Página 1 dos resultados de 37 itens digitais encontrados em 0.020 segundos

Varia??o geogr?fica e taxonomia do lagarto Ptychoglossus brevifrontalis Boulenger, 1912 (Squamata, Gymnophthalmidae)

DEL PELOSO, Pedro Luiz Vieira
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
O g?nero Ptychoglossus est? inclu?do na fam?lia Gymnophthalmidae e abriga atualmente 15 esp?cies distribu?das principalmente na Amaz?nia ocidental. Ptychoglossus brevifrontalis, inicialmente considerada como tendo uma distribui??o peri-amaz?nica, nos ?ltimos anos foi registrada em diversos pontos do interior da Amaz?nia, indicando ampla distribui??o na regi?o. Contudo, h? poucas informa??es acerca da varia??o morfol?gica ao longo da distribui??o da esp?cie. Neste trabalho foi estudada a varia??o intra- e interpopulacional na morfologia externa de Ptychoglossus brevifrontalis, analisando-se tamb?m a ocorr?ncia de dimorfismo sexual e varia??o ontogen?tica. Ptychoglossus nicefori foi inclu?da no estudo, tendo em vista sua grande semelhan?a com P. brevifrontalis e o hist?rico de sinon?mia entre as duas esp?cies. Observou-se varia??o geogr?fica em alguns caracteres, sem contudo justificar o reconhecimento de mais de um taxon. A validade de P. nicefori ? questionada, por?m estudos adicionais s?o necess?rios antes da proposi??o de novas altera??es na taxonomia.; ABSTRACT: The genus Ptychoglossus is included in the family Gymnophthalmidae and currently comprises 15 species distributed principally in western Amazonia. Ptychoglossus brevifrontalis...

Revis?o taxon?mica do complexo Gonatodes concinnatus (Reptilia: Sphaerodactylidae)

STURARO, Marcelo Jos?
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
O complexo Gonatodes concinnatus, conforme estabelecido aqui, consiste nas esp?cies caracterizadas por uma mancha suprahumeral branca com margens pretas; vermicula??es no dorso; e escamas alargadas sob a cauda, apresentando a seq??ncia 1?1?1? e, em alguns casos, 1?1?2? (na por??o anterior). Duas esp?cies s?o atualmente reconhecidas neste grupo amaz?nico, G. concinnatus e G. tapajonicus. Novos materiais encontrados no leste da Amaz?nia (nos estados do Par? e Amap?, Brasil) fizeram necess?ria a revis?o dessas esp?cies. Analisamos diversas popula??es dentro deste complexo, provenientes do Peru, Equador, Col?mbia e Brasil (mas n?o da Venezuela), incluindo os novos registros. Os esp?cimes foram separados em grupos definidos com base no padr?o de colora??o. An?lises discriminantes, utilizando o m?todo por passos (stepwise), foram realizadas para comparar a morfologia externa (representada por medi??es e contagens de escama, separadamente) nestes grupos. Os resultados ap?iam o reconhecimento de quatro t?xons, correspondendo a G. concinnatus, da Amaz?nia Ocidental, no nordeste do Equador e do Peru; G. tapajonicus, da bacia do Rio Tapaj?s, no Par?, Brasil; e duas novas esp?cies, uma do leste da Amaz?nia, nos estados do Par? e Amap?, Brasil...

Filogeografia em lagartos no baixo Tocantins, Ilha do Maraj? e Sul do Amap?

SOUZA, Ana Carla Barros de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.11%
Estudos filogeogr?ficos t?m ajudado a esclarecer o contexto espacial e temporal da diversifica??o de organismos amaz?nicos, o que pode ser diretamente comparado com cen?rios geol?gicos espec?ficos. O presente estudo visa fornecer informa??es que possam auxiliar na reconstitui??o da hist?ria recente do baixo Tocantins/Ilha do Maraj? a partir e uma an?lise filogeogr?fica de Gonatodes humeralis e Kentropyx calcarata. Adicionalmente, a utilidade do gene citocromo oxidase I como marcador para estudos populacionais de lagartos foi avaliada. Dados de 49 exemplares de G. humeralis e 32 de K. calcarata de 14 localidades ao sul do Amap?, baixo Tocantins, Ilha do Maraj? e de uma externa ? ?rea focal do estudo foram analisados. Alem das medidas de diversidade e diferencia??o gen?tica, foram poss?veis eventos de expans?o demogr?fica recente nestas popula??es foram avaliados com uso da estat?stica R2. As rela??es filogen?ticas entre as popula??es foram avaliadas pela constru??o de ?rvores n?o enraizadas usando-se os m?todos de m?xima parcim?nia (MP) e m?xima verossimilhan?a (MV). Os resultados obtidos demonstram que embora o COI tenha sido raramente utilizado para esta finalidade, a varia??o observada entre seq??ncias de popula??es de G. humeralis e K. calcarata indicam que ele ? um marcador ?til para an?lises filogeogr?ficas. As cinco popula??es de ambas as esp?cies aqui estudadas...

An?lise morfom?trica em cinco esp?cies do g?nero Mabuya Fitzinger, 1826 (Squamata : Scincidae)

PINTO, Gabriel Silva
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
O presente trabalho tem como objetivo analisar a varia??o da forma do corpo ao longo da ontogenia em Mabuya agilis Boulenger, 1887; M. bistriata (Spix, 1825); M. guaporicola Dunn, 1936; M. macrorkyncha Hoge, 1946 e M. nigropunctata (Spix, 1825), esp?cies sul-americana de lagartos, buscando definir as diferen?as interespec?ficas em termos de suas propor??es corporais, qual o papel de um poss?vel crescimento alom?trico no desenvolvimento da forma adulta de cada esp?cie, e se as diferen?as observadas poderiam estar associadas ?s diferen?as nos h?bitats ocupados por cada esp?cie. Para isso foi utilizado a an?lise de componentes principais (PCA), para estimar tanto as trajet?rias ontogen?ticas como o crescimento alom?trico de cada esp?cie. Dados sobre os h?bitats ocupados por cada esp?cie foram compilados da literatura. A inclina??o da reta indicando a trajet?ria ontogen?tica foi significativamente diferente entre Mabuya guaporicola e todas as demais esp?cies, e entre M. bistriata e M. nigropunctata. A an?lise dos coeficientes alom?tricos permitiram constatar que: a redu??o relativa dos membros, associado com um alongamento do corpo em Mabuya guaporicola, foi alcan?ada atrav?s da redu??o das m?os, p?s e, especialmente, dos d?gitos; em M. agi/is houve um alongamento do corpo; M. macrorhyncha apresentou a regi?o da cintura escapular robusta...

Caracteriza??o morfol?gica de Liophis reginae semilineatus (Wagler, 1824) e Liophis reginae macrosomus (Amaral, 1935), e o status taxon?mico de Liophis oligolepis Boulenger, 1905

COSTA, Robson Gil Neris
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
Foi analisado um total de 249 esp?cimes das subesp?cies de Liophis reginae que ocorrem no Brasil (Liophis reginae macrosomus e Liophis reginae semilineatus), com o objetivo de caracterizar morfologicamente os dois t?xons e verificar a validade de Liophis oligolepis, t?xon considerado sin?nimo de Liophis reginae semilineatus. Foram considerados 22 dados mer?sticos e 18 morfom?tricos. Os complexos osteol?gicos e cef?licos, assim como os hemip?nis foram analisados comparativamente entre os t?xons. Foram identificadas, utilizando MANOVA, diferen?as sexuais significativas em vari?veis mensuradas da cabe?a e do corpo. Uma an?lise da fun??o discriminante (AFD) foi utilizada em sexos separados para maximizar a separa??o, num espa?o rnultivariado, dos tr?s t?xons definidos a priori: Liophis regime semilineatus, Liophis reginae macrosomus e Liophis oligolepis. Os escores dos esp?cimes machos separaram claramente Liophis reginae semilineatus de Liophis oligolepis no eixo da primeira fun??o discriminante e Liophis reginae semilineatus de Liophis reginae macrosomus na segunda fun??o. Em f?meas, a primeira fun??o discriminante separou Liophis oligolepis de Liophis reginae semilineatus e Liophis reginae macrosomus. Na AFD de Liophis oligolepis e Liophis reginae semilineatus...

Composi??o e diversidade de serpentes em um mosaico de habitats no munic?pio de Urbano Santos, Maranh?o

LIMA, Jucivaldo Dias
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
Este estudo apresenta os resultados de um ano de observa??es de campo para amostragens da fauna de serpentes em um mosaico de habitats, abrangendo matas de terra firme e inund?vel, planta??es de eucalipto e ?reas abertas, na Fazenda Santo Amaro, Munic?pio de Urbano Santos, Maranh?o. A regi?o ? dominada por vegeta??o de Cerrado e possui clima tropical rnegat?rmico, com total pluviom?trico anual em torno de 1800-mm. O ano de estudo (2001) apresentou-se mais seco que a m?dia anual, com 1197,5mm. As amostragens foram realizadas durante 24 excurs?es quinzenais, com dura??o de quatro dias cada, entre janeiro e dezembro de 2001. Estas amostragens totalizaram 768h/observador de procuras visuais diurnas e noturnas, onde os diferentes habitats foram amostrados por sorteios randomizados, nos diversos hor?rios do dia, obtendo o mesmo n?mero de horas de amostragem nas diferentes ?pocas do ano. Foram capturadas 114 serpentes, representadas por seis fam?lias, vinte e sete g?neros e trinta e duas esp?cies. Para cada esp?cie s?o apresentadas informa??es sobre o tamanho, per?odo de atividade, classe et?ria, habitat e microhabitat. Das 32 esp?cies amostradas na ?rea seis foram registradas pela primeira vez para o Maranh?o como, Apostolepis cearensis...

A morfologia de Stenocercus dumerilii Steindachner (1867) (Squamata, Iguanidae) e suas implica??es filogen?ticas

HERN?NDEZ RUZ, Emil Jos?
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
O estudo teve por objetivo incluir Stenocercus dumerilii (Steindachner, 1867) no contexto dos estudos filogen?ticos recentes realizados com Tropidurinae*. Apresenta-se uma descri??o da escutela??o, cr?nio, cintura escapular, esqueleto abdominal e hemip?nis, com ?nfase nos caracteres utilizados na literatura em an?lises filogen?ticas envolvendo o g?nero Stenocercus. O estudo baseou-se em 65 exemplares fixados, dois exemplares diafanizados e dois hemip?nis evertidos. Constatou-se que S. dumerilii apresenta as caracter?sticas utilizadas para definir o g?nero Stenocercus, dentro de sua defini??o atual, assim como os t?xons hierarquicamente superiores que o incluem. Algumas diferen?as observadas s?o um ?nico par de costelas xifisternais, cauda deprimida, escamas p?s-supraciliares projetadas em forma de "chifre" (tamb?m presente em S. tricristatus) e escamas parietais, p?s-parietais e occipitais aumentadas, em seq??ncia longitudinal. Ao contr?rio do que tem sido considerado anteriormente, a esp?cie n?o apresenta grande parte das caracter?sticas do denominado "grupo Opkyoessoides". As principais caracter?sticas de S. dumerilii que o separam deste grupo s?o o arranjo das escamas supraoculares e posteriores da cabe?a e a dist?ncia entre os pares de costelas p?s-xifisternais. Conclui-se que S. dumerilii se enquadra bem nos Tropidurinae* e no g?nero Stenocercus...

Diversidade de mam?feros e uso da fauna nas Reservas de Desenvolvimento Sustent?vel Mamirau? e Aman? - Amazonas - Brasil

AMARAL, Jo?o Valsecchi do
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.11%
A parte mais setentrional da Amaz?nia ocidental tem sido pouco estudada no que diz respeito ? diversidade de mam?feros, especialmente a ?rea correspondente aos interfl?vios I??-Japur? e Japur?-Negro, no Brasil. Essa fauna, al?m das de aves e r?pteis, v?m sendo constantemente impactada pela atividade humana onde pode se destacar a ca?a. O objetivo desta disserta??o foi iniciar o levantamento sistem?tico da diversidade da mastofauna das Reservas de Desenvolvimento Sustent?vel Mamirau? e Aman? em diferentes h?bitats e o seu uso pela popula??o humana local. Urna listagem atualizada das esp?cies de mam?feros foi gerada para os interfl?vios I??-Japur? e Japur?-Negro, bem como para cada ?rea amostrada. A ca?a e suas implica??es sobre esta fauna, al?m das de aves e r?pteis, foi analisada em seis comunidades da RDS Mamirau? e quatro comunidades da RDS Aman?, de forma a gerar subs?dios para o manejo dessas Unidades de Conserva??o. Para tanto, foram realizadas expedi??es para o levantamento da mastofauna existente e o monitoramento da atividade de ca?a em 10 comunidades por um per?odo de dois anos. O estudo realizado representou o primeiro levantamento sistem?tico sobre a diversidade de mam?feros de Aman?, que considerou todas as ordens presentes na regi?o. Tamb?m...

An?lise da varia??o morfol?gica de Dipsas catesbyi (Sentzen, 1796) e Dipsas pavonina Schlegel, 1837 (Serpentes: Colubridae: Dipsadinae)

LIMA, Ana Caroline de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
A subfam?lia Dipsadinae engloba 22 g?neros da fauna de colubr?deos neotropicais e 24 outros considerados incertae sedis, mas com caracteres comuns aos dipsad?neos. Os g?neros Dipsas, Sibon, Sibynomorphus e Tropidodipsas formalmente comp?em a tribo Dipsadini a qual ? considerado um grupo monofil?tico bem fundamentado. A tribo ? caracterizada por serpentes que apresentam um alto grau de especializa??o morfol?gica, relacionado ao modo de alimenta??o e adapta??es ao h?bitat em que vivem. O g?nero Dipsas inclui aproximadamente 32 esp?cies, distribu?das do M?xico at? a Am?rica do Sul, ? constitu?do por serpentes de corpo delgado e alongado, com cabe?a curta e proeminente, olhos grandes, pupilas verticais e aus?ncia de sulco mentoniano. As esp?cies s?o notavelmente vari?veis na colora??o, n?mero de escamas e outros caracteres morfol?gicos. Essa extrema varia??o tem dificultado a defini??o dos limites entre as esp?cies e a interpreta??o de padr?es de varia??o geogr?fica. A grande varia??o morfol?gica dos caracteres presentes nas esp?cies D. catesbyi e D. pavonina, associada ? dificuldade de identifica??o dos t?xons e ? escassez de informa??es sobre as suas distribui??es geogr?ficas, justificam a necessidade de uma an?lise mais detalhada destas esp?cies. Para tal...

Morfologia hemipeniana de 11 esp?cies do g?nero Micrurus Wagler, 1824 na Amaz?nia Brasileira, com redescri??o de Micrurus filiformis (G?nther, 1859) e Micrurus paraensis Cunha & Nascimento, 1973 (Serpentes, Elapidae)

FEITOSA, Darlan Tavares
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
O g?nero Micrurus re?ne serpentes de h?bitos semi-fossoriais, terrestres e semiaqu?ticos, distribu?das desde o Sul dos Estados Unidos at? o Sul da Argentina. Entre as cerca de 66 esp?cies atualmente v?lidas, 25 s?o registradas para a Amaz?nia brasileira. Com o objetivo de ampliar o conhecimento das serpentes do g?nero Micrurus na Amaz?nia brasileira, foram levantados neste trabalho dados de lepidose, hemip?nis e distribui??o geogr?fica de 544 exemplares de 11 esp?cies. O presente trabalho compreende dois cap?tulos. O primeiro cap?tulo apresenta uma descri??o comparativa dos hemip?nis de 11 esp?cies de Micrurus. Baseado nos resultados obtidos nas an?lises dos exemplares foi elaborada diagnose, padr?o de desenho e colora??o, descri??o e representa??o do hemip?nis e mapa de distribui??o geogr?fica para cada t?xon. Neste cap?tulo s?o apresentadas descri??es in?ditas dos hemip?nis de M. hemprichii ortoni e M. paraensis al?m de varia??es morfol?gicas at? ent?o n?o descritas da morfologia hemipeniana das esp?cies. O segundo cap?tulo apresenta uma descri??o mais detalhada de duas esp?cies, M. filiformis e M. paraensis, com base na morfologia externa e do hemip?nis.; ABSTRACT: Micrurus includes snakes of semi-fossorial, terrestrial and semi-aquatic habits...

Taxocenose de serpentes (Squamata: Serpentes) em uma ?rea de transi??o cerrado-caatinga no munic?pio de Castelo do Piau?, Piau?, Brasil

RODRIGUES, Franc?lio da Silva
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
Foi realizado um invent?rio da fauna de serpentes da ?rea de transi??o entre Cerrado e Caatinga no Munic?pio de Castelo do Piau?. Foram realizadas seis expedi??es entre Outubro de 2005 e Julho de 2006, em fitofisionomias de Cerrado Rupestre, Cerrado Aberto e Mata Secund?ria de Cerrado T?pico, que totalizaram 120 dias de trabalho de campo. Foram utilizados tr?s m?todos: Armadilhas de Intercepta??o e Queda, Procura Limitada por Tempo e Encontros Ocasionais. Foram registradas 18 esp?cies. A fam?lia Colubridae apresentou a maior riqueza de esp?cies, assim como nas diferentes forma??es da Am?rica do Sul. A comunidade ? composta por Xenodontinae (11 esp?cies), seguido por Colubrinae (Mastigodryas bifossatus e Spilotes pullatus) e apenas uma esp?cie de Dipsadinae (Leptodeira annulata), refletindo o padr?o evolutivo das linhagens filogen?ticas dos colubr?deos e a estrutura da comunidade. Thamnodynastes sp. (n= 7), Philodryas nattereri (n= 5) e Phimophis iglesiasi (n= 5) foram as esp?cies mais abundantes na ?rea estudada, diferente da domin?ncia de viper?deos observada em outras taxocenoses de serpentes no Brasil. Os estimadores de riqueza Chao 2 e Jack1 indicam que a comunidade ? composta por aproximadamente 24 esp?cies. Procura Limitada por Tempo apresentou o melhor desempenho dentre os m?todos utilizados...

Biologia reprodutiva e alimentar de Liophis reginae semilineatus (Wagler,18424) e Liophis taeniogaster jan, 1863 (Serpentes, Colubridae, Xenodontinae) da Amaz?nia oriental, Brasil

CASTRO, Luiz Paulo Printes Albarelli de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
O presente trabalho trata de um estudo detalhado sobre a biologia reprodutiva e alimentar de Liophis reginae semilineatus e Liophis taeniogaster, de popula??es restritas a Amaz?nia Oriental, atrav?s da an?lise de dimorfismo sexual, maturidade sexual, ciclo reprodutivo, fecundidade, composi??o da dieta e rela??es presa-predador. As duas esp?cies s?o simp?tricas, por?m n?o foram realizadas compara??es entre ambas, devido a dist?ncia filogen?tica (Moura-Leite, 2001), por apresentarem diferen?as quanto aos recursos alimentares e microh?bitats freq?entados (Cunha & Nascimento, 1993), sendo apresentadas em dois cap?tulos distintos, o primeiro tratando da biologia reprodutiva e alimentar de Liophis reginae semilineatus e o segundo cap?tulo tratando da biologia reprodutiva e alimentar de Liophis taeniogaster.

Revis?o taxon?mica de Liophis typhlus (Linnaeus, 1758) (Serpentes: Colubridae)

SILVA, M?rcio Andr? Amorim da
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
Liophis typhlus (Linnaeus, 1758) ? uma esp?cie de distribui??o restrita ? Am?rica do Sul, sendo reconhecida tr?s subesp?cies: Liophis typhlus typhlus encontrada nas florestas tropicais ao longo da bacia Amaz?nica, nos seguintes pa?ses: Equador, Bol?via, Col?mbia, Peru a Leste dos Andes, Norte e Leste da Venezuela, Guianas e Brasil; Liophis typhlus brachyurus presente na Mata Atl?ntica do Sudeste e nos cerrados do Centro-oeste brasileiros e no Paraguai; e Liophis typhlus elaeoides presente na bacia do Rio Paraguai, incluindo os Chacos do Sudeste da Bol?via, Norte do Paraguai e Centro-Oeste do Brasil. Com o objetivo de revisar taxonomicamente Liophis typhlus foram analisados 16 caracteres morfom?tricos e 19 mer?sticos de 240 esp?cimes. A osteologia craniana e a morfologia hemipeniana foram analisadas de forma comparativa entre os t?xons. Foram identificadas diferen?as sexuais significativas, utilizando o teste t. Foram realizadas An?lises de Fun??o Discriminante entre os esp?cimes dos t?xons estudados, com o intuito de analisar se, de maneira multivariada, as amostras s?o diferentes entre si e quais as vari?veis que estariam contribuindo para esta separa??o, a An?lise de Vari?ncia (MANOVA) foi utilizada entre os t?xons, para verificar diferen?as significativas entre eles. Foi evidenciada diferen?a significativa entre machos e f?meas dos exemplares de L. t. elaeoides...

Taxocenoses de serpentes em grupos fitofision?micos de cerrado no Parque Nacional de Sete Cidades, Piracuruca, Piau?, Brasil

ROCHA, W?ldima Alves da
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
Este trabalho teve como objetivo principal inventariar a fauna de serpentes do Parque Nacional de Sete Cidades, Piraracuruca, Piau?, Brasil, enfocando os seguintes aspectos: composi??o, riqueza e abund?ncia de esp?cies nos seus diversos habitats, padr?es de atividade di?ria, dieta, reprodu??o e compara??o de composi??o com outras ?reas estudadas por outros autores. Foram realizadas seis expedi??es ao Parque, entre setembro de 2005 e agosto de 2006, que totalizaram 120 dias de trabalho de campo. Para a amostragem de campo, foram utilizados tr?s m?todos: procura limitada por tempo, armadilhas de intercepta??o e queda e encontros ocasionais. Foram registradas 87 serpentes, distribu?das em quatro fam?lias (Boidae, Colubridae, Elapidae, Viperidae), 18 g?neros e 24 esp?cies. A esp?cie dominante foi Thamnodynastes sp. A (13,1%), seguida de Oxyrhopus trigeminus e Micrurus ibiboboca (10, 3%). Houve um predom?nio de esp?cies terrestres e com per?odos de atividade diurna. Como em outras taxocenoses de ?reas abertas os colubr?deos mostraram-se dominantes. A fitofisionomia Cerrado T?pico apresentou maior diversidade de esp?cies, sendo as menores diversidades registradas no Campo Limpo e Cerrado Rupestre. O m?todo que apresentou melhor desempenho foi procura limitada por tempo...

Distribui??o espacial de anuros e lagartos ao longo de gradientes ambientais em uma floresta de terra firme na Amaz?nia oriental, Par?, Brasil

GOMES, Jerriane Oliveira
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
O presente estudo investigou a rela??o de comunidades de anuros de serapilheira e lagartos com a ?rea basal de ?rvores, densidade do sub-bosque, cobertura do dossel e profundidade da serapilheira, a fim de verificar se a distribui??o dessa comunidade, assim como de algumas esp?cies analisadas separadamente, seria determinada por estes fatores ambientais. A amostragem ocorreu entre agosto e novembro de 2007, em uma grade de 25 km? implantada pelo Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio) / Amaz?nia, localizada na Floresta Nacional de Caxiuan?, Par?, Brasil. Duas t?cnicas de amostragem foram utilizadas: procura ativa diurna e armadilhas de intercepta??o e queda. No total, foram registrados 892 lagartos e anuros, pertencentes a 27 esp?cies (15 de anuros e 12 de lagartos). Na coleta ativa foram registradas 12 esp?cies de anuros (101 indiv?duos) e 12 de lagartos (171 indiv?duos), enquanto que nas armadilhas de intercepta??o e queda foram 11 esp?cies de anuros (327 indiv?duos) e 15 de lagartos (293 indiv?duos). N?o houve rela??o significativa entre a distribui??o das comunidades de anuros e lagartos com as vari?veis preditoras, indicando que essas esp?cies ocorrem ao longo de todos os gradientes ambientais estudados. Apenas os lagartos Coleodactylus amazonicus e Ptychoglossus brevifrontalis apresentaram uma rela??o entre a sua distribui??o e a densidade do sub-bosque e profundidade da serapilheira...

Coloniza??o por anf?bios e lagartos de ?reas reflorestadas no Plat? Sarac?, regi?o de Porto Trombetas-Par?

SARMENTO, Jo?o Fabr?cio de Melo
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
Poucos estudos t?m considerado a coloniza??o pela fauna em ?reas reflorestadas ap?s minera??o. Para determinar os padr?es de coloniza??o por anf?bios e lagartos de ?reas de reflorestamento em Porto Trombetas, Par?, foram examinadas a composi??o, riqueza e abund?ncia de esp?cies, e as caracter?sticas biol?gicas de anf?bios e lagartos que ocupam ?reas reflorestadas. Tamb?m foi avaliado o efeito da estrutura da vegeta??o e da dist?ncia da floresta nativa sobre a comunidade de anf?bios dos reflorestamentos. Anf?bios e lagartos foram amostrados ao longo de oito campanhas em oito ?reas de reflorestamento e quatro ?reas de floresta nativa atrav?s de procura ativa e com a utiliza??o de po?as artificiais para a reprodu??o de anf?bios. Foram registradas 20 esp?cies de anf?bios e 20 esp?cies de lagartos, sendo 14 esp?cies de anf?bios e 11 de lagartos em reflorestamentos e 19 esp?cies de anf?bios e 16 de lagartos em floresta nativa. Entre os anf?bios, Leptodactylus sp., Osteocephalus oophagus e Allobates femoralis foram as esp?cies mais abundantes nos dois ambientes e entre os lagartos, Gonatodes humeralis e Leposoma guianense foram as esp?cies mais abundantes em reflorestamentos e floresta nativa, respectivamente. Esp?cies de anf?bios de reprodu??o terrestre ou que utilizam pequenos corpos d??gua tempor?rios para a desova e lagartos arbor?colas foram os grupos mais abundantes nos reflorestamentos. Esp?cies fossoriais e semifossoriais de anf?bios e lagartos de liteira foram os principais grupos ausentes nos reflorestamentos...

Revis?o dos lagarto Cercosaura do grupo Argulus (Reptilia : Squamata: Gymnophthalmidae)

ABRANTES, Stephenson Hallison Formiga
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
A taxonomia dos lagartos Gymnophthalmidae do g?nero Cercosaura Wagler, 1830 foi recentemente modificada com a inclus?o dos g?neros Pantodactylus e Prionodactylus. Como reconhecido atualmente, o g?nero Cercosaura cont?m 11 esp?cies. Entretanto, diverg?ncias na literatura recente indicam que o nome Cercosaura argulus pode abranger um grupo de esp?cies. O presente estudo examinou os Cercosaura com frontonasal dividida, aqui chamado grupo argulus, que inclui as esp?cies nominais: Cercosaura argulus Peters, 1863 e Prionodactylus oshaughnessyi Boulenger, 1885. Um total de 151 esp?cimes de 41 localidades foram estudados com base em cinco caracteres morfom?tricos e 22 caracteres mer?sticos. Os esp?cimes foram divididos em tr?s grupos, de acordo com os caracteres previamente considerados como diagn?sticos das duas esp?cies nominais, em seguida Cercosaura oshaughnessyi foi dividido em dois grupos: um grupo do oeste e um grupo da Guiana. Uma An?lise de Fun??o Discriminante (AFD) foi utilizada para comparar estes tr?s grupos. Inicialmente, uma An?lise de Componentes Principais (PCA) foi utilizada para: (1) eliminar a influ?ncia do tamanho nas compara??es (res?duos dos dados morfom?tricos com o primeiro fator de uma PCA foram calculados e utilizados em todas as an?lises estat?sticas subseq?entes)...

Avalia??o de cinco m?todos de captura de lagartos em diferentes ambientes na Amaz?nia

RIBEIRO J?NIOR, Marco Ant?nio
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
O presente trabalho compreende dois cap?tulos. O primeiro cap?tulo est? intitulado ?Compara??o entre m?todos de captura de lagartos em diferentes ambientes na Amaz?nia? e o segundo cap?tulo ?A influ?ncia da localiza??o das armadilhas de cola no sucesso de captura de lagartos na Amaz?nia?.

Caracteriza??o do uso da fauna cineg?tica em aldeias das etnias Wayana e Aparai na terra ind?gena parque do Tumucumaque, Par?

VELTHEM LINKE, Iori Leonel Arnoldo Hussak Van
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
A ca?a ? uma atividade bastante importante para a manuten??o das formas tradicionais de vida dos povos ind?genas da Amaz?nia. Entretanto, quando esta atividade n?o ? feita de forma sustent?vel a sua press?o pode acarretar em extin??es locais e desequil?brios no ecossistema. Este estudo visa caracterizar o uso da fauna cineg?tica em duas aldeias das etnias Wayana e Aparai no Parque Ind?gena do Tumucumaque, norte do Estado do Par?. Foram monitorados e entrevistados 29 ca?adores em 60 dias de coleta de dados. As entrevistas permitiram levantar 45 esp?cies de mam?feros ocorrentes na ?rea e tamb?m as principais esp?cies cineg?ticas com suas respectivas temporadas de ca?a. Ao todo foram ca?ados 219 animais de 35 esp?cies diferentes, totalizando 2.558 Kg de biomassa. A esp?cie mais ca?ada foi Tayassu pecari (n=50; 1.350 Kg), em segundo Ateles paniscus (n=30; 261 Kg). A ave mais ca?ada foi o Crax alector (n=18; 58,5 Kg); e os lagarto Iguana iguana foi o r?ptil mais ca?ado (n=18; 37 Kg). Destes, todos estavam dentro dos pesos m?dios esperados. Apenas para I. iguana foi observado diferen?a estat?stica na raz?o sexual, e todos os A. paniscus abatidos eram f?meas. As curvas de sobreviv?ncia das esp?cies mais ca?adas de mam?feros, T. pecari...

Composi??o, ecologia e hist?ria natural das serpentes de uma regi?o de transi??o Amaz?nia - Cerrado, Mato grosso, Brasil

ABE, Pedro Santos
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.02%
Este trabalho foi feito em formato de artigo de acordo com as normas da revista Biota Neotropica, foi desenvolvido na Fazenda Tanguro, localizada em uma regi?o de transi??o Amaz?nia - Cerrado, munic?pio de Quer?ncia/ MT, com o objetivo de estudar a composi??o e hist?ria natural da comunidade de serpentes encontrada na regi?o. Foram realizadas seis expedi??es a ?rea de estudo, que resultaram no registro de 203 esp?cimes (194 capturas), distribu?dos em 34 esp?cies, 26 g?neros e 8 fam?lias. Uma Estimativa baseada na incid?ncia de esp?cies raras (Jackknife 1) indicou uma riqueza total de 38 esp?cies na ?rea. As esp?cies mais abundantes foram Caudisona durissa (N=50), Philodryas olfersii (N=15), Philodryas nattereri (N=13), Xenodon rabdocephalus (N=12), Lachesis muta (N=10) e Liophis almadensis (N=10). Uma an?lise de Coordenadas Principais (PCO) demonstrou que as taxocenoses se sobrep?em, revelando uma tend?ncia para a forma??o de tr?s grupos distintos: taxocenoses amaz?nicas, Cerrado e Mata Atl?ntica. A composi??o de esp?cies na fazenda Tanguro apresentou-se intermedi?ria em rela??o aos agrupamentos formados por esp?cies Amaz?nicas e de Cerrado, ocorrendo esp?cies tanto com ampla distribui??o, como end?micas dos biomas Cerrado ou Amaz?nico. O padr?o de utiliza??o de habitat da taxocenose ? terr?cola...