Página 1 dos resultados de 830 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Solidão e Qualidade de Vida em Idosos

Ribeiro, Ana Sofia Leandro Silva
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.6%
Projeto de Graduação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Licenciada em Enfermagem; Os dilemas do envelhecimento são vários, no entanto, cabe a cada um de nós fazermos deles uma parte integrante, absolutamente essencial e inevitável do normal funcionamento do ciclo de vida humano. O presente estudo de investigação partiu de algumas questões que foram surgindo enquanto aluna de Enfermagem, durante ensinos clínicos realizados. Uma forte motivação pessoal teve, igualmente, um lugar preponderante nesta decisão. Toda a complexidade do ciclo vital, toda a experiência e sensatez que daí advém, foram, indiscutivelmente, elementos que sempre mereceram grande admiração. Outro dos fatores inquietantes para o desenrolar deste trabalho científico é o facto do envelhecimento da população ser um dado irrefutável. Ao enfermeiro compete promover uma interação harmoniosa entre o ambiente e o homem, fortalecer essas trocas e a integridade dos seres humanos, contribuindo, assim, para a saúde e o bem-estar dos idosos. É importante salientar que a velhice é um processo fisiológico, psicológico e social, que aumenta a instabilidade, a sensibilidade e a suscetibilidade a processos patológicos. É um momento de reviver o passado...

Solidão em idosos do meio rural do concelho de Bragança

Fernandes, Hélder
Fonte: Universidade do Porto. Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação Publicador: Universidade do Porto. Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.57%
Após o enquadramento teórico onde se exploram os conceitos sobre o envelhecimento e a solidão, e também sobre a situação de saúde, inicia-se a parte prática no sentido de procurar encontrar os níveis de solidão subjectiva que os idosos reconhecem neles próprios. Objectivo: Trata-se de um estudo exploratório e descritivo, utilizando dois instrumentos de medida, um deles, a escala SELSA, concebida por DiTommaso, Brannen e Best (2004); e outro, a escala UCLA, traduzida e validada para a população Portuguesa por Neto (1989). Metodologia: A amostra inclui 179 idosos, 56 da aldeia de Rio de Onor e 123 da aldeia de Parada, com idades compreendidas entre os 60 e os 92 anos. A variabilidade dos itens e as componentes de solidão associadas à diferença entre as características da amostra foi testada através do teste ANOVA e X2. Na análise factorial realizada para os itens da escala SELSA, (DiTommaso, Brannen e Best, 2004) foi aceite o nível de saturação de valores iguais ou superiores a 0.4 e a consistência interna dos itens de cada componente foi testada através do alpha de Cronbach, tendo sido aceite a consistência interna a partir de valores iguais ou superiores a 0.7. Posteriormente foram feitas análises de variância (ANOVA) dos níveis de solidão por variáveis de caracterização. Resultados: Foi encontrado que as variáveis sociodemográficas...

Sintomas de depressão e solidão em idosos institucionalizados

Ribeiro, Maria Isabel; Fernandes, António
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
37.67%
Enquadramento e Problema: A depressão tem-se mostrado como a perturbação mental mais comum na comunidade idosa, sobretudo na institucionalizada (Barua & Kar, 2010). A solidão, em termos psicológicos, pode ser caracterizada pela ausência afetiva do outro e estar relacionado com o sentimento, com a sensação de estar só (Moreira & Callou, 2006). Pode ser um sentimento de angústia, abandono e isolamento (Pinhel, 2011). Muitas vezes, os idosos institucionalizados experimentam sentimentos de depressão e solidão nos locais onde se encontram. No entanto, existem, cada vez mais, estratégias para o combate à solidão e depressão, que permitem ao idoso ter uma melhor qualidade de vida. Neste contexto, para o esclarecimento do problema de investigação e tendo em conta os objetivos traçados, formulou-se a seguinte questão de investigação: Existe relação entre os sentimentos de solidão e a sintomatologia depressiva?Objetivo geral: Verificar se existe correlação entre os sentimentos de solidão e a sintomatologia depressiva em idosos institucionalizados. Objetivos específicos: Determinar a proporção de idosos com sintomas de solidão e determinar o grau de depressão do idoso institucionalizado. Metodologia: Estudo quantitativo...

Solidão e vinculação:análise das suas relações numa amostra de estudantes de Psicologia

Monteiro, Maria José de Albuquerque Melo
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.7%
O estudo da solidão e da vinculação tem sugerido, teórica e empiricamente, a existência de uma dinâmica entre estes construtos. O projecto aqui presente consiste na análise de relações entre variáveis de medidas de vinculação e seu potencial impacto nas variações individuais da solidão. A solidão tem sido conceptualizada como uma experiência negativa, caracterizada por uma percepção subjectiva de isolamento e carência da intimidade e/ou integração social necessárias ao sentido de proximidade e ligação ao Outro (Weiss, 1973). Esta condição é fonte de perturbação emocional, nomeadamente de ansiedade (Rook, 1984), afectando o funcionamento psicossocial, saúde e bem-estar geral (Cacciopo & Patrick, 2008). A amostra é constituída por 233 estudantes dos cinco anos do Mestrado Integrado em Psicologia, da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. Considerámos dois momentos e modos de vinculação: aos pais durante a infância, retrospectivamente avaliada com o EMBU- Memórias de Infância (escala de auto-relato das memórias das práticas educativas do pai e da mãe), e a vinculação aos pares na vida adulta, acedida com a EVA- Escala de Vinculação do Adulto. Ambos os instrumentos são uma adaptação para a população portuguesa (Canavarro...

Confiança interpessoal, aceitação-rejeição parental e solidão na adolescência

Marques, Carolina Alexandra Lopes
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.57%
A presente investigação centra-se na análise da relação entre as crenças de Confiança Interpessoal – Teoria e Modelo de Rotenberg (Rotenberg, 1994; Rotenberg, Boulton & Fox, 2005; Betts, Rotenberg & Trueman, 2008) - a Aceitação-Rejeição Parental percebida - Teoria da Aceitação-Rejeição Interpessoal (Rohner, 2004) – a Solidão e o Desempenho Académico durante a adolescência. A amostra utilizada é constituída por 190 adolescentes com idades compreendidas entre os 13 e os 17 anos, a frequentar o 3º Ciclo de dois estabelecimentos públicos de Coimbra. Para analisar a relação entre aquelas variáveis foi utilizada pela primeira vez a adaptação portuguesa da escala Crenças Generalizadas de Confiança- Adolescência Tardia - CGC-A (Vale-Dias & Franco-Borges, 2014), além da Escala revista de Solidão da UCLA (Neto, 1989) e das escalas Perceção da Atitude do Pai – PAP e Perceção da Atitude da Mãe – PAM (Franco-Borges & Vaz-Rebelo, 2009). Elaborou-se também um questionário sociobiográfico de acordo com os propósitos da investigação e características da amostra, destinado à recolha de informação sobre o percurso e desempenho académicos e sobre o agregado familiar dos adolescentes. Os resultados obtidos revelaram uma associação positiva entre os níveis de Rejeição Parental percecionada e a Solidão. As crenças de Confiança Interpessoal diferenciaram-se em função dos alvos considerados: a Confiança nos Professores associa-se positivamente ao Desempenho Académico e negativamente à Solidão; a Confiança na Figura Materna associa-se negativamente à Rejeição Materna global...

Envelhecimento e sociabilidades nos espaços da cidade: modos de romper a solidão

Galante, Marisa Cristina Dias dos Santos
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.54%
A presente dissertação de mestrado é um estudo exploratório e compreensivo do fenómeno da solidão, que problematiza a relação entre o envelhecimento e as sociabilidades, em contextos actuais de vida de pessoas idosas a viver sós. Entende-se que a tentativa de definir solidão de forma única e definitiva é um risco onde se perdem os múltiplos rostos de significados, simbologias e vivências diversas das pessoas idosas. A solidão é um sentimento que se revela de forma diferenciada e única em cada pessoa, pelo que perceber a heterogeneidade do significado persegue a diversidade de formas de sentir e viver a solidão, bem como os diferentes modos de romper e de encontrar alternativas para ultrapassar a situação de isolamento. A investigação apresenta uma abordagem qualitativa e exploratória, concretizada sobretudo através da observação focalizada nos espaços de estar e conviver e na análise de histórias de vida narradas pelos próprios sujeitos entrevistados. A pesquisa empírica privilegiou o significado que oito pessoas idosas, residentes na cidade de Lisboa, Freguesia de Benfica, atribuem às suas situações de vida, aos contextos sociais e espaciais e às actividades que frequentam em ambientes institucionais. A solidão nas pessoas idosas é um fenómeno social das sociedades modernas que é sobretudo afectado pela ausência de convivialidades e sociabilidades. Através dos testemunhos obtidos constatou-se a importância que têm os espaços de lazer...

Solidão em idosos : percepção em função da rede social

Freitas, Patrícia da Conceição Barbosa de
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 08/11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.54%
No sentido de compreender a percepção de solidão em idosos em função da sua rede social realizou-se o presente estudo, cujos objectivos consistem em conhecer a constituição da rede social de uma amostra de idosos, averiguar a percepção de solidão nessa amostra de idosos e compreender a relação existente entre a percepção de solidão e a rede social. Para isso, fez-se o estudo na cidade de Braga e contou-se com a participação de 300 idosos, com idade compreendidas entre os 65 e os 93 anos (M=76,51). Trata-se de um estudo quantitativo de cariz descritivo, correlacional e transversal. Foram utilizadas uma ficha de caracterização sócio-demográfica e duas escalas com adaptações: “Escala de Rede de Apoio Social (ERAS)” (adaptação de Lubben, 1998) e “Escala de Solidão” (adaptação de Paúl, Fonseca, Ribeiro & Teles, 2006). Os principais resultados mostram a existência de relações significativas entre a rede social e a solidão percepcionada, ou seja, quanto maior é a rede social, menor é a percepção de solidão. Constatou-se, ainda, a existência de diferenças estatisticamente significativas entre a rede social, a solidão e algumas variáveis sócio-demográficas na amostra do presente estudo.; This essay aims to reflect about old people perception about their own loneliness...

A solidão em doentes oncológicos em faase terminal um estudo de caso

Paulo, Ana Cristina Marques
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.57%
Introdução: A solidão é um sentimento subjetivo e desagradável, relacionado com a ausência de relações sociais que satisfaçam as necessidades dos indivíduos. Este sentimento está presente nos doentes oncológicos em fase terminal e resulta de diversos fatores como alterações físicas causadas pela doença, dificuldades na comunicação, diminuição de contactos sociais, representação social do cancro e apoio disponível. Nestes doentes a solidão pode ser fator de sofrimento, tendo consequências a nível emocional, psicológico, comportamental e espiritual. Objetivo: O objetivo deste estudo é compreender de que forma a solidão é experienciada por doentes oncológicos em fase terminal, identificando fatores motivadores, dimensões e estratégicas utilizadas pelos doentes para lidar com esse sentimento. Material e Métodos: Foi realizado um estudo de caso, utilizando uma abordagem qualitativa. A recolha de dados foi realizada entre Julho e Setembro de 2013, através da consulta de documentação, observação e aplicação do instrumento de recolha de dados construído. No tratamento dos dados recolhidos foi utilizada a análise de conteúdo. Resultados e Discussão: No caso estudado concluímos que o sentimento de solidão está associado às mudanças provocadas pela evolução da doença...

A solidão como fator de risco para a depressão, na terceira idade

Costa, Filipa Cardoso
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 15/01/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.62%
Segundo Hawkley et al (2008;Savikko, Routasalo, Tilvis, Strandberg, & Pitkala 2005, cit. in Cacioppo, Hawkley, & Thisted, 2010) existem uma série de fatores situacionais que aumentam o risco de solidão, nos mais idosos, fatores esses que associados às perdas contínuas, ao declínio físico e à maior presença de incapacidades propiciam, simultaneamente, a depressão nos mais idosos (Ballone, 2002, cit. in Martins, 2008), fazendo com que esta seja a alteração psiquiátrica mais frequente nesta faixa etária: dois em cada três seniores que vão à consulta externa de psiquiatria têm depressão (Mirchandani (1991, cit. in Martins, 2008). A solidão, por sua vez, tem vindo a ser associada a diversas doenças físicas e psíquicas (depressão e ansiedade) (DiTomaso & Spinner (1997, cit. in Fernandes & Neto, 2009) existindo mesmo diversos estudos que apontam a solidão como fator de risco para a morbilidade e mortalidade (Luo, Hawkley, C, Waite & Cacioppo, 2012). Assim sendo, e tendo por base a revisão bibliográfica, o objetivo da investigação foi investigar em que medida a solidão seria um fator de risco para a depressão, na terceira- idade. A amostra foi constituída por 100 idosos isolados, referenciados pela GNR e do distrito de Braga...

A solidão em idosos no contexto comunitário de S. Vicente

Gouveia, Celeste; Fragoeiro, Isabel; Reis, Gorete
Fonte: Universidade do Porto/ UNIFAI Publicador: Universidade do Porto/ UNIFAI
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
37.57%
A SOLIDÃO EM IDOSOS NO CONTEXTO COMUNITÁRIO DE SÃO VICENTE Gouveia,M. C.B.;Fragoeiro, I.; Reis, G.(2013) A solidão em idosos no contexto comunitário de S. Vicente In V Congresso Português de Avaliação e Intervenção em Gerontologia Social, UP/ UNIFAI, maio, Porto 1 Centro de Saúde de São Vicente, (SESARAM); 2 Universidade da Madeira 3Universidade de Èvora 1celestebgouveia@live.com.pt; 2 ifragoeiro@uma.pt; 3 greis@uevora.pt Resumo O envelhecimento da população é uma realidade concreta da atualidade, é alvo de estudos e atenção constante da nossa coletividade. A solidão em idosos é um tema pertinente e de alta relevância, uma vez que é reconhecida como importante mediador do bem-estar subjetivo e da capacidade de adaptação dos idosos, bem como reflete as condições que a sociedade oferece para que esses resultados sejam alcançados. A investigação focalizou-se no estudo de correlação entre a solidão em idosos (variável dependente) com as variáveis independentes de caraterização sócio demográfica. Com o objectivo de alcançar resultados válidos, foi elaborado um estudo de tipo quantitativo, descritivo, correlacional e transversal. A amostra englobou 164 idosos do concelho de São Vicente (Madeira)...

Solidão e padrões de vinculação aos pais na adolescência

Maia, Marina Alexandra Silva
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.54%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2014; O presente estudo teve como principal objetivo contribuir para a compreensão da experiência de solidão vivenciada pelo adolescente nas suas relações com os pais, os pares e o par amoroso e o significado que atribui à experiência de estar só (aversão ou afinidade à solitude), na sua relação com o padrão de vinculação apresentado face aos pais. A investigação contou com uma amostra de 122 adolescentes (91 do sexo feminino e 31 do sexo masculino) com idades compreendidas entre os 14 e os 18 anos. Foram utilizados dois questionários, o Questionário de Avaliação da Solidão (Bastos, 2005) e o Questionário de Vinculação ao Pai e à Mãe (Gouveia & Matos, 2011). Foi ainda aplicado um questionário sociodemográfico de modo a caraterizar a amostra. Os resultados demonstraram que na adolescência existem maiores valores de solidão na relação com o par amoroso e na relação com os pais. Revelaram que existe diferenças significativas quanto à experiência de solidão na relação com os pais, sendo que esta é mais elevada em adolescentes cujos pais estão divorciados. Por fim...

Heidegger e a fenomenologia da solidão humana

Lima, Paulo Alexandre Pinto dos Anjos da Silva
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em /02/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.7%
Tese apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Doutor em Antropologia Filosófica; Propomo-nos investigar o fenómeno da solidão humana a partir do modo como se acha descrito por Heidegger na analítica existencial do Dasein. Trata-se de um primeiro contributo para uma investigação mais alargada do fenómeno em causa — uma investigação que considere a solidão humana em todas as propriedades que a constituem e de todos os ângulos a partir dos quais ela pode ser indagada. Do ponto de vista metodológico tomamos como princípio fundamental o seguinte: a solidão, tal como se acha descrita por Heidegger, não pode ser investigada de forma adequada se não se procurar determinar primeiro o ponto de partida da analítica existencial e a novidade que esta representa em relação à tradição filosófica em que se situa; caso contrário, perde-se de vista o contexto em que a solidão é analisada por Heidegger (os fenómenos com que se acha posta em relação na analítica, etc.) e não se consegue perceber que nova compreensão da solidão é apresentada no empreendimento filosófico do “primeiro Heidegger”. A primeira parte do nosso trabalho é, pois, dedicada a esta tarefa da identificação do ponto de partida da analítica na sua novidade relativamente à tradição. A segunda parte...

Sintomatologia depressiva e solidão na população idosa residente na cidade da Covilhã

Faísca, Letícia Raquel
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.62%
A solidão e a depressão, particularmente nas pessoas idosas, podem influenciar o bem-estar psicológico, existindo uma relação importante entre a solidão e a depressão em adultos mais velhos (Alpass & Neville, 2003). O objetivo deste estudo é avaliar a depressão e a solidão e estudar a sua relação em pessoas idosas residentes na cidade da Covilhã. Os dados foram recolhidos através de um questionário sociodemográfico, da Escala de Depressão Geriátrica (GDS) (Pocinho, Farate, Dias, Lee & Yesavage, 1999) e através de questões diretas para avaliar a solidão (Paúl, Fonseca, Ribeiro & Teles, 2006). Participaram no estudo 213 pessoas idosas com idades compreendidas entre os 65 e os 96 anos, sendo a média de idades dos sujeitos de 75 anos (DP=6,74). Os resultados obtidos indicam que 57 (26,76%) indivíduos apresentam sintomatologia depressiva. Foram encontradas diferenças estatisticamente significativas [(t(211,9)= 3,551; p= 0,000)] entre homens (M=6,16; DP=4,93) e mulheres (M=9,31; DP= 7,14) e entre os estados civis [(F=10,044; p=0,000)], níveis de escolaridade [(t(208,85)=4,491; p=0,000)] e condições de vida dos indivíduos inquiridos [(F=7,014; p=0,001)]. Relativamente à experiência de solidão, os resultados indicam que 27 (12...

...Da solidão e da condição... (por uma antropologia da solidão: uma abordagem a partir de Clarice Lispector e Martin Heidegger)

de Fátima Batista Costa, Maria; de Holanda Barros, Lourival (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.54%
A tese pretende identificar a relevância da temática da solidão na obra de Clarice Lispector, especialmente nos romances A maçã no escuro, A Paixão Segundo G.H., Água viva e Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres. Essa abordagem será permeada pela problematização das noções de ser só e ser-com, angústia e nada, escrever e pensar, finitude e singularização como as entende a escritora e o filósofo Martin Heidegger. Nossa intenção é mostrar a compreensão de homem na obra da escritora a partir da experiência da solidão expondo o contributo dessa para pensarmos uma antropologia contemporânea. Em Clarice a solidão é não apenas o pano de fundo para se pensar o humano, mas categoria de entendimento e definição do homem. Nossa condição humana é solidão, e não se cura, uma vez que somos irremediavelmente tempo, mas o medo à solidão é curável. Clarice lê a solidão como sendo o núcleo último a que se pode chegar, como finitude irredutível e inalienável que somos. Com uma obra que abrange romances, contos, crônicas, literatura infantil, entrevista, etc., abordando temas como: existência e liberdade, linguagem e realidade, o Eu e o mundo, as relações intersubjetivas no geral, a angústia...

Religiosidade e sentimento de solidão em idosos

Costa, Fernanda Vial
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.64%
Introdução: A viuvez é uma situação especial, não planejada, que provoca tristeza, sentimento de solidão e adaptação a novos papéis. Nesse sentido a religiosidade pode ser uma estratégia de enfrentamento para superar tais dificuldades.Objetivo: verificar a associação entre o sentimento de solidão e a religiosidade em idosos viúvos. Método: estudo transversal e quantitativo com uma amostra de 200 idosos viúvos com idade ≥ 60 anos que frequentam o ambulatório do Instituto de Geriatria e Gerontologia da PUCRS. Os instrumentos utilizados foram a escala de solidão da Universidade da Califórnia de Los Angeles, a Escala de Frequência de Práticas Religiosas e a Escala de Religiosidade Intrínseca / Extrínseca.Resultados: O nível de solidão da amostra foi considerado alto tendo uma média de 48,4±4,6. Para a estimativa da escala da solidão, os resultados indicaram que, (36,7%) das variações ocorridas no escore da escala da solidão podem ser explicadas pela renda, pois quanto maior a renda maior o nível de solidão. Ainda foi encontrado significância na correlação entre solidão e sexo, mostrando que viúvos demonstram maior satisfação social do que viúvas. A maior parte dos idosos apresentou tendência à religiosidade intrínseca 25...

Sintomatologia depressiva e solidão na população idosa residente na cidade da Covilhã

Faísca, Letícia Raquel
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.62%
A solidão e a depressão, particularmente nas pessoas idosas, podem influenciar o bem-estar psicológico, existindo uma relação importante entre a solidão e a depressão em adultos mais velhos (Alpass & Neville, 2003). O objetivo deste estudo é avaliar a depressão e a solidão e estudar a sua relação em pessoas idosas residentes na cidade da Covilhã. Os dados foram recolhidos através de um questionário sociodemográfico, da Escala de Depressão Geriátrica (GDS) (Pocinho, Farate, Dias, Lee & Yesavage, 1999) e através de questões diretas para avaliar a solidão (Paúl, Fonseca, Ribeiro & Teles, 2006). Participaram no estudo 213 pessoas idosas com idades compreendidas entre os 65 e os 96 anos, sendo a média de idades dos sujeitos de 75 anos (DP=6,74). Os resultados obtidos indicam que 57 (26,76%) indivíduos apresentam sintomatologia depressiva. Foram encontradas diferenças estatisticamente significativas [(t(211,9)= 3,551; p= 0,000)] entre homens (M=6,16; DP=4,93) e mulheres (M=9,31; DP= 7,14) e entre os estados civis [(F=10,044; p=0,000)], níveis de escolaridade [(t(208,85)=4,491; p=0,000)] e condições de vida dos indivíduos inquiridos [(F=7,014; p=0,001)]. Relativamente à experiência de solidão, os resultados indicam que 27 (12...

Sentimentos de solidão, correlatos e preditores

Costa, Marlene Dias
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
37.66%
Contexto: A solidão relaciona-se com o aumento dos sentimentos depressivos e ansiosos, diminuição da satisfação com a vida e pobre qualidade subjetiva de sono. Dada a relação entre depressão e funcionamento cognitivo, fomos averiguar a possível relação entre solidão e o funcionamento cognitivo e os preditores de cada uma destas variáveis. Objetivos: Avaliar a gravidade da solidão, da sintomatologia depressiva e ansiosa, da qualidade do sono e do declínio cognitivo; a relação entre a solidão e as variáveis sociodemográficas e as variáveis sociorrelacionais; a relação entre solidão e sintomas depressivos e ansiosos, qualidade do sono, controlando o efeito das variáveis sociodemográficas e sociorrelacionais; as correlações entre solidão e funções cognitivas, controlando o efeito das variáveis sociodemográficas, variáveis emocionais, resposta e suporte social; o impacto das variáveis que se mostrarem relevantes; e o impacto da solidão no funcionamento cognitivo. Metodologia: A amostra incluiu 539 idosos, 127 (23,6%) do sexo masculino e 412 (76,4% ) do sexo feminino; grande parte dos idosos é viúva (n = 327; 60,8%), 102 ainda são casados (19%); a maioria dos idosos possui o ensino básico primário (n = 213; 39...

A Solidão e o Auto-Conceito na Idade Adulta e Velhice

Ferreira, Sandy Lousada
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
37.57%
Neste estudo propomo-nos estudar as possíveis diferenças existentes entre a idade adulta e a velhice ao nível da solidão e do auto-conceito. Analisámos o papel de variáveis psicossociais específicas e de variáveis psicológicas, como a depressão, ansiedade, stresse e estilos de coping, sobre a solidão, bem como qual o conjunto de variáveis que melhor prediz a solidão. A solidão e o auto-conceito constituem constructos relevantes na vida do ser humano nas mais variadas formas, interagindo com um grande leque de domínios pessoais e desempenhando um papel importante na compreensão da psicopatologia. Nesta investigação participaram 222 sujeitos, com idades compreendidas entre 35 e 90 anos de idade. Para avaliar as variáveis psicológicas pretendidas foi utilizada a Escala de Solidão da UCLA, o Inventário Clínico de Auto-conceito, a Escala de Depressão, Ansiedade e Stresse (DASS-21) e o Questionário de Estratégias de Coping (CSQ). Os resultados indicaram que os indivíduos em idade adulta e na velhice não diferem na experiência de solidão, embora apresentem diferenças significativas ao nível de autoconceito, com os idosos a revelarem um pior auto-conceito. São os indivíduos com um trabalho doméstico...

A influência do meio ecológico na experiência da solidão e no bem-estar subjetivo, numa amostra de adultos mais velhos

Gomes, Carina Filipa Teixeira
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.64%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2015; O presente trabalho foca-se no estudo da influência do meio ecológico (urbano vs. rural) sobre a experiência da solidão e do bem-estar subjetivo, numa amostra de adultos mais velhos oriundos da comunidade. Tem como objetivos: (1) analisar a experiência da solidão e do bem-estar subjetivo na amostra; (2) analisar as diferenças na experiência da solidão e na componente cognitiva do constructo de bem-estar subjetivo (satisfação com a vida) em função do meio ecológico; (3) analisar as diferenças da experiência da solidão em função do estado civil; (4) avaliar a influência de variáveis sociodemográficas e psicossociais na experiência da solidão e no bem-estar subjetivo e (5) explorar a relação entre a experiência da solidão e as três componentes do constructo do bem-estar subjetivo (satisfação com a vida, afeto positivo e afeto negativo). Uma amostra de 64 participantes de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 75 e os 85 anos, sem psicopatologia diagnosticada, responderam a quatro instrumentos: Escala de Solidão Social e Emocional (SELSA-S)...

A experiência de solidão num lar de idosos: estudo de caso

Leitão, Cátia Marisa Pinto
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 19/11/2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.57%
É amplamente sabido que as instituições de retaguarda à velhice têm passado por profundas alterações nos seus modos de funcionamento e na sua forma de tratar os que delas necessitam. Porém, grande parte destas continua a não estar totalmente preparada para dar resposta às reais necessidades dos idosos. De facto, estas instituições dão resposta às necessidades básicas do idoso, que até ao momento da institucionalização não eram satisfeitas, ou eram satisfeitas com sérias dificuldades. No entanto, o domínio social do idoso é um aspeto muito descorado. As condições e lógicas de funcionamento e os profissionais que lá trabalham não promovem as relações sociais dos residentes. Os idosos estão rodeados de outras pessoas, com as quais não têm laços de conhecimento, afetivos e afinidades, compartilhando frequentemente o sentimento de solidão. Deste modo o presente trabalho centra-se no estudo de um lar, das condições que proporciona e das suas lógicas de funcionamento, tendentes, ou não, à preservação ou ao reforço das sociabilidades dos idosos, como estratégia de combate à solidão. Neste enquadramento, objetivou-se diagnosticar quais as características dos idosos que sentem solidão e perceber se as práticas institucionais acentuam ou contrariam esse sentimento. Para tal...