Página 1 dos resultados de 350 itens digitais encontrados em 0.059 segundos

Clusters e redes de cooperação de pequenas e médias empresas: observatório europeu, caso alemão e contribuições ao caso brasileiro; Clusters and cooperation networks of small and medium-sized companies: analysis of european and German experiences and contributions to the brazilian case

Gerolamo, Mateus Cecilio; CARPINETTI, Luiz César Ribeiro; FLESCHUTZ, Timo; SELIGER, Günther
Fonte: Universidade Federal de São Carlos Publicador: Universidade Federal de São Carlos
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
86.14%
Este trabalho apresenta os recentes estudos sobre clusters e redes de cooperação de pequenas e médias empresas na Europa, realizados pela Comissão Européia, bem como a descrição da atual estratégia de desenvolvimento de redes de competência na Alemanha (Kompetenznetze Deutschland), abordando especificamente o caso da região de Berlim e Brandemburgo. O objetivo principal é, por meio das análises dos programas europeus de desenvolvimento de clusters e redes de cooperação entre pequenas e médias empresas, verificar possibilidades de adaptação para a realidade brasileira no que se refere a arranjos produtivos locais e parques tecnológicos. Em linhas gerais, pequenas e médias empresas pertencentes a clusters na Europa têm demonstrado desempenho acima da média quando comparadas às demais empresas de seus respectivos setores. O aumento da competitividade de clusters e o crescimento econômico regional estão fortemente associados ao investimento em inovação. Esse é o caso da Alemanha que incentiva o desenvolvimento de inovação por meio de suas redes de competência. A região Berlim-Brandemburgo retrata o exemplo de uma estratégia coerente de desenvolvimento local. Pode-se dizer que possíveis alternativas para o Brasil seriam o apoio mais direto do poder público...

Uma análise dos processos recentes de desconcentração regional nas indústrias têxtil e de calçados e a importância dos sistemas locais de produção

Garcia, Renato de Castro
Fonte: Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste – ETENE / Banco do Nordeste do Brasil; Fortaleza Publicador: Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste – ETENE / Banco do Nordeste do Brasil; Fortaleza
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
85.8%
Constata que as tendências de localização das empresas das cadeias têxtil-vestuário e couro- calçados no período recente indicam a importância dos movimentos de desconcentração regional nessas indústrias, já que diversas empresas transferiram parte de sua capacidade produtiva para a região Nordeste do Brasil. Esse movimento foi motivado pela busca de melhores condições de custos, especialmente do trabalho, para fazer frente aos novos desafios da concorrência, e teve como consequência principal o aumento da importância das novas regiões produtoras e a redução do peso relativo das regiões tradicionais onde se localizam os mais importantes sistemas locais de produção. Conclui que esse movimento não significou o enfraquecimento dos sistemas locais, já que muitas empresas mantiveram nas regiões de origem atividades importantes, como o desenvolvimento de produto e design , marketing e gestão da cadeia de suprimentos. Além disso, para as pequenas empresas, as fortes economias de especialização verificadas nos sistemas locais têm papel fundamental para a sua competitividade, já que elas podem apropriar-se de um conjunto de benefícios associados à existência das externalidades positivas localizadas; The exam of the recent localization trends of companies of the textile...

Redes de cooperação interorganizacionais : a identificação de atributos e benefícios para um modelo de gestão

Verschoore Filho, Jorge Renato de Souza
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
86.2%
A presente tese trata do tema redes de cooperação interorganizacionais no contexto brasileiro. O estudo aborda uma política pública governamental desenvolvida no Sul do Brasil voltada a ampliar a competitividade das pequenas empresas e gerar desenvolvimento econômico e social através do incentivo a formação de redes de cooperação entre empresas. O objetivo principal da tese é identificar e compreender os principais fatores que afetam a gestão de redes de cooperação. A partir de uma pesquisa quantitativa realizada em uma amostra de 443 empresas participantes de 120 redes, os resultados evidenciaram os principais elementos de gestão. O Programa Redes de Cooperação, desenvolvido pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, trata-se de uma política pública que, desde o ano 2000, objetiva o fortalecimento competitivo de pequenas empresas e o desenvolvimento socioeconômico regional. Esse programa sustenta-se em três pilares de atuação: a) uma metodologia de formação, consolidação e expansão de redes entre empresas; b) uma estrutura regionalizada de suporte à implementação formada por uma rede de universidades regionais e c) uma coordenação central por parte do Governo do Estado, responsável pelos instrumentos de promoção...

Limites, inovações e desenvolvimento nos relacionamentos de redes de pequenas empresas no Rio Grande do Sul

Scherer, Felipe Ost
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
96.08%
As firmas atuando em redes de cooperação são mais do que a simples soma dos seus elementos constituintes. De certa forma, uma vez formada, a rede de cooperação pode ser encarada como se fosse uma nova firma, ou seja, uma nova coordenadora de atividades com um conjunto novo de conhecimentos, recursos, capacidades e competências. Entretanto, após a formação da rede, o desenvolvimento dessa está condicionado a superar os limites internos e externos a elas impostos. Para superar esses limites é preciso que a rede modifique com sucesso as rotinas já estabelecidas, ou seja, através da inovação. É assim com as firmas individuais, porém será diferente com as redes de cooperação? Assim, o objetivo desse trabalho é identificar como ocorre a trajetória de crescimento das redes de cooperação de pequenas empresas, apresentando o trinômio limites-inovação-desenvolvimento. Foram estudados quatro casos de redes de cooperação de pequenas empresas do Rio Grande do Sul. Verificou-se que o ramo de atuação da rede é determinante para a seqüência de ações em conjunto, já que houve diferenças entre a indústria e o comércio. A diferença está na natureza do negócio, ou seja, quais as competências centrais que as diferentes redes precisam dominar para manterem-se competitivas. Os casos também apontam para a grande orientação das mesmas para realização de inovações organizacionais e de marketing. Esses dois tipos de inovação envolvem menor complexidade para sua execução...

ON-Rede: modelo de geração de oportunidades de negócio baseado em redes de cooperação interorganizacional suportado por sistemas de informação

Mendonça, Vítor José Domingues
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
85.82%
Tese de Doutoramento em Informática; Num mercado cada vez mais competitivo e em permanente mutação, as organizações enfrentam desafios constantes, destacando-se sobretudo os desafios inerentes à globalização dos mercados, bem como os desafios ao nível da evolução tecnológica. Por conseguinte, as organizações têm a necessidade de se reinventar constantemente, procurando e implementando estratégias que visem ganhar competitividade. Assumindo que as oportunidades surgem, muitas vezes, a partir da identificação e compreensão das ameaças, as organizações deverão encarar a globalização e a evolução tecnológica não só como grandes desafios, mas também como grandes oportunidades. Perante tais desafios, as organizações, em particular as Pequenas e Médias Empresas, necessitam ganhar escala para terem a capacidade de competir numa economia global. Por outro lado, deverão ter a capacidade de serem flexíveis por forma a facilitar que se possam ajustar constantemente à evolução dos mercados. Assim, ainda que a evolução tecnológica seja um desafio para as organizações, as Tecnologias da Informação devem ser vistas como uma ferramenta facilitadora da implementação das estratégias organizacionais, sobretudo quando essas estratégias passam por ganhar escala e flexibilidade organizacional. A cooperação interorganizacional deverá ser encarada pelas organizações como uma estratégia que dota as organizações cooperantes de vantagens competitivas...

Adoção de E-Business e mudanças no modelo de negócio: inovação organizacional em pequenas empresas dos setores de comércio e serviços

Araujo,Jose Braz de; Zilber,Silvia Novaes
Fonte: Universidade Federal de São Carlos Publicador: Universidade Federal de São Carlos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 PT
Relevância na Pesquisa
86%
As pequenas empresas constituem um segmento relevante da economia brasileira, pois representam 98% das empresas e empregam 67% da mão de obra economicamente ativa, sendo responsáveis por somente 20% do PIB do País (SEBRAE, 2005). Isto mostra que a produtividade dessas empresas é relativamente pequena, podendo melhorar com a adoção de práticas organizacionais que aumentem o seu desempenho, entre elas, o e-business. Para que o e-business promova a melhoria de desempenho nessas empresas, é necessário que esteja inserido adequadamente em seu modelo de negócios, de forma a atender aos anseios mais amplos da empresa. O objetivo deste trabalho é descrever o modelo de negócios utilizado pelas pequenas empresas dos setores de comércio e serviços para a adoção de e-business, observando as principais dificuldades para essa adoção e os principais resultados obtidos por essas empresas. Este estudo caracteriza-se por uma pesquisa descritiva, realizada em duas etapas: qualitativa, com um estudo exploratório em 13 empresas; e quantitativa, com uma coleta de dados em 156 empresas. Os principais aspectos identificados na pesquisa foram a centralização das decisões referentes à adoção de e-business e à sua operação pelos sócios-proprietários...

Vantagens proporcionadas às pequenas e médias empresas por meio da união em redes de cooperação no contexto do venture capital

Magalhães,Juliano Machado de; Daudt,Cláudio Gustavo; Phonlor,Patrícia Ross
Fonte: Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração Publicador: Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
86.04%
A união de empresas em redes de cooperação surge como estratégia alternativa para enfrentar o aumento da competição proporcionada pela globalização. Diversos autores (Casarotto & Pires, 1999; Fayard, 2000; Jarillo, 1988; Marcon & Moinet, 2001) apontam vantagens obtidas por Pequenas e Médias Empresas [PMEs] com o agrupamento em redes. O modelo de investimento de capital de risco aparece como alternativa de união em rede. No Brasil, o venture capital [VC] data dos anos 80; este artigo se propõe a identificar as motivações e vantagens que PMEs obtêm ao se agruparem em rede. Nesse contexto, redes seriam uniões visando à obtenção de vantagens estratégicas. Foram realizadas entrevistas estruturadas com gestores de VC e de empresas aportadas. Os resultados demonstram que a adesão de empresas a este tipo de rede dá-se, inicialmente, em função do custo de capital. Posteriormente, há o reconhecimento de outras vantagens, como trocas de informações, melhoria em processos, expertise para obtenção de financiamento e maior aprendizagem do processo de governança. Conclui-se que a literatura sobre as vantagens da união em rede aplica-se as VC, apesar de poucos estudos no Brasil abordarem esta relação. Sugere-se...

Avaliação de desempenho de redes de pequenas empresas: contribuições da abordagem da produção de sentido

Wegner,Douglas; Misocsky,Maria Ceci
Fonte: Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia Publicador: Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
116.06%
Este artigo discute a avaliação de desempenho das redes interorganizacionais, com base em uma abordagem interpretativista que oferece uma concepção particular sobre as organizações e sobre como se constituem a partir da produção de sentido, realizada pelos sujeitos que as compõem. Toma-se como argumento o fato de que o processo de produção de sentido dentro das redes e entre redes diferentes faz com que o sentido da relação cooperativa seja distinto para os participantes. A contribuição da abordagem interpretativista para a avaliação de desempenho em redes de empresas implica aceitar a dimensão da subjetividade, já que a produção de sentidos diferentes influencia, também, as percepções dos empresários nos processos de avaliação dos resultados do arranjo cooperativo. O artigo propõe um modelo de avaliação de desempenho de redes de empresas, aceitando e incorporando uma abordagem processual e incluindo a abordagem interpretativista da produção de sentido.

Investigação de um modelo de rede social para o desenvolvimento das capacidades gerenciais de empreendedores de micro e pequenas empresas no Brasil

Pimentel, Henrique Daniel Gomes; Carvalho Filho, Edson Costa de Barros (orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
86.14%
Redes sociais podem ser definidas como um conjunto de dois elementos: atores e suas conexões. Apesar de seu estudo remontar dos anos 50, com foco na sociologia e na antropologia, apenas a partir da segunda metade do século XX começaram os estudos com foco entre as interações das partes. Emergiram-se daí, interesses no estudo das redes sociais, onde a informação tornou-se base para a análise entre as pessoas, grupos humanos e organizações. Recentemente, com o desenvolvimento das tecnologias da informação e comunicação ampliou-se o uso das Redes Sociais para Internet (RSI) em diversos setores da sociedade. No Brasil, as micro e pequenas empresas utilizam-se destas ferramentas para se comunicar com seu cliente para obter informações exclusivas e para obter diferencial competitivo. Entretanto, apesar desta realidade, elas ainda são insuficientes para oferecer todos os recursos para capacitação empresarial do empreendedor. Esta pesquisa objetiva analisar as redes sociais empresariais e propor um modelo de rede social voltado para o empreendedor de micro e pequenas empresas no Brasil. Foi realizado um estudo descritivo de dez redes sociais de negócios existentes no mercado nacional e internacional através de um questionário estruturado em tópicos que abordaram diversas dimensões. Tendo em vista a escassez na literatura de metodologias classificatórias de redes sociais online...

Redes de cooperação entre pequenas empresas do setor hoteleiro e a rede turística: um estudo de casos múltiplos em Aracaju, Sergipe

Teixeira, Rivanda Meira; Cerqueira, Aline Cedraz de; Sacramento, Patrícia Melo
Fonte: Universidade Federal de Sergipe Publicador: Universidade Federal de Sergipe
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86%
Este estudo tem como objetivo geral analisar como empresas hoteleiras de pequeno porte utilizam-se da rede de cooperação para garantir a participação no mercado. Pretende, especificamente, observar como ocorreu a formação da rede de cooperação entre as empresas do setor hoteleiro e as demais da rede turística, identificar o papel desempenhado por aquelas que participam da rede e relatar os principais benefícios percebidos pelos participantes da rede. Assim, foram escolhidos para o estudo dois hotéis de mesmo porte, localizados na orla da cidade de Aracaju, que atuam em cooperação com outras empresas da rede turística. Com base na análise dos dois casos, foi possível identificar uma atitude positiva dos empresários/gestores dos hotéis com relação ao trabalho em redes de cooperação com o intuito de compartilhar recursos e informações para que assim possam alcançar seu principal escopo: o aumento da demanda turística do estado e a sobrevivência em mercado tão competitivo.____________________________________________________________________________________ ABSTRACT: The objective of this study is to analyze how small hospitality firms use of cooperation networks to guarantee its participation in the market. Specifically intents...

Redes de pequenas empresas: a aplicação de uma tipologia em uma rede de supermercados

Teixeira, Rivanda Meira; Ferreira Júnior, Israel
Fonte: Universidade Federal de Sergipe Publicador: Universidade Federal de Sergipe
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.01%
O presente estudo teve como objetivo analisar as características de uma rede do setor de comércio varejista, a Rede Econômica de Supermercados, de acordo com a ti pologia de redes de empresas proposta por Hoffmann et al. (2004). Além disso, buscou-se identificar quais são os princi pais benefícios e dificuldades verificados na operacionalização da Rede. A partir de entrevistas realizadas com o gestor administrativo da Rede e com um gerente de compras, e com base na análise de documentos e material institucional, pode-se classificar a Rede como de cooperação horizontal, aglomerada, formal e não-orbital. As princi pais vantagens percebidas para os supermercados, com relação à partici pação na rede, foram a realização de ações de marketing e de compras conjuntas. A principal dificuldade apontada reside na conciliação dos objetivos do negócio com os objetivos individuais._____________________________________________________________________________________________ ABSTRACT: The present study intended to ana lyze the characteristics in a retail supermarket network, the “Rede Econômica de Supermercados”, according to the typology of networks made by Hoffmann et al. (2004). Besides, it was sought to identify which are the main benefits and difficulties for operating a network. Through interviews made with the network manager...

Formação de rede de empresas de tecnologia da informação com base na análise da cadeia de valor

Castro, Luís Felipe Tocchetto de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 133 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
86.08%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Florianópolis, 2010; Este trabalho propõe-se a identificar, dentro da cadeia de valor de empresas de base tecnológica da Grande Florianópolis, pontos e formas de cooperação, com base no conceito de redes cooperativas de pequenas e médias empresas. Inicialmente é feito um levantamento da bibliografia sobre o assunto, tratando de temas como benchmarking, redes de pequenas e médias empresas, cadeia de valor e metodologias para formação de consórcios e identificação de pontos e formas de cooperação. Utilizando-se como base, uma metodologia já desenvolvida em linha de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina que, por meio de benchmarking e análise da cadeia de valor, possibilita realizar um diagnóstico do desempenho das empresas e localizar os possíveis pontos de cooperação, desenvolveu-se uma metodologia derivada, voltada a redes de empresas de base tecnológica, adequando-se, com isso, o questionário padrão. A pesquisa foi realizada num grupo de quatro empresas de tecnologia na região da Grande Florianópolis...

Redes de cooperação entre empresas : caso das redes de Nova Friburgo

Faria, Luísa Filipe
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
86.1%
A tendência mundial que se vem observando é a transformação do mundo numa verdadeira aldeia global. Neste ambiente, apenas os mais fortes conseguem sobreviver. Entretanto, pode-se constatar que nem todas as pequenas e médias empresas têm condições de se modernizar o suficiente para competir nesse cenário econômico. Logo, surge a necessidade dessas empresas adotarem atitudes inovadoras para garantir sua perpetuação no mercado. Uma das saídas encontradas por essas empresas é a cooperação entre si, formando diversos tipos de alianças em redes. Uma grande barreira que desestimula a formação das redes de cooperação é a falta de confiança entre as diversas empresas. E necessário mudar a cultura empresarial de forma a conscientizar os empresários de que é possivel estabelecer relações estratégicas muito estreitas, mantendo a individualidade de cada parte e assegurando o diferencial competitivo mais facilmente. Com a dissertação desenvolvida, procurou-se responder a questão de investigação principal de verificar quais as vantagens que a cooperação pode trazer para cada parte envolvida, somando um diferencial competitivo. Este trabalho apresenta alguns casos de sucesso de redes de empresas, com diferentes tipos de relações entre as empresas...

Diseñando Redes de Colaboración al Emprendimiento e Innovaciónen las Comunas de Copiapó y Tierra Amarilla en la Región de Atacama

Corporacion para el Desarrollo de la Universidadde Atacama; Pedro Geraldo Maturana Monardez
Fonte: Corporação de Fomento da Produção Publicador: Corporação de Fomento da Produção
Tipo: proyecto
Publicado em 07/11/2013
Relevância na Pesquisa
85.88%
El Presente Programa Apunta a Desarrollar una Red Activa de Emprendedores y Microempresarios que Les Facilite el Acceso a Mercados y a la Infraestructura Comercial-profesional Existente Estimulando Inicialmente la Ambición de las Pequeñas Empresas y Emprendedores de la Comunas de Copiapó y Tierra Amarilla de la Tercera Región de Atacama y Hacerlas Crecer Sostenidamente. Imaginamos una Región Reconocida como Polo de Innovación y Emprendimiento. Lo Realizaremos Trabajando con los Emprendedores el Desarrollo de sus Habilidades la Motivación y Emoción que Lleva a la Acción y Herramientas para su Vida Empresarial a Través de un Método donde se Compromete a los Emprendedores a Crear y Seguir una Ruta de Crecimiento. Para ello Crearemos Experiencias Enriquecedoras a Través de Contenidos Duraderos Desarollo de Talleres Grupos de Aprendizaje Empresarial y una Red Social de Emprendedores de Atacama.; Acompañar Activamente a los Emprendedores Participantes para que un Grupo de Estos Logre Tener las Habilidades Necesarias para Poder Encadenarse con Instrumentos Públicos U Otros Similares.; Apoyar la Apertura de una Incubadora de Empresas en la Región Aportando a Esta una Masa Crítica de Emprendimientos y Empresas Postulantes.; Definir el Estado Actual del Proceso Emprendedor Propio de los Beneficiarios y Aportes Claves Cuantitativos y Cualitativos para Desarrollar el Ecosistema Emprendedor e Innovador de la Zona de Influencia.; Desarrollar la Ambición y el Compromiso de Crecimiento en las Pequeñas Empresas y en los Emprendedores de las Comunas de Copiapó y Tierra Amarilla en la Tercera Región de Atacama con el Fin de Generar una Masa Crítica de Emprendedores y Microempresas Comprometidas con su Crecimiento Sostenido mediante la Creación de una Red de Emprendimiento Llamada Red X Atacama donde Sea Posible Conectar Colaborar y Compartir Ideas.; Entregar a los Emprendedores y Microempresarios Entornos Motivadores y Herramientas para su Vida Empresarial a Través de un Método donde se Compromete a los Emprendedores a Crear y Seguir una Ruta de Crecimiento.; Producir Sinergia y Colaboración entre Red X Atacama y los Actores Presentes en la Región de Atacama en Torno a Apoyar a los Emprendedores e Innovadores de la Región.; Corporación de Fomento de la Producción

Elevando y Mejorando la Competitividad, la Innovación y el Trabajo Colaborativo en Red de las Empresas de Menor Tamaño y Emprendedores de Colina y Lampa de los Rubros Alimentario, Textil, Madera y Agropecuario

Compania Agropecuaria Copeval S a; Corporacion Municipal de Desarrollo Social de Colina; I Municipalidad de Colina; I Municipalidad de Lampa; Francisco Dagoberto Lagos Sepulveda
Fonte: Corporação de Fomento da Produção Publicador: Corporação de Fomento da Produção
Tipo: proyecto
Publicado em 20/11/2013
Relevância na Pesquisa
86.09%
En Colina y Lampa Existe una Diversidad Social Económica Industrial y Cultural, lo que Plantea el Desafío de una Mayor Integración para Favorecer el Crecimiento de Todos los Actores. Las Principales Problemáticas de los Micro y Pequeños Empresarios del Sector se Reflejan en la Falta de Herramientas que Tienen las Empresas para Subsistir en un Mercado Competitivo. Falta Diferenciación y Agregación de Valor en los Negocios. Además los Empresarios y Emprendedores Actúan de Manera Aislada sin Grado de Asociatividad por lo que Muchos Emprendimientos en sus Etapas Iniciales Fracasandebido a la Experiencia del Centro del Emprendedor en Colina y de la Oficina de Fomento Productivo de Lampa se Seleccionó a los Rubros que en Función de sus Falencias Daban Cuenta de un Mayor Apoyo en Materia de Capacitación y Generación de Redes. Se Definió que los Beneficiarios Atendidos por el Presente Programa Corresponden a Emprendedores Micro y Pequeñas Empresas de las Comunas de Colina y Lampa Pertenecientes a los Rubros de las Industrias Alimentaria Textil Maderera y Agropecuaria, que Requieran la Incorporación de Herramientas y Generación de Capacidades que Les Permitan Mejorar su Competitividad y Lograr la Generación de Innovación Dentro de las Empresas Así como También el Fortalecimiento y la Generación de Redes Empresariales como Fuente de Creación de Valor y Nuevos Negocios. La Iniciativa Comenzará con un Diagnóstico a Realizar en Colina y Lampa que Permitirá Identificar Problemáticas y Oportunidades Comunes de Potenciales Beneficiarios Pertenecientes a los Rubros ya Descritos...

Programa compite + 1000. Potenciando a las medianas empresas a través de innovación y emprendimiento para la competencia global

Administradora Parques de Chile Sa; Agricola y Forestal Snp Limitada; Agrocomercial Safratec Chile Ltda; Alimentos Providencia Ltda; Asesorias y Sistemas Habilis Ltda; Bookmart Spa; Cabala Raby López Ingeniería Estructural Ltda.; Cenfa Capacitacion Limi
Fonte: Corporação de Fomento da Produção Publicador: Corporação de Fomento da Produção
Tipo: Proyecto
Publicado em 11/11/2011
Relevância na Pesquisa
85.86%
La Universidad Adolfo Ibáñez a través de su Centro de Innovación y Emprendimiento (CIE UAI) cumpliendo con su labor de educación y extensión y de entregar las mejores herramientas de gestión de negocios innovación y emprendimiento al sistema productivo del país propone la ejecución del Programa Compite + 1000 trabajando con 15 empresas PYME grupo inicial dividido en 2 subgrupos: empresas de servicios y oficinas de ingeniería estructural. El objetivo de Compite +1.000 es impactar la productividad de las empresas y su potencial de expansión a través del fortalecimiento de las capacidades de innovación y emprendimiento. Se basa en que: [1] la administración enseñada y aplicada en las empresas es adecuada para corporaciones no pequeña empresa ni emprendimiento, [2] existen barreras culturales fallas de mercado y regulaciones que impiden el desarrollo adecuado de las PYMEs, [3] éstas tienen ventajas de velocidad y conocimiento para generar innovaciones de alto impacto. La tecnología aplicada a través del programa son adaptaciones de técnicas de gestión utilizadas actualmente en Silicon Valley para emprendimientos dinámicos. Este programa tiene la característica de piloto pues muchas de estas técnicas de gestión son recientes y no forman parte de un conjunto ordenado. El CIE UAI en su labor educativa y de extensión ha formado un paquete tecnológico que se conjuga con una red de expertos tutores más la utilización de ERPs en la nube para crear una oferta única de gestión y acompañamiento para la competitividad. Un impacto del programa será generar: [1] una plataforma de contenidos única en su tipo en la región [2] un ERP adaptado a empresas nacionales que facilite la gestión de innovación en PYMEs [3] un equipo humano con académicos tutores ingenieros e investigadores que generaran información única nueva disponible y aplicada para un segmento relevante en la competitividad del país. El cuerpo de contenidos y metodologías ha sido probado en: cadenas de proveedores de la industria minera en asesorías y directorios de PYME nacional y en educación ejecutiva de pregrado y postgrado. La diferencia de este programa respecto de otras ofertas es la cercanía con la empresa el acompañamiento en terreno el involucramiento uno a uno en la implantación de capacidades y la búsqueda de las soluciones. Como objetivos específicos del programa se considera: Diagnosticar generar quiebre de expectativas y a partir de esto intervenir los marcos paradigmas de trabajo y de toma de decisiones de las empresas Capacitar a los equipos directivos en temas habilitantes para la inversión en desafíos de cambio y en formas de abordaje estratégico de proyectos de innovación y emprendimiento. Asesorar directamente a las empresas a través de tutores senior para alinear la organización y dirigir la empresa hacia los nuevos desafíos. Trabajar sobre proyectos dentro de una plataforma tecnológica e ingenieros de soporte que sean ejemplos aprender en el hacer para la nueva etapa de trabajo y posibilidades de la organización. Generar y validar una plataforma de conocimiento aplicado especializada en innovación y emprendimiento para PYMEs viable repetible y escalable (con materiales casos de estudio ERP metodología testeada redes de académicos tutores e ingenieros de proyectos). Se considera también en las actividades y presupuesto la inversión para la creación de los elementos para expandir la metodología: la traducción de material en inglés la adaptación y redacción del material para vincularlo a la PYME nacional el diseño de herramientas de docencia acompañamiento en las empresas el ajuste de las herramientas entre otros. Así el programa tiene al menos 3 grandes metas: [1] demostrar que las empresas medianas de servicios pueden volver a crecer utilizando metodologías adecuadas...

RED DE INVERSIONISTAS ÁNGELES DE LA CÁMARA NACIONAL DE COMERCIO,SERVICIOS Y TURISMO DE CHILE F.G.N. PLATAFORMA ELECTRÓNICA DE INVERSIÓN

Camara Nacional de Comercio Servicios y Turismo de Chile; MARICARMEN TORRES F.
Fonte: Corporação de Fomento da Produção Publicador: Corporação de Fomento da Produção
Tipo: proyecto
Publicado em 23/10/2012
Relevância na Pesquisa
85.86%
Chile al igual que el resto de las economías emergentes se enfrenta al desafío de promover la competitividad mediante políticas que promuevan el emprendimiento y la innovación como movilizadores de la economía. Para este desafío una de las principales barreras detectadas por diferentes estudios realizados (BID 2006 GEM 2008 2009 2010) han logrado evidenciar que unas importante barrera para la consolidación de las empresas es la carencia de un mercado de capital de riesgo para empresas emergentes. Las Políticas gubernamentales han adquirido un importante compromiso con el desarrollo económico y social del país. Para ello se han comprometido acciones en diferentes áreas siendo una de ellas la innovación y el emprendimiento como también las reformas legales que permitan eliminar las barreras de entrada a los mercados y reducir las barreras de salida para aumentar la libre competencia y potenciar a los emprendedores. En este contexto de fomento del emprendimiento se enmarca el proyecto de creación de la Red de Ángeles de la CNC creación de un mercado para la financiación de pequeñas y medianas empresas en expansión. Se busca crear un mercado efectivo de financiamiento privado para empresas en expansión diseñado para empresas nuevas que buscan financiamiento para un plan de negocios innovador empresas con proyectos de innovación en el sector de alta tecnología y empresas de rápida expansión o con proyectos con fuerte potencial de crecimiento. En el proceso de gestación del emprendimiento se detecta que para la creación de empresas existen mecanismos de financiamiento semi-informales (familiares amigos y socios fundadores) que funcionan adecuadamente pues en esta primera etapa las necesidades de financiamiento suponen capitales elevados. Nuestro gobierno ha ayudado al emprendimiento de empresas en crecimiento a través de diferentes mecanismos de aportación de capital público en fondos de capital riesgo de carácter privado. Sin embargo esta etapa de financiación a través del capital riesgo cubre únicamente empresas cuya cifra de negocio es superior a los 5 millones de dólares. Existe por tanto una brecha para compañías emprendedoras con potencial de crecimiento pues éstas tienen difícil acceso al financiamiento. Se trata de empresas cuya cifra de negocio oscila entre 04 y 5 millones de dólares. Además este segmento de empresas se encuentra con la barrera adicional de la incapacidad de encontrar mecanismos eficientes de salida para los Inversionistas y dar paso a la entrada de capital riesgo o a inversionistas sofisticados que puedan aportar capital durante una etapa de la vida de la compañía. Dado esto surge el proyecto para la creación de un mercado para la financiación de empresas emergentes con potencial de crecimiento Mercado de Empresas en Expansión para ello la creación e implementación de la Red de Ángeles de la CNC. Este proyecto busca reunir a empresas emprendedoras que necesitan financiarse para llevar a cabo su expansión y a inversionistas que pueden aportar financiación y en su caso experiencia en la gestión profesionalizada de empresas a cambio de retornos positivos generando mecanismos eficientes de salida y entrada de nuevos capitales para estas empresas.; Crear organizar formalizar y operar la Red Capitalistas Ángeles de la CNC y convertirse en la Primera Red de Inversionistas Ángeles con procesos de transacción digital especializada en inversiones a empresas emergentes de alto potencial de crecimiento así como disminuir el riesgo asociado a estas inversiones y el tiempo en la toma de decisiones bajo una plataforma tecnológica. Y generar las instancias para que se produzca el matching entre los desarrolladores de proyectos innovadores y los inversionistas dispuestos a invertir en proyectos riesgosos lo que dificulta el desarrollo de proyectos con alto potencial de desarrollo; Corporación de Fomento de la Producción

Desarrollo de guía para la gestión de estrategia comunicacional en redes sociales : Facebook y Twitter, para mejorar la fidelización de clientes e imagen de marca de micro y pequeñas empresas

Lasa Sendic, Tomás; Vega Alfaro, Natalia Valentina
Fonte: Universidad de Chile Publicador: Universidad de Chile
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
86.11%
Seminario para Optar al grado de Ingeniero Comercial,Mención Administración; El presente Seminario de Título busca entregar a los micro y pequeños empresarios una guía que sirva como herramienta para desarrollar de manera efectiva su estrategia comunicacional de manera digital a través de redes sociales, siendo esto atractivo debido al bajo costo que implica utilizarlas y a los beneficios que se pueden obtener en cuanto a imagen de marca y fidelización de clientes. Para llevar a cabo lo anterior, en primer lugar se realizó un análisis de datos secundarios, la cual se efectuó mediante papers, noticias, entrevistas y documentos digitales, lo cual brindó una base para poder efectuar el marco teórico abarcando conceptos asociados a empresas en Chile, internet y su uso, marketing y marcas, y siendo a la vez posible contextualizar la situación actual respecto al uso de redes sociales como parte de la estrategia comunicacional de las empresas, tanto en Chile como en otros países, pudiendo identificar factores críticos del éxito y definir las claves de una buena gestión digital. Posteriormente, se dio lugar a la obtención de datos primarios, principalmente obtenidos mediante la observación y análisis de la estrategia digital que llevan a cabo tanto en Facebook como en Twitter empresas de diversos tamaños...

Micro e pequenas empresas (MPEs) e construção social do mercado; Texto para Discussão (TD) 1554: Micro e pequenas empresas (MPEs) e construção social do mercado; Texto para Discussão Cepal Ipea 36: Micro e pequenas empresas (MPEs) e construção social do mercado

Amaral Filho, Jair do
Fonte: Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL); Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL); Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
86.05%
O trabalho está estruturado da maneira que segue: a primeira seção tratará do novo ambiente econômico e sua relação com as MPEs, identificando alguns eventos promotores desse ambiente; a segunda seção mostrará as redes e os agrupamentos de micro e pequenas empresas como fator de estabilidade desse novo ambiente, instável; a terceira seção analisará as principais formas e organizações voltadas para construção social do mercado; a quarta seção mostrará os pontos comuns e convergentes entre essas organizações; a quinta seção indicará as possibilidades e os limites colocados pela transposição dessas organizações, ou estratégias, para os países em desenvolvimento; a sexta seção procurará dar uma ideia da difusão imperfeita da estratégia de sistema e arranjo produtivo local (APL); a sétima seção analisará o papel das políticas públicas de apoio e os desafios institucionais; por fim, na última seção será apresentada a conclusão.; 59 p.

COOPERATIVE NETWORKS IN EGEPE SCIENTIFIC PRODUCTIONS OF STUDIES ON ENTREPRENEURSHIP AND SMALL BUSINESS MANAGEMENT; REDE DE COOPERAÇÃO EM PRODUÇÃO CIENTÍFICA DO EGEPE DE ESTUDOS SOBRE EMPREENDEDORISMO E GESTÃO DE PEQUENAS EMPRESAS DOI: 10.5773/rai.v8i3.809

Farber, Susana Gauche; Hoeltgebaum, Marianne; Klemz, Beatriz
Fonte: Universidade de São Paulo. Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 07/11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
85.82%
The Meetings of Studies in Entrepreneurship and Small Business Management (Egepe), the Brazilian main event in the entrepreneurship area, have been consolidated over time. The scientific production disseminated in these events has been increasing and demands an analysis of its production and authors. Based on concepts orientation about the term “entrepreneurship” and its study fields, this research aimed to select the main authors and also main cited papers published in Egepe. Using an bibliometric study, it surveyed 205 articles between the years 2000 and 2008, containing in their titles, key-words or abstracts the variables: entrepreneur, entrepreneurship and startup. Analyzing Egepe’s scientific production, this paper highlights the most-referenced authors, as (in order of number of times cited): Filion, Schumpeter, Drucker, Dolabela, Dornelas, Mintzberg, Carland, McClelland, Degen and Kuratko. Using social network analysis (UNICET software) it observes the existence of associations between authors, articles and fields of study. The network of cooperation that most involves researchers stands out for connecting six articles published by four researches: Filion, Dolabela, Dornelas, and Degen. Among them, Filion and Dolabela each participate in the network with two articles.; O encontro de estudos sobre empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas (Egepe) vem se consolidando ao longo do tempo. A produção científica disseminada nesse evento cresce e cabe uma análise dessa produção e dos seus autores. Tomando como base orientações sobre conceitos do termo empreendedorismo...