Página 1 dos resultados de 2572 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Índice de sustentabilidade do uso da água de cisternas no semi-árido brasileiro.

SILVA, A. de S.; BRITO, L. T. de L.; SILVA, C. M. M. de S.; SILVA, P. P. da S.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROECOLOGIA, 4., 2006, Belo Horizonte. Construindo horizontes sustentáveis: anais. Belo Horizonte: EMATER-MG, 2006. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROECOLOGIA, 4., 2006, Belo Horizonte. Construindo horizontes sustentáveis: anais. Belo Horizonte: EMATER-MG, 2006.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.55%
A disponibilidade hídrica no Semi-Árido brasileiro é baixa, embora, nos anos secos possam ocorrer, no mínimo, 300,Omm, que são suficientes para abastecer uma cisterna com capacidade de 16.000 litros e atender as necessidades básicas de uma família com cinco pessoas. Nesta região, a quantidade e a qualidade da água são indicadores que devem ser considerados na gestão sustentável da água, principalmente para consumo das famílias. Assim, este estudo avaliou os resultados obtidos pelo P1 MC/Ministério do Desenvolvimento Social - MDS, objetivando propor um índice de sustentabilidade do uso da água de cisterna. Foram utilizados procedimentos de análise fatorial em componentes principais e de agrupamento, integrando-se diferentes bases dados. A partir das variáveis analisadas foram definidos quatro indicadores de sustentabilidade da água das cisternas: a) uso da água de outras fontes; b) condições ecológicas dos domicílios; c) capacitação comunitária e d) qualidade da água. Os indicadores poderão auxiliar no monitoramento e gestão da água, no que concerne ao fornecimento da água necessária e sua qualidade, visando à melhoria da qualidade de vida dos usuários das cisternas. Os indicadores propostos poderão auxiliar na decisão dos gestores do P1 MC no sentido de revisar e reformular suas ações estratégias.; 2006

Temperatura retal e frequencia respiratoria de bovinos da raca Sindi sob as condicoes termicas do semi-arido brasileiro.

TURCO, S.H.N.; ARAUJO, G.G.L. de; TEIXEIRA, A.H. de C.; ABREU, P.G.de; MESQUITA, E.; ALENCAR, S.C. de.
Fonte: In: REUNIAO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 36.,1999, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: SBZ, 1999. CD-ROM Publicador: In: REUNIAO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 36.,1999, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: SBZ, 1999. CD-ROM
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.68%
Visamos com esta pesquisa obter informacoes sobre a temperatura retal (TR), frequencia respiratoria (FR) e indice de temperatura de globo e umidade (ITGU) de bovinos da raca Sindi para as condicoes climaticas do semi-arido brasileiro. Foram utilizados 6 animais em tres categorias: bezerros/bezerras, garrotes/novilhas e vacas. As informacoes basicas para este trabalho foram: TR, FR e dados climaticos. De acordo com os valores medios mensais do indice de ITGU foram divididos em tres epocas climaticas, denominados epoca I, II e III no periodo compreendido de 01 de novembro de 1997 a 31 de dezembro de 1998. Pode-se observar que as epocas I e III apresentaram uma pequena elevacao da TR. A FR foi significativamente maior na epoca I. Mesmo correndo uma ligeira elevacao da TR e FR na epoca I em comparacao com as outras, os mesmos estiveram dentro dos valores considerados normais, indicando uma boa resposta fisiologica dos bovinos da raca Sindi para as condicoes termicas do semi-arido brasileiro.; 1999; CD-ROM

Risco climatico para o cultivo de milho dependente de chuva: quatro casos no semi-arido.

PORTO, E.R.; GARAGORRY, F.L.; BRITO, L.T. de B.
Fonte: In: SIMPOSIO BRASILEIRO DE CAPTACAO DE AGUA DE CHUVA NO SEMI-ARIDO, 3.,2001, Campina Grande. Anais... Campina Grande: Embrapa Algodao; Petrolina,PE: Embrapa Semi-Arido, 2001. CD-ROM Publicador: In: SIMPOSIO BRASILEIRO DE CAPTACAO DE AGUA DE CHUVA NO SEMI-ARIDO, 3.,2001, Campina Grande. Anais... Campina Grande: Embrapa Algodao; Petrolina,PE: Embrapa Semi-Arido, 2001. CD-ROM
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.78%
No Tropico Semi-arido (TSA) brasileiro um dos principais fatores que limitam a produtividade e a producao agricola e a irregularidade na distribuicao temporal e espacial das chuvas. Em geral, a precipitacao total anual seria suficiente para a producao de uma cultura de ciclo curto, se as chuvas fossem melhor distribuidas. O milho, Zea mays L., e uma planta cultivada das mais importante como alimento humano e de animais domesticos. Constitui elemento fundamental da dieta dos pequenos produtores do semi-arido. Todavia, e uma das plantas muito exigentes em agua. Para avaliar o risco envolvido na exploracao desta cultura no regime de chuva, um modelo informatizado foi desenvolvido e quatro municipios do semi-arido de Penambuco foram testados. Conforme resultados apresentados, o risco envolvido na exploracao deste sistema de producao e muito alto, mesmo para municipios do semi-arido cuja precipitacao e superior ao total exigido pela evapotranspiracao da cultura, como e o caso de Serra Talhada onde a possibilidade maxima de sucesso e de 30%.; 2001

Imbuzeiro (Spondias tuberosa Arr.Cam.): cultivo apropriado para o semi-arido.

CAVALCANTI, N. de B.; RESENDE, G.M. de; BRITO, L.T. de L.
Fonte: In: SIMPOSIO BRASILEIRO DE CAPTACAO DE AGUA DE CHUVA NO SEMI-ARIDO, 3.,2001, Campina Grande. Anais... Campina Grande: Embrapa Algodao; Petrolina,PE: Embrapa Semi-Arido, 2001. CD-ROM Publicador: In: SIMPOSIO BRASILEIRO DE CAPTACAO DE AGUA DE CHUVA NO SEMI-ARIDO, 3.,2001, Campina Grande. Anais... Campina Grande: Embrapa Algodao; Petrolina,PE: Embrapa Semi-Arido, 2001. CD-ROM
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.61%
O imbuzeiro e uma pJanta nativa da regiao semi-arida do Nordeste que tem contribuido substancialmente para a sobrevivencia dos pequenos agricultores e animais da regiao. A producao de frutos alcancada pelo imbuzeiro (Spondias tuberosa Arr. Cam.) constituem-se tambem numa fonte de renda e de absorcao de mao-de-obra para muitas familias rurais, que na epoca da safra, realizam a colheita dos frutos e os vendem para consumo in natura em feiras livres e/ou para a agroindustria de processamento de polpa. O objetivo deste estudo foi verificar a participacao do extrativismo do fruto do imbuzeiro na absoraco de mao-de-obra e geracao de renda dos pequenos agricultores de 8 comunidades localizadas na regiao semi-arida do Estado da Bahia nas safras de 2000 e 2001. Foram acompanhados 1.005 agricultores que participaram da colheita de imbu nas comunidades. Os resultados obtidos demonstraram que, em media 62,81% pessoas participaram do extrativismo do fruto do imbuzeiro nas safras de 2000 e 2001 por comunidade. O tempo de dedicacao a colheita foi em media de 56,25 dias e a renda media obtida por cada agricultor foi de R$ 324,85.; 2001

Usos alternativos para água subterrânea no semi-árido brasileiro.

PORTO, E.R.; SILVA JÚNIOR, L.G. de A.; ARAÚJO, O.J. de; AMORIM, M.C.C.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, 12., 2002, Florianópolis. [Anais...] Florianópolis: ABAS, 2002. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, 12., 2002, Florianópolis. [Anais...] Florianópolis: ABAS, 2002.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.69%
Com o objetivo de reduzir os impactos causados pelo rejeito da dessalinização de água salobra, proveniente do cristalino, no trópico semi-árido brasileiro, três alternativas de aproveitamento de água com alta salinidade foram avaliadas nos campos da Estação Experimental da Embrapa Semi-Árido. As alternativas foram: (a) cristalização seletiva dos sais; (b) cultivo de tilápia rosa (Oreochromis sp); e (c) irrigação da erva-sal (Atriplex nummularia). A salinidade média da água usada foi de 11,38ds/m. Cinco tipos de sais foram conseguidos na cristalização; a tilápia atingiu o peso de 455 gramas em 6 meses; e o rendimento da erva-sal foi de 6.537kg de matéria seca por hectare. Em função dos resultados obtidos com estes estudos, é possível a viabilização do uso de água de poços no cristalino do semi-árido brasileiro para a geração de renda, através destas alternativas que apresentam menos risco que os atuais sistemas de produção de subsistência, ora utilizados pela maioria dos produtores de base familiar desta região.; 2002

Seleção de espécies/procedências do gênero Eucalyptus potenciais para o semi-árido do Brasil.

DRUMOND, M. A.; OLIVEIRA, V. R. de.
Fonte: In: CONGRESO LATINOAMERICANO IUFRO, 2., 2006, La Serena, Chile. Trabajos completos... La Serena: IUFRO; INFOR; FAO, 2006. Publicador: In: CONGRESO LATINOAMERICANO IUFRO, 2., 2006, La Serena, Chile. Trabajos completos... La Serena: IUFRO; INFOR; FAO, 2006.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.73%
O Semi-Árido brasileiro está situado na parte central da região Nordeste, tendo os seus limites contornados por áreas subúmidas, exceto na porção setentrional. Ele ocupa uma área de 895.931,30 Km² e é caracterizado por balanço hídrico negativo, resultante de precipitações pluviais anuais que variam de 250 a 800 mm, insolação média de 2800 h/ano, temperatura média anual de 27oC, evaporação de 2.000 mm/ano e umidade relativa do ar média em torno de 50%. Possui regime de chuvas marcado pela escassez, irregularidade e concentração das precipitações em um período curto de apenas três meses. Esse ecossistema apresenta cerca de 70% de sua área coberta por uma vegetação denominada de caatinga, bioma único e exclusivamente brasileiro, que se caracteriza por uma baixa diversidade de espécies, em relação à floresta tropical úmida, e uma baixa produtividade madeireira. Trabalhos de inventários demonstram que o estoque madeireiro da caatinga é baixo (entre 7 a 60 m³/ha), podendo variar conforme as condições edafoclimáticas locais. Os solos são arenosos ou areno-argilosos, pobres em matéria orgânica, embora com regular teor de cálcio e potássio, predominando os tipos: Luvissolo Crômico, Argissolo Vermelho-Amarelo Eutrófico...

Avanços tecnológicos na horticultura do semi-árido brasileiro.

LOPES, P. R. C.
Fonte: In: SEMANA INTERNACIONAL DA FRUTICULTURA, FLORICULTURA E AGROINDÚSTRIA - FRUTAL, 10.; REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE INTERAMERICANA DE HORTICULTURA TROPICAL, 49., 2003, Fortaleza. [Anais...]. Fortaleza : Instituto Frutal, 2003. 1 CD-ROM. Publicador: In: SEMANA INTERNACIONAL DA FRUTICULTURA, FLORICULTURA E AGROINDÚSTRIA - FRUTAL, 10.; REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE INTERAMERICANA DE HORTICULTURA TROPICAL, 49., 2003, Fortaleza. [Anais...]. Fortaleza : Instituto Frutal, 2003. 1 CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.55%
2003; A Biblioteca da Embrapa semi-Árido possui os resumos em papel, da Reunião Anual da Sociedade Interamericana de Horticultura Tropical, 49., 2003, Fortaleza.

Áreas degradadas: métodos de recuperação no semi-árido brasileiro.

LIMA, P. C. F.
Fonte: In: REUNIÃO NORDESTINA DE BOTÂNICA, 27., 2004, Petrolina, PE. [Anais...]. Petrolina: SBB; Embrapa Semi-Árido; UNEB, 2004. 1 CD-ROM. Publicador: In: REUNIÃO NORDESTINA DE BOTÂNICA, 27., 2004, Petrolina, PE. [Anais...]. Petrolina: SBB; Embrapa Semi-Árido; UNEB, 2004. 1 CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.55%
2004

Escassez de desperdício de água de chuva em comunidades do semi-árido do Nordeste.

CAVALCANTI, N. de B.; BRITO, L. T. de L.; RESENDE, G. M. de.
Fonte: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE CAPTAÇÃO E MANEJO DE ÁGUA DE CHUVA, 5., 2005, Teresina, PI. Anais... Teresina: ABCMAC; Governo do Estado do Piauí; Embrapa Semi-Árido; IRPAA; ASA, 2005. 1 CD-ROM. Publicador: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE CAPTAÇÃO E MANEJO DE ÁGUA DE CHUVA, 5., 2005, Teresina, PI. Anais... Teresina: ABCMAC; Governo do Estado do Piauí; Embrapa Semi-Árido; IRPAA; ASA, 2005. 1 CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
76.61%
No semi-árido do Nordeste brasileiro, a água é o principal obstáculo para a sobrevivência dos agricultores e animais. A vulnerabilidade a que estão expostas as populações rurais, em decorrência da instabilidade climática e dramatizada pelos períodos de seca que ocorrem, em média, a cada cinco anos. Este trabalho teve como objetivo fazer um levantamento em comunidades da região semi-árida de Pernambuco e da Bahia, quanto à escassez e o desperdício de água de chuva no ano de 2004. Para realização desse estudo, foram selecionadas, ao acaso, nove comunidades da região semi-árida, sendo oito no município de Petrolina, PE e uma no município de Curaçá, BA. O trabalho foi realizado no período de janeiro a dezembro de 2004. Após a seleção das comunidades foi realizado um levantamento das fontes de captação e acumulação de água de chuva utilizada pelos agricultores. Foram realizadas visitas mensais as comunidades para o acompanhamento do volume de água acumulada nas cisternas, barreiros, barragens, etc. Com os resultados obtidos, pode-se concluir que o volume de chuvas que ocorreu nas comunidades em 2004 foi suficiente para suprir a deficiência de água para os diferentes usos no meio rural, como consumo humano...

Uso sustentável do recurso forrageiro nativo e de fontes alternativas para alimentação de caprinos e ovinos no Semi-Árido brasileiro.

ARAÚJO, G. G. L. de; MOREIRA, J. N.
Fonte: In: TALLER DE METODOLOGIAS, 2006, Fortaleza. Manejo de la vegetación nativa para la producción de ruminantes menores en la zonas aridas de Latino America. Fortaleza: Embrapa Caprinos; ICARDA, 2006. 1 CD-ROM. Publicador: In: TALLER DE METODOLOGIAS, 2006, Fortaleza. Manejo de la vegetación nativa para la producción de ruminantes menores en la zonas aridas de Latino America. Fortaleza: Embrapa Caprinos; ICARDA, 2006. 1 CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
76.58%
O Semi-Árido brasileiro; Perfil do caprino-ovinocultor do Semi-Árido brasileiro; A pastagem nativa e sua capacidade de suporte; A caatinga e o aporte de nutrientes; Recursos forrageiros nativos; Recursos forrageiros cultivados; Fontes alternativas de alimentação; Alternativas de uso das diversas fontes forrageiras.; 2006; 1 CD-ROM.

Potencial agrícola do solo: manejo da mangueira no semi-arido.

MOUCO, M. A. do C.
Fonte: In: CURSO [SOBRE] MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA, 2., 2006, Juazeiro-BA. Palestras... Juazeiro, BA: MAPA; SFA-BA; Embrapa Semi-Árido; Embrapa Solos, 2006. Publicador: In: CURSO [SOBRE] MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA, 2., 2006, Juazeiro-BA. Palestras... Juazeiro, BA: MAPA; SFA-BA; Embrapa Semi-Árido; Embrapa Solos, 2006.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.55%
2006

Composição química e pH de silagens de forrageiras nativas e adaptadas ao semi-árido.

CHAGAS, E. C. de O.; ARAÚJO, G. G. L. de; MOREIRA, J. N.; TOSTO, M. S. L.; DANTAS, F. R.; FRANÇA, C. A. de; JESUS, L. S. de.
Fonte: In: CONGRESSO NORDESTINO DE PRODUÇÃO ANIMAL, 6.; SIMPÓSIO NORDESTINO SE ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES, 10.; SIMPÓSIO DE PRODUÇÃO ANIMAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, 1., 2006, Petrolina. Anais... Petrolina: SNPA; Embrapa Semi-Árido, 2006. Publicador: In: CONGRESSO NORDESTINO DE PRODUÇÃO ANIMAL, 6.; SIMPÓSIO NORDESTINO SE ALIMENTAÇÃO DE RUMINANTES, 10.; SIMPÓSIO DE PRODUÇÃO ANIMAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, 1., 2006, Petrolina. Anais... Petrolina: SNPA; Embrapa Semi-Árido, 2006.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.58%
Objetivou-se avaliar a composição química e o pH das silagens de maniçoba, mata-pasto, leucena e gliricídia, produzidas e confeccionadas, com a participação de produtos da fazenda Boqueirão localizada no município de Flores - PE, e armazenadas em tubos de PVC por 72 dias de fermentação. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado com quatro tratamentos e quatro repetições, onde as espécies forrageiras constituíram os tratamentos. Foi determinado o valor de pH, matéria seca (MS), matéria mineral (MM), matéria orgânica (MO), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) e estimado os nutrientes digestíveis totais (NDT). Ocorreu diferença significativa (P<0,01) entre os parâmetros avaliados para as espécies forrageiras utilizadas, exceto para FDN e NDT, obtendo-se em média 51,56 e 62,27%, respectivamente. As silagens de gliricídia e leucena apresentaram maiores valores de PB, 19,31 e 19,09%, bem como melhores teores de pH, 4,46 e 4,80, respectivamente, caracterizando em silagens de ótima qualidade. As forrageiras utilizadas apresentaram bons valores nutritivos e de pH, caracterizando-se em forragens que se prestam para a ensilagem no semi-árido nordestino.; 2006; 1 CD-ROM.

Crescimento de mandioca no primeiro ano em sistema de produção agroecológica no semi-árido nordestino.

MAGALHÃES, C. A. S.; SILVA, A. F.; SANTANA, L. M. de; SILVA, M. M. da; FRANÇA, C. R. R. S.; ARAÚJO FILHO, J. M. de; COELHO, A. I. de A.
Fonte: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, 1., 2006, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2006. Publicador: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, 1., 2006, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2006.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: p. 81-85.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.62%
O objetivo do presente trabalho foi avaliar o crescimento da mandioca e das culturas consorciadas no primeiro ano em sistema agroecológico de produção. O trabalho foi instalado no alto do sertão do Piauí, na comunidade de Morro Alto, na Serra da Parreira, a 620 m de altitude, divisa com o estado de Pernambuco, em dezembro de 2004. Foram utilizadas quatro cultivares de mandioca, Engana Ladrão (BGM 1269), Brasília (TSA 128), Do Céu (BGM 537) e Macaxeira Preta (variedade local), consorciadas com feijão de corda, sorgo granífero, feijão guandu, girassol e algodão, distribuidos em blocos casualizados. A altura, retenção foliar e sobrevivência das plantas de mandioca não apresentaram diferenças significativas considerando os tipos de consórcio. Observou-se diferença apenas entre variedades na sobrevivência das plantas, sendo que a variedade Do céu (BGM 537) mostrou-se com o maior percentual de sobrevivência. As espécies consorciadas mantiveram diferentes teores de umidade do solo, destacando-se o guandu como a cultura que manteve maior teor de umidade do solo.; 2006

Barragem subterrânea: uma alternativa para o Semi-Árido do Nordeste do Brasil.

MENDONÇA, C. E. S.; SILVA, M. S. L. da; ANJOS, J. B. dos; ROCHA, J. C. da; MELLO, A. C. P.; XENOFONTE, G. H. S.; ARAÚJO, J. A. de.
Fonte: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, 1., 2006, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2006. p. 75-80. Publicador: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, 1., 2006, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2006. p. 75-80.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.68%
A barragem subterrânea é uma técnica de armazenar água da chuva dentro do solo (subsolo) visando à exploração de uma agricultura de vazante e/ou subirrigação. Tem como função barrar o fluxo de água superficial e subterrâneo por meio de uma parede (septo impermeável) construída transversalmente à direção das águas. A água proveniente da chuva se infiltra lentamente, criando e/ou elevando o lençol freático, que será utilizado posteriormente pelas plantas. Nos últimos anos, a Embrapa Semi-Árido vem desenvolvendo estudos com a finalidade de favorecer o processo de construção do conhecimento da barragem subterrânea por meio da valorização dos espaços de experimentação científica com envolvimento de pesquisadores, agricultores e técnicos das ONG?s. O projeto foi iniciado em 2004, com a realização de um Workshop sobre a Gestão do Projeto, na Embrapa Semi-Árido, com a participação de toda a equipe para discutir e definir as metodologias/métodos que estão sendo utilizadas na capacitação/sensibilização dos agricultores e nos temas de pesquisa a serem estudados. Neste evento, foram definidas quatro oficinas, três de intercâmbio e uma de coordenação e programação, assim como a aplicação de um questionário visando diagnosticar a situação das barragens subterrâneas no marco zero. Os resultados dos questionários juntamente com os das oficinas estão norteando as demandas de pesquisas de cada Estado.; 2006

Variabilidade genética, com base em marcadores RAPD, de três espécies arbóreas ameaçadas de extinção no semi-árido brasileiro.

SANTOS, C. A. F.; OLIVEIRA, V. R. de; KIILL, L. H. P.; SÁ, I. I. S.
Fonte: Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 74, p. 37-44, jun. 2007. Publicador: Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 74, p. 37-44, jun. 2007.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.62%
A pressão sobre os recursos genéticos do bioma caatinga é bastante acentuada seja devido às condições sócio-econômicas dos habitantes, seja devido à pressão para o estabelecimento de atividades produtivas. O objetivo deste trabalho foi estudar a dispersão da variabilidade genética no Semi-Árido brasileiro para as espécies umburana-de-cheiro Amburana cearensis (Fr. Allem.) A.C. Smith), aroeira (Myracrodruon urundeuva M. Allem.) e baraúna (Schinopsis brasiliensis Engl.), com base no marcador de DNA tipo RAPD, para subsidiar estratégias de prospecção e preservação da variabilidade genética das mesmas. Foram analisados 29 indivíduos de umburana-de-cheiro, coletados em cinco diferentes regiões, e 52 indivíduos para aroeira e para baraúna, coletados em 11 ecorregiões definidas pelo Zoneamento Agroecológico do Nordeste, adotando-se para visualização de grupos o procedimento multidimensional ?scaling? (MDS), considerando a matriz de dissimilaridade do coeficiente de Jaccard. Diante das dificuldades para amostragem dos indivíduos, sugere-se que os esforços para estratégias de preservação devam priorizar, numa escala decrescente de importância, a umburana-de-cheiro, a aroeira e a baraúna. Os resultados obtidos para as três espécies sugerem que os indivíduos apresentam diferenças no padrão de bandas em função da região de amostragem...

P1 + 2: Programa Uma Terra e Duas Águas para um semi-árido sustentável.

GNADLINGER, J.; SILVA, A. de S.; BRITO, L. T. de L.
Fonte: In: BRITO, L. T. de L.; MOURA, M. S. B. de; GAMA, G. F. B. (Ed.). Potencialidades da água de chuva no semi-árido brasileiro. Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2007. Publicador: In: BRITO, L. T. de L.; MOURA, M. S. B. de; GAMA, G. F. B. (Ed.). Potencialidades da água de chuva no semi-árido brasileiro. Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2007.
Tipo: Capítulo em livro técnico-científico (ALICE) Formato: cap. 3, p. 63-77.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.62%
2007

Levantamento do período de floração e frutificação das espécies da família Cactaceae depositadas no Herbário do Trópico Semi-Árido (HTSA).

SILVA, P. P. da; KIILL, L. H. P.
Fonte: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, 2., 2007, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2007. Publicador: In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA SEMI-ÁRIDO, 2., 2007, Petrolina. Anais... Petrolina: Embrapa Semi-Árido, 2007.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.68%
O Herbário da Embrapa Semi-Árido (HTSA) foi criado em 1983 e, desde então, vem servindo de suporte para levantamentos botânicos, especialmente das espécies do Semi-Árido que deram origem a diversos trabalhos sobre a biodiversidade vegetal da caatinga. O presente trabalho teve como objetivo levantar os períodos de floração e frutificação das espécies pertencentes à família Cactaceae, depositadas no acervo do HTSA. Atualmente, a família Cactaceae depositada é representada por 14 espécies pertencentes a oito gêneros. Foram examinadas 34 exsicatas, sendo 76,47% identificadas em nível de espécie, 17,64% em nível de gênero e 5,89% em nível de família. De posse de cada exsicata, foram anotados os dados referentes à floração e frutificação em relação ao mês de coleta. Quanto ao período de floração, verificou-se que 50% das espécies analisadas apresentaram floração entre os meses de novembro a janeiro. Quanto à frutificação, frutos foram observados somente em cinco espécies, sendo que a maioria apresentou frutificação nos meses de janeiro e novembro, que também estão compreendidos na estação chuvosa da região. Comparando a ocorrência das fenofases com as condições climáticas, verifica-se que a floração e a frutificação ocorrem principalmente na estação chuvosa...

Caracterizacao fisico-quimica dos frutos de tres variedades de tamereiras (Phoenix dactylifera L.) introduzidas no BAG da Embrapa Semi-Arido.

OLIVEIRA, L. de S.; ASSIS, J. S. de
Fonte: In: QUEIROZ, M. A. de; GOEDERT, C. O.; RAMOS, S. R. R. (Ed.). Recursos genéticos e melhoramento de plantas para o Nordeste brasileiro. Petrolina: Embrapa Semi-Árido; Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 1999. Publicador: In: QUEIROZ, M. A. de; GOEDERT, C. O.; RAMOS, S. R. R. (Ed.). Recursos genéticos e melhoramento de plantas para o Nordeste brasileiro. Petrolina: Embrapa Semi-Árido; Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 1999.
Tipo: Capítulo em livro técnico-científico (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.55%
O Objetivo do presente trabalho foi estudar alguns parâmetros físico-químicos de tâmaras em estádio tamar, para caracterização de três variedades de tamareiras introduzidas no Banco Ativo de Germoplasma da Embrapa Semi-Árido.; 1999

Avaliacao da qualidade dos frutos de quatro acessos de tamareiras (Phoenix dactylifera L.) do BAG da Embrapa Semi-Arido.

ASSIS, J. S. de; MELO, N. F. de; QUEIROZ, M.A. de.
Fonte: In: QUEIROZ, M. A. de; GOEDERT, C. O.; RAMOS, S. R. R. (Ed.). Recursos genéticos e melhoramento de plantas para o Nordeste brasileiro. Petrolina: Embrapa Semi-Árido; Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 1999. Publicador: In: QUEIROZ, M. A. de; GOEDERT, C. O.; RAMOS, S. R. R. (Ed.). Recursos genéticos e melhoramento de plantas para o Nordeste brasileiro. Petrolina: Embrapa Semi-Árido; Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 1999.
Tipo: Capítulo em livro técnico-científico (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.55%
O objetivo do presente trabalho foi a avaliação da qualidade comercial dos frutos de quatro acessos do BAG da Embrapa Semi-Árido.; 1999

Desenvolvimento inicial do umbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda) no semi-arido pernambucano.

DRUMOND, M.A.; NASCIMENTO, C.E.S.; MORGADO, L.B.
Fonte: In: SIMPOSIO BRASILEIRO DE CAPTACAO DE AGUA DE CHUVA NO SEMI-ARIDO, 3.,2001, Campina Grande. Anais... Campina Grande: Embrapa Algodao; Petrolina,PE: Embrapa Semi-Arido, 2001. CD-ROM Publicador: In: SIMPOSIO BRASILEIRO DE CAPTACAO DE AGUA DE CHUVA NO SEMI-ARIDO, 3.,2001, Campina Grande. Anais... Campina Grande: Embrapa Algodao; Petrolina,PE: Embrapa Semi-Arido, 2001. CD-ROM
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
76.6%
Visando identificar os efeitos da aplicacao de diferentes doses de fosforo sobre o desenvolvimento inicial do umbuzeiro, o presente trabalho foi instalado no Campo Experimental da Embrapa Sermi-Arido, municipio de Petrolina-PE, entre as coordenadas geograficas de 09ø09' Latitude S e 40ø22' Longitude W. A precipitacao pluviometrica media anual e de 500mm, concentrada no periodo de janeiro a marco. A temperatura media mensal e de 26øC, umidade relativa entre 50 e 70%, insolacao media de 2.800 horas/ano, com evaporacao em torno de 2.000 mm/ano. O solo e do tipo Latossolo vermelho amarelo. O experimento foi disposto em um delineamento de blocos ao acaso, com quatro repeticoes, com o plantio realizado no espacamento 6,0 x 6,0 m. Os tratamentos consistiram de quatro doses de P2 O5 (0, 30, 60, e 90 g/planta), aplicadas por ocasiao do plantio, submetidos a tres situacoes: sem irrigacao, com irrigacao e com irrigacao e adubacao de cobertura, totalizando doze tratamentos. A fonte de P2 O5 foi o superfosfato triplo. Todas as unidades experimentais receberam uma adubacao basica por ocasiao do plantio com 15 g de N e 9 g de K2O, fornecidos na forma de ureia e cloreto de potassio, respectivamente. Uma adubacao de cobertura foi realizada aos 60 dias apos o plantio...