Página 1 dos resultados de 271 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Relações conjugais na literatura de Tostói: análise de duas obras

Garcia, Diogo Alfonso; Maia, Ana Cláudia Bortolozzi
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.79%
Existem representações sociais diversas sobre padrões definidores de normalidade que direcionam o erotismo humano, incluindo aí concepções sobre casamento e relacionamento conjugal. A literatura pode ser um modo de evidenciar esses padrões, por isso, este estudo qualitativo, tipo documental, teve por objetivo analisar a temática das relações conjugais em duas obras do autor russo Lev Tolstói: “Felicidade Conjugal” e “A Sonata a Kreutzer”. A partir da análise de conteúdo, os resultados discutem as seguintes categorias: 1) A relação conjugal como sinônimo de posse; 2) O desejo sexual como mercadoria, 3) Enamoramento e Amor e 4) Casamento e Fidelidade e 5) Relacionamento e gênero. Nas duas narrativas as dificuldades nos relacionamentos conjugais são apresentadas de modo a explicitar o enamoramento e o cotidiano tendo como pano de fundo as relações de posse entre as pessoas; a crítica evidente diz respeito ao principio de individuação, que tem como base a propriedade privada, inclusive nos relacionamentos amorosos e sexuais. Conclui-se que a análise dessas obras de Tolstói contribui para refletir sobre como os relacionamentos conjugais se configuram também na atualidade; além disso, ressalta-se que a literatura é um instrumento interessante para problematizar e refletir certos padrões de conduta em sexualidade e que poderia ser usada em propostas intencionais de educação sexual.

O Outro lado da violência: a dinâmica dos conflitos nas relações conjugais a partir da ótica masculina

Palavezzini, Juliana
Fonte: Florianópolis Publicador: Florianópolis
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Relevância na Pesquisa
46.73%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio Econômico, Curso de Serviço Social.; Este trabalho de Conclusão de Curso aborda a violência cometida por homens contra mulheres, especificamente no âmbito da conjugalidade tendo como objetivo identificar como os homens vivenciam as relações conjugais violentas e quais suas justificativas para a mesma. Foi realizada uma pesquisa com homens que agrediram suas companheiras no município de Salto do Lontra / Paraná, que foram intimados pelo Juizado Especial Criminal. Inicialmente apresentamos algumas concepções sobre o termo violência e seus desdobramentos em violência contra a mulher, conjugal e intrafamiliar Também resgatamos as contribuições dos movimentos feministas e de mulheres no Brasil em relação às conquistas nesta área Apresentamos ainda uma reflexão sobre as modificações na Legislação Brasileira no que se refere aos direitos das mulheres, seguida de uma análise sobre a questão da dominação masculina e sua ligação aos papéis socialmente atribuídos a homens e mulheres. A questão do poder e sua relação com a violência especialmente nas relações conjugais também é discutida, abordando a violência conjugal como uma questão jurídico-social...

Família, trabalho e relações conjugais : perspectivas de dominação e de igualdade no feminino e no masculino

Patel, Maria Joana Vinagre Marques da Silva
Fonte: Porto : [Edição do Autor] Publicador: Porto : [Edição do Autor]
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
A família mantém-se a célula do indivíduo, onde este cresce e aprende a viver em sociedade. O trabalho é sinónimo de sobrevivência para os indivíduos. Entre as várias modalidades que coexistem nos dias de hoje, o trabalho assalariado é aprincipal fonte de rendimentos para metade dos portugueses. As relações conjugais são um espaço de intensas trocas afectivas que interferem com os indicadores de natalidade e com estabilidade emocional de cada indivíduo. Se é precsio aumentar o investimento profissional, como se organizam as famílias? Como é que são feitas as escolhas individuais e em que medida é que estas interferem no equilíbrio familiar? Porque é que a redistribuição de tarefas familiares é um assunto tabu, em que ninguém quer mexer? serve os interesses de quem? Os indivíduos têm consciência das desigualdades? Se têm, porque as mantêm? Par5a aprofundar estas questões efectuam-se entrevistas a alguns casais profissionalmente activos e com filhos. A partir de estudos de caso definem-se relações conjugais que se podem estabelecer em termos de dominação ou de igualdade.

Intimidades conjugais : das significações e percursos de intimidade à proximidade emocional

Santos, Cátia Vanessa da Costa
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
56.65%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2010; A intimidade é o conceito estrutural mais complexo das relações conjugais (Costa, 2005), pelo que a sua compreensão é vital para o conhecimento do casal, numa perspectiva de prevenção e melhoria das relações íntimas. Nesta investigação, pretendeu-se estudar as associações que se estabelecem entre três especificidades das relações íntimas, utilizando uma metodologia qualitativa: as significações de intimidade, o percurso de intimidade percebido e a proximidade emocional percebida. O estudo consistiu na realização de entrevistas conjuntas a dez casais, de entre os quais 50% viviam em união de facto e 50% eram casados. As entrevistas incluíam um bloco de tarefas individuais. Os dados foram analisados utilizando uma análise de conteúdo das entrevistas e uma metodologia de análise de casos conjunta. Os resultados não apontaram para associações entre significações de intimidade, percurso de intimidade percebido e proximidade emocional percebida. Ainda assim, verificaram-se duas associações ao nível da concordância dentro dos casais: a concordância no casal ao nível das significações parece estabelecer uma associação negativa com a concordância no percurso de intimidade percebido; a concordância no casal nas significações parece estar associada à concordância no nível de proximidade percebido.; Intimacy has been described as the most complex structural concept of marital relations...

Vivências de militares em missões internacionais : o impacto nas relações conjugais

Barbudo, Maria Margarida Lopes
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
56.54%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; A participação do militar numa missão internacional é um acontecimento normativo para uma família militar. Dependendo de especificidades como a duração, localização geográfica e recursos disponíveis durante a missão, este pode ser um evento indutor de stress familiar, mas também potenciador do fortalecimento da relação conjugal, ao mesmo tempo que são ativadas estratégias de coping. O presente estudo exploratório tem como objetivos centrais identificar e analisar as estratégias de coping utilizadas e os recursos dos militares portugueses e cônjuges, durante uma missão internacional, de modo a atenuarem as consequências da ausência física e emocional, assim como identificar benefícios e dificuldades, pessoais e conjugais. Partindo de um recorte do universo de militares e cônjuges, a amostra é constituída por 14 participantes (sete do sexo feminino e sete do sexo masculino) e através da análise de conteúdo abdutiva, realizada com recurso ao software QSR NVivo10, foi possível identificar o foco em atividades extra-trabalho como a principal estratégia de coping mais utilizada...

Viver sobrevivendo : emoções e dinâmicas socioculturais nos processos de manutenção das relações conjugais violentas

Cerejo, Sara Dalila Aguiar
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
Através da desconstrução e análise das dinâmicas da violência de género, particularmente das relações conjugais violentas, tenta-­‐se perceber os motivos que levam as mulheres vítimas a permanecer em longos ciclos de violência conjugal. Exploram-­‐se as dinâmicas e interacções sociais entre todos os intervenientes das relações conjugais violentas e identificam-­‐se as lógicas que contribuem para a manutenção dos ciclos de violência, que advém dessa interacção. Ao mesmo tempo analisam-­‐se os contextos da experiencia emocional vivida pelas vítimas, em particular através de emoções socais como a vergonha e culpa que aprisionam as mulheres na relação violenta. A análise desse contexto emocional faz-­‐se, ainda, através do recurso a determinados indicadores de expressão emocional, em situação de entrevista, e que permitem explorar, de forma mais profunda, as dinâmicas emocionais por vezes não reconhecidas pelas próprias mulheres vítimas.

Relações conjugais e parentais: uma comparação entre famílias de classes sociais baixa e média

Braz,Marcela Pereira; Dessen,Maria Auxiliadora; Silva,Nara Liana Pereira
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
56.58%
É importante estudar as inter-relações entre as relações parentais e maritais para a compreensão do desenvolvimento e o ajustamento social de crianças. O objetivo deste estudo é descrever aspectos da qualidade das relações parentais e maritais de 14 famílias de classes média e baixa, compostas por pai, mãe e criança-alvo na faixa etária de 4-5 anos. Um questionário sobre dados sócio-demográficos, estrutura familiar, modos de vida e divisão de tarefas domésticas foi respondido pelas mães e uma entrevista semi-estruturada foi conduzida com mães e pais, separadamente, incluindo questões sobre satisfação marital, conflito, coalizão, valores e crenças sobre casamento e educação de filhos e suas influências nas interações genitores-criança. Os resultados indicam que uma boa relação marital favorece o compartilhamento de tarefas domésticas e práticas de educação entre maridos e esposas e promove o desenvolvimento de sentimentos de segurança em suas crianças. Os dados são discutidos em termos das influências mútuas entre as relações maritais e parentais, levando em consideração as similaridades e as diferenças entre as famílias de classes média e baixa.

Relações conjugais e familiares de adolescentes após o término da gestação

Maranhão,Thatiana Araújo; Gomes,Keila Rejane Oliveira; Oliveira,Delvianne Costa de
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
56.76%
OBJETIVO: Analisar as percepções de mães adolescentes a respeito das relações familiares e conjugais desenvolvidas, após o término da gestação. MÉTODOS: Estudo transversal com 202 adolescentes, 3 meses após internação em uma das quatro maternidades de Teresina-PI, incluídas no estudo. RESULTADOS: A maioria das adolescentes entrevistadas percebeu mudanças positivas nas relações familiares (60,4%) e conjugais (50,5%), após o término da gestação. Observou-se associação estatística entre o desejo do pai pelo recém-nascido e a predisposição para cuidá-lo (p<0,01) e entre as modificações nas relações conjugais e o apoio paterno durante os cuidados do filho (p<0,01). CONCLUSÕES: Embora o estudo tenha mostrado relacionamentos predominantemente favoráveis entre as jovens e sua família e com o cônjuge após a gestação, espera-se que tais resultados norteiem os profissionais de saúde para que possam estimular o aumento do vínculo entre a mãe adolescente e as pessoas de seu convívio durante e após a gestação.

Concepções sobre relações amorosas / conjugais e sobre seus protagonistas: um estudo com provérbios

Menandro,Paulo Rogério Meira; Rölke,Rafaela Kerckhoff; Bertollo,Milena
Fonte: Departamento de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Publicador: Departamento de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 PT
Relevância na Pesquisa
56.8%
Os provérbios contêm informações culturalmente importantes sobre temas como casamento e relações de gênero, uma vez que constituem discurso autoritário e estereotipado aceito e memorizado pelas pessoas desde a infância. O presente estudo envolveu seleção e categorização de provérbios sobre relações amorosas, casamento, descasamento, bem como sobre as condições socioculturais que caracterizam a vida masculina e feminina com o objetivo de analisar singularidades e regularidades reveladoras das concepções presentes em tal modalidade de produção cultural. A seleção dos 569 provérbios examinados foi feita a partir de fontes documentais. Os provérbios foram classificados em 4 grandes temas (Amor, Casamento e Relações Conjugais, Homem, Mulher) que comportaram 104 subcategorias de análise. Os resultados revelaram um universo cultural construído a partir da perspectiva masculina, no qual estão presentes concepções sobre a natureza feminina e sobre as relações amorosas que justificam o desequilíbrio de poder nas relações conjugais que se constata ainda hoje.

Relações conjugais e familiares na perspectiva de mulheres de duas gerações: "Que seja terno enquanto dure"

Coutinho,Sabrine Mantuan dos Santos; Menandro,Paulo Rogério Meira
Fonte: Departamento de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Publicador: Departamento de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.61%
Este relato é um recorte de extensa pesquisa que buscou identificar a rede de representações sociais (RS) estabelecida em torno do ser mulher na família. Centra-se na questão da conjugalidade e busca verificar se a vivência conjugal e familiar sofreu modificações significativas num intervalo de aproximadamente 3 décadas. Foram realizadas 20 entrevistas narrativas, semiestruturadas, com mulheres de estrato socioeconômico médio e baixo: 10 que tiveram filhos nos anos 1960 (1ª geração) e 10 nos anos 1990 (2ª geração), filhas das primeiras. A entrevista permitiu às participantes falarem de suas experiências e práticas cotidianas em relação aos contextos familiar e conjugal. Visando agregar procedimentos complementares, os dados foram organizados/analisados a partir de adaptação do método fenomenológico para investigação psicológica e do software Alceste. Os resultados evidenciaram tanto continuidades quanto rupturas entre as gerações, podendo ser destacadas mudanças expressivas de uma geração à outra em relação a importantes aspectos do relacionamento conjugal como: a manutenção do casamento que deixa de ser o objetivo principal; as relações conjugais, de forma geral, tornam-se mais abertas; há redução de interdições em relação à mulher; e o investimento feminino no casamento passa a dividir espaço com o maior envolvimento masculino.

Da negociação às estratégias: relações conjugais e de gênero no discurso de mulheres de baixa renda em São Paulo

Souzas,Raquel; Alvarenga,Augusta Thereza de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
46.65%
O presente trabalho resulta de amplo estudo monográfico acerca de questões relativas a saúde reprodutiva de mulheres de baixa renda em São Paulo. Partimos do pressuposto de que pautas de negociação entre os casais podem ser desveladas por meio do discurso de mulheres e, a partir destes, reconstituídas as relações conjugais em termos de questões como as negociações ou a sua impossibilidade, conflitos e violência de gênero, relevantes para as saúde reprodutiva e sexual das mulheres. No referido estudo realizamos uma pesquisa de campo do tipo qualitativa, com 16 mulheres, utilizando a técnica de história oral do tipo temática. No presente artigo, centramos a análise nas concepções sobre casamento e intimidade, procurando articular, na discussão, as concepções de poder, sexualidade e gênero. Buscamos, igualmente, os sentidos que adquirem as relações conjugais, as infidelidade e fidelidade, a união e a liberdade. Destacamos dos discursos permanências e mudanças que desvelam o processo de "adaptação" e "modernização" do grupo, num contexto em que se constroem relações sociais e políticas mais modernizadas, características de um novo tempo social.

Relações familiares na perspectiva de pais, irmãos e crianças com deficiência

Silva,Simone Cerqueira da; Dessen,Maria Auxiliadora
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE Publicador: Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial - ABPEE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
46.59%
O desenvolvimento das crianças com deficiência é influenciado pelas relações familiares, sobretudo pelo modo como os pais lidam com a criança e a deficiência. No entanto, apesar de sua importância, pouco é conhecido sobre o funcionamento global dessas famílias. Assim, este estudo teve como objetivo investigar as características das relações familiares de crianças com deficiência (auditiva, intelectual, física, múltipla e visual) na perspectiva das mães (n=16), dos pais (n=12), dos irmãos (n=10) e das próprias crianças com deficiência (n=16), priorizando as relações nos subsistemas parental, conjugal e fraterno. Foi realizada uma entrevista semiestruturada com cada um dos participantes, individualmente, em suas respectivas residências, e foi aplicado um questionário de caracterização do sistema familiar com um dos genitores. Os resultados mostram que as práticas parentais são percebidas como coercitivas, mesmo havendo harmonia, diálogo e compartilhamento nos cuidados com os filhos. As relações conjugais são vistas como predominantemente satisfatórias, embora existam conflitos. Já sobre as relações fraternas, foram frequentes os relatos sobre conflito, harmonia, cuidado/proteção e coesão/união entre os irmãos. A percepção das relações familiares varia em função do tipo de deficiência da criança no que tange às práticas educativas parentais...

Problemas de comportamento exteriorizado e as relações familiares: revisão de literatura

Szelbracikowski,Adriane Corrêa; Dessen,Maria Auxiliadora
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 PT
Relevância na Pesquisa
56.72%
Pesquisadores têm estudado as relações familiares de crianças com problemas de comportamento exteriorizado, sobretudo, por suas implicações no desenvolvimento humano, ao longo do curso de vida. Os fatores de risco que contribuem para o surgimento e manutenção desses problemas estão relacionados às características da criança, aos processos familiares e às influências dos pares, comunidades e escolas. Neste artigo, discutimos, brevemente, a influência das relações parentais e conjugais em famílias de crianças pré-escolares com problemas de comportamento exteriorizado. No primeiro caso, ênfase é dada às práticas parentais e ao nível de estresse parental; no que tange às relações conjugais, destaque é dado aos padrões de interação em famílias casadas e recasadas e suas possíveis implicações nas relações parentais. Por fim, tecemos algumas considerações a respeito do papel da cultura no desenvolvimento de problemas de comportamento exteriorizado e da necessidade de investigar este tipo de problema sob a perspectiva do desenvolvimento humano.

Relações conjugais de parceiros HIV soropositivos concordantes: uma visão masculina

Figueiredo,Marco Antonio de Castro; Terenzi,Natália Maria
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.73%
Tomando como ponto de partida a vulnerabilidade feminina à infecção por HIV e a conseqüente feminilização da epidemia de aids, este estudo buscou identificar algumas representações de relações conjugais tendo como referência homens que transmitiram o HIV à companheira. Entrevistas semi-estruturadas com dez homens HIV-soropositivos que contaminaram a parceira permitiram a identificação de conteúdos relacionados com algumas categorias temáticas: a) provedor masculino, que relega o trabalho da mulher à condição de um complemento no orçamento doméstico; b) dialética passivo-ativa, que contrapõe o caráter contemplativo dos papéis femininos à iniciativa, característica do masculino; c) naturalização da infidelidade masculina, com conteúdos sobre assimetria de gêneros relacionada à liberdade do homem nas questões sexuais; d) feminilização do cuidado, que destaca o caráter continente do feminino, naturalizado pelas atribuições domésticas da mulher. Estes resultados poderão oferecer subsídios importantes para a concepção de programas de orientação sobre relações conjugais e questões de gênero, dentro do contexto da feminilização do HIV/aids.

AIDS, relações conjugais e confiança: um estudo sobre representações sociais

Oltramari,Leandro Castro; Camargo,Brigido Vizeu
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
56.52%
Este artigo tem por objetivo compreender a influência das representações sociais da Aids na prevenção dos comportamentos de vulnerabilidade ao HIV, nas relações de conjugalidade entre homens e mulheres heterossexuais. Participaram da pesquisa 48 pessoas, sendo a metade constituída de homens e a outra metade, de mulheres. A idade variou entre 19 e 74 anos. Para a análise do material coletado foi utilizada uma classificação hierárquica descendente das narrativas (ALCESTE). Os resultados demonstraram, por meio das representações sociais da Aids, que os entrevistados tinham cuidado com pessoas de grupos sociais específicos, empregando a ideia de "grupos de risco". Além disto, os entrevistados relacionaram a Aids ao medo e ao sexo com pessoas de comportamento perigoso. Foi possível concluir, com este estudo, que o parceiro conhecido é considerado menos perigoso do que as pessoas desconhecidas. Houve uma forma específica de negação do risco por parte dos entrevistados, devido às relações estáveis.

Os relacionamentos conjugais entre pessoas do mesmo sexo e as dinâmicas relacionais nas dimensões afetivas e legal

Silva Neto, João Alves da
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.62%
Os relacionamentos conjugais entre pessoas do mesmo sexo são fáticos na sociedade brasileira, no entanto tais casais vivem a impossibilidade de acesso ao casamento. A não aquisição de direitos pela população LGBTT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) reforça o posicionamento de subalternidade desses indivíduos e a lógica da sexopolítica. Em decorrência desses fatores, a relação conjugal desses casais é implicada em mais dificuldades para adquirir os objetivos de satisfação relacional, pois se encontra na seara dos estados punitivos, excludentes, discriminadores, fomentadores da intolerância, estimuladores do desrespeito e da desigualdade. Considerando a importância do desenvolvimento de conhecimento sobre os grupos minoritários para o desenvolvimento social, buscamos nesta pesquisa conhecer o que os casais em relacionamento conjugal com pessoa do mesmo sexo pensam sobre conjugalidade e como descrevem seus relacionamentos, nas dimensões afetiva e legal, assim como as implicações dessas variáveis entre si e na qualidade da relação conjugal. Para a compreensão desse fenômeno utilizamos a Teoria Queer em nossas análises. Frente a isso, organizamos esta tese em quatro seções. Na primeira discutimos teoricamente a interação entre a política...

Relações conjugais de parceiros HIV soropositivos concordantes: uma visão masculina; Conjugal relations of HIV serum-positive concordant partners: a masculine's point of view; Relaciones conyugales en compañeros VIH seropositivos concordantes: una visión masculina

FIGUEIREDO, Marco Antonio de Castro; TERENZI, Natália Maria
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
Tomando como ponto de partida a vulnerabilidade feminina à infecção por HIV e a conseqüente feminilização da epidemia de aids, este estudo buscou identificar algumas representações de relações conjugais tendo como referência homens que transmitiram o HIV à companheira. Entrevistas semi-estruturadas com dez homens HIV-soropositivos que contaminaram a parceira permitiram a identificação de conteúdos relacionados com algumas categorias temáticas: a) provedor masculino, que relega o trabalho da mulher à condição de um complemento no orçamento doméstico; b) dialética passivo-ativa, que contrapõe o caráter contemplativo dos papéis femininos à iniciativa, característica do masculino; c) naturalização da infidelidade masculina, com conteúdos sobre assimetria de gêneros relacionada à liberdade do homem nas questões sexuais; d) feminilização do cuidado, que destaca o caráter continente do feminino, naturalizado pelas atribuições domésticas da mulher. Estes resultados poderão oferecer subsídios importantes para a concepção de programas de orientação sobre relações conjugais e questões de gênero, dentro do contexto da feminilização do HIV/aids.; Since females are more vulnerable to HIV infection and since more women have been AIDS-infected...

Violências no contexto das relações conjugais contra mulheres de alcoolistas

Vitória, Fábio Brum
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 76 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
46.61%
Dissertação (mestrado profissional) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Mental e Atenção Psicossocial, Florianópolis, 2014.; CONTEXTO: violência é um evento de causalidade complexa, por vezes controversa e de mensuração problemática, amplamente presente na sociedade. O reconhecimento de sua ocorrência envolve análises de valores e práticas culturais, assim como, de seus componentes causais sócio-históricos, econômicos e subjetivos. Diante desse fenômeno multifacetado, encontra-se a violência contra a mulher, sendo a sua forma mais comum, a perpetrada por parceiros íntimos, de ocorrência frequente em toda parte do mundo. É considerada uma questão de saúde pública, pelo grande número de vítimas que atinge, e por suas repercussões deletérias na sanidade física e mental, assim como, pelas consequências econômicas para os países. Dentre os fatores preditores da violência doméstica contra a mulher, encontra-se o consumo de bebidas alcoólicas pelo parceiro íntimo do gênero masculino, já demonstrado em inúmeras pesquisas, apesar de algumas controvérsias na Literatura. OBJETIVOS: pesquisar os artigos que tratam da violência doméstica contra mulheres de alcoolistas...

A expectativa docCasamento: reflexões a partir da Teoria da Subjetividade

Gomes, Silvia Maria Rodrigues
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.75%
Os relacionamentos conjugais são um tema de constante presença nas interações da vivência humana, sendo a cultura um importante sinalizador dessa presença no imaginário social, poucas são as produções culturais que não produzam algo sobre esse tipo de relação afetivas. A música, a literatura, as artes cênicas, os costumes e outras manifestações têm extensa lista de produções relacionadas ao tema. Esse aspecto da experiência humana também se faz presente na psicologia, como disciplina do saber que se interessa pelos desdobramentos das relações conjugais na vivência dos indivíduos. Essa pesquisa procurou aproximar-se das experiências vividas nas relações conjugais de maneira a enxergar um pouco mais de perto as expectativas de indivíduos frente a essa faceta relacional da experiência humana. Para essa tarefa, buscou-se o apoio da Teoria da Subjetividade como campo teórico capaz de promover uma aproximação do tema tendo sempre em vista a singularidade dessa experiência para cada pessoa, buscando nelas alargar a compreensão desse importante aspecto da vivência humana. Nesse caso, o foco principal da pesquisa foram as expectativas de cada indivíduo frente às suas experiências afetivas conjugais...

Da negociação às estratégias: relações conjugais e de gênero no discurso de mulheres de baixa renda em São Paulo; From negotiation to strategie: marital relationships and gender in São Paulo low - income women discourse

Souzas, Raquel; Alvarenga, Augusta Thereza de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2001 POR
Relevância na Pesquisa
46.65%
O presente trabalho resulta de amplo estudo monográfico acerca de questões relativas a saúde reprodutiva de mulheres de baixa renda em São Paulo. Partimos do pressuposto de que pautas de negociação entre os casais podem ser desveladas por meio do discurso de mulheres e, a partir destes, reconstituídas as relações conjugais em termos de questões como as negociações ou a sua impossibilidade, conflitos e violência de gênero, relevantes para as saúde reprodutiva e sexual das mulheres. No referido estudo realizamos uma pesquisa de campo do tipo qualitativa, com 16 mulheres, utilizando a técnica de história oral do tipo temática. No presente artigo, centramos a análise nas concepções sobre casamento e intimidade, procurando articular, na discussão, as concepções de poder, sexualidade e gênero. Buscamos, igualmente, os sentidos que adquirem as relações conjugais, as infidelidade e fidelidade, a união e a liberdade. Destacamos dos discursos permanências e mudanças que desvelam o processo de "adaptação" e "modernização" do grupo, num contexto em que se constroem relações sociais e políticas mais modernizadas, características de um novo tempo social.; This paper results from a wide monographic study on issues related to reproductive health of low-income women in the city of São Paulo...