Página 1 dos resultados de 1109 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Indole monoterpene alkaloids from Chimarrhis turbinata DC Prodr.: a contribution to the chemotaxonomic studies of the Rubiaceae family; Alcalóides indólicos monoterpênicos de Chimarrhis turbinata DC. Prodr.: uma contribuição para os estudos de quimiotaxonomia da família Rubiaceae

CARDOSO, Carmen L.; SILVA, Dulce Helena S.; YOUNG, Maria Cláudia M.; CASTRO-GAMBOA, Ian; BOLZANI, Vanderlan da Silva
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
37.33%
The morphological parameters used to establish close connections among species taxonomically different into the Rubiaceae family is complex, mainly due to the lack of information on habitat and morphoanatomical characters in the lower hierarchic groups, for example, Chimarrhis genus. The micromolecular profile of delimited species into determined taxa can be useful to establish the boundaries among close taxonomic groups, and to indicate evolutionary phylogenetic trends into the taxa. Several indole alkaloids isolated from C. turbinata showed to be a valuable tool to support the taxonomic classification performed by Robbrecht, who established the most recent taxonomy for Rubiaceae, based on morphological characters, and concluded that Chimarrhis belong to Condamineae, and subfamily Cinchonoideae.; A utilização de parâmetros apenas morfológicos para posicionar taxonomicamente diversas espécies em sub-famílias e tribos na família Rubiaceae é bastante problemática devido à falta de informações sobre a distribuição geográfica e de características morfoanatômicas nos níveis hierárquicos mais baixos, como por exemplo, o gênero Chimarrhis. O perfil micromolecular de diferentes espécies pode auxiliar na delimitação de tribos indicando tendências filogenéticas mais completas entre as tribos das sub-famílias...

Triterpenos de Alibertia edulis A. rich (Rubiaceae); Triterpenes Alibertia edulis A. Rich (Rubiaceae)

Brochini, Cláudia Barbosa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/05/1993 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
A família Rubiaceae se caracteriza por produzir uma grande variedade de metabólitos secundários. Alcalóides, triterpenos iridóides e antraquinonas destacam-se entre os produtos naturais de maior ocorrência nas rubiaceas. Espécies desta família ocorrem com frequência no cerrado brasileiro, sendo que o gênero Alibertia, não havia sido estudado até recentemente. O presente trabalho, que é o primeiro com a espécie Alibertia edulis A. Rich, descreve o isolamento, identificação e determinação estrutural de triterpenos presentes nas folhas de um espécimen coletado nas proximidades de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. O estudo da fração clorofórmica do extrato etanólico mostrou a ocorrência predominante de triterpenos. Foram isolados através dos métodos cromatográficos usuais (coluna e placa preparativa), os pares oleanano-ursano urs-12-en-3β,28-diol e olean-12-en-3β,28-diol; 3β-hidroxiurs-12-en-28-óico e 3β-hidroxiolean-12-en-28-óico; 3β,23-diidroxiurs-12-en-28-óico e 3β,23-diidroxiolean-12-en-28-óico, que foram identificados através dos espectros de RMN de 13C e 1H. A mistura dos ésteres metílicos dos ácidos 3β, 19α,23,24-tetraidroxiurs-12-en-28-óico e 3β, 19α...

Desenvolvimento do rudimento seminal em Borreria verticillata (L.) G. Mey. (Rubiaceae-Rubioideae-Spermacoceae); Ovule development in Borreria verticillata (L.) G. Mey. (Rubiaceae – Rubioideae – Spermacoceae)

De Toni, Karen Lucia Gama
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
O uso de caracteres embriológicos tem-se mostrado promissor para relacionar subfamílias, tribos, gêneros e espécies de Rubiaceae. A partir da ginosporogênese (megasporogênese) e formação do rudimento seminal (óvulo) de Borreria verticillata (L.) G. Mey. este trabalho visa enquadrar a espécie nas propostas evolutivas já existentes para Rubiaceae, além de disponibilizar informações para a taxonomia do gênero. A espécie possui ovário ínfero, bilocular e bicarpelar, com um rudimento seminal por lóculo, que, em seu desenvolvimento completo, é anátropo, unitegumentado e tenuinucelado, disposto em placentação axial. O primórdio seminal possui três camadas: dérmica, subdérmica e central. O início da formação do rudimento se dá por divisões não preferenciais da camada central. Em seguida, células derivadas da camada dérmica originam o tegumento e a epiderme nucelar. O arquespório é composto por uma a cinco células arquesporiais e a epiderme nucelar por duas a três células. Do conjunto de células arquesporiais, de uma a três se desenvolvem em células-mãe de ginósporos (células-mãe de megásporos), cuja meiose origina uma tétrade linear, sendo funcional o ginósporo (megásporo) calazal. Comparando os resultados obtidos com a literatura especializada enquadra-se B. verticillata no tipo Mitracarpus...

Coléteres dendróides em Alibertia sessilis (Vell.) K. Schum., uma espécie não-nodulada de Rubiaceae

Barreiro, Daniela Pacheco; Machado, Silvia Rodrigues
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 387-399
POR
Relevância na Pesquisa
37.33%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Processo FAPESP: 02/09369-2; Processo FAPESP: 03/11747-8; Processo FAPESP: 00/12469-3; Coléteres dendróides em Alibertia sessilis (Vell.) K. Schum., uma espécie não-nodulada de Rubiaceae). Este trabalho descreve a distribuição, estrutura e histoquímica dos coléteres presentes em ápices vegetativo e reprodutivo de Alibertia sessilis (Vell.) K. Schum., uma espécie de Rubiaceae nativa do cerrado. Coléteres dendróides, nesta família, têm sido freqüentemente associados com a presença de nódulos bacterianos nas folhas. As amostras foram preparadas segundo técnicas usuais em microscopia de luz e eletrônica de varredura. Testes histoquímicos foram feitos em secções de material recém coletado. Os coléteres são do tipo dendróide e ocorrem na face adaxial das estípulas, brácteas e sépalas; consistem de um eixo central multicelular e multisseriado, de natureza parenquimática, revestido por células epidérmicas digitiformes ou pontiagudas de tamanhos irregulares, unidas entre si somente na porção proximal e separadas umas das outras na porção distal. As células colunares são axialmente alongadas e possuem paredes espessas...

Indole monoterpene alkaloids from Chimarrhis turbinata DC Prodr.: a contribution to the chemotaxonomic studies of the Rubiaceae family

Cardoso, Carmen L.; Silva, Dulce Helena S.; Young, Maria Cláudia M.; Castro-Gamboa, Ian; Bolzani, Vanderlan da Silva
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 26-29
ENG
Relevância na Pesquisa
37.33%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); A utilização de parâmetros apenas morfológicos para posicionar taxonomicamente diversas espécies em sub-famílias e tribos na família Rubiaceae é bastante problemática devido à falta de informações sobre a distribuição geográfica e de características morfoanatômicas nos níveis hierárquicos mais baixos, como por exemplo, o gênero Chimarrhis. O perfil micromolecular de diferentes espécies pode auxiliar na delimitação de tribos indicando tendências filogenéticas mais completas entre as tribos das sub-famílias, já que os metabólitos secundários são expressões de adaptação, regulação e evolução de um determinado táxon. Nesse contexto, os alcalóides indólicos monoterpênicos isolados de Chimarrhis turbinata foram bastante úteis para embasar a classificação taxonômica feita por Robbrecht, em que posiciona Chimarrhis como um gênero da tribo Condamineae e subfamília Cinchonoideae.; The morphological parameters used to establish close connections among species taxonomically different into the Rubiaceae family is complex, mainly due to the lack of information on habitat and morphoanatomical characters in the lower hierarchic groups...

Inter and intraspecific variation on reproductive phenology of the Brazilian Atlantic forest Rubiaceae: Ecology and phylogenetic constraints

San Martin-Gajardo, Ivonne; Morellato, L. Patricia C.
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 691-698
ENG
Relevância na Pesquisa
37.33%
The reproductive phenology of seven species of Rubiaceae from the Brazilian Atlantic rain forest was compared to evaluate the occurrence of phylogenetic constraints on flowering and fruiting phenologies. Since phenological patterns can be affected by phylogenetic constraints, we expected that reproductive phenology would be similar among plants within a family or genus, occurring during the same time (or season) of the year. Observations on flowering and fruiting phenology were carried out monthly, from December 1996 to January 1998, at Núcleo Picinguaba, Parque Estadual da Serra do Mar, Ubatuba, São Paulo State, Brazil. Nine phenological variables were calculated to characterize, quantify and compare the reproductive phenology of the Rubiaceae species. The flowering patterns were different among the seven species studied, and the Kruskal-Wallis test indicated significant differences in flowering duration, first flowering, peak flowering and flowering synchrony. The peaks and patterns of fruiting intensity were different among the Rubiaceae species studied and they differed significantly from conspecifics in the phenological variables fruiting duration, fruiting peak date, and fruiting synchrony (Kruskal-Wallis test). Therefore, we found no evidence supporting the phylogenetic hypotheses...

Estudo químico e biológico de espécies de Rubiaceae

Silva, Viviane Cândida da
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 330 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
37.46%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Química - IQ; Rubiaceae encontra-se amplamente distribuída nos principais ecossistemas brasileiros (Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica). É bem conhecida devido à importância econômica e terapêutica de suas espécies, especialmente Coffea arabica e Cinchona ledgeriana. Relatos sobre os constituintes químicos de Rubiaceae mostram uma grande diversidade de metabólitos secundários, tais como iridóides, alcalóides, antraquninonas, flavonóides, derivados fenólicos, triterpenos e diterpenos. Poucos estudos químicos do gênero Alibertia têm sido relatados, apesar da evidência de que Rubiaceae representa uma fonte rica de micromoléculas. Este trabalho descreve o estudo químico dos extratos dos caules de três espécies de Alibertia (A. edulis, A. macrophylla e A. sessilis). Os extratos foram submetidos a várias técnicas cromatográficas e quando necessário CLAE preparativa foi empregada para purificar algumas frações. Estes fracionamentos resultaram no isolamento e elucidação/identificação estrutural de onze triterpenos, oito iridóides e sete derivados fenólicos...

Citotaxonomia de representantes da subfamilia Rubioideae (Rubiaceae) nos cerrados do Estado de São Paulo; Cytotaxonomy of representative Rubicideae subfamily (Rubiaceae) from "cerrados" of the São Paulo state

Andrea Macedo Correa
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/03/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.38%
As Rubiaceae (A. L. de Jussieu), ordem Gentianales, subclado Euasteride I do clado Asteride, é composta por plantas de hábito variado, e compreende uma das maiores famílias de Angiospermas. A família está subdividida em quatro subfamílias, 637 gêneros e aproximadamente 10.700 espécies. São plantas cosmopolitas, com espécies de considerável expressão econômica como o café (C. arabica L. e C. canephora Pierre ex A. Froehner), além de espécies de interesse farmacológico (Cinchona L.) e florístico (Ixora L., Gardenia J. Ellis e Pentas Benth.). Apresenta ampla distribuição, com considerável representação no Cerrado brasileiro, região considerada para esse estudo. Foram realizadas análises cromossômicas em espécies da subfamília Rubioideae, encontradas no estado de São Paulo, nas áreas das Estações Experimentais de Itirapina e Assis, na Reserva Biológica de Mogi-Guaçu e em Corumbá e Três Lagoas, Mato Grosso do Sul. Algumas contagens cromossômicas apresentadas concordaram com as já relatadas na literatura, como 2n = 20 (Coccocypselum lanceolatum (Ruiz & Pav.) Pers.) e 2n = 22 (Coussarea hydrangeifolia (Benth.) Müll. Arg. e Psychotria hoffmannseggiana (Willd. Ex Roem. & Schult.) Müll. Arg.). Foram obtidas contagens inéditas para o gênero Rudgea Salisb. (2n = 44 R. viburnoides (Cham.) Benth.)...

Rubiaceae Juss. do Parque Estadual das Varzeas do Rio Ivinhema, Mato Grosso do Sul : floristica, sistema reprodutivo, distribuição espacial e relações alometricas de especies distilicas; Rubiaceae Juss. of Parque Estadual das Varzeas do Rio Ivinhema, Mato Grosso do Sul state : florisitic, reproductive system, spatial distribuition and relationships allometry of dytylous species

Zefa Valdivina Pereira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.43%
Rubiaceae compreende cerca de 650 gêneros e 12.000 espécies distribuídas principalmente nas regiões tropicais e subtropicais, do mundo. No Brasil, está representada por 101 gêneros e 1010 espécies, distribuídas por diversas formações vegetacionais. Está representada por um grande número de espécies nos sub-bosques das florestas tropicais, exercendo grande influência na estrutura da vegetação. Essas plantas apresentam diversas estratégias reprodutivas, como por exemplo, a distilia, cujo morfos, brevistilos e longistilos, diferem quanto à altura dos órgãos sexuais, caracterizando a hercogamia recíproca. O presente estudo foi desenvolvido no Parque Estadual das Várzeas o Rio Ivinhema (PEVRI) e objetivou estudar florísticamente as espécies de Rubiaceae que ocorrem nessa área, bem como verificar a fenologia reprodutiva, morfologia e biologia floral, sistema reprodutivo, distribuição espacial e relações alométricas de algumas espécies distílicas reconhecidas. As excursões mensais para coleta de material botânico e observações foram realizadas no período de 09/2003 a 10/2006. Os espécimes foram determinados com base na bibliografia especializada e confronto com materiais depositados em herbários. Para o estudo a fenologia reprodutiva...

Fenologia e biologia reprodutiva de cinco especies de Psychotria L. (Rubiaceae) em um remanescente florestal urbano, Araguari, MG; Phenology and reproductive biology of five species of Psychotria L. (Rubiaceae) in an urban forest fragment, Araguari, MG

Alexandre Silva de Oliveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/11/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.38%
Psychotria, com cerca de 1650 espécies, é o maior gênero da família Rubiaceae. A maior parte dos representantes desse grupo são arbustos que habitam o subosque das formações florestais tropicais do mundo inteiro. Muitas espécies são heterostílicas. Aspectos sobre a reprodução de algumas espécies desse grupo foram investigados em florestas do Panamá, Costa Rica e Brasil (sobretudo na Mata Atlântica dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Pernambuco). Como poucos estudos envolvendo espécies de Psychotria foram realizados nas formações florestais do Domínio Cerrado, este estudo teve como objetivo conhecer a fenologia e biologia reprodutiva de cinco espécies simpátricas de Psychotria que ocorrem nesse ecossistema. As espécies escolhidas foram P. trichophoroides Muell. Arg., P. prunifolia (Kunth.) Steyerm., P. hoffmannseggiana (Roem & Schult) Muell. Arg., P. gracilenta Muell. Arg. e P. cephalatha (Muell. Arg.) Standl. O estudo foi desenvolvido em um fragmento urbano (11 ha) de Floresta Estacional Semidecídua, localizado no município de Araguari, Minas Gerais. Antes do início da floração, 100 indivíduos de Psychotria (20 de cada espécie) foram marcados, aleatoriamente, em toda área de estudo e tiveram seu comportamento fenológico observado...

Rubiaceae-Rubioideae Verdc. do Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais, Brasil; Rubiaceae-Rubioideae Verdc. of the Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais, Brazil

Marcela Firens da Silveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.43%
Rubiaceae Juss. é uma das maiores famílias de angiospermas, e também uma das famílias mais importantes da flora brasileira. A atual circunscrição da família compreende três subfamílias, entre elas, Rubioideae Verdc. O Parque Nacional da Serra da Canastra (PNSC) é a segunda maior Unidade de Conservação de Minas Gerais, compreendendo ambientes como campo, cerrado s.s. e floresta. O objetivo deste trabalho foi realizar o levantamento das espécies de Rubiaceae subfamília Rubioideae no PNSC e entorno, a fim de documentar a riqueza do grupo nesta região e contribuir para a taxonomia da família. Para tanto, foram realizadas coletas bimestrais, entre setembro de 2008 e novembro de 2009, e estudadas coleções de plantas herborizadas da região. O levantamento florístico da subfamília Rubioideae no PNSC resultou em um total de 57 espécies, pertencentes a 17 gêneros, ao longo de todas as principais formações vegetacionais. Psychotria L. foi o gênero mais rico, compreendendo 15 espécies: P. anceps Kunth; P. capitata Ruiz & Pav.; P. carthagenensis Jacq.; P. deflexa DC.; P. gracilenta DC.; P. hastisepala Müll.Arg.; P. hoffmannseggiana (Willd. ex Roem. & Schult.) Müll. Arg.; P. leiocarpa Cham. & Schltdl.; P. myriantha Müll.Arg.; P. nemorosa Gardner; P. prunifolia (Kunth) Steyerm.; P. stachyoides Benth.; P. subtriflora Müll.Arg.; P. trichophora Mull.Arg.; e P. vellosiana Benth. Borreria G.F.W.Mey. e Coccocypselum P.Browne foram representados por 8 e 7 espécies...

A família Rubiaceae Juss. no município de Camanducaia, MG; Rubiaceae Juss. at Camanducaia municipality, Minas Gerais

João Afonso Martins do Carmo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
Rubiaceae é uma família cosmopolita, distribuída principalmente por regiões tropicais e subtropicais do planeta. Nela estão incluídos cerca de 620 gêneros e mais de 13000 espécies. No Brasil são reconhecidos 120 gêneros e 1392 espécies. A Mata Atlântica, considerada um "hotspot" para conservação da biodiversidade, abriga cerca de 600 espécies de Rubiaceae. A Serra da Mantiqueira, na qual se localiza a região de Camanducaia, extremo sul de Minas Gerais, apresenta importantes remanescentes deste domínio fitogeográfico. O presente estudo tem como objetivos produzir uma monografia taxonômica sobre a família Rubiaceae no município de Camanducaia, bem como a produção de uma chave interativa de entradas múltiplas para as espécies inventariadas, e avaliar aspectos fitogeográficos da região de estudo com base na distribuição geográfica de suas espécies nativas. O levantamento florístico foi realizado através de viagens de coleta e consulta a herbários. A família Rubiaceae está representada no município de Camanducaia por 17 gêneros e 34 espécies, duas subespécies e duas variedades. Os gêneros mais diversos foram Psychotria, com sete espécies, seguido por Manettia e Borreria, ambos com cinco espécies. Uma monografia taxonômica foi produzida. A análise da distribuição de espécies selecionadas corrobora a separação entre as regiões norte e sul da Mata Atlântica. Neste contexto...

Systematics, taxonomy and floristics of Brazilian Rubiaceae: an overview about the current status and future challenges

Delprete,Piero Giuseppe; Jardim,Jomar Gomes
Fonte: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 EN
Relevância na Pesquisa
37.33%
The Rubiaceae is the fourth Angiosperm family in number of species in the World and in the Neotropics. Its overwhelming diversity and presence in most biomes, and at most vegetation layers, makes this family one of the most important components of tropical vegetation. During the last two decades, family classification went through several reorganizations, mostly influenced by the advent of molecular phylogenetic studies, and many taxonomic revisions and floristic studies on Brazilian Rubiaceae have become available. In view of the considerable amount of literature that has recently been produced on Neotropical Rubiaceae, the present work has two main objectives: the first is to offer an overall view of the most recent family classification with emphasis on the genera of Rubiaceae occurring in Brazil, and to indicate particular taxa that are still in need of phylogenetic and taxonomic studies; the second objective is to present a short discussion on the state of floristic and taxonomic knowledge with respect to the various regions of Brazil, indicating the taxa and the geographic areas that need to be studied.

Metabólitos secundários obtidos através do estudo das raízes de Psychotria prunifolia (Kunth) Steyerm (Rubiaceae), transformações e ensaios biológicos de seu extrato; Secondary metabolites obtained by studying the roots of Psychotria prunifolia (Kunth) Steyerm (Rubiaceae), transformations and biological tests of its extract

RIBEIRO, Laryssa Campos
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Química; Educação em Química Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Química; Educação em Química
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
Psychotria prunifolia is an endemic shrub from the Goias cerrado that belongs to the Rubiaceae family and to the Psychotrieae tribe. Extracts and fractions from Psychotria genera species are known for its cytotoxic potentials, and a wide range of studies have reported anticancer activity as well as the presence of nonmonoterpenic indole alkaloids and iridoids. Alkaloids are also used as chemotaxonomic indicators by means of classification of the species from such genera and the Psychotria and Heteropsychotria subgenera. This study focuses on the phytochemical assay of the P. prunifolia roots, the chemical transformations of two of the metabolites obtained, and the evaluation of antioxidant and molluscicidal crude roots, stems and leaves extracts activity. Column chromatography fractioning of crude roots extract and submission to successive layer preparative chromatography led to the isolation of five compounds: sitosterol (LCPP-1), a benzidenone derivative (LCPP-2) not yet described for this family, and three β-carboline alkaloids (LCPP-3, LCPP-4 and LCPP-5). Alkaloid LCPP-4 is unpublished and the others have already been isolated from the leaves of this species. The acid-base fractionation allowed the isolation of strictosamide (LCPP-6)...

Biologia reprodutiva de duas espécies de Rubiaceae de mata de galeria do Triângulo Mineiro-MG

Consolaro, Hélder Nagai
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.43%
Rubiaceae é a maior família que contém espécies distílicas dentro das Angiospermas. Espécies com este polimorfismo floral podem apresentar variações de diferentes formas e graus, tais como: originar derivações como homostilia, monomorfia e dioicia ou apresentar variações tanto entre populações distílicas da mesma espécie, quanto entre gêneros e espécies tipicamente distílicos. Este estudo teve como objetivo conhecer a biologia floral, incluindo a polinização e o sistema reprodutivo, de duas espécies de Rubiaceae comuns em mata de galeria do Triângulo Mineiro, Psychotria carthagenensis Jacq. e Manettia cordifolia Mart.. O estudo foi realizado na Estação Ecológica do Panga e margens do Rio Uberabinha (Uberlândia, MG) e complementado com observações de material botânico depositado em herbários da região. Psychotria cathagenensis é um arbusto com flores brancas, pequenas, polinizadas por abelhas. A espécie é claramente distílica com dois morfos distintos e hercogamia recíproca. Entretanto, a população estudada apresentou um grande desequilíbrio na isopletia (149 indivíduos longistilos e apenas um brevistilo) juntamente com a condição de autocompatibilidade. Dados de herbário e observações em outras áreas de matas indicaram que outras populações podem apresentar isopletia ou dominância do morfo longistilo...

Ecologia reprodutiva de espécies de Psychotria L. (Rubiaceae) em fragmentos de floresta estacional semidecidual; Reproductive ecology of distylous Psychotria L. (Rubiaceae) species in Tropical Semidecidual Forest fragments

Rodrigues, Ebenézer Barbosa
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
A distilia é um polimorfismo floral regido por fatores genéticos e ecológicos. Espécies distílicas típicas possuem dois morfos florais que ocorrem em igual proporção nas populações, o morfo longistilo, com estigma posicionado acima do nível das anteras e o morfo brevistilo, com pistilo situado abaixo do nível das anteras. Também apresentam posicionamento recíproco dos verticilos reprodutivos masculinos e femininos na flor. E ainda há a presença de um sistema de incompatibilidade que evita a fertilização via autopolinizações e polinizações intramorfo. O objetivo deste estudo foi investigar as características distílicas de espécies de Psychotria L. (Rubiaceae) no Triângulo Mineiro, e averiguar se a carga estigmática de pólen, a densidade populacional e a distribuição espacial poderiam explicar as formas de ocorrência da distilia encontradas nas espécies estudadas em áreas com diferentes níveis de perturbação antrópica. Foram estudadas 24 populações de 8 espécies de Rubiaceae: Psychotria capitata Ruiz & Pav., P. carthagenensis Jacq., P. deflexa DC., P. goyazensis Müll. Arg., P. hoffmannseggiana (Willd. ex Roem. & Schult.) Müll. Arg., P. poeppigiana Müll. Arg., P. prunifolia (Kunth) Steryerm. e P. trichophoroides Mull. Arg. A presença de incompatibilidade e isopletia foram evidenciadas em espécies distílicas típicas. Já as espécies monomórficas apresentaram autocompatibilidade. Espécies distílicas atípicas apresentaram anisopletia...

Sistema reprodutivo, distilia e graus de reciprocidade em rubiaceae arbustivas do sub-bosque de formações florestais do cerrado; Breeding systems, levels reciprocity and distyly in shrub Rubiaceae in forest fragmentation in Cerrado

Coelho, Christiano Peres
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.56%
A heterostilia é um polimorfismo floral geneticamente controlado onde populações de plantas apresentam dois ou três morfos, que em áreas naturais em equilíbrio, espera-se encontrar uma razão igual entre os morfos (isopletia). Esses morfos se mostram com peças reprodutivas em alturas diferentes dentro da flor, ou seja, com uma separação espacial entre antera/estigma, denominada hercogamia. Na maioria das espécies distílicas, a hercogamia, geralmente se mostra de forma recíproca. Quanto maior a hercogamia intrafloral menor a interferência direta entre as peças sexuais, e menor a deposição de auto pólen no estigma, reduzindo o conflito entre os gêneros, em flores hermafroditas. A heterostilia é uma das características mais estudadas em flores de angiospermas, isso devido a grande variação que se pode observar em diversas populações, principalmente na família Rubiaceae, que apresenta maior número de espécies distílicas, comparado com todas as demais famílias botânicas. Essas variações em formas distílicas, formando populações monomórficas e/ou homostílicas, pode ter uma relação direta com a perda de habitat e as diferentes pressões de seleção impostas em fragmentos florestais isolados. O objetivo do estudo foi avaliar a riqueza de Psychotria e Palicourea em 20 fragmentos florestais na região sul do estado de Goiás...

Estudo químico biomonitorado de extratos das folhas e do caule de Guettarda grazielae M.R.V. Barbosa (Rubiaceae); Chemical study biomonitored from the extracts of leaves and stems of Guettarda grazielae M.R.V. Barbosa (Rubiaceae)

Lima, Gerson Santos de
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; BR; Química; Biotecnologia; Programa de Pós-Graduação em Química e Biotecnologia; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; BR; Química; Biotecnologia; Programa de Pós-Graduação em Química e Biotecnologia; UFAL
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.49%
This work describes the isolation of some chemical constituents from the extracts of leaves and stems of Guettarda grazielae M.R.V. Barbosa, guided by larvicidal, anticholinesterase and antioxidant activities. Furthermore, a review of the biological activities of extracts and substances described in species this genus, and a compilation of triterpenes reported in the Rubiaceae species was also made. The leaves and stems, after drying and grounded, were extracted by maceration with acetone and/or ethanol. The extracts were submitted to a liquid partition between MeOH-H2O 3:2 and solvents of different polarity (hexane, chloroform and ethyl acetate). The crude extracts, as well as the fractions from this procedure, were evaluated for their potential larvicidal (larvae of the 4th stage of Aedes aegypti), antioxidant (total phenols content and DPPH) and anticholinesterase. The hexane and EtOAc fractions from ethanol extract of the leaves and stem, respectively, were the most promising in larvicidal assays, LC50 131.73 ppm and LC50 58.18 ppm. In comparison with caffeine (standard), the crude acetone extract from the leaves, as well as some of its sub-fractions from filtering into the silica gel of the fractions in hexane and chloroform, were qualitatively effective in inhibiting the action of the enzyme acetylcholinesterase. On the other hand...

Estudo químico biomonitorado de extratos das folhas e do caule de Guettarda grazielae M.R.V. Barbosa (Rubiaceae); Chemical study biomonitored from the extracts of leaves and stems of Guettarda grazielae M.R.V. Barbosa (Rubiaceae)

Lima, Gerson Santos de
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; BR; Química; Biotecnologia; Programa de Pós-Graduação em Química e Biotecnologia; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; BR; Química; Biotecnologia; Programa de Pós-Graduação em Química e Biotecnologia; UFAL
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.49%
This work describes the isolation of some chemical constituents from the extracts of leaves and stems of Guettarda grazielae M.R.V. Barbosa, guided by larvicidal, anticholinesterase and antioxidant activities. Furthermore, a review of the biological activities of extracts and substances described in species this genus, and a compilation of triterpenes reported in the Rubiaceae species was also made. The leaves and stems, after drying and grounded, were extracted by maceration with acetone and/or ethanol. The extracts were submitted to a liquid partition between MeOH-H2O 3:2 and solvents of different polarity (hexane, chloroform and ethyl acetate). The crude extracts, as well as the fractions from this procedure, were evaluated for their potential larvicidal (larvae of the 4th stage of Aedes aegypti), antioxidant (total phenols content and DPPH) and anticholinesterase. The hexane and EtOAc fractions from ethanol extract of the leaves and stem, respectively, were the most promising in larvicidal assays, LC50 131.73 ppm and LC50 58.18 ppm. In comparison with caffeine (standard), the crude acetone extract from the leaves, as well as some of its sub-fractions from filtering into the silica gel of the fractions in hexane and chloroform, were qualitatively effective in inhibiting the action of the enzyme acetylcholinesterase. On the other hand...

Inter and intraspecific variation on reproductive phenology of the Brazilian Atlantic forest Rubiaceae: ecology and phylogenetic constraints

SanMartin-Gajardo,Ivonne; C. Morellato,L. Patricia
Fonte: Revista de Biología Tropical Publicador: Revista de Biología Tropical
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2003 EN
Relevância na Pesquisa
37.33%
The reproductive phenology of seven species of Rubiaceae from the Brazilian Atlantic rain forest was compared to evaluate the occurrence of phylogenetic constraints on flowering and fruiting phenologies. Since phenological patterns can be affected by phylogenetic constraints, we expected that reproductive phenology would be similar among plants within a family or genus, occurring during the same time (or season) of the year. Observations on flowering and fruiting phenology were carried out monthly, from December 1996 to January 1998, at Núcleo Picinguaba, Parque Estadual da Serra do Mar, Ubatuba, São Paulo State, Brazil. Nine phenological variables were calculated to characterize, quantify and compare the reproductive phenology of the Rubiaceae species. The flowering patterns were different among the seven species studied, and the Kruskal-Wallis test indicated significant differences in flowering duration, first flowering, peak flowering and flowering synchrony. The peaks and patterns of fruiting intensity were different among the Rubiaceae species studied and they differed significantly from conspecifics in the phenological variables fruiting duration, fruiting peak date, and fruiting synchrony (Kruskal-Wallis test). Therefore, we found no evidence supporting the phylogenetic hypotheses...