Página 1 dos resultados de 4612 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

A sexualidade do adolescente: a perspectiva do profissional de enfermagem dos cuidados de saúde primários

Brás, Manuel
Fonte: ICBAS Publicador: ICBAS
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.24%
A sexualidade humana é algo indissoluvelmente ligado à natureza humana, sendo tão primitiva quanto ela, evoluindo tal como o próprio homem, adaptou-se à sua complexidade e realidade. Por aquela ocorrer regra geral na intimidade, os pontos de referência são raros e com frequência distorcidos. Exactamente por este motivo o comportamento sexual é, pensamos, terreno fértil para a existência de inúmeros tabus. Em pleno século XXI, teima em ser tema de difícil abordagem, pois persiste a existência de um conjunto de factores que condicionam e que também inibem a expressão dos pensamentos e atitudes bem como das próprias práticas (Sousa Brigite Lopes; Ferreira Sandra Jorge 2003; Vaz J. Machado et al., 2007). Optamos por esta temática porque à semelhança de Almeida, (1996:19) “constitui um desafio, uma vez que reflectir sobre esta esfera do conhecimento é quase como apostar numa corrida contra o tempo, principalmente se tivermos consciência das rápidas transformações das vivências, dos conceitos e dos discursos que se prendem quer com a sexualidade quer com a adolescência”. A informação sexual dos adolescentes é regra geral reduzida e não raras vezes incorrecta. Muita da informação que os jovens conseguem...

Opiniões e atitudes em relação à sexualidade: pesquisa de âmbito nacional, Brasil 2005; Opinions and attitudes regarding sexuality: Brazilian national research, 2005

PAIVA, Vera; ARANHA, Francisco; BASTOS, Francisco I; Grupo de Estudos em População, Sexualidade e Aids
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.95%
OBJETIVO: Descrever opiniões e atitudes sobre sexualidade da população urbana brasileira. MÉTODOS: Inquérito de base populacional realizado em 2005, em amostra representativa de 5.040 entrevistados. Realizou-se análise das atitudes diante da iniciação e educação sexual de adolescentes, considerando sexo, idade, escolaridade, renda, estado civil, religião, cor, região geográfica e opiniões sobre fidelidade, homossexualidade e masturbação. Os resultados foram contrastados com pesquisa similar realizada em 1998, sempre que possível. RESULTADOS: A maioria dos entrevistados escolheu como significado para o sexo a alternativa: "sexo é uma prova de amor". Como em 1998, a maioria manifestou-se pela iniciação sexual dos jovens depois do casamento (63,9% para iniciação feminina vs. 52,4% para a masculina), com diferenças entre praticantes das diversas religiões. A educação escolar de adolescentes sobre o uso do preservativo foi apoiada por 97% dos entrevistados, de todos os grupos sociais. Foi elevada a proporção de brasileiros que concordaram com o acesso ao preservativo nos serviços de saúde (95%) e na escola (83,6%). A fidelidade permaneceu um valor quase unânime e aumentou, em 2005, a proporção dos favoráveis à iniciação sexual depois do casamento...

A sexualidade no cuidado de enfermagem de mulheres com câncer ginecológico e mamário; Sexuality in nursing care for women with gynecological and breast cancer

Ferreira, Simone Mara de Araujo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.17%
Trata-se de um estudo qualitativo que teve como objetivo analisar se a sexualidade é uma das dimensões do cuidado de enfermagem nas mulheres com câncer ginecológico e mamário, num hospital universitário. A coleta de dados foi realizada empregando-se como fontes de informação a entrevista individual semiestruturada. Foram entrevistadas 16 profissionais da equipe de enfermagem, sendo nove alocadas na Seção de Enfermagem da Unidade de Ginecologia e sete no Ambulatório de Mastologia e Oncologia Ginecológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Utilizouse o referencial metodológico da análise de conteúdo, e o suporte teórico de análise dos dados foi a sexualidade como construção sociocultural. Os dados foram codificados, inicialmente, em dois núcleos de sentido. A partir desses dois núcleos de sentido, foram construídas quatro unidades temáticas: "A doença e a sexualidade da mulher: reconhecendo o problema"; "A sexualidade como dimensão do cuidado de enfermagem"; "Identificando barreiras na abordagem da sexualidade" e "Reconhecendo a necessidade de reestruturação da assistência prestada". No primeiro núcleo temático, destacaram-se as percepções das profissionais de enfermagem em relação ao comprometimento da sexualidade da mulher acometida pelo câncer ginecológico e mamário. Reconhecendo que a vaidade é inerente ao sexo feminino e que as mulheres dão muita importância para a aparência física...

A roteirização da sexualidade por enfermeiras que cuidam de pacientes com câncer de mama; Scripting of sexuality by nurses providing care to patients with breast cancer

Junqueira, Lilian Claudia Ulian
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.21%
O acometimento pelo câncer de mama é acompanhado por diversos eventos estressores, que provocam uma série de mudanças imprevisíveis e não escolhidas na vida da mulher que está em tratamento, bem como na dos familiares envolvidos, podendo alterar a dinâmica relacional e a sexualidade. Algumas das preocupações comuns entre as pacientes são: o medo da morte que a doença suscita, o sentimento de inutilidade, a perda dos vínculos afetivos e, especialmente, a mutilação da mama, que é símbolo da feminilidade, sexualidade, erotismo, maternidade e identidade. No cenário do tratamento e da reabilitação, a enfermeira exerce papel importante no cuidado da mulher adoecida. Por essa razão, é relevante indagar como a profissional percebe as questões da sexualidade na assistência. Este estudo qualitativo, descritivo e exploratório teve por objetivo investigar os significados atribuídos à sexualidade e se (e como) essa dimensão é contemplada na prática profissional de enfermeiras (os) que cuidam de mulheres com câncer de mama. Participaram da pesquisa 31 enfermeiras e um enfermeiro, com experiência profissional em oncologia variando de dois a 25 anos de assistência a pacientes com câncer de mama, oriundos de diferentes instituições e contextos de saúde...

Sexualidade do Idoso: uma revisão sistemática da literatura; The Sexuality of the elderly: a systematic review of literatura

Souza, Mariana Paula de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/05/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.16%
A velhice se constitui de uma importante etapa da vida que é extremamente significativa, merecendo atenção e cuidados especiais, com possibilidades de continuidade das fontes de prazer, alegria e de felicidade. Assim, atingir a velhice implica nas diversas superações de etapas, obstáculos, percalços e momentos que conduzem a um amadurecimento maior, dadas as experiências vivenciadas. Embora podendo ser considerada, biologicamente, como uma regressão morfofuncional, esse processo afeta todos os sistemas fisiológicos principais, de forma variável. Entretanto, os sentimentos e as sensações não sofrem deterioração. Não impede o indivíduo de desfrutar a vida, de forma ativa e saudável, possibilitando também a praticar a sexualidade como pode e como queira. Mas, os preconceitos sofridos neste sentido, são muitos. A sociedade, sustenta o mito da fase assexuada, excluindo do imaginário, qualquer vivência da sexualidade entre eles, que por vezes, acreditam que a sexualidade nessa fase da vida já não faz mais sentindo. Assim, sentimos a necessidade de estudar e entender como os idosos percebem a sua própria sexualidade. Para desmitificar esse assunto que perpassa por preconceitos, mitos, tabus e crendices populares...

Onde "está" a sexualidade?: representação de sexualidade num curso de formação de professores

Balestrin, Patrícia Abel
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
Esta pesquisa teve como foco de análise representações de sexualidade presentes num Curso Normal noturno, de uma escola particular católica de Porto Alegre. Inserida no campo dos estudos feministas numa perspectiva pós-estruturalista, a pesquisa tomou como inspiração metodológica a etnografia e a produção de dados se deu a partir de observações sistemáticas ao longo de um semestre, análise documental e entrevistas individuais com as estudantes. A questão central da pesquisa - “Onde “está” a sexualidade num curso de formação de professoras?” - ampliou-se para a discussão de quando, onde e como a sexualidade entrava em cena naquele contexto escolar. Para tanto, foram criados três eixos analíticos que dizem do “currículo da sexualidade” neste curso: o “tempo” da sexualidade; o “espaço” da sexualidade e o “tom” da sexualidade. Esses três eixos se atravessam, e talvez seja possível afirmar que cada representação de sexualidade tem o seu tempo, o seu espaço e o seu tom para se fazer visível. Em relação ao primeiro eixo, enfatizo que, assim como é atribuído um “tempo da sexualidade” no curso (contando com uma aula específica sobre o tema), também na vida humana a sexualidade parece ter um tempo devido para aparecer...

Educação sexual em contexto escolar: uma intervenção contra a vulnerabilidade na vivência da sexualidade adolescente

Nelas, Paula Alexandra de Andrade Batista
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
A sexualidade estando presente desde o nascimento, na adolescência assume novo significado. Descobre-se o primeiro amor através de uma relação de intimidade e partilha de afectos, o corpo adquire um novo sentido, o grupo torna-se importante enquanto fonte de suporte, partilha de angústias e confiança, contribuindo para o desenvolvimento do adolescente. Na adolescência, perscrutam alguns factores de risco, nomeadamente a vivência da sexualidade de forma não informada e responsável, com repercussões para a saúde física e psicológica, pelo que é imperioso intervir através de programas formativos no âmbito da sexualidade que promovam vivência desta de forma responsável. São objectivos do estudo: Promover um modelo de intervenção formativa baseado no debate e reflexão crítica sobre sexualidade em contexto de sala de aula; Construir e validar instrumentos que permitam avaliar as atitudes face à sexualidade e ainda os conhecimentos dos adolescentes sobre reprodução, planeamento familiar e infecções de transmissão sexual; Testar a eficácia de um programa de intervenção formativo a nível dos conhecimentos sobre planeamento familiar, infecções de transmissão sexual, reprodução e atitudes face à sexualidade; Testar a efectividade do programa de intervenção formativo numa amostra alargada de adolescentes...

Das representações sociais sobre a sexualidade dos Estudantes do 1º Ano do Curso de Enfermagem

Dias, Hélia; Sim-Sim, Margarida
Fonte: UIIPS Publicador: UIIPS
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
37.19%
A sexualidade é caraterizada, enquanto conceito, por uma polissemia. Como objeto de estudo tem sido tratada sob diversas perspetivas, as mais marcantes centram-se no domínio biológico, bem como, no domínio psicossocial, relevando deste, uma visão da sexualidade como uma construção social e histórica produzida sobre as caraterísticas biológicas. Na enfermagem, a investigação sobre a sexualidade é recente. Os estudos mostram, ainda, este tema como um tabu que tem sido percecionado e reproduzido, não se tendo encontrado uma forma consistente de incorporar uma reflexão que seja promotora de competências para cuidar no âmbito da sexualidade. A partir da questão “Qual o universo semântico da representação sobre sexualidade dos estudantes de enfermagem do 1º ano do curos de enfermagem – 1º ciclo?”, desenvolveu-se um estudo exploratório com o objetivo de identificar o universo semântico do conceito de sexualidade na representação social dos estudantes de enfermagem do 1º ano do curso de enfermagem. Participaram 180 estudantes. Foi utilizado o teste de associação livre de palavras, recorrendo-se ao estímulo “a sexualidade é…”. O tratamento dos dados seguiu a análise descritiva e de conteúdo propostas por Bardin (2008). As palavras associadas à sexualidade foram organizadas nas dimensões: psicológica...

Caça aos homens disponíveis: corpo, gênero e sexualidade na biossociabilidade gay online

Zago,Luiz Felipe
Fonte: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ) Publicador: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.89%
O artigo é uma reflexão que articula os conceitos de biossociabilidade, armário e sexualidade como forma de analisar os usos que vêm sendo feitos de sites de relacionamento voltados para homens gays na internet. A partir de dados produzidos através da observação participante em dois sites, procura-se apontar os modos emblemáticos de exibição e descrição dos corpos nos perfis de usuários, delineando novas significações para o "assumir-se" gay nesse contexto. Nesta biossociabilidade online, a metáfora do armário adquire novos contornos: criam-se situações de intensa visibilidade e exposição dos corpos e, ao mesmo tempo, de insidiosa vigilância acerca da discrição da sexualidade gay.

A terceira onda sexológica: medicina sexual e farmacologização da sexualidade

Russo,Jane A.
Fonte: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ) Publicador: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
47%
Este artigo pretende discutir a passagem da "segunda onda sexológica", que surge em meados do século XX, para uma terceira fase representada pela Medicina Sexual, cujo surgimento data da última década do século. Analisa-se o surgimento da Medicina Sexual como parte de um processo mais amplo de "biologização" das concepções acerca do humano ao qual se concatena uma transformação importante do modo de atuação e produção da indústria farmacêutica. Dois pontos cruciais na passagem da segunda sexologia para a Medicina Sexual serão abordados: a reconfiguração médica da impotência através da construção e da difusão do diagnóstico de "disfunção erétil" e os efeitos disto para a sexualidade masculina; a mudança de foco da sexualidade feminina ou do casal para a sexualidade masculina e suas consequências. O objetivo mais amplo do artigo é apresentar e discutir a medicalização da sexualidade masculina e seu significado no que diz respeito às relações de gênero.

Novas tecnologias de intervenção na sexualidade: o panorama latino-americano

Rohden,Fabíola; Russo,Jane; Giami,Alain
Fonte: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ) Publicador: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
47%
Este artigo busca refletir sobre o desinteresse pela área que congrega estudos e intervenções clínicas sobre a sexualidade por parte dos estudiosos críticos da sexualidade como campo político na América Latina. Iniciamos com um panorama sobre as sexualidades e as políticas na América Latina e, em seguida, apresentamos um panorama histórico do campo da sexologia e da medicina sexual na região. Procuramos argumentar que considerar a medicalização da sexualidade apenas como uma forma da sua despolitização deixa de lado aspectos importantes do processo, em especial no que diz respeito à produção de novos sujeitos na esfera do consumo. Em nossas conclusões realizamos uma reflexão crítica acerca do crescente consumo de biotecnologias na esfera da sexualidade e das concepções que lhes são subjacentes, buscando ressaltar seu aspecto eminentemente político.

Gênero, sexualidade e swing: a ressignificação de valores através da troca de casais

Silvério,Maria
Fonte: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ) Publicador: Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM/IMS/UERJ)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
46.8%
O objeto de estudo deste artigo é o swing, também chamado de troca de casais. Pretende-se compreender questões fundamentais que norteiam este universo no que diz respeito à sexualidade e às identidades de gênero dos praticantes. A análise é feita a partir de trabalho de campo realizado em um clube de swing na região de Lisboa e em entrevistas com seis casais adeptos da prática. Procura-se entender de que maneira as identidades de gênero e sexuais são reproduzidas, ressignificadas ou negadas no swing, bem como o que caracteriza a feminilidade e a masculinidade neste universo. Esta pesquisa também aponta algumas particularidades da troca de casais não apenas para o relacionamento afetivo-sexual, mas também para os indivíduos envolvidos.

Viv??ncias da sexualidade de idosos (as)

Rodrigues, Luiz Carlos Barbosa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
Disserta????o(mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande, Programa de P??s-Gradua????o em Enfermagem, Escola de Enfermagem, 2008.; A viv??ncia da sexualidade na velhice nada mais ?? do que a continua????o de um processo que se iniciou na inf??ncia. A gera????o atual de idosos (as) construiu seus conceitos atrav??s de experi??ncias vividas em uma educa????o repressora presente na cultura da ??poca. Este estudo teve como objetivo identificar e descrever a viv??ncia de idosos (as) acerca de sua sexualidade. Os pressupostos foram: Os(as) idosos(as) n??o diferenciam sexualidade e atividade sexual. 2) Na inf??ncia e adolesc??ncia os(as) idosos(as) n??o despertaram sua sexualidade. 3) Na juventude houve um despertar da sexualidade do(as) idosos(as). 4) Na maturidade/velhice os(as) idosos(as) v??m aproveitando mais sua sexualidade. Foi realizada uma pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa, tendo como local, uma associa????o de idosos (as) de um munic??pio do Sudoeste do Paran??. Os sujeitos do estudo totalizaram 4 (quatro) idosos (as), sendo 3 (tr??s) mulheres e 1 (um) homem, desta associa????o. Foi utilizado como t??cnica a entrevista gravada semi-estruturada, no domic??lio dos sujeitos da pesquisa, e como instrumento de coleta um roteiro de entrevista que possibilitou orientar a conversa com confiabilidade...

Sentidos produzidos sobre a sexualidade por mulheres com paraplegia congênita

Alves, Silvia Rodrigues Cavalcanti; Ferreira, Sandra Patrícia Ataíde (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
37.18%
As pessoas com deficiência e as mulheres compõem grupos minoritários que historicamente foram alvo de discriminação. Dessa forma, quando a questão das pessoas com deficiência é somado à questão do gênero, essas sofrem uma dupla marginalização devido aos preconceitos sexuais e pelas dificuldades causadas pela deficiência, que ainda carrega um estigma social que se reflete em vários âmbitos da vida e, logo, também no plano da sexualidade. Assim, as pessoas com deficiência tendem a ser consideradas como homogêneas assexuadas. A falta de informação acerca da sexualidade de tais pessoas alimenta a crença de que deficiência e sexualidade são incompatíveis, sendo forte a ideia de que a pessoa com deficiência não vivencia sua sexualidade, principalmente, quando essa deficiência é a paraplegia, por envolver os membros inferiores (onde se localiza os órgãos genitais). Entretanto, há muito que se desconstruir sobre tais concepções, primeiramente, porque a sexualidade não se resume ao ato sexual nem se localiza unicamente nos órgãos sexuais. Além disso, não há nenhuma evidência que relacione a paraplegia (ou qualquer outro tipo de deficiência) à falta de desejo sexual. Percebe-se que há uma escassez de estudos que abordem conjuntamente as questões do gênero e da sexualidade das pessoas com deficiência...

A autopercepção de corpo e sexualidade em idosos

Flôres, Cristiano da Costa
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.17%
INTRODUÇÃO: O envelhecimento é definido como um processo fisiológico decorrente da passagem do tempo, resultando em alterações biológicas, sociais, psicológicas e na sexualidade do indivíduo. A sexualidade é um conceito abrangente, envolvendo um universo subjetivo, além do ato sexual em si. A sexualidade envolve o indivíduo como um todo e não se esgota com o processo de envelhecimento, apenas se modifica. Observa-se no entanto a existência de um mito com relação a sexualidade na velhice, limitando as abordagens em saúde, convívio familiar e a abordagem do tema pelo próprio indivíduo idoso. A gerontologia entende a sexualidade do indivíduo idoso como natural e não patológica.OBJETIVO: Conhecer a autopercepção dos idosos em relação ao corpo, envelhecimento e sexualidade.METODOLOGIA: Estudo de paradigma qualitativo do tipo descritivo-interpretativo. Este estudo constitui-se da aplicação de sete entrevistas semiestruturadas em indivíduos idosos. Constituem-se participantes do estudo quatro idosos de um grupo de convivência e três idosos de um grupo teatral do município de Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, todos do gênero feminino. Os dados coletados foram analisados e discutidos em conjunto com os dados obtidos por meio de um diário de campo.ANÁLISE E CATEGORIZAÇÃO DOS DADOS: O envelhecimento surge citado nos depoimentos como um processo de perdas...

Sexualidade da pessoa com deficiência mental : entre discursos de verdade e a possibilidade de outras práticas de si

Santos, Myrna Wolff Brachmann dos
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.19%
Sob os pressupostos dos estudos de Michel Foucault, esta pesquisa foi desenvolvida com o objetivo de analisar os discursos de verdade sobre a sexualidade da pessoa com deficiência mental em dez trabalhos acadêmicos. Os trabalhos analisados correspondem a duas teses de doutorado e oito dissertações de mestrado. A partir dos pressupostos foucaultianos, o conjunto desses dez relatórios de pesquisa foram tratados como um discurso de saber científico autorizado e reconhecido pela sociedade como um discurso de verdade. Os principais pressupostos foucaultianos utilizados para o desenvolvimento da análise foram: a produção histórica de saberes, a veiculação de verdades pelos discursos, a vinculação entre produção de verdade e sustentação de um dado poder, o aparecimento do dispositivo de sexualidade, a disciplinarização dos corpos e a normalização dos sujeitos, processos correlatos à mecânica da biopolítica. Na pesquisa levantaram-se primeiramente, as concepções da família e da escola a respeito da sexualidade da pessoa com deficiência mental apontadas nos relatórios de pesquisa. Em seguida analisaram-se os discursos de verdade sobre a sexualidade, e sobre a sexualidade da pessoa com deficiência mental. As concepções mais comuns entre familiares e profissionais indicadas nos trabalhos expressam as crenças de que as pessoas com deficiência mental...

Após o nascimento do primeiro filho, a satisfação face à sexualidade no casal engloba a satisfação com o relacionamento sexual

Morais, Sónia Margarida de Oliveira; Franco, João José de Sousa
Fonte: Associação Portuguesa dos Enfermeiros Obstetras Publicador: Associação Portuguesa dos Enfermeiros Obstetras
Tipo: Outros
Publicado em 31/05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
Introdução: A sexualidade manifesta-se de uma forma constante no ser humano. Considerando que as alterações sentidas a nível da relação sexual podem condicionar um impacto direto ou indireto a nível da sexualidade, o período pós-parto pode ser conduzir à existência de alterações neste domínio. A definição de satisfação face à sexualidade engloba a totalidade da definição de sexualidade. A satisfação sexual é aquela que se refere apenas à obtenção de satisfação na relação sexual. Objetivo: Relacionar os níveis de satisfação com o relacionamento sexual, após o nascimento do primeiro filho com os níveis de satisfação face à sexualidade do casal antes da gravidez e 6, 9 e 12 meses após o nascimento do primeiro filho. Metodologia: Estudo quantitativo, descritivo-correlacional. Instrumento: questionário (dados sociodemográficos e obstétricos; Questionário de Satisfação com o Relacionamento Sexual (QSRS) Ribeiro e Raimundo (2005); caraterização da satisfação face à sexualidade - escala de 0 a 10 para classificação da satisfação). Amostra: 61 casais (102 indivíduos) da região centro do país, com filho único, com idades compreendidas entre os 6 e os 12 meses. Colheitas por formulário a casam selecionados através do efeito de bola de neve. Resultados: Após o nascimento do primeiro filho...

Após o nascimento do primeiro filho, a satisfação face à sexualidade no casal engloba a satisfação com o relacionamento sexual?.

Morais, Sónia Margarida de Oliveira; Franco, João José de Sousa
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 31/05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
Introdução: A sexualidade manifesta-se de uma forma constante no ser humano. Considerando que as alterações sentidas a nível da relação sexual podem condicionar um impacto direto ou indireto a nível da sexualidade, o período pós-parto pode ser conduzir à existência de alterações neste domínio. A definição de satisfação face à sexualidade engloba a totalidade da definição de sexualidade. A satisfação sexual é aquela que se refere apenas à obtenção de satisfação na relação sexual. Objetivo: Relacionar os níveis de satisfação com o relacionamento sexual, após o nascimento do primeiro filho com os níveis de satisfação face à sexualidade do casal antes da gravidez e 6, 9 e 12 meses após o nascimento do primeiro filho. Metodologia: Estudo quantitativo, descritivo-correlacional. Instrumento: questionário (dados sociodemográficos e obstétricos; Questionário de Satisfação com o Relacionamento Sexual (QSRS) Ribeiro e Raimundo (2005); caraterização da satisfação face à sexualidade - escala de 0 a 10 para classificação da satisfação). Amostra: 61 casais (102 indivíduos) da região centro do país, com filho único, com idades compreendidas entre os 6 e os 12 meses. Colheitas por formulário a casam selecionados através do efeito de bola de neve. Resultados: Após o nascimento do primeiro filho...

Escola e sexualidade: uma nova orientação educativa.

Assunção, Maria de La Salett Gonçalves de Oliveira Coelho e
Fonte: Universidade Portucalense Publicador: Universidade Portucalense
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.17%
Introdução: A Educação para a Sexualidade, contribuindo para a formação pessoal e social dos cidadãos e para a promoção da saúde sexual e reprodutiva, tem merecido, nos últimos anos, por parte do Estado Português, especial destaque em matéria legislativa. O primeiro documento legal publicado nesta área, foi a Lei 3/84, ao qual se seguiram diversos documentos orientadores e normativos, que a legitimam como componente da Educação. Apesar da relevância evidenciada, a aplicação da Educação para a Sexualidade, em contexto escolar, tem revelado múltiplas dificuldades e sucessivos adiamentos, fazendo com que, decorrido um quarto de século desde o primeiro documento legal publicado, em termos práticos, pouco tivesse sido concretizado. Com este estudo, e procurando situar a Educação para a Sexualidade humanizada no espaço contemporâneo da ciência e da vida, reconhecendo-a como factor basilar de promoção de saúde na Escola, que se pretende, viva e actual, plural, democrática e inclusiva, pretendemos, como educadores, contribuir para a aplicação efectiva da mais recente lei publicada neste âmbito (Lei nº 60 de 6 de Agosto de 2009). Objectivo Geral: - Conhecer necessidades educativas com que se confronta em Portugal a escola contemporânea na área da Educação para a Sexualidade...

Sexualidade e género em campanhas de prevenção da infeção VIH/SIDA

Frias, Ana Carolina Morgado Ferreira de
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
Numa era em que a trajetória do VIH/Sida indicia sucessivos sinais de progresso, a visão “getting to zero” (zero novas infeções, zero novos casos de morte e zero discriminação) permanece por alcançar e a problemática subsiste como um dos mais graves problemas de saúde pública do mundo, estimando-se existir cerca de 35 milhões de pessoas portadoras do vírus, das quais mais de metade o desconhece (UNAIDS, 2010, 2014a). Neste contexto, de particular vulnerabilidade para jovens/mulheres, as desigualdades de género, que resistem à contemporaneidade, constituem importantes obstáculos à prevenção do VIH/Sida, pelo que se discute a necessidade de colocar a igualdade de género, os direitos das mulheres e o seu empoderamento no centro da Agenda de Desenvolvimento pós-2015. Paradoxalmente, os media, chamados a intervir no combate à problemática veiculam porém, frequentemente, no seu currículo cultural, conceções estereotipadas da sexualidade e do género que implicam desiguais relações de poder, mediadoras da reprodução de identidades e de modos de ser feminino e masculino. Saber ‘lê-los’ criticamente é imprescindível ao exercício da cidadania e uma oportunidade à implementação de uma efetiva educação em sexualidade – implicada na prevenção do VIH/Sida...