Página 1 dos resultados de 27334 itens digitais encontrados em 0.031 segundos

Leibniz e Hobbes: causalidade e princípio de razão suficiente; Leibniz and Hobbes: causality and principle of sufficient reason

Hirata, Celí
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.55%
O escopo desta pesquisa de doutorado é examinar a relação entre a doutrina hobbesiana da causalidade e o princípio de razão suficiente em Leibniz, assinalando a aproximação e o distanciamento entre um e outro. Se, por um lado, o filósofo alemão é claramente influenciado por Hobbes na formulação de seu princípio, por outro, é por meio desse próprio princípio que ele critica alguns dos aspectos mais decisivos da filosofia de Hobbes, como o seu materialismo, necessitarismo, bem como a sua concepção de justiça divina e a sua tese de que Deus não pode ser conhecido pela luz natural. Em alguns textos de sua juventude, Leibniz prova que nada é sem razão pela identificação da razão suficiente com a totalidade dos requisitos, demonstração que praticamente reproduz aquela pela qual Hobbes defende que todo efeito tem a sua causa necessária. Entretanto, em oposição a Hobbes, que reduz a realidade a corpos em movimento, Leibniz utilizará o conceito de razão suficiente para demonstrar que somente um princípio incorporal pode dotar os corpos com movimento. É igualmente por meio do princípio de razão suficiente e da sua distinção em relação ao princípio de contradição que Leibniz defende que os eventos no mundo não são absolutamente necessários...

A coisa em si entre teoria e prática: uma exigência crítica; The "thing in itself" between theoretical and practical reason: a critical claim

Hulshof, Monique
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/02/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.55%
A presente tese tem como intuito inicial investigar as asserções aparentemente conflituosas que Kant faz sobre as coisas em si mesmas, ora em sentido estritamente negativo, como a representação problemática de algo completamente indeterminado, ora em sentido positivo como fundamento ou causa dos fenômenos. Partindo de interpretações que compreendem esse conflito entre asserções sobre as coisas em si mesmas como tendo sua origem nos dois problemas que a filosofia crítica procura solucionar a possibilidade do conhecimento especulativo e a fundamentação da moral , procura-se reconstruir, num primeiro momento, o vínculo entre a crítica da razão e os diferentes modos de representação das coisas em si mesmas. Argumentamos que a diferenciação da faculdade racional em duas atividades ou espontaneidades, entendimento e razão, que são expostas pela crítica como produtoras de conceitos e legislações distintas, exige duas maneiras de formular, criticamente, o conceito de númeno. A primeira formulação é feita pelo entendimento mediante a abstração das condições sensíveis de aplicação das categorias, dada sua originariedade em relação à sensibilidade. Este conceito tem de permanecer, contudo, em um sentido estritamente negativo e problemático...

Discurso propedêutico de Kant diante da recepção da Crítica da Razão Pura; Kants propaedeutic discourse in face of the reception of Critique of Pure Reason

Ferreira, André Luís Doneux
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.59%
O objetivo central proposto nesta dissertação é investigar como a recepção da primeira edição da Crítica da razão pura ressoa no corpus dos textos dedicados à preparar o leitor para a compreensão da obra, ou seja, como Kant reconstitui seu discurso propedêutico em relação à Crítica da razão pura a partir dos referenciais oferecidos pelos juízos do público sobre a obra publicada em 1781. O corpus, portanto, está delimitado aos três textos cuja tarefa propedêutica ou seja, a referida preparação prévia do leitor é claramente influenciada pela recepção da Crítica da razão pura. São eles: Prolegômenos a toda metafísica futura que queira apresentar-se como ciência; a Introdução à Crítica da razão pura em sua segunda edição; o Prefácio à segunda edição desta mesma obra. Esta problemática aparentemente técnica é tomada como mote para a realização de uma leitura da posição de Kant frente a acontecimentos marcantes no contexto filosófico e político dos anos seguintes à publicação da primeira edição da Crítica da razão pura marcadamente, a Pantheismusstreit e a mudança no trono prussiano em 1786, a qual, frequentemente, é tomada como causa da suposta recaída no dogmatismo, que seria observada na segunda edição da Crítica da razão pura. Não obstante...

Por uma razão estetica : um elo entre o inteligivel e o sensivel; The course of aesthetic reason : bonding the intelligible and the sensitive

Daniel Dobrigkeit Chinellato
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.49%
Este trabalho tem como objetivo defender a experiência estética ? entendida como uma forma específica de intencionalidade na qual o inteligível e o sensível se coadunam para compor o fenômeno estético ? como fundamento de uma racionalidade estética e, conseqüentemente, principal fator constituinte de uma razão que pode, por analogia, ser nomeada razão estética. É sobre a complexa trama entre refletido e irrefletido que repousa a contribuição da experiência estética na constituição dessa razão; através de tal experiência aquela parcela da dimensão irrefletida que é irredutível à conceitualização tradicional encontra a possibilidade de ser conscientizada. Desta forma, busca-se vincular à experiência estética a própria possibilidade de consciência dos dilemas existenciais aos quais o homem é constantemente exposto em sua vida. Também considera-se o sujeito desta racionalidade; neste sentido, procuramos apontar, em primeiro lugar, que o princípio racionalista sobre o qual se pensou estar edificando a cultura moderna por vezes produziu o efeito contrário do esperado: irracionalidade. Esta irracionalidade, por sua vez, teria lançado o homem contemporâneo num estado de incerteza e ansiedade. Assim, a intenção é a de apontar o que se nomeia ?razão estética? como um possível caminho para a superação de uma certa irracionalidade resultante do processo moderno de racionalização; This work?s central purpose is to defend the aesthetic experience ? understood here as a specific kind of intentionality in which intelligible and sensible combine to compose the aesthetic phenomenon ? as a ground to an aesthetic rationality and...

Razão e obrigação em Thomas Hobbes; Reason and obligation in Thomas Hobbes

Vania Dantas Segala
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.63%
O presente trabalho pretende analisar os conceitos de razão e reta razão em Hobbes com o objetivo de compreender melhor o estatuto das leis de natureza nessa Teoria. Pois ainda que Hobbes afirme que a razão é frágil perante as paixões, que é capaz de erro e engano, que não é uma faculdade infalível, ele também nos diz que o uso diligente e rigoroso da razão possibilita a ciência bem como a dedução das regras de comportamento que conduzem à paz e à preservação de si. Como as leis de natureza são deduzidas a partir da razão, consideramos que uma investigação dessa faculdade, aliada à consideração da natureza humana, nos permite compreender melhor a questão da obrigação em Hobbes. Para tanto, pretendemos resgatar o uso que Hobbes faz dos termos razão e reta razão e comparar com os conceitos de razão e reta razão na tradição. Também nos propomos a tratar brevemente da questão da obrigação em Hobbes e como ela foi é compreendida pelos comentadores; The present work intends to analyze the reason and right reason in Thomas Hobbes. In this manner we aim to understand the operation of natural laws on this theory. Hobbes recognizes the fragility of reason confronted to passions, he tells us reason is prone to mistakes and deceive and it is not an infallible faculty. But in the other hand he supports that the very use of reason allows the existence of science...

Educação como Formação Humana em Kant: Da Razão à Moralidade; Education and Training in Human Kant: The Morality of Reason

CORBINIANO, Simone Alexandre Martins
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Educação; Ciências Humanas Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Educação; Ciências Humanas
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.49%
This work proposes a reflection about the human formation based on the Kant s work, looking for education fundaments in essential concepts as reason, liberty, morality, autonomy and others. The reflection about the education sense as human formation finds out, at this context, principles that recognize the reason and the subject humanization as the end by excellence of the education. The totality which implies this formation aims, mainly, to cultivate at the man the morality and the capacity of directing, by his own reason and liberty in order to construct him as an autonomous being. For Kant, although nature is part of one of the constitutive dimensions of the human being, as his senses and understandings, man is determined by his free dimension, practices, by which he construct his humanity. Since he is a rational and free being, he can, at the same time, to deliberate his human conclusions and obey them, originating, on himself, the morality. The human formation ideal is, so, to guide the man, awaking on him all the natural dispositions, integral basis of the possibility conditions of the autonomous man, as a free being and, at the same time, responsible. This trajectory is only concretized by the reason work and the education. On this sense...

A justifica????o moral atrav??s da categoria de raz??o p??blica na teoria da Justi??a de John Rawls; A justifica????o moral atrav??s da categoria de raz??o p??blica na teoria da Justi??a de John Rawls; The moral justification through the category of the public reason in John Rawls??s theory of justice; The moral justification through the category of the public reason in John Rawls??s theory of justice

LIMA, Mateus de
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Filosofia; Progama de P??s-Gradua????o em Filosofia; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Filosofia; Progama de P??s-Gradua????o em Filosofia; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.49%
The aim of this dissertation is to address the justification of public morality through the category of the public reason in John Rawls s theory of justice. With this we seek understand how Rawls operates the objectivity of morality judgments applied to basic structure of society with no resulting in a comprehensive morality. Our concern lies in the thesis of reasonable pluralism avoiding any imposition on individual ethics. We will discuss the way that the category public reason lies on systematic of theory of justice, in a constructivism structure, the moral judgments in the public sphere. Taking as a starting point the conception of publicity in A Theory of Justice, to the investigation of political constructivism in Political Liberalism, the research investigates the kind of rationality appropriate to public space, emphasizing the public role of principles. Later, the research analyzes the conception of public reason itself investigating the role of public reasonableness of the procedure of justification that, pragmatically, it permits a cognitive conception of moral judgment (reciprocity, duty of civility, toleration, social union) through a deliberative democracy whose goal is the stability for right reasons without plead the true as correspondence; O objetivo desta pesquisa ?? abordar a justifica????o da moralidade atrav??s da categoria de raz??o p??blica na teoria da justi??a como equidade de John Rawls. Com isso buscamos compreender como Rawls opera a objetividade dos ju??zos morais aplicados ?? estrutura b??sica da sociedade sem implicar numa moralidade abrangente. Nossa preocupa????o se situa na tese do pluralismo razo??vel de doutrinas abrangentes evitando qualquer imposi????o ??tica na esfera individual. Abordaremos a forma com que Rawls situa a categoria de raz??o p??blica na sistematicidade de sua teoria...

Vernunft- und Metaphysikkritik bei Adorno und Nietzsche; Critic of Reason and Metaphysics by Adorno and Nietzsche

Maras, Konstadinos
Fonte: Universidade de Tubinga Publicador: Universidade de Tubinga
Tipo: Dissertação
DE_DE
Relevância na Pesquisa
36.57%
Metaphysik- und Vernunftkritik sind die Hauptgedankenlinien in der Philosophie Adornos und Nietzsches. Adornos Kritik in der Dialektik der Aufklärung setzt sich mit der Vernunft als instrumenteller Rationalität auseinander und weist nach, wie Vernunft, auf bloßes Mittel zur Selbstbehauptung reduziert, sich selbst aushebt. Auf ebenso radikale Weise geht Nietzsche gegen eine Vernunft vor, die sich und den Subjekten ‚objektive’ Wahrheiten vorgaukeln will. Sowohl bei Adorno als auch bei Nietzsche erweist sich die genealogische Methode als Vernunftkritik im Vollzug. Als Metaphysikkritiker nehmen Adorno und Nietzsche bestimmte Tendenzen metaphysischen Denkens ins Visier und entwickeln Modelle einer Reflexion, die ohne auf die Strukturen eines verselbständigten Denkens zurückzufallen, Potentiale philosophischer Transzendenz bereit hält. Die Arbeit weist zuerst in Adornos Werk die maßgebliche Kritikpräsenz Nietzsches nach, um dann ihre Denkmodelle von Vernunft- und Metaphysikkritik gegenüber zu stellen. Es zeigt sich, dass Nietzsches vernunft- und metaphysikkritisches Denken philosophischer Reflexion Perspektiven offen hält, die in Adornos Denken des utopischen Überschusses seiner Kritikauffassung wegen die Form von Aporien annehmen müssen.; The critic of metaphysics and reason forms the main line of thought in the philosophy of Adorno and Nietzsche. The critic of Adorno in the Dialectic of Enlightenment analyses reason as instrumental rationality and demonstrates that reason negates itself...

Sobre os fins da razão : auto-formação e perfeição moral do homem no pensamento tardio de Kant; About the ends of reason : man self-formation and moral perfection in Kant's late though

Ricardo Machado Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
36.49%
O objetivo da presente tese é discutir o conceito e a necessidade dos chamados “fins morais da razão” dentro da filosofia kantiana. Neste sentido, tal investigação se propõe a explicitar algumas modificações apresentadas na ética de Kant dos textos da década de 1780 aos seus textos tardios da segunda metade da década de 1790, mostrando que tais modificações vão no sentido de uma sensificação da ética kantiana e que esta só é possível à medida que Kant substitui conceitos de origem cristã (Deus, santidade, sumo bem) notadamente comprometidos com um domínio da transcendência por conceitos de origem grega (virtude, ascese moral, autoconstrução moral, etc.) mais ligados ou mais passíveis de serem vinculados à natureza humana). Assim, na primeira parte do trabalho, tendo em vista que os fins morais, de um modo ou de outro vinculam-se ao conceito de ideias da razão, enquanto objeto das mesmas, procura-se fazer um exame do significado que Kant lhes dá, e, no primeiro capítulo, do conceito de fim objetivo da razão apresentado pela primeira vez na Fundamentação da Metafísica dos Costumes de 1785, mas cuja importância ecoa até os textos da década de 1790. Tendo em vista que o fim moral por excelência é a ideia de perfeição moral e que Kant oscila ao longo de sua obra na definição do mesmo...

Razão e emoção na criação de uma dramaturgia do corpo em dança teatral; Reason and emotion in creating a body's dramaturgy in dance theater

Aldiane Aparecida Dala Costa
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.52%
Esta pesquisa, intitulada Razão e emoção na criação de uma dramaturgia do corpo em dança teatral, foi inspirada na obra Paradoxo sobre o comediante de Denis Diderot, que coloca a questão sobre razão e emoção como um paradoxo do trabalho do ator. Com esse ponto de partida apresentamos a discussão sobre razão e emoção no processo criativo em artes cênicas dando ênfase para esta discussão na construção prática de uma dramaturgia do corpo em dança teatral chamada A pálida luz das estrelas Ofélia Liquefeita. Identificamos conexões entre a indagação teórica referente a relação entre emoção e razão no trabalho criativo, a experiência inscrita no corpo durante os anos de formação e atividade profissional na área de dança e teatro e o desenvolvimento histórico da dramaturgia que tornou possível a noção de dramaturgia do corpo. Através do levantamento histórico sobre as abordagens do termo razão e emoção na história da dramaturgia do corpo em dança e teatro encontramos elementos para problematizar o trabalho prático de criação, assim como, a partir da experiência de criação de uma dramaturgia do corpo e a partir dos conhecimentos inscritos no corpo construímos uma base a partir da qual a teoria é abordada; This research...

Razão de Estado e política antiterrorismo nos Estados Unidos; Reason of State and United States anti-terrorism policy

Geraldo Alves Teixeira Junior
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.59%
O pensamento sobre a razão de Estado pode ser dito fundamental para a política moderna, já que seu desenvolvimento inicial coincide com o do próprio surgimento do Estado. Onde crescia a razão de Estado, crescia o Estado, que por sua vez fomentava aquela política. Acusada de ocorrer à revelia da moral, essa circularidade e o acúmulo de poder que ela envolve foi certamente responsável por consolidar o Estado como instituição quaseuniversal. A consolidação das instituições estatais não extinguiu, contudo, a razão de Estado, que como técnica de poder ou como pretensa racionalidade superior acompanhou os distintos momentos da política. A presente pesquisa examina inicialmente o contexto histórico e intelectual que originou o pensamento sobre a razão de Estado a fim de permitir uma visão panorâmica do tema na teoria política. Após o estudo histórico discorre-se sobre os diversos elementos que compõem este tema e analisa-se os modos pelos quais eles operam na prática política. Nesta primeira parte são utilizados diversos textos de reconhecidos estudiosos do pensamento político, como Friedrich Meinecke, Carl J. Friedrich, Quentin Skinner e Michel Senellart, mas recorre-se também diretamente aos textos históricos de Nicolau Maquiavel...

The Openness of Scientific Reason. From the Closure of Positivism to Current Sensibility; Las aperturas de la razón científica. Del cierre positivista a la sensibilidad actual; Les ouvertures de la raison scientifique. De la fermeture positiviste à la sensibilité actuelle

Vitoria, María Ángeles; Pontificia Universidad de La Santa Cruz
Fonte: Universidad de la Sabana Publicador: Universidad de la Sabana
Tipo: Artigo de Revista Científica
SPA
Relevância na Pesquisa
36.49%
The concept of reason that dominates the modern era is too limited to provide a satisfactory answer to the question about the meaning of life. In this paper, the author intends to demonstrate how the identification of reason with its positivistic-scientific dimension is a priori and does not respond to the natural dynamics of reason. Historical research and the testimony of many scientists show that science leads the scientist to a reality that goes beyond empirical data. Benedict XVI’s invitation to broaden the boundaries of reason, by opening it up to the overriding questions about truth and good, can fit in perfectly with scientific activity.; El concepto de razón dominante en la modernidad ha resultado insuficiente para dar una respuesta satisfactoria al sentido de la vida, y tampoco se ajusta al camino seguido por el progreso científico. En este artículo trato de mostrar cómo la identificación de la razón con su dimensión científico-positiva ha sido algo decretado a priori, y no sigue la dinámica natural de la razón. La investigación histórica y el testimonio de muchos científicos sobre su actividad, ponen de manifiesto que la ciencia remite a quien la cultiva a algo más allá de lo empírico. La invitación de Benedicto XVI a dilatar los espacios de la razón...

The Normativity of Instrumental Reason

Korsgaard, Christine
Fonte: Oxford University Press Publicador: Oxford University Press
EN_US
Relevância na Pesquisa
36.52%
Most philosophers think it uncontroversial that practical reason requires us to take the means to our ends, but have been silent about the normative foundation of this requirement. The interesting question, almost everyone agrees, is whether practical reason requires anything more, such as a principle of morality or prudence. This chapter examines the question what makes instrumental reason normative. It articulates the answers implicit in the rationalist and empiricist traditions, criticizing the former for its inability to explain how we can be motivated by the instrumental principle, and the latter for its inability to explain how we can be guided by it. It argues that the normativity of instrumental reason, like that of moral reason, must be grounded in the agent's autonomy, and also that there can be no requirement to take the means to our ends unless there are also required ends.; Philosophy

Razão, consciência e ideologia: algumas notas; Razón, conciencia y ideologia: agunas notas; Reason, consciouness and ideology: some notes

Crochík, José Leon
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2007 POR
Relevância na Pesquisa
36.49%
O objetivo deste ensaio é apresentar algumas das relações entre os conceitos de razão, consciência e ideologia. Nele serão destacadas relações entre ideologia liberal e razão, e entre o fetichismo e a (falsa) consciência; também ser ão associadas a razão instrumental e a razão objetiva, tais como definidas por Horkheimer, respectivamente com o narcisismo e o amor objetal, conforme são compreendidos pela psicanálise. Por fim, serão discutidos três tipos de ideologia que se apresentam em nossos dias - a liberal, a tecnicista e a que se refere à mentira manifesta - e suas relações com necessidades psíquicas.; El objetivo de este análisis es presentar algunas de las relaciones entre los conceptos de razón, conciencia y ideología. En él, las relaciones entre la ideolog ía liberal, la razón, el fetichismo y la (falsa) conciencia serán discutidas; tamben son asociadas la raz ón instrumental e la razón objetiva, tales como definidas por Horkheimer (data), respectivamente con el narcisismo e con el amor objectal, conforme comprendidos pela psicoanálisis. Finalmente, son discutidos tres tipos de ideología que se presentan en nuestros días - la liberal, la tecnicista y la que se relaciona con la mentira manifiesta - y sus relaciones con las necesidades psíquicas.; The objective of this essay is to present some of the relations between the concepts of reason...

Censorship: State Reason or Gang Reason?; Censura: razão de Estado ou razão de bando?

Modesto, Luiz Sergio
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Direito Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Direito
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2006 POR
Relevância na Pesquisa
36.49%
Censorship: State Reason or Gang Reason? This research has for object the phenomenologically quantified diachronic relation between the sign “censorship” and its “object” in the censorial semioses (signic action) of the body, as well as the reception of the sign “censorship” by the Latin Nomogogy, i.e., by the species lex of graphic exact recepted by the Federal Constitution of Brazil.The research objectifies observe, describing, the ambivalent object of the “censorship function”, starting from the genom until its manifestation in the corporeal human conduct, in its interethnic syntaxes, and in the dynamics of the Brazilian macrocollectivities.On such object the author will superpose the semiotics-physics complex method of the Semioselogy, including the Physics phenomenology (Heisenberg, Bohr, Lao Tzy), the Signology (Peirce), and the Progmatic Operational Instrument (Modesto) in syntax with the psychoanalytic method (Freud) and the Neuroscience (Lau and Bartel; Cahill). We hope to result discriminated the autocensorship and the heterocensorship, according analytic ahead:1. Censorship: ambivalent object. Flexion censorial devoid V censorial semioses. 1.1. Censorship collectivities in the planet. Emitter and Receptor mosaic by yesyes...

O conceito de razão nos escritos de Max Horkheimer; The concept of reason in Max Horkheimer's writings

Petry, Franciele Bete
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 15/12/2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.49%
O trabalho pretende analisar o conceito de razão a partir de dois escritos de Max Horkheimer imediatamente antecedentes à publicação de sua obra conjunta com Theodor W. Adorno, Dialética do esclarecimento. Trata -se de buscar em O fim da razão e Eclipse da razão, o desenvolvimento da crítica à racionalidade instrumental que adquiriu, posteriormente, um caráter mais radical na obra escrita com Adorno. Busca -se mostrar as diferentes dimensões que compuseram o conceito de razão, mas que se transformaram ao longo da história, ocasionando o predomínio de uma forma de racionalidade com um caráter meramente instrumental, alheia aos interesses da vida humana.; The paper aims at analyzing the concept of reason in two of Horkheimer’s writings, both published immediately prior to his work with Theodor W. Adorno, Dialectic of enlightenment. The critique of instrumental rationality, that later on acquired a more radical character, will be investigated in the works The End of Reason and Eclipse of Reason. In these writings it is possible to identify different dimensions that constitute the concept of reason, which nevertheless have been modified in the course of history and given place to an instrumental form of rationality...

Reason and Intuitive Knowledge in Spinoza's 'Ethics': Two Ways of Knowing, Two Ways of Living

Soyarslan, Sanem
Fonte: Universidade Duke Publicador: Universidade Duke
Tipo: Dissertação
Publicado em //2011
Relevância na Pesquisa
36.52%

While both intuitive knowledge (scientia intuitiva) and reason (ratio) are adequate ways of knowing for Spinoza, they are not equal. "The greatest virtue of the mind" and "the greatest human perfection" consist in understanding things by intuitive knowledge, which Spinoza regards as superior to reason. Understanding why on Spinoza's account intuition is superior to reason is crucial for understanding his epistemological and ethical theories. Yet, the nature of this superiority has been the subject of some controversy due to Spinoza's parsimonious treatment of the distinction between reason and intuitive knowledge in the Ethics. In my dissertation, I explore this fundamental but relatively unexplored issue in Spinoza scholarship by investigating the nature of this distinction and its ethical implications. I suggest that these two kinds of adequate knowledge differ not only in terms of their method, but also with respect to their representative content. More specifically, I hold that unlike reason, which is a universal knowledge, intuitive knowledge descends to a level of particularity, including an adequate knowledge of one's own essence as it follows directly from God, which represents a superior form of self-knowledge. Attaining this superior self-knowledge makes intuitive knowledge the culmination of not only understanding but also happiness. Since...

Razão e conhecimento: a questão das ideias no Apêndice à dialética transcendental da Crítica da Razão Pura; Reason and knowledge: the problem of ideas in the Appendix to transcendental dialetic of the Critique of Pure Reason

Barreto, André Assi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/11/2015 PT
Relevância na Pesquisa
36.55%
O objetivo desta dissertação é problematizar o papel exercido pelas ideias da razão da formulação do conhecimento, isto é, mostrar como as ideias contribuem para que seja possível conceber a natureza como uma totalidade sistemática cognoscível, bem como para que seja possível uma experiência sistemática que confira sentido ao ato conceitualizador do entendimento e à atividade científica como um todo, algo que, conforme defendemos, depende inevitavelmente que seja possível pensar o mundo como algo organizável. Na Crítica da Razão Pura Kant afirma que o conhecimento começa com intuições, passa por conceitos e termina com ideias e ainda que toda ciência tem uma ideia por base, de forma que, o que fazemos na primeira parte do texto, é justamente aclarar a natureza mesma das ideias, de forma que não paire dúvida sobre o que são, bem como procuramos enfrentar as objeções de alguns comentadores sobre a necessidade do emprego das ideias para o estabelecimento de conhecimento seguro. Na segunda parte analisamos o primeiro momento do Apêndice, localizando ali a questão aqui travada e mostrando como Kant estabelece os usos adequados para as ideias da razão de forma que os velhos erros da metafísica não sejam ressuscitados e por fim...

Reason and Sentiment in Hume’s Moral Theory

Guimarães, Lívia
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 16/05/2005 POR
Relevância na Pesquisa
36.52%
My main goal in this paper is to vindicate Hume’s belief that morality is exclusively a matter of sentiment, when it is apparent that the reflective or general perspective necessary to making a moral judgment requires reason. My solution to the supposed inconsistency is to show that reason is understood in two ways: in the preliminary understanding, reason is opposed to sentiment; in the final understanding, reason is actually reduced to sentiment, or explained away in favor of it. In this final sense, when reason affects morality, it consists in bringing to the mind imaginary sensations and sentiments to which we react sympathetically.

The canon of pure reason: Kant on the non-dependent establishment of the practical use and the unity of reason

Perin, Adriano; UFSC
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.63%
http://dx.doi.org/10.5007/1677-2954.2008v7n2p137This paper systematically discusses Kant´s argumentation in the Canon of the Critique of pure reason on the matter of the establishment of the practical use and its outcomes for the problem of the unity of reason. Bearing in mind that there is much disagreement in the literature, not only as to the specificity and function of the chapter of the Canon wi thin the various moments of Kant´s philosophy, but also as to its critical importance, the approach centers essentially on Kant´s own argumentation. The aim of this paper is to show that the Canon anticipates an important thesis of the Critique of Practical Reason, i.e., the self-sufficient legitimation of the practical use of reason in relation to its theoretical use, Moreover, is demonstrated that there are important systenatic differences between Kant´s argumentation in the Canon and in the second Critique, which lead to the uniqueness of the treatment of the problem of the unity of reason in the former text. The first part of the paper briefly presents Kant´s position in the pre-critical period on the legitimation of the practical use of reason. Thereafter, it is sustained that Kant´s search in the Canon for a "source of positive cognition" is particularly connected with his critical thesis of a self-sufficient establishment in the Canon. It is argued that...