Página 1 dos resultados de 1142 itens digitais encontrados em 0.036 segundos

A construção sociocultural da ciencia a partir da sua produção : a sociologia na Venezuela e a "Revista Venezolana de Ciencias Economicas y Sociales"

Ysbelet Del Valle Lobo Sanchez
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/02/2003 PT
Relevância na Pesquisa
86.18%
Durante as ultimas décadas, os diferentes enfoques na área dos Estudos Sociais da Ciência apontam uma nova identidade para esta área, e em conseqüência para a visão "epistemológicamente especial" da ciência. A imagem unidirecional, socialmente desinteressada que o "logicismo" e "hierarquicismo" deram á ciência, ofusca-se pela "imagem social da ciência". Aponta-se um diálogo entre ciência e sociedade sustentado pela idéia de que a ciência é um produto social contingente, formada por instrumentos culturais e caracterizada por uma constante reavaliação entre fatos e valores. Esta visão da construção socio-cultural do conhecimento científico está intimamente relacionada ao "que fazer" das ciência, ao complexo processo de socialização dos cientistas e aos elementos tempo-espaciais que servem de marco ao fato científico. A riqueza de aspectos culturais envolvidos no "ato de criação" da ciência estão implícitos na ação cotidiana dos cientistas e expressos de distintas formas de comunicação, entre os quais a publicação ganhou um amplo terreno. Esta pesquisa trata sobre o processo de construção sócio-cultural da sociologia como ciência na Venezuela. Reconstrói sua história a fim de conhecer sua trajetória e observar como os âmbitos da vida econômica...

A agenda do professor pesquisador em administração: uma análise baseada na sociologia da ciência

Melo, Danilo José Alano
Fonte: Florianópolis Publicador: Florianópolis
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 84 f.| tabs.
Relevância na Pesquisa
85.97%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio Econômico, Curso de Administração.; A administração é considerada uma ciência nova, se comparada às ciências tradicionais. Isso fica evidente no Brasil, já que o ensino superior em administração foi iniciado a partir da década de 50, importando metodologias americanas de ensino. A partir da formação de professores e pesquisadores, a pesquisa científica nacional em administração passa a ser desenvolvida e a ser parte essencial para a formulação de teorias e metodologias que se adequassem a realidade nacional. Nas ultimas décadas, a epistemologia tem se tornado tema comum para diversas ciências, que a usam para refletir sobre suas bases. Nesse contexto, a sociologia da ciência também surge como parte essencial para a compreensão do saber científico, colocando no centro da investigação o pesquisador, ator do campo científico, e suas relações dentro do campo de atuação. Com o objetivo de aprofundar a compreensão sobre o conteúdo do trabalho do professo-pesquisador em administração, tendo em vista a necessidade dos integrantes desse campo, tanto os novos entrantes, como os outros agentes, de compreendê-lo melhor e de maneira sistematizada...

Sociologia e ciências da educação: a distância entre nós

Abrantes, Pedro
Fonte: CIES-ISCTE / CELTA Publicador: CIES-ISCTE / CELTA
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2004 POR
Relevância na Pesquisa
76.1%
Existirá uma diferença fundamental entre a investigação desenvolvida pela sociologia e pelas ciências da educação? Através do aparelho teórico-metodológico da sociologia da ciência, ensaia-se uma pequena análise exploratória das relações entre dois campos científicos (sociologia e ciências da educação) em Portugal, em particular, na produção de um subcampo de fronteira (sociologia da educação). Esta análise parte da comparação entre textos-síntese e comunicações apresentadas entre 1985 e 2000 em cada um dos campos e centra-se em quatro pontos essenciais: o desenvolvimento dos campos em Portugal; instituições e protagonistas; metodologias e objectos de estudo; posições e demarcações epistemológicas.; Does an essential difference between research developed by sociology and by educational science actually exist? Through the sociology of science’s theoretical and methodological apparatus, a small exploratory analysis of the relations between two scientific fields (sociology and by educational science), specially in the production of a borderline sub-field (sociology of education) is accomplished. This analysis is based on the comparison among key-texts and papers presented in 1985-2000 in each field...

A tensão superficial: ciência e organização num centro de investigação científica

Martinez, Margarida Senna; Ávila, Patrícia; Costa, António Firmino da
Fonte: CIES-ISCTE / CELTA Publicador: CIES-ISCTE / CELTA
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/1994 POR
Relevância na Pesquisa
86%
Com base numa pesquisa sociológica realizada num centro de investigação científica em química e biologia - combinando a análise documental, a pesquisa de terreno e o inquérito por questionário - desenvolvem-se algumas propostas para a análise estrutural e interpretativa das relações sociais e dos padrões culturais envolvidos na constituição das unidades em que se faz a ciência contemporânea. Partindo de um balanço das perspectivas que se confrontam e entrecruzam na sociologia da ciência, analisam-se os processos de tradução, as redes sociais e os modos de organização num dos centros de investigação que se constituem na interface tensional entre as lógicas do campo científico e as lógicas das organizações.; Based on a sociological research - which took place on a centre dedicated to scientific research on fields related to chemistry and biology - combining documental analysis, field work and questionaire, a proposal is developed for structural and interpretative analysis of social relations and cultural patterns within the units where scientific work is actually being performed. We start with a tentative account of the confronting and intersecting perspectives of the sociology of science. Then we try to contribute to the analysis of the translation processes...

Promoção de cultura científica: experiências da sociologia

Conceição, Cristina Palma; Gomes, Maria do Carmo; Pereira, Inês; Abrantes, Pedro; Costa, António Firmino da
Fonte: CIES-ISCTE / CELTA Publicador: CIES-ISCTE / CELTA
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /05/2008 POR
Relevância na Pesquisa
76.12%
Nos últimos anos, tem-se vindo a assistir no país a uma considerável proliferação de actividades de promoção da cultura científica. Estas são, tipicamente, actividades de relação da ciência com a sociedade. Porém, têm sido muito mais desenvolvidas pelas ciências naturais do que pelas ciências sociais. Perante este paradoxo,um conjunto de investigadores do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-ISCTE) procurou, no quadro do programa Ciência Viva, ensaiar actividades de divulgação científica da sociologia, baseadas na participação experimentalista dos públicos em actividades de pesquisa, em contacto directo com os investigadores e os contextos de investigação. Neste artigo analisam-se essas actividades, os seus actores e processos, e as suas repercussões, ao longo dos primeiros anos em que se realizaram. Discutem-se também os fundamentos teóricos deste tipo de promoção da cultura científica, procurando-se ultrapassar as limitações tanto do chamado “modelo do défice” como das “críticas standard ao modelo do défice”, a favor de uma análise da divulgação científica tal como ela se faz.; In recent years, this country has seen the extensive proliferation of activities promoting scientific culture. These are...

A sociologia da ciência em Portugal: contributos para a sua análise

Duarte, Teresa
Fonte: CIES - ISCTE Publicador: CIES - ISCTE
Tipo: Trabalho em Andamento
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
96.12%
O presente texto toma como objecto de estudo a sociologia da ciência. Apesar de ser considerado um domínio de produção sociológica ainda emergente, a sociologia da ciência constitui uma área de especialização em crescimento e consolidação que apresenta um diversificado contexto teórico e metodológico e um importante acervo de pesquisas empíricas. Apesar do carácter mais recente em Portugal, a evolução que este domínio tem conhecido justifica que possa ser tomado como objecto de estudo. Neste sentido, este ensaio procura caracterizar a sociologia da ciência, partindo, em termos metodológicos, da análise de livros (e capítulos de livros) e revistas científicas (entre 1988 e 2008), cujos textos são de natureza essencialmente empírica e que têm como sede disciplinar a sociologia. Este texto é composto por três partes principais: na primeira parte, procura-se caracterizar a sociologia da ciência através da análise dos seus autores, protagonistas e instituições; na segunda, analisam-se os produtos da investigação sociológica neste domínio, procurando descortinar as principais áreas temáticas abordadas; na terceira e última parte, analisam-se os procedimentos metodológicos utilizados.; The object of study in this text is the sociology of science. Although considered a field of sociological production that is still emerging...

Promoção de cultura científica: análise teórica e estudo de caso do Programa Ciência Viva

Conceição, Cristina Palma
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
76.02%
Doutoramento em Sociologia; Tendo como enquadramento genérico as relações entre ciência e sociedade, esta dissertação baseia-se numa análise sociológica das acções de promoção de cultura científica dirigidas a públicos não especializados, tomando por referência, em particular, os princípios e objectivos que lhes estão subjacentes, os actores sociais nelas envolvidos e as suas formas de operacionalização. Num primeiro momento apresentam-se, de modo sucinto, diversas considerações teóricas acerca das dinâmicas de desenvolvimento científico e suas implicações nos processos de mudança social e de relacionamento dos cidadãos com as instituições da ciência. Segue-se uma análise pormenorizada das principais propostas teóricas e operacionais produzidas, a nível internacional, no campo da educação científica e da comunicação pública da ciência. Por fim, o programa Ciência Viva, implementado em Portugal desde 1996, é objecto de estudo de caso nas suas diversas vertentes, com recurso a metodologias de carácter quantitativo-extensivo e qualitativo-intensivo. Estes vários exercícios confluem no objectivo de identificar e analisar diferentes concepções e modalidades de promoção de cultura científica. Este trabalho culmina com a proposta de uma grelha de análise para este tipo de actividades – atenta à diversidade e complementaridade dos seus possíveis modos e contextos de concretização – e com a ilustração da sua aplicação na caracterização das principais iniciativas da Agência Ciência Viva.; Taking the relationship between science and society as a general framework...

A questão da universidade e da formação em ciências sociais

Garcia,Sylvia Gemignani
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2000 PT
Relevância na Pesquisa
85.98%
A análise histórica dos processos sociais e intelectuais que caracterizam a formação cultural e científica na modernidade contemporânea permite a reconstrução de questões culturais e educacionais que se fazem constantemente presentes hoje no dia-a-dia da vida universitária na forma de problemas acadêmicos e administrativos. Situada na intersecção das áreas de história intelectual, sociologia da ciência e das instituições científicas e sociologia da educação e da cultura, essa perspectiva de investigação aborda, primeiro, os amplos processos institucionais nas esferas da política, da economia e da cultura que situam a questão contemporânea da universidade e da formação em ciências sociais; em seguida, expõe alguns aspectos centrais do debate sociológico acerca da natureza da disciplina e do perfil da formação em ciência social; e, finalmente, discute certos pressupostos e categorias básicas das atuais propostas de reforma universitária.

A sedução da etnografia da ciência

Freitas,Renan Springer de
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
85.84%
Este artigo compara os resultados do exercício, peculiar aos sociólogos e antropólogos da ciência pós-kuhnianos, de documentar a prática científica cotidiana - ou o que se convencionou chamar de science-in-the-making - com os resultados advindos de um exercício análogo, relativo à arte, realizado algumas décadas antes pelo historiador da arte Ernst Gombrich. Argumenta-se que, enquanto Gombrich foi conduzido a resultados verdadeiramente auspiciosos - sendo-lhe permitido, por meio de seu empenho em estudar o que se poderia chamar de art-in-the-making, mostrar como diferentes estilos de representação pictórica se formam e evoluem -, sociólogos e antropólogos pós-kuhnianos foram conduzidos a apenas uma insossa crônica da ciência. Discute-se a razão do sucesso do primeiro e do fracasso dos últimos.

A "crítica forte" da ciência e implicações para a educação em ciências

Greca,Ileana María; Freire Jr.,Olival
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru. Publicador: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
85.95%
Neste trabalho discutimos alguns elementos oriundos tanto do que se pode denominar vagamente de tendências pós-modernas na filosofia, quanto do campo da história social e da sociologia das ciências, e as possíveis implicações dos mesmos para a pesquisa e a educação em ciências. Nossa avaliação é que, independentemente do problemático de alguns de seus pressupostos, estas correntes têm a contribuir para a nossa compreensão da ciência e para a formação de cidadãos mais responsáveis.

O debate sobre a autonomia/não-autonomia da tecnologia na sociedade

Trigueiro,Michelangelo Giotto Santoro
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
86.04%
O artigo apresenta o debate a respeito da autonomia e não-autonomia da tecnologia na sociedade, a partir da discussão empreendida na sociologia da ciência e da recente literatura sobre a produção tecnológica, notadamente a que se inicia com o trabalho de Martin Heidegger, Question concerning technology. Considerando esse trabalho de Heidegger uma reflexão seminal sobre o tema da tecnologia, é proposta uma inversão "ontológica" na relação entre ciência e tecnologia, ao colocar esta última como uma realidade anterior à ciência. O texto procura contrastar diferentes acepções a respeito da tecnologia, mediante recortes analíticos os mais diversos, a saber, diferentes perspectivas teórico-metodológicas, concepções filosóficas e enfoques, entre os quais o econômico, o sociológico e o histórico. É dado destaque especial ao confronto entre o enfoque sociológico e o econômico. Ao final, pretende-se reunir elementos para a argumentação a respeito da não-autonomia da tecnologia na sociedade e do que tem sido chamado o conteúdo social da tecnologia.

Por uma sociologia crítica da ciência

Jarvie,Ian; Agassi,Joseph
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
96.15%
Neste artigo crítico e construtivo, defendemos que a Sociologia da Ciência, como está estabelecida, é distorcida por uma suposta filosofia idealista que estimula uma atitude acrítica em relação ao que se supõe serem fatos. Propomos uma sociologia crítica da ciência que faz a distinção entre ciência, ciência aplicada e tecnologia; enfoca a falibilidade da ciência e da sociologia da ciência que desconstrói toda pretensão de autoridade. Construtivamente, esboçamos os elementos de uma sociologia da ciência que envolve as formas elementares da vida científica, bem como a ciência "normal" contemporânea, burocratizada e militarizada.

Olhares sociológicos sobre a ciência no século vinte: mudanças e continuidades

Fetz,Marcelo; Defacci,Fabrício Antônio; Nascimento,Lerisson
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
86.13%
O artigo examina, em dois momentos distintos, as principais abordagens sociológicas sobre a ciência no século vinte: a Sociologia do Conhecimento, a Sociologia da Ciência e a Sociologia do Conhecimento Científico. No primeiro tópico são recapitulados os argumentos sociológicos de Karl Mannheim e de Robert King Merton. Defende-se a interpretação de que a obra de Mannheim seja reconhecida enquanto pressuposto epistemológico para o desenvolvimento da Sociologia da Ciência de Merton. Adaptada por Merton, a metateoria sociológica de Mannheim surge através de uma abordagem estrutural funcionalista associada a uma teoria de médio alcance. No segundo momento, são retomados os argumentos de Thomas Kuhn para, logo após, ser analisada a Sociologia do Conhecimento Científico enquanto apreciação construtiva da tradição de pensamento mertoniana. O estudo dos princípios lógicos da Sociologia do Conhecimento Científico de David Bloor e a investigação acerca da tradição de pensamento iniciada na Universidade de Edimburgo, na Escócia, foram o foco elementar dessa etapa do artigo. Finalmente, as principais características de cada uma das tradições são ressaltadas, buscando-se por mudanças e continuidades que viabilizaram o desenvolvimento da abordagem sociológica sobre a atividade científica desde sua gênese clássica até os estudos contemporâneos.

A agenda do professor-pesquisador em Administração: uma análise baseada na sociologia da ciência

Melo,Danilo; Serva,Maurício
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
96.01%
A Administração é considerada uma ciência nova, caso seja comparada às ciências tradicionais. O Ensino Superior em Administração no Brasil teve início na década de 1950, importando metodologias americanas de ensino. A partir da formação de professores e pesquisadores, a pesquisa científica nacional em Administração passa a ser desenvolvida e a ser parte essencial para a formulação de teorias e metodologias adequadas à realidade brasileira. Nesse contexto, a sociologia da ciência surge como perspectiva essencial para a compreensão do saber científico, colocando no centro da investigação o pesquisador, ator do campo científico, bem como suas relações dentro do campo. Com o objetivo de aprofundar a compreensão sobre o conteúdo do trabalho do professor-pesquisador em Administração, tendo em vista a necessidade dos integrantes desse campo de compreendê-lo melhor e de maneira sistematizada, este artigo visa a responder a seguinte questão: "Qual é o conteúdo do trabalho do professor-pesquisador, quais são seus objetivos e as atividades que compõem sua agenda?". Por meio deste estudo, predominantemente qualitativo, aprofundou-se o conhecimento sobre as atividades com as quais os professores-pesquisadores em Administração estão envolvidos e seus objetivos quando entraram no campo e seus objetivos atuais...

Por uma sociologia da produção científica no campo acadêmico da Educação Física no Brasil

Souza,Juliano de; Marchi Júnior,Wanderley
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
85.92%
No presente artigo, temos por objetivo demonstrar algumas frentes de apreciação que podem ser abertas para pensar a constituição e estrutura do campo acadêmico da Educação Física no Brasil a partir da Sociologia da Ciência tal como retomada na obra de Pierre Bourdieu. Para tanto, procuramos recuperar um exemplo bem pontual e recente das "tensões epistemológicas" evidenciadas no subcampo de produção sócio-cultural em Educação Física, mais precisamente, as tomadas de posições materializadas na Revista Brasileira de Ciências do Esporte por conta da publicação dos artigos: "Antropologia, cultura e Educação Física escolar" de autoria de Diego Luz Moura e Hugo Rodolfo Lovisolo em 2008 e o artigo "Antropologia, cultura e Educação Física escolar: considerações a respeito do artigo de Moura e Lovisolo" redigido por Jocimar Daolio em 2009. Cabe a ressalva, de que nosso intuito é mais partir desse exemplo para desenvolver as argumentações e amarrações empírico-teóricas do que propriamente se debruçar sobre o caso específico em si, ou ainda, tomar partido frente aos posicionamentos apresentados.

Causalidade e hermeneutica em sociologia da ciencia : uma critica ao Programa Forte de David Bloor; Causality and hermeneutics in sociology of science : a critics to David Bloor's Strong Programme

Vicente de Paula Gomes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
86.04%
Este trabalho averigua a adequação do uso do princípio de causalidade na investigação sociológica da ciência, um dos pilares do "programa forte" defendido pela Escola de Edimburgo. Para David Bloor, as pesquisas nesse campo devem buscar as "causas das crenças, isto é, leis gerais relacionando as crenças às condições que são necessárias e suficientes para determiná-las". Nessa definição, predominam elementos identificados com a concepção dedutivista de ciência, entre eles o de que o objetivo da ciência é buscar explicações causais. Análise do vínculo efetivo entre saber e fatores sociais em estudos de casos exemplares revelou que seus autores não utilizam argumentações contendo leis causais e condições necessárias e suficientes. Tal ocorre porque a conexão entre os "fatos" ivestigados - o saber e os fatores sociais - não tem uma natureza conceitual causal, essa conexão não pode ser representada como a expressão de uma lei causal. Argumentamos que a relação entre os objetos culturais (saber, fatores sociais, etc.) não pode ser expressa causalmente porque os significados destes "transcendem" a sua dimensão espaço-temporal. Para a adequada caracterização da interpenetração entre experiências psíquicas e situações sociais...

O problema das restrições teórico-analíticas nos estudos sociais da ciência e da tecnologia

Nunes, Denise Maria; Universidade Federal de Santa Catarina
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 27/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
86.07%
http://dx.doi.org/10.5007/1806-5023.2011v8n2p120O livro Actos, actores y artefactos: Sociologia de la tecnologia, organizado por Hernán Thomas e Alfonso Buch apresenta e debate ferramentas teórico-conceituais de autores consagrados na área da Sociologia da Ciência e da Tecnologia. Lançado em 2008, o livro é, sem dúvida, leitura obrigatória para os estudiosos que se interessam pelas relações envolvendo ciência, tecnologia e sociedade.

Sociologia da ciência: realismo, idealismo e construtivismo

Gomes, Vicente de Paula; Universidade Federal do Piauí - UFPI, Departamento de Filosofia
Fonte: Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea Publicador: Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado por Pares Formato: application/pdf
Publicado em 21/02/2014 POR
Relevância na Pesquisa
96.12%
A virada neopragmática, crítica avassaladora da função fundante dos saberes autodefendida pela filosofia, radical ao ponto de incluir a própria vertente analítica de onde se originou, é, inexoravelmente, a fronteira atual do conhecimento filosófico, o golpe do movimento neopragmático à filosofia e à razão; contudo, deve ser avaliado como positivo. Ele possibilitou o retorno à consciência das matrizes conceituais genuínas desse saber ao apontar as propostas de superação do impasse: naturalismo estrito (QUINE, 1969), naturalismo fraco (HABERMAS, 2004), idealismo objetivo (HÖSLE, 1987), contextualismo (RORTY, 1994). Contribuíram, inquestionavelmente, para esse desfecho, os estudos históricos e sociológicos da ciência pós-kuhnianos, inspirados em sua filosofia da ciência. Inserindo-se tangencialmente nesse debate, o objeto de reflexão deste estudo é contrapor o ponto de vista da sociologia da ciência ao realismo e ao idealismo. Nosso intuito é demonstrar que o construtivismo que caracteriza seu modelo de inquirição não nega, como ingênua ou maliciosamente entendem seus críticos, a função determinante da natureza na construção da ciência. A força do nosso argumento emergirá da análise realizada pelos expoentes do strong programme em sociologia da ciência...

Sociologia e ciências da educação: A distância entre nós

Abrantes,Pedro
Fonte: Editora Mundos Sociais Publicador: Editora Mundos Sociais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2004 PT
Relevância na Pesquisa
76.03%
Existirá uma diferença fundamental entre a investigação desenvolvida pela sociologia e pelas ciências da educação? Através do aparelho teórico-metodológico da sociologia da ciência, ensaia-se uma pequena análise exploratória das relações entre dois campos científicos (sociologia e ciências da educação) em Portugal, em particular, na produção de um subcampo de fronteira (sociologia da educação). Esta análise parte da comparação entre textos-síntese e comunicações apresentadas entre 1985 e 2000 em cada um dos campos e centra-se em quatro pontos essenciais: o desenvolvimento dos campos em Portugal; instituições e protagonistas; metodologias e objectos de estudo; posições e demarcações epistemológicas.

Promoção de cultura científica: Experiências da sociologia

Conceição,Cristina Palma; Gomes,Maria do Carmo; Pereira,Inês; Abrantes,Pedro; Costa,António Firmino da
Fonte: Editora Mundos Sociais Publicador: Editora Mundos Sociais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2008 PT
Relevância na Pesquisa
76.03%
Nos últimos anos, tem-se vindo a assistir no país a uma considerável proliferação de actividades de promoção da cultura científica. Estas são, tipicamente, actividades de relação da ciência com a sociedade. Porém, têm sido muito mais desenvolvidas pelas ciências naturais do que pelas ciências sociais. Perante este paradoxo, um conjunto de investigadores do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-ISCTE) procurou, no quadro do programa Ciência Viva, ensaiar actividades de divulgação científica da sociologia, baseadas na participação experimentalista dos públicos em actividades de pesquisa, em contacto directo com os investigadores e os contextos de investigação. Neste artigo analisam-se essas actividades, os seus actores e processos, e as suas repercussões, ao longo dos primeiros anos em que se realizaram. Discutem-se também os fundamentos teóricos deste tipo de promoção da cultura científica, procurando-se ultrapassar as limitações tanto do chamado “modelo do défice” como das “críticas standard ao modelo do défice”, a favor de uma análise da divulgação científica tal como ela se faz.