Página 1 dos resultados de 1309 itens digitais encontrados em 0.061 segundos

Fundamentos da Sociologia do Conhecimento em Durkheim

Corrêa, Lucas Andrade Sá
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Relevância na Pesquisa
96.07%
O objetivo deste trabalho é apresentar a sociologia do conhecimento desenvolvida por Durkheim, evidenciando suas influências e repercussões, assim como a necessidade de uma visão auto-reflexiva para a sociologia do conhecimento, para a qual a análise dos clássicos ocupa importante papel. A sociologia do conhecimento de Durkheim abrange todos os principais problemas tratados até hoje pela filosofia, lógica e ciências sociais, a análise desta teoria nos possibilita enxergar melhor as raízes do debate entre estas disciplinas, além de nos dar condições de enfrentar problemas epistemológicos, acerca do fundamento das ciências sociais e de sua relação com outras formas de conhecimento.

Uma perspectiva sociológica do conhecimento matemático

Amancio, Chateaubriand Nunes
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: iv, 122 f. : il., gráfs.
POR
Relevância na Pesquisa
85.94%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Educação Matemática - IGCE; A Perspectiva linear é tomada como exemplo verificador à medida que é apresentada como uma prática e suas relações com o emprego de técnicas e sistematizações teóricas. Para tanto, faz-se uso de fontes históricas que subsidiam as considerações feitas em torno desse conhecimento enquanto objeto artístico e matemático. A partir da perspectiva oferecida pela Sociologia do Conhecimento aplicada à Matemática, evidencia-se que o conhecimento matemático trata-se de algo da cultura humana, no sentido de espírito universal, e que as suas naturezas particulares manifestam-se através do ponto de vista individual e da realidade na qual ele é elaborado, organizado e difundido, em conformidade com as concepções da Etnomatemática, enquanto programa de pesquisa, que orientam a proposição de que o conhecimento matemático é um constructo social.; The linear Perspective is taken as verifying example to the measure that is presented as one practical one and its theoretical relations with the application of techniques and theories. For in such a way, use of historical sources becomes that subsidize the consideration made in lathe of this knowledge while artistic and mathematical object. From the perspective offered for the Sociology of Knowledge applied to the Mathematics...

Esboços de uma sociologia do conhecimento da questão ambiental : concepções de sustentabilidade e produção acadêmica brasileir : uma análise da base Scielo; Outlining a sociology of environmental knowledges : conceptions of sustainaibility and brazilian academic production : analysis of Scielo database

Victor Uehara Kanashiro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/11/2010 PT
Relevância na Pesquisa
96.05%
A questão da sustentabilidade tem se estabelecido desde as últimas décadas como um dos principais desafios do século XXI. Cada vez mais presente nos discursos de governos, organismos internacionais, empresários, partidos políticos, mídia, ONGs e movimentos sociais, tem também sido internalizada no campo científico, apropriada e teorizada por cientistas de diversas áreas do saber e com os mais distintos vieses teórico-políticos. Com isso em vista, esta dissertação problematiza a discussão científica sobre sustentabilidade por meio de uma sociologia do conhecimento da questão ambiental. A partir de revisão bibliográfica, propõe concepções expressivas de sustentabilidade total e equaciona o problema da origem das divergências sobre o tema pelo conceito mannheimiano de perspectiva. Para isso, além de uma breve discussão teórica em torno da sociologia do conhecimento, o trabalho reconstrói a lógica argumentativa de cada concepção de sustentabilidade, identificando suas bases teóricas e elementos característicos. Nesse sentido, seis concepções de sustentabilidade total são propostas: a) ecoeficiência; b) decrescimento, c) condição estacionária; d) ecodesenvolvimento; e) ecossocialismo; f) sociedade do risco. Além disso...

Para uma sociologia do conhecimento (Colaboração Especial)

Morin, Edgar
Fonte: CIES-ISCTE / CELTA Publicador: CIES-ISCTE / CELTA
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /05/1989 POR
Relevância na Pesquisa
96.13%
O texto procura dar conta de alguma das questões centrais da sociologia do conhecimento, entendendo conhecimento enquanto produto e produtor de uma realidade histórica, social e cultural. Começando por apresentar algumas reflexões em torno do que o autor denomina como o paradoxo da verdade, o paradoxo de uma sociologia da sociologia e o paradoxo de uma sociologia da ciência, é depois debatida a relação complexa entre cultura e conhecimento e explorado em particular o caso do conhecimento científico. O autor procura ainda demonstrar a estreita relação entre conhecimento e poder, apontando-o não só como produto de desigualdades sociais mas também como seu produtor.; This article looks at some of the central issues facing the sociology of knowledge - in this case "knowledge" is seen as both a product and a producer of a certain historical, social and cultural reality. The author begins by offering some thoughts on what he calls the paradox of truth, the paradox of a sociology of sociology and the paradox of a sociology of science. He then goes on to debate the complex relationship between culture and knowledge and particularly to explore the case of scientific knowledge. He also seeks to demonstrate the close relationship between knowledge and power...

Gestão do conhecimento em organizações hoteleiras; um olhar da sociologia

Sequeira, Bernardete; Serrano, António; Marques, João Filipe
Fonte: Associação Portuguesa de Sociologia Publicador: Associação Portuguesa de Sociologia
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
76.11%
A importância do conhecimento acerca do funcionamento das organizações para a compreensão das dinâmicas de mudança institucional na sociedade moderna tem sido claramente reconhecida pelos sociólogos. Quer oriundos da Sociologia quer de outras áreas disciplinares, os estudos sobre as organizações têm procurado compreender não só a sua complexidade como o papel que estas desempenham na sociedade. Desde há muito que se admite a importância do conhecimento e do talento humano como diferenciais competitivos entre as organizações e entre os países. Contudo, atendendo à importância crescente do conhecimento nos processos de inovação e de desenvolvimento, na era da globalização, a capacidade de diferenciação das sociedades e das organizações depende cada vez mais da qualidade do seu capital humano e do conhecimento acumulado. É precisamente na sequência desta contestação que se insere a presente comunicação, a qual assenta empiricamente na apresentação de alguns dados preliminares resultantes de uma investigação intitulada “Gestão do Conhecimento em Organizações Hoteleiras: uma Abordagem da Sociologia”. O modelo concebido para esta investigação organiza-se em torno de dois eixos analíticos que identificam as etapas do processo de Gestão do Conhecimento e as práticas facilitadoras do mesmo...

A terapia cognitiva de Aaron Beck como reflexividade na alta modernidade: uma sociologia do conhecimento

Oliveira,Cláudio Ivan de; Pires,Anderson Clayton; Vieira,Timoteo Madaleno
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
96%
Uma sociologia do conhecimento interpreta a produção do conhecimento como vinculada a situações sociais. Partindo dessa premissa epistemológica, nosso artigo objetivou interpretar a terapia cognitiva de Aaron Beck como conhecimento construído e construtor do fenômeno de reflexividade da alta modernidade, conforme interpretada por Anthony Giddens. Nossa hipótese é que a reorientação do sistema de crenças do cliente, proposta pela terapia cognitiva, é uma forma de reconstrução reflexiva da autoidentidade, visando superar conflitos típicos da instabilidade da alta modernidade. Assinalamos aspectos na terapia cognitiva que a identificam com a reflexividade, sobretudo a ideia de que a construção da autoidentidade é uma tarefa na qual o indivíduo se engaja reflexivamente.

Verdade e veracidade na sociologia do conhecimento educacional

Young,Michael; Muller,Johan
Fonte: Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais Publicador: Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
76.07%
Reflete-se, neste artigo, sobre questões de verdade e objetividade na sociologia do conhecimento educacional, explorando-as. Inicia-se revendo os problemas levantados pelos enfoques socioconstrucionistas do conhecimento, associados com a Nova Sociologia da Educação da década de 1970. Sugere-se que tais problemas apresentam paralelos significativos com as idéias pragmatistas de James e Dewey, analisadas por Durkheim, de modo tão acurado, em suas palestras sobre o pragmatismo. Enfoca-se, então, o desenvolvimento das idéias de Durkheim, formulado por Basil Bernstein. Argumenta-se que, a despeito de seus avanços conceituais originais, Bernstein permanece preso à crença de que as ciências naturais constituem o único modelo para o conhecimento objetivo. Discute-se, então, a idéia de formas simbólicas, de Ernst Cassirer, como uma base mais adequada para a sociologia do conhecimento. Concluindo, argumenta-se que um enfoque do conhecimento, nos estudos educacionais, que se fundamenta na idéia de objetividade simbólica, de Cassirer, pode enfrentar a tensão entre o conceito de verdade e o compromisso com "ser verdadeiro", que não foi resolvido, talvez mesmo nem enfrentado, pela Nova Sociologia da Educação da década de 1970.

Sociologia do conhecimento: novas perspectivas

Elias,Norbert
Fonte: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília Publicador: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
96.03%
Os cernes dos problemas das teorias sociológicas e filosóficas do conhecimento permanecem insolúveis e inconciliáveis, na medida em que ambas partem de modelos estáticos. Esses problemas poderão ser solucionados - e as respectivas teorias correlacionar-se entre si - sem muitas dificuldades, se a aquisição de conhecimento que ocorre no interior das sociedades for conceituada como um processo de longo prazo que, por sua vez, acontece dentro de sociedades também consideradas como um processo de longo prazo. Essa abordagem tem a vantagem adicional de estar em estreito acordo com as evidências. O artigo indica o que precisa ser desaprendido e o que precisa ser aprendido a fim de se preparar o caminho para que tal arcabouço teórico unificado possa servir como guia para os estudos empíricos de sociologia de todos os tipos de conhecimento - científico e prático, bem como não científico ou ideológico -, podendo tal delineamento também ser corrigido por esses estudos.

A crítica da epistemologia na sociologia do conhecimento de Karl Mannheim

Gusmão,Luís de
Fonte: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília Publicador: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
106.03%
O artigo analisa a crítica da epistemologia normativa na obra de Karl Mannheim, sublinhando a sua presença tanto na fase mais filosófica, associada ao elogio do historicismo, como na Sociologia do Conhecimento posterior. Chama a atenção também para a atualidade dessa crítica: ao censurar os epistemólogos do seu tempo por não levarem na devida conta os achados das ciências empíricas particulares, Mannheim antecipa, em décadas, tendências mais recentes da Sociologia do Conhecimento e da reflexão epistemológica.

O conceito de posição social na sociologia do conhecimento

Schmaus,Warren
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
106.07%
Os sociólogos do conhecimento tentam explicar as crenças dos agentes epistêmicos por meio da posição social destes no interior de uma hierarquia de relações de poder. O artigo propõe um modo alternativo de conceber a posição social dos agentes epistêmicos. Inspirado nas noções durkheimianas de integração social e de densidade social, o autor define a posição social de um agente com base na densidade de suas relações no interior de redes sociais. Para a sociologia do conhecimento científico em particular, são abordadas as relações sociais no interior de redes profissionais de cientistas. Em seguida, verifica-se a aplicabilidade desse conceito de posição social à sociologia do conhecimento em geral.

A diferenciação centro-periferia como estratégia teórica básica para observar a produção científica

Neves,Fabrício Monteiro
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
76.11%
A ciência moderna tem utilizado uma semântica auto-explicativa que leva em conta diversas estratégias e níveis de análise. No nível da organização científica, a Sociologia da Ciência tem feito uso de diferenciações tais como ciência-sociedade e interesse-desinteresse. Essas formas teóricas de observação têm como pano de fundo a idéia de contexto social, em que se opera a produção do conhecimento científico. Porém, a literatura sociológica da ciência não ressaltou suficientemente a diferenciação básica relativa ao sistema mundial de ciência e tecnologia, a saber, a diferenciação centro-periferia, que responderia pelo contexto territorialmente diferenciado da produção científica e tecnológica, e que teria influência inclusive sobre o conteúdo do conhecimento científico produzido localmente. Este trabalho pretende rever a literatura da Sociologia da Ciência, da Tecnologia e do Conhecimento Científico, ressaltando a maneira como essas modalidades de pesquisa trataram tal diferenciação. Pretende-se, ademais, discutir teoricamente a utilidade da diferenciação centro-periferia para os estudos sociológicos do conhecimento e a forma como essa diferenciação perpassa ortogonalmente as outras formas de diferenciar...

Sociologia Brasileira: tendências institucionais e epistemológico-teóricas contemporâneas

Liedke Filho,Enno Dagoberto
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 PT
Relevância na Pesquisa
86%
O artigo revisa, em um primeiro momento, temas da Sociologia do Conhecimento e da Sociologia da Ciência, relevantes para o estudo da Sociologia da Sociologia. Em um segundo momento, propõe-se analisar sete temas referentes ao desenvolvimento da sociologia contemporânea no Brasil.

Olhares sociológicos sobre a ciência no século vinte: mudanças e continuidades

Fetz,Marcelo; Defacci,Fabrício Antônio; Nascimento,Lerisson
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
76.13%
O artigo examina, em dois momentos distintos, as principais abordagens sociológicas sobre a ciência no século vinte: a Sociologia do Conhecimento, a Sociologia da Ciência e a Sociologia do Conhecimento Científico. No primeiro tópico são recapitulados os argumentos sociológicos de Karl Mannheim e de Robert King Merton. Defende-se a interpretação de que a obra de Mannheim seja reconhecida enquanto pressuposto epistemológico para o desenvolvimento da Sociologia da Ciência de Merton. Adaptada por Merton, a metateoria sociológica de Mannheim surge através de uma abordagem estrutural funcionalista associada a uma teoria de médio alcance. No segundo momento, são retomados os argumentos de Thomas Kuhn para, logo após, ser analisada a Sociologia do Conhecimento Científico enquanto apreciação construtiva da tradição de pensamento mertoniana. O estudo dos princípios lógicos da Sociologia do Conhecimento Científico de David Bloor e a investigação acerca da tradição de pensamento iniciada na Universidade de Edimburgo, na Escócia, foram o foco elementar dessa etapa do artigo. Finalmente, as principais características de cada uma das tradições são ressaltadas, buscando-se por mudanças e continuidades que viabilizaram o desenvolvimento da abordagem sociológica sobre a atividade científica desde sua gênese clássica até os estudos contemporâneos.

O "esporte das multidões" no Brasil : entre o contexto de ação futebolístico e a negociação mimética dos conflitos sociais

Souza, Juliano de
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 432p. : il. algumas color.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
85.92%
Orientador : Prof. Dr. Wanderley Marchi Júnior; Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Defesa: Curitiba, 09/12/2014; Inclui referências; Área de concentração: Exercício e esporte; Resumo: A presente tese sintetizada no título "O „esporte das multidões. no Brasil: entre o contexto de ação futebolístico e a negociação mimética dos conflitos sociais" configura uma pesquisa de caráter fundamentalmente, mas não exclusivamente teórico, articulada sob perspectiva de mediação e interlocução crítica com a produção sócio-histórico-antropológica brasileira sobre futebol. O ponto de partida desta argumentação é que em parte significativa dos estudos que se propuseram, direta ou indiretamente, a discutir ou, minimamente, a considerar alguns dos mecanismos pelos quais o futebol no Brasil ergueu-se como fenômeno de apelo massivo, não foi possível restituir relacionalmente a natureza conflitiva das dinâmicas que alavancaram este processo. Ao que consta, esse quadro delineado provavelmente emergiu em consequência da penetração de ideologias e crenças políticas nas pesquisas científicas e é em razão, portanto, deste ponto de inflexão identificado que nos aprouve definir o problema investigativo desta tese nos seguintes termos: como explicar...

Sobre a constituição do sujeito: uma análise comparativa entre a psicologia sócio-sociologia do conhecimento de berger e luckmann

Daniel Júnior, Geraldo Magela
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
96%
This study investigated how the process of the constitution of the subject is interpreted in the formulations of the founders of socio-historical psychology (Lev S. Vigotski, Alexei N. Leontiev and Alexander R. Luria) and in the sociology of knowledge of Peter Berger and Thomas Luckmann. These two theoretical perspectives, despite having different philosophical formulations as ontological and epistemological intentions (socio-historical psychology, historical dialectical materialism; the sociology of Berger and Luckmann and phenomenology) arrive, however, at the same basic conclusion about the social nature of the subject. The objective of the study, therefore, was that of identifying the differences and convergences between the two perspectives and then, try to determine the possibility of a theoretical synthesis between them in relation to the constitution of the subject. At the same time, we intended to analyse the implications of this possible synthesis in order to comprehend the manner in which the ideology functions in human societies as thought by Louis Althusser and Alípio de Sousa Filho. We arrived at the conclusion that, despite being incompatible from the ontological and epistemological points of view, a synthesis is possible between socio-historical psychology and the sociology of knowledge of Berger and Luckmann in relation to the conception of society and the comprehension of the process of the constitution of the subject. Starting from the philosophical intentions of socio-historical psychology...

Sociologia da ciência versus filosofia da ciência

Schwinden, Leonardo Francisco
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
76.08%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Florianópolis, 2010; Pode o conhecimento das ciências naturais e exatas ser de-terminado por fatores sociais? Barry Barnes e David Bloor assegu-ram que sim. Argumentam que, mesmo nessas ciências, o conteúdo das teorias não é determinado simplesmente pela relação dos indi-víduos com a realidade objetiva, mas, sobretudo, pelas relações entre os indivíduos envolvidos de alguma forma com o conheci-mento. Como em qualquer outra atividade humana, dizem eles, a atividade científica atende a interesses, não apenas externos, mas também a interesses internos; e tais interesses precisam ser mais bem detalhados. O processo de conhecimento envolve complexas e inúmeras negociações entre os cientistas e, o mais importante, elas ficam expressas e determinam o conteúdo do conhecimento, con-forme garantem os autores. Porém, o fato de o conteúdo ser assim determinado não tem relação necessária com sua validade. A vali-dade é dada pelo contexto. Por isso, a pretensão alimentada pelos filósofos da ciência, de determinar a validade das crenças científi-cas de uma maneira independente...

Por uma Sociologia do Conhecimento Científico da Questão Ambiental – A Produção Acadêmica Brasileira sobre Desenvolvimento Sustentável e Sustentabilidade: Resultados Preliminares

Kanashiro, Victor
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2009 POR
Relevância na Pesquisa
96.01%
A sustentabilidade tem sido apresentada como um dos grandes desafios da sociedade contemporânea. Consolidada como uma das prioridades na agenda política internacional e presente nos discursos de chefes de Estado, organismos internacionais, ONGs, empresas e movimentos sociais, a temática do desenvolvimento sustentável e sustentabilidade vem sendo investigada e discutida no campo acadêmico com diferentes abordagens teóricas e tradições disciplinares, pelo menos desde a publicação do Relatório Brundtland, em 1987. Tendo isso em vista, este artigo problematiza a temática do desenvolvimento sustentável e sustentabilidade, procurando argumentar acerca da necessidade de uma Sociologia do Conhecimento Científico sobre a questão ambiental, no contexto da modernidade radicalizada e apresentando os principais resultados parciais da pesquisa em andamento: “Uma sociologia do conhecimento da questão ambiental: a produção acadêmica brasileira sobre desenvolvimento sustentável e sustentabilidade”. 

A Crítica da Epistemologia na Sociologia do Conhecimento de Karl Mannheim

Gusmão, Luís de; Universidade de Brasília - UnB
Fonte: Universidade de Brasilia Publicador: Universidade de Brasilia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 12/08/2011 POR
Relevância na Pesquisa
96.03%
O artigo analisa a crítica da epistemologia normativa na obra de Karl Mannheim, sublinhando a sua presença tanto na fase mais filosófica, associada ao elogio do historicismo, como na Sociologia do Conhecimento posterior. Cha­ma a atenção também para a atualidade dessa crítica: ao censurar os epistemó­logos do seu tempo por não levarem na devida conta os achados das ciências empíricas particulares, Mannheim antecipa, em décadas, tendências mais re­centes da Sociologia do Conhecimento e da reflexão epistemológica.

Sociologia do conhecimento: novas perspectivas

Elias, Nobert
Fonte: Universidade de Brasilia Publicador: Universidade de Brasilia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 27/04/2011 POR
Relevância na Pesquisa
86.01%
  Os cernes dos problemas das teorias sociológicas e filosóficas do conhecimento permanecem insolúveis e inconciliáveis, na medida em que ambas partem de modelos estáticos. Esses problemas poderão ser solucionados – e as respectivas teorias correlacionar-se entre si – sem muitas dificuldades, se a aquisição de conhecimento que ocorre no interior das sociedades for conceituada como um processo de longo prazo que, por sua vez, acontece dentro de sociedades também consideradas como um processo de longo prazo. Essa abordagem tem a vantagem adicional de estar em estreito acordo com as evidências. Oartigo indica o que precisa ser desaprendido e o que precisa ser aprendido a fim de se preparar o caminho para que tal arcabouço teórico unificado possa servir como guia para os estudos empíricos de sociologia de todos os tipos de conhecimento – científico e prático, bem como não científico ou ideológico –, podendo tal delineamento também ser corrigido por esses estudos.

Sociologia da Educação: Uma Análise de suas Origens e Desenvolvimento a Partir de um Enfoque da Sociologia do Conhecimento

Ferreira,Rosilda Arruda
Fonte: Centro de Estudos e Intervenção em Educação e Formação (CeiEF); Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Publicador: Centro de Estudos e Intervenção em Educação e Formação (CeiEF); Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2006 PT
Relevância na Pesquisa
96.06%
Este trabalho pretende analisar aspectos relacionados às origens e o desenvolvimento do campo científico da sociologia da educação segundo um enfoque da sociologia do conhecimento e sob uma dupla perspectiva: como um processo intelectual e como um fenômeno histórico-social. Para tanto, identifica as tendências teórico-metodológicas de prestígio do campo da sociologia da educação e suas relações com o contexto político-social, priorizando, nessa análise, os aspectos relacionados com as mudanças na função social assumida pela escola ao longo do tempo. Após as análises realizadas, conclui que no interior do campo científico da sociologia da educação convivem, na atualidade, teorias voltadas para a ação cotidiana, em que predominam, por um lado, temas relacionados à representação social, à ação do sujeito no cotidiano, e, por outro, teorias voltadas para o sistema social mais amplo, em que predominam as abordagens dos nexos entre a estrutura social e as interações que formam os sujeitos individuais e coletivos e as desigualdades existentes no sistema educacional.