Página 1 dos resultados de 36 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

Estação da Luz: desenho e realização de um painel para o saguão 2 de acesso às plataformas de trem; Estação da Luz: design and realization of a panel for the hall 2 of access to railway platforms

Saraiva, Maria Teresa Kerr
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 04/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
27.98%
O trabalho Estação da Luz: desenho e realização de um painel para o saguão 2 de acesso às plataformas de trem mostra o percurso na criação do Painel Estação da Luz. Este painel, realizado pela autora deste trabalho, é composto por 14 módulos e mede 120 x 85 x 1 cm. Foi afixado nas paredes contíguas às escadas fixas do saguão 2, por intermédio das quais da área de integração entre as linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e o Metrô paulistano se atinge a plataforma central da Estação da Luz. O objetivo do painel, além do estético, é travar uma relação imanente com a Estação da Luz, em cujo subsolo encontra-se instalado. Isso determinou a escolha de sua matéria-prima, ferro oxidado que remete ao material constituinte da estrutura de estação, ferro fundido , e de seu desenho. Este advém principalmente de sinais representativos da estação. Além de dialogar com a estação de trens, o painel interage com a arquitetura na qual está instalado, quanto ao partido adotado, a ambientação e os condicionantes locais. Assim, a análise desse objeto artístico insere-se no debate sobre as relações entre Arte e Arquitetura. A matéria-prima e a técnica para realização do painel também foram estudadas em função de questões estéticas. Neste sentido...

Faculdade de Direito - Escadaria no saguão de entrada no prédio

Resquim
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Contato; image/jpeg; Original; Preto e branco
POR
Relevância na Pesquisa
16.76%

Diagnóstico de satisfação dos clientes em relação ao atendimento do Banco do Brasil S.A. na Agência de Navegantes (SC)

França, Fátima Elisabete Vidal da Rocha Machado de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
16.76%
Este estudo analisa o grau de satisfação dos clientes com o atendimento oferecido pela Agência do Banco do Brasil S. A. de Navegantes (SC). O principal objetivo desta pesquisa foi o de buscar distinguir os pontos de maior satisfação e/ou insatisfação dos clientes selecionados para este estudo. Haja vista que, nos dias de hoje, dada a similaridade dos produtos e serviços oferecidos ao mercado pelos diversos concorrentes da indústria financeira, identificar e avaliar o grau de satisfação dos clientes é fundamental para o desenvolvimento da organização. E o atendimento tem se tornado o grande diferencial competitivo em função de ser o valor mais percebido pelos clientes. A pesquisa foi realizada dentro do método Survey é descritiva com tratamento quantitativo dos dados, que foram coletados com aplicação de questionário elaborado pela própria pesquisadora e praticado no período de 10 a 31 de maio de 2007 no saguão da agência e na sala de auto-atendimento. Os resultados permitem concluir que quanto ao perfil, a maioria dos clientes encontram-se na faixa etária de 19 a 60 anos, são do sexo masculino, possuem em sua maioria ensino médio completo, com renda de até R$ 2.000,00 e tem como ocupação empregado junto a empresa privada...

Economia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
27.42%
Prédio da Faculdade de Economia, vista interna saguão, Campus Centro, quarteirão 1

Exposição Universíade 40 Anos (1963-2003) - Folder de divulgação

Nogueira, Maristel Pereira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Material de Divulgação Formato: 29,5 centímetros de largura x 21 centímetros de comprimento. Frente e verso; image/jpeg
POR
Relevância na Pesquisa
16.76%
Parte interna contém informações sobre a Universíade 1963 e as atividades comemorativas a esse evento. Na parte externa aparece imagem da abertura dos Jogos com desfile da Delegação do Brasil bem como logotipo dos apoiadores da Exposição.; Folder da Exposição "Universíade 40 Anos (1963-2003)", realizada no Saguão do Plenário Otávio Rocha na Câmara de Vereadores de Porto Alegre de 01 a 05 de setembro de 2003. Foram impressas 200 unidades.

Exposição Universíade 40 Anos (1963-2003) - Folder de divulgação

Nogueira, Maristel Pereira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Material de Divulgação Formato: 29,5 centímetros de largura x 21 centímetros de comprimento. Frente e verso; image/jpeg
POR
Relevância na Pesquisa
16.76%
Parte interna contém informações sobre a Universíade 1963 e as atividades comemorativas a esse evento. Na parte externa aparece imagem da abertura dos Jogos com desfile da Delegação do Brasil bem como logotipo dos apoiadores da Exposição.; Folder da Exposição "Universíade 40 Anos (1963-2003)", realizada no Saguão do Plenário Otávio Rocha na Câmara de Vereadores de Porto Alegre de 01 a 05 de setembro de 2003. Foram impressas 200 unidades.

Escola de Engenharia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
16.76%
Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Quarteirão 1, Campus Centro, Praça Argentina, escadaria interna em mármore com corrimão em ferro, saguão principal

Escola de Engenharia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
27.42%
Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Praça Argentina s/nº, Campus Centro, Quarteirão 1, vista interna do saguão principal

Escola de Engenharia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
16.76%
Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Praça Argentina s/nº, Campus Centro, Quarteirão 1, escadaria do saguão principal

Escola de Engenharia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
16.76%
Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Praça Argentina s/nº, Campus Centro, Quarteirão 1, escadaria do saguão principal de mármore

Escola de Engenharia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
27.42%
Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Praça Argentina s/nº, Campus Centro, Quarteirão 1, vista interna, saguão principal, vista da porta de acesso principal

Escola de Engenharia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
27.42%
Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Praça Argentina s/nº, Campus Centro, Quarteirão 1, vista interna, saguão principal

Escola de Engenharia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
27.42%
Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Praça Argentina s/nº, Campus Centro, Quarteirão 1, vista interna, saguão principal

Escola de Engenharia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
27.42%
Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Praça Argentina s/nº, Campus Centro, Quarteirão 1, vista interna, escadaria principal e vista parcial do saguão principal

Escola de Engenharia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
27.42%
Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Praça Argentina s/nº, Campus Centro, Quarteirão 1, vista interna da escadaria principal e parte do saguão principal

Escola de Engenharia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
27.42%
Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Praça Argentina s/nº, Campus Centro, Quarteirão 1, quadros memoriais do saguão principal

Escola de Engenharia

Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Fotografia Formato: Foto; image/jpeg; Digital; Colorida
POR
Relevância na Pesquisa
27.42%
Prédio Centenário da Escola de Engenharia, Praça Argentina s/nº, Campus Centro, Quarteirão 1, quadros de homenagens do saguão principal, 1º pavimento

O saguão na habitação urbana : o interior da casa en torno de um vazio vertical nuclear

Reis, Nuno Miguel Arenga
Fonte: Faculdade de Arquitectura de Lisboa Publicador: Faculdade de Arquitectura de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
38.22%
Doutoramento em Arquitectura; O saguão foi duramente criticado na arquitectura moderna e o seu uso é raro na arquitectura doméstica contemporânea: geralmente, não se reconhece valor arquitectónico próprio e é considerado um espaço insalubre. No entanto, a sua presença no interior da casa revela ainda importantes qualidades: constroi a poética de uma interioridade profunda, a sua estruturação e diferenciação espacial; promove o controlo ambiental doméstico, da temperatura, ventilação, iluminação e sombreamento. Esta investigação reabilita o saguão como protagonista positivo na organização espacial do interior doméstico, como elemento agregador e qualificador de compartimentos interiores, e como definidor de núcleos domésticos de serviços e infra-estruturas. Procuramos a natureza arquitectónica específica do saguão, entender a sua utilização, avaliar a sua utilidade e o seu potencial arquitectónico. Percorrenos a sua evolução e participação na história da casa urbana, discutimos as razões da sua avaliação negativa, discutimos finalmente as potencialidades da sua utilização. Desenvolvemos uma abordagem sincrónica e sintética à discussão do pensamento da casa, dos diversos modos de a conceber. Concluímos com a defesa da integração positiva do saguão na conceptualização da casa contemporânea.; The light-shaft was strongly criticized by modern architecture and its use is rare on contemporary domestic architecture: generally...

A presença do vazio arquitectónico. Elemento estruturador de um edifício híbrido

Jordão, Joana Raquel Delgado
Fonte: Faculdade de Arquitectura de Lisboa Publicador: Faculdade de Arquitectura de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /01/2011 POR
Relevância na Pesquisa
27.42%
Tese de Mestrado em Arquitectura; A presente Dissertação, intitulada A Presença do Vazio Arquitectónico – Elemento Estruturador de um Edifício Híbrido tem como objectivo o estudo da condição do vazio presente na Arquitectura resultando numa proposta para um objecto híbrido que responde a novas situações de vazio, tirando partido deste último como elemento de composição, estruturação e qualificação espacial. Desta forma, partiu-se da definição do conceito de Vazio, identificaram-se e exploraramse três vazios arquitectónicos, contidos (fechados) e definidos, presentes na cidade tradicional: a praça, o pátio e o saguão. Propõe-se uma reinterpretação dos vazios arquitectónicos acima mencionados, passando por uma proposta de redefinição sem que os mesmos percam a lógica morfológica. presente na memória colectiva do peão comum. Explora-se o seu recurso e aplicabilidade no desenvolvimento de um objecto arquitectónico híbrido, capaz de albergar em si as diversas actividades do dia-a-dia: o habitar, o trabalhar, o aprender e o lazer. Finalmente, a Luz como matéria de caracterização dos espaços desenhados, associada e desenvolvida segundo os vazios propostos.; This dissertation, named The Presence of the Architectural Void – Structural Element of an Hybrid Building is a contemplation about the condition of the element void in Architecture and the development of an Hybrid building based on the idea of the void as a structural and compositional element in the spatial qualification. Starting from the definition of the Void’s Concept...

Além da escola: percursos entre Nietzsche e Deleuze

Nodari, Karen Elisabete Rosa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
17.42%
Percursos. Foram muitos. Extensivos e intensivos. Personagens em deslocamento. Num espaço que tanto pode ser escolar como não. Lugares tanto conhecidos como desconhecidos. Movimentos repetidos. De Nietzsche, alunos, professores, funcionários, pais. Da estação de Porta Nuova até a Piazza Carlo Alberto. Do ponto do ônibus até a escola. Do pátio ao saguão. Do corredor às reuniões. Dentro da sala de aula. Sempre iguais, mas nunca os mesmos. Traçado de linhas que extrapolam pontos. O primeiro, o segundo, o terceiro, o quarto, o quinto, período da manhã. De março a dezembro. Cinco dias por semana. Repetir. Repetir. Repetir. Falas, gestos, posições. Contudo, por mais que na escola se repita visando à reprodução exata, ela nunca acontece. Nenhum caminho é igual ao outro.Voltas e revoltas pelos corredores, pelo saguão, pelas salas de aula, pelas salas de reuniões. Trilham-se percursos imprevisíveis dentro dos previsíveis. Mesmo que não se saia do lugar. Pois, há uma potência própria da repetição. Num instante, surgem linhas que escapam ao conhecido, ao esperado, fogem ao pensamento representacional. Afinal, aqueles trajetos são de um só personagem e de vários? Trata-se de um único percurso e também de muitos? O quê? Ninguém sabe dizer. Isso não importa. Suspense produzido por aquele que foge à representação. O próprio movimento de estabelecer a identidade entre o que se ensina e o que se aprende...