Página 1 dos resultados de 771 itens digitais encontrados em 0.015 segundos

Estrutura e relações familiares: Implicações para o desenvolvimento da socialização

Morgado, Alice Murteira
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
76.18%
Esta investigação teve como objectivo estudar o papel de variáveis familiares, em particular a estrutura e as relações familiares, no desenvolvimento da socialização em crianças, na fase final da infância, e adolescentes. Para o efeito, foram formuladas três hipóteses: (1) a estrutura familiar em que os sujeitos vivem, por si só, não é uma variável significativa para o desenvolvimento da socialização; (2) a estrutura familiar em que os sujeitos vivem, por si só, é uma variável significativa para compreender as relações pais-filhos; e (3) a qualidade das relações familiares influencia o desenvolvimento da socialização. No estudo foi utilizado um questionário sócio-demográfico, o Questionnaire des Relations Parents-Enfants (QRPE, Bastin, & Delrez, 1976; Versão Portuguesa, Vaz Serra, 1987), e a Bateria de Socialização (BAS-3, Silva, Martorell, & Clemente, 1985; Versão Portuguesa, Ferreira, & Rocha, 2004). A amostra contemplou 182 crianças e adolescentes (46,2% do sexo masculino e 53,8% do sexo feminino) entre os 10 e os 19 anos de idade, a frequentarem o ensino básico, do 6º ao 9º ano de escolaridade. Os resultados, confirmaram duas das três hipóteses colocadas, possibilitando a discussão do papel da família nos processos de socialização das crianças e adolescentes.; The goal of this research was to study the effects of family variables...

Pais parceiros na exploração vocacional : programa de actividades conjuntas para pais e filhos

Pericão, Rosário de Almeida
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.33%
O presente estudo constitui uma investigação-acção destinada a avaliar a eficácia do programa Pais Parceiros na Exploração Vocacional (PPEV) no desenvolvimento de carreira dos adolescentes e no incremento da qualidade da comunicação entre pais e filhos. O programa é constituído por cinco actividades dirigidas às díades pais-filhos e por uma sexta actividade dirigida à tríade pais-filho e psicóloga. Os principais objectivos do programa são: 1) aumentar os níveis de exploração e compromisso vocacionais do adolescente; 2) incrementar a frequência e a qualidade da comunicação entre pais e filhos e 3) aumentar a competência dos pais para dar suporte ao desenvolvimento identitário dos filhos através da sugestão de atitudes e comportamentos específicos. O programa PPEV tem por base a abordagem desenvolvimental, contextualista, construtivista e narrativa de carreira que enfatiza a dimensão relacional das díades pais/filhos, chamando a atenção para a qualidade do diálogo e da abertura da comunicação intra-familiar e das redes de suporte extra-familiar (Vondracek, et al. 1986; Young, 1994, 1997a, 1997b, 2001, Cochran, 1997). A importância da qualidade das relações dos adolescentes com as figuras significativas na magnitude das suas expectativas face ao projecto vocacional e a relevância da realização de actividades conjuntas intencionais na co-construção de projectos de carreira pessoais e familiares orientaram a construção do programa de actividades conjuntas – PPEV O programa foi testado numa amostra de 37 famílias...

O Papel da Comunicação no Exercício da Parentalidade: Avaliação da comunicação em famílias pós-divórcio

Portugal, Alda Patrícia Marques
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
46.46%
A comunicação ocupa um lugar de referência entre as diversas componentes que caracterizam e definem o funcionamento familiar (e.g., envolvimento afetivo, coesão, regras/ limites). Os padrões comunicacionais, no contexto da família, não só definem a qualidade do exercício da parentalidade como permitem inferir sobre a qualidade das relações pais-filhos. Estes indicadores são particularmente relevantes quando se analisam estruturas familiares pautadas por transformações acidentais, como é o caso das famílias pós-divórcio. Os estudos que se debruçam sobre as relações familiares tendem a incluir a comunicação nas dimensões a avaliar, embora de uma forma superficial e pouco focalizada. Uma possível justificação para este aspeto prende-se com a escassez de instrumentos de avaliação específicos da comunicação parento-filial, uma vez que aqueles que existem apresentam diversas lacunas (e.g., focam-se exclusivamente na etapa do ciclo vital família com filhos adolescentes). Assim, foi desenhado um estudo transversal, de cariz misto (qualitativo/quantitativo), com o intuito de responder a três objetivos: (a) identificar as dimensões comunicacionais que pautam o exercício da parentalidade na perspetiva de pais e filhos...

Supervisão em enfermagem neonatal: pais e enfermeiros como parceiros no desenvolvimento de competências

Rodrigues, Sandra Patrícia Faustino
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56%
Os cuidados de enfermagem neonatais baseiam-se no Modelo de Parceria de Cuidados, em que os pais progressivamente desenvolvem competências cuidativas. Cabe aos enfermeiros a supervisão deste complexo processo, paralelo a uma prática reflexiva que permita o desenvolvimento de competências profissionais. Realizámos um estudo de natureza exploratória e correlacional, com metodologia predominantemente quantitativa e com uma parte qualitativa. O objectivo geral é: correlacionar a auto-avaliação das competências parentais nos cuidados ao recém-nascido de risco com a satisfação dos pais e com a avaliação dos enfermeiros, no âmbito da prática de enfermagem familiar. Foi aplicado um questionário a 101 pais de recém-nascidos internados numa Unidade de Cuidados Intermédios de Neonatologia, próximo do momento da alta, para que realizassem a auto-avaliação de competências nos cuidados ao recém-nascido e avaliassem a satisfação com os cuidados de enfermagem. Incluiu uma escala que desenvolvemos para os pais se auto-avaliarem e uma escala de satisfação que foi por nós traduzida. Os enfermeiros realizaram um questionário para avaliarem as competências parentais e um questionário acerca da prática de enfermagem familiar...

A comunicação não verbal na relação entre pais e filhos em contexto escolar

Espinha, Ângela Margarida Martinho dos Santos
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.47%
A relação sócio-afectiva entre pai e filho parece ter-se tornado uma preocupação prioritária para uma parte considerável das Ciências Sociais. Actualmente, atribui-se a esta relação responsabilidades acrescidas no que diz respeito ao desenvolvimento dos filhos, à formação da personalidade e de um carácter e conduta moralmente aceitáveis, à promoção de relações de respeito e solidariedade para com os outros. Acreditamos que a comunicação está na base desta relação. Acreditamos numa vertente da comunicação que é, geralmente, desvalorizada: a comunicação não verbal (código de linguagem assente na expressividade dos gestos e do corpo). O grande objectivo delineado para este trabalho foi avaliar de que forma os sinais não verbais emitidos pelos pais reflectem o grau de proximidade sócioafectivo com os filhos e condicionam o seu estado de espírito, auto-confiança e produtividade. Considerámos que, numa primeira fase, seria importante caracterizar o envolvimento dos pais na vida escolar dos filhos. Para tal, tratámos de fabricar dois instrumentos que nos permitissem obter as informações necessárias: um questionário a aplicar aos filhos e um, construído paralelamente, a aplicar aos pais. Os dados recolhidos foram tratados estatisticamente e foi possível avançar com alguns resultados: a mãe parece continuar a desempenhar um papel central na vida escolar dos filhos e a demonstrar um interesse diário por ela; o pai é apenas referido como fazendo parte da figura “ambos” e não assume nenhum papel por si só; as crianças parecem reconhecer e admitir a importância de terem pais que se mostrem envolvidos e interessados. Numa segunda fase...

Ludoteca para pais e filhos: um recurso social e familiar

Espanha, Ana Sofia Lopes
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.24%
O presente trabalho consiste num projecto social de intervenção comunitária que prevê a construção de uma Ludoteca em Estarreja, destinada à actividade lúdica de crianças dos 0 aos 3 anos e seus familiares. Na infância, importa assegurar um ambiente familiar e social onde predomina um clima de segurança, afecto, alegria, responsabilidade e liberdade. Importa propiciar estímulos variados e reforçar as conquistas da criança. As brincadeiras são fonte de estímulo ao desenvolvimento da criança e também uma forma de expressão motora, cognitiva, afectiva e social podendo ser utilizadas como meio de aproximação nas relações entre pais e filhos. Embora exista um consenso social de que a actividade lúdica é fulcral no desenvolvimento humano, hoje existe cada vez mais entraves ao tempo de brincadeira das crianças em interacção com as figuras que lhe são mais significativas, normalmente pai e mãe. A ludoteca pode assumir-se como um espaço convivencial que permite o brincar, facilitando o fortalecimento de relações interpessoais positivas com essas figuras, bem como espaço de suporte às famílias, sobretudo as mais vulneráveis.; This work is a draft social community intervention that involves the building, in Estarreja...

O e-learning na formação de pais e educadores no apoio à aprendizagem dos educandos

Pereira, Mara Alexandra de Jesus
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.05%
Actualmente, assistimos a uma evolução rápida em termos científicos e tecnológicos e a Sociedade tem de estar preparada para acompanhar e dar resposta a esta evolução. Enquanto cidadãos, precisamos de estar preparados, conscientes e ser portadores de um conjunto de competências em diversas áreas e não apenas nas que se relacionam com o nosso trabalho/emprego, para que assim estejamos integrados de uma forma equilibrada na Sociedade em que vivemos. Manter-se actualizado no mundo do trabalho é uma exigência na vida de qualquer um, mas a sua actualização enquanto ser humano, consciente, positivo, equilibrado, feliz é um conjunto de características específicas, para que tudo o resto na vida decorra bem. A escola e o meio familiar deverão preparar os alunos para que sejam, no futuro, cidadãos informados, esclarecidos e participativos, proporcionando-lhes uma formação para o auto conhecimento e desenvolvimento, sendo esta a via para uma vida equilibrada em todas as suas áreas. O presente trabalho, de natureza qualitativa e exploratória, teve como objectivo contribuir para perceber como pode a formação online ajudar nessa missão de preparar pais e educadores, a acompanhar o desenvolvimento da consciência de cada criança. Para tal concebemos um curso de formação online...

Resistir ao inesperado: grupos de apoio: pais de crianças com NEE

Almeida, Carina Rafaela Lopes Ribau de
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
55.95%
O nascimento de uma criança com Necessidades Educativas Especiais (NEE) é um acontecimento inesperado na vida de uma família e de todos os seus elementos. Se no passado a atenção se centrava sobretudo na criança e na perturbação de que era portadora, na atualidade, a família, em especial os pais, são encarados como os principais intervenientes e promotores do processo de desenvolvimento da criança. O estágio realizado na Associação Diferentes e Especiais (ADE), localizada em Vagos, permitiu-nos efetuar uma investigação com o objetivo de construir conhecimento relevante sobre a importância dos grupos de apoio na vida das famílias com crianças com NEE, mais concretamente, as suas tipologias e dinâmicas, motivações que conduzem a estes grupos e benefícios decorrentes da participação nos mesmos. Apostando-se numa metodologia qualitativa (estudo de caso), observou-se uma sessão do grupo de apoio (observação não participante), foram aplicados questionários e realizadas entrevistas semiestruturadas a mães de crianças com NEE. Os dados obtidos permitiram aprofundar a reflexão sobre o impacto e eficácia que os grupos de apoio têm na vida destas famílias. Com o presente relatório pretende-se dar a conhecer todo o percurso investigativo realizado no decorrer do estágio...

Crescer a par contigo : a relação entre o apoio social, a gratificação parental e a interacção pais-filhos

Arriscado, Iris Correia Boavida Pereira
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.23%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2010; A presente investigação insere-se no âmbito do Projecto A Par em Portugal, inspirado pelo Peers Early Education Partnership de Inglaterra. Pretende analisar o desenvolvimento da função parental, de pais com crianças entre os três e os cinco anos, ao nível da Gratificação Parental, Actividades de Interacção Pais-Filhos e Apoio Social através de três instrumentos, em fase de adaptação. Nos estudos preliminares foram realizadas análises acerca da qualidade psicométrica de cada um dos instrumentos separadamente, com diferentes amostras de sujeitos, através dos quais encontrámos bons índices de precisão e validade. Os instrumentos revelaram-se como pluridimensionais. No estudo principal, que pretendia averiguar a relação entre as variáveis, analisámos as respostas de 68 pais (mães ou pais). As correlações permitiramnos verificar a existência de relações positivas entre todas as variáveis: um aumento da Gratificação Parental será acompanhado de mais Actividades de Interacção e maior percepção de Apoio Social por parte dos pais. Além disso...

Vinculação no contexto familiar: relações entre cônjuges, entre pais e filhos adolescentes e entre irmãos

Geraldes,Raquel; Soares,Isabel; Martins,Carla
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
56.18%
Tendo em vista a exploração das relações entre estilos de vinculação de membros de famílias e a sua associação com dimensões da vinculação na adolescência foram realizados dois estudos. O primeiro visou à validação psicométrica de uma sub-escala de avaliação da relação com o irmão, acrescentada ao instrumento Inventory of Parent and Peer Attachment (IPPA), evidenciando as qualidades psicométricas aceitáveis da mesma (N = 236). No segundo foram avaliados, através de três instrumentos de auto relato (incluindo a sub-escala validada), as relações e estilos de vinculação dos membros das famílias (N = 60). Conclusivamente, realça-se a concordância entre os estilos de vinculação, as correlações significativas entre dimensões de vinculação relativas a diferentes relações e a especificidade da relação entre irmãos neste contexto.

Obesidade infantil na percepção dos pais

Tenorio,Aline e Silva; Cobayashi,Fernanda
Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo Publicador: Sociedade de Pediatria de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.29%
OBJETIVO: Revisar as pesquisas atuais sobre a capacidade dos pais para perceber o peso corporal dos filhos, as crenças relacionadas ao peso, os fatores que influenciam essa percepção, assim como as possíveis ações capazes de ampliar a consciência dos pais sobre o excesso de peso de seus filhos e suas consequências. FONTES DE DADOS: As bases de dados utilizadas na pesquisa foram: Medline - Pubmed, SciELO e Scopus. Foram incluídos os artigos publicados nos últimos dez anos (2000 a 2010) relacionados ao tema e que abordavam a faixa pediátrica e os fatores condicionantes da percepção dos pais a respeito do peso dos filhos. SÍNTESE DOS DADOS: A percepção dos pais quanto ao peso dos filhos foi sempre baixa, apesar da diversidade das amostras estudadas, regiões diferentes, nível socioeconômico e escolaridade variada. Muitos pais de filhos com excesso de peso não reconhecem ou não consideram que este seja um problema de saúde. Com relação aos fatores que influenciam a percepção, destacam-se a idade das crianças (quanto menor, menos se percebe o excesso de peso); o sexo (o peso das meninas é percebido corretamente); a baixa escolaridade e o não entendimento das curvas de crescimento. CONCLUSÕES: A falta de percepção e consciência dos pais quanto ao estado nutricional dos filhos é um dos fatores que dificulta o sucesso da prevenção...

Recasamento: percepções e vivências dos filhos do primeiro casamento

Valentim de Sousa,Daniela Heitzmann Amaral; Dias,Cristina Maria de Souza Brito
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
56.11%
Esta pesquisa teve como objetivo compreender as percepções e as vivências de filhos diante das mudanças ocorridas em suas vidas, no âmbito da convivência familiar, devido ao recasamento de um ou de ambos os pais. É uma pesquisa qualitativa cujos participantes são quatro adultos jovens. Eles responderam a uma entrevista analisada de acordo com a Análise de Conteúdo Temática. Pode-se concluir que, apesar das dificuldades iniciais devido às alterações na estrutura física, na rotina e na dinâmica da casa, com a introdução de novos personagens (padrasto/madrasta, meio-irmãos e irmãos socioafetivos), eles relataram mais aspectos positivos do que negativos nessa configuração, exceto um caso em que a participante apresenta dificuldades na relação com a madrasta.

Identificação dos efeitos dos filhos nas relações familiares

Andrade,Luísa Maria da Costa; Martins,Maria Manuela Ferreira Pereira da Silva; Angelo,Margareth; Santos,Alzira Teresa Vieira Martins Ferreira dos; Martini,Jussara Gue
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
56.37%
Objetivo: Identificar os efeitos que os filhos têm nas relações familiares e identificar a priorização de preocupações dos pais com e sem filhos gêmeos. Métodos: Estudo transversal com 265 pais com filhos menores, dos quais 143 com filhos gêmeos. Os instrumentos de coleta de dados: escala de impacto familiar de um filho; lista de preocupações parentais. Resultados: As preocupações parentais priorizadas por ambos os grupos de participantes foram: “Falta de horas de sono e cansaço”; “Necessidades econômicas da família”; “Aumento das tarefas domésticas”; “Stresse individual com os papéis e com as responsabilidades”. O impacto familiar dos filhos é maior na dimensão financeira, sendo que esse valor é significativamente maior nas famílias com gêmeos. Conclusão: Os profissionais de enfermagem devem atender as principais dificuldades percebidas pelos pais promovendo estratégias e favorecendo a mobilização dos seus recursos.

Debates entre pais e mães divorciados: um trabalho com grupos

Brito,Leila Maria Torraca de; Cardoso,Andréia Ribeiro; Oliveira,Juliane Dominoni Gomes de
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
56.09%
O artigo apresenta dados coletados em pesquisa participativa realizada por meio de grupos de reflexão com pais e mães separados. A investigação teve como objetivo avaliar dificuldades quanto ao exercício da parentalidade após a separação conjugal bem como a possibilidade do uso de grupos de reflexão em tais situações. Destacam-se, no artigo, vivências e queixas de pais e de mães que participaram de cada um dos dois grupos organizados no que diz respeito ao convívio com os filhos após a dissolução conjugal. Conclui-se que a divisão tradicional entre guardiães e visitantes acarreta dificuldades próprias a cada uma das categorias, o que pode ser bem compreendido quando os pais se reúnem para o debate sobre o tema.

A influência das relações de apego entre pais e filhos na compreensão das emoções pelos filhos

Vasconcelos, Thais Sampaio Furtado de; Roazzi, Antonio (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
46.39%
A Compreensão das Emoções é um campo de estudo que cresce no interesse dos pesquisadores, dado sua capacidade de influenciar a interação social dos indivíduos. É na infância que a Compreensão das Emoções se desenvolve, atingindo seu auge por volta dos 11 anos de idade. O construto engloba o reconhecimento, o controle e a compreensão das emoções em si mesmo e nos outros. Muitos são os pesquisadores que investigam tal construto, muitas vezes estudando sua relação com outros. Neste caso, é possível se citar o Apego como um possível construto que influencia a Compreensão das Emoções pelas crianças, dado que o Apego é a primeira forma de interação do indivíduo, quando ele começará a compreender como suas ações e reações influenciam em suas relações com seu cuidador. O Apego foi estudado primeiramente por John Bowlby (1907-1990) em suas pesquisas na díade mãe-filho. O Apego se constitui como uma disposição em buscar proximidade e contato com uma figura específica, sendo o senso de segurança o aspecto central do Apego. Uma vez que o Apego se manifesta como a primeira forma de interação social do indivíduo, esta pesquisa teve por objetivo compreender como as relações de Apego dos pais com os filhos influenciam na Compreensão das Emoções dos filhos. Como participantes do estudo...

A adolescência e a relação entre pais e filhos no século XXI: um estudo qualitativo de visões sobre visões.

Santos, Sandra Rafaela Ribeiro dos
Fonte: Universidade Portucalense Publicador: Universidade Portucalense
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.37%
Segundo os pressupostos teóricos do Construcionismo Social e da Abordagem Sistémica, este estudo pretendeu compreender a adolescência e relação entre pais e filhos neste período, a partir da visão dos próprios pais e filhos e do cruzamento de ambas as visões. Com todas as alterações sociais do século XX, a própria família e a adolescência foram também alvo de profundas mudanças. Para além disso, a adolescência é um período da vida que acarreta profundas alterações não só para o jovem, como também para toda a família. Num mundo de incertezas, orientado para o hedonismo, onde novos perigos parecem estar mais acessíveis aos jovens, urge compreender de que forma adolescentes e pais vivem este período da adolescência no século XXI, os desafios e dificuldades que vivenciam, bem como as estratégias que dizem utilizar para lidarem com os mesmos. Neste sentido, este estudo, adotando uma metodologia qualitativa, e partindo da realização de focus groups em que participaram 13 famílias (15 pais e 13 filhos), procurou aceder e compreender as visões, os significados e a co-construção dos discursos de pais e filhos sobre esta temática. Foram inicialmente levados a cabo focus group com pais e adolescentes separadamente. Num segundo momento...

O desenvolvimento da socialização e o papel da família

Morgado, Alice Murteira; Dias, Maria da Luz Vale; Paixão, Maria Paula
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.38%
O estudo apresentado procurou analisar o papel da família no desenvolvimento da socialização em crianças e adolescentes, nomeadamente no que concerne ao papel da estrutura familiar e das relações pais-filhos. Assim, foi nosso objectivo verificar, por um lado, se a estrutura familiar seria por si só uma variável significativa para o desenvolvimento dos comportamentos sociais ou se, por outro lado, as relações pais filhos seriam melhores preditores da socialização dos filhos. Para o efeito, auscultaram-se 182 crianças e adolescentes a frequentarem o ensino básico, do 6º ao 9º ano de escolaridade, através de três questionários de auto-resposta que avaliaram aspectos sócio-demográficos, variáveis de socialização e relações pais-filhos. De um modo geral, os resultados obtidos permitem assumir que, mais do que a estrutura familiar por si só, será o modo como os elementos da família se relacionam que influenciará o desenvolvimento da socialização dos filhos. Acreditamos que tal conclusão poderá trazer importantes e úteis implicações no que ao desenvolvimento dos comportamentos sociais de crianças e adolescentes diz respeito, não apenas para a família, como para todas as instituições e profissionais que com ela lidam.; ABSTRACT:The present study analyses the family's role in children and adolescents' socialization development...

Planeamento familiar: saber nunca é demais!: sexualidade e família

Vilar, Duarte; Tavares, Maria José Ferro
Fonte: Universidade Aberta Publicador: Universidade Aberta
Tipo: Aula
Publicado em //1999 POR
Relevância na Pesquisa
56%
Recursos Educativos - Ciências; A comunicação pais / filhos adolescentes é abordada em entrevistas de rua e comentada em estúdio, pelo dr. José Gameiro, médico psiquiatra e pelo dr. Duarte Vilar, sociólogo.

Enuresis: impact on children and adolescents and parents’ tolerance; Enurese: impacto em crianças e adolescentes e a tolerância dos pais

Daibs, Yasmin Spaolonzi; Universidade de São Paulo; Pereira, Rodrigo Fernando; Universidade de São Paulo; Silvares, Edwiges Ferreira de Mattos; Universidade de São Paulo; Emerich, Deisy Ribas; Universidade Presbiteriana Mackenzie
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; avaliado por pares; Formato: application/pdf
Publicado em 15/03/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.23%
A literatura aponta que crianças e adolescentes com enurese podem ser impactados por esse problema e seus pais podem reagir de forma intolerante à condição dos filhos. O objetivo deste estudo foi verificar se havia relação entre a intolerância dos pais e o impacto percebido pelos filhos. Verificou-se também se os níveis de impacto e de tolerância materna são diferentes entre crianças e adolescentes. Participaram 126 crianças e adolescentes, e seus pais. As crianças responderam a uma Escala de Impacto, enquanto seus pais preencheram a Escala de Intolerância. Foi encontrada correlação positiva entre a intolerância da mãe e o impacto sentido pela criança. Verificou-se também que tanto o impacto como a intolerância apresentam correlação positiva com a idade. Estes resultados indicam que o tratamento da enurese, abrangendo em conjunto os clientes e seus pais, com esclarecimentos de ambos sobre as causas da enurese e a ausência de culpa das crianças que não conseguem obter o controle vesical pode minimizar o sofrimento de ambos, mas especialmente dos primeiros. Palavras-chave: enurese; impacto psicossocial; intolerância; relações pais-filhos.; Literature shows that enuresis can affect children and adolescents that suffer from this problem. It also can lead parents to an intolerant reaction toward their children condition. The objective of this study was to verify the relations between the impact perceived by the child and the parents’ level of tolerance. Correlations between these two aspects and age were also investigated. One hundred twenty-six children and their parents participated in this study...

O desenvolvimento da socialização e o papel da família

Morgado,Alice Murteira; Dias,Maria da Luz Vale; Paixão,Maria Paula
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.38%
O estudo apresentado procurou analisar o papel da família no desenvolvimento da socialização em crianças e adolescentes, nomeadamente no que concerne ao papel da estrutura familiar e das relações pais-filhos. Assim, foi nosso objectivo verificar, por um lado, se a estrutura familiar seria por si só uma variável significativa para o desenvolvimento dos comportamentos sociais ou se, por outro lado, as relações pais filhos seriam melhores preditores da socialização dos filhos. Para o efeito, auscultaram-se 182 crianças e adolescentes a frequentarem o ensino básico, do 6º ao 9º ano de escolaridade, através de três questionários de auto-resposta que avaliaram aspectos sócio-demográficos, variáveis de socialização e relações pais-filhos. De um modo geral, os resultados obtidos permitem assumir que, mais do que a estrutura familiar por si só, será o modo como os elementos da família se relacionam que influenciará o desenvolvimento da socialização dos filhos. Acreditamos que tal conclusão poderá trazer importantes e úteis implicações no que ao desenvolvimento dos comportamentos sociais de crianças e adolescentes diz respeito, não apenas para a família, como para todas as instituições e profissionais que com ela lidam.