Página 1 dos resultados de 109 itens digitais encontrados em 0.007 segundos

Ajustamento diádico e individual em casais num contexto de perturbação psiquiátrica masculina: o papel da resiliência como recurso à adversidade

Rodrigues, Sara Carina Antunes da Cruz Gusmão
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.68%
No âmbito das relações conjugais, a presença de perturbação psiquiátrica num dos elementos do casal tem vindo a ser associada a uma diminuição do ajustamento diádico, saúde mental e qualidade de vida (QdV) quer do doente quer do parceiro saudável. Deste modo, torna-se pertinente e relevante a identificação dos mecanismos envolvidos numa melhor adaptação conjugal e individual em casais com esta condição, de forma a possibilitar o desenvolvimento de programas de prevenção e/ou intervenção para casais que, perante a psicopatologia de um dos elementos, manifestem dificuldades de ajustamento. No presente estudo pretendeu-se avaliar o papel da resiliência enquanto recurso no ajustamento diádico e adaptação individual (avaliada através de sintomatologia depressiva e ansiosa e perceção de QdV) em casais em que o homem apresenta um quadro psiquiátrico. A amostra do presente estudo foi composta por um grupo clínico e um grupo de controlo constituído por casais da população geral. O grupo clínico foi formado por 35 casais em que o homem possui um diagnóstico perturbação psiquiátrica e 45 casais da população geral. Os resultados obtidos mostram que os casais do grupo clínico apresentaram valores mais elevados de sintomatologia depressiva e ansiosa e mais baixos de perceção de QdV e ajustamento diádico que os casais da população geral. Em relação às características de resiliência...

Perfil de cuidadores de idosos com doença de Alzheimer associado à resiliência; Profile of caregivers of elderly people with Alzheimer disease associated to resilience; Perfil de cuidadores de ancianos con enfermedad de Alzheimer asociado con resiliencia

Gaioli, Cheila Cristina Leonardo de Oliveira; Furegato, Antonia Regina Ferreira; Santos, Jair Lício Ferreira
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.85%
Estudo exploratório-descritivo que objetivou descrever variáveis sociodemográficas e de saúde dos cuidadores de idosos com Alzheimer, associando os cuidados realizados à resiliência. Participaram do estudo 101 cuidadores, maiores de 18 anos, que acompanhavam os idosos em unidade básica e em hospital público, no ano 2009. Foram aplicados questionários para perfil, Inventário de Depressão de Beck e Escala de Resiliência. Realizada análise estatística dos dados. A maioria dos cuidadores eram mulheres, sem depressão, recebia ajuda de outras pessoas para cuidar e possuía alto grau de resiliência. Houve associação significativa da resiliência com as variáveis: grau de parentesco, tratamento médico, uso de medicamentos, cansaço, esgotamento, desânimo e saúde mental do cuidador. Saúde física foi associada, significativamente, à experiência no cuidado, sendo que 82 idosos tinham prejuízos cognitivos graves. O idoso no contexto familiar pode ser beneficiado quando o cuidador é mais resiliente.

Depressão materna, estressores e resiliência: preditores do comportamento de escolares; Maternal depression, stressors and resilience: predictors to school-age behavior

Pizeta, Fernanda Aguiar
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
46.66%
Estudos que avaliam condições de risco para o desenvolvimento infantil têm incluído a depressão materna no conjunto de variáveis preditoras de desfechos negativos por parte das crianças. A compreensão sobre o impacto das condições de risco, sob a perspectiva da psicopatologia do desenvolvimento, coloca em foco a relevância das condições de proteção como elementos que concorrem para os desfechos. Verifica-se, na literatura, que poucos estudos sobre o impacto da depressão materna para as crianças abordam condições de risco e proteção, definidas a priori. O presente estudo se insere nessa lacuna. Objetivou-se identificar as associações entre condições contextuais adversas e protetivas para crianças em idade escolar que conviviam com mães com depressão recorrente, focalizando os eventos estressores e os processos de resiliência familiar e o efeito preditivo de tais variáveis para o desfecho comportamento das crianças. Foram avaliadas 100 díades mães-crianças, sendo 50 díades casos, cujas mães apresentavam diagnóstico de transtorno depressivo recorrente, com episódios moderados ou graves, e 50 díades não casos, cujas mães não apresentavam transtornos psiquiátricos, e as crianças, ambos os sexos...

Resiliência no paciente que convive com câncer definições e elementos estruturais : uma revisão integrativa

Simões, Camila Gerson
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.68%
Trata-se de um estudo que teve por objetivo conhecer as definições de resiliência no paciente que convive com câncer e os elementos que caracterizam esse conceito. A metodologia utilizada foi a de Revisão Integrativa da Literatura em Enfermagem (RI) conforme Ganong (1987), cujos procedimentos metodológicos foram: questão para a revisão; estabelecimento dos critérios para a seleção da amostra; representação da pesquisa original; análise dos dados; interpretação dos resultados e, apresentação da revisão. As questões para a revisão foram: Que definições são atribuídas ao conceito “resiliência” no paciente adulto que convive com câncer? Como se caracterizam os elementos que estruturam o conceito “resiliência” no paciente adulto que convive com câncer? A coleta de dados transcorreu através da busca dos artigos nas bases de dados Medline, Pubmed e Web of Science, o total de produções científicos selecionados foram 324 artigos, que ao ser aplicado os critérios de exclusão (não atenderam a questão norteadora, não estarem disponíveis on-line e serem publicados fora do período estabelecido) resultaram em 11 artigos que fizeram parte da amostra publicadas no período de 1999 a 2009. Pode-se concluir através da análise dos estudos que resiliência é definida como capacidade de enfrentar...

Avaliação de escores de resiliência, qualidade de vida e depressão e suas associações em pacientes com câncer de pulmão em tratamento radioterápico

Armando, António
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.88%
A resiliência é uma característica psicológica positiva e dinâmica que permite auxiliar o indivíduo e grupos de pessoas a manter equilíbrio em situações de estresse e adversidades. A forma como a resiliência se correlaciona com os escores de qualidade de vida e de depressão em pacientes com câncer é ainda pouco estudada e não é totalmente compreendida. O objetivo principal deste estudo foi avaliar escores de qualidade de vida, de depressão, e de resiliência, e suas correlações, em uma população ambulatorial de pacientes com câncer de pulmão em tratamento radioterápico. Métodos: Foram incluídos 38 pacientes consecutivos com câncer de pulmão encaminhados para tratamento radioterápico. Os pacientes preencheram os seguintes questionários todos validados em português brasileiro: A) escala de resiliência de Wagnild e Yang; B) questionário de qualidade de vida abreviado da Organização Mundial de Saúde qualidade (WHOQOL-bref); C) Questionário do Inventário de Depressão Beck (BDI). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Santa Casa - Complexo Hospitalar de Porto Alegre. Todos os pacientes assinaram o termo de consentimento informado. Resultados: A idade média dos pacientes foi de 60 anos e 20 ( 53%) dos pacientes eram homens. O escore médio de resiliência foi de 140...

Avaliação da carga de trabalho, estresse psicossocial e resiliência nos profissionais de enfermagem em uma unidade de internação para adultos portadores de germes multirresistentes; Evaluation of workload, psychosocial stress and resilience of nursing professionals in an inpatient facility for adults with multidrug-resistant organisms; Evaluación de la carga de trabajo, el estrés psicosocial y la resiliencia de los profesionales de enfermería en un centro de internación para adultos con organismos resistentes a múltiples fármacos

Macedo, Andréia Barcellos Teixeira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.69%
Estudo de delineamento transversal com objetivo de analisar carga de trabalho, risco para estresse psicossocial e a resiliência nos profissionais da Enfermagem que cuidam de adultos portadores de GMR em um hospital universitário. O local do estudo foi uma unidade de internação do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. A carga de trabalho foi avaliada através da coleta dos dados do prontuário eletrônico de 80 pacientes, no período de agosto a dezembro de 2012. Foram utilizados os instrumentos do Sistema de Classificação de Pacientes(SCP) de Perroca e do Nursing Activities Score(NAS). O estresse psicossocial e a resiliência foram avaliados em 39 profissionais da enfermagem através das escalas Desequilíbrio Esforço-recompensa e Escore de Resiliência. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva e analítica, com utilização do software SPSS 18.0. Conforme o SCP de Perroca, a classificação quanto à necessidade de cuidados do paciente resultou em 18 (22,5%) pacientes com cuidados Intermediários, 35 (43,7%) semiintensivos e 27 (33,8%) intensivos (p< 0,001). O tempo médio para cuidado aferido por meio da NAS foi de 12 ± 4 horas em 24 horas, por paciente (49,9 ± 14,9 pontos). O risco para estresse psicossocial foi constatado em 69...

Avaliação da resiliência : controvérsia em torno do uso das escalas; Resilience assessment : controversies about the use of scales

Reppold, Caroline Tozzi; Mayer, Jeferson Charles; Almeida, Leandro S.; Hutz, Claudio Simon
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.83%
Resiliência é um construto que descreve a capacidade de um indivíduo superar, com relativo sucesso, condições adversas ou situações que envolvem risco ao seu bem-estar, desenvolvimento e saúde mental. Alguns pesquisadores da área interpretam essa definição como uma indicação de que a resiliência é similar a outras variáveis de ajustamento e presumem a sua estabilidade temporal. Isso leva sua avaliação a ser feita frequentemente através de escalas autoadministradas, por vezes questionáveis em termos de sua precisão e validade. Este artigo discute a abrangência e o histórico da resiliência psicológica e as várias formas de sua avaliação. Mais especificamente, o objetivo deste artigo é apresentar argumentos contra a pertinência da utilização de escalas de autorrelato para a mensuração da resiliência, considerando-se o caráter relacional, processual e contextual desse construto. Para tanto, instrumentos disponíveis na literatura para avaliação da resiliência são revisados e discutidos, apontando orientações para a pesquisa na área.; Resilience is a construct which describes the capacity of individuals to overcome, with relative success, adverse conditions or risky situations to their well-being...

Relação entre as características da situação vivida, suporte social e resiliência, após a vivência de um acontecimento potencialmente traumático

Madeira, Sara Catarina Mestre
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.64%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; Este estudo tem como objectivo geral, compreender de que forma as características da situação vivida, e o suporte social se relacionam com a resiliência após a vivência de um acontecimento potencialmente traumático. Devido ao carácter exploratório desta investigação, foi utilizada uma metodologia qualitativa, com recurso ao auxílio de métodos quantitativos para a obtenção de dados. Utilizou-se a entrevista semi-estruturada como metodologia qualitativa, e a escala de resiliência de Connor-Davidson (CD-RISC) como metodologia quantitativa. A amostra foi recolhida através da base de dados do Centro de Orientação de Doentes Urgentes de Lisboa, no Instituto Nacional de Emergência Médica. Esta é constituída por adultos de ambos os sexos que, há menos de uma semana, tenham vivenciado um acontecimento potencialmente traumático. Posteriormente, foi realizada uma análise qualitativa dos dados com recurso ao software de análise de dados NVivo 10. Concluiu-se, portanto, que os indivíduos com menos de 40 anos e com mais de dois filhos apresentaram melhores resultados na escala de resiliência; o suporte emocional foi mais referido do que o suporte instrumental independentemente da idade...

Influência dos estilos de vinculação a nível de resiliência na manifestação de sintomas de luto prolongado

Félix, Carolina Inês Vieira
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.64%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde, Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2014; Esta dissertação visa estudar a relação que os estilos de vinculação, definidos por Bawtholomew (1991), e o nível de resiliência têm na manifestação de sintomas de luto, mais concretamente, com os sintomas definidos para o diagnóstico da Perturbação de Luto Prolongado (Prigerson, Vanderwerker, & Maciejewski, 2007). Também é analisada a relação que o apoio social e a perceção da adaptação à viuvez têm com estas variáveis. A uma amostra de 48 viúvas, do sexo feminino e com mais de 60 anos, foram aplicados três instrumentos. Para a avaliação da vinculação foi aplicado o Questionário de Estilo Relacional (Moreira, 2000), utilizou-se a Escala de Resiliência de Connor-Davidson (Faria-Anjos & Ribeiro, 2011) para a avaliação do nível de resiliência e para o estudo dos sintomas de luto foi aplicado o teste Prolonged Grief-Disorder-13 (Delalibera, 2010). Também foi utilizado um questionário sociodemográfico para a recolha de informações desta natureza. Não se encontraram relações significativas entre os estilos de vinculação e o nível de resiliência...

Personalidade e resiliência como proteção contra o Burnout em médicos residentes

Rodrigues,Rosana Trindade Santos; Barbosa,George Souza; Chiavone,Paulo Antonio
Fonte: Associação Brasileira de Educação Médica Publicador: Associação Brasileira de Educação Médica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.7%
Residentes têm apresentado burnout em decorrência de fatores ambientais e pessoais, altamente estressores. Alguns indivíduos reagem positivamente a estes estressores, e a literatura sugere que as características de personalidade e a resiliência explicam o fenômeno. Assumimos que a resiliência é multifatorial e multidimensional, como na abordagem resiliente. OBJETIVO: Investigar se a resiliência, associada às características de personalidade, se correlaciona positivamente com baixos escores de burnout. MÉTODO: Estudo de seguimento com 121 residentes, utilizando ficha sociodemográfica, Inventário Fatorial de Personalidade (IFP), Escala de Resiliência de Wagnild & Young e o Maslach Burnout Inventory (MBI). RESULTADOS: Burnout foi constatado nos domínios despersonalização em T1 (12,1) e T2 (13,9) (p = 0,004); exaustão emocional em T1 (26) e T2 (22,5) (p = 0,624) e baixa realização profissional em T1 (38,1) e T2 (35,5) (p = 0,001); forte resiliência foi encontrada em 63,6%. Aqueles com forte resiliência apresentaram menor burnout. Características de personalidade puderam ser associadas à resiliência. Constatou-se que a resiliência pode ser desenvolvida nos residentes como forma de proteção contra o burnout. CONCLUSÃO: Constatou-se que a resiliência...

Avaliação da resiliência: controvérsia em torno do uso das escalas

Reppold,Caroline Tozzi; Mayer,Jeferson Charles; Almeida,Leandro Silva; Hutz,Claudio Simon
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.83%
Resiliência é um construto que descreve a capacidade de um indivíduo superar, com relativo sucesso, condições adversas ou situações que envolvem risco ao seu bem-estar, desenvolvimento e saúde mental. Alguns pesquisadores da área interpretam essa definição como uma indicação de que a resiliência é similar a outras variáveis de ajustamento e presumem a sua estabilidade temporal. Isso leva sua avaliação a ser feita frequentemente através de escalas autoadministradas, por vezes questionáveis em termos de sua precisão e validade. Este artigo discute a abrangência e o histórico da resiliência psicológica e as várias formas de sua avaliação. Mais especificamente, o objetivo deste artigo é apresentar argumentos contra a pertinência da utilização de escalas de autorrelato para a mensuração da resiliência, considerando-se o caráter relacional, processual e contextual desse construto. Para tanto, instrumentos disponíveis na literatura para avaliação da resiliência são revisados e discutidos, apontando orientações para a pesquisa na área.

Resiliência de pessoas com Diabetes Mellitus

Tavares,Bárbara Cristina; Barreto,Francine do Amaral; Lodetti,Marília Lima; Silva,Denise Maria Guerreiro Vieira da; Lessmann,Juliana Cristina
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós Graduação em Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.66%
O estudo teve como objetivo caracterizar a resiliência e variáveis sócio-demográficas e de saúde/doença de pessoas com Diabetes Mellitus atendidas em um hospital geral de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Trata-se de um estudo transversal, desenvolvido com 60 sujeitos no período de agosto a novembro de 2009, utilizando a Escala de Resiliência de Connor-Davidson. Os escores de resiliência foram elevados, havendo associação entre resiliência e idade. Pessoas atendidas na emergência obtiveram escores de resiliência significativamente superior às pessoas do ambulatório e unidades de internação. Concluímos que pessoas com Diabetes Mellitus podem apresentar escores elevados de resiliência, compatível com uma população saudável e de países mais desenvolvidos.

Avaliação da resiliência do cuidador de idosos com Alzheimer

Garces,Solange Beatriz Billig; Krug,Marília de Rosso; Hansen,Dinara; Brunelli,Angela Vieira; Costa,Fátima Terezinha Lopes da; Rosa,Carolina Boettge; Bianchi,Patrícia Dall´Agnol; Mattos,Carine Magalhães Zanchi de; Seibel,Raquel
Fonte: Universidade do Estado do Rio Janeiro Publicador: Universidade do Estado do Rio Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.64%
Esta pesquisa observacional do tipo estudo de caso descritivo teve o objetivo de avaliar a resiliência de cuidadores de idosos demenciados com Alzheimer. Como instrumento, utilizou-se questionário para traçar o perfil do cuidador; protocolo bipolar para avaliar o estado subjetivo de fadiga; o SRQ - Self Report Questionnaire para avaliação do estresse; o inventário de Zarit para a sobrecarga e protocolo para a resiliência dos seis cuidadores que participaram do estudo. As variáveis quantitativas foram descritas em função de sua média e variância. Para as associações, utilizaram-se Correlação de Pearson e o Teste do Chi-Quadrado. O nível de significância adotado foi de p < 0,05. Os resultados indicaram que 83,3% dos cuidadores são femininos e 16,7%, masculinos; sendo quatro (66,7%) filhos e dois (33,3%) cônjuges. Observou-se que o estado de saúde de quatro cuidadores piorou, passando de um estado regular para ruim, em um período de cinco anos. Um (16,7%) cuidador dedica 20 horas do seu tempo ao cuidado e, para os demais (83,3%), a exigência é de 24 horas. Dos seis cuidadores, quatro demonstram probabilidade de desenvolver transtornos psiquiátricos e dois, não. E ainda, 66,7% dos cuidadores não apresentam sobrecarga...

O processo de resiliência de mulheres vítimas de violência doméstica

Trigueiro, Tatiane Herreira, 1986-
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.85%
Resumo: Trata-se de pesquisa exploratória de abordagem qualitativa, realizada em um Serviço de acolhimento institucional denominado Pousada de Maria, localizada no município de Curitiba, Paraná, de novembro de 2010 a fevereiro 2011, com 08 mulheres vítimas de violência doméstica que lá residiam. Teve como objetivos Compreender a trajetória de vida das mulheres vítimas de violência doméstica e Descrever o processo de resiliência das mulheres vítimas de violência doméstica residentes em um Serviço de Acolhimento Institucional. A coleta de dados ocorreu mediante entrevista semi-estruturada gravada, e da análise de conteúdo temática emergiram dois temas: Trajetórias de vidas marcadas pela violência doméstica e A força do amor materno no enfrentamento da violência doméstica. Constatou-se que todas as entrevistadas sofreram violência doméstica cometida pelo companheiro, e entre suas variadas formas, a psicológica, a física e a patrimonial foram relatadas. O ciclo da violência sofrida dentro do lar somente foi rompido quando essas mulheres perceberam que a agressão e o sofrimento estavam se estendendo também aos seus filhos, o que as fizeram tomar a decisão de sair de casa e procurar ajuda, e esse enfrentamento se configura como o passo inicial do processo de resiliência. Todavia...

A importância da atividade física regular como estratégia complementar na promoção de resiliência de idosas e sua importância para suas vidas

Orsano, Francisco Evaldo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
47.17%
O conceito de saúde, na concepção mais abrangente, é uma condição multidimensional de bem-estar físico, psicológico e social e não apenas a inexistência de enfermidades. Os benefícios da atividade física são tão relevantes quanto os benefícios psicológicos, porque ambos contribuem para a saúde. A literatura aponta um conjunto de ligações diretas e indiretas entre a atividade física e a qualidade de vida. Apesar destes benefícios, o processo de envelhecimento é caracterizado por grandes perdas biopsicossociais, que geram várias situações de adversidades que causam preocupação e podem colocar em risco a saúde do idoso. Deste modo, surge a resiliência como um conjunto de processos sociais e intrapsíquicos, que possibilitam o desenvolvimento saudável do idoso, mesmo diante de experiências negativas. Nesta direção, observou-se a necessidade de executar uma pesquisa de conhecimento multidisciplinar conciliando a Educação Física com a Psicologia, a Medicina, a Terapia Ocupacional e a Gerontologia, com o objetivo de investigar o efeito da atividade física sobre os níveis de resiliência em mulheres idosas, bem como conhecer a importância desta atividade para suas vidas. Para tanto, realizou-se um estudo comparativo descritivo...

Model of Sexual Resilience in the Adolescent: Middle Range Theory; Modelo de resiliencia sexual en el adolescente: teoría de rango medio; Modelo de resiliência sexual no adolescente: teoria de classe média

Castillo-Arcos, Lubia del Carmen; Universidad Autónoma de Nuevo León; Benavides-Torres, Raquel Alicia; Universidad Autónoma de Nuevo León
Fonte: Aquichan Publicador: Aquichan
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; Teoría de rango medio; info:eu-repo/semantics/publishedVersion
SPA
Relevância na Pesquisa
46.85%
It is indispensable for nursing professionals to have their own theories to help them scientifically support care, so as to make the practice of this discipline more autonomous and safer. The purpose of this study was to generate a middle range theory to explain the phenomenon of risky sexual behavior on the part of adolescents. Fawcett’s theoretical derivation method was used to develop the conceptual-theoretical-empirical structure of the proposed theory. A literature review made it possible to structure the model of sexual resilience in adolescents based on the concepts and proposals that constitute the risk factors, the protective factors and the outcome factor influencing resilience during the period of adolescent development. The model also contributes to the design of psycho-educational interventions focused on preventing the sort of sexual conduct that poses a risk of contracting HIV.; Para el profesional de enfermería es indispensable contar con teorías propias que le ayuden a sustentar científicamente el cuidado, haciendo de esta forma una práctica disciplinar más autónoma y segura. El presente trabajo tuvo como objetivo generar una teoría de rango medio para dar explicación al fenómeno de la conducta sexual de riesgo en el adolescente. Se utilizó el método de derivación teórica de Fawcett para realizar la estructuración conceptual-teórica-empírica de la teoría propuesta. La revisión de la literatura permitió realizar la estructura del Modelo de resiliencia sexual en el adolescente a partir de los conceptos y las proposiciones que integran los factores de riesgo...

A construção do conceito de resiliência em psicologia: discutindo as origens; La construcción del concepto de resiliencia en psicología: cuestionando los orígenes; The construction of the concept of resilience in psychology: discussing the origins of resilience

Brandão, Juliana Mendanha; Mahfoud, Miguel; Gianordoli-Nascimento, Ingrid Faria
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.71%
Este artigo apresenta um estudo teórico sobre resiliência que investiga, na literatura nacional e internacional, a forma como pesquisadores concebem o conceito e suas origens. Reconstituímos a história do conceito, estudamos a resiliência no campo da resistência dos materiais e da etimologia e questionamos a noção de que o termo/conceito "resiliência" teria sido tomado da física. Concluímos que as concepções de resiliência adotadas pelos pesquisadores - se ela é entendida como resistência ao estresse ou se é relacionada a processos de recuperação e superação - relacionam-se com o entendimento de que eles têm a respeito das origens da mesma.; Este artículo es un estudio teórico sobre la resiliencia que hace una investigación, en la literatura nacional e internacional, acerca de la forma que los investigadores conciben el concepto y sus orígenes. Reconstituimos la historia del concepto, estudiamos la resiliencia en el campo de la resistencia de materiales y de la etimología y cuestionamos la noción de que la resiliencia (psicológica) ha sido originada en las ciencias exactas. Llegamos a la conclusión de que los conceptos de resiliencia adoptados por los investigadores (si entendida como resistencia al estrese o si está relacionada con los procesos de recuperación y superación) se relacionan con la comprensión que ellos tienen acerca de los orígenes del concepto.; This article is a theoretical study that investigates resilience conceptions and its origins in national and international literature. We reconstituted the history of the concept; we studied the resilience in the field of strength of materials and etymology and we query the notion that the term/concept of "resilience" would have came from physics. We conclude that the resilience concepts adopted by researchers (if it is understood as stress resistance or as processes of recovery) are related with the understanding that they have about its origins.

Resiliência em idosos atendidos na Rede de Atenção Básica de Saúde em município do nordeste brasileiro; Resiliencia en ancianos atendidos en la Red de Atención Básica de Salud en municipio del nordeste brasileño; Resilience among the elderly cared for by the Primary Healthcare Network in a city of Northeast Brazil

Ferreira, Camomila Lira; Santos, Lúcia Maria Oliveira; Maia, Eulália Maria Chaves
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.9%
Objetiva-se avaliar a capacidade de resiliência, a auto-estima e o apoio social em idosos através de um estudo exploratório com uma amostra por conveniência constituída por idosos usuários da rede pública de saúde do município de Natal-RN, Brasil, os quais responderam ao questionário e às Escalas de Resiliência, Auto-estima e Apoio Social. Participaram 65 idosos com idade média de 71 anos, sendo 81% do sexo feminino, com baixas condições sócio-econômicas. Identificou-se que os idosos apresentam características resilientes, auto-estima positiva e apoio social percebido como satisfatório, mesmo diante das perdas e declínios vivenciados na velhice. Além disso, verificaram-se correlações moderadas e positivas entre resiliência e auto-estima, já que na medida em que uma aumenta, a outra também se eleva. Assim, o ato de viver bem esse período crítico parece ser favorecido pela resiliência enquanto recurso propiciador do desenvolvimento e pelos fatores de proteção, importantes indicadores de saúde.; Se objetiva evaluar la capacidad de resiliencia, autoestima y apoyo social en ancianos mediante estudio exploratorio con muestra por conveniencia constituida por ancianos, pacientes de la red pública de salud del municipio de Natal/RN-Brasil...

Los factores de resiliencia ante las situaciones traumáticas: Análisis tras los atentados del 11 de marzo en una muestra de pacientes en el CSM de Alcalá de Henares

Benito Ruiz,Adolfo; Oudda Santos,Laila; Benito Ruiz,Guillermo; Lahera Forteza,Guillermo; Fernández Liria,Alberto
Fonte: Revista de la Asociación Española de Neuropsiquiatría Publicador: Revista de la Asociación Española de Neuropsiquiatría
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/09/2010 SPA
Relevância na Pesquisa
46.64%
Introducción: Los atentados del 11M del 2004 en Madrid supusieron un reto para la sanidad madrileña, debido al gran número de afectados y víctimas. Esta demanda fue especialmente visible en el CSM de Alcalá de Henares, que tuvo que hacer frente a gran número de afectados. El objetivo del estudio es conocer a los dos años y medio de los atentados los factores que los pacientes consideran más les han ayudado a la superación de una situación traumática (de resiliencia). Material y Método: Se recogió la población de pacientes que acudieron al CSM con un motivo de consulta en relación a los atentados terroristas, mayores de edad con un periodo de inclusión de 3 meses y medio tras los atentados. La muestra final estaba conformada por 104 pacientes, se contactó entre los meses de febrero y marzo del 2007 telefónicamente para que respondiese a 5 cuestiones entre la que se encontraba la relativa a los factores de resiliencia. Las respuestas se transcribieron literalmente y posteriormente se elaboraron una serie de etiquetas o categorías que englobasen a todas las respuestas. Resultados: De los 104 pacientes se logro contactar con 78 y de ellos 76 accedieron a contestar. El factor de resiliencia más mencionado fue el asociado al entorno sociofamiliar...

Resiliência e ajustamento à maternidade no pós-parto

Felgueiras,Marta Cristiana Malheiro Alegria; Graça,Luís Carlos Carvalho da
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra - Unidade de Investigação em Ciências da Saúde - Enfermagem Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra - Unidade de Investigação em Ciências da Saúde - Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.8%
Mães resilientes possuem flexibilidade e força interior necessárias para recuperarem face às adversidades. A transição para a maternidade envolve um conjunto de tarefas que requerem a reestruturação de responsabilidades e comportamentos. Os enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia devem reconhecer a importância das suas intervenções nesta transição e adequar a sua prática, de forma a promoverem a vivência de uma parentalidade saudável. Foi objetivo do estudo avaliar a relação entre a resiliência e o ajustamento à maternidade. A amostra, não probabilística, foi constituída por 106 mães, com colheita de dados aos 3 meses após o parto, através da Resilience Scale (RS) e da Maternal Adjustment and Maternal Attitudes (MAMA). Observou-se boa consistência interna nos dois instrumentos (0,86 e 0,92). Imagem Corporal e Sintomas Somáticos foram as subescalas da MAMA que obtiveram apreciação mais negativa, enquanto Relação Conjugal e Atitudes Perante a Gravidez e o Bebé apreciação mais positiva. A Resiliência apresentou scores mais elevados na Autoconfiança e menos elevados na Autossuficiência. Os resultados indicaram uma associação negativa entre o ajustamento à maternidade e as atitudes maternas e a resiliência. Em conclusão: no pós-parto as mulheres com maior resiliência apresentam melhor ajustamento à maternidade e atitudes mais positivas.