Página 1 dos resultados de 262 itens digitais encontrados em 0.017 segundos

Cooperação Sul-Sul: o acordo Brasil-Moçambique na área de biocombustíveis; South -South Cooperation: Brazil and Mozambique agreement in biofuels area

Bambo, Tomé Fernando
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
76.09%
O objetivo deste trabalho é analisar a dinâmica da cooperação Sul-Sul (CSS) nos últimos decênios, tomando como foco, o acordo entre Brasil e Moçambique na área dos biocombustíveis. Foi ressaltado que a cooperação Sul-Sul resultou da tomada de consciência dos países em desenvolvimento de que deveriam ser parceiros integrais de si mesmos na solução de seus problemas. O Brasil se insere no processo de CSS na década de 1960. Porém, devido aos constrangimentos tanto estrutural quanto conjuntural, as relações Brasil-África têm-se caracterizado por momentos de alta e baixa intensidade. Com Lula no poder (2003-2010) e com ele a sua política de diversificação de atores e de "solidariedade", as relações Brasil - África ganham novos contornos e dinamismo, um dos quais, a assinatura do acordo Brasil - Moçambique na área dos biocombustíveis. Concluiu-se, que no setor dos biocombustíveis, o que está por detrás da solidariedade, são os objetivos econômicos de empresas brasileiras.; The aim of this research is to analyze the dynamics of South-South cooperation (SSC) in recent decades, taking as its focus, the agreement between Brazil and Mozambique in biofuels area. It was emphasized that South-South cooperation resulted from the awareness of developing countries that should be full partners themselves in solving their problems. Brazil fits into the SSC process in the 1960s. However...

Cooperação no setor de políticas sociais : da bilateralidade Brasil-África do Sul à multilateralidade IBAS

Mallmann, Luciane Cristine
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
76.14%
As relações Brasil-África do Sul apontam para uma aproximação em novos termos desde o final dos anos noventa. Fazendo parte de um movimento mais amplo de redefinição das relações de poder no ambiente internacional, não é coincidência que tal desfecho tenha ocorrido ao final da bipolaridade. Do ponto de vista estrutural, retoma-se a busca de inclusão de potências médias, dentre as quais o Brasil e a África do Sul, no Conselho de Segurança da ONU, bem como uma maior participação nos processos decisórios globais de comércio. Na perspectiva conceitual ocorreu a mudança paradigmática para as noções de segurança humana e de desenvolvimento sustentável baseado na capacitação do homem. Nesse cenário de debate de reforma das instituições internacionais, despontaram candidatos de esquerda nos governos brasileiro e sul-africano, com suas agendas voltadas para a satisfação das necessidades sociais, incluindo combate ao HIV e à fome. A redefinição teleológica da ONU e a inserção pró-ativa brasileira acabou culminando numa agenda global pro misero liderada pelo Brasil. Sobre essas bases, ocorreu a reaproximação entre Brasil e África do Sul, negociada bilateralmente, mas formalizada numa aliança trilateral que incluiu a Índia...

A construção do Estado em Moçambique e as relações com o Brasil

Cau, Hilário Simões
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.17%
Uma revisão das relações Brasil-África nas últimas quatro décadas, desde a independência dos países africanos, mostra que a África subsaariana deteve um baixo perfil nas prioridades externas brasileiras. A isto se deveu a fraca intensidade de relacionamento entre ambas as partes, assim como a descontinuidade de interesses por parte dos diferentes governos brasileiros, tanto no desenho de estratégias de cooperação, assim como na coordenação de ações conjuntas perante aos Estados desenvolvidos. Factores internos, no Brasil, como a percepção dos diferentes governos militares para com a orientação política externa, a correlação de forças no sistema internacional, com efeitos visíveis em países africanos, relações privilegiadas destes com as suas antigas metrópoles, assim com a forma utilizada por alguns países africanos a ascender à independência, actuaram como elementos positivos ou negativos para uma maior ou menor aproximação entre o Brasil e a África em geral. As relações entre Brasil e Moçambique desde 1975, foram mais profundas no âmbito político do que no comercial, pois a ausência de um sector privado e de um modelo de desenvolvimento escolhido por Moçambique, bem como a guerra civil, acabou por se tornar elementos chave para a retração das intenções brasileiras de manter cooperação econômica sólida com a margem do Índico. A situação se reverteu na década 1990 com as mudanças políticas introduzidas em Moçambique...

O Brasil na África : uma análise das relações Brasil-Nigéria entre 1961 e 2012

Machado, Iara Binta Lima
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.15%
O presente trabalho analisa as relações Brasil-Nigéria entre 1961 e 2012, com o intuito de observar qual o espaço atribuído a este país nas estratégias de inserção brasileira na África. Primeiramente, discute-se a trajetória de inserção internacional da Nigéria no continente africano e no sistema internacional. Posteriormente, as relações Brasil-Nigéria são analisadas em três períodos históricos diferentes, condizentes com o desenvolvimento da política africana do Brasil: (i) de 1961 a 1989, período em que surge e é fortalecida a política africana brasileira; (ii) de 1990 a 2002, quando o Brasil se afasta da África e adota um critério de seletividade nas parcerias estabelecidas com os países do continente africano; (iii) de 2003 a 2012, período em que a África é tomada como um parceiro prioritário para a política externa brasileira. Em todos esses momentos históricos, a Nigéria figura como um importante parceiro econômico e político do Brasil na África, ainda que existam particularidades específicas ao relacionamento em cada um dos períodos analisados.; This paper analyzes Brazil-Nigeria relations between 1961 and 2012 with the purpose of observing the space allocated to Nigeria in Brazilian insertion strategies in Africa. In its first chapter...

Política externa brasileira e coalizações do Sul: o fórum de diálogo Índia-Brasil-África do Sul (IBSA)

Bueno, Adriana Mesquita Corrêa
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 128 f.
POR
Relevância na Pesquisa
66.01%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Relações Internacionais (UNESP - UNICAMP - PUC-SP) - FFC; Este trabalho desenvolve análise da relação da política externa brasileira com as coalizões do Sul, especificamente por meio do estudo de caso do Fórum de Diálogo Índia-Brasil-África do Sul (IBSA). A agenda da Política Externa Brasileira do governo Lula (2003-2010) privilegiou a cooperação Sul-Sul como consequência da nova situação internacional multilateral dos anos 1990 e da inserção internacional realizada pelo Ministério das Relações Exteriores brasileiro. Neste contexto, o Brasil buscou uma posição de líder do Sul, organizando a ação coletiva e cooperando com outros países em desenvolvimento...; This dissertation builds up an analysis about the relationship between the Brazilian foreign policy and coalitions of the South, specifically throught the case study of the India-Brazil_/south Africa Dialogue Forum (IBSA). The Brazilian foreign policy agenda of the Lula administration (2003-2010) has privileged the South-South cooperation as a consequence of international multilateral scenario of the 19990s and the international insertions carried out by the Brazilian Foreign Policy Ministry. In the context...

As relações Brasil-Portugal : do tratado de amizade e consulta ao processo de descolonização lusa na África (1953-1975)

Santos, Luiz Claudio Machado dos
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
56.16%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Departamento de História, 2011.; A presente tese, As relações Brasil-Portugal (1953-1975) do Tratado de amizade e consulta à descolonização lusa na África, pretende analisar as relações entre o Brasil e Portugal da assinatura do Tratado de Amizade e Consulta de 1953 até o fim do processo de descolonização portuguesa na África em 1975. Levando em consideração a revalorização do elemento português no Brasil ao longo da primeira metade do século XX, processo no qual a obra de Gilberto Freyre constitui momento exemplar, propõe-se a avaliação da constituição de um poderoso lobby lusitano encarregado de favorecer seus interesses imediatos e defender as posições do Estado salazarista junto à sociedade brasileira e a comunidade internacional a partir de uma instrumentalização da etnicidade como valor essencial a ser resguardado por portugueses e brasileiros. Dessa forma, os anos que vão de 1953 a 1975 serão analisados na perspectiva da definição dos reais limites impostos ao Brasil em suas relações internacionais, especificamente no tocante à África, em função dos rígidos esquemas geopolíticos praticados durante a Guerra Fria, bem como o correto entendimento das condições objetivas em que se sustentava o intercâmbio Brasil-Portugal e o caráter histórico das especialíssimas relações entre as duas nações...

África do Sul e Brasil: diplomacia e comércio (1918-2000)

Penna Filho,Pio
Fonte: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais Publicador: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 PT
Relevância na Pesquisa
56.07%
O principal objetivo do artigo é analisar as relações entre o Brasil e a África do Sul em perspectiva histórica. Uma vez iniciadas, essas relações atravessaram três grandes fases. No primeiro momento, que foi de 1918 a 1947, prevaleceu o comércio como fator da aproximação, constituindo-se tal período em momento de encontros e descobertas mútuas. A segunda fase, de 1947 a 1991, foi marcada pelo estabelecimento de relações diplomáticas e pelo gradual distanciamento entre os dois países. A última grande fase vem sendo marcada pela reaproximação entre Brasília e Pretória, uma vez que foi removido o principal empecilho para a concretização de relações prósperas entre os dois países, ou seja, o fim da política de apartheid. Durante esse último período, iniciado com o processo de democratização da África do Sul no alvorecer da década de 1990, há o renascimento das relações, em um contexto em que se vislumbra a possibilidade do estabelecimento de uma parceria estratégica, que interessa diretamente aos dois países.

Notas e comentários sobre a dinâmica do comércio Brasil-África nas décadas de 1970 a 1990

Santana,Ivo de
Fonte: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais Publicador: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
76.07%
Este artigo traz algumas reflexões acerca da presença empresarial brasileira no mercado africano, enfocando particularmente a visão de diferentes autores que se voltaram para o estudo das relações comerciais entre o Brasil e a África. O texto objetiva responder a duas questões principais. Primeiramente, sob que motivações o comércio Brasil-África obteve um notável crescimento entre os anos 1970 e 1990? Segundo, quais as perspectivas que se apresentam para o empresário brasileiro que deseje iniciar negócios na África? Através da pesquisa bibliográfica e entrevistas com executivos que atuaram na África no período mencionado, além de especialistas em comércio exterior, constatou-se que nos anos mencionados o governo brasileiro concedeu generosos incentivos aos empreendimentos direcionados para o mercado africano. Com o fim dessa política privilegiada, muitas empresas fracassaram, no entanto algumas permanecem em atividade, a exemplo da Câmara de Comércio Afro-Brasileira e da Construtora Norberto Odebrecht cujas trajetórias proporcionaram a entrada de outras empresas brasileiras no mercado africano, além de propiciarem importantes lições a empreendedores que desejam iniciar negócios no mercado africano. Concluímos que...

Crise e castigo: as relações Brasil-África no governo Sarney

Ribeiro,Cláudio Oliveira
Fonte: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais Publicador: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
75.95%
Este artigo analisa as relações político-comerciais Brasil-África no governo Sarney, procurando demonstrar que as mudanças observadas no sistema internacional e na realidade doméstica afetaram diretamente a condução da política externa brasileira e, por conseqüência, a intensidade das relações do país com o continente africano.

A política africana do governo Lula: (2003-2006)

Ribeiro,Cláudio Oliveira
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
56.02%
O artigo analisa as relações Brasil-África entre 2003 e 2006, procurando demonstrar que a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva trouxe nova dinâmica às relações do Brasil com o continente africano. O discurso e a prática diplomática deste governo convergem para a construção de alianças preferenciais com parceiros no âmbito das relações Sul-Sul. Nesse contexto, defende-se que África do Sul, Angola e Nigéria são parceiros políticos e econômicos essenciais à estratégia diplomática brasileira para o continente africano.

A política africana do brasil no pós-guerra fria

Ribeiro,Cláudio Oliveira
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.1%
O artigo analisa a política externa adotada pelo Brasil em relação à África no período posterior à Guerra Fria. Por tratar-se de um tema permanente na agenda diplomática brasileira há décadas, as relações entre o Brasil e a África assumiram um papel de destaque no quadro da política externa do governo Lula. Queremos compreender seus significados e as possibilidades que se abrem para o Brasil no continente africano. Fazemos isso ressaltando a dinâmica político-comercial entre o país e os parceiros africanos, e mobilizamos as seguintes variáveis de análise: as ações diplomáticas e o fluxo de comércio estabelecidopelo Brasil com os países africanos localizados na região da África subsaariana. Como principal argumento, defende-se que o término da Guerra Fria implicou transformações substanciais na agenda diplomática brasileira, afetando diretamente o relacionamento do Brasil com os parceiros africanos. Desse modo, sustenta-se que as relações Brasil-África têm se caracterizado por um movimento de intensidade variável, com acentuado declínio entre as décadas de 1980 e 1990 e recuperação e possível adensamento a partir da gestão Lula. O trabalho divide-se em quatro partes. Na primeira, apresenta-se um quadro geral das relaçõesentre o Brasil e a África no período anterior à década de 1980. Em seguida...

O fortalecimento das relações bilaterais e o apoio nos foros multilaterais: as relações Brasil-África (1995-2010); Strengthening bilateral relations and support in multilateral forums: Brazil-Africa relations (1995-2010). 2014.

Costa, Juliana Jerônimo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
96.15%
Essa tese tem como problema de pesquisa verificar se as estratégias de fortalecimento do relacionamento bilateral aumentariam o apoio dos países beneficiados ao país beneficiário nos foros multilaterais. Acredita-se, portanto, que uma das motivações para que os países fortaleçam as suas relações bilaterais seria a conquista de apoio no plano multilateral para com isso aumentar o seu peso e prestígio no sistema internacional. A literatura disponível responde a essa pergunta por meio de pesquisas sobre a ligação entre a ajuda internacional fornecida pelos países desenvolvidos, principalmente os Estados Unidos, e a convergência de votos em organismos multilaterais, não investigando se pode existir relação semelhante no caso de países emergentes. Dessa maneira, essa tese, por meio do estudo das relações Brasil-África entre os anos 1995 e 2010 - período em que o Brasil perseguiu um maior protagonismo no sistema internacional - busca tratar essa lacuna, objetivando verificar se o incremento das relações bilaterais gera a convergência de votos entre os envolvidos na Assembleia Geral das Nações Unidas. Para atingir esse objetivo, essa pesquisa foi dividida em quatro capítulos. No primeiro, são apresentados os principais estudos relativos à "troca" de benesses bilaterais por apoio nos foros multilaterais. No segundo capítulo...

A cooperação técnica do Brasil com a África: comparando os governos Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e Lula da Silva (2003-2010)

Mendonça Júnior,Wilson; Faria,Carlos Aurélio Pimenta de
Fonte: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais Publicador: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.03%
É consensual entre os analistas da Política Externa Brasileira o reconhecimento da priorização do eixo Sul-Sul nas estratégias de inserção internacional do país durante o governo Lula da Silva, bem como o papel de destaque concedido ao continente africano. Com o intuito de dar lastro empírico às análises sobre a retomada e repriorização das relações entre Brasil e África, este trabalho pretende analisar comparativamente a cooperação técnica provida pelo Brasil para os países africanos durante os governos Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e Lula da Silva (2003-2010). Procura-se identificar e comparar o número e os tipos de acordos firmados, a dispersão geográfica desses acordos e a diversidade temática dos projetos de cooperação técnica horizontal desenvolvidos pelo Brasil naquele continente. A fonte principal dos dados analisados, ainda pouco explorada pela literatura acadêmica brasileira, é o banco de dados do Departamento de Atos Internacionais do Ministério das Relações Exteriores.

Relações Brasil-Índia (1991-2006)

Vieira, Maíra Baé Baladão
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.08%
Esta pesquisa descreve acuradamente os eventos correspondentes ao relacionamento indo-brasileiro no período de 1991 a 2006, propondo uma periodização de quatro fases distintas. A primeira fase (1991-1995) está marcada pela mudança do paradigma indiano de inserção internacional, que fez com que aquele país, ampliando o escopo de suas relações internacionais, fomentasse o estreitamento das relações com o Brasil. A segunda fase do relacionamento, de 1996 a 1999, é caracterizada pelo aumento do interesse brasileiro em uma aproximação com a Índia. O período que abarca os anos 2000, 2001 e 2002 apresenta os primeiros frutos do esforço governamental mútuo, evidenciando o novo patamar que atingem as relações indo-brasileiras. O ano de 2003 confere diferenciada importância política a estas relações em função do surgimento do IBAS, do papel que passa a ser atribuído ao Brasil e à Índia nas negociações conclusivas da rodada de Doha na OMC, bem como do lançamento de suas candidaturas à membros permanentes do Conselho de Segurança das NaçõesUnidas. A análise das relações Brasil-Índia é realizada em três eixos: em relação ao comércio, são apresentados os desenvolvimentos do intercâmbio indo-brasileiro em termos bilaterais...

Relações Brasil-África e geopolítica do Atlântico Sul

Fonte: EDUFBA Publicador: EDUFBA
Tipo: Livro
Publicado em //2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.05%
Livro faz uma retomada das relações entre o Brasil, a África e o Atlântico Sul, abordando a “Pax Lusitana” e o período colonial; as transformações do poder marítimo contemporâneo; as estratégias marítimas das grandes potências no Atlântico-Sul; as formulações geopolíticas brasileiras sobre o Atlântico Sul, dentre outros assuntos relevantes. Para finalizar, Relações Brasil-África apresenta o cenário atual da cooperação Sul-Atlântica, o “despertar” da África, a diplomacia do “pragmatismo responsável”, os conflitos, interações e relações comerciais no Atlântico Sul, inclusive a parceria Brasil-Nigéria, o estabelecimento da Zona de Paz e a Organização do Tratado do Atlântico.

A atuação da Fiocruz na cooperação técnica entre Brasil e África no governo Lula: de 2003 a 2007

Silva, Natália Cristina Ribeiro
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.05%
Este estudo tem por objetivo analisar as relações entre Brasil e África, no governo Lula com vista a identificar as principais evoluções para o continente. A hipótese a ser testada é a de que a cooperação técnica internacional em saúde exercida pela Fiocruz integrou suas ações à política externa do Governo Lula, sendo possível afirmar que houve um forte alinhamento de visões entre o Ministério da Saúde e o Ministério das Relações Exteriores.; This study aims at analysing the relationship between Brazil and Africa in president Lula’s administration and identifying the development of Brazilian Foreign Policy for the continent. The hypothesis proposes that Fiocruz actions on International Health Cooperation have been integrated with foreign policy of Lula’s government. There is also evidence that there is a sharing of views between the Brazilian Health Ministry and the Brazilian Foreign Office.; Relações Internacionais

Ponte sobre o Atlântico: Brasil e África Subsaariana: parceria Sul-Sul para o crescimento; Bridge over the Atlantic: Brazil and Sub-Saharan Africa: South-South partnership for growth

Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Banco Mundial
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Banco Mundial Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Banco Mundial
Tipo: Livros
PT-BR
Relevância na Pesquisa
56.08%
Este livro consiste em um estudo descritivo sobre o envolvimento do Brasil com seus pares na África Subsaariana, ao longo da última década, por meio do intercâmbio de conhecimentos, comércio e investimentos. Consiste em um relatório de pesquisa fruto do esforço de colaboração entre o Banco Mundial (Região da África e Unidade de Gestão de País - Brasil) e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) do Brasil. É composto por seis capítulos que apresentam informações descritivas e analíticas sobre as características, tendências, limitações e relações qualitativas entre a África Subsaariana e o Brasil, assim como algumas das implicações políticas desse relacionamento. Apresenta um histórico da nova arquitetura política e financeira global, destacando as principais características do sistema internacional de cooperação para o desenvolvimento, incluindo os canais Norte-Sul e Sul-Sul, bem como a emergência do Brasil como um ator mundial na última década. Nesse contexto, observa as ligações históricas entre o Brasil e a África, de uma perspectiva mais ampla do que as ligações linguísticas existentes entre os países de língua portuguesa, incluindo o legado da escravidão e também outras manifestações políticas e culturais importantes dos laços que unem os dois lados do Atlântico. Focaliza em como e por que o Brasil passou da situação de recipiente de ajuda (nos anos 1960)...

A política africana do governo Lula: (2003-2006); The Lula government's African policy: (2003-2006)

Ribeiro, Cláudio Oliveira
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2009 POR
Relevância na Pesquisa
56.09%
O artigo analisa as relações Brasil-África entre 2003 e 2006, procurando demonstrar que a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva trouxe nova dinâmica às relações do Brasil com o continente africano. O discurso e a prática diplomática deste governo convergem para a construção de alianças preferenciais com parceiros no âmbito das relações Sul-Sul. Nesse contexto, defende-se que África do Sul, Angola e Nigéria são parceiros políticos e econômicos essenciais à estratégia diplomática brasileira para o continente africano.; The article analyzes Brazil-Africa relations between 2003 and 2006, aiming to demonstrate that the election of Luiz Inácio Lula da Silva injected a new dynamic to Brazil's relations with the African continent. The discourse and diplomatic practice of the Lula government have combined to help build preferential alliances with partners within the arena of South-South relations. In this context the text argues that South Africa, Angola and Nigeria are essential political and economic partners in Brazil's diplomatic strategy for the African continent.

O relacionamento bilateral entre o Brasil e a África do Sul no contexto do Fórum de Diálogo Índia, Brasil e África do Sul

Ribeiro Santana, Carlos; Universidade de Brasília - UnB
Fonte: Meridiano 47; Meridiano 47 Publicador: Meridiano 47; Meridiano 47
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 20/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
56.03%
O presente artigo busca analisar as relações bilaterais entre Brasil e África do Sul, especialmente a partir da recente aproximação, observada a partir do Fórum de Diálogo Índia, Brasil e África do Sul.

As relações Brasil-África entre os governos Collor e Itamar Franco

Ribeiro, Cláudio Oliveira; Universidade Estadual Paulista
Fonte: Revista Brasileira de Ciência Política Publicador: Revista Brasileira de Ciência Política
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2009 POR
Relevância na Pesquisa
65.98%
Este artigo analisa as relações Brasil-África no quadro da política externa dos governos Collor e Itamar Franco. Procura demonstrar que, em face da crise econômica que atinge o Brasil e os Estados africanos na década de 1980, bem como pelas mudanças operadas na orientação diplomática brasileira entre estes dois governos, a política externa em direção ao continente africano não encontrou suficientes subsídios governamentais que lhe garantissem maior ressonância e viabilidade.Palavras-chave: política externa Brasil-África; governo Collor; governo Itamar Franco AbstractThis article analyzes Afro-Brazilian relations in foreign policy during the Collor and Itamar Franco administrations. It demonstrates that, facing the economic crisis that affectedBrazil and the African states during the 1980s, as well as the changes made in the direction of Brazilian diplomacy between these two administrations, the foreign policy in relation to the African continent did not receive sufficient government subsidies to guarantee major impact or viability.Keywords: foreign policy Brazil-Africa; government Collor; Itamar Franco government