Página 1 dos resultados de 980 itens digitais encontrados em 0.007 segundos

A ciranda social em torno da política de salário mínimo

Souza, Saulo Aristides de
Fonte: FEUC Publicador: FEUC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
67.05%
A negociação coletiva e a concertação social são os espaços de definição de políticas salariais e dos direitos constituídos pelos atores institucionais (representantes do governo, empresários e sindicatos) nas relações laborais. O salário mínimo é fruto desta construção social e de políticas redistributivas na coesão dessa interlocução. A ação dos atores institucionais nos processos decisórios que culmina em política como a valorização do salário mínimo é pouco explorada nas ciências sociais no decurso das relações laborais. Há carência de uma abordagem problematizante e inovadora neste campo, em especial no contexto de crise e de austeridade por que vem passando a sociedade portuguesa, e no momento de crescimento econômico e de avanço das políticas sociais no Brasil, nos últimos anos que oriente e demonstre a importância da coesão social e o papel desempenhado pelos atores (ou parceiros) nesse processo. Isso não se limita ao plano meramente econômico, mas possui um alcance vasto atingindo a sociedade no seu conjunto. Esta dissertação iniciar a conceitualização teórica de coesão social e o seu papel na definição do salário mínimo, e a compreensão das lógicas de conflitualidade presentes na negociação (determinação do valor monetário) do salário mínimo na escala da sociedade nacional...

Salário mínimo, desigualdade e informalidade; Minimum wage, inequality and informality

Komatsu, Bruno Kawaoka
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.89%
O mercado de trabalho brasileiro tem apresentado nos últimos anos tendências que chamam a atenção e que suscitam questões diversas do ponto de vista da literatura econômica. A partir de 2004, aliada à redução da taxa de desemprego (que cai à metade em menos de uma década), o salário mínimo apresenta crescimento real de quase dois terços do seu valor, a desigualdade salarial é sensivelmente reduzida, ao mesmo tempo em que a taxa de formalidade alcança níveis muito elevados. A partir desse pano de fundo, o presente trabalho pretende examinar duas questões centrais. A primeira delas seria sobre os efeitos do aumento do salário mínimo sobre a desigualdade salarial. Utilizamos uma metodologia de densidades contrafactuais com dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) de 2004 e 2011 para avaliar os efeitos da variação do salário mínimo, do aumento da formalização, das características pessoais e das condições de oferta e demanda do mercado de trabalho sobre as mudanças das densidades salariais. Como resultados anteriores da literatura, as estimativas indicam que o primeiro fator exerce efeitos expressivos no sentido de reduzir a dispersão salarial da densidade como um todo e em especial na calda inferior. Eles são robustos à inversão da ordem de decomposição e se mantêm relevantes entre as mulheres. Os efeitos da formalização se mantêm com a inversão da ordem somente entre os homens e são maiores...

O salário mínimo e seus efeitos distributivos : uma análise sobre o mercado de trabalho da região metropolitana de Porto Alegre

Betti, Luana Priscila
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
O objetivo deste trabalho é analisar a efetividade da política pública de salário mínimo sobre a distribuição de renda pessoal do trabalho no mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) ao longo do período após o Plano Real. Para atingir o objetivo proposto, será realizada uma análise empírica em duas partes. Na primeira, será uma análise descritiva dos dados sobre os rendimentos do trabalho. Na segunda parte, por sua vez, consistirá em uma estimação econométrica a fim de verificar a contribuição das elevações do salário mínimo para o processo de desconcentração dos rendimentos do trabalho no período. A base de dados utilizada é a Pesquisa de Emprego e Desemprego do Convênio Fundação SEADE/DIEESE/FEE/FGTAS/PMPA e apoio MTE/FAT. A partir da análise descritiva, constatou-se a redução da desigualdade de rendimentos do trabalho segundo os índices analisados, promovido principalmente pelo crescimento dos rendimentos reais dos indivíduos localizados nos decils de renda da base da distribuição, os quais são foco da política do salário mínimo. Na análise econométrica, os resultados revelaram a existência de efeito inverso e estatisticamente significativo das variações dos valores reais do salário mínimo sobre o grau de desigualdade da distribuição da renda na RMPA...

A importância do salário mínimo para a valorização do rendimento do trabalho e para a distribuição de renda; The importance of the minimum wage for the income distribution

Adriana Jungbluth
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
67%
O salário mínimo é uma instituição do mercado de trabalho utilizada atualmente em parte expressiva dos países capitalistas, sejam eles desenvolvidos ou em desenvolvimento. Seu objetivo principal é estabelecer uma remuneração mínima aos trabalhadores de determinado setor de atividade ou a todos os trabalhadores de uma região ou país. Nas primeiras experiências de sua utilização, seu foco era restrito a setores de atividade específicos, com o passar dos anos, sua aplicação passou a ser para a economia como um todo, tornando-se uma política de extrema importância. No Brasil o salário mínimo foi instituído pelo governo Getúlio Vargas em 1940. De sua implantação até os dias atuais, ele passou por períodos longos de desvalorização. Apenas no período mais recente, a partir de 1995, ele voltou a desempenhar uma trajetória de recuperação, fundamental para recuperar seu poder de compra, que atualmente é inferior àquele no momento de sua criação, e para a distribuição de renda. O objetivo deste estudo é analisar o período recente de valorização do salário mínimo e o papel que desempenha como ferramenta de valorização dos rendimentos do trabalho e de distribuição de renda. Para tanto, ele foi dividido em quatro seções...

Minimum wage in Indonesia = : Salário mínimo na Indonésia; Salário mínimo na Indonésia

Enung Yani Suryani Rukman
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
67.08%
A Indonésia é um país que tem heterogeneidade em vários aspectos da vida, incluindo seus recursos, tais como fatores geográficos, sociais e econômicos. O emprego na Indonésia é um desses fatores interessantes a serem explorados. O salário mínimo é uma questão muito fundamental no emprego. Na Indonésia, a questão do salário mínimo não é apenas econômica, mas também envolve as questões políticas contidas em leis trabalhistas. Este estudo explora o salário mínimo na Indonésia durante várias épocas políticas: antes de 1980, em 1998 e 2010. Devido às limitações dos dados, estudo usa os dados selecionados que satisfazem os fins da presente pesquisa. A Indonésia ainda não tem um sistema de salário mínimo nacional. As evidências deste estudo sugerem que existem diferentes salários mínimos para cada província. Os dados analisados neste estudo avaliam o salário mínimo de quatro províncias em cada uma das regiões Oeste e Leste, e cinco províncias da região central da Indonésia, representando treze províncias fora da Indonésia de trinta e três, onde, quando combinados, abrangem mais de setenta por cento do total população. Alguns empregadores alegam que a fixação anual dos salários mínimos nas provinciais pode limitar a contratação e reduzir a força de trabalho...

A política de salário mínimo e seus efeitos na renda do trabalhador brasileiro no período 2002 a 2011

Mesquita, Patrícia Laurentino de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
67.01%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Economia, 2012.; O interesse deste trabalho é identificar de que forma o salário mínimo influenciou o rendimento do trabalho, em particular nos últimos anos, a partir da definição da política de reajustes praticada entre 2002 e 2011. A metodologia utilizada em Neumark et al (2004) foi adaptada para esta pesquisa, realizada com dados da Pesquisa Mensal de Emprego - PME, elaborada pelo IBGE, para os anos de 2002 a 2011. Um painel rotacional relaciona o salário mínimo e faixas de distribuição de rendimentos. Uma análise contrafactual mostra o efeito de um reajuste real de 5% do salário mínimo sobre a renda. As estimativas indicam que os trabalhadores de salários próximos ao mínimo foram os mais fortemente afetados, com efeitos em escala decrescente a medida que aumenta o nível salarial. O efeito um ano após o aumento tem elasticidade máxima de 0,8 para salários de 0.9 a 1.1 salário mínimo, que sobe para 1,0 quando considerado apenas o período de 2006 a 2011. O efeito-resposta dado um reajuste de 5% no salário mínimo é de 4%...

O salário mínimo como instrumento de combate à pobreza extrema: estariam esgotados seus efeitos?

Afonso,Luís Eduardo; Pereda,Paula Carvalho; Giambiagi,Fabio; Franco,Samuel
Fonte: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.94%
Este artigo analisa a evolução do salário mínimo no Brasil após o Plano Real e os seus efeitos na pobreza extrema. Entre 1994 e 2008, o salário mínimo acumulou um aumento real de quase 110%, crescendo em relação à renda média no país. Atualmente, o salário mínimo chega a 40% da renda média brasileira. Este artigo atenta para a redução da efetividade de aumentos reais do salário mínimo como instrumento para a redução da pobreza extrema. Sugere-se que o valor real do salário mínimo seja mantido e que os gastos públicos sejam focalizados em políticas sociais mais efetivas.

Salário mínimo : a desindexação entre a norma, o fato e o valor

Silva, Edvaldo Fernandes da
Fonte: Câmara dos Deputados do Brasil Publicador: Câmara dos Deputados do Brasil
Tipo: monografia, dissertação, tese Formato: 198 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.99%
Demonstra que a calibragem do salário mínimo desde sua criação, em julho de 1940, resultou mais de arbitramento político que de circunstâncias econômicas. Objetiva confirmar que, apesar de ter causado injunções à política do salário mínimo em diversos momentos, o risco econômico nunca foi seu determinante. Detecta-se, porém, certo descolamento entre ciclos da economia e curvas do salário mínimo. A falta de sincronia entre solidez econômica e valorização do mínimo ou entre crise econômica e achatamento do piso pode evidenciar que há uma razão não meramente econômica a operar a calibragem do salário mínimo. Essa justificativa, sua natureza, sua conformação, é o principal objeto da investigação e pode dar pistas interessantes sobre a evolução da democracia brasileira.; This study aims to demonstrate that minimum wage calibration, since its creation, in July 1940, has been more a result of political arbitration than the consequence of economic circumstances, although the latter interpretation is widely supported by academia and, supposedly, has an important role in formulating governmental action. The lack of synchrony between economic stability and the raising of the minimum wage or between economic crises and the flattening of the minimum wage may lead to the conclusion that there is not merely economic logic affecting the calibration of the base wage. This logic...

Consumo familiar: efeitos da valorização do salário mínimo nas decisões de gasto das famílias brasileiras, nordestinas e potiguares, no período de 1995 a 2011

Figueiredo, Jonilson de Souza
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Economia; Economia Regional Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Economia; Economia Regional
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.97%
This research objectify to analyze the effects of minimum wage recovery in the household consumption in the Brazil, northeastern region of the Brazil and the state of the Rio Grande do Norte, in the period of 1995 to 2011. This is because the search for the strengthening of the internal market, via incentive policies to private demand has assumed prominence in the Government agenda. Thus, under the justification of the fierce debate about the effectiveness of countercyclical policies of Brazil, in view of the recent economic crisis, aims to: 1) retake the theoretical debate and, to a certain extent, the evolution of the theory of household consumption, as well as some conclusions about their connection with the minimum wage; 2) to describe the experiences and the effects of this legislation in economic history, with emphasis on the Brazilian case; 3) to present some of the available statistics to research bases, with attention to the specifics of each and the empirical results found for consumption in Brazil; 4) to estimate the effects of minimum wage variation in household consumption in Brazil (BR), northeast (NE) and Rio Grande do Norte (RN). From this, in order to quantify this relationship, makes inferences from the effects of the wage bill and the minimum wage on consumption...

Efeitos distributivos do salário mínimo no Brasil recente: recortes segundo a posição na ocupação

Dias, Júnior César
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
67.12%
A proposta deste estudo é estimar o impacto das mudanças no valor do salário mínimo sobre a distribuição dos rendimentos individuais do trabalho segundo algumas posições na ocupação, como assalariado com carteira de trabalho assinada, assalariado sem carteira de trabalho assinada e trabalhadores por conta própria, no período 1995-2007. Para isso, fizemos uso de três metodologias complementares, e os resultados encontrados confirmam os efeitos distributivos positivos do salário mínimo, principalmente entre os trabalhadores com carteira assinada e entre os trabalhadores sem carteira. Numa apresentação visual e quantitativa, por meio das densidades de kernel, os picos visíveis nas densidades estimadas ilustram o valor do rendimento igual ao salário mínimo em praticamente todas as posições na ocupação; confirmando, de certa forma, as evidências encontradas na literatura. Adicionalmente, verificamos que a maior proporção de recebedores do salário mínimo se encontra entre as mulheres negras que residem nas regiões Norte e Nordeste, se inserem em seus domicílios na condição de cônjuge ou filhas, têm baixo nível de escolaridade e trabalham no setor de serviços como assalariadas sem carteira. Esses resultados sugerem que uma grande parte dos rendimentos dos indivíduos desprovidos de barganha salarial mantém seu poder aquisitivo graças à existência do salário mínimo. Nesse sentido...

A política do salário mínimo no governo Lula; The minimum wage policy in Lula government

Jacqueline Aslan Souen
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/02/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.94%
A partir de uma retrospectiva histórica da trajetória do salário mínimo no Brasil, observamos que, com exceção do período compreendido entre 1951 e início da década de 1960 - pré-golpe de 64 -, ocorreram recorrentes perdas do seu poder aquisitivo. Na fase recente, ainda que o movimento favorável do piso mínimo tenha dado o primeiro sinal já em 1993 e efetivamente iniciado em 1995, com a consolidação do Plano Real e a estabilização da moeda, foi no pós 2003 que se inaugurou uma fase particularmente distinta. A subida ao poder de um governo com estreita ligação junto ao movimento sindical e mais aberto ao diálogo e às reivindicações das centrais sindicais, a inflação relativamente controlada e a reativação da economia, em 2004, foram condições essenciais para a mudança na forma de conduzir a questão. No início do novo governo ainda era forte o discurso contrário aos mecanismos de regulação e proteção do trabalho, em especial do salário mínimo. Apontavam-se os impactos indesejados sobre as contas públicas, além de possíveis efeitos inflacionários, e crescimento do desemprego e informalidade. Contudo, havia um crescente debate de oposição a esse discurso, o qual indicava o fraco desempenho econômico como um dos principais obstáculos a uma efetiva política de recuperação do poder de compra do mínimo. Argumentava-se a necessidade de criar condições para a retomada do crescimento da economia...

Salário mínimo e pobreza no Brasil : uma abordagem de equilíbrio geral

Barros, Ricardo Paes de; Corseuil, Carlos Henrique; Cury, Samir
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.97%
As estimativas existentes a respeito do efeito do salário mínimo sobre a pobreza consistem em análises de equilíbrio parcial, que levam em consideração alguns poucos mecanismos de transmissão desencadeados pelo salário mínimo. Nosso objetivo é estimar o impacto do salário mínimo sobre a pobreza no Brasil, por meio de uma abordagem de equilíbrio geral, reunindo uma vasta gama de efeitos indiretos. A incorporação desses efeitos se torna possível na medida em que fazemos uso de um modelo de equilíbrio geral que permite estimar qual seria o nível de pobreza caso o salário mínimo fosse o único parâmetro a ser alterado na economia. Nossos resultados mostram que aumentos do salário mínimo têm efeitos negativos, ainda que diminutos, sobre o grau de pobreza, quando não se consideram os reajustes dos benefícios da previdência social. No entanto, nossas estimativas do efeito do salário mínimo sobre a pobreza passam a ser positivas quando incorporamos o aumento desses benefícios.; p. 157-182 : il.

Efeitos informais do salário mínimo e pobreza; Texto para Discussão (TD) 724: Efeitos informais do salário mínimo e pobreza; Informal effects of minimum wages and poverty

Neri, Marcelo; Gonzaga, Gustavo; Camargo, José Márcio
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
67.01%
Avaliamos a efetividade da política de salário mínimo nacional nos segmentos formais e informais do mercado de trabalho brasileiro. Nossa técnica consiste em mapear soluções de canto produzidas pela política de salário mínimo, posteriormente utilizadas como mecanismo de focalização na simulação de limites superiores dos efeitos de reajustes do salário mínimo sobre medidas de pobreza no Brasil. Destacamos dois “efeitos informais” do mínimo: a) a alta percentagem de trabalhadores sem carteira assinada ganhando exatamente um salário mínimo, o que potencializa os efeitos aliviadores de pobreza deste; e b) a observação de remunerações que utilizam o salário mínimo como numerário, em particular no setor formal.; 49 p. : il.

Salário mínimo e mercado de trabalho no Brasil

Foguel, Miguel; Ulyssea, Gabriel; Corseuil, Carlos Henrique
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Brasil em Desenvolvimento (BD) - Artigos
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.99%
Este capítulo traça um panorama da relação entre o salário mínimo e o mercado de trabalho brasileiro nas últimas décadas. Discute os mais importantes objetivos que têm orientado os países, inclusive o Brasil, na condução da política de salário mínimo. Traz uma discussão dos principais efeitos do mínimo sobre o mercado de trabalho e um breve histórico sobre a evolução do valor do salário mínimo no Brasil. Descreve o perfil do trabalhador que recebe salário mínimo no Brasil. Analisa os efeitos do salário mínimo no mercado de trabalho e seus impactos sobre desemprego, informalidade e inatividade para o conjunto das principais regiões metropolitanas do país. Apresenta uma análise dos impactos sobre a distribuição de salários, porém abrangendo o país como um todo, abordando uma discussão sobre algumas possíveis alternativas de aperfeiçoamento para a política do salário mínimo no país.; p. 295-319 : il.

O impacto distributivo do salário mínimo: a distribuição individual dos rendimentos do trabalho; Texto para Discussão (TD) 873: O impacto distributivo do salário mínimo: a distribuição individual dos rendimentos do trabalho; The distributional impact of the minimum wage: the individual distribution of labor incomes

Soares, Sergei Suarez Dillon
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
67.02%
Este estudo tenta estimar o impacto de mudanças no valor do salário mínimo sobre a distribuição dos rendimentos individuais do trabalho. Para tanto, duas abordagens complementares são utilizadas. A primeira é o uso de estimadores não-paramétricos para levantar a densidade dos rendimentos individuais do trabalho. O método usado é o estimador kernel, com largura de banda de 0,08, e os dados advêm das Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (PNADs) após o Plano Real. Os resultados são eminentemente visuais e qualitativos e mostram uma forte concentração de indivíduos em torno do pico do salário mínimo. Algo em torno de 10% dos ocupados com renda positiva ganham valores muito próximos do salário mínimo. Apesar de este valor ser inferior aos 15% dos ocupados com renda positiva, que ganham menos que um piso salarial, os gráficos mostram que o pico acompanha o valor do mínimo, sugerindo que há um efeito significativo sobre a distribuição dos rendimentos. Sabendo que o efeito deve existir, a segunda abordagem é usar uma série de grupos de comparação para estimar a elasticidade dos rendimentos de cada centésimo de renda, com relação a aumentos no salário mínimo. A base de dados usada é a série de Pesquisas Mensais de Emprego (PMEs) após o Plano Real. Três tipos de grupos de comparação são usados e...

Salário mínimo e pobreza no Brasil: estimativas que consideram efeitos de equilíbrio geral; Texto para Discussão (TD) 779: Salário mínimo e pobreza no Brasil: estimativas que consideram efeitos de equilíbrio geral; Minimum wage and poverty in Brazil: estimates that consider general equilibrium effects

Barros, Ricardo Paes de; Corseuil, Carlos Henrique; Cury, Samir
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
67%
As estimativas existentes a respeito do efeito do salário mínimo sobre a pobreza consistem em análises de equilíbrio parcial, que levam em consideração alguns poucos mecanismos de transmissão desencadeados pelo salário mínimo. Nosso objetivo é estimar o impacto do salário mínimo sobre a pobreza no Brasil, por meio de uma abordagem de equilíbrio geral, reunindo uma vasta gama de efeitos indiretos. A incorporação desses efeitos se torna possível na medida em que fazemos uso de um modelo de equilíbrio geral que permite estimar qual seria o nível de pobreza caso o salário mínimo fosse o único parâmetro a ser alterado na economia. Nossos resultados mostram que aumentos do salário mínimo têm efeitos negativos, ainda que diminutos, sobre o grau de pobreza, quando não se consideram os reajustes dos benefícios da previdência social. No entanto, nossas estimativas do efeito do salário mínimo sobre a pobreza passam a ser positivas quando incorporamos o aumento desses benefícios.; 20 p. : il.

Os impactos do salário mínimo sobre emprego e salários no Brasil: evidências a partir de dados longitudinais e séries temporais; Os impactos do salário mínimo sobre emprego e salários no Brasil: evidências a partir de dados longitudinais e séries temporais; The impact of the minimum wage on employment and wages in Brazil: Evidence from longitudinal data and time series

Corseuil, Carlos Henrique; Carneiro, Francisco Galrão
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.97%
Este texto sintetiza os resultados de um esforço para se delimitar e quantificar os impactos do salário mínimo no mercado de trabalho brasileiro no período compreendido entre 1982 e 1999. Para isso, são analisados dados longitudinais e dados agregados de séries temporais com o objetivo de traçar um retrato bastante completo dos efeitos de variações no salário mínimo sobre os níveis de emprego e salários no Brasil. A análise de dados longitudinais permitiu observar como a distribuição de salários e o nível de emprego se alteram após uma dada variação no valor do salário mínimo. A análise de séries temporais permitiu o exame do comportamento do mercado de trabalho sob uma ótica mais agregada. Esse esforço de pesquisa é pioneiro, uma vez que apresenta um enfoque microeconômico conjugado ao comportamento agregado do mercado de trabalho. Concluímos que o salário mínimo exerce uma influência considerável sobre a distribuição de salários. Com relação ao emprego, os efeitos agregados estimados em séries de tempo apontam para um efeito negativo de variações no salário mínimo sobre o nível de emprego, bem como sobre o grau de formalidade do mercado de trabalho. Vale ressaltar que as magnitudes reportadas para esses efeitos não são expressivas. De fato...

Uma avaliação dos impactos do salário mínimo sobre o nível de pobreza metropolitana no Brasil; Texto para Discussão (TD) 739: Uma avaliação dos impactos do salário mínimo sobre o nível de pobreza metropolitana no Brasil; An evaluation of the minimum wage impact on the poverty level in metropolitan Brazil

Foguel, Miguel N.; Corseuil, Carlos Henrique; Barros, Ricardo Paes de; Leite, Phillippe G.
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.97%
O objetivo deste trabalho é estimar os impactos dos aumentos recentes no salário mínimo sobre o grau de pobreza do conjunto das seis principais regiões metropolitanas brasileiras. Fazendo uso dos dados longitudinais da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE, empregamos uma metodologia que decompõe as variações no grau de pobreza entre pares de meses próximos aos aumentos do salário mínimo ocorridos em maio dos anos de 1995, 1996, 1997 e 1998. Com base nessa decomposição, procuramos identificar a parcela das variações no grau de pobreza que poderia ser atribuída aos aumentos do salário mínimo. Os resultados obtidos mostram que os aumentos recentes do salário mínimo tiveram um impacto significativo sobre o grau de pobreza metropolitano. A elasticidade média para o período analisado foi de cerca de –0,4, mostrando que um aumento de 10% no valor do salário mínimo reduziria o grau de pobreza em aproximadamente 4%.; 27 p. : il.

O salário mínimo como instrumento de combate à pobreza extrema: estariam esgotados seus efeitos?

Afonso, Luís Eduardo; Pereda, Paula Carvalho; Giambiagi, Fabio; Franco, Samuel
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de RP Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de RP
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
This paper analyses the evolution of the minimum wage in Brazil after the Real Plan and its effects on the extreme poverty. Between 1994 and 2008, the minimum wage had an accumulated real increase of almost 110%, growing in relation to average income in the country. Currently, the minimum wage is about 40% of national average income. The article points to the reduction of the effectiveness of real increases of minimum wage as a means to reduce the extreme poverty. It is suggested to maintain the real value of the minimum wage and to concentrate the public expenditures in better focused social policies.; Este artigo analisa a evolução do salário mínimo no Brasil após o Plano Real e os seus efeitos na pobreza extrema. Entre 1994 e 2008, o salário mínimo acumulou um aumento real de quase 110%, crescendo em relação à renda média no país. Atualmente, o salário mínimo chega a 40% da renda média brasileira. Este artigo atenta para a redução da efetividade de aumentos reais do salário mínimo como instrumento para a redução da pobreza extrema. Sugere-se que o valor real do salário mínimo seja mantido e que os gastos públicos sejam focalizados em políticas sociais mais efetivas.

Algunas consideraciones en torno al Salario Mínimo y a la dinámica de la CGT en el Consejo del Salario en la Argentina post-convertibilidad

Payo Esper,Mariel I
Fonte: Trabajo y sociedad Publicador: Trabajo y sociedad
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 ES
Relevância na Pesquisa
66.93%
El presente artículo tiene un doble objetivo, por un lado, intenta dar cuenta brevemente de los principales debates que atraviesan la cuestión del salario mínimo; sus posibles efectos sobre el empleo, la utilidad como herramienta para la reducción de la pobreza y sus distintas formas de fijación. En un segundo momento se propone registrar de manera exploratoria cual ha sido el comportamiento de la CGT en torno a la definición del salario mínimo en nuestro país, revisando fundamentalmente sus posicionamientos en el marco del Consejo del Salario, convocado en 2004 luego de 10 años de inexistencia. Para esto se recurre al uso de bibliografía internacional especializada en el tema y el relevamiento de los diarios Página 12 y La Nación entre 2002 y 2004. Los escasos trabajos que analizan la cuestión del salario mínimo lo hacen desde el punto de vista de sus alcances y generalmente en el marco de estudios sobre pobreza y desigualdad. En este sentido, cobra importancia la tarea de pensar los posicionamientos de la Central Sindical los meses anteriores a la convocatoria al Consejo del Salario. Este ejercicio permite indagar acerca del lugar que las organizaciones de trabajadores reconocidas legalmente tuvieron en la coyuntura de la salida a la crisis en los años inmediatos a la devaluación e invita a pensar en los enfrentamientos y las articulaciones estado-gremios-empresarios durante este proceso.