Página 1 dos resultados de 5 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

Raízes alemãs da sociologia econômica

Lallement,Michel
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
17.04%
O texto recupera a fonte clássica weberiana e da Escola Histórica Alemã para a formação da economia institucionalista no contexto acadêmico norte-americano das últimas décadas do século XIX. Para isso, retoma as reflexões de Weber em torno da sociologia do direito e a conexão entre normas jurídicas e ação econômica. Apresenta em seguida a sua recepção do outro lado do Atlântico como grandemente devedora das figuras respectivas de Richard T. Ely, destacado representante de uma geração de estudantes formados pelo ambiente cultural alemão, e em seguida de J. R. Commons, leitor do primeiro. O artigo também mostra as relações entre os temas da democracia industrial e da grande empresa cooperativa, nos Estados Unidos, com a aquela tradição intelectual, estabelecendo assim as condições históricas para o surgimento posterior da sociologia econômica. Sugere, dessa forma, que as afinidades eletivas entre a economia e as outras esferas do social, uma abordagem de raiz weberiana, têm explicitada a sua linha de continuidade encontrada nas classificações disciplinares mais recentes.

Der Täter in seinen sozialen Bezügen : Ergebnisse aus der Tübinger Jungtäter-Vergleichsuntersuchung

Göppinger, Hans
Fonte: Berlin ; Heidelberg [u.a.] : Springer Publicador: Berlin ; Heidelberg [u.a.] : Springer
Tipo: Buch (Monographie)
DE_DE
Relevância na Pesquisa
17.04%

Sprachschranken vor Gericht

Bausinger, Hermann
Fonte: Universität Tübingen Publicador: Universität Tübingen
Tipo: (wissenschaftlicher) Artikel; info:eu-repo/semantics/article
DE_DE
Relevância na Pesquisa
17.04%
Zu den wesentlichen Basiserkenntnissen der modernen Kriminologie gehört die Einsicht, daß Kriminalität zwar äußerlich und metaphorisch durch den Bruch von Rechtsnormen definiert ist1, daß sie sich aber tatsächlich in einem oft komplizierten Geflecht verschiedenartiger Normen vollzieht. Insbesondere ist die rechtssoziologische Erfahrung wichtig geworden, daß illegale Handlungen in vielen Fällen nicht primär gegen Normen vollbracht werden, sondern in Übereinstimmung mit, ja zur nachdrücklichen Bestätigung v o n gruppen- oder milieuspezifischen Normen.2 Die sogenannte Rechtliche Volkskunde verdankt diesem Sachverhalt, zugespitzt gesagt, geradezu ihre Existenz; zumindest hat sie immer wieder Fälle aufgegriffen, die zeigten, daß es neben dem kodifizierten Recht und gegen das kodifizierte Recht andere Rechtsnormen (oder ,Rechts'normen) gibt, die ihre Verbindlichkeit aus ungeschriebener, meist lokaler oder regionaler Tradition ableiten. Die Rechtliche Volkskunde hätte so geradezu zu einem wichtigen Bestandteil der Kriminologie und der Rechtssoziologie werden können. Daß sie es nicht wurde (und dies muß trotz einiger fruchtbarer Querverbindungen doch wohl gesagt werden), liegt möglicherweise an dem lange Zeit vorherrschenden selektiven Verfahren...

Por trás dos casos difíceis: a dogmática jurídica e o paradoxo da decisão indecidível; Hinter den hard cases: Rechtsdogmatik und die Paradoxie der unentscheidbaren Entscheidung

Ramos, Luiz Felipe Rosa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
17.04%
A dogmática jurídica tem sido concebida, em face de uma das exigências centrais do direito moderno, como a sistematização de normas jurídicas a partir da adesão ao direito positivo. O objetivo deste trabalho é enfrentar o tema da dogmática jurídica, com base na teoria dos sistemas sociais, partindo do seguinte problema: como a dogmática jurídica moderna se relaciona com a proibição da denegação de justiça? O presente estudo aborda, em face de um debate que se constrói a partir dos casos difíceis, o significado dessa autoexigência para o sistema jurídico e particularmente para a dogmática jurídica. Para tanto, examina inicialmente se a proibição da denegação de justiça é um fator relevante na distinção entre a ciência dogmática do direito e as comunicações típicas do sistema científico. Em seguida, observa de que modo a proibição da denegação de justiça, ao ocultar o paradoxo constitutivo do sistema jurídico e evitar o aparecimento de outros paradoxos dele decorrentes, contribui para o fechamento operativo do direito. Mesmo nos casos nos quais o paradoxo não se encontra suficientemente desdobrado em regras jurídicas, o direito se obriga a decidir. Por fim, verifica como a relação com a proibição da denegação de justiça conforma a função que a dogmática exerce para o direito...

Raízes alemãs da sociologia econômica; The German roots of economic sociology

Lallement, Michel
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2006 POR
Relevância na Pesquisa
17.8%
O texto recupera a fonte clássica weberiana e da Escola Histórica Alemã para a formação da economia institucionalista no contexto acadêmico norte-americano das últimas décadas do século XIX. Para isso, retoma as reflexões de Weber em torno da sociologia do direito e a conexão entre normas jurídicas e ação econômica. Apresenta em seguida a sua recepção do outro lado do Atlântico como grandemente devedora das figuras respectivas de Richard T. Ely, destacado representante de uma geração de estudantes formados pelo ambiente cultural alemão, e em seguida de J. R. Commons, leitor do primeiro. O artigo também mostra as relações entre os temas da democracia industrial e da grande empresa cooperativa, nos Estados Unidos, com a aquela tradição intelectual, estabelecendo assim as condições históricas para o surgimento posterior da sociologia econômica. Sugere, dessa forma, que as afinidades eletivas entre a economia e as outras esferas do social, uma abordagem de raiz weberiana, têm explicitada a sua linha de continuidade encontrada nas classificações disciplinares mais recentes.; The text reassesses the use of Weber and the German Historical School as classical sources in the formation of institutionalist economics in the US academic context during the final decades of the 19th century. This aim in mind...