Página 1 dos resultados de 1367 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Diversidade genética e fluxo gênico via pólen e semente em populações de Solanum lycocarpum ST.HIL. (Solanaceae) no sudeste de Goiás; Genetic diversity and gene flow by pollen and seed in populations of Solanum Lycocarpum St.Hil. (Solanaceae) in the southeast of the state of Goiás

Martins, Karina
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/09/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.27%
Solanum lycocarpum. St.Hil. (Solanaceae) é uma planta lenhosa encontrada nos cerrados e campos cerrados do Brasil Central. É heliófila e característica de formações secundárias abertas. É conhecida popularmente como lobeira. A polpa do fruto é utilizada na produção de um fitoterápico, o polvilho-de-lobeira, amplamente empregado no controle de diabetes e de obesidade, assim como para diminuição no nível de colesterol, sendo comercializado na forma de cápsulas. A espécie é andromonóica, com produção constante de flores hermafroditas e funcionalmente masculinas. A síndrome de polinização é vibrátil e as flores são polinizadas por abelhas do gênero Xylocopa. Os frutos carnosos são consumidos por diversos animais do cerrado. Os principais dispersores das sementes são o lobo-guará, o cachorro-do-mato, a raposa-do-campo, a anta e a formiga saúva. Conhecendo-se as principais características da biologia da reprodução de S. lycocarpum e os agentes polinizadores e dispersores de sementes dessa espécie, objetivou-se com esse trabalho estudar a contribuição relativa da migração mediada por pólen e por sementes no fluxo gênico total e na estrutura genética, em quatro populações naturais de S. lycocarpum situadas na região Sudeste do estado de Goiás. A razão de fluxo de pólen e semente no fluxo gênico total foi estimada por meio da análise comparativa de marcadores microssatélites nucleares e cloroplastidiais. O sistema de reprodução e a distribuição espacial dos genótipos nas populações também foram estudados. Buscou-se...

Estrutura genética populacional em lobeira (Solanum lycocarpum A. St.-Hil., Solanaceae), em ambientes naturais e antropizados no estado de Goiás; Population genetic structure of lobeira (S. lycocarpum A. St.-Hil, Solanaceae), in natural and anthropogenic environmental in State of Goiás

Moura, Tânia Maria de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.27%
Solanum lycocarpum A.St.-Hil. (Solanaceae) é uma espécie de ampla distribuição no bioma Cerrado. Popularmente conhecida com fruta-do-lobo, devido ao fato de o lobo-guará consumir frequentemente os frutos desta planta, sendo este seu principal agente dispersor de sementes. É utilizada pela população local para fabricação de doces, e empiricamente como medicinal. A espécie floresce e frutifica durante todo o ano, característica que permite constante fluxo de genes via pólen e sementes. Ocupa facilmente ambientes antropizados, o que permite que seja utilizada em projetos de restauração. O presente estudo teve como objetivo, caracterizar a estrutura genética populacional de S. lycocarpum em ambientes naturais e antropizados, utilizando dois marcadores moleculares: microssatélites (SSR) e isoenzimas. Foram estudadas quatro populações com SSR, e duas populações com Isoenzimas, formando pares de populações (uma natural e outra antropizada). As populações estudadas com marcadores SSR estavam situadas duas a Nordeste do Estado de Goiás e outras duas a Sul do estado. As duas populações estudadas com isoenzimas localizavam-se a Sul de Goiás. Coletou-se aleatoriamente amostras de 60 indivíduos em cada população...

Os gêneros Nicotiana L., Bouchetia Dunal e Nierembergia Ruiz & Pav.(Solanaceae) no Rio Grande do Sul, Brasil

Silva, Marcia Vignoli
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.1%
Os gêneros Nicotiana L., Bouchetia Dunal e Nierembergia Ruiz & Pav. da tribo Nicotianeae G.Don (Solanaceae), presentes no estado do Rio Grande do Sul, apresentam diversas características em comum, como o hábito predominantemente herbáceo, fruto seco, capsular, com numerosas sementes. Estes gêneros distinguem-se basicamente por Nicotiana apresentar prefloração geralmente contorcido-conduplicada ou conduplicada, corola infundibuliforme, tubular ou hipocrateriforme, anteras dorsifixas e um disco nectarífero presente, enquanto que Bouchetia e Nierembergia apresentam prefloração imbricadoconduplicada ou imbricada e anteras ventrifixas. Em Bouchetia a corola é campanulado-infundibuliforme e um disco nectarífero está presente, enquanto que em Nierembergia a corola é hipocrateriforme e o disco nectarífero está ausente. O gênero Nicotiana, da subtribo Nicotianineae, está representado no Estado por seis espécies nativas: N. alata Link & Otto, N. bonariensis Lehm., N. forgetiana Hemsl., N. langsdorffii Weinm., N. longiflora Cav. e N. mutabilis Stehmann & Semir. Duas outras espécies, provavelmente originárias da Argentina, são também encontradas no Estado: N. glauca Graham, que ocorre de forma ruderal ou cultivada e N. tabacum L....

Estudos taxonômicos em Solanaceae lenhosas no Rio Grande do Sul, Brasil

Soares, Edson Luis de Carvalho
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.27%
Nas últimas décadas o conhecimento florístico e taxonômico sobre a família Solanaceae no Rio Grande do Sul tem recebido incremento significativo de informações. Dos gêneros com espécies nativas, Bouchetia, Calibrachoa, Nicotiana, Nierembergia, Petunia e Solanum já foram alvo de revisões. Visando complementar o estudo desta família no Estado, foram estudados os gêneros Acnistus, Athenaea, Aureliana, Brunfelsia, Capsicum, Cestrum, Dyssochroma, Grabowskia, Lycianthes, Solandra e Vassobia, além das espécies do gênero Solanum seção Pachyphylla (Cyphomandra sensu lato). Foram catalogadas 22 espécies nativas, sendo três destas, novas citações de ocorrência. Para os onze primeiros gêneros foram identificados 19 espécies, dos quais cinco são de ocorrência restrita (Athenaea picta, Dyssochroma longipes, Grabowskia duplicata, Lycianthes rantonnei e Solandra grandiflora). A seção Pachyphylla do gênero Solanum está representada por três espécies. Dessa forma, foram atualizados os dados quali e quantitativos sobre a participação da família Solanaceae na flora sul-riograndense. Para cada gênero e para cada táxon específico foram elaboradas descrições, e acrescentados dados sobre fenologia, hábitat, comentários pertinentes e mapas de ocorrência. Chaves analíticas para identificação das espécies...

Estudo filogenético das espécies da seção Torva do gênero Solanum L. (Solanaceae) na região sul do Brasil

Miz, Rogeria Beatriz
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
O gênero Solanum L. (Solanaceae) compreende mais de 1000 espécies, incluindo táxons de grande interesse econômico por seu valor alimentício e medicinal. Este gênero é dividido em três subgêneros: Bassovia, Solanum e Leptostemonum. O subgênero Leptostemonum é dividido em dez seções, e entre essas destaca-se a seção Torva que possui representantes no sul do Brasil, e cujas espécies têm amplo interesse por apresentarem substâncias ativas de grande utilidade farmacológica. Entretanto, dentro dessa seção existem problemas taxonômicos, inclusive com a presença de indivíduos de morfologia intermediária, que dificultam sua classificação e, conseqüentemente, o seu melhor aproveitamento. Nesse trabalho, foram realizados dois estudos de caráter filogenético a fim de conhecer as relações de parentesco entre as espécies de Solanum seção Torva, presentes no sul do Brasil, e destas com espécies de outras seções do subgênero Leptostemonum. Em ambos os estudos foram utilizados quatro marcadores (genomas nuclear e plastidial): a região ITS (espaçadores internos transcritos do DNA nuclear ribossomal) incluindo ITS1, ITS2 e o gene 5,8S; o íntron trnL e os espaçadores intergênicos trnL-trnF e trnS-trnG do DNA plastidial. O marcador ISSR (Inter Simple Sequence Repeats) foi utilizado para verificar a variabilidade genética entre as espécies de Solanum seção Torva e testar o grau de polimorfismo de quatro “primers” dentro dessa seção. As análises realizadas evidenciaram uma origem monofilética para a seção Torva. Além disso...

Flora Polínica da Reserva do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (São Paulo, Brasil): Família: 136-Solanaceae

Cruz-Barros, Maria Amélia Vitorino da; Silva, Elaine Lima; Gasparino, Eduardo Custódio; Souza, Ligia Novac; Oliveira, Anedi Costa de
Fonte: Instituto de Botânica Publicador: Instituto de Botânica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 661-686
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
Foram estudados os grãos de pólen de 12 gêneros e 41 espécies de Solanaceae ocorrentes na Reserva do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga: Acnistus arborescens (L.) Schlecht., Athenaea picta (Mart.) Sendtn., Brunfelsia latifolia Benth., Brunfelsia pauciflora (Cham. & Schlecht.) Benth., Capsicum flexuosum (L.) Sendtn., Capsicum villosum (L.) Sendtn., Cestrum amictum (L.) Schlecht., Cestrum corymbosum (L.) Schlecht., Cestrum lanceolatum (L.) Miers, Cestrum schlechtendalii (L.) G. Don, Cestrum sendtnerianum (L.) Mart. ex Sendtn., Cyphomandra diploconos Sendtn., Cyphomandra velutina Sendtn., Dyssochroma viridiflora (Sims) Ducke, Nicotiana langsdorffii (Weinm.) Roem. & Schult., Physalis peruviana L., Physalis viscosa L., Sessea brasiliensis Tol., Solandra grandiflora Sw, Solanum americanum Mill., Solanum atropurpureum Schrank., Solanum bullatum Vell., Solanum capsicoides Allion., Solanum cernuum Vell., Solanum concinnum Schott ex Sendtn., Solanum didynum Dun., Solanum diflorum Vell., Solanum excelsum St. Hil. ex Dun., Solanum granuloso-leprosum Dun., Solanum hoehnei Morton, Solanum inaequale Vell., Solanum inodornum Vell., Solanum lycocarpum St. Hil. ex Dun., Solanum mauritianum Scop., Solanum paniculatum L., Solanum rufescens Sendtn....

Leaf Structure and Taxonomy of Petunia and Calibrachoa (Solanaceae)

Reis, Claudia dos; Sajo, Maria das Graças; Stehmann, João Renato
Fonte: Brazilian Archives of Biology and Technology Publicador: Brazilian Archives of Biology and Technology
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 59-66
ENG
Relevância na Pesquisa
36.95%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Foram estudados, sob o ponto de vista anatômico, os limbos foliares de dezesseis espécies de Calibrachoa Llav. & Lex. e de oito espécies de Petunia Juss. (Solanaceae). em Calibrachoa, a bainha que envolve os feixes vasculares (endoderme) é formada por células desenvolvidas e distintas das do mesofilo. em Petunia, esta bainha não apresenta diferenciação morfológica marcante. As folhas das espécies de Calibrachoa foram separadas entre si levando-se em conta a distribuição dos estômatos nas faces foliares, a organização do mesofilo, o tipo de bordo e a morfologia dos tricomas. Com base nesses resultados, foi elaborada uma chave dicotômica indentada de identificação para as espécies do gênero Calibrachoa.; We studied the leaf anatomy of sixteen species of Calibrachoa and eight species of Petunia. In Calibrachoa leaves, the vascular bundles sheath (endodermis) was formed by parenchymatous developed cells, different from those of the mesophyll. In Petunia, this sheath did not show a marked morphological differentiation. The Calibrachoa leaves could be separated according to the type of leaf margins, the distribution of the stomata on leaf surfaces...

Neolasioptera ramicola, a new species of Cecidomyiidae (Diptera) associated with Physalis angulata (Solanaceae)

Maia, Valéria Cid; Zart, Marcelo; Botton, Marcos
Fonte: Sociedade Brasileira de Entomologia Publicador: Sociedade Brasileira de Entomologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 163-165
ENG
Relevância na Pesquisa
37.2%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Neolasioptera ramicola Maia, uma nova espécie de Cecidomyiidae (Diptera) que induz galhas caulinares em Physalis angulata (Solanaceae) é descrita e ilustrada (larva, pupa, male, fêmea e galha) com base em material coletado em Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul, Brasil.; Neolasioptera ramicola Maia, a new species of Cecidomyiidae (Diptera) that induces stem galls on Physalis angulata (Solanaceae) is described and illustrated (larva, pupa, male, female and gall) based on material from Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul, Brazil.

Estrutura de guildas de polinizacao de Solanum aculeatissimum Jacq. e S. variabile Mart. (Solanaceae)

Avanzi, M. R.; Campos, M. J O
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 247-256
POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
Some aspects of the reproductive biology of Solanum aculeatissimum and S. variabile (Solanaceae) were considered in this study with special reference to floral visitants and their behavior. The most frequent Solanum visitors are bees of the genus Centris, Epicharis, Bombus, Oxaea and Xylocopa that collect pollen from the anthers by means of body vibration. The behavior of those bees on the flowers and their flight distances makes them important pollinators mainly to Solanum aculeatissimum that bears cross-pollination. The guild of pollination of Solanum aculeatissimum and S. variable is composed by bees of the cited genus and by bees of the genus Thygather, Pseudaugochloropsis and Euglossa.

Neolasioptera ramicola, a new species of Cecidomyiidae (Diptera) associated with Physalis angulata (Solanaceae)

Maia,Valéria Cid; Zart,Marcelo; Botton,Marcos
Fonte: Sociedade Brasileira De Entomologia Publicador: Sociedade Brasileira De Entomologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 EN
Relevância na Pesquisa
36.95%
Neolasioptera ramicola Maia, a new species of Cecidomyiidae (Diptera) that induces stem galls on Physalis angulata (Solanaceae) is described and illustrated (larva, pupa, male, female and gall) based on material from Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul, Brazil.

Intoxicação experimental por Metternichia princeps (Solanaceae) em coelhos

Maran,Naiara B.; Caldas,Saulo A.; Prado,Juliana S.; Gomes,Aline D.; Tokarnia,Carlos Hubinger; Brito,Marilene de Farias
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
Metternichia princeps, árvore que pertence à família Solanaceae, ocorre na Mata Atlântica desde o estado do Rio de Janeiro até a Bahia. É conhecida popularmente com os nomes de "café-do-mato", "trombeteira" e "jasmin-do-morro". Em um estabelecimento no município de Itaguaí, RJ, suspeitou-se que M. princeps era responsável por doença renal letal em caprinos. A intoxicação foi reproduzida experimentalmente nessa espécie, confirmando a suspeita. Foram então realizados experimentos em coelhos. Folhas de M. princeps foram coletadas no município de Itaguaí/RJ, local onde foi diagnosticada a intoxicação em caprinos. Onze coelhos receberam a planta dessecada, dez receberam a planta fresca e um coelho serviu como controle. As folhas dessecadas de M. princeps foram trituradas e misturadas com água. Inicialmente, a suspensão foi administrada por via intragástrica através de sonda a nove coelhos e causou a morte de sete coelhos nas doses a partir de 0,125g/kg. Dois coelhos que adoeceram mas sobreviveram às doses de 0,0625 e de 0,125g/kg, dois meses mais tarde receberam doses de 0,5 e 0,25g/kg, respectivamente, e morreram, o que indica que não houve desenvolvimento de tolerância à toxidez da planta. Adicionalmente, a planta dessecada...

Taxonomic synopsis and analytical key for the genera of Solanaceae from Rio Grande do Sul, Brazil

Soares,Edson Luís de Carvalho; Vignoli-Silva,Márcia; Mentz,Lilian Auler
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 EN
Relevância na Pesquisa
37.1%
This work consists of a taxonomic synopsis of the genera of Solanaceae in Rio Grande do Sul state, Brazil. Solanaceae is represented by 28 genera in this state: Acnistus Schott, Athenaea Sendtn., Aureliana Sendtn., Bouchetia Dunal, Browalia L., Brugmansia Pers., Brunfelsia L., Calibrachoa La Llave & Lex., Capsicum L., Cestrum L., Datura L., Dyssochroma Miers, Grabowskia Schltdl., Jaborosa Juss., Lycianthes (Dunal) Hassl., Melananthus Walp., Nicandra Adans., Nicotiana L., Nierembergia Ruiz & Pav., Petunia Juss., Physalis L., Salpichroa Miers, Schwenckia L., Sessea Ruiz & Pav., Solandra Sw., Solanum L. (including Cyphomandra Sendtn. and Lycopersicon Mill.), Streptosolen Miers and Vassobia Rusby. Of these, 23 consist of native species , while five are represented exclusively by introduced species. The total number of species is 149, of which 118 are native and 31 are introduced (adventitious or cultivated). An identification key for genera, and also comments on the most relevant taxonomic characters of each one are presented, plus comments on the species that occur in Rio Grande do Sul state.

Intoxica??o natural e experimental por Metternichia princeps (Solanaceae) em caprinos

PRADO, Juliana da Silva; BRITO, Marilene de Farias; CALDAS, Saulo Andrade; YAMASAKI, Elise Miyuki; BARBOSA NETO, Jos? Diomedes; MAIA, Diogo dos Santos; TOKARNIA, Carlos Maria Ant?nio Hubinger
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.1%
Entre os anos de 2007 e 2009 ocorreu uma doen?a nefrot?xica de evolu??o subaguda com alta mortandade em caprinos em uma propriedade no munic?pio de Itagua?, estado do Rio de Janeiro. Levantou-se a suspeita de que Metternichia princeps, planta pertencente ? fam?lia Solanaceae, seria a causa. Atrav?s de experimenta??o em caprinos o quadro cl?nico-patol?gico de intoxica??o por esta planta e a dose letal foram estabelecidos. Na experimenta??o foram utilizados 12 caprinos de diferentes ra?as, de ambos os sexos, jovens a adultos, com pesos acima de 15 kg. Os animais que receberam as doses de 30g/kg em 5 dias, 15g/kg em 3 dias, doses ?nicas de 10g/kg e de 5g/kg, morreram. Dos tr?s animais que receberam as doses ?nicas de 2,5g/kg, dois morreram e um n?o apresentou sinais cl?nicos e o animal que recebeu a dose ?nica de 1,25g/kg, tamb?m n?o apresentou sinais cl?nicos. O in?cio dos sinais cl?nicos ap?s a administra??o da planta variou entre 7h e 46h45min. A evolu??o variou entre 3h6min e 126h40min. Os primeiros sinais cl?nicos apresentados foram inapet?ncia, adipsia, apatia e relut?ncia ao movimento. Em seguida os animais entravam em dec?bito esternal e ao serem colocados em esta??o, mantinham os membros anteriores flexionados, apoiavam apenas os posteriores no ch?o at? evolu?rem para flex?o dos quatro membros e seguia-se o dec?bito lateral. ? necropsia destacaram-se o edema de tecido adiposo perirrenal...

Anotación del transcriptoma foliar de la uchuva (Physalis peruviana L.): fruta promisoria de la familia solanaceae

Garzón Martínez, Gina Alessandra
Fonte: Pontifícia Universidade Javeriana Publicador: Pontifícia Universidade Javeriana
Tipo: masterThesis; Trabajo de Grado Maestría Formato: PDF
Relevância na Pesquisa
37.1%
La uchuva (Physalis peruvianaL.) es una Solanácea, consideradacomo frutal promisorio a nivel económico, nutricional y nutraceútico. Sin embargo, este cultivo presenta grandes limitantes de soporte tecnológico asociado a la poca información genómica de esta especie, como base para investigaciones relacionadas con problemas del cultivo.Este estudioreporta la secuenciación por 454 y anotaciónde una librería de ADNc normalizadagenerada a partir de tejidofoliar de un genotipo comercial de uchuva. Se obtuvo un total de 244Mpb a partir de 652.614 lecturas con un promedio de 375pb. El ensamblaje de novo, generó 24.014 isotigs y 110.921 singletons, con un promedio de 1.638pby 354pb, respectivamente. Con base en similaridad de secuencias con proteínas conocidas de lasbasesde datos Swissprot y RefSeq, se identificaron funciones putativas para 54.590 unigenes.Mediante Blast2GO, se asociaron 12.672 unigenes a términos ontológicos, relacionados con los principales procesos biológicos y funciones molecularesen plantas, además de familias de genes asociados a respuesta a estrés biótico y abiótico.Así mismo, a partir de los contigs ensamblados se identificaron 5.971 potenciales marcadores SSRs, dentro de los cuales se proponen 10posiblesmarcadoresrelacionados con la respuesta adefensa en plantas. Finalmente...

Tropane alkaloids and calystegines as chemotaxonomic markers in the Solanaceae

Pigatto,Aline G.S.; Blanco,Carolina C.; Mentz,Lilian A.; Soares,Geraldo L.G.
Fonte: Academia Brasileira de Ciências Publicador: Academia Brasileira de Ciências
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2015 EN
Relevância na Pesquisa
37.1%
ABSTRACTThis study assessed the occurrence and distribution of tropane alkaloids and calystegines in genera of the family Solanaceae to identify patterns of distribution and make evolutionary inferences. A database of tropane alkaloids and calystegines occurrences was constructed from the results of a search of scientific websites and a hand search of periodicals. The terms "Solanaceae", "tropane alkaloids", and "calystegines" were used as index terms for a full-text article search unrestricted by date of publications. The number of occurrence and chemical diversity indices were calculated and cluster analysis and principal components analysis were performed. Overall, 996 occurrences were reported, 879 of tropane alkaloids (88.3%) and 117 of calystegines (11.7%). The calystegines were significantly more relevant than tropane alkaloids for characterization of distinct groups of genera on both analyses performed here. This corroborates the trend toward a chemical dichotomy observed on database analysis and somewhat reinforces the correlation between geographic distribution and occurrence of secondary metabolites, as the presence of calystegines alone (without tropane alkaloids) was only reported in genera that have South America as their center of diversity.

Diversidade e distribuição de Solanaceae em formações vegetais altomontanas no sul do Brasil

Vendruscolo, Giovana Secretti
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
A família Solanaceae possui ampla distribuição geográfica e ocorre em diversos ambientes, sendo a maioria das espécies colonizadoras de ambientes abertos. A família possui representantes herbáceos, arbustivos, arbóreos, escandentes e epifíticos. O objetivo deste estudo foi analisar a diversidade e a distribuição de espécies de Solanaceae em formações vegetais altomontanas nos Aparados da Serra Geral, que ocorrem acima de 900 m, localizados no extremo sudeste de Santa Catarina e no extremo nordeste do Rio Grande do Sul (27°48' - 29°21'S e 49°15' - 50°10'W). Foram realizadas 12 saídas a campo, sendo percorridas todas as formações vegetais e consultadas exsicatas de 23 herbários, referentes aos municípios da região de estudo. Primeiramente, foi feita uma chave para identificação dos gêneros e espécies. Foram consideradas para a região de estudo cinco formações vegetais, oito estações de coleta e 10 faixas altitudinais que foram submetidas a técnicas multivariadas de ordenação e classificação para detectar padrões de distribuição geográfica. Análises de modelos de distribuição de espécies foram utilizadas para estabelecer a área potencial para as 17 espécies com maior ocorrência e avaliar quais as variáveis ambientais que influenciam esta distribuição. No levantamento foram encontrados 12 gêneros e 72 espécies de Solanaceae. A maior riqueza de espécies foi encontrada na Floresta Ombrófila Mista. A forma de vida predominante foi arbustiva e melitofilia e quiropterocoria foram as síndromes de polinização e dispersão mais comuns...

Plants from Solanaceae family with possible anxiolytic effect reported on 19th century's Brazilian medical journal

Giorgetti,Melina; Negri,Giuseppina
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 EN
Relevância na Pesquisa
37.2%
In the beginning of the 19th century, the first Brazilian scientific knowledge journal on medicinal plants the Gazetas Médicas was launch reporting Brazilian medicinal plants belonging to several botanical families. The aim of this study was research the Solanaceae species that were described as anxiolytics in the 19th century's Brazilian Medical Gazettes and to make a revision about these species in literature. A taxonomic update, together a careful research about ethnopharmacological, pharmacological and phytochemical, patent process and reports of phytomedicines, was carried out for these Solanaceae species. In this research were found thirteen plants, but the taxonomic update reduced this number to six species. Among them, Physalis angulata L. and Solanum nigrum L. were studied and showed depressor activity on central nervous system (CNS) as described in Gazetas Médicas. This research showed that Solanaceae species reported in this study has potential as anxiolytic drugs and should be investigated more deeply.

The importance of oligosulfides in the attraction of fly pollinators to the brood-site deceptive species Jaborosa rotacea (Solanaceae).

More, Marcela; Cocucci, Andrea Aristides; Raguso, Robert A.
Fonte: Univ Chicago Press Publicador: Univ Chicago Press
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:ar-repo/semantics/artículo; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
ENG
Relevância na Pesquisa
37.1%
Premise of research. Brood-site deceptive flowers use dishonest signals?especially floral odors that mimic oviposition substrates?to attract and deceive saprophilous insects to pollinate them. In this work, we recorded the pollinators of the sapromyiophilous species Jaborosa rotacea (Solanaceae) endemic to southern South America. Then, we characterized the floral volatiles of this species, and finally, we carried out field experiments to decouple the effects of scent and color as attractants for saprophilous flies. Methodology. We made direct observations of pollinators in a natural population of J. rotacea.We characterized floral volatiles by means of gas chromatography?mass spectrometry. Subsequently, we used a mixture of 2 oligosulfides (dimethyl disulfide and dimethyl trisulfide), which our analyses revealed were the main constituents of the floral scent ofJ. rotacea, as baits to determine the attractiveness of this olfactory signal to flies in a geographical region whereJ. rotaceais not present. Finally, we used the same foul-scented baits in arrays of artificial flowers resembling those of J. rotacea to assess the dual importance of olfactory and visual cues in fly attraction. Pivotal results. Pollination of J. rotaceaoccurs when saprophilous flies belonging to the families Calliphoridae...

Solanaceae diversity in the state of Jalisco, Mexico

Cuevas-Arias,Carmen Teresa; Vargas,Ofelia; Rodríguez,Aarón
Fonte: Instituto de Biología Publicador: Instituto de Biología
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 EN
Relevância na Pesquisa
37.33%
Mexico is a center of diversity for Solanaceae. Our objective is to analyze the species diversity and geographical distribution of the Solanaceae in Jalisco. The data come from 3 405 herbarium specimens. An analysis of these specimens indicates that the Solanaceae in Jalisco are represented by 20 genera, 138 species and 140 taxa. Four genera, Solanum (55 species), Physalis (35), Cestrum (10) and Lycianthes (9) represent 79% of the total number of species. In contrast, Brachistus, Browallia, Chamaesaracha, Jaltomata, Juanulloa, Lycium, Nectouxia, Nicandra and Nierenbergia have only 1 species each. In Jalisco, the Solanaceae are widely distributed throughout the state occurring at altitudes ranging from sea level to 3 400 m. Mostly, they grow in conifer and oak forest (81 species) followed by tropical subdeciduous forest (57), tropical deciduous forest (54), and cloud forest (43). Fifty-one species are commonly found in disturbed and ruderal areas. Lycianthes jalicensis, Physalis lignesens, P. longipedicellata, P. longiloba and P. tamayoi are endemic to the state. These results indicate that Jalisco ranks fourth in species diversity for Solanaceae after the states of Oaxaca, Chiapas and Veracruz.

Composição florística de Solanaceae e Suas síndromes de Polinização e Dispersão de sementes em florestas Mesófilas Neotropicais

Albuquerque,Lidiamar B; Velázquez,Alejandro; Vasconcellos-Neto,João
Fonte: ASOCIACIÓN INTERCIENCIA Publicador: ASOCIACIÓN INTERCIENCIA
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
Em geral, os processos de polinização e dispersão de sementes são fundamentais para entender a colonização e a regeneração dos ecossistemas. Neste trabalho, analisou-se a composição florística e suas síndromes de polinização e dispersão de sementes da família Solanaceae nas florestas mesófilas das regiões equivalentes do México e do Brasil. Partiu-se da premissa que se as florestas são fisionômicamente semelhantes e estão distribuídas em regiões equivalentes, deveriam ter processos funcionais similares. Os resultados mostram as diferenças na composição florística, mas ambas as florestas compartem um número similar de espécies de Solanaceae (México 25 e Brasil 26). No México, verificou-se que a distribuição e a abundância das espécies de Solanaceae estão primeiramente associadas às condições de perturbação e umidade, enquanto que no Brasil, as análises sugerem a altitude ao nível do mar e a umidade. Nas dois regiões constatou-se que a síndrome de polinização dominante é a melitofilia. Entretanto, ao comparar as síndromes de dispersão de sementes, verificou-se que existem diferenças significativas entre essas regiões. Para o México prevalece a ornitocoria, enquanto para o Brasil a quiropterocoria. Isto coincide com os centros de diversificação das aves na América Central e dos quirópteros na América do Sul...