Página 1 dos resultados de 3413 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Adesão à amamentação na 1ª hora de vida do recém-nascido

Ribeiro, Maria Isabel; Sá, Ana; Santos, Elsa; Curopos, Lília
Fonte: VIII Jornadas sobre Tecnologia e Saúde Publicador: VIII Jornadas sobre Tecnologia e Saúde
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
66.98%
O aleitamento materno é considerado um dos pilares fundamentais para a promoção e proteção da saúde das crianças. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que a amamentação se inicie na 1ª hora de vida do recém-nascido e que permaneça como aleitamento materno exclusivo (AME) até aos seis meses de vida. Sendo reconhecido o importante papel dos profissionais de saúde na proteção e apoio ao aleitamento materno. Objetivos: O presente estudo teve por objetivo determinar a prevalência de adesão à amamentação na 1ª hora de vida do recém-nascido e conhecer os fatores associados a essa prática. Metodologia: Esta investigação, de natureza quantitativa, transversal, observacional e descritiva, teve como base dados primários recolhidos através da aplicação de um questionário, no período de outubro a dezembro de 2013. A amostra recolhida era constituída por 37 puérperas do Serviço de Obstetrícia da ULS do Nordeste. As participantes tinham em média 27 anos de idade (DP= 6,3) e a maioria (59,5%) eram primíparas. Resultados: Do total de mães que participaram nesta investigação, apenas 62,2% (n=23) colocaram o recém-nascido à mama na 1ª hora de vida. O principal fator da não adesão à amamentação foi o tipo de parto...

Dor no recém-nascido

Vidal, Inês Fonseca Forja da Cunha
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.95%
Durante muito tempo pensou-se que o recém-nascido não sentiria dor devido à imaturidade neurológica. No entanto, estudos recentes demonstraram que a nocicepção e as respostas a estímulos dolorosos estão presentes desde fases muito precoces do desenvolvimento. Assim, nas últimas décadas a dor no recém-nascido tem merecido cada vez mais atenção, principalmente por parte dos profissionais de saúde que trabalham nas Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais. Os recém-nascidos, em particular os que estão doentes, são submetidos a um grande número de estímulos nociceptivos. Embora a dor sirva como alerta para a existência de agressão, os seus efeitos quando não é adequadamente tratada são prejudiciais do ponto de vista do comportamento e fisiologia, tanto a curto como a longo prazo. A avaliação da dor continua a ser um dos principais desafios nesta área, dado que a capacidade de comunicação dos recém-nascidos é muito limitada e as suas respostas à dor são inconsistentes ou podem mesmo estar ausentes, o que torna esta avaliação muito difícil. Ao longo dos últimos anos, foram desenvolvidas diversas escalas de avaliação da dor adequadas a estas idades, com o objectivo de facilitarem este processo, tornando-se elementos fundamentais para os avanços verificados. A sua aplicação correcta é fundamental para que possamos optar pela abordagem ajustada ao tipo de dor...

O papel da assistência hospitalar ao recém-nascido na mortalidade neonatal precoce na Região Sul do município de São Paulo: estudo caso-controle; The role of hospital care for the newborn in early neonatal death in the South Region of the city of São Paulo: a case control study

Araújo, Norma Suely de Almeida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.95%
O objetivo deste estudo foi construir uma variável para representar a qualidade da assistência ao recém-nascido em estudos populacionais a partir da definição de critérios para as etapas assistenciais visando elaboração de um algoritmo para categorização de condição clínica e identificação de cuidados assistenciais mínimos ou básicos para aquela condição. Realizada revisão da literatura sobre diretrizes para atenção ao recém-nascido foram definidas condições clínicas que se diferenciam pelos procedimentos assistenciais básicos que necessitam receber e foi elaborado um tutorial para a composição da variável assistência ao recém-nascido e que permitisse a aplicação de um algoritmo. Foram criados critérios para definição de quatro etapas assistenciais e verificação da adequação/inadequação em cada uma delas, assim como o peso entre elas para composição da variável síntese. O algoritmo foi aplicado aos dados coletados em prontuários médicos em dois estudos de mortalidade neonatal precoce, um de tipo caso controle e outro uma coorte de recém-nascidos com peso < 1500 g, parte de projeto de pesquisa de mortalidade perinatal, desenvolvido na Região Sul do Município de São Paulo, referente ao período de agosto 2000 a fevereiro 2001. Na primeira etapa assistencial denominada manejo e reanimação na sala de parto encontrou-se para a coorte percentual de adequação para os óbitos e para os sobreviventes acima de 75%. No estudo caso-controle o percentual de adequação ficou próximo a 80% entre os casos e entre os controles foi de 98...

A vivência da puérpera-adolescente com o recém-nascido, no domicílio; The adolescent mother´s experience with the newborn, at home

Bergamaschi, Suzete de Fatima Ferraz
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/05/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.96%
Este estudo qualitativo foi motivado pela carência de pesquisas com enfoque na maternidade na adolescência e no período puerperal. Teve como objetivo compreender a vivência da puérpera-adolescente sobre o cuidado do recém-nascido, em domicílio. Adotou-se o conceito de Maternidade como referencial de análise e o método do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) no tratamento dos dados. O projeto foi aprovado pela Comissão de Ensino e Pesquisa, e pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário da USP. Participaram do estudo 15 puérperas-adolescentes, primíparas, que ficaram internadas na unidade de Alojamento Conjunto do HU-USP, juntamente com o recém-nascido. Os dados foram coletados em 2006, por meio de entrevista realizada com as puérperas após o mínimo de 30 e o máximo de 40 dias, no domicílio. As respostas da questão aberta, “conte-me como está sendo em casa com seu bebê ?” possibilitaram a elaboração de 17 DSC apresentados em dois blocos, segundo os temas centrais que emergiram: “cuidados do recém-nascido” e “contexto sociocultural das puérperas-adolescentes”. Em relação ao primeiro bloco, os discursos mostraram uma construção diária do ser mãe-adolescente e o desejo da puérpera pela maternidade e pela maternagem...

A vivência da enfermeira no cuidado ao recém-nascido e aos seus pais na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal: uma abordagem da fenomenologia social; Nurses' experience in care for newborn infants and their parents at the Neonatal Intensive Care Unit: a social phenomenology approach

Conz, Claudete Aparecida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/04/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.95%
Este estudo teve como trajetória desvelar o fenômeno: enfermeira no cuidado ao recém-nascido e aos seus pais na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIn), e a sua ação na formação de vínculo afetivo. Para tanto, objetivou: conhecer a vivência da enfermeira no cuidado ao recém-nascido e aos seus pais na UTIn; compreender como as enfermeiras vivenciam o processo de vínculo afetivo entre recém-nascidos internados em UTIn e seus pais, e apreender o típico da vivência das enfermeiras em ações que envolvem este cuidado. Com tal proposta, optou-se por realizar uma pesquisa qualitativa, segundo a abordagem da fenomenologia social, com base nas questões norteadoras: Como você, enfermeira, vivencia o cuidado ao recém-nascido na UTIn e aos seus pais? O que você espera com o seu atendimento? Dos discursos das enfermeiras, identificou-se categorias concretas do vivido, que expressam aspectos significativos da vivência, considerando os motivos por que e os motivos para que determinam a relação de suas ações e que foram interpretadas, segundo o referencial de Alfred Schütz. Por meio da análise dessas categorias, chegou-se ao tipo vivido do grupo social "enfermeira que atua em UTIn junto aos recém-nascidos e aos seus pais" como sendo: aquela que é competente técnica e cientificamente no cuidado ao recém-nascido de risco...

Exposição, avaliação e manejo da dor aguda do recém-nascido em unidades neonatais de um hospital estadual; Exposition, evaluation and management of acute pain in neonates in neonates' unities in a state hospital

Capellini, Verusca Kelly
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.96%
Os recém-nascidos internados em unidades neonatais são expostos a inúmeros procedimentos potencialmente dolorosos durante sua hospitalização, e há desconhecimento de tal exposição e das práticas para o manejo da dor, na maioria dos serviços brasileiros de referência neonatal. Este estudo descritivo exploratório foi realizado em três etapas, com os objetivos de avaliar o conhecimento e as práticas dos profissionais de saúde que atuam em unidades neonatais de um hospital estadual do interior paulista quanto à avaliação e ao manejo da dor no recém-nascido (etapa 1), identificar os registros de avaliação da dor e de intervenções farmacológicas e não farmacológicas para o alívio da dor, feitos pelos profissionais em prontuários neonatais nesse hospital (etapa 2) e dimensionar a exposição dos neonatos a procedimentos de dor aguda, durante os primeiros sete dias de internação nessas unidades neonatais (etapa 3). Os 15 médicos, 8 enfermeiras e 34 auxiliares de enfermagem preencheram um questionário contendo dados relacionados ao conhecimento e às práticas de avaliação e manejo da dor neonatal. Na etapa 2, foi feito um estudo retrospectivo em fonte secundária, utilizando dados dos prontuários de 115 recém-nascidos internados nas unidades de cuidados intensivos e intermediários neonatais do hospital...

Produção científica sobre o recém-nascido no Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Marasquin, Elisa Danoski
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.01%
O presente estudo tem como objetivo caracterizar os estudos sobre o recém-nascido realizados no programa de Pós Graduação da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul produzidos no período de 1999 a 2008. Trata-se de uma pesquisa documental, qualitativa, na qual a fonte dos dados constituiu-se de todas as dissertações que tiveram o Recém-nascido como objeto de estudo nos primeiros dez anos do referido programa stricto sensu. Para análise e interpretação dos dados foi utilizada a análise de conteúdo, de onde emergiram três temas: O Universo do Recém-nascido Hospitalizado, Questões Subjetivas no Cuidado ao Recém-nascido e O Local de Cuidado como Espaço de Aprendizado. Constatou-se a produção de 11 dissertações com a temática do Recém-nascido, sendo que dez foram estudos qualitativos e um estudo foi quantitativo. Em três dissertações a preocupação do estudo foi o pai do Recém-nascido, em três dissertações a mãe, em outras três a equipe cuidadora, uma os pais e em outra o Recém-nascido. Sete dissertações escolheram Unidades de Internação Neonatal como local de estudo e apenas duas não foram realizadas no contexto hospitalar. Identificou-se a preocupação dos pesquisadores com essa etapa da vida no que se refere ao ambiente...

Promoção do sono do recém-nascido

Gregório, A
Fonte: Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E. Publicador: Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E.
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
67.01%
Um recém-nascido passa cerca de 20h por dia a dormir, sendo esse um período primordial para a continuação do desenvolvimento cerebral que se iniciou na vida fetal. A importância de respeitarmos e promovermos períodos de sono calmo ao recém-nascido sobrepõe-se muitas vezes a cuidados que prestamos repetidamente ao bebé. Nestas situações o estabelecimento de prioridades face às necessidades do recém-nascido, dando ao sono e repouso a relevância que lhe é inerente, é da responsabilidade do enfermeiro. Entre muitas variáveis que influenciam o sono do recém-nascido, os níveis de luz e ruído a que o bebé é submetido quando internado numa Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN), são as que atualmente se encontram melhor documentadas. Qualquer recém-nascido, mesmo os mais prematuros, demonstra alterações do seu comportamento e da sua estabilidade hemodinâmica face a altos níveis de luz e ruído. As consequências a curto e a longo prazo já conhecidas do ambiente da UCIN no desenvolvimento do recém-nascido devem influenciar diariamente a prestação de cuidados da vasta equipa que cuida destes bebés. Pretendemos transmitir as práticas desenvolvidas na Unidade de Cuidados Intensivos e Especiais Neonatais do Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca que visam promover o desenvolvimento do recém-nascido...

O que os pediatras conhecem sobre avaliação e tratamento da dor no recém-nascido?

Chermont,Aurimery G.; Guinsburg,Ruth; Balda,Rita C.X.; Kopelman,Benjamin I.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 PT
Relevância na Pesquisa
66.92%
OBJETIVO: analisar os conhecimentos dos pediatras que atuam com pacientes neonatais em relação à avaliação e o tratamento da dor do recém-nascido. MÉTODOS: estudo transversal com 104 pediatras (de um total de 110) que trabalhavam em 1999 a 2001, nas sete unidades de terapia intensiva e nos 14 berçários da cidade de Belém, e responderam a um questionário escrito com perguntas a respeito do seu perfil demográfico e do conhecimento de métodos de avaliação e de tratamento da dor no recém-nascido. RESULTADOS: cem por cento dos médicos referiram acreditar que o recém-nascido sente dor, mas apenas um terço deles conhecia alguma escala para avaliar a dor nessa faixa etária. A maioria dos entrevistados referia perceber a presença de dor no recém-nascido por meio de parâmetros comportamentais. O choro foi o preferido para avaliar a dor do bebê a termo; a mímica facial para o prematuro, e a freqüência cardíaca para o neonato em ventilação mecânica. Menos de 10% dos entrevistados diziam usar analgesia para punções venosas e capilares; 30 a 40% referiam empregar analgesia para punções lombares, dissecações venosas, drenagens de tórax e ventilação mecânica. Menos da metade dos entrevistados referiu aplicar medidas para o alívio da dor no pós-operatório de cirurgia abdominal em neonatos. O opióide foi o medicamento mais citado para a analgesia (60%)...

Parto cesáreo e outros riscos para hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido

Araujo,Orlei Ribeiro de; Albertoni,Andréa de Cássia Stéfano; Lopes,Vanessa Aparecida Aguiare; Louzada,Maria Eduarda Roses; Lopes,Alexandre Ordones; Cabral,Eloíza Aparecida Ferreira; Afonso,Marta Rodriguez; Araujo,Milena Corrêa
Fonte: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB Publicador: Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.99%
OBJETIVOS: Avaliar os riscos para hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido, confirmada por ecocardiografia, associada a partos cesáreos e outros fatores. MÉTODOS: Coorte de todos os nascimentos com idade gestacional acima de 36 semanas em um período de 23 meses. Um estudo caso-controle aninhado foi feito em uma parte da coorte, envolvendo um grupo de recém-nascidos com diagnóstico de hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido comparados com um grupo de controles normais, com aplicação de questionários às mães para identificação de riscos. Regressão logística foi utilizada para calcular odds ratios. RESULTADOS: De 9452 recém-nascidos, 8388 (88,7%) nasceram de cesáreas, e 1064 (11,3%) de parto vaginal. Questionários foram aplicados a 173 mães. Recém-nascidos de cesáreas apresentaram um risco 5 vezes maior de hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido: 42 casos (0,5%) versus 1 caso (0,09%) entre os de partos vaginais (OR 5,32, p=0,027). Não foram observadas interações entre tabagismo, paridade, hipertensão arterial materna e trabalho de parto antes da cesárea e a hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido. Apgar no 1º minuto <7 e diabetes materno se relacionaram a um risco aumentado. CONCLUSÃO: A redução do número de partos cesáreos poderia prevenir muitos casos graves de hipertensão pulmonar persistente do recém-nascido.

Cuidado humanístico e percepções de enfermagem diante da dor do recém-nascido

Lélis,Ana Luíza Paula de Aguiar; Farias,Leiliane Martins; Cipriano,Maria Aneuma Bastos; Cardoso,Maria Vera Lúcia Moreira Leitão; Galvão,Marli Teresinha Gimeniz; Caetano,Joselany Afio
Fonte: Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
67.01%
Este estudo objetivou apreender o significado do cuidado oferecido pelo enfermeiro ao recém-nascido em procedimentos dolorosos e conhecer as intervenções realizadas pelos enfermeiros para amenizar a dor do recém-nascido. Estudo descritivo, realizado na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital público de Fortaleza-CE em julho/2010. Os sujeitos foram dez enfermeiras, e a coleta de dados se realizou através de um questionário. Os dados foram organizados em três categorias: O significado de cuidado diante da dor do recém-nascido; a assistência humanizada junto ao recém-nascido; e intervenções de enfermagem diante da dor do recém-nascido. Estes foram analisados à luz da Teoria Humanística de Paterson e Zderad. Constatou-se que o cuidado ao recém-nascido deveria ser direcionado a minimizar os fatores estressores durante a situação dolorosa e que as intervenções citadas foram predominantemente não farmacológicas, envolvendo ações desenvolvidas para a recém-nascido e o ambiente da Unidade.

Saberes e práticas no cuidado ao recém-nascido em terapia intensiva em Florianópolis (década de 1980)

Costa,Roberta; Padilha,Maria Itayra
Fonte: Universidade Federal do Rio de Janeiro Publicador: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.94%
Pesquisa qualitativa, com abordagem sócio-histórica, cujo objetivo foi compreender a história das transformações das práticas de cuidado ao recém-nascido e sua família, a partir da implantação da primeira UTI neonatal em Florianópolis. Os sujeitos da pesquisa foram 13 profissionais de saúde que trabalhavam na UTI na década de 1980. Para coleta de dados utilizamos a História Oral, realizando entrevistas semiestruturadas. A análise dos dados foi baseada no referencial foucaultiano e resultou nos agrupamentos discursivos: A UTI neonatal possibilitando novas práticas no cuidado ao recém-nascido; Percepção da equipe de saúde sobre a família na UTI neonatal; O Hospital Infantil como marco no atendimento ao recém-nascido de risco em Santa Catarina. Os resultados desta pesquisa permitem afirmar que a implantação da UTI neonatal influenciou qualitativamente no cuidado ao recém-nascido e sua família, com o enfoque orientado para a sobrevivência do recém-nascido, e os reflexos desta experiência continuam presentes na atualidade.

Análise da produção científica acerca da atenção ao recém-nascido de baixo peso em UTI

Tronco,Caroline Sissy; Paula,Cristiane Cardoso de; Padoin,Stela Maris de Mello; Langendorf,Tassiane Ferreira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.94%
O objetivo deste estudo foi analisar a natureza e tendência dos artigos na temática saúde do recém nascido de baixo peso. Trata-se de uma revisão integrativa desenvolvida em agosto de 2009, a partir dos descritores: "recém-nascido de baixo peso" or "recém-nascido de muito baixo peso" and "unidades de terapia intensiva neonatal", no recorte temporal 1990-2008. A amostra de 608 resumos foi submetida à análise de conteúdo temática. Nos resultados, os estudos de natureza clínico-epidemiológica contemplam os fatores de risco do baixo peso e morbimortalidade neonatal e os de tendência assistencial contribuem com as rotinas e cuidados prestados. Evidenciam-se os avanços na atenção a saúde do recém-nascido, a complexidade clínica e as implicações para sua assistência. Destaca-se a lacuna de pesquisas que aponte a subjetividade, o apoio e a inclusão das famílias nos cuidados e no enfrentamento dessa situação.

A transição para a alimentação oral no recém-nascido prematuro

Neto, Florbela Maria
Fonte: Repositório Comum de Portugal Publicador: Repositório Comum de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.96%
A transição da alimentação por sonda para a alimentação oral é uma das etapas mais difíceis para os recém-nascidos prematuros. É um processo contínuo mas lento, que exige desenvolvimento fisiológico, independência respiratória e capacidade de coordenação da sucção, respiração e deglutição. Conseguir que o bebé prematuro desenvolva as suas habilidades na alimentação é o grande desafio dos profissionais que trabalham em neonatologia. Assim, emergiu a necessidade de compreender alguns aspetos da prática dos cuidados de enfermagem, relativos à transição da alimentação por gavagem para a alimentação oral, no recém-nascido prematuro (RNPT). Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, de abordagem qualitativa. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas a nove enfermeiros a trabalhar no serviço de neonatologia do Centro Hospitalar de São João (CHSJ). A análise de dados foi realizada utilizando a técnica de análise de conteúdo de Laurence Bardin, da qual emergiram três temas: Parâmetros de avaliação do recém-nascido prematuro para o início da alimentação oral; Intervenções de enfermagem promotoras da transição para a alimentação oral no recém-nascido prematuro; Opiniões sobre a existência de um guia orientador do início da alimentação oral no recém-nascido prematuro. Os resultados mostraram que os enfermeiros consideram o peso...

Assistência imediata ao recém-nascido

Luís, Maria Emanuel Figueirinhas; Franco, João José de Sousa; Veloso, Elsa Maria Vieira; Gonçalves, Joana Catarina Cardoso; Bolito, Andreia Sofia Nobre; Gaspar, Ana Marta da Silva Martins
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 06/05/2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
Introdução A assistência ao recém-nascido (RN) nos minutos seguintes ao parto, tem sido uma prática em que se desenvolvem um conjunto de atividades e procedimentos com o RN longe da mãe, independentemente do estado do RN ao nascer. A preocupação com uma boa adaptação à vida extra-uterina é sobretudo a razão das atividades e dos procedimentos que se implementam, sendo contudo atualmente questionáveis quando o RN nasce bem, priveliginado-se o contacto RN-mãe/pai, já que se considera que os primeiros momentos a seguir ao parto são muito importantes para a interação entre pais e RN, e por conseguinte para o estabelecimento do vínculo afetivo. Objetivo Identificar os procedimentos da assistência ao recém-nascido que nasce sem problemas, nos momentos a seguir ao parto. Metodologia A metodologia utilizada para a elaboração deste trabalho foi a revisão da literatura, tendo por base o capítulo "Assistência imediata ao RN" do documento de consenso Iniciativa do Parto Normal. Resultados O recém-nascido, que após o parto e numa primeira avaliação apresenta todos os parâmetros normais deve permanecer junto da mãe promovendo-se o contacto pele-a-pele. O enfermeiro que tem a responsabilidade de assistir o recém-nascido logo após o parto...

Assistência imediata ao recém-nascido

Luís, Maria Emanuel Figueirinhas; Franco, João José de Sousa; Veloso, Elsa Maria Vieira; Gonçalves, Joana Catarina Cardoso; Bolito, Andreia Sofia Nobre; Gaspar, Ana Marta da Silva Martins
Fonte: Associação Portuguesa dos Enfermeiros Obstetras Publicador: Associação Portuguesa dos Enfermeiros Obstetras
Tipo: Outros
Publicado em 30/05/2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
Introdução A assistência ao recém-nascido (RN) nos minutos seguintes ao parto, tem sido uma prática em que se desenvolvem um conjunto de atividades e procedimentos com o RN longe da mãe, independentemente do estado do RN ao nascer. A preocupação com uma boa adaptação à vida extra-uterina é sobretudo a razão das atividades e dos procedimentos que se implementam, sendo contudo atualmente questionáveis quando o RN nasce bem, priveliginado-se o contacto RN-mãe/pai, já que se considera que os primeiros momentos a seguir ao parto são muito importantes para a interação entre pais e RN, e por conseguinte para o estabelecimento do vínculo afetivo. Objetivo Identificar os procedimentos da assistência ao recém-nascido que nasce sem problemas, nos momentos a seguir ao parto. Metodologia A metodologia utilizada para a elaboração deste trabalho foi a revisão da literatura, tendo por base o capítulo "Assistência imediata ao RN" do documento de consenso Iniciativa do Parto Normal. Resultados O recém-nascido, que após o parto e numa primeira avaliação apresenta todos os parâmetros normais deve permanecer junto da mãe promovendo-se o contacto pele-a-pele. O enfermeiro que tem a responsabilidade de assistir o recém-nascido logo após o parto...

COMPETÊNCIAS DAS PUÉRPERAS NO CUIDAR DO RECÉM-NASCIDO

Pedrosa, Ana Maria Ferreira
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/07/2013 POR
Relevância na Pesquisa
67.01%
Após a alta da maternidade, o relacionamento com o recém-nascido é uma experiência nova, vivida com grande expectativa, sentimentos e pensamentos envolvendo ambos os pais, em particular a mulher, de forma muito exigente. É a altura em que se confrontam, pela primeira vez com muitas dificuldades relacionadas com o desenvolvimento de competências cognitivo-motoras e cognitivo-afectivas em cuidar do recém-nascido. Desta forma, torna-se imperativo conhecer as competências da puérpera em cuidar do recém-nascido no período pós-parto, para que se possa promover uma melhor adaptação ao seu novo papel e desenvolver competências parentais no âmbito da prestação de cuidados. Tivemos como objectivos identificar competências em que as puérperas se percepcionam como mais ou menos competentes no cuidar do recém-nascido e analisar os factores associados ao desenvolvimento das competências maternas no cuidar do recém-nascido nas primeiras três semanas após o parto. É um estudo quantitativo, descritivo ? correlacional e transversal. A amostra é do tipo consecutivo obtida a partir da população de 245 puérperas que se encontravam na terceira semana após o parto e após consentimento informado. As variáveis utilizadas foram: competências maternas auto-percebidas (EAPMCCN de Mendes e Santos...

Contributo da visita domiciliária do Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Saúde Materna e Obstetrícia, para os cuidados maternos prestados ao recém-nascido, nos seus primeiros 28 dias de vida.

Ribeiro, Lúcia Marisa Rodrigues dos Anjos
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/04/2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
A transição para a maternidade é um processo complexo, difícil e cansativo, principalmente, no primeiro mês, marcado por grandes mudanças e dificuldades das puérperas em responder às necessidades do recém-nascido. Neste sentido o presente trabalho tem como objetivo avaliar o contributo da visita domiciliária do Enfermeiro Especialista em Saúde Materna e Obstétrica para os cuidados maternos ao recém-nascido, nos 28 dias pós-parto. Utilizou-se a metodologia qualitativa, realizando-se um estudo exploratório-descritivo, tipo estudo de caso, a partir de entrevista semi-directivas realizadas a oito puérperas, com consequente análise de conteúdo. Os resultados revelam a importância da visita domiciliária para a puérpera e para o recém-nascido, esta importância é demostrada nas diferentes categorias analisadas, sendo um apoio e orientação para a mãe. Evidenciamos influências da visita nos cuidados prestados ao recém-nascido, especificamente na higiene, alimentação, conforto, bem-estar, segurança e transporte. No que conserne à mãe são referidas influêcias na gestão do tempo, coordenação de atividades e interação com família e mesmo comunidade próxima. Concluímos que a visita domiciliária contribui para um maior conhecimento sobre os cuidados prestados ao recém-nascido.

Transmissão do citomegalovírus da mãe ao recém-nascido pelo leite materno : uma revisão integrativa

Oliveira, Gustavo Costa de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.02%
O presente estudo é uma revisão integrativa de pesquisa, baseada na metodologia proposta por Cooper (1982), que objetivou conhecer a transmissão do citomegalovírus ao recém-nascido pelo leite materno e identificar as repercussões da citomegalovirose para o recém-nascido. A amostra é composta por oito artigos científicos pesquisados nas bases de dados LILACS, SciELO, Web Of Science, BDENF, sendo estes publicados entre os anos de 1991 e 2010. A revisão demonstra a escassez de pesquisas brasileiras e internacionais nas bases de dados em quantidade e com características adequadas que permitam explorar a transmissão do citomegalovírus da mãe ao recém-nascido pelo leite materno. Foi possível estabelecer que a transmissão do CMV ao recém-nascido pela amamentação, se dá quando a mãe é previamente soropositiva, com pico de produção viral no leite da sexta a décima semana pós-parto. Observaram-se algumas diferenças nos estudos em relação aos dados estatísticos de recém-nascidos infectados pelo CMV, ocorrendo variação de taxas de transmissão viral de 5% a 58,6%. Os estudos, em geral, descreveram medidas preventivas como pasteurização, resfriamento e congelamento, e um estudo descreveu a utilização de ganciclovir pelo recém-nascido. Contudo...

Assistência do enfermeiro ao recém-nascido a termo normal no pós-parto imediato

Oliveira, Priscilla Tarouquella
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.98%
Este trabalho trata de um estudo bibliográfico com o objetivo de apresentar a ação dos enfermeiros nos cuidados com o recém-nascido a termo normal no pós-parto imediato. A atenção dispensada ao recém-nascido imediatamente após o parto é simples e muito importante, devendo ser oferecida a todos os bebês. Com o nascimento, o recém-nascido deve se adaptar rapidamente à vida fora do útero e seu corpo precisa realizar muitas mudanças, que começam com o nascimento e continuam durante o período de recém-nascido. O trabalho foi elaborado procurando centrar a assistência do enfermeiro na individualidade do recém-nascido, visando atender as suas necessidades básicas imediatas. A assistência ao recém-nascido no pós-parto contribui para a promoção da saúde, fazendo com que o neonato possa integrar a sociedade em condições ótimas de interação.