumbra como la Realidad o el Absoluto. Esta alternativa - que finalmente es la única y por tanto no es ya alternativa - aunque precaria, se presenta mucho más coherente que aquellas en donde el conocimiento parece ser más abarcante, pero que en último termino resultan insostenibles. En forma simultánea discutiremos acerca de la doctrina que con más justicia podría hacerse cargo de esta teoría del conocimiento, sin que aquella represente estrictamente el pensamiento del referido autor. Defendemos en la presente investigación que el idealismo filosófico, con ciertas restricciones recogidas del pensamiento de Bradley...

La "lucha por el reconocimiento" y el carácter del derecho moderno: indagaciones filosófico-políticas en la teoría crítica

Sémbler Reyes, Camilo
Fonte: Universidad de Chile; CyberDocs Publicador: Universidad de Chile; CyberDocs
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
45.65%
Tesis para optar al grado de Magíster en Filosofía mención en Axiología y Filosofía Política; El estudio aquí presentado constituye una reconstrucción filosófico-política de los distintos argumentos elaborados en el devenir de la tradición de la Teoría Crítica de la sociedad de la Escuela de Fráncfort –desde Max Horkheimer hasta Axel Honneth – en torno a la relación entre el carácter del derecho y el horizonte de la justicia en el mundo moderno. Se analizan así los respectivos diagnósticos filosófico-políticos implicados en la primera generación de la Teoría Crítica, la renovación intersubjetivo-comunicativa de esta tradición emprendida por Jürgen Habermas y, especialmente, su revitalización contemporánea en el marco de la teoría del reconocimiento recíproco de Axel Honneth. En cada uno de ellos se rastrea, como se verá, las condiciones filosóficas de una cierta vinculación o distanciamiento entre la lógica del derecho moderno y las pretensiones de justicia de la crítica filosófica.

Reconocimiento recíproco, formas de menosprecio y libertad: la teoría de las luchas por el reconocimiento de Axel Honneth y su particular traducción en términos de una teoría plural de la justicia

Iñigo Valderrama, Isidora
Fonte: Universidad de Chile Publicador: Universidad de Chile
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
45.63%
Tesis para optar al grado de Magíster en Filosofía; No autorizada temporalemente para ser publicada en el Portal de Tesis Electrónicas de la U. de Chile, disponible en noviembre 2017; A través de la presente tesis, se reconstruyen los elementos centrales de la teoría de las luchas por el reconocimiento de Axel Honneth y su propuesta de una teoría de la plural de la justicia, debidamente diferenciada y delimitada dentro del campo de reflexiones del autor alemán. A partir de un trabajo de carácter reconstructivo, en la primera parte, se revisan las conexiones entre los planteamientos de Axel Honneth con la tradición de pensamiento que busca renovar, identificando un claro rescate de los principios del modelo de crítica de Teoría Crítica, más no de las diferentes maneras en que sus autores llevaron a cabo dicho proyecto. Como producto de este análisis es que, en una segunda parte, se reflexiona en torno a la teoría de las luchas por el reconocimiento recíproco, en tanto propuesta teórica por medio de la cual Axel Honneth busca superar las aporías teóricas a las que habrían arribado sus predecesores. Es este trabajo el que permitirá, al finalizar, reconstruir los elementos centrales que caracterizan su particular propuesta de una teoría plural de la justicia que...

Margaret Elizabeth Egan and genealogy of philosophy of librarianship; Margaret Elizabeth Egan y la genealogía de la filosofía de la bibliotecología; Margaret Elizabeth Egan y la genealogía de la filosofía de la bibliotecología

Morán, Ariel
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 24/09/2014 SPA
Relevância na Pesquisa
45.62%
El artículo examina la estructura constitutiva de la epistemología social y plantea que ésta es idea original de Margaret Elizabeth Egan, y que Jesse Hauk Shera luego la “re-conceptualizó” de forma confusa. Además, se establecen cuáles ideas constituyen la genealogía de la filosofía de la bibliotecología en el siglo XX. Aunado a esto, se estatuye que las ideas de Shera se encuentran apartadas de esta línea genealógica, en una línea paralela. Shera se alejó de la epistemología social original de Egan y la llevó a terrenos difusos, mismos que —contrario al pensamiento teórico bibliotecológico más básico y convencional— no comulgan con la tradición precedente. Por otro lado, en el texto se establece que la filosofía de la información de Floridi es compatible con la tradición bibliotecológica, sus preceptos y evolución; The article examines the constitutive structure of social epistemology and argues that this is the brainchild of Margaret Elizabeth Egan, and that Jesse Hauk Shera then “re-conceptualized” this theory confusingly. Moreover, in this paper, are establish what ideas shape the genealogy of philosophy of librarianship in the twentieth century. Added to this, it determines that Shera’s ideas do not belong of this genealogical line...

A permanência da filosofia na obra adorniana. Um estudo sobre o significado da filosofia após a sua não realização; 5e permanence of Philosophy in Adorno’s Work. A Study over the meaning of philosophy after its non realization

Fleck, Amaro
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/2011 POR
Relevância na Pesquisa
45.58%
Ao longo de sua obra, Theodor W. Adorno questionou se a filosofia não teria se tornado obsoleta com o desenvolvimento científico e, caso a resposta fosse negativa, qual seria sua função no mundo contemporâneo, no qual as ciências particulares se apoderaram dos conteúdos que eram outrora os da filosofia. Neste artigo, a partir da análise dos textos “A atualidade da filosofia”, “Para que ainda a filosofia?” e do livro Dialética negativa, busco apresentar o projeto daquilo que Adorno considerou uma filosofia adequada aos nossos tempos, a saber, a teoria crítica da sociedade.; Many times in his work, Theodor W. Adorno has questioned if philosophy hadn’t become obsolete with the scientific development and, if the answer to that were negative, which function would it have in the contemporary world, where particular sciences have taken over the contents that were previously detained by philosophy. In this paper, I start with an analysis of the texts “The actuality of philosophy”, “Why still philosophy” and of the book Negative Dialectics to pinpoint what Adorno considered to be the adequate philosophy for our times, namely, the critical theory of society.

O bem possível : o significado da prioridade do justo na teoria de Jonh Rawls e as críticas comunitarista e perfccionista ao projeto liberal

Galindo, Rogerio Waldrigues
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 90f.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
45.61%
Orientadora: Profª. Drª. Maria Isabel Limongi; Dissertaçao (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Filosofia. Defesa: Curitiba, 03/11/2015; Inclui referências : f. 89-90; Área de concentração: Filosofia; Resumo: A prioridade do justo sobre o bem, defendida pelo filósofo norte-americano John Rawls em seu livro Uma Teoria da Justiça, de 1971, causou uma avalanche de críticas nos anos que se seguiram. Dois grupos de filósofos, em especial, questionaram Rawls por acreditar que sua teoria não deixava espaço suficiente para o desenvolvimento de ideias do bem: os comunitaristas (Charles Taylor, Alasdair MacIntyre, Michael Sandel, Michael Walzer) e Joseph Raz, representando o liberalismo perfeccionista. Este trabalho analisa a obra original de Rawls, as críticas feitas a ele nos vinte anos seguintes e a resposta dada por Rawls em seu livro seguinte, o Liberalismo Político, publicado em 1992, para ajudar a determinar o que exatamente a obra de Rawls exige, se há ou não espaço nela para que concepções abrangentes de bem se desenvolvam, qual o impacto do individualismo nessa teoria da sociedade e quais críticas podem ter surgido devido a mal-entendidos gerados por sua primeira obra. Palavras-chave: John Rawls...

Werner Heisenberg e a Interpretação de Copenhague: a filosofia platônica e a consolidação da teoria quântica

Leite, Anderson; Simon, Samuel
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2010 POR
Relevância na Pesquisa
45.61%
Este artigo discute o uso que Werner Heisenberg faz da filosofia grega clássica no âmbito dos debates acerca da teoria quântica realizados na primeira metade do século xx. Para esse autor, a ciência foi determinada pelo influxo de duas correntes de pensamento que surgiram na Grécia antiga: o materialismo e o idealismo. A partir de tal clivagem, Heisenberg fundamenta sua crítica aos opositores da Interpretação de Copenhague, além de justificar filosoficamente suas próprias teses sobre a mecânica quântica. Apesar de suas concepções filosóficas não serem passíveis de uma sistematização completa, a relação que Heisenberg estabeleceu entre a filosofia grega e os problemas da teoria dos quanta acabou por resultar em uma interpretação da realidade física na qual é predominante um platonismo e um incipiente estruturalismo matemático.; This article discusses Werner Heisenberg's use of ancient Greek philosophy in the debates about quantum theory that occurred during the first half of the 20th century. For Heisenberg, science was determined by two concurrent streams of thought that arose in ancient Greece: materialism and idealism. Starting from this separation, Heisenberg not only develops his criticism of the opponents of the Copenhagen interpretation...

A teoria do discurso racional de Habermas

Durão, Aylton Barbieri; DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
Fonte: Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea Publicador: Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado por Pares Formato: application/pdf
Publicado em 09/11/2015 POR
Relevância na Pesquisa
45.59%
Ao contrário da maioria dos filósofos contemporâneos que não desenvolveram uma filosofia sistemática, como almejaram os filósofos do passado, Habermas aplica a sua teoria do discurso para todo o espectro de problemas da filosofia e, embora as suas obras pareçam tratar de temas dispersos e sem unidade, este artigo visa mostrar que a teoria do discurso possibilitou a reabilitação do sistema na filosofia, na medida em que permite julgar a validade das proposições da ciência nos discursos teóricos, bem como das normas morais normas jurídicas nos discursos práticos, desde que sejam feitas as devidas adaptações para cada caso, inclusive seguindo a ordem das razões e a ordem cronológica dos temas como fizeram os filósofos sistemáticos.

A CONEXÃO ENTRE REFLEXÃO FILOSÓFICA E PESQUISA SOCIAL EMPÍRICA COMO PRÁXIS NA TEORIA CRÍTICA DA SOCIEDADE

Antunes, Deborah Christina; Universidade de Brasília
Fonte: Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação Publicador: Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 15/07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
45.61%
A Teoria Crítica nasceu da reformulação da relação entre a filosofia e pesquisa social empírica, no Instituto de Pesquisa Social de Frankfurt, em 1931, quando Horkheimer defendeu a reorientação da agenda de pesquisa do Instituto, bem como a substituição de sua abordagem pelo que ficou conhecido como materialismo interdisciplinar. Ele conectou reflexão teórica, baseada no marxismo filosófico, e ciência social empírica, em resposta a outras interpretações do marxismo ortodoxo. Desde as primeiras pesquisas e elaborações teóricas do Instituto nessa época, Horkheimer e Adorno manifestaram sua preocupação com o destino da humanidade – e a junção entre teoria social e pesquisa dizia respeito a tal preocupação. Horkheimer deixou isso claro no prefácio de The Authoritarian Personality, onde defendeu a articação entre a pesquisa e os interesses do Instituto e sua preocupação com a emancipação humana - desenvolvida a partir de uma análise cientificamente honesta do mundo material. Foi Adorno, contudo, no contato com a experiência científica norte-americana que, apesar de sua rejeição inicial da pesquisa empírica, reformulou seu conceito sobre ela, desenvolvendo uma teoria dialética da primazia do objeto...

CONSIDERAÇÕES SOBRE FILOSOFIA E ENSINO: UMA CONFRONTAÇÃO DIALÉTICA

Silva, Alex Sander da; Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC
Fonte: Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação Publicador: Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 11/10/2011 POR
Relevância na Pesquisa
45.58%
Este artigo pretende pensar o problema do ensino de filosofia na relação entre a teoria e da prática pedagógica. Pretende-se, pois, apontar um ensino de filosofia, que vá para além das simplificações do processo educativo. Isso exige um nível elevado de articulação e tensão dialética entre a teoria e a prática pedagógica.

O corpo como base da ética na teoria da motricidade humana: o desporto como foco de análise

Zoboli, Fabio; da Silva, Renato Izidoro; Lamar, Adolfo Ramos
Fonte: Filosofia e Educação Publicador: Filosofia e Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Pesquisa Bibliográfica Formato: application/pdf
Publicado em 04/07/2011 POR
Relevância na Pesquisa
45.61%
A teoria da Motricidade Humana criada na década de 1980 pelo português Manuel Sérgio é uma presunção que tenta dar bases epistemológicas para criar um novo paradigma a fim de pautar as práxis da Educação Física. As bases da teoria se assentam numa perspectiva de corpo centrada na filosofia e ciências humanas para contrapor e somar as bases históricas das práxis da Educação Física historicamente fundadas no corpo anatomo-biológico. Neste sentido, o presente artigo tem como objetivo discutir a centralidade do corpo para a construção de uma base ética na teoria da Motricidade Humana. Para argumentar tal centralidade os autores estabelecem fundamentalmente um diálogo tensivo entre Nietzsche e Merleau-Ponty para fazer um paralelo de como Manuel Sérgio se apropria da filosofia de ambos para conceber o corpo enquanto dimensão ética na sua teoria.