Página 1 dos resultados de 18385 itens digitais encontrados em 0.010 segundos

Sintomas indicativos de disfagia em portadores de DPOC; Symptoms of dysphagia in patients with COPD

CHAVES, Rosane de Deus; CARVALHO, Celso Ricardo Fernandes de; CUKIER, Alberto; STELMACH, Rafael; ANDRADE, Claudia Regina Furquim de
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.77%
OBJETIVO: Identificar os sintomas indicativos de disfagia em indivíduos portadores de DPOC a partir de um questionário de autopercepção. MÉTODOS: Foram avaliados 35 indivíduos portadores de DPOC e 35 indivíduos sem a doença pareados por gênero e idade. O grupo de estudo foi avaliado quanto a gravidade da doença, sensação de dispneia, índice de massa corpórea (IMC) e sintomas de disfagia. O grupo controle foi avaliado quanto a IMC e sintomas de disfagia. RESULTADOS: Os sintomas mais frequentes de disfagia apresentados pelos participantes do grupo de estudo foram sintomas faríngeos/proteção de vias aéreas (p < 0,001), sintomas esofágicos/histórico de pneumonia (p < 0,001) e sintomas alimentares (p < 0,001). As seguintes variáveis apresentaram correlações positivas: VEF1 e IMC (r = 0,567; p < 0,001); sintomas faríngeos/proteção de vias aéreas e dispneia (r = 0,408; p = 0,015); e sintomas esofágicos/histórico de pneumonia e sintomas faríngeos/proteção de vias aéreas (r = 0,531; p = 0,001). Houve correlação negativa entre sintomas alimentares e IMC (r = -0,046; p < 0,008). CONCLUSÕES: Os resultados mostraram que os participantes com DPOC apresentaram sintomas de disfagia relacionados à fase faríngea e esofágica da deglutição; ao mecanismo de proteção das vias aéreas; ao histórico de pneumonia e aos sintomas alimentares.; OBJECTIVE: To identify symptoms of dysphagia in individuals with COPD...

Investigação categorial e dimensional sobre sintomas físicos e síndromes somatoformes na população geral; Categorical and dimensional investigation on physical symptoms and somatoform syndromes in the general population

Tófoli, Luis Fernando Farah de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/03/2004 PT
Relevância na Pesquisa
36.74%
ANTECEDENTES: Sintomas somatoformes são freqüentes e estão associados com sofrimento mental na população geral e em diversos níveis de atenção. Grande parte da interações que subjazem a estas associações são pouco conhecidas ou mesmo desconhecidas. OBJETIVOS E MÉTODOS: A partir de revisão bibliográfica, investigar: a) a história dos quadros clínicos de somatização; b) suas diversas categorias segundo conceitos contemporâneos psiquiátricos e não-psiquiátricos (transtornos somatoformes, transtornos dissociativos-conversivos, síndrome da fadiga crônica, fibromialgia, síndrome do cólon irritável etc.); c) fatores associados e hipóteses etiológicas para estes fenômenos. Através de dados provenientes do Estudo de Área de Captação do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (Andrade et al., 1994) - um estudo transversal de morbidade física e psiquiátrica que entrevistou uma amostra representativa dos bairros paulistanos de Vila Madalena e Jardim América - explorar a prevalência e classificação de sintomas físicos relatados, em especial aqueles sem explicação médica (SEM). Avaliar através de regressão logística as associações entre: a) síndromes somatoformes e variáveis demográficas; b) síndromes somatoformes e uso de medicamentos e serviços de saúde; c) sintomas físicos de qualquer tipo (QT) e SEM com variáveis demográficas; e d) sintomas físicos QT e SEM com transtornos mentais. Pesquisar...

Percepção dos sintomas e sofrimento no fim da vida das crianças com câncer e repercussões nos cuidadores; Symptom perception and end of life suffering of cancer children and the repercussion on caregivers

Boldrini, Erica
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
36.74%
Introdução: Apesar do progresso da oncologia pediátrica, ainda existem pacientes que não atingem a cura. Estudos mostram que estes recebem tratamento agressivo no fim da vida, sem controle efetivo dos sintomas, com sofrimento significativo. O cuidador familiar é fonte preciosa de informações conforme a morte da criança se aproxima. No entanto, as impressões parentais podem não refletir precisamente a experiência da criança, pois presenciar sofrimento pressupõe sofrimento. Talvez isso explique a discordância entre o relato dos pais e os registros médicos. A convivência com o sofrimento do filho morrendo permanece gravado na memória dos pais. Acreditar que o filho morreu sofrendo pode levar a morbidade psicológica e interferir no futuro deles. Avaliou-se a percepção dos pais sobre os sintomas que afetaram o bem estar dos seus filhos no fim da vida, comparou-se com os dados da equipe médica e relacionaram-se as circunstâncias em que a morte ocorreu com transtornos de humor e presença de luto complicado. Material e métodos: em 2012 entramos em contato com 250 famílias que perderam o filho no período de 2000 a 2010, em um Hospital especializado, no interior do Brasil, que realiza atendimento através do sistema governamental. A pesquisa foi conduzida através de questionários auto-aplicáveis enviados pelos correios. Resultados: tivemos a participação de 60 cuidadores com tempo de luto variando entre 14 e 80 meses. Esses relataram média de 12 sintomas que afetaram o bem estar dos filhos na última semana de vida...

Sintomas da menopausa em mulheres infectadas pelo HIV : prevalencia e fatores associados

Carlos Eduardo Ferreira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.77%
Objetivo: o objetivo deste estudo foi avaliar as características sócio-demográficas, a prevalência de sintomas da menopausa na mulher HIV positiva e fatores associados a tais sintomas comparando com grupo controle. Foram analisados: características dessa população (idade, raça, escolaridade, autopercepção de saúde, status menopausal, estado civil, paridade, tabagismo, uso de drogas, uso de antiretrovirais, índices de CD4, índice de massa corpórea, aposentadoria e comportamento de risco para DST), a prevalência de sintomas da menopausa (Vasomotores, psicológicos, sexuais, genito-urinários, palpitações, artralgias e insônia) e fatores associados com tais sintomas. Foi realizado um estudo corte transversal de mulheres no climatério divididas em 96 mulheres HIV positivas e 155 mulheres HIV negativas. Os critérios de inclusão foram: ter 40 anos ou mais e ser brasileira. O critério de exclusão usado foi o uso de Terapia de Reposição Hormonal há menos de seis meses. A prevalência dos sintomas foi estudada nas variáveis de controle e nas demais variáveis dependentes através do teste de qui-quadrado. A prevalência de um ou mais sintomas foi avaliada multivariadamente através de medidas repetidas pela técnica de GEE - estimação de equação generalizada e calculado o valor do Odds Ratio ajustado pelas variáveis de controle. O nível de significância assumido foi de 5% e o software utilizado para análise foi o SAS versão 9.01. Resultados: A média de idade das mulheres com HIV e sem HIV foi de 48...

Prevalência dos sintomas otológicos na desordem temperomandibular: estudo de 126 casos

Pascoal,Maria I. N.; Rapoport,Abrão; Chagas,José F. S.; Pascoal,Maria B.N.; Costa,Claudiney C.; Magna,Luis Antonio
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2001 PT
Relevância na Pesquisa
36.72%
Introdução: A presença de sintomas otológicos associados à desordem temporomandibular (DTM) é discutida há seis décadas; entretanto, sua etiologia ainda permanece obscura. Forma de estudo: Prospectivo clínico randomizado. Objetivo: Neste estudo foram avaliadas a prevalência de sintomas otológicos na DTM, sua correlação com a dor muscular e a ausência de dentes posteriores. Material e Método: Foram avaliados 126 pacientes portadores de DTM, através de questionário subjetivo dos sintomas, palpação dos músculos de mastigação, temporal, masséter, pterigóideo lateral, pterigóideo medial, digástrico, tendão do músculo temporal e dos músculos esternocleidomastóideo e trapézio. Foram feitas radiografias panorâmica e transcraniana e modelos de gesso das arcadas superior e inferior dos pacientes. Os dados obtidos foram analisados através do Teste Exato de Fisher, com percentil de significância menor que 0,05. Resultados: Houve presença de sintomas otológicos em 80% dos pacientes, sendo que 50% apresentavam dor referida em ouvido; 52%, plenitude auricular; 50%, tinitus; 34%, tontura; 9%, sensação de vertigem; e 10% relataram hipoacusia. O músculo pterigóideo lateral foi o músculo mais sensível em 94% dos pacientes...

Desordem Temporomandibular: relações entre sintomas otológicos e orofaciais

Felício,Cláudia Maria de; Faria,Tatiana Gontijo; Silva,Marco Antonio Moreira Rodrigues da; Aquino,Antônio Maria Claret Marra de; Junqueira,Cinthia Amorim
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
36.75%
Os sintomas otológicos são freqüentes em pacientes com desordem temporomandibular, e estudos são necessários para elucidar os mecanismos envolvidos. OBJETIVO: O objetivo desse estudo clínico foi investigar a associação de sintomas otológicos (otalgia, zumbido e plenitude auricular) com os achados audiológicos, os outros sinais/sintomas relacionados à desordem temporomandibular, e os hábitos parafuncionais orais. FORMA DE ESTUDO: Prospectivo clínico. MATERIAL E MÉTODO: 27 pacientes com desordem temporomandibular, da Clínica de Oclusão da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, responderam um questionário sobre sinais, sintomas e hábitos orais, e passaram por avaliações otorrinolaringológica e audiológica. Os dados foram analisados pelos testes Binomial, Exato de Fisher e correlação produto-momento de Pearson. O índice de significância adotado foi p<0,05. RESULTADOS: Os sintomas otológicos foram presentes em 88,88% dos pacientes (59,26% apresentavam otalgia, 74,07% zumbido e 74,07% plenitude auricular). Não houve associação significante entre os sintomas otológicos e os achados audiológicos. Houve associação significante entre os sintomas otológicos e os movimentos mandibulares e funções (falar...

Sintomas de conteúdo religioso em pacientes psiquiátricos

Dantas,Clarissa de Rosalmeida; Pavarin,Lilian Bianchi; Dalgalarrondo,Paulo
Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP Publicador: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1999 PT
Relevância na Pesquisa
36.74%
INTRODUÇÃO: Vários trabalhos têm identificado a importância da religiosidade na vida pessoal, nas relações sociais, nas atitudes e representações relacionadas a saúde e doença, assim como na composição dos sintomas psiquiátricos. Poucos estudos empíricos em nosso meio têm investigado as relações entre religiosidade e perfil psicopatológico. OBJETIVO: O presente trabalho visa avaliar fatores socioculturais e sintomas psicopatológicos gerais associados à presença e intensidade de sintomas com conteúdos religiosos ou místicos. MÉTODO: Foram estudadas 200 internações consecutivas na unidade psiquiátrica da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). As escalas de avaliação de sintomas psicopatológicos foram: BPRS-forma expandida e o GAS, acrescentando-se um item referente a sintomas religiosos, o qual explicitamente solicitava ao avaliador que verificasse a presença e intensidade de sintomas de conteúdo religioso. O nível de significância estatística considerado foi p<0,01. RESULTADO: Sintomas religiosos com grau de intensidade moderado a muito intenso estiveram presentes em 15,7% dos casos (n=28). Não foram encontradas relações significativas entre presença e intensidade de sintomas religiosos e as seguintes variáveis socioculturais: filiação religiosa...

Sintomas indicativos de disfagia em portadores de DPOC

Chaves,Rosane de Deus; Carvalho,Celso Ricardo Fernandes de; Cukier,Alberto; Stelmach,Rafael; Andrade,Claudia Regina Furquim de
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.77%
OBJETIVO: Identificar os sintomas indicativos de disfagia em indivíduos portadores de DPOC a partir de um questionário de autopercepção. MÉTODOS: Foram avaliados 35 indivíduos portadores de DPOC e 35 indivíduos sem a doença pareados por gênero e idade. O grupo de estudo foi avaliado quanto a gravidade da doença, sensação de dispneia, índice de massa corpórea (IMC) e sintomas de disfagia. O grupo controle foi avaliado quanto a IMC e sintomas de disfagia. RESULTADOS: Os sintomas mais frequentes de disfagia apresentados pelos participantes do grupo de estudo foram sintomas faríngeos/proteção de vias aéreas (p < 0,001), sintomas esofágicos/histórico de pneumonia (p < 0,001) e sintomas alimentares (p < 0,001). As seguintes variáveis apresentaram correlações positivas: VEF1 e IMC (r = 0,567; p < 0,001); sintomas faríngeos/proteção de vias aéreas e dispneia (r = 0,408; p = 0,015); e sintomas esofágicos/histórico de pneumonia e sintomas faríngeos/proteção de vias aéreas (r = 0,531; p = 0,001). Houve correlação negativa entre sintomas alimentares e IMC (r = -0,046; p < 0,008). CONCLUSÕES: Os resultados mostraram que os participantes com DPOC apresentaram sintomas de disfagia relacionados à fase faríngea e esofágica da deglutição; ao mecanismo de proteção das vias aéreas; ao histórico de pneumonia e aos sintomas alimentares.

Relação entre a magnitude de sintomas e a qualidade de vida: análise de agrupamentos de pacientes com câncer de pulmão no Brasil

Franceschini,Juliana; Jardim,José Roberto; Fernandes,Ana Luisa Godoy; Jamnik,Sérgio; Santoro,Ilka Lopes
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.76%
OBJETIVO: Muitas vezes pacientes com câncer de pulmão vivenciam mudanças físicas e psicossociais profundas que resultam da progressão da doença ou dos efeitos colaterais do tratamento. Fadiga, dor, dispneia, depressão e distúrbios do sono parecem ser os sintomas mais comuns nesses pacientes. O objetivo deste estudo foi examinar a prevalência de sintomas em pacientes com câncer de pulmão a fim de identificar subgrupos (clusters) de pacientes, agrupados de acordo com a magnitude dos sintomas, bem como comparar os subgrupos quanto à qualidade de vida. MÉTODOS: Estudo transversal utilizando agrupamento hierárquico aglomerativo. Foram avaliadas as características demográficas de 50 pacientes com câncer de pulmão, bem como sua pontuação em três questionários de qualidade de vida: o 30-item European Organization for Research and Treatment of Cancer Core Quality of Life Questionnaire (EORTC QLQ-C30), o Functional Assessment of Cancer Therapy-Lung e o Medical Outcomes Study 36-item Short-form Survey. A análise de agrupamentos (clusters) levou em conta a magnitude dos sintomas de maior prevalência de acordo com as escalas de sintomas do EORTC QLQC-30; esses sintomas foram fadiga, dor, dispneia e insônia. RESULTADOS: Foram identificados três agrupamentos (subgrupos) de pacientes...

Sinais e sintomas autonômicos óculonasais na migrânea e na cefaleia em salvas

da Conceição Filgueira Sampaio, Maria; Moraes Valença, Marcelo (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.72%
Migrânea é uma cefaleia primária e incapacitante. Sintomas autonômicos podem ser encontrados durante crises de migrânea e são pouco mencionados na literatura. Objetivou-se verificar a frequência dos sintomas autonômicos nas crises de migrânea. O estudo foi de série de casos, os dados coletados dos prontuários de consultório privado do orientador Prof. Wilson Farias da Silva e do ambulatório de cefaleia do Hospital das Clínicas da UFPE no período de julho de 2005 a julho de 2008. Incluídos os pacientes com diagnóstico de migrânea com e sem aura e com cefaleia em salvas, de acordo com os critérios da Sociedade Internacional de Cefaleia. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética do CCS-UFPE. Os dados foram analisados pelo SPSS 15.0. Foram selecionados 668 pacientes migranosos, desses 266 (39,8%) apresentaram sintomas autonômicos fazendo parte das manifestações clinicas das crises de migrânea. Dos sinais e sintomas autonômicos óculo-nasais: hiperemia conjuntival 125 (18,7%) sendo 102 do gênero feminino, lacrimejamento 110 (16,5%), foram 93 do gênero feminino; edema de pálpebra 71(10,6%) sendo 63 mulheres, rinorreia 21 (3,1%), 18 mulheres, obstrução nasal 33 (4,9%), 25 mulheres. A aura foi encontrada em 157/668 (23...

Efetividade de duas modalidades de equipe de cuidado no controle de sintomas em pacientes com câncer avançado; Effectiveness of two modalities of team care in symptoms control in patients with advanced cancer.

Silva, Magda Aparecida dos Santos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.8%
Introdução. Embora existam diferentes estratégias para a prestação de cuidados paliativos ao paciente com câncer, pouco se conhece sobre a efetividade desses modelos. Objetivos. Comparar os efeitos da equipe de cuidado paliativo integrada ao cuidado tradicional com o cuidado tradicional sozinho no controle de sintomas em paciente com câncer avançado hospitalizado. Método. Estudo longitudinal composto por dois grupos não randomizados. 73 pacientes foram admitidos para a equipe de cuidado paliativo integrada ao cuidado tradicional (Grupo ECP) e comparados a 75 atendidos no modelo de cuidado tradicional (Grupo CT). Os sintomas foram avaliados pela Escala de Avaliação de Sintomas de Edmonton (ESAS), a satisfação por escala numérica verbal (0-10), a funcionalidade pela Escala de Desempenho Funcional Físico Karnofsky (KPS) e a adequação analgésica pelo Índice de Manejo da Dor (IMD). Os pacientes foram avaliados na admissão, após 24 e 48 horas. O desfecho primário foi a melhora clinica significativa de 2 pontos na intensidade da dor e da náusea em 48 horas, comparados com a admissão. Os dados demográficos, os sintomas e sua redução foram comparados entre os Grupos pelo Teste Exato de Fisher ou Mann Whitney. O Teste de Wilcoxon analisou alterações dos sintomas intragrupos. A regressão múltipla de Poisson controlou fatores de confusão para a melhora do sintoma. O nível de significância adotado foi de 5%. Resultados. A prevalência de sintomas foi alta em ambos os grupos: no Grupo ECP a variação foi de 43.8% (depressão) a 87.7% (sensação de bem estar)...

Concentração dos marcadores séricos e presença de sintomas específicos em mulheres com ou sem massas anexiais = : Concentration of serum markers and presence of specific symptoms in women with or without adnexal masses; Concentration of serum markers and presence of specific symptoms in women with or without adnexal masses

Denise da Rocha Pitta Lima de Moraes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.78%
Objetivo: Avaliar a acurácia da mesotelina, CA125, HE4 e índice ROMA na diferenciação de mulheres brasileiras com tumores malignos de ovário daquelas com tumores benignos e ou mulheres saudáveis, e avaliar se os sintomas específicos relatados pelas mulheres podem ser usados em associação à expressão desses marcadores séricos, na diferenciação pré-operatória de neoplasia maligna de ovário. Sujeitos e Métodos: Neste estudo de corte transversal foram incluídas 199 mulheres com massa anexial (67 com tumores malignos e 132 com tumores benignos) e 150 mulheres saudáveis. Todas as mulheres com massa anexial, atendidas no hospital do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Faculdade de Medicina da UNICAMP, foram convidadas a participar do estudo. Um grupo-controle, de mulheres saudáveis atendidas nos ambulatórios de menopausa e planejamento familiar no mesmo hospital, foi selecionado. Após uma explicação sobre os métodos e objetivo da pesquisa, todas as mulheres responderam o questionário com relação aos sintomas específicos. Foram coletados dados sobre a idade e índice de massa corpórea e sangue periférico para quantificação da mesotelina, o CA125 e a HE4. Foi usado o algoritmo de particionamento recursivo baseado no modelo de regressão linear para verificar a contribuição da idade e de cada marcador sérico no diagnóstico de tumores malignos. Foram comparadas as áreas sob as curvas (AUCs) obtidas através das curvas ROC (Receiver Operator Characteristics) de cada marcador sérico e índice ROMA...

Sintomas somatoformes em Medicina Geral e Familiar

Nunes, José Manuel Mendes 
Fonte: Faculdade de Ciências Médicas. UNL Publicador: Faculdade de Ciências Médicas. UNL
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.78%
RESUMO: Os doentes que vão à consulta com sintomas físicos para os quais o médico não encontra uma causa orgânica, são frequentes na Medicina Geral e Familiar, embora não sejam específicos, e são o objecto de estudo do presente trabalho. Não deixar uma doença por diagnosticar (erro de tipo II) sem contudo rotular pessoas saudáveis como doentes (erro de tipo I) é um dos mais difíceis problemas da prática clínica diária e para o qual não existe uma orientação infalível e não é previsível que alguma vez venha a existir. Mas se o diagnóstico de doença ou não-doença é difícil, o tratamento dos que não tem doença, embora com sofrimento, também não é mais fácil, sobretudo, se estivermos conscientes do sofrimento que determina a medicalização e a iatrogenia. O presente trabalho está estruturado em 3 partes. Na primeira parte descrevemos a nossa visão integrada do que apreendemos da leitura da literatura publicada e à qual tivemos acesso. À semelhança do que se verifica na maioria das áreas da Medicina esta é também uma em que o conhecimento cresce a ritmo exponencial. No entanto, à falta de conceitos precisos e de definições consensuais sucede um conhecimento, por vezes, pouco consistente...

The Importance of Evaluating Symptoms and Functional Alterations in Chronic Neurological Diseases: Experiences in Palliative Care and Rehabilitation at a Colombian Institution; La importancia de evaluar síntomas y alteraciones funcionales en enfermedades neurológicas crónicas: experiencia en cuidado paliativo y rehabilitación en una institución colombiana; A importância da avaliação de sintomas e limitações funcionais nas doenças neurológicas crônicas: experiência em cuidados paliativos e de reabilitação em uma instituição na Colõmbia

León-Delgado, Marta Ximena; Universidad de La Sabana; Flórez-Rojas, Sandra Patricia; Universidad de La Sabana; Torres, Marcela; Universidad de La Sabana; Rengifo-Varona, María Leonor; Clínica Universitaria Teletón; Prada, Diana; Clínica de la Polic
Fonte: Aquichan Publicador: Aquichan
Tipo: Artigo de Revista Científica
SPA
Relevância na Pesquisa
36.76%
There is an increase in the prevalence of neurological diseases and the burden they impose. Therefore, identifying the frequency of symptoms and the functional alterations is of paramount importance to develop an adequate treatment plan. A cross-sectional study was carried out to pinpoint the main symptoms and functional alterations in neurological patients at a rehabilitation center in Colombia. The five most frequent symptoms and functional alterations identified were: walking disorders (65.5%), communication disorders (36.98%), memory and emotional alterations (38%), pain (29.45%), and alterations in activities of daily living (24.3%). Fifty percent of the patients who reported pain, 30% of those who complained of insomnia, and 80% of those who mentioned constipation did not receive treatment during the first consultation. Some of the identified symptoms are not characteristics that define the disease, and are not always the subject of intervention. The results of this study can contribute to recognition of the burden of the symptoms of neurological diseases, by making health professionals more aware of the importance of palliative care for patients with non-oncological progressive diseases.; Existe un incremento en la prevalencia de enfermedades neurológicas y su carga de enfermedad. Debido a ello...

Defeito cognitivo, sintomas de depressão e satisfação com a vida em idosos sob resposta social do concelho de Coimbra

Pena, Inês Torres
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
36.76%
Sabe-se que a depressão se relaciona com o declínio e ambos, em conjunto, constituem um risco para a demência. A revisão da literatura, no entanto, não responde à questão: a depressão aumentará o risco para o defeito cognitivo e a satisfação com a vida, por oposição, diminuirá esse risco? Estas questões nunca foram estudadas em Portugal. O nosso objectivo principal é, então, analisar a relação entre sintomas depressivos, satisfação com a vida e defeito cognitivo e averiguar qual o impacto dos sintomas depressivos e da satisfação com a vida no defeito cognitivo. Dentro deste objectivo, queremos estudar a prevalência dos sintomas depressivos e da satisfação; averiguar a diferença nos sintomas depressivos e satisfação entre o grupo com defeito cognitivo e o grupo sem defeito cognitivo e saber quais os factores que contribuem para a relação entre as variáveis. Como metodologia, inquirimos 378 idosos com uma idade média de 80,17 anos (DP = 6,67), subdivididos em dois grupos que incluíram idosos com defeito cognitivo (n = 132) e idosos sem efeito cognitivo (n = 246), através do Mini-Mental State Examination (MMSE), da Geriatric Depression Scale (GDS), e da Satisfaction with Life Scale (SWLS). Verificámos uma baixa prevalência de defeito cognitivo...

Sintomas depressivos e defeito cognitivo em idosos sob resposta social do concelho de Coimbra

Carvalho, Diana Marisa Santos
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
36.72%
Contexto: O defeito cognitivo e os sintomas depressivos são duas das condições mais prevalentes entre a terceira idade, como tal merecem especial atenção. A associação entre defeito cognitivo e sintomas depressivos não está totalmente compreendida. Objectivos: O presente estudo teve como objectivo principal estudar a relação entre os sintomas depressivos e o defeito cognitivo em idosos. Metodologia: Este estudo insere-se num projecto de investigação de caracterização clínica e cognitiva de idosos sob resposta social que se encontra a decorrer em todo concelho de Coimbra. A nossa amostra contém 383 idosos, estes foram divididos em duas subamostras: idosos com defeito cognitivo (n =133 ) e sem defeito cognitivo (n = 250). Na recolha dos dados utilizámos a Geriatric Depression Scale (GDS) para avaliar os sintomas depressivos, o Mini Mental State Examination (MMSE) para determinar a presença de defeito cognitivo, e, para verificar se os idosos simulavam as suas respostas, utilizou-se o Rey-15 Item Test. Resultados: A maioria dos idosos na nossa investigação é analfabeta ou tem o ensino básico primário (86,1%) e tem uma idade média de 80,11 (DP = 6,73). Verificou-se uma elevada prevalência de sintomas depressivos...

Declínio Cognitivo, Sintomas Ansiosos e Depressivos: estudo em idosos sob resposta social no Concelho de Coimbra

Gonçalves, Ana Rita Branco Miguel
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
36.78%
O nosso estudo teve como objectivo verificar se existe relação entre sintomas ansiosos, sintomas depressivos e declínio cognitivo em idosos sob resposta social no concelho de Coimbra. Nesta análise iremos controlar o papel das variáveis sociodemográficas que habitualmente se associam ao declínio cognitivo. Foi igualmente nosso objectivo verificar a prevalência dos sintomas ansiosos, dos sintomas depressivos e do declínio cognitivo em idosos que frequentam centros de dia e em idosos que residem em lares. A nossa amostra contou com a participação de 300 idosos, com idades compreendidas entre os 65 e os 100 anos. A amostra foi dividida em duas subamostras: com declínio cognitivo (n = 248) e sem declínio (n = 52). Na recolha dos dados usámos o Geriatric Anxiety Inventory (GAI) para a avaliação dos sintomas ansiosos; a Geriatric Depression Scale (GDS) para a avaliação dos sintomas depressivos; para avaliação do declínio cognitivo o Montreal Cognitive Assessment (MoCA) e para a avaliação da simulação o Rey-15 Item (15-IMT). Os sintomas ansiosos e os sintomas depressivos apresentaram uma média superior à encontrada em estudos anteriores. Os idosos analfabetos e com escolaridade inferior a quatro anos apresentaram...

Influencia de los factores emocionales sobre el informe de síntomas somáticos en pacientes en hemodiálisis crónica: relevancia de la ansiedad

Perales-Montilla,Carmen M.; Duschek,Stefan; Reyes-del Paso,Gustavo A.
Fonte: Nefrología (Madrid) Publicador: Nefrología (Madrid)
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/01/2013 SPA
Relevância na Pesquisa
36.74%
Objetivo: Evaluar la prevalencia de distintos tipos de síntomas somáticos en pacientes en hemodiálisis crónica en comparación con un grupo control y analizar la capacidad predictiva de algunas variables psicológicas (ansiedad, depresión, apoyo social, autoeficacia y estrategias de afrontamiento) sobre el informe de estos síntomas. Método: Cuarenta y seis pacientes en tratamiento con diálisis y 30 personas sin enfermedad relevante equiparadas en variables sociodemográficas fueron evaluadas mediante medidas de autoinforme. Las relaciones entre los síntomas somáticos y las variables consideradas como predictoras se analizaron mediante correlaciones bivariadas y análisis de regresión múltiple. Resultados: Los pacientes mostraron niveles de síntomas somáticos muy por encima de los valores obtenidos en el grupo control, especialmente en síntomas inmunológicos, cardiovasculares, gastrointestinales y de piel-alergia. La ansiedad, con una asociación positiva, es el principal predictor independiente de la mayoría de las categorías de síntomas, llegando a explicar el 24,9 % (p < 0,0001) de la varianza en el total de síntomas informados. La depresión, el grado de preocupación y las estrategias de afrontamiento pasivo (indefensión-desesperanza y fatalismo) también se asociaron a mayores niveles de síntomas somáticos. Por el contrario...

Prevalencia y evaluación de síntomas en enfermedad renal crónica avanzada

Gutiérrez Sánchez,Daniel; Leiva-Santos,Juan P.; Sánchez-Hernández,Rosa; Gómez García,Rafael
Fonte: Enfermería Nefrológica Publicador: Enfermería Nefrológica
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/09/2015 SPA
Relevância na Pesquisa
36.76%
El paciente con enfermedad renal crónica avanzada (ERCA) presenta una elevada carga de síntomas que contribuyen a un aumento del sufrimiento y disminuyen su calidad de vida. El uso de instrumentos de evaluación es esencial para el control de síntomas. El objetivo de esta revisión es obtener una visión contrastada de los instrumentos más usados para evaluar síntomas en ERCA, realizando una descripción de la prevalencia de síntomas en esta población. Método: Se realizó una revisión de la literatura publicada sobre estudios en los que se utilizara algún instrumento para medir la intensidad de varios síntomas en pacientes con ERCA. La búsqueda se realizó en Pubmed, Cochrane, SciELO, TESEO, PROQOLID y BiblioPRO. Los criterios de inclusión fueron: estudios realizados con pacientes en ERCA, que evaluaran la sintomatología con algún instrumento de medición de síntomas, y que además, indicaran la prevalencia de varios síntomas. Resultados: Los instrumentos identificados fueron el Memorial Symptom Assessment Scale Short Form(MSAS-SF), el Dialysis Symptom Index (DSI), el Edmonton Symptom Assessment System (ESAS) y el Palliative care Outcome Scale-Symptoms Renal (POS-S RENAL). En pacientes adultos con ERCA sometidos a tratamiento renal sustitutivo con hemodiálisis y diálisis peritoneal...

Prevalencia de síntomas del tracto urinario inferior en pacientes con síndrome de vejiga hiperactiva: Manejo del paciente en la práctica clínica habitual

Arlandis Guzmán,Salvador; García Matres,María Justa; González Segura,Diego; Rebollo,Pablo
Fonte: Actas Urológicas Españolas Publicador: Actas Urológicas Españolas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/09/2009 SPA
Relevância na Pesquisa
36.72%
Introducción: El control de los síntomas de vejiga hiperactiva (VH), sin agravar los síntomas de vaciado, se ha convertido en un importante objetivo terapéutico al tratar los síntomas de tracto urinario inferior (STUI) asociados a la hiperplasia benigna de próstata. El objetivo del presente estudio fue conocer, en pacientes con síntomas de VH, la prevalencia de otros STUI asociados. Material y métodos: Estudio epidemiológico observacional, transversal, multicéntrico, llevado a cabo en consultas/servicios de urología españoles. Se incluyó a varones mayores de 40 años que acudieron a consulta de urología con síntomas de llenado compatibles con VH. Se recogieron datos de los pacientes a partir de la historia clínica (demográficos, patologías prostáticas, otras patologías urológicas y concomitantes, datos de VH y otros STUI, datos de métodos diagnósticos y tratamientos) y de la entrevista con el paciente (cuestionario I-PSS). Resultados: Se incluyó a un total de 1.754 sujetos en el estudio. La media ± DE de edad de los pacientes fue 65,4 ± 9,7 años. El 74,2% de los pacientes presentaba alguna patología prostática, sobre todo hiperplasia benigna de próstata (90,6%); el 8,4%, otras patologías urológicas y el 67...