Página 1 dos resultados de 816 itens digitais encontrados em 0.043 segundos

Qualidade do sono do doente em contexto médico cirúrgico

Certo, Ana; Gomes, Maria José; Nascimento, Cristiana Elisete Pinto do
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Chaves Dr. José Timóteo Montalvão Machado, UTAD, Escola Superior de Enfermagem de Vila Real Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Chaves Dr. José Timóteo Montalvão Machado, UTAD, Escola Superior de Enfermagem de Vila Real
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
106.24%
O sono é fundamental para o bem-estar e equilíbrio do indivíduo. Os distúrbios do sono têm particular relevância em pacientes internados afetando a sua qualidade de vida e recuperação. O sono de má qualidade é indicador de muitas doenças. Este estudo teve como objetivo, identificar alguns fatores responsáveis pelos distúrbios do sono de pacientes em contexto médico-cirúrgico. Utilizamos a escala PICO, cujo acrónimo representa: Patient (utente), intervention (Intervenção), Comparation (Comparação) e Outcomes (resultados) para responder à questão “quais os fatores que interferem na qualidade do sono dos pacientes internados?” que necessita de pesquisa de evidência. Encontramos como evidências que os distúrbios do sono em pacientes internados são causados por fatores emocionais: preocupação por estar no hospital, partilha de quarto, casa, filho, incapacidade física e intervenções da equipe de saúde. Fatores ambientais: colchão, luz, cama, temperatura, movimento e ruídos. Fatores patológicos: tosse, náusea, dor, mal-estar, cateterismo e fraqueza.

Percepção dos recursos familiares por profissionais do INEM – estudo exploratório do coping, resiliência e qualidade do sono

Ferreira, Dália Maria Albuquerque
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
96.31%
Esta investigação estudou a percepção das estratégias de coping e resiliência familiares, e a qualidade do sono dos profissionais de emergência médica pré-hospitalar, que trabalham por turnos. Para o efeito, procedeu-se à aplicação de um protocolo de investigação composto por cinco instrumentos de avaliação: Questionário Sócio-demográfico, Questionário de Forças Familiares (QFF), F- COPES, Escala de Sonolência Diurna (Escala de Epworth) e Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI). A amostra é constituída por 85 profissionais Delegação Centro do INEM, que trabalham por turnos. Esta investigação estudou como é que os profissionais de emergência médica, que trabalham por turnos, percepcionam as estratégias de coping e de resiliência das suas famílias, e a qualidade do sono, estando sujeitas a níveis de stress constantes, e como é que a qualidade de sono influencia a percepção de estratégias de coping e resiliência familiares. Os profissionais que fazem do stress a sua rotina de vida, mostram-se treinados a mobilizar estratégias de coping familiar, e percepcionam a sua família como detentora de recursos para superar as dificuldades, apontando o sistema familiar como alternativa protectora. De acordo com as evidências deste estudo...

Qualidade do sono e qualidade de vida em mulheres portadoras do HIV/AIDS; Quality of sleep and life in HIV/AIDS-infected women

Junqueira, Priscila Craveiro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
96.25%
INTRODUÇÃO: Tem-se afirmado que os distúrbios do sono começam precocemente na doença do HIV. Avaliamos as características do sono e a Qualidade de Vida (QV) de mulheres portadoras de HIV/AIDS. MÉTODO: Realizado no Centro Corsini o grupo-estudo foi composto por 30 mulheres portadoras de HIV/AIDS, idade média 35,4 anos. O grupo-controle foi composto por 30 mulheres que desconheciam seu diagnóstico para HIV do Centro de Saúde 31 de Março. Instrumentos: Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh, Inventário de Depressão Beck, Inventário de Ansiedade Beck e HIV/AIDS-Target Quality of Life. RESULTADOS: Houve significativa diferença entre o grupo de doentes de AIDS e o grupo controle quanto à pontuação global do sono (p=0,003). Com relação a sintomas depressivos e de ansiedade, os resultados apontaram que o grupo de doentes de AIDS apresenta índices mais elevados de ansiedade e não houve diferença significativa nos sintomas de depressão. Em relação à QV não houve diferença significativa entre os grupos de mulheres sintomáticas e assintomáticas, mas as assintomáticas apresentaram mais prejuízos nos domínios de QV do que o grupo controle. CONCLUSÃO: Há prejuízo na qualidade do sono e QV das mulheres portadoras de HIV/AIDS...

Determinantes sociais da qualidade de sono dos idosos

Barros, Maria de Fátima Gonçalves de
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.3%
Dissertação de mestrado em Sociologia (área de especialização em Desenvolvimento e Políticas Sociais); A qualidade do sono dos idosos é um tema pouco explorado pelas ciências sociais, os problemas relacionados com o sono tem sido analisados numa perspectiva de saúde. Os estudos existentes indicam uma redução da qualidade do sono nos idosos à medida que os anos avançam. A redução da qualidade do sono está ligada a vários factores, entre eles, as circunstâncias socioeconómicas, saúde, estilos de vida e redes sociais. Os estudos estabelecem uma relação positiva entre o desenvolvimento de actividades físicas e mentais e a qualidade do sono, e apontam a falta de actividades diurnas, interacção e estimulação como factores que conduzem a uma má qualidade do sono (Schenelle et al., 1998 cit in Luff et al., 2011). Foram conhecidas as determinantes sociais que influenciam a qualidade de sono dos idosos, utilizando uma análise quantitativa e qualitativa. Quantitativa através da análise estatística de dados obtidos no SHARE e qualitativa através da análise de conteúdo de entrevistas semi-estruturadas. Os resultados obtidos indicam que as mulheres revelam claramente mais problemas de sono comparativamente com os homens. A nível familiar os casados tem melhor qualidade de sono que os viúvos...

Estudo da qualidade do sono dos estudantes de medicina da Universidade da Beira Interior

Bicho, Ana Sofia de Sousa
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.35%
Nos dias que correm, o estilo de vida reserva bastante influência sobre a higiene do sono. São diversos os fatores que contribuem tanto para a sua manutenção como para a sua falha. A alternância do dia-noite (claro-escuro), os horários escolares, os horários de trabalho, os horários de lazer, as atividades familiares, são todos fatores exógenos que sincronizam o ciclo sono-vigília. Os estudantes universitários, uma população com especial interesse, normalmente apresentam um padrão de sono irregular, caracterizado por sonos de curta duração nos dias da semana, dificuldade em adormecer, havendo também atraso do início e final de sono dos dias da semana para os fins-de-semana. Há estudos que relatam que os estudantes que dormem menos durante a semana, apresentam sonolência excessiva e maior probabilidade de adormecer do que a população em geral e que, em decorrência desses fatores, há uma associação com baixo desemprenho académico, com sintomas de ansiedade e depressão e maior uso de tabaco, álcool e cafeína. Assim, esta população encontra-se em risco para uma pobre qualidade de sono. Com a entrada para a universidade, adquirem novos hábitos, são expostos a novos ambientes e são responsáveis pela criação de uma nova rotina de sono. Esta nova rotina pode quebrar a higiene adequada do sono e assim afetar o percurso académico dos estudantes. Objetivo: Caracterizar e avaliar a qualidade do sono dos estudantes de Medicina da Universidade da Beira Interior. Métodos: Realizou-se um estudo descritivo correlacional para o qual foi construído um questionário dividido em 7 partes...

Qualidade do sono, saúde e estilos de vida: estudo com a população activa portuguesa

Talhada, Liliana Catarina Rua Matos
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
96.32%
O sono, essencial para a sobrevivência, é uma necessidade biológica crucial para todos os indivíduos, sendo o restaurador a nível físico e mental. Contudo, a privação do sono conduz a alterações comportamentais e fisiológicas que podem colocar a vida em risco. Este estudo tem como proncipal objectivo analisar a qualidade do sono da população activa e, através de objectivos específicos, avaliar as alterações do sono em função da saúde física, saúde mental e de alguns estilos de vida. Para tal, foram utilizados o Índice de Qualidade de Sono de Pittsburg, o Questionário de 90 Sintomas e o Inventário de Avaliação Clínica da Depressão, aplicados a 300 participantes (142 do sexo masculino e 158 do sexo feminino) com idades compreendidas entre os 25 e os 65 anos. Os resultados indicaram que são as mulheres e os que apresentam baixo estatuto socioeconómico aqueles que apresentaram pior qualidade do sono. Além disso, a presença de doença a nível físico e o excesso de peso encontraram-se fortemente associadas a uma pior qualidade do sono. Os resultados também permitiram inferir uma associação entre a qualidade do sono e os níveis de saúde mental, onde os participantes com má qualidade do sono apresentaram indicadores de sintomas psicopatológicos mais elevados...

Percepção de qualidade do sono e da qualidade de vida de músicos de orquestra

Pereira,Érico Felden; Teixeira,Clarissa Stefani; Kothe,Fausto; Merino,Eugenio Andrés Díaz; Daronco,Luciane Sanchotene Etchepare
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
96.32%
CONTEXTO: As condições de saúde e trabalho de músicos profissionais têm sido pouco investigadas. OBJETIVOS: Identificar a frequência de baixa qualidade de sono em um grupo de músicos de orquestra, bem como analisar possíveis associações com as variáveis de percepção da qualidade de vida geral. MÉTODO: A qualidade do sono, o cronotipo e a qualidade de vida geral foram avaliados por meio dos questionários de Pittsburgh, Horne-Ostberg e WHOQOL-bref, respectivamente, em 22 músicos (17 homens e cinco mulheres) de uma orquestra. RESULTADOS: A baixa qualidade do sono foi identificada em 71%. As dimensões mais associadas à qualidade de sono foram a capacidade para desempenhar as atividades do dia a dia (p = 0,003) e do trabalho (p = 0,004), dor e desconforto (p = 0,006), satisfação com as relações pessoais (p = 0,007) e capacidade de aproveitar a vida (p = 0,008). O domínio físico na análise da qualidade de vida foi o que apresentou maior poder explicativo para a qualidade do sono (34%). O cronotipo e as horas de sono não apresentam associação com a qualidade do sono. CONCLUSÕES: Identificou-se uma alta frequência de baixa qualidade de sono. Medidas para a promoção da qualidade do sono nesta população devem priorizar as variáveis relacionadas à qualidade de vida em seu aspecto físico.

Qualidade do sono em mulheres paulistanas no climatério

Souza,Carmen Lúcia; Aldrighi,José Mendes; Lorenzi Filho,Geraldo
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
96.31%
OBJETIVO: O climatério é um período de grandes transformações em que a qualidade do sono usualmente se deteriora. O objetivo foi avaliar subjetivamente a qualidade do sono em mulheres no climatério (35 a 65 anos). MÉTODOS: Um questionário contendo informações pessoais, hábitos/saúde, sexualidade e sono foi aplicado a 271 mulheres. RESULTADOS: A amostra estudada constituiu-se principalmente de mulheres casadas, ativas profissionalmente, de alta condição econômica e escolaridade, não usuárias de terapêutica hormonal da menopausa (THM), com hábito freqüente de ingerir café e com pouco consumo de álcool/tabaco. A maioria das participantes tinha hábito de jantar e de praticar atividade física. A avaliação subjetiva da qualidade do sono foi considerada ruim por 29% das mulheres da amostra. A menopausa e a autopercepção de saúde foram as únicas variáveis que exibiram relação estatisticamente significante com a qualidade do sono. Mulheres na perimenopausa (ou seja, entre 45 anos e até um ano após a menopausa) e após menopausa cirúrgica declararam a pior qualidade de sono, enquanto mulheres na pré-menopausa revelaram a melhor qualidade de sono. Mulheres que se consideravam saudáveis informaram melhor qualidade de sono do que as que declararam problemas de saúde. CONCLUSÃO: A qualidade do sono piora durante o climatério e nas mulheres que se percebem doentes; ademais...

Qualidade de sono, atividade física durante o tempo de lazer e esforço físico no trabalho entre trabalhadores noturnos de uma indústria cerâmica

Marqueze,Elaine Cristina; Silva,Marcelo Just da; Moreno,Claudia Roberta de Castro
Fonte: Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO Publicador: Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
96.29%
Este estudo teve o objetivo de verificar a relação entre qualidade do sono e atividade física durante o tempo de lazer entre trabalhadores noturnos com um elevado esforço físico no trabalho (média de 14.245; DP 3.456 kcal/semana). Também foi avaliada a relação entre a qualidade do sono e o nível do esforço físico no trabalho. Um total de 19 trabalhadores noturnos de uma indústria cerâmica respondeu o índice da qualidade do sono de Pittsburgh (PSQI) e o questionário internacional da atividade física (IPAQ). Foi calculado o dispêndio calórico total por semana para cada trabalhador através do equivalente metabólico (METs). Os trabalhadores foram distribuídos em dois grupos, de acordo com os escores do PSQI. Foi realizada a análise descritiva dos dados por meio de médias, valores mínimo e máximo, proporções e desvios-padrão. A relação entre qualidade do sono e atividade física foi avaliada pelo teste Mann-Whitney. O grupo de qualidade do sono ruim mostrou nível mais elevado de gasto energético no trabalho que o outro grupo, o que sugere uma relação entre gasto energético no trabalho e qualidade de sono. Distúrbios do sono e sonolência diurna também contribuíram para a qualidade de sono ruim. Esses resultados...

Qualidade do sono e tolerância ao esforço em portadores de apneia obstrutiva do sono

Nascimento,Aliny Priscilla do; Passos,Vívian Maria Moraes; Pedrosa,Rodrigo Pinto; Brasileiro-Santos,Maria do Socorro; Barros,Isly Maria Lucena de; Costa,Laura Olinda Bregieiro Fernandes; Santos,Amilton da Cruz; Lima,Anna Myrna Jaguaribe de
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
106.28%
INTRODUÇÃO: O sono é um estado natural e recorrente, no qual acontecem processos neurobiológicos importantes. A má qualidade do sono está diretamente associada com piores indicadores de saúde. A qualidade do sono pode ser medida objetiva e subjetivamente por métodos como a polissonografia, que é o padrão de referência, ou por meio de testes e questionários, como o índice de qualidade de sono de Pittsburgh (IQSP). OBJETIVO: Correlacionar a qualidade do sono com a tolerância ao esforço em pacientes portadores da síndrome da apneia/hipopneia obstrutiva do sono (SAHOS). MÉTODOS: Participaram do estudo 63 indivíduos (57 mulheres e seis homens), média de idade de 51,7 ± 6,6 anos; índice de massa corpórea (IMC) média de 28,2 ± 5,0 kg/m2); índice de apneia/hipopneia (IAH) médio de 7,3 ± 10,50 eventos/hora, verificado através da polissonografia. Para a avaliação da qualidade do sono, os participantes responderam ao IQSP, e para a avaliação da tolerância ao esforço, realizaram o teste de caminhada de 6 minutos (TC6M). RESULTADOS: Não houve correlação entre o IQSP e o TC6M (Rs = -0...

Efeito de uma sessão de treinamento de força sobre a qualidade do sono de adolescentes

Santiago,Ladyodeyse da Cunha Silva; Lyra,Maria Julia; Cunha Filho,Moacyr; Cruz,Pedro Weldes da Silva; Santos,Marcos André Moura dos; Falcão,Ana Patrícia Siqueira Tavares
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
96.3%
INTRODUÇÃO: o sono é uma função biológica fundamental para a conservação da energia e a restauração do metabolismo energético. OBJETIVO: analisar o efeito de uma sessão do treinamento de força realizada em diferentes horários sobre a qualidade do sono de adolescentes e examinar se a relação entre a melhoria da qualidade do sono e o horário da sessão de treino se altera após o ajuste para idade. MÉTODOS: participaram do estudo seis estudantes do sexo masculino moradores internos do IFPE - Campus Vitória de Santo Antão, PE, Brasil. Foram realizadas três sessões de treinamento de força em diferentes horários manhã, tarde e noite, durante 12 semanas. A escala OMINI-RES foi utilizada para percepção do esforço. A qualidade do sono foi avaliada pelo Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh PSQI. Ainda foram avaliadas variáveis antropométricas massa corporal, estatura, IMC e a composição corporal % gordura, massa gorda e massa magra. RESULTADOS: foram observadas diferenças entre as sessões de treino realizadas em diferentes horários e a diagnose de qualidade do sono manhã: P < 0...

Estudo comparativo entre a qualidade do sono em crianças de 7 a 15 anos com epilepsia clinicamente controlada e refratária

Vidotto,Gisele A. Frederich; Liberalesso,Paulo Breno Noronha; Farias,Antônio Carlos de; Jurkiewicz,Ari Leon; Zeigelboim,Bianca Simone; Löhr Júnior,Alfredo
Fonte: Liga Brasileira de Epilepsia (LBE) Publicador: Liga Brasileira de Epilepsia (LBE)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
96.24%
INTRODUÇÃO: a relação entre epilepsia e sono é conhecida há muitos anos. Distúrbios do sono e epilepsia são condições patológicas de elevada prevalência na população geral, particularmente na infância e adolescência. O objetivo deste estudo foi comparar a qualidade do sono em crianças com idades entre sete e 15 anos portadoras de epilepsia controlada e refratária. MÉTODOS: o questionário "Sleep Behavior Questionnaire", traduzido e validado para a língua portuguesa, foi aplicado aos pacientes com epilepsia controlada e com epilepsia refratária atendidos no Serviço de Neurologia Infantil do Hospital Pequeno Príncipe entre abril e setembro de 2007. RESULTADOS: foram incluídos 46 pacientes, sendo 24 com epilepsia controlada (Grupo 1) e 22 com epilepsia refratária (Grupo 2). Foi aplicado o teste estatístico de Mann-Whitney para amostras independentes e constatado diferença significativa (p = 0,000) ente os índices de qualidade de sono entre os dois grupos, sendo a qualidade de sono considerada pior nos pacientes com epilepsia refratária. Alterações no EEG não evidenciaram relação significativa com a qualidade de sono. CONCLUSÃO: nossos dados demonstram que crianças entre 7 e 15 anos portadoras de epilepsia refratária têm pior qualidade de sono que as crianças com epilepsia controlada.

Efeitos de uma intervenção postural durante o sono, na perceção da dor na coluna vertebral, na qualidade de vida e na qualidade do sono.

Almeida, Gustavo Coutinho Desouzart de
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa Publicador: Universidade Técnica de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
96.25%
Doutoramento em Motricidade Humana, especialidade de Comportamento Motor; Este estudo investiga a relação entre o comportamento postural durante o período do sono após um período de treino e o grau de dor percebida na região da coluna vertebral (Escala Visual Analógica), os indicadores de qualidade de vida (WHOQOL-Breef) e os indicadores de qualidade do sono (Índice de Pittsburgh) em 24 indivíduos adultos jovens (média de idade 20,96 +1,899), sendo que 12 são estudantes do ensino superior e 12 são militares da Força Aérea Portuguesa. O treino, que durou três meses, consiste na recomendação de procedimentos a realizar durante o período de sono ao grupo experimental, reservando ao Grupo “Placebo” uma técnica de relaxamento muscular. Relativamente ao Grupo de Controlo, não houve qualquer intervenção. Como resultados, o Grupo Experimental melhorou significativamente em todos os indicadores (Grau da dor, p= 0,002; Qualidade de vida, p= 0,001 e; Qualidade do sono, p= 0,013), contrariamente aos Grupos “Placebo” e de Controlo. Estes dados permitem comprovar a eficácia de uma intervenção de um profissional Fisioterapeuta nas posturas realizadas durante o período de sono, com a consequente melhoria dos indicadores referidos. Salienta-se ainda a importância de estudos que recorrem a metodologias multidisciplinares e procedimentos centrados no utilizador para analisar o comportamento postural em situação real de interação.; ABSTRACT : This study investigated the relationship between postural behavior during the sleep period after a training period and the degree of perceived pain in the spinal region (Visual Analogue Scale)...

Qualidade do sono em pacientes com espondilite anquilosante

Aydin,Elif; Bayraktar,Kevser; Turan,Yasemin; Omurlu,Imran; Tastaban,Engin; Sendur,Omer Faruk
Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Reumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
96.33%
RESUMOIntroduçãoA espondilite anquilosante (EA) é uma doença reumática inflamatória crônica caracterizada pela inflamação da pelve e da coluna vertebral, que resulta em uma restrição na mobilidade da coluna vertebral. Em decorrência da postura alterada e da dor inflamatória noturna, os distúrbios do sono são passíveis de ocorrer em pacientes com EA.ObjetivoDeterminar as diferenças entre os pacientes com EA e controles saudáveis na qualidade do sono, bem como avaliar a relação entre a qualidade do sono e a atividade da doença.MétodoPara avaliar a qualidade do sono, 55 pacientes com EA (40 homens, 15 mulheres, idade média 43 ± 1 anos) que preencheram os critérios modificados de Nova York e 55 controles comparáveis (40 homens, 15 mulheres, idade média 42 ± 9 anos) preencheram o questionário Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI). A atividade da doença foi avaliada pelo Bath Ankylosing Spondylitis Disease Activity Index (BASDAI).ResultadosA espondilite anquilosante se correlacionou significativamente com a qualidade de sono prejudicada de acordo com os escores totais do PSQI (p = 0,001). Foram encontradas diferenças significativas entre os pacientes com EA e controles saudáveis nos domínios do PSQI...

Estudo da qualidade do sono dos estudantes de medicina da Universidade da Beira Interior

Bicho, Ana Sofia de Sousa
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
96.35%
Nos dias que correm, o estilo de vida reserva bastante influência sobre a higiene do sono. São diversos os fatores que contribuem tanto para a sua manutenção como para a sua falha. A alternância do dia-noite (claro-escuro), os horários escolares, os horários de trabalho, os horários de lazer, as atividades familiares, são todos fatores exógenos que sincronizam o ciclo sono-vigília. Os estudantes universitários, uma população com especial interesse, normalmente apresentam um padrão de sono irregular, caracterizado por sonos de curta duração nos dias da semana, dificuldade em adormecer, havendo também atraso do início e final de sono dos dias da semana para os fins-de-semana. Há estudos que relatam que os estudantes que dormem menos durante a semana, apresentam sonolência excessiva e maior probabilidade de adormecer do que a população em geral e que, em decorrência desses fatores, há uma associação com baixo desemprenho académico, com sintomas de ansiedade e depressão e maior uso de tabaco, álcool e cafeína. Assim, esta população encontra-se em risco para uma pobre qualidade de sono. Com a entrada para a universidade, adquirem novos hábitos, são expostos a novos ambientes e são responsáveis pela criação de uma nova rotina de sono. Esta nova rotina pode quebrar a higiene adequada do sono e assim afetar o percurso académico dos estudantes. Objetivo: Caracterizar e avaliar a qualidade do sono dos estudantes de Medicina da Universidade da Beira Interior. Métodos: Realizou-se um estudo descritivo correlacional para o qual foi construído um questionário dividido em 7 partes...

Qualidade do sono, saúde e estilos de vida: estudo com a população activa portuguesa

Talhada, Liliana Catarina Rua Matos
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
96.32%
O sono, essencial para a sobrevivência, é uma necessidade biológica crucial para todos os indivíduos, sendo o restaurador a nível físico e mental. Contudo, a privação do sono conduz a alterações comportamentais e fisiológicas que podem colocar a vida em risco. Este estudo tem como proncipal objectivo analisar a qualidade do sono da população activa e, através de objectivos específicos, avaliar as alterações do sono em função da saúde física, saúde mental e de alguns estilos de vida. Para tal, foram utilizados o Índice de Qualidade de Sono de Pittsburg, o Questionário de 90 Sintomas e o Inventário de Avaliação Clínica da Depressão, aplicados a 300 participantes (142 do sexo masculino e 158 do sexo feminino) com idades compreendidas entre os 25 e os 65 anos. Os resultados indicaram que são as mulheres e os que apresentam baixo estatuto socioeconómico aqueles que apresentaram pior qualidade do sono. Além disso, a presença de doença a nível físico e o excesso de peso encontraram-se fortemente associadas a uma pior qualidade do sono. Os resultados também permitiram inferir uma associação entre a qualidade do sono e os níveis de saúde mental, onde os participantes com má qualidade do sono apresentaram indicadores de sintomas psicopatológicos mais elevados...

Intervenção fisioterapêutica sobre a qualidade do sono de pacientes com diagnóstico de síndrome da apnéia obstrutiva do sono

Nichele, Bárbara Cardoso
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.26%
Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de Bacharel no curso de Fisioterapia da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; Introdução: A síndrome da apnéia obstrutiva do sono (SAOS) é um distúrbio respiratório caracterizado pela obstrução parcial ou total das vias aéreas superiores, decorrente da dessaturação de oxigênio e das alterações da arquitetura do sono. Dentre os achados clínicos clássicos estão o ronco intenso, sonolência diurna excessiva, pausas respiratórias, respiração bucal forçada, sono não reparador; a monitorização polissonográfica mostrando cinco ou mais eventos respiratórios obstrutivos por hora de sono fecha o diagnóstico. O objetivo do estudo foi verificar a influência da Fisioterapia na qualidade do sono de pacientes com diagnóstico de SAOS, utilizando um protocolo fisioterapêutico embasado em exercícios de condicionamento físico e da musculatura inspiratória. Materiais e Métodos: A pesquisa é caracterizada como aplicada, descritiva e explicativa; um estudo de caso. Foram utilizados questionários de qualidade de vida e de sono. Paciente de 60 anos, sexo feminino, com diagnóstico de SAOS de grau moderado, submetida a protocolo fisioterapêutico...

Percepção da qualidade de sono de uma equipe de atletismo do município de Criciúma - SC

Santos, Caren Matos dos
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.28%
Artigo apresentado para obtenção do grau de Bacharel, no Curso de Educação Física, da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; O exercício físico de alto nível utiliza de sobrecargas de treinamento elevadas, de modo que a intensidade e o volume de carga imposta ao atleta são superiores a uma pessoa ativa. O estudo teve como objetivo geral analisar a qualidade do sono em atletas de alto nível e como objetivos específicos identificar características sociais e de treinamento; Identificar a qualidade subjetiva do sono; Identificar os fatores que influenciam a qualidade do sono; Verificar a percepção do sono dos atletas com a satisfação quanto ao rendimento. Consistiu em uma pesquisa descritiva de carácter exploratório envolvendo 20 atletas de alto rendimento da modalidade de atletismo da cidade de Criciúma/SC, com idade média de 16-27 anos, através do questionário Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh e um questionário elaborado pelo próprio pesquisador, para identificação de características sociais e de treinamento. O resultado mostrou que 45% dos atletas apresentam qualidade de sono ruim, embora quanto à qualidade subjetiva do atleta tenha sido classificado como boa. Esse estudo possibilitou ainda...

Qualidade do sono e capacidade vital em portadores de distrofias musculares progressivas

Souza, Mayara da Rolt de
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.27%
Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de Bacharel no curso de Fisioterapia da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; As Distrofias Musculares Progressivas (DMP) são doenças genéticas que se caracterizam por fraqueza muscular progressiva. Os portadores de DMP apresentam um sono não reparador que leva a deformidades do tronco gerando um comprometimento pneumofuncional. O estudo teve como objetivo avaliar a qualidade do sono e relacionar com a capacidade vital em Portadores de Distrofias Musculares Progressivas. Foram avaliados 23 portadores de DMP membros da ASCADIM de ambos os sexos. As avaliações foram realizadas em 2009 e 2010. Para análise dos distúrbios do sono foi utilizado o questionário Pittsburgh Sleep Quality Index – PSQI e para a análise da capacidade vital foi coletado dados dos prontuários do laudo da espirometria. Na avaliação da Qualidade do Sono verifica-se que houve uma tendência ao declínio na média do PSQI Total entre 2009 e 2010 (p<0,05) e que os portadores de Distrofias Musculares Progressivas estão tendo alterações na: Qualidade Subjetiva do Sono, Duração do Sono (p<0,05), Eficiência do Sono e Distúrbios do Sono (p<0,01). Em relação a capacidade vital os pacientes encontram-se abaixo da normalidade (p<0...

Percepção de qualidade do sono e da qualidade de vida de músicos de orquestra; Sleep quality and quality of life perception in orchestra musicians

Pereira, Érico Felden; Teixeira, Clarissa Stefani; Kothe, Fausto; Merino, Eugenio Andrés Díaz; Daronco, Luciane Sanchotene Etchepare
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2010 POR
Relevância na Pesquisa
96.32%
CONTEXTO: As condições de saúde e trabalho de músicos profissionais têm sido pouco investigadas. OBJETIVOS: Identificar a frequência de baixa qualidade de sono em um grupo de músicos de orquestra, bem como analisar possíveis associações com as variáveis de percepção da qualidade de vida geral. MÉTODO: A qualidade do sono, o cronotipo e a qualidade de vida geral foram avaliados por meio dos questionários de Pittsburgh, Horne-Ostberg e WHOQOL-bref, respectivamente, em 22 músicos (17 homens e cinco mulheres) de uma orquestra. RESULTADOS: A baixa qualidade do sono foi identificada em 71%. As dimensões mais associadas à qualidade de sono foram a capacidade para desempenhar as atividades do dia a dia (p = 0,003) e do trabalho (p = 0,004), dor e desconforto (p = 0,006), satisfação com as relações pessoais (p = 0,007) e capacidade de aproveitar a vida (p = 0,008). O domínio físico na análise da qualidade de vida foi o que apresentou maior poder explicativo para a qualidade do sono (34%). O cronotipo e as horas de sono não apresentam associação com a qualidade do sono. CONCLUSÕES: Identificou-se uma alta frequência de baixa qualidade de sono. Medidas para a promoção da qualidade do sono nesta população devem priorizar as variáveis relacionadas à qualidade de vida em seu aspecto físico.; BACKGROUND: The health and work conditions of professional musicians have been little investigated. OBJECTIVES: Identify the frequency of poor sleep quality in a group of orchestra musicians and examine possible associations with the variables of perception of overall quality of life. METHOD: The sleep quality...