Página 1 dos resultados de 506 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Determinação da temperatura retal e frequência respiratória de suínos em fase de creche por meio da temperatura da superfície corporal em câmara climática; Determination of piglet's rectal temperature and respiratory rate through body surface temperature in a climatic chamber

Mostaço, Gustavo Marques
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
56.65%
A constante influência humana em atividades de manejo animal, além de aumentar os custos de produção, torna-se uma adicional fonte geradora de estresse sobre os animais. Nesse sentido, é necessária a busca pelo desenvolvimento de métodos alternativos de acompanhamento, à distância e em tempo real, das condições físicas dos animais, em conjunto com o controle das instalações. Para a identificação da condição de conforto ou estresse calórico dos animais, alguns indicativos podem vir a auxiliar, tais como a temperatura retal (TR), sendo esse um bom indicador da temperatura do núcleo corporal, bem como, a frequência respiratória (FR). Porém, com a crescente preocupação em relação ao bem-estar animal, vários questionamentos são feitos acerca de métodos invasivos, motivando a busca por alternativas à mensuração da TR. Surge então, como variável alternativa, a temperatura da superfície corporal, buscando-se correlacioná-la com a TR e FR. Sendo assim, com essa pesquisa objetivou-se identificar a região mais adequada da superfície corporal dos suínos, em fase de creche, que apresente a melhor correlação com a TR e FR. Para tal, foi conduzido um experimento, dividido em duas etapas: etapa 1) pré-experimento...

Efeitos do estresse térmico nas concentrações plasmáticas de progesterona (P4) e estradiol 17-b (E2) e temperatura retal em cabras da raça Pardo Alpina

Uribe-Velásquez, Luis Fernando; Oba, Eunice; Brasil, Lúcia Helena de Albuquerque; Sousa, Francisneide Neves de; Wechsler, Francisco Stefano
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 388-393
POR
Relevância na Pesquisa
66.66%
Seis cabras lactantes foram distribuídas aleatoriamente em um delineamento experimental em crossover, em dois grupos: sob condições termoneutras e estresse térmico. Um período de adaptação de 28 dias foi seguido por quatro períodos de 14 dias cada, quando os animais sob estresse térmico foram expostos à temperatura média de 33,84ºC; THI de 86,20; BGT de 36,18 e BT de 32,11ºC das 8 às 17 horas, incluindo radiação solar simulada das 10 às 15 horas. Não houve diferença entre as concentrações plasmáticas de progesterona, mas as fêmeas submetidas ao estresse térmico apresentaram diminuição nas concentrações plasmáticas de estradiol, quando comparados ao grupo termoneutro. A temperatura retal dos animais sob estresse térmico foi mais elevada quando foi comparada à do grupo de animais em condições de termoneutralidade. As cabras mantiveram as concentrações plasmáticas da progesterona, com diminuição na secreção de estradiol, quando expostas a um estresse repetido e intermitente, a despeito de ocorrer hipertermia durante o estresse pelo calor.; Six lactating goats were randomly assigned to a crossover experimental design in two groups, under thermoneutral and heat stress conditions. An adaptation period of 28 days were followed by 4-periods of 14 days each...

Variação da temperatura corpórea em ovinos sob diferentes condições de manejo

Vitro, Whelerson Luiz
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 45 f.
POR
Relevância na Pesquisa
46.61%
Pós-graduação em Ciência Animal - FMVA; Objetivou-se com esse experimento avaliar o efeito na temperatura corpórea de ovinos lanados, em diversos pontos do corpo, antes e após tosquia, realizada em dez animais de cada grupo vinte dias após o início do experimento, em três condições de manejo: sem sombreamento (SS), com sombreamento parcial (SP) e com sombreamento total (ST). Foram utilizadas quarenta e cinco fêmeas ovinas mestiças Suffolk, com idade superior a 24 meses, identificada individualmente, não tosquiada há pelo menos três anos, criadas todas a pasto, divididas aleatoriamente em três grupos. O manejo dos animais quanto a instalações, piquetes, conduta de aferição das temperaturas, alimentação, suplementação mineral foi idêntico para os três tratamentos. Foram realizadas mensurações diárias das temperaturas com uso de termômetro infravermelho, sendo a luz infravermelha posicionada nas regiões da fronte, nuca, porção interna e externa da lã e períneo; a temperatura retal foi obtida com termômetro clínico de mercúrio. As aferições foram realizadas em três momentos do dia: 7h, 14h, e 17h, durante quarenta dias. A temperatura ambiente e umidade relativa do ar foram anotadas utilizando-se um termohigrômetro. Observou-se diferença significativa nos valores médios de temperatura retal dos animais tosquiados no Grupo SS...

Correlation between tympanic and rectal temperature in marmosets (Callithrix penicillata) under acute stress; Correlações entre a temperatura timpânica e temperatura retal em saguis (Callithrix penicillata) sob estresse agudo

Souza, Vanner Boere; Silva, Ita de Oliveira; Canale, Gustavo Rodrigues; Pianta, Taíssa Ferreira; Tomaz, Carlos Alberto Bezerra
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
66.91%
ABSTRACT; In veterinary practice, tympanic temperature (TT) measurement is not very disseminated. It is surprising, because TT could have advantages compared to the rectal temperature (RT). In the present study, we investigate (Callithrix penicillata), right TT, left TT and RT. We used an infra-red thermometer to measure the temperature in marmosets of tympanic membrane, and a digital clinical thermometer for the measurement of rectal temperature. Right TT was lower than left TT and RT. There was not statistical difference between left TT and RT. Correlation between left TT and RT was stronger than correlation between right TT and both, left TT and RT. This results suggests of a regional thermal dissociation and an asymmetric cerebral metabolism and body temperature, due to the stress of contention in marmosets. _______________________________________________________________________________ RESUMO; Na prática de clínica veterinária a temperatura timpânica (TT) não é disseminada. Isto é surpreendente porque a TT poderia apresentar vantagens em relação à medida da temperatura retal (RT).Neste estudo, investigou-se a temperatura timpânica direita (RTT), temperatura timpânica esquerda (LTT) e temperatura retal em sagüis do cerrado (Callithrix penicillata). Usou-se um termômetro de emissão de raios infra-vermelhos para a mensuração da temperatura da membrana timpânica e um termômetro clínico digital para a medida da temperatura retal. RTT foi menor do que LTT e RT. Não houve diferença estatística entre a LTT e RT. A correlação entre LTT foi mais forte em relação à RT do que à RTT. Estes resultados são sugestivos de uma dissociação e assimetria térmica regional entre o metabolismo cerebral e a temperatura sistêmica...

Determinação do efeito de sombreamento artificial através de respostas fisiológicas em bovinos na estação quente açoriana

Serpa, Ana Isabel Câmara
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 20/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
47.12%
Dissertação de Mestrado em Engenharia Zootécnica.; Nos Açores, os bovinos são mantidos em regime de pastoreio ao longo de todo o ano. Nestas condições, os animais estão sujeitos à ação direta do clima, com potenciais reflexos na produtividade, no conforto térmico e bem-estar animal. O presente trabalho decorreu em 2 épocas do ano com diferentes condições climáticas: na estação amena (meses de abril e maio de 2010 e 2011), e na estação quente (meses de julho e agosto de 2010 e mês de julho de 2011). O objetivo do estudo foi determinar o efeito de sombreamento artificial em bovinos nas condições climáticas açorianas na estação quente, considerando as respostas na taxa de respiração, na temperatura retal e na concentração de cortisol plasmático. E estimar o balanço térmico e a taxa de respiração dos animais. Na raça Holstein, os animais ao Sol na estação quente registaram uma maior correlação entre a taxa de respiração e a temperatura do ar (r = 0,69), com um aumento de 4,53 mr min.-1 por 1 °C. O THI obteve a correlação maior (r = 0,68), com um aumento de 3,61 mr min.-1 por unidade. Nos animais à sombra registaram-se correlações negativas fracas com os parâmetros climáticos e com o THI e o BGHI. Na raça Aberdeen-Angus...

Comparação da eficácia de doses iguais de acetaminofeno retal e oral em crianças

Karbasi,Sedigha Akhavan; Modares-Mosadegh,Moneyreh; Golestan,Motahhareh
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.85%
OBJETIVO: Comparar uma dose de acetaminofeno oral e retal e avaliar a aceitabilidade do acetaminofeno retal, uma vez que o acetaminofeno oral e retal é amplamente usado como agente antipirético em crianças com febre e a eficiência comparativa dessas duas preparações não está bem estabelecida. MÉTODOS: Neste estudo prospectivo de grupos paralelos, foram incluídas 60 crianças admitidas na emergência ou clínica ambulatorial pediátrica em um hospital terciário, com idade entre 6 meses e 6 anos e com temperatura retal acima de 39 °C. Os pacientes foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos de mesmo tamanho. O grupo 1 recebeu 15 mg/kg de acetaminofeno retal, e o grupo 2 recebeu a mesma dose oralmente. A temperatura foi registrada no tempo zero e 1 e 3 horas após administração da droga. RESULTADOS: No primeiro grupo, a redução média de temperatura, 1 e 3 horas após administração do acetaminofeno, foi de 1,07±0,16 (p < 0,001) e 1,74±0,25 °C (p < 0,001), respectivamente, e no segundo grupo foi de 1,98±0,19 (p < 0,001) e 1,70±0,14 °C (p < 0,001), respectivamente (p > 0,05). CONCLUSÃO: As preparações oral e retal de acetaminofeno têm eficácia antipirética equivalente em crianças. A via retal mostrou ser tão aceitável quanto a oral entre os pais.

Há equivalência entre a temperatura da membrana timpânica e a temperatura retal em ovinos Santa Inês normotérmicos?

Del Campo,Claudia; Boere,Vanner
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
67%
A utilização do termômetro de raios infravermelhos para a aferição da temperatura timpânica em animais tem se tornado uma alternativa prática na clínica veterinária. Em ovinos, a mensuração da temperatura timpânica não foi suficientemente comparada com a aferição da temperatura retal. Este estudo avaliou a equivalência entre a temperatura timpânica e a temperatura retal em 16 ovinos da raça Santa Inês. Durante a coleta de dados, a temperatura e a umidade relativa do ar foram monitoradas e não houve correlação entre estas e a temperatura corporal. A análise da equivalência, pelo método da diferença entre as temperaturas, resultou em temperaturas timpânicas mais baixas (entre 35 e 36,9°C, para ambos os ouvidos) que a temperatura retal (entre 39 e 38°C). Os limites de concordância das comparações entre a temperatura retal e as temperaturas timpânicas foram acima do valor pré-estabelecido. A localização anatômica dos locais aferidos e o tipo de termômetro contribuíram para as diferenças de temperatura. A temperatura retal e a temperatura timpânica foram independentes, sugerindo não haver equivalência entre ambas.

Determinação dos parâmetros fisiológicos e gradiente térmico de diferentes grupos genéticos de caprinos no semi-árido

Souza,Expedito Danusio de; Souza,Bonifácio Benício de; Souza,Wandrick Haus de; Cezar,Marcílio Fontes; Santos,José Romulo Soares dos; Tavares,Gustavo de Paula
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2005 PT
Relevância na Pesquisa
46.97%
Objetivou-se com este trabalho avaliar o comportamento fisiológico de diferentes grupos genéticos de caprinos mediante respostas fisiológicas da temperatura retal, freqüência cardíaca e freqüência respiratória, e do gradiente entre temperatura retal e temperatura superficial e do gradiente entre temperatura superficial e temperatura ambiente, sob às condições do semi-árido. Foram utilizados trinta caprinos inteiros, sendo seis animais de cada grupo genético: ½ Boer + ½ SRD, ½ Anglo-Nubiana + ½ SRD, ½ Savana + ½ SRD, ½ Kalarari + ½ SRD e ½ Moxotó + ½ SRD, com peso médio de 25,17 kg, distribuídos num delineamento inteiramente casualizado, em parcelas subdivididas no tempo. A alimentação consistiu numa ração composta de concentrado e volumoso. As variáveis ambientais registradas foram: temperatura máxima e mínima; temperatura do bulbo seco e bulbo úmido; temperatura do globo negro na sombra; umidade relativa do ar e ITGU. As tomadas dos parâmetros fisiológicos e das variáveis ambientais foram feitas às 9 horas e às 15 horas. No turno da tarde a freqüência respiratória foi significativamente (P<0,05) mais elevada do que a da manhã. Não houve feito significativo (P>0,05) de grupo genético e nem de turno para os parâmetros fisiológicos temperatura retal e freqüência cardíaca. Houve efeito significativo (P<0...

Comportamento e parâmetros fisiológicos de leitões nas primeiras 24 horas de vida

Ferreira,Rony Antonio; Chiquieri,Julien; Mendonça,Pedro Pierro; Melo,Thiago Vasconcelos; Cordeiro,Mariana Duran; Soares,Rita da Trindade Ribeiro Nobre
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.74%
Um experimento foi conduzido no setor de Suinocultura da Universidade Estadual do Norte Fluminense, com o objetivo de avaliar o comportamento e parâmetros fisiológicos de leitões nas primeiras 24 horas de vida. Foram utilizados 82 leitões de genética comercial para crescimento rápido, sendo realizadas observações a cada cinco minutos do comportamento dos animais. Foram mensuradas as temperaturas retal e de superfície, além da freqüência respiratória em intervalo de uma hora. Os resultados obtidos com o estudo comportamental demonstraram que os leitões passam mais da metade (53,8%) do seu primeiro dia de vida dormindo dedicando somente 31,2% à ingestão de leite. A temperatura retal dos leitões recém nascidos e a temperatura superficial da pele aumentaram (P<0,05) após nove horas de vida. Entretanto, a temperatura superficial no pernil não foi influenciada (P>0,05) nas primeiras 24 horas de vida. A freqüência respiratória não foi influenciada (P>0,05). Leitões recém-nascidos com genética para alta deposição de tecido magro apresentam reação ao ambiente logo nas primeiras horas de vida. A elevação das temperaturas retal e superficial dos animais evidenciaram tentativa de controle termorregulatório a partir da nona hora de vida.

Influência das estações do ano na temperatura retal e freqüência respiratória de carneiros

Tutida,Leira; Barbosa,Orlando Rus; Martins,Elias Nunes; Macedo,Francisco de Assis Fonseca de; Roman,Márcio José da Rocha; Simonelli,Sandra Maria
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
66.7%
Este trabalho foi conduzido para avaliar o efeito das estações do ano na temperatura retal (TR) e freqüência respiratória (FR) de carneiros das raças Bergamácia, Corriedale e Hampshire Down, com três a quatro anos de idade, no período de março/96 a março/97. Foram usados vinte e quatro carneiros, nove da raça Bergamácia (Be), oito da raça Corriedale (Co) e sete da raça Hampshire Down (Hd). Houve influência do mês sobre a TR apenas para a raça Hd, sendo maior no verão (39,31°C), diminuindo no outono (38,63°C) e no inverno (38,93°C) e aumentando novamente na primavera (39,15°C). A FR dos ovinos das raças Co e Hd, em temperatura elevada (31,8°C), foi maior (130 e 120 resp./min, respectivamente) que a da raça Be (68 resp./min), enquanto, sob baixa temperatura (21,2°C), foram observados valores de 79,89 resp./min para Co e Hd, respectivamente, e 33 resp./min para a raça Be, demonstrando que a via respiratória é o principal mecanismo pelo qual as raças Co e Hd perdem calor.

Efeitos do estresse térmico nas concentrações plasmáticas de progesterona (P4) e estradiol 17-b (E2) e temperatura retal em cabras da raça Pardo Alpina

Uribe-Velásquez,Luis Fernando; Oba,Eunice; Brasil,Lúcia Helena de Albuquerque; Sousa,Francisneide Neves de; Wechsler,Francisco Stéfano
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.66%
Seis cabras lactantes foram distribuídas aleatoriamente em um delineamento experimental em "crossover", em dois grupos: sob condições termoneutras e estresse térmico. Um período de adaptação de 28 dias foi seguido por quatro períodos de 14 dias cada, quando os animais sob estresse térmico foram expostos à temperatura média de 33,84ºC; THI de 86,20; BGT de 36,18 e BT de 32,11ºC das 8 às 17 horas, incluindo radiação solar simulada das 10 às 15 horas. Não houve diferença entre as concentrações plasmáticas de progesterona, mas as fêmeas submetidas ao estresse térmico apresentaram diminuição nas concentrações plasmáticas de estradiol, quando comparados ao grupo termoneutro. A temperatura retal dos animais sob estresse térmico foi mais elevada quando foi comparada à do grupo de animais em condições de termoneutralidade. As cabras mantiveram as concentrações plasmáticas da progesterona, com diminuição na secreção de estradiol, quando expostas a um estresse repetido e intermitente, a despeito de ocorrer hipertermia durante o estresse pelo calor.

Desempenho, variáveis fisiológicas e comportamento de bezerros mantidos em diferentes instalações: época seca

Cunha,Daniel de Noronha Figueiredo Vieira da; Campos,Oriel Fajardo de; Pereira,José Carlos; Pires,Maria de Fátima Avila; Oliveira,Rita Flávia Miranda de; Martuscello,Janaina Azevedo
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.62%
Objetivou-se neste estudo avaliar o desempenho, o conforto térmico e o comportamento de bezerros mestiços Holandês × Zebu mantidos em abrigos móveis, sob sombrites ou a céu aberto durante a época seca do ano (26/04/2002 a 30/08/2002). Foram utilizados 24 bezerros do nascimento aos 70 dias de idade, distribuídos em blocos casualizados, nas instalações: 1 - abrigos móveis; 2 - sob telas de polipropileno (sombrite); 3 - a céu aberto. Os animais mantidos a céu aberto apresentaram, à tarde, maior temperatura retal e maior frequência respiratória. Não foram observadas diferenças entre intalações quanto às variáveis relacionadas ao comportamento animal. Bezerros mantidos em abrigos móveis passaram a maior parte do tempo fora das instalações. O desempenho dos animais não diferiu entre os tratamentos. Nos três tipos de instalação, os bezerros intensificaram, à tarde, os mecanismos latentes de perda de calor elevando a frequência respiratória acima da faixa considerada normal. Os animais mantidos a céu aberto não conseguem manter a temperatura retal na faixa considerada normal. Bezerros mantidos em abrigos móveis, sob telas de polipropileno ou a céu aberto apresentam desempenhos semelhantes.

Desempenho, temperatura retal e freqüência respiratória de novilhas leiteiras de três grupos genéticos recebendo dietas com diferentes níveis de fibra

Pereira,José Carlos; Cunha,Daniel de Noronha Figueiredo Vieira da; Cecon,Paulo Roberto; Faria,Elisa de Souza
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
46.62%
Foram avaliados o desempenho, a temperatura retal e a freqüência respiratória de novilhas leiteiras de três grupos genéticos, Holandês (H) × Zebu (Z) (7/8 HZ, 15/16 HZ e Holandês puro por cruza - HPC), mantidas em sistema de confinamento e recebendo dietas com diferentes níveis de fibra em detergente neutro (30 e 60%) utilizando-se como volumoso capim-elefante (Pennisetum purpureum, Schum., cv. Mineirão) picado. Determinaram-se o consumo, o ganho de peso e as respostas fisiológicas desses animais considerando as condições climáticas nos dias experimentais. O experimento foi delineado segundo esquema fatorial 3 × 2 (grupo genético × nível de fibra), em blocos casualizados, com quatro repetições. Os valores relativos às variáveis fisiológicas foram analisados em parcelas subdivididas no tempo. Os consumos médios de MS, FDN e FDA foram de 10,13; 2,69 e 1,45 kg/dia e de 2,70; 0,71 e 0,38%PV, respectivamente, para a dieta com baixa fibra e de 10,68; 6,17 e 2,92 kg/dia e 2,90; 1,67 e 0,79%PV para a dieta com alta fibra para ganhos de peso diários de 1,28 e 0,92 kg/dia, respectivamente. O consumo de MS em %PV pelos animais HPC foi maior (2,94%PV) que pelos animais 7/8HZ (2,65%PV). As novilhas que receberam a dieta com 60% de FDN consumiram maior quantidade de MS...

Estudo de respostas fisiológicas de eqüinos sem raça definida e da raça quarto de milha às condições climáticas de Teresina, Piauí.

OLIVEIRA, L. A. de; CAMPEL, J. E. G.; AZEVEDO, D. M. M. R.; COSTA, A. P. R.; TURCO, S. H. N.; MOURA, J. W. da S.
Fonte: Ciência Animal Brasileira, v. 9, n. 4, p. 827-838, out./dez. 2008. Publicador: Ciência Animal Brasileira, v. 9, n. 4, p. 827-838, out./dez. 2008.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.7%
Estudou-se, com eqüinos Sem Raça Definida e com animais da raça Quarto de Milha, o comportamento de parâmetros fisiológicos com objetivo de avaliar, por meio de testes de tolerância e de dissipação de calor, a adaptabilidade desses animais ao ambiente térmico de Teresina, PI. Coletaram-se as medidas de temperatura retal e as freqüências cardíaca e respiratória em março e outubro, período esse que representa, respectivamente, o período chuvoso e o quente e seco na região. A resposta de cada grupo genético foi avaliada utilizando-se os parâmetros fisiológicos e índices (adaptações dos testes de Ibéria, Benezra e Rainysby). Em cada plantel o delineamento estatístico foi o inteiramente casualisado e as análises feitas com modelo que incluiu efeito de período do ano e/ou horário de mensuração do parâmetro. O ambiente térmico na região, no período seco do ano, dificulta a manutenção de homeotermia nos animais, limitando a realização de atividades físicas com eqüinos. Os parâmetros fisiológicos sofreram influência de elevação da temperatura ambiente. A raça Quarto de Milha mostrou-se adaptada às condições ambientais avaliadas, com pequena alteração na temperatura retal diante do incremento da temperatura ambiente. O ambiente térmico quente do período seco do ano interferiu na homeotermia dos animais Sem Raça Definida.; 2008

Características termorreguladoras no início da gestação e índices reprodutivos de matrizes suínas de diferentes ordens de parto; Thermoregulatory characteristics in early pregnancy and efficiency of sows of different parity orders

Vieira, Paula Borges
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.81%
Objetivou-se com este estudo avaliar características termorreguladoras no início da gestação, bem como alguns índices reprodutivos de matrizes suínas de diferentes ordens de parto. Foram coletadas e analisadas frequência respiratória, temperatura retal, da pele de 98 matrizes de quatro grupos de ordens de parto: nulíparas, primíparas, segundo ao sexto parto e do sétimo ao décimo primeiro. Para período de gestação e número de leitões nascidos vivos utilizaram-se 164 matrizes, que foram comparados aos quatro grupos de ordens de parto, em três momentos do início da gestação. Os valores médios da frequência respiratória e temperatura da pele não diferiram entre as ordens de parto. A temperatura retal das matrizes do grupo de 7ª a 11ª ordem de parto foi inferior às demais e também apresentou maior período de gestação. No início da gestação, a idade não interfere na frequência respiratória e na temperatura da pele, entretanto, matrizes suínas mais velhas apresentam menor temperatura retal, bem como maior período de gestação. __________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; The aim of this study was to evaluate thermoregulatory characteristics in early pregnancy as well as some reproductive efficiency of sows of different parity orders. It was collected and analyzed rectal and skin temperatures and respiratory rate of 98 sows of four groups of parity orders: gilts...

Determinação dos parâmetros fisiológicos e gradiente térmico de diferentes grupos genéticos de caprinos no semi-árido

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
PT
Relevância na Pesquisa
46.97%
Objetivou-se com este trabalho avaliar o comportamento fisiológico de diferentes grupos genéticos de caprinos mediante respostas fisiológicas da temperatura retal, freqüência cardíaca e freqüência respiratória, e do gradiente entre temperatura retal e temperatura superficial e do gradiente entre temperatura superficial e temperatura ambiente, sob às condições do semi-árido. Foram utilizados trinta caprinos inteiros, sendo seis animais de cada grupo genético: ½ Boer + ½ SRD, ½ Anglo-Nubiana + ½ SRD, ½ Savana + ½ SRD, ½ Kalarari + ½ SRD e ½ Moxotó + ½ SRD, com peso médio de 25,17 kg, distribuídos num delineamento inteiramente casualizado, em parcelas subdivididas no tempo. A alimentação consistiu numa ração composta de concentrado e volumoso. As variáveis ambientais registradas foram: temperatura máxima e mínima; temperatura do bulbo seco e bulbo úmido; temperatura do globo negro na sombra; umidade relativa do ar e ITGU. As tomadas dos parâmetros fisiológicos e das variáveis ambientais foram feitas às 9 horas e às 15 horas. No turno da tarde a freqüência respiratória foi significativamente (P<0,05) mais elevada do que a da manhã. Não houve feito significativo (P>0,05) de grupo genético e nem de turno para os parâmetros fisiológicos temperatura retal e freqüência cardíaca. Houve efeito significativo (P<0...

Comportamento e parâmetros fisiológicos de leitões nas primeiras 24 horas de vida

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
PT
Relevância na Pesquisa
46.74%
Um experimento foi conduzido no setor de Suinocultura da Universidade Estadual do Norte Fluminense, com o objetivo de avaliar o comportamento e parâmetros fisiológicos de leitões nas primeiras 24 horas de vida. Foram utilizados 82 leitões de genética comercial para crescimento rápido, sendo realizadas observações a cada cinco minutos do comportamento dos animais. Foram mensuradas as temperaturas retal e de superfície, além da freqüência respiratória em intervalo de uma hora. Os resultados obtidos com o estudo comportamental demonstraram que os leitões passam mais da metade (53,8%) do seu primeiro dia de vida dormindo dedicando somente 31,2% à ingestão de leite. A temperatura retal dos leitões recém nascidos e a temperatura superficial da pele aumentaram (P<0,05) após nove horas de vida. Entretanto, a temperatura superficial no pernil não foi influenciada (P>0,05) nas primeiras 24 horas de vida. A freqüência respiratória não foi influenciada (P>0,05). Leitões recém-nascidos com genética para alta deposição de tecido magro apresentam reação ao ambiente logo nas primeiras horas de vida. A elevação das temperaturas retal e superficial dos animais evidenciaram tentativa de controle termorregulatório a partir da nona hora de vida.

Tolerância ao calor de duas raças de ovinos deslanados no Distrito Federal

Quesada,Maurício; McManus,Concepta; Couto,Flávio Augusto D'Araújo
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 PT
Relevância na Pesquisa
46.66%
O objetivo deste estudo foi avaliar efeitos da temperatura ambiental sobre características fisiológicas de ovinos, no Distrito Federal. Foram selecionados dois grupos de 25 fêmeas vazias ou prenhas das raças Morada Nova e Santa Inês com idade variando entre dois e quatro anos. As fêmeas tiveram seus dados coletados seis vezes entre os meses de fevereiro e julho. As medições incluíram o peso vivo ( PV) (kg), a temperatura retal (TR), a freqüência respiratória (FR) e o batimento cardíaco (BC), às 8 e 14h, depois de expostas ao sol por um período de seis horas. Foram utilizados os procedimentos GLM, CORR e PRINCOMP do SAS e, para determinar grupamento e dissimilaridade, utilizou-se o programa GENES. Observaram-se grupos de alta e baixa resistência a ação do efeito calórico. As médias dos grupos às 14 hs foram: TR: 38,8 e 38,7°C; FR: 23,4 e 22,8 bat./min. e BC: 99,9 e 94,0 bat./min. para os animais das raças Morada Nova e Santa Inês, respectivamente. Houve ainda diferenças significativas entre matrizes não paridas e as paridas no período estudado, sendo maiores para não paridas: TR: 38,78 e 38,52°C; BC:23,13 e 22,82 bat./min.; FR: 96,98 e 96,36 bat./min., respectivamente. Os animais expostos ao sol pelo período de seis horas apresentaram resposta significativa ao estresse calórico...

Tolerância ao calor de duas raças de ovinos deslanados no Distrito Federal; Heat tolerance of two hair sheep breeds in the Federal District, Brazil

Avendaño, Mauricio Quesada; Pimentel, Concepta Margaret McManus; Couto, Flávio Augusto D'Araújo
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.66%
O objetivo deste estudo foi avaliar efeitos da temperatura ambiental sobre características fisiológicas de ovinos, no Distrito Federal. Foram selecionados dois grupos de 25 fêmeas vazias ou prenhas das raças Morada Nova e Santa Inês com idade variando entre dois e quatro anos. As fêmeas tiveram seus dados coletados seis vezes entre os meses de fevereiro e julho. As medições incluíram o peso vivo ( PV) (kg), a temperatura retal (TR), a freqüência respiratória (FR) e o batimento cardíaco (BC), às 8 e 14h, depois de expostas ao sol por um período de seis horas. Foram utilizados os procedimentos GLM, CORR e PRINCOMP do SAS e, para determinar grupamento e dissimilaridade, utilizou-se o programa GENES. Observaram-se grupos de alta e baixa resistência a ação do efeito calórico. As médias dos grupos às 14 hs foram: TR: 38,8 e 38,7°C; FR: 23,4 e 22,8 bat./min. e BC: 99,9 e 94,0 bat./min. para os animais das raças Morada Nova e Santa Inês, respectivamente. Houve ainda diferenças significativas entre matrizes não paridas e as paridas no período estudado, sendo maiores para não paridas: TR: 38,78 e 38,52°C; BC:23,13 e 22,82 bat./min.; FR: 96,98 e 96,36 bat./min., respectivamente. Os animais expostos ao sol pelo período de seis horas apresentaram resposta significativa ao estresse calórico...

Correlações entre a temperatura timpânica e temperatura retal em saguis (Callithrix penicillata) sob estresse agudo; Correlation between tympanic and rectal temperature in marmosets (Callithrix penicillata) under acute stress

Boere, Vanner; Silva, Ita Oliveira; Canale, Gustavo; Pianta, Taíssa; Tomaz, Carlos
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2003 ENG
Relevância na Pesquisa
66.91%
In veterinary practice, tympanic temperature (TT) measurement is not very disseminated. It is surprising, because TT could have advantages compared to the rectal temperature (RT). In the present study, we investigate (Callithrix penicillata), right TT, left TT and RT. We used an infra-red thermometer to measure the temperature in marmosets of tympanic membrane, and a digital clinical thermometer for the measurement of rectal temperature. Right TT was lower than left TT and RT. There was not statistical difference between left TT and RT. Correlation between left TT and RT was stronger than correlation between right TT and both, left TT and RT. This results suggests of a regional thermal dissociation and an asymmetric cerebral metabolism and body temperature, due to the stress of contention in marmosets.; Na prática de clínica veterinária a temperatura timpânica (TT) não é disseminada. Isto é surpreendente porque a TT poderia apresentar vantagens em relação à medida da temperatura retal (RT).Neste estudo, investigou-se a temperatura timpânica direita (RTT), temperatura timpânica esquerda (LTT) e temperatura retal em sagüis do cerrado (Callithrix penicillata). Usou-se um termômetro de emissão de raios infra-vermelhos para a mensuração da temperatura da membrana timpânica e um termômetro clínico digital para a medida da temperatura retal. RTT foi menor do que LTT e RT. Não houve diferença estatística entre a LTT e RT. A correlação entre LTT foi mais forte em relação à RT do que à RTT. Estes resultados são sugestivos de uma dissociação e assimetria térmica regional entre o metabolismo cerebral e a temperatura sistêmica...