Página 1 dos resultados de 1581 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Estudo e desenvolvimento de estratégias para prevenção dos riscos associados ao clima quente, nas explorações de pequenos ruminantes, em Portugal

Silva, J. Santos e; Fitas da Cruz, Vasco; Barbosa, José Carlos
Fonte: DRAPN / FAO-CIHEAM Publicador: DRAPN / FAO-CIHEAM
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
Em várias regiões de Portugal, principalmente no interior, os pequenos ruminantes podem, com muita frequência, ficar expostos a condições de clima quente, temperaturas muito elevadas, ou ondas de calor. Os fenómenos de ondas de calor ou de temperaturas muito elevadas, causam prejuízos avultados e perdas significativas na produção animal. Da mesma forma, a produção dos pequenos ruminantes, pode ser afectada, principalmente a produção de leite e a sua qualidade. Em Portugal, verificamos que são cada vez mais frequentes a ocorrência de situações com condições climáticas adversas, devidas a períodos de temperaturas elevadas. De facto, os dados climáticos mostram uma tendência para a prevalência de temperaturas muito elevadas, durante o Verão, nos anos mais recentes. Ocorreram, também, diversas ondas de calor, com temperaturas acima de 40oC. Porque a incidência destas condições climáticas coincide com as regiões do país onde se concentram as explorações de pequenos ruminantes, estamos a desenvolver um trabalho que pretende estudar e acompanhar estes fenómenos, no intuito de minimizar o seu impacto nas explorações pecuárias In some Portuguese inland regions, small ruminants can be subject to hot climate conditions...

Seroprevalência de border disease em Pequenos ruminantes na região do Baixo Alentejo

Parreira, Miguel Mardel Correia
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
A “Border Disease” é uma doença infecciosa causada por um pestivírus que afecta maioritariamente pequenos ruminantes, causando problemas reprodutivos, alterações congénitas e animais persistentemente infectados. Não existem registos da seroprevalência desta patologia em Portugal. O objectivo deste trabalho foi estudar a seroprevalência de “Border Disease” em explorações de pequenos ruminantes na região do Baixo Alentejo e relacioná-la com a raça dos animais, dimensão do efectivo, coabitação com bovinos e localização da exploração. Em 197 animais, observaram-se 10 seropositivos que correspondem a uma seroprevalência de 5%. Em 29 explorações observaram-se 6 positivas nas quais, havia pelo menos um animal seropositivo, que corresponde a 20,6 % das explorações. Não foi observada relação significativa da prevalência nas explorações com as raças dos animais, a dimensão do efectivo e a sua localização geográfica. Existe maior probabilidade de casos seropositivos de “Border Disease” em pequenos ruminantes que coabitem com bovinos. A seroprevalência de “Border Disease” é baixa na região do Baixo Alentejo. Mais estudos devem ser efectuados de forma a identificar a estirpe do vírus “Border Disease” (BDV) presente nesta região...

Adequação e impasses de uma narrativa: uma leitura de A hora dos ruminantes, de José J. Veiga; Suitability and impasses of a narrative: a reading of The hours of ruminants, of Joseph J. Veiga

Santos, Nedilson César Rodrigues dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.29%
Este trabalho tem como finalidade a análise e interpretação da narrativa A hora dos ruminantes, de José J. Veiga. O objetivo é identificar no enredo a representação de indícios da chegada de um novo momento histórico no Centro-Oeste brasileiro em meados do século passado, ao mesmo tempo em que se procura atentar para certa inovação formal na configuração dessa matéria local em processo de mudança. Essa inovação se dá pela intromissão de um elemento insólito numa narrativa cujo percurso é de característica realista. O elemento insólito é aqui interpretado não como um recurso ao fantástico e sim como um recurso alegórico, com apoio na concepção benjaminiana de alegoria. Antes da análise da obra é feita uma sucinta retrospectiva de algumas narrativas do autor nas quais se procura indicar precedentes que justifiquem o argumento. Essa retrospectiva é útil também para uma melhor contextualização de A hora dos ruminantes na evolução técnica do escritor.; This work is focused on a careful examination and interpretation of the narrative written by José J. Veiga A hora dos ruminantes. The real aim of this essay is to identify in the plot some traces of the new historical moment coming in the Brazilian West-Center in mid past century. Meanwhile...

Caracterização de isolados de Clostridium perfringens de ruminantes; Characterization of Clostridium perfringens isolates from ruminants

Miyashiro, Simone
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.16%
C. perfringens é uma bactéria anaeróbia presente no intestino delgado do homem e animais em equilíbrio e, sob a ação de alguns fatores predisponentes como mudança brusca de alimentação ou super alimentação, stress no manejo ou alto parasitismo intestinal, há a proliferação do microrganismo com a consequente produção de potentes toxinas que provocam a morte do animal. Dentre as toxinas principais destaca-se a toxina alfa, importante fator de virulência, produzida por todos os tipos de C. perfringens, sendo os pertencentes ao tipo A os maiores produtores. A fim de caracterizar o microrganismo em suspeitas de enterotoxemia em ruminantes, trabalhamos com 61 amostras de intestino delgado de bovinos e 12 de ovinos como grupo estudo e no grupo controle composto de animais hígidos levados ao abate, 73 amostras de intestino delgado de bovinos e 24 de ovinos. Foram realizados procedimentos de isolamento e tipagem molecular de C. perfringens e quantificação celular, detecção molecular da toxina β2, além de avaliações moleculares qualitativa (PCR convencional) e quantitativa (PCR em tempo real) do gene da toxina alfa dos diferentes isolados. Em 29 amostras do grupo estudo bovino (47,54%) e em 4 (33,33%) do grupo estudo ovino isolou-se o microrganismo...

Intoxicações naturais por plantas em ruminantes diagnosticadas no Setor de Patologia Veterinária da UFRGS no período de 1996-2005; Spontaneous poisoning in ruminants by consumption of toxic plants: cases diagnosed by the Laboratory of Veterinary Pathology (UFRGS) in the period 1996-2005

Pedroso, Pedro Miguel Ocampos; Pescador, Caroline Argenta; Oliveira, Eduardo Conceição de; Sonne, Luciana; Bandarra, Paulo Mota; Raymundo, Djeison Lutier; Driemeier, David
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
As intoxicações por plantas em animais pecuários têm particular importância em áreas onde o manejo do pastoreio é feito de forma extensiva. Entre os herbívoros, os ruminantes são os mais suscetíveis. Esse estudo retrospectivo incluiu as intoxicações por plantas em ruminantes diagnosticadas no Setor de Patologia Veterinária (SPV) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) no período de 1996-2005. Essas intoxicações causaram 7,58% (43/567) das mortes de bovinos, 11,46% (25/218) de ovinos e 7,69 % (16/208) de caprinos necropsiados pelo SPV-UFRGS. Destaca-se que das perdas associadas com intoxicações: 62,79% das mortes em bovinos foram atribuídas à lesão hepática crônica causada por Senecio spp.; 28% das mortes em ovinos, às lesões no trato gastrintestinal por Baccharis coridifolia e 75% das mortes em caprinos, à doença de depósito lisossomal por Sida carpinifolia. Os achados indicam que a intoxicação por plantas é importante causa de perda econômica em ruminantes na área de atuação do SPV/UFRGS no Rio Grande do Sul.; Spontaneous poisoning by toxic plants in farm animals has particular importance in areas where extensive pastoral management is practiced. Among herbivores, ruminants are the most susceptible species. This retrospective study includes the cases of plant poisoning in ruminants diagnosed in the Laboratory of Veterinary Pathology...

Unidade de Estudos de Mastites em Pequenos Ruminantes - estudos em ovinos de regime extensivo

Queiroga, Cristina; Potes, Maria Eduarda; Duarte, Elsa Maria; Marinho, Artur; Bettencourt, Carlos Manuel; Matos, Claudino; Belo, Carlos Carmona; Ribeiro, José Manuel; Vilela, Cristina Lobo
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
A “Unidade de Estudo de Mastites em Pequenos Ruminantes”, formalmente constituída no âmbito do Programa Nacional de Re-equipamento Científico, da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, vem dar corpo ao trabalho de colaboração de diversas equipas de investigação que se têm debruçado sobre a problemática das infecções intramamárias em pequenos ruminantes, nos seus aspectos de saúde animal, saúde pública veterinária e qualidade e segurança alimentar. Tem como principal objectivo criar condições para o desenvolvimento de trabalhos de investigação e divulgação científica que contribuam para reduzir a prevalência de mastites em pequenos ruminantes e assim melhorar a produção e a qualidade do leite, favorecendo produtores de leite, produtores de queijo e consumidores. Entre os trabalhos já realizados, pela equipa científica, destaca-se o isolamento e identificação de agentes etiológicos de mastite em ovelhas e estudos epidemiológicos relativos a esta afecção, o estudo de factores de virulência nas bactérias mais relevantes, o estudo dos mecanismos de infecção e a resposta imunológica local e sistémica do hospedeiro. O estudo da etiologia e da fisiopatologia da mastite ovina, com o objectivo de compreender a modulação da resposta imunitária da glândula mamária...

Avaliação da Inspecção em Pequenos Ruminantes

Potes, Maria Eduarda; Monteiro, Maria Helena; Albardeiro, Ana; Petit-Richaud, Tourmaline
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
37.06%
A Inspecção Sanitária deve garantir que a carne disponível para consumo é procedente de animais saudáveis, eliminando a que se encontra alterada ou que é proveniente de animais doentes, de modo a que não represente risco para a saúde humana. Para atingir este objectivo, para além da verificação das condições de bem-estar animal, de higiene dos estabelecimentos onde se realiza o abate e desmancha e de outras tarefas, o inspector sanitário desempenha um papel crucial através dos actos de inspecção ante-mortem, de inspecção post mortem e de registo de dados recolhidos na execução destas funções. Este registo constitui uma importante fonte de informação que devidamente organizada poderá dar um contributo relevante para a elaboração dos planos de profilaxia sanitária das explorações. Através da consulta das bases de dados de dois matadouros (A e B) localizados no Alentejo, obtiveram-se o volume de abate e as taxas e causas de rejeição de pequenos ruminantes, entre o período de Julho de 2009 e Dezembro de 2011. Durante esse período, registou-se um volume total de abate de 501 582 cabeças de ovinos, (correspondentes a 6 594 417,39 Kg de carne) e de 80 724 cabeças de caprinos (correspondentes a 476 226...

Contribuição para a avaliação do parasitismo por nematodes gastrointestinais em ruminantes no Alentejo Central

Tábuas, Lino Fernando Oliveira
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.06%
O parasitismo por nematodes gastrointestinais é causa de perdas económicas em animais de produção. Com o propósito de caracterizar melhor o parasitismo em ruminantes, foram colhidas amostras de fezes em 50 explorações, 20 de bovinos, 15 de ovinos e 15 de caprinos. Estas foram analisadas pelo método de McMaster para o cálculo do número de ovos excretados por grama de fezes. Das amostras positivas foram efectuadas coproculturas para obtenção de larvas L3. Nas explorações de bovinos, os adultos encontram-se pouco parasitados com 10% de amostras positivas e 40% entre os jovens. O género infectante mais comum foi Haemonchus. As explorações de ovinos e caprinos apresentam percentagens de infecção semelhantes em adultos, 80% e 73,3%, respectivamente e muito discrepantes em jovens, 73,3% e 13,3%. O género mais comum foi Ostertagia (Teladorsagia) em ambas espécies de pequenos ruminantes; #### ABSTRACT: Contribution to the evaluation of parasitism by gastrointestinal nematodes in ruminants in central Alentejo. The parasitism by gastrointestinal nematodes is an important cause of economic losses in livestock. In order to better characterize the parasitism in ruminants, fecal samples were collected in 50 farms, 20 from cattle herds...

Caracterização de mamites em pequenos ruminantes abatidos para consumo

Correia, Cláudia Augusta Rodrigues
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Dissertação de Mestrado em Segurança Alimentar; A mamite é uma inflamação da glândula mamária, normalmente de natureza multifatorial, cuja etiologia é essencialmente infeciosa ou traumática. Trata-se de infeções frequentes em pequenos ruminantes e uma causa importante de refugo destes animais nos rebanhos, sendo, por isso, provável o seu aparecimento em matadouro. Este estudo teve como objetivo principal caracterizar as mamites detetadas em pequenos ruminantes abatidos para consumo, assim como às alterações nos gânglios linfáticos relacionados. Depois de feito o diagnóstico macroscópico confirmamos o resultado através de exame histopatológico das amostras recolhidas. Os resultados deste estudo mostram que a percentagem de mamites detetadas foi de 3,9% da totalidade de fêmeas adultas apresentadas para abate. Tendo em conta o número de fêmeas em cada estado produtivo, a frequência de mamite é muito superior em animais em lactação (12,2%) do que em animais em fase seca (2,5%). Analisando as causas de reprovação total em pequenos ruminantes adultos, observamos que as mamites representam 12,5% das patologias encontradas. Quanto à presença de reação ganglionar associada, constatamos que em todos os casos de mamite os gânglios linfáticos retromamários encontram-se alterados...

Laparoscopia em ruminantes : utilização de uma técnica mini-invasiva na correcção do deslocamento do abomaso à esquerda

Gonçalves, Joana Isabel Ribeiro da Costa
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 29/11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; O objectivo deste trabalho é descrever as principais aplicações da laparoscopia em ruminantes e o uso desta técnica na correcção do deslocamento abomasal, de forma regular, na clínica de animais de pecuária. A área da endoscopia tem tido uma evolução notável nas últimas décadas, para a qual têm também contribuído os avanços verificados a nível tecnológico. Em laparoscopia de ruminantes são geralmente usados laparoscópios rígidos e as principais vantagens desta cirurgia incluem o facto de ser mini-invasiva, a redução da duração do procedimento, poucas complicações e tempo de recuperação pós-cirúrgico mais curto. As principais desvantagens incluem o preço do equipamento, a curva de aprendizagem e a perda de sensação táctil em comparação com a cirurgia aberta. São indicados neste trabalho os tipos de equipamento comummente usados e sugestões de cuidados pré e pós cirúrgicos. A anatomia abdominal observada através do laparoscópio e possíveis abordagens cirúrgicas são também referidas. No que diz respeito ao deslocamento abomasal, para além de várias técnicas disponíveis para a sua correcção, é descrita a patogenia da doença...

Lentivírus de pequenos ruminantes (CAEV e Maedi-Visna): revisão e perspectivas

Callado,Ana Karina Cunha; Castro,Roberto Soares de; Teixeira,Maria Fátima da Silva
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2001 PT
Relevância na Pesquisa
37.06%
Os lentivírus de pequenos ruminantes (SRLV), cujos protótipos são os vírus da Artrite-Encefalite Caprina (CAEV) e Maedi-Visna, são patógenos amplamente distribuidos, os quais causam doenças degenerativas progressivas lentas em caprinos e ovinos, determinando importantes perdas econômicas. Estes vírus causam infecções persistentes com período de incubação longo e causam inflamatórias e degenerativas. As lesões são induzidas em tecidos específicos do hospedeiro como articulações, pulmões, CNS e glandulas mamárias devido à replicação viral em células da linhagem monocítico-fagocitária que são as principais células-alvo. A infecção ocorre principalmente durante os primeiros meses de vida, através da ingestão de vírus no leite ou colostro de cabras ou ovelhas infectadas. A indução da resposta imunológica é variável e não protege contra a infecção. O diagnóstico é baseado primariamente na detecção de anticorpos para SRLV, geralmente por imunodifusão em gel de agar (AGID) e enzyme linked immunosorbent assay (ELISA). O diagnóstico e separação ou descarte dos animais soropositivos associado ao uso de certas práticas de manejo, especialmente das crias, são os principais meios implementados para prevenir a disseminação de SRLV...

Doenças parasitárias em ruminantes no semi-árido brasileiro

Costa,Valéria Medeiros de M.; Simões,Sara V.D.; Riet-Correa,Franklin
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.16%
Arquivos de fichas clínicas de ruminantes ou amostras para diagnósticos recebidos pelo Hospital Veterinário da Universidade de Campina Grande, em Patos, Paraíba, de janeiro 2000 a agosto 2007, foram revisados para avaliar alguns aspectos epidemiológicos de doenças parasitárias de ruminantes na região semi-árida da Paraíba e estados vizinhos. A região apresenta precipitações médias anuais de aproximadamente 800mm, com chuvas irregulares concentradas em um período de 3-4 meses e uma temperatura média anual de 26°C. No período, 163 (5,31%) de 3.064 ruminantes foram afetados por alguma doença parasitária clinica. A doença parasitária mais frequente em caprinos e ovinos foi a helmitose gastrointestinal, principalmente a hemonchose, e caprinos foram mais afetados (6,24% dos casos diagnosticados) do que os ovinos (4,7% dos casos diagnosticados). A maior freqüência da doença nos caprinos pode estar associada à maior susceptibilidade destes ou devido a erros no tratamento, como a utilização da mesma dose para as duas espécies, o que para a maioria dos anti-antihelmínticos é insuficiente para caprinos. Bovinos tiveram uma baixa freqüência de helmintoses gastrintestinais (1 de 1.113 casos). Esta baixa freqüência deveu-se...

Calcinose enzoótica em ruminantes no Brasil Central

Guedes,Karla M.R.; Colodel,Edson M.; Castro,Márcio B.; Souza,Marcos A.; Arruda,Laura P.; Dianezi,Daniela M.; Borges,José Renato J.; Riet-Correa,Franklin
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.06%
A calcinose enzoótica é uma enfermidade caracterizada por mineralização de artérias e tecidos moles, osteopetrose, hipercalcemia e hiperfosfatemia. Neste trabalho descreve-se uma calcinose enzoótica em ruminantes no Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Tocantins e no Distrito Federal, em campos onde não foi encontrada nenhuma das plantas calcinogênicas conhecidas. Os primeiros casos foram diagnosticados em 2004, e até 2010 foram necropsiados 86 casos da doença provenientes de 42 propriedades. Trinta e três propriedades foram visitadas, e em 32 os pastos eram caracterizados por moderada a acentuada degradação e invasão por plantas daninhas. A doença foi diagnosticada em ovinos em 19 fazendas, em bovinos em 17, em caprinos em 5 e em uma fazenda foram afetados tanto caprinos quanto ovinos. Animais adultos foram mais acometidos, mas a doença foi observada, também, em animais lactentes. A enfermidade foi observada durante todo o ano, mas a maioria dos surtos ocorreu nos meses de maior índice pluviométrico. Em duas fazendas foram determinados, mensalmente, os níveis séricos de Ca e P observando-se uma elevação significativa dos mesmos durante o período de chuvas. Os principais sinais clínicos observados foram de emagrecimento progressivo...

Distúrbios comportamentais em ruminantes não associados a doenças: origem, significado e importância

Malafaia,Pedro; Barbosa,José Diomedes; Tokarnia,Carlos Hubinger; Oliveira,Carlos Magno Chaves
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.16%
Os estudo científico do comportamento animal frente às distintas modificações do ambiente (inanimado ou não) onde os mesmos estão sendo criados, constitui o principal objetivo da etologia. Por outro lado, muitas doenças que acometem os ruminantes também cursam produzindo diversas alterações no comportamento desses animais; portanto, os profissionais que trabalham com ruminantes precisam reconhecer o que vem a ser um comportamento anormal, decorrente do empobrecimento ambiental associado ou não a erros alimentares e que resulta em prejuízos ao bem-estar dos animais (p.ex. confinamentos com superlotação, falta de sombra nas pastagens, volumosos finamente moídos) daqueles oriundos de doenças ou estados carenciais, como por exemplo a depravação do apetite causada pelas deficiências de sódio, cobalto e de fibra fisicamente efetiva. O propósito dessa revisão é discutir sobre os principais desvios comportamentais verificados nos ruminantes domésticos criados em sistemas intensivos ou não no Brasil.

Estudo retrospectivo das neoplasias em ruminantes e equídeos no semiárido do Nordeste Brasileiro

Carvalho,Fabricio K. de L.; Dantas,Antônio F.M.; Riet-Correa,Franklin; Andrade,Rachel L.F.S. de; Nóbrega Neto,Pedro I. da; Miranda Neto,Eldinê G. de; Simões,Sara V.D.; Azevedo,Sérgio S.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.06%
No Brasil, dados relacionados com a ocorrência de neoplasias em ruminantes e equinos são escassos. Objetivou-se com este trabalho determinar a frequência de neoplasias diagnosticadas em bovinos, caprinos, ovinos e equídeos no Laboratório de Patologia Animal da Universidade Federal de Campina Grande, Patos, Paraíba, durante o período de 1983 a 2010 e analisar os fatores de risco, mediante o teste de qui-quadrado, considerando como variáveis, espécie, raça, sexo e idade. Durante o período foram registrados 177 (5,6%) tumores de um total de 3.153 diagnósticos provenientes de biópsias e necropsias. Houve diferenças significantes (p<0,001) na frequência de tumores entre as diferentes espécies sendo mais acometidos os equinos (10,6%), seguidos pelos bovinos (6,8%), caprinos (3,3%) e ovinos (2,1%). Os tumores mais frequentes foram o carcinoma células escamosas (CCE) nos bovinos (58,3%), ovinos (80%) e caprinos (46,1%) e o sarcoide em equinos (45,3%). Quanto à localização anatômica, as neoplasias foram mais frequentes na pele em equídeos (62,5%) e ovinos (60%), olho e tecido periocular em bovinos (36,1%) e sistema reprodutor feminino (períneo e vulva) em caprinos (34,6%). Em relação ao sexo dos animais, apenas os bovinos apresentaram prevalência significativa (p<0...

Tratamento conservativo e cirúrgico em 22 ruminantes com fraturas em membros

Câmara,Antônio Carlos Lopes; Calado,Eraldo Barbosa; Antunes,João Marcelo A. de Paula; Oliveira,Camila Marinho de M.; Afonso,José Augusto Bastos; Costa,Nivaldo de Azevêdo
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.23%
O objetivo do presente trabalho foi relatar os principais locais de fraturas em membros de 22 ruminantes e determinar a eficiência dos tratamentos utilizados. Foram incluídos no estudo oito caprinos, oito ovinos e seis bovinos Em casos de fraturas distais, o tratamento conservativo com imobilização foi o método de eleição. Em casos de fraturas proximais e fraturas expostas de metatarso ou metacarpo, os ruminantes foram tratados cirurgicamente. Observou-se maior frequência de fraturas envolvendo o metacarpo ou metatarso (54,5%), seguido por fraturas de tíbia (22,7%), fêmur (9%) e casos isolados de fraturas de falange medial, úmero, rádio e ulna (4,5% cada). O índice de recuperação total alcançou 95,4%. A imobilização com gesso associada à tala de Thomas, ou apenas com talas de madeira em animais jovens, foi eficiente na redução de fraturas de metacarpo, metatarso, tíbia, úmero e rádio nos ruminantes tratados. Enquanto no caso de fratura de falange medial, a imobilização com uso apenas de gesso foi suficiente para proporcionar reparação óssea adequada. A fixação esquelética externa ou interna deve ser considerada uma opção no tratamento de fraturas metacárpicas, metatársicas, tibiais e femorais em ruminantes...

Utilização de nitrogênio não protéico em dietas de ruminantes.

RODRIGUES, A. de A.
Fonte: In: SIMPÓSIO GOIANO SOBRE MANEJO E NUTRIÇÃO DE BOVINOS DE CORTE E LEITE, 5., 2003, Goiânia. Anais... Goiânia: CBNA, 2003. Publicador: In: SIMPÓSIO GOIANO SOBRE MANEJO E NUTRIÇÃO DE BOVINOS DE CORTE E LEITE, 5., 2003, Goiânia. Anais... Goiânia: CBNA, 2003.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: p.167-196.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Há mais de um século foi verificado na Alemanha que os ruminantes podem: converter nitrogênio não protéico em proteína (NRC, 1976). Dentre as diversas, fontes de nitrogênio não protéico (NNP), a uréia tem sido a mais utilizada na dieta de ruminantes. Após esse fato, durante os sessenta anos seguintes, este assunto foi, intensivamente pesquisado por nutricionistas da Alemanha. Nos Estados Unidos os estudos começaram em Wisconsin, sendo um dos primeiros trabalhos publicados por Hart et ai (1939) sobre o uso da uréia por novilhas em crescimento. Este trabalho foi o precursor de uma série de experimentos que tinha como objetivo comum o estudo de aspectos metabólicos sobre a utilização de nitrogênio não protéico por ruminantes. Outro passo marcante sobre a utilização de NNP foi conduzido por Loosli et aI. (1949), que demonstrou que a uréia poderia servir como única fonte de nitrogênio para ruminantes. No Brasil, os primeiros trabalhos de, pesquisa sobre o uso da uréia foram realizados com bovinos em confinamento e foram publicados a partir de 1970, embora desde os primeiros anos da década de 1960 José Resende Peres tenha adotado em sua fazenda Brasília, localizada em São Pedro dos Ferros-MG, a mistura melaço-uréia (na proporção 9: 1)...

Eimeria spp. em ruminantes no Estado de Mato Grosso do Sul

Rodrigues, Fernando de Souza
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
O objetivo da dissertação foi abordar aspectos clínicos, epidemiológicos, patológicos e diagnósticos da eimeriose em ruminantes. A eimeriose, também denominada coccidiose, é uma doença causada por Eimeria spp., protozoários parasitas intracelulares do epitélio intestinal de aves, ruminantes, equinos, suínos e coelhos, que tem como principal característica a alta especificidade aos hospedeiros. A eimeriose apresenta distribuição ampla, com a infecção ocorrendo principalmente em animais mantidos em áreas contaminadas, com alta densidade animal, como confinamentos, locais próximos dos bebedouros e cochos, pilhas de feno, tipicamente ambientes que facilitam a infecção; porém, os animais em sistemas extensivos também podem apresentar alta carga parasitária. Os jovens são os mais susceptíveis, principalmente bezerros de três semanas até um ano de idade. A coccidiose em ruminantes pode ocorrer sob forma clínica ou subclínica, dependendo do nível de infecção e da resistência do hospedeiro e a manifestação clínica e as alterações patológicas da doença dependem do número de oocistos ingeridos, espécie de Eimeria envolvida, idade do animal e status imunológico do mesmo. A imunidade desenvolvida contra a eimeriose é do tipo celular...

Dist?rbios comportamentais em ruminantes n?o associados a doen?as: origem, significado e import?ncia

MALAFAIA, Pedro Ant?nio Muniz; BARBOSA NETO, Jos? Diomedes; TOKARNIA, Carlos Maria Ant?nio Hubinger; OLIVEIRA, Carlos Magno Chaves
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
O estudo cient?fico do comportamento animal frente ?s distintas modifica??es do ambiente (inanimado ou n?o) onde os mesmos est?o sendo criados constitui o principal objetivo da etologia. Por outro lado, muitas doen?as que acometem os ruminantes tamb?m cursam produzindo diversas altera??es no comportamento desses animais; portanto, os profissionais que trabalham com ruminantes precisam reconhecer o que vem a ser um comportamento anormal, decorrente do empobrecimento ambiental associado ou n?o a erros alimentares e que resulta em preju?zos ao bem-estar dos animais (p.ex. confinamentos com superlota??o, falta de sombra nas pastagens, volumosos finamente mo?dos) daqueles oriundos de doen?as ou estados carenciais, como por exemplo, a deprava??o do apetite causada pelas defici?ncias de s?dio, cobalto e de fibra fisicamente efetiva. O prop?sito dessa revis?o ? discutir sobre os principais desvios comportamentais verificados nos ruminantes dom?sticos criados em sistemas intensivos ou n?o no Brasil.; ABSTRAC: The scientific study of animal behavior, especially when the animated or inanimated environment is changed, is the main objective of ethology. Many diseases which occur in ruminants develop some degree of change in their behavior. Professionals that work with ruminants should distinguish abnormal behavior due to environmental disturbance when their welfare is negatively affected (i.e. feedlots with high stock ratio...

Influ??ncia da hipocalcemia subcl??nica no metabolismo energ??tico de ruminantes; Influence of subclinic hypocalcemia in energy metabolism of ruminants

SCHMITT, Eduardo
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Veterin??ria; Programa de P??s-Gradua????o em Veterin??ria; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Veterin??ria; Programa de P??s-Gradua????o em Veterin??ria; UFPel; BR
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.16%
Three experiments were designed based in evidences that the calcium have the important role in the energetic metabolism of ruminants. The first experiment tested the possibility of use the Ca2Cl as diagnostic in impaired of insulin secretion and glucose metabolism in pregnant ewes. In the others two we researched the hypocalcemia effects in the metabolic profile of dairy cows in good body score condition during prepartum and ewes that were in chronic negative energetic balance. The calcium infusion during the late gestation seems no change insulin secretion and glucose metabolism during the glucose tolerance test. However, new investigation about the form of administration and the dose to ruminant need to be review. In dairy cows that were in good body condition score in prepartum the hypocalcemia seem has been responsible to change the energetic status. Nevertheless hypocalcaemic ewes that were in chronic negative energetic balance, the energy status was not changed. These founds suggest that the hypocalcemia could be responsible to induce the negative energetic balance in ruminants, but this effect may be dependent of adaptations conditions in the prepartum.; Com base em evid??ncias de que o c??lcio exerce um papel importante no metabolismo energ??tico de ruminantes...