Página 1 dos resultados de 665 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

A psicologia comunitaria como agente de transformações sociais

Gallindo, Lucy de Carvalho
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.65%
Nas últimas decadas tem ocorrido, no que se refere à Psicologia, uma mudança de abordagem do modelo intrapsíquico para uma perspectiva social, relativa ao comportamento humano. Uma das propostas essenciais do novo movimento consiste em declarar que as desordens emocionais originam-se do mau funcionamento das fontes básicas de suporte social. Foi nesse clima que em 1965 surgiu a Psicologia Comunitária. Esta se caracteriza pela busca de novos paradigmas que estão baseados, principalmente, na concepção preventiva de ajustamento e saúde, e no modelo ecológico. Neste trabalho pretendeu-se oferecer também como modelo alternativo da Psicologia Comunitária a aprendizagem social. Deste ponto de vista, ou seja, da aprendizagem social, os comportamentos considerados "desajustados" são vistos não como manifestações de problemas intrapsíquicos, e sim, como comportamentos que as pessoas aprenderam a copiar do ambiente através de reforços ou por meio de modelos oferecidos pela sociedade. Tal posição embora implique em que o comportamento humano pode ser manipulado pelo controle dos estímulos ambientais, não exclui uma visão fenomenológica do homem. Estas duas abordagens, aparentemente antagônicas, foram aqui apresentadas como um possível elemento dinamizador da Psicologia Comunitária. Ao mesmo tempo em que se tentou demonstrar ser o comportamento humano de alguma maneira controlado...

Primeiro estranha-se, depois entranha-se: Incursões na vivência do movimento dos trabalhadores rurais sem terra - desafios à Psicologia Comunitária

Bicas, Mara Catarina
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
76.52%
Dissertação de mestrado em Psicologia Comunitária; A presente dissertação pretende analisar a relação entre processos de conscientização e empowerment através de um trabalho de investigação no terreno realizado no âmbito do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), no Nordeste Pernambucano (Brasil). Este trabalho baseia-se numa observação participante de diversos contextos de acção levados a cabo pelo MST nas áreas de acampamento e assentamento de reforma agrária, onde foram realizadas entrevistas aprofundadas aos diversos actores implicados no processo. Neste contexto, a luta pela reforma agrária, na sua busca por desocultar mecanismos de opressão e transformar as estruturas de poder, impulsiona os/as participantes a desenvolver uma consciência crítica acerca da correlação de forças existente e diversas leituras da realidade. É nessa diversidade que os/as Sem Terra poderão beneficiar de uma maior oportunidade de controlo sobre as suas próprias vidas e recursos. Nesta vivência quotidiana, a conscientização completa-se pela intervenção na realidade (prática), enquanto acção consciente e organizada, pela superação da sua condição de oprimidos/as. A discussão desta experiência assume uma intersecção teórica entre a psicologia comunitária (Prilleltensky & Nelson...

Prevenção e controlo da infecção VIH / SIDA em populações migrantes: Desafios à psicologia comunitária

Gama, Ana Filipa de Mendonça da
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
76.41%
Dissertação de mestrado em Psicologia Comunitária; Tem sido reconhecido que as populações migrantes se encontram especialmente vulneráveis à infecção pelo VIH/SIDA, por diversos factores associados ao processo migratório. Essa vulnerabilidade pode ainda ser potenciada por barreiras no acesso e sub-utilização dos serviços de saúde na procura de informação, cuidados e diagnóstico. No sentido de conhecer o tipo de utilização dos serviços de saúde por parte de populações imigrantes foi aplicado um questionário a 522 imigrantes africanos residentes em Portugal, no CNAI (ACIDI) em Lisboa. Foi analisado o tipo de serviços que utilizariam no contexto do VIH/SIDA, a fonte de informação privilegiada sobre a infecção, a procura efectiva dessa informação no SNS e a realização do diagnóstico. Os resultados do estudo indicam que o tipo de serviços de saúde que os inquiridos utilizariam no contexto do VIH/SIDA está relacionado com o nível educacional (p=0.026) e tempo de residência em Portugal (p=0.029). Verificou-se que a fonte de informação sobre VIH/SIDA privilegiada pelos inquiridos está relacionada com o nível educacional (p=0.003) e situação económica (percebida) (p=0.005). Por fim...

Psicologia Comunitária Positiva: Um exemplo de integração paradigmática com populações de pobreza

Marujo, Helena Águeda; Faculdade de Psicologia, Universidade de Lisboa; Neto, Luís Miguel; Faculdade de Psicologia, Universidade de Lisboa
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
76.56%
Os aspectos ontológicos, epistemológicos e metodológicos da psicologia comunitária tornam-na especialmente apropriada para se cruzar eficazmente com o novo paradigma da psicologia positiva. Este trabalho descreve e reflecte uma intervenção conducente a essa integração, realizada junto de populações no limiar da pobreza na Região Autónoma dos Açores. A par do prioritário apoio no domínio das condições materiais, para que a população caminhe para uma vida mais digna, o projecto tem levado a que os profissionais no terreno sirvam de catalisadores na luta pela inclusão e empowerment das populações, e estimulem a consciencialização sobre as forças e virtudes individuais e colectivas através da intervenção com base nos actos de fala. Usando metodologias participativas e apreciativas, e a implementação de um modelo de desenvolvimento comunitário focalizado no positivo, no funcional e nas excepções aos problemas, tem-se potenciado o optimismo, a esperança, o desenvolvimento do sentido de humor e as emoções positivas em geral, bem como uma nova linguagem, onde são agora possíveis palavras positivas para narrar a experiência, caminhando-se para uma perspectiva, não apenas de sobrevivência, mas de “Supervivência”. Cruzam-se assim os conhecimentos científicos recentes da psicologia positiva e da psicologia comunitária numa prática reflexiva...

Psicología comunitaria y políticas sociales en Chile

Inzunza,Jaime Alfaro; Constanzo,Alba Zambrano
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 ES
Relevância na Pesquisa
76.61%
En este artículo analizamos la relación entre Psicología Comunitaria y políticas sociales, estableciendo la influencia de las políticas sociales sobre el desarrollo contemporáneo de la Psicología Comunitaria en Chile. Sostenemos que su consolidación como profesión se asocia estrechamente a la implementación de políticas sociales a partir de la década de los noventa y su conformación actual está condicionada y tensionada por las orientaciones de estas políticas. Se examina la evolución tanto de las políticas sociales como de la Psicología Comunitaria en Chile, los puntos de encuentro y las tensiones, de las que derivamos una serie de desafíos y proyecciones que examinamos en el presente artículo, con el objetivo de avanzar en la comprensión de esta relación.

Políticas cognitivas da psicologia comunitária: a meio caminho entre a recognição e a invenção

Rocha,Tatiana Gomes da; Pinheiro,Francisco Pablo Huascar Aragão
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
76.44%
O artigo discute como as práticas em psicologia comunitária constituem um campo de produção de subjetividade, atentando para as políticas cognitivas derivadas de seus pressupostos epistemológicos, teóricos e políticos. Observa-se o compromisso de transformação social defendido por esta área da psicologia, ressaltando seus efeitos para a subjetividade produzida em comunidades. A partir das considerações levantadas, observou-se que a ideia de conscientização, bem como a concepção dos conflitos a partir de um esquema opressor-oprimido, dentre outros aspectos, incorrem em políticas recognitivas. Por outro lado, a postura dialógica do psicólogo comunitário, além da valorização atribuída às potencialidades existentes nos espaços populares, aproxima-se de uma política da invenção.

A psicologia comunitária nas Américas: o individualismo, o comunitarismo e a exclusão do político

Prado,Marco Aurélio Máximo
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 PT
Relevância na Pesquisa
76.52%
Este texto apresenta um denominador comum entre a Psicologia Comunitária na América do Norte e na América Latina, entendido a partir do fim do espaço do político. Neste sentido, a partir da filosofia política, pretende-se uma análise crítica das duas posições (individualista e comunitarista) na Psicologia Comunitária, explicitando a importância do político no debate contemporâneo de uma Psicologia comprometida com a extensão dos valores democráticos.

Formação em psicologia comunitária e os seus contributos pedagógicos para a participação cívica

Ornelas,José; Vargas-Moniz,Maria
Fonte: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná Publicador: Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.57%
Neste trabalho procura-se documentar os processos através dos quais a formação académica avançada pode contribuir para o aprofundamento da formação cívica dos estudantes e para gerar novos polos de liderança e/ou mudança social em contextos sociais diversificados. Descreve-se o percurso do ensino da Psicologia Comunitária como formação especializada no âmbito da Psicologia e como curriculum formativo autónomo, bem como o debate sobre as competências profissionais neste domínio científico-pedagógico. Apresentam-se os resultados de um questionário sobre competências sociais e profissionais em Psicologia Comunitária e da Análise SWOT com estudantes de Mestrado e Doutoramento que serviram de base para a avaliação da formação pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (http://www.a3es.pt/pt). A análise dos resultados permite concluir que os diplomados em Psicologia Comunitária escolheram causas cívicas diversificadas nos seus percursos profissionais e que utilizam as competências formativas adquiridas no seu percurso formativo na sua prática profissional. Através da análise qualitativa dos dados recolhidos através de análise SWOT, realça-se a relevância atribuída à liberdade de escolha durante o percurso formativo e as oportunidades de contacto com realidades sociais diversificadas. A participação em contextos comunitários tem permitindo compreender melhor a complexidade da aplicação prática dos princípios...

Psicologia comunitária e programa de saúde da família: relato de uma experiência de estágio

Gama,Carlos Alberto Pegolo da; Koda,Mirna Yamazato
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
76.52%
O presente artigo relata o trabalho realizado a partir de um campo de estágio da Psicologia comunitária, desenvolvido no Programa de Saúde da Família de um Município do interior paulista. Refletimos sobre o papel da Psicologia no PSF, buscando construir ações afinadas com o campo da saúde pública. Apresentamos o processo de constituição da parceria entre Universidade e Secretaria de Saúde bem como as atividades realizadas no estágio. O trabalho dos estagiários abarcou tanto as intervenções junto aos pacientes da unidade como junto à equipe do PSF. A experiência evidenciou a importância do trabalho da saúde mental no PSF, principalmente no que diz respeito ao estabelecimento de uma lógica preventiva e de promoção à saúde. Procuramos, assim, contribuir com o desenvolvimento de ações no campo da Psicologia Social Comunitária.

Psicologia comunitária e política de assistência social: diálogos sobre atuações em comunidades

Ximenes,Verônica Morais; Paula,Luana Rêgo Colares de; Barros,João Paulo Pereira
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
76.65%
Este artigo objetiva traçar diálogos teórico-metodológicos entre a práxis de Psicologia comunitária e a área da assistência social, especificamente em torno da proposta da Proteção Social Básica de fortalecimento da convivência social e comunitária no território onde vivem as famílias assistidas. Assim, são apresentados os contornos da atual política pública de assistência social, situando elementos centrais da Proteção Social Básica. Posteriormente, apontam-se as contribuições da Psicologia comunitária para a leitura e a efetivação de trabalhos coletivos no território de vida das famílias, primando pela problematização de seus processos cotidianos e pela ampliação de vínculos sociais pautados em processos de colaboração. Depreende-se que, para isso, são relevantes os eixos norteadores da práxis de Psicologia comunitária, entre os quais a análise, a vivência e a co-construção de atividades comunitárias, mediante metodologias participativas. Por fim, são ressaltadas também as possíveis limitações contingenciais à aproximação entre a Psicologia comunitária e a Proteção Social Básica.

Psicologia Comunitária e a Saúde Pública: relato de experiência da prática Psi em uma Unidade de Saúde da Família

Amaral,Marília dos Santos; Gonçalves,Cristiane Holzschuh; Serpa,Monise Gomes
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
76.58%
Este trabalho relata a realização de uma experiência de estágio em uma Unidade de Saúde da Família em Santa Maria-RS. O objetivo foi analisar a prática da Psicologia comunitária e as suas estratégias de facilitação em comunidades inseridas em uma unidade de saúde pública. Participaram dessa experiência usuários atendidos pela equipe multidisciplinar que haviam sido encaminhados para o serviço de Psicologia. No contexto estudado, as estratégias utilizadas foram entrevistas, visitas domiciliares, conversas informais e interação nos espaços comunitários. Essas estratégias se mostraram importantes para o mapeamento da realidade comunitária, das redes de serviços e para verificar como estas funcionam. No que se refere às questões éticas, observou-se a importância de romper os padrões de atendimento psicológico tradicional, quando se constrói uma ética que abrange os princípios da interdisciplinaridade. Observou-se que estratégias de atuação em comunidade na perspectiva da Psicologia comunitária podem favorecer ações mais integradas às necessidades da população atendida pela ESF. Tal experiência apontou a importância do questionamento sobre os modelos de atuação prestados pela Psicologia nos serviços de saúde pública...

A Psicologia comunitária no Rio de Janeiro entre 1960 e 1990

Lima,Renato Sampaio
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
76.63%
Este artigo tem como principal objetivo apresentar as especificidades da Psicologia comunitária no Rio de Janeiro. Sustentamos a tese de que, diferentemente do que ocorreu em São Paulo e Minas Gerais, a Psicologia comunitária no Rio de Janeiro se assemelhou mais ao que denominamos trabalho comunitário. Além desse objetivo, buscamos expor as contribuições da área no Brasil para o movimento de crítica tanto da teoria quanto da prática em Psicologia social. Nossas discussões cobrem o período compreendido entre as décadas de 60 e 90. Optamos por começar pela década de 60 em função da crise no campo da Psicologia social, que ocorreu inicialmente na Europa e nos Estados Unidos, e que gerou um processo de reflexão crítica tanto da teoria quanto do método em Psicologia social. As referências utilizadas ao longo do artigo abrangem principalmente esses temas, a história da Psicologia social no Brasil e a Psicologia comunitária no Rio de Janeiro.

Os novos quixotes da psicologia e a prática social no âmbito do terceiro setor

Paiva, Ilana Lemos de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social; Psicologia Social; Processos Psicossociais; Relações de Poder e Sociedade Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social; Psicologia Social; Processos Psicossociais; Relações de Poder e Sociedade
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.58%
A pesar del cuadro crítico de la pobreza y desigualdad social en que vivimos en el país, las perspectivas actuales apuntan para el fin del Estado Interventor y para la reducción del gasto público destinado a las políticas sociales. Con el enjugamiento del estado, el Tercer sector está encargado de pacificar la cuestión social, reduciéndola al ámbito del deber moral. Convocado al compromiso social, el psicólogo también empieza a trabajar en la frontera de la exclusión, sin cuestionar la finalidad y las implicaciones políticas del nuevo escenario. El objetivo de este trabajo es investigar la práctica social del psicólogo, en el ámbito del tercer sector , buscando el análisis que hace del nuevo campo de trabajo, así como las estrategias utilizadas en el enfrentamiento de la pobreza. Para la investigación, fueron realizadas 20 (veinte) encuestas semiestructuradas con psicólogos que actúan en instituciones del tercer sector . Las encuestas fueron analizadas cualitativamente, a la luz de la perspectiva gramsciana de sociedad civil y emancipación humana, bien como de los preceptos de la Psicología Comunitaria y Intervención Psicosocial. Utilizamos como base de análisis, todavía, el Método Comparativo Constante. Los resultados fueron agrupados en tres ejes: quien son los nuevos quijotes de la Psicología...

La docencia en la psicología social comunitaria: algunos problemas; teaching social community psychological: some issues

Maritza Montero; Universidad Central de Venezuela; Fernando Giuliani; Universidad Central de Venezuela
Fonte: Psicología desde el Caribe Publicador: Psicología desde el Caribe
Tipo: article; publishedVersion Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
66.61%
El proceso de desarrollo de la psicología comunitaria muestra una creciente complejidad teórica y metodológica. En ese proceso se ha generado una permanente reflexión crítica basada en la experiencia comunitaria y en la investigación de las diferentes áreas temáticas que sustentan las propuestas de la disciplina. Nuestra línea de trabajo se fundamenta en un quehacer sostenido en el contexto de las comunidades y en el campo de la docencia, manteniendo una preocupación permanente tanto por el compromiso con las comunidades como con la disciplina. Dentro de este panorama, se revisan algunos elementos relativos a la formación de los/las psicólogos/as comunitarios/as, en función de la importancia que tiene dentro del marco de la disciplina el rol que debe desempeñar este profesional de la psicología, así como de la necesidad de un alto nivel de capacitación. En este trabajo se exponen, a partir de nuestra experiencia docente, algunos tópicos que resultan críticos en la docencia de la psicología comunitaria, tales como la dificultad de armonizar los lapsos académicos con los «ritmos» de la comunidad; el carácter recíproco del proceso de familiarización; el alcance del compromiso en los estudiantes; el rol del profesional sustentado por la formación universitaria tradicional y su oposición a la «desprofesionalización» o entrega de conocimientos...

Formación profesional de pregrado en psicología comunitaria en Santiago de Chile en la actualidad: Análisis descriptivo de los contenidos de enseñanza metodologías y perfil profesional del psicólogo/a comunitario

Riveros Ahumada, Paula Antonia
Fonte: Universidad de Chile Publicador: Universidad de Chile
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
76.6%
Magíster en Psicología Comunitaria; La Psicología Comunitaria en nuestro país, se ha desarrollado y evolucionado a partir de las necesidades y requerimientos que se presentan en contextos laborales, académicos e investigativos, entre otros. Dada la importancia de responder adecuadamente a ellos, de manera pertinente y eficaz, es que aparece como relevante el propósito de investigar cómo y en qué se está formando en PC hoy en Chile. Diferentes autores plantean que la PC en nuestro país se enfrenta actualmente a diversos desafíos (Alfaro, 2007; Asún y Unger, 2007) que hacen que la disciplina requiera de elementos precisos en su propuesta teórica y práctica. En este contexto, nos parece pertinente indagar en algunos temas específicos: con qué metodologías se enseña la PC, qué características se adscriben al perfil del psicólogo/a comunitario, si es que lo hay, y qué sustento valórico está a la base de esta formación. En la actualidad, el contexto en el que se desarrolla el trabajo comunitario se ha visto cuestionado desde la llamada institucionalización de la PC, donde ha experimentado una evolución que la ha puesto como referente en las prácticas institucionales de intervención psicosocial (Castillo y Winkler...

Mujeres Migrantes Mapuches: Aproximación desde la psicología comunitaria al fenómeno de la migración mapuche femenina a partir de un estudio de caso

Maldonado R., Paola
Fonte: Universidad de Chile Publicador: Universidad de Chile
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
76.47%
Magíster en Psicología Comunitaria; El propósito de este estudio es aportar al conocimiento de la migración mapuche desde una perspectiva comunitaria, proponiendo una aproximación al tema a partir de la recolección de los distintos discursos formulados al interior de comunidades y grupos que viven en su interior procesos de migración de sus integrantes femeninas, ya sea como comunidad de partida y/o como comunidad o grupo receptor en un contexto urbano. La mayor parte de las investigaciones realizadas hasta ahora, en torno a la migración femenina mapuche, se han caracterizado por mostrar una forma de aproximación que privilegia la recolección de discursos desde las propias migrantes. Como una forma de aproximación complementaria al fenómeno de la migración mapuche femenina, este estudio incorpora, en conjunto con los discursos de las migrantes respecto a sus propios procesos de migración, los discursos construidos en torno a este fenómeno, tanto de la comunidad de origen de las migrantes, como del grupo receptor en contexto urbano. En función de lo anterior se propone la realización de un estudio de caso desde una aproximación cualitativa y, coherente con ello, la formulación de un marco conceptual que incluye la revisión de conceptos tales como Comunidad...

Prácticas de la psicología comunitaria desarrolladas en programas psicosociales de la comuna de Quilicura, Región Metropolitana

Bastias Naranjo, Andrea
Fonte: Universidad de Chile Publicador: Universidad de Chile
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
66.72%
Magíster en Psicología Mención Psicología Comunitaria; Las transformaciones que ha sufrido la psicología comunitaria en Chile cuentan con documentación, en la cual se da cuenta, en torno a que las primeras aproximaciones de la rama disciplinaria en nuestro país, surgen vinculadas al abordaje de la salud mental desde una perspectiva intracomunitaria y poblacional, en los años sesenta y setenta (Asún, Aceituno, Alfaro, Morales & Krause, 1993, Alfaro, 2007; Alfaro & Zambrano, 2009; Asún, 2007; Krause, 2002; Krause & Jaramillo, 1998 en Winkler Alvear, Olivares y Pasmanik, 2012), para luego, desplegarse de la mano de diversos organismos no gubernamentales, en pro la resistencia a la dictadura militar, esto en la década de los ochenta. Del mismo modo sabemos, que en la década de los noventa, con la recuperación de la democracia, en nuestro país, la psicología comunitaria, se vincula con la implementación de programas y politicas sociales, dirigidos a instalar capacidades en los territorios y poblaciones denominadas “vulnerables”. Es en este período, también, en que esta rama de la psicología, se constituye como práctica profesional, reconocida técnica y académicamente, en Chile (Zambrano y Alfaro, 2007). Actualmente...

La institucionalización de dos prácticas de la psicología en Chile: la psicología Comunitaria y la psicología de los Derechos Humanos

Piper Shafir, Isabel
Fonte: Universidade do Chile Publicador: Universidade do Chile
Tipo: Artículo de revista
ES
Relevância na Pesquisa
66.57%
Este texto reconstruye algunos aspectos de la memoria de dos espacios críticos del ejercicio de la psicología en Chile: la Psicología Social Comunitaria y la Psicología de los Derechos Humanos. Se reflexiona sobre el carácter “crítico” de dichas prácticas, a partir de un análisis de las condiciones sociales en las que fueron efectivamente alternativas a la psicología dominante y prácticas de resistencia política a las condiciones de la época. Palabras clave: psicología crítica, psicología comunitaria, intervención social, derechos humanos, reparación, transformación social.

Formação em Psicologia Comunitária e os seus contributos pedagógicos para a Participação Cívica

Ornelas, José; Instituto Superior de Ciências Psicológicas Sociais e da Vida; Vargas-Moniz, Maria; Instituto Superior de Ciências Psicológicas Sociais e da Vida
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.55%
Neste trabalho procura-se documentar os processos através dos quais a formação académica avançada pode contribuir para o aprofundamento da formação cívica dos estudantes e para gerar novos polos de liderança e/ou mudança social em contextos sociais diversificados. Descreve-se o percurso do ensino da Psicologia Comunitária como formação especializada no âmbito da Psicologia e como curriculum formativo autónomo, bem como o debate sobre as competências profissionais neste domínio científico-pedagógico. Apresentam-se os resultados de um questionário sobre competências sociais e profissionais em Psicologia Comunitáriae da Análise SWOT² com estudantes de Mestrado e Doutoramento que serviram de base para a avaliação da formação pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (http://www.a3es.pt/pt). A análise dos resultados permite concluir que os diplomadosem Psicologia Comunitária escolheram causas cívicas diversificadas nos seus percursos profissionais e que utilizam as competências formativas adquiridas no seu percurso formativo na sua prática profissional. Através da análise qualitativa dos dados recolhidos através de análise SWOT, realça-se a relevância atribuída à liberdade de escolha durante o percurso formativo e as oportunidades de contacto com realidades sociais diversificadas. A participação em contextos comunitários tem permitindo compreender melhor a complexidade da aplicação prática dos princípios...

Psicologia Comunitária Positiva: Um exemplo de integração paradigmática com populações de pobreza

Marujo,Helena Águeda; Neto,Luís Miguel
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.55%
Os aspectos ontológicos, epistemológicos e metodológicos da psicologia comunitária tornam-na especialmente apropriada para se cruzar eficazmente com o novo paradigma da psicologia positiva. Este trabalho descreve e reflecte uma intervenção conducente a essa integração, realizada junto de populações no limiar da pobreza na Região Autónoma dos Açores. A par do prioritário apoio no domínio das condições materiais, para que a população caminhe para uma vida mais digna, o projecto tem levado a que os profissionais no terreno sirvam de catalisadores na luta pela inclusão e empowerment das populações, e estimulem a consciencialização sobre as forças e virtudes individuais e colectivas através da intervenção com base nos actos de fala. Usando metodologias participativas e apreciativas, e a implementação de um modelo de desenvolvimento comunitário focalizado no positivo, no funcional e nas excepções aos problemas, tem-se potenciado o optimismo, a esperança, o desenvolvimento do sentido de humor e as emoções positivas em geral, bem como uma nova linguagem, onde são agora possíveis palavras positivas para narrar a experiência, caminhando-se para uma perspectiva, não apenas de sobrevivência, mas de “Supervivência”. Cruzam-se assim os conhecimentos científicos recentes da psicologia positiva e da psicologia comunitária numa prática reflexiva...