Página 1 dos resultados de 578 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Nada sobre mim! : a insubordinação da pessoa na democracia moderna

Rodrigues, Clayton Emanuel
Fonte: FEUC Publicador: FEUC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
27.5%
Recentemente o mundo foi surpreendido com mobilizações em diferentes países, apresentando diferentes reivindicações, com diversos formatos de manifestações, tendo, como ponto comum, formas de divulgação, utilização de rede computacional, contatos e organizações descentralizadas. As perspectivas de análise dos protestos sociais que utilizam categorias coletivas articuladas com a ideia de cidadania parecem não dar conta da complexidade das novas cenas e das novas formas de protestos, porque se articulam com a formação social do Leviatã, cujas bases filosóficas e metafísicas ergueram o Estado moderno, os conceitos de autonomia, hierarquia, produção e desenvolvimento, oriundos das organizações fabris e comerciais, quer dizer, do liberalismo político burguês. Propusemo-nos a analisar as mudanças sociais e potenciais transformações diante do impacto das novas tecnologias na base teórica e prática que construiu o sujeito abstrato em que se fundou o Estado e, por conseguinte, suas implicações teóricas e metodológicas na teoria social. Assim, a partir do questionamento das teorias que sustentam o Estado e a cidadania, elabora-se a categoria central de análise desta dissertação: a pessoa realmente existente na democracia moderna...

Reflections on The Free Fare Movement and Other "New Social Movements"; Reflexões sobre o Movimento Passe Livre e outros “Novos Movimentos Sociais”

Ortellado, Pablo
Fonte: Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Ciências Sociais, Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Londrina Publicador: Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Ciências Sociais, Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Londrina
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
27.3%
On June 6, 2013, the Free Fare Movement (Movimento Passe Livre) began a very aggressive campaign against the rise in bus and metro fares in São Paulo, Brazil. In an ultimately two-week campaign, the movement organized six demonstrations blocking some of São Paulo’s most vital avenues. After the demonstrations became massive (some in excess of one million people), both city and state governments relented and reduced the fares. The June mobilizations were horizontal, non-partisan, and based on direct action. These events are akin to other recent mobilizations such as Occupy Wall Street and the 15M movement in Spain but are different in one important aspect: they had only one demand—a 20-cent reduction in bus and metro fares. This one demand allowed the movement to develop a clear and successful strategy while retaining the horizontality and countercultural creativity of other new movements. Indeed, this series of demonstrations may have provided a model for coordinating a concern for processes with strategically aiming for outcomes.; Em 6 de junho de 2013, o Movimento Passe Livre iniciou um protesto muito agressivo contra o aumento das tarifas de ônibus e metrô em São Paulo, Brasil. Em uma jornada de duas semanas, o movimento organizou seis protestos que bloquearam algumas das avenidas mais importantes de São Paulo. Após os protestos ganharem um caráter massivo (algumas excederam um milhão de pessoas)...

Tropas em protesto: o ciclo de movimentos reivindicatórios dos policiais militares brasileiros no ano de 1997; Troops in protest: the cycle of demands of the brazilian military police in 1997

Almeida, Juniele Rabelo de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
27.3%
Este trabalho propõe um estudo sobre o ciclo de movimentos reivindicatórios dos policiais militares brasileiros, ocorrido ao final do primeiro semestre do ano de 1997. As manifestações dos praças da Polícia Militar de Minas Gerais se tornaram um estandarte tático para a ação coletiva dos PMs de diversas localidades do território nacional. Quatorze estados integraram o ciclo nacional de protestos: Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul; e, sem movimento organizado, São Paulo e Rio de Janeiro. Narrativas, em história oral de vida, revelaram o diálogo entre as especificidades regionais e uma cultura policial militar nacionalmente constituída. Múltiplas questões, para o estudo da história dos movimentos sociais e da segurança pública no Brasil, foram problematizadas por meio de quatro redes de análise que indicam o repertório da ação coletiva policial militar: 1ª rede) Policiais militares de Minas Gerais: o início do ciclo de protestos; 2ª rede) Policiais militares de Alagoas, Ceará, Pernambuco e Pará: conflitos armados e ameaças; 3ª rede) Policiais militares da Paraíba, Bahia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul: acampamentos e negociações; 4ª rede) Policiais militares do Rio Grande do Sul...

Empolgação com Copa freia protestos nas redes sociais no Brasil e no mundo

Globo Esporte
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Relatório
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.3%
Depois da Copa das Confederações de 2013 serem marcadas pelas manifestações contrárias à realização e gastos excessivos para o Mundial do Brasil – tanto nas ruas quanto na internet -, a impressão de que houve uma queda nos protestos da Copa do Mundo do Brasil se confirma com uma ampla pesquisa nas redes sociais. Em monitoramento de mais de 11 milhões de mensagens de Twitter no Brasil e no mundo, o número de menções a protestos é de apenas 17 mil – percentualmente, significa dizer que apenas 0,15% das mensagens escritas no microblog fazem referência a problemas no Mundial.

Em pesquisa, 64% dos policiais assumem não ter treinamento adequado para lidar com protestos

OGLOBO
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Relatório
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.14%
Apenas 10% apontaram como correto o comportamento dos policiais nas manifestações Outros 19% responderam que ‘alguns colegas não agiram da forma certa, mas não se pode generalizar’ Manifestantes fugindo de bombas de gás lacrimogêneo e vandalismo eram cenas finais de um enredo que se tornou conhecido no fim de muitos protestos, desde de junho do ano passado. Sete meses depois de a população tomar as ruas, uma pesquisa da Fundação Getulio Vargas ( FGV ) revela como as próprias forças de segurança se sentem despreparadas para agir diante dos grandes atos — que prometem se repetir durante a Copa do Mundo. Ao todo, 64% dos policiais militares e civis entrevistados admitiram não ter recebido orientação e treinamento adequado para lidar com as manifestações e os black blocs.

Policiais não sabem como conter protestos violentos

OGLOBO
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Relatório
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.14%
A pesquisa sobre a percepção dos policiais a respeito dos manifestantes e do movimento black bloc, produzida pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas (DAPP- FGV ) e obtida pelo GLOBO, fez um raio X do que pensam os policiais sobre os protestos, os black blocs e sua própria forma de agir diante deles. Foram feitas 5.304 entrevistas, sendo 4.499 com policiais militares e 805 com policiais civis de todas as regiões do país. O levantamento foi realizado pela internet, a partir de um cadastro que reúne nomes desses profissionais de todo o Brasil, entre 26 de novembro de 2013 e 14 de janeiro deste ano.

“Minga” e AIR em perspectiva comparada : formas e significados nos protestos indígenas na Colômbia e no Brasil

Ruano Ibarra, Elizabeth del Socorro
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
27.42%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Sociais, Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas, Programa de Doutorado, 2013.; Esta tese analisou, em perspectiva comparada, a “MINGA” e o AIR, protestos indígenas complexos realizados na Colômbia e no Brasil, respectivamente. O termo “MINGA”, sempre entre aspas e letras maiúsculas, busca diferenciar o protesto analisado nesta tese de outros fenômenos que também adotaram essa nomeação. Metodologicamente,optou-se por uma abordagembaseadana etnografia histórica,na análise do discurso críticae na comparação analítica de casos específicos destacando os dados empíricos.A pesquisadocumentalabrangeu149 documentos,observações diretas durante aproximadamente seis meses–dezembro de 2010 até fevereiro de 2011 e julho a setembro de 2010 – e 21 entrevistas com líderes dos dois protestos e com representantes de instituições indigenistas não governamentais. A partir do protesto como objetode estudo e de conceitos partilhados por diferentes disciplinas buscou-se explorar a abordagem interdisciplinar. A noção enquadramentos da ação coletiva demostrou sua eficácia analítica nos estudos sobre o protesto social na sociologia...

Protestos rurais em Pernambuco, Brasil: 1964 a 1968

Koury, Mauro Guilherme Pinheiro
Fonte: Editora Mundos Sociais Publicador: Editora Mundos Sociais
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.14%
Este artigo objetiva passar em revista os protestos e as greves rurais na agroindústria açucareira de Pernambuco, Brasil, no período compreendido aos anos de 1964 a 1968, e levantar algumas questões sobre o processo de reestruturação do movimento sindical rural após a instauração da ditadura militar no Brasil em 1964.; The objective of this article is to re-examine the rural protests and strikes in the sugar industry in Pernambuco, Brazil, between the years 1964 and 1968, and to raise certain issues regarding the process of reorganizing the rural trade union movement after the installation of the military dictatorship in Brazil in 1964.; Cet article passe en revue les protestations et les grèves rurales dans l’agro-industrie sucrière de Pernambuco, au Brésil, pendant les années 1964 à 1968, et il soulève quelques questions sur le processus de restructuration du mouvement syndical rural après l’instauration de la dictature militaire au Brésil en 1964.; Este artículo pretende revisar las protestas y huelgas rurales en la agroindustria azucarera de Pernambuco, Brasil, en el periodo comprendido en los años de 1964 a 1968, y levantar algunas cuestiones sobre el proceso de reestructuración del movimiento sindical rural después de la instauración de la dictadura militar en Brasil en 1964.

Protestos sociais em Moçambique: Uma agenda de pesquisa

Mutzenberg, Remo
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /04/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.14%
A África, na última década, passou a ser lócus de investimentos de empresas internacionais, particularmente no campo da exploração de recursos naturais. A empresa brasileira Vale do Rio Doce é uma destas empresas que vem investindo na exploração do carvão em Moçambique. Por um lado, a presença da Vale em Tete-Mz gerou expectativas de desenvolvimento e é considerada como investimento importante para o desenvolvimento econômico do país. Por outro lado, essa presença e seus desdobramen- tos no campo social, ambiental e frustrações de expectativas da população têm gerado protestos de diferentes ordens. O texto busca situar a presença da Vale do Rio Doce, e de outras empresas brasileiras, em África, no quadro da diplomacia política e econômica brasileira, assumida na última década, e da política de incentivos adotados pelos países em África para atrair investimentos, particularmente em Moçambique. Segue análise da Vale em Moçambique, ao lado de outros projetos de mineração. Destaca-se uma análise das manifestações, ocorridas a partir de 2012, pelos reassentados da Vale, situando esses confrontos como parte visível das tensões geradas pela presença, não só da Vale, pelos megaprojetos de mineração. Coloca-se a questão de como esses confrontos se articulam com um movimento latente...

Protestos sociais em Marrocos

Pereira, Hugo Miguel Maia da Silva
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
27.3%
Dissertação apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Mestre em Antropologia; Esta dissertação debruça-­‐se sobre o impacto da chamada primavera árabe em Marrocos, onde por influência dos vários protestos sociais noutros países a parWr de dezembro de 2010, nomeadamente na Tunísia, Egito, Iémene, Líbia e Síria, se formou o Movimento 20 de Fevereiro (M20F), um movimento de jovens que pretende não ter líderes e que adota como slogan principal “liberdade, dignidade e jusWça social”. Desde a sua criação, que este movimento reclama uma maior democraWzação da sociedade e protesta contra o autoritarismo, a falta de transparência, a má governação e a corrupção, exigindo mais respeito pelos direitos humanos, apesar de se compor de várias tendências sobre estas questões, que por vezes entraram em conflito. Este movimento é visto do ponto de vista histórico em relação não apenas aos outros movimentos similares nos outros países árabes mas também a outros movimentos que o precederam desde a independência de Marrocos em 1956 até ao período imediato que antecedeu a sua criação, traçando uma genealogia do atual M20F, contrariando a ideia generalizada de uma certo adormecimento políWco e social reinante nos países árabes em todo o período contemporâneo que antecedeu a primavera árabe...

Conhecimento sobre ação coletiva e movimentos sociais: pontos para uma análise dos protestos sociais em África

Mutzenberg,Remo
Fonte: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília Publicador: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
ResumoO texto se propõe a analisar um conjunto de questões pertinentes ao campo dos estudos sobre ações coletivas, desenvolvidas particularmente nos Estados Unidos, e sobre os movimentos sociais, desenvolvidas predominantemente na Europa, objetivando colocar em evidência questões, princípios e conceitos. Num segundo momento, busca identificar tendências e perspectivas presentes na tradição dos estudos sobre ações coletivas e movimentos sociais em África, levando em consideração a problematização quanto ao uso daquelas tradições, sua pertinência e limites. Tal procedimento visa identificar um repertório para a construção de caminhos na análise de protestos sociais. Partindo da literatura produzida no campo temático das ações coletivas e dos movimentos sociais, o texto tem por objetivo indicar possíveis caminhos analíticos orientadores ao desenvolvimento de pesquisa para a análise de "protesto social", entendidos estes como forma de ação coletiva ou momentos de visibilidade de um movimento social. Considera-se que a análise dos protestos sociais leva a reconhecer o legado teórico e metodológico referente à análise das ações coletivas e dos movimentos sociais e, ainda, possibilita a identificação de temas e questões que emergem a partir dos próprios contextos sociais e que não são problematizados no campo teórico.

Abertura política, militância múltipla e protestos públicos em defesa de causas ambientais; Abertura política, militância múltipla e protestos públicos em defesa de causas ambientais

Oliveira, Wilson José Ferreira de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
Esse artigo examina as condições de emergência e as dinâmicas de utilização de manifestações e de protestos públicos na defesa de causas ambientais. A metodologia focalizou as relações entre o uso de tais formas de protesto, os tipos de causas defendidas e as características sociais das organizações e das lideranças que promovem e sustentam tais mobilizações. A pesquisa demonstrou que as modificações dos repertórios de ação colocados em prática na defesa ambiental estão relacionadas à ampliação dos usos instrumentais da escolarização e da formação profissional, à intensificação do fenômeno da militância múltipla e à transformação das bases sociais e das dinâmicas de ingresso em tal militantismo.; This article examines the conditions of emergency and the dynamic of use of manifestations and public protests in the defense of environmental causes. The methodology focused the relations between the use of such forms of protest, the types of defended causes and the social characteristics of the organizations and the leaderships that promote and support such mobilizations. The research demonstrated that the modifications of repertoires of action in the defense of environmental causes are related to the increase of the instrumental uses of the university and professional formation...

Thompson, o marxismo e o estudo dos protestos populares

J. Munhoz, Sidnei; Universidade Estadual de Maringá
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2004 POR
Relevância na Pesquisa
37.14%
Este artigo discute a influência dos trabalhos de E. P. Thompson nos estudos sobre os protestos sociais, principalmente aqueles caracterizados pela ação das multidões.

1984, 1992 e 2013. Sobre ciclos de protestos e democracia no Brasil

Tatagiba, Luciana; Universidade Estadual de Campinas
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.5%
http://dx.doi.org/10.5007/2175-7984.2014v13n28p35Esse ensaio analisa o ciclo de protestos contra o aumento da tarifa do transporte público em 2013 a partir da comparação com dois outros ciclos de protestos de nossa história recente: as Diretas Já, em 1984, e o Fora Collor, em 1992. O objetivo é explorar a forma que a mobilização assumiu, o seu como, a partir de três eixos de comparação: a construção simbólica dos protestos, a infraestrutura de mobilização e as performances confrontacionais. A análise busca responder a duas questões centrais: quais as inovações e continuidades dos protestos de 2013, em relação às campanhas de 1992 e 1984? E o que essas diferenças nos revelam sobre os avanços e os desafios da democracia brasileira hoje?

AS VOZES DAS RUAS - CERTEZAS E INDEFINIÇÕES NOS PROTESTOS DE POPULARES DE 2013

Borges, Pedro Célio Alves; Universidade Federal de Goiás; Rodrigues, Juliano Martins; Controladoria Geral do Estado de Goiás.; Borges, Leandro Bernardes; Pontifícia Universidade Católica de Goiás; Landeiro, Marina Lemes; Universidade Estadual do Am
Fonte: Thesaurus Editora Publicador: Thesaurus Editora
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 05/11/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
As interpretações dos protestos que em 2013 emergiram nas ruas das maiores cidades brasileiras aos poucos vão confirmando a heterogeneidade dos desejos e tendências presentes nas reivindicações por mudanças. Por um lado, registrou-se com rapidez a indignação generalizada contra os políticos e o sistema político, além de denúncias enfáticas da precariedade dos serviços públicos. Por outro, somente com o passar do tempo vão se caracterizando que sentidos e orientações políticas conservadoras, no limite, reacionárias, também compartilharam os slogans e as bandeiras das ruas. Este artigo reúne anotações de pesquisa feitas em 2012, 2013 e 2014, com a técnica de grupos focais, em três cidades do centro-oeste do país, que realçam as semelhanças dos discursos nos protestos com os argumentos dos entrevistados. A partir daí, destaca alguns contéudos relacionados às demandas por uma nova forma da política.

Crise de representação política no Brasil e os protestos de junho de 2013 │ Crisis of political representation in Brazil and the protests of June 2013

Santos, Eduardo Heleno
Fonte: Ibict Publicador: Ibict
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 27/05/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
RESUMO Este artigo procura, sob o olhar da ciência política, traçar algumas explicações para os protestos de junho de 2013. As manifestações ocorridas naquele período se tornaram um interessante fenômeno para análise política por seu acentuado simbolismo, em que pese o pouco efeito prático que trouxe para a efetivação de mudanças sociais. Ao longo desse ensaio, será feita uma breve descrição dos protestos, a análise de possíveis relações com o ciclo de atividade política brasileira, a avaliação do que as manifestações trouxeram de novo ao repertório sócio-político e a interpretação do que foi o movimento iniciado nas ruas das grandes metrópoles.Palavras-chave: Crise política; Representação; Mídias sociais; Protestos de junho.      ABSTRACT This article seeks, within the framework of political science, to draw some explanations for the protests of June 2013 in Brazil. The manifestations that occurred in that period have become an interesting phenomenon for political analysis for its sharp symbolism in spite of the little practical effect it had on effective social changes. Throughout this essay...

Protestos pela ótica do Google Glass: uma análise das potencialidades de amplificação da vigilância do cidadão │ Protests seen through Google Glass: an analysis of potential amplification of citizen surveillance

Pellanda, Eduardo Campos; PUCRS
Fonte: Ibict Publicador: Ibict
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Revisão de Literatura; Formato: application/pdf
Publicado em 28/05/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
RESUMO O contexto da mobilidade da informação inaugurou uma nova perspectiva para diferentes formas de protestos. Agora, com a iminência de produtos comerciais que fazem parte de uma categoria chamada “computação de vestir”, ou wearables, temos novos debates de potencialidades. Este texto usa como exemplo desta categoria o Google Glass que está em testes por diversas pessoas e deve se tornar um produto comercial em breve. O artigo analisa os protestos e manifestações urbanas no contexto da mobilidade, vigilância e relações do corpo na cidade.Palavras-chave: Mobilidade; Protestos; Wearables; Google Glass, Vigilância.  ABSTRACT The context of mobility of information opened up a new perspective for different forms of protests. Now, with the imminent commercial products that are part of a category called  wearables, we have new discussions on potentials. This text uses the example of Google Glass, already being used in test trials, which should become a commercial product soon. This article looks at protests in the context of mobility, surveillance and body relations in the city.  Keywords: Mobility; Protests; Wearables; Google Glass; surveillance.

Protestos rurais em Pernambuco, Brasil: 1964 a 1968

Koury,Mauro Guilherme Pinheiro
Fonte: Editora Mundos Sociais Publicador: Editora Mundos Sociais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.14%
Este artigo objetiva passar em revista os protestos e as greves rurais na agroindústria açucareira de Pernambuco, Brasil, no período compreendido aos anos de 1964 a 1968, e levantar algumas questões sobre o processo de reestruturação do movimento sindical rural após a instauração da ditadura militar no Brasil em 1964.

Os Protestos no Brasil. Um estudo sobre as pesquisas na web, e o caso da Primavera Brasileira

Perez Bernardes de Moraes,Thiago; Mottinha Santos,Romer
Fonte: Universidad Autónoma de Asunción Publicador: Universidad Autónoma de Asunción
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 ES
Relevância na Pesquisa
37.42%
Junho de 2013 ficou conhecido como a “Primavera Brasileira”, por conta de uma grande onda de protestos, sem precedente na historia. Ao que parece tal movimento tomou corpo, sobretudo por conta da dinâmica das redes sociais. Neste trabalho utilizamos duas ferramentas, o Google Trends e o Meltwalter IceRocket, para testar a frequência de determinados termos ligados aos protestos e as pautas do mesmo na busca do Google e a frequência de entrada dos mesmos termos nos Blogs no período de junho de 2013. Tanto a frequência de entrada em blogs, como de buscas no Google, foi maior para a palavra chave protestos do que para as variáveis ligadas as pautas políticas.

A privação relativa e o ativismo em protestos no Brasil: uma investigação sobre o horizonte do possível

Mendonça, Clarice; Fuks, Mario
Fonte: CESOP/UNICAMP Publicador: CESOP/UNICAMP
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares; Pesquisa qualitativa Formato: application/zip
Publicado em 11/12/2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
Este artigo analisa a relação entre a privação relativa e a participação política em protestos no Brasil, buscando entender o papel específico da percepção da ampliação do horizonte de possibilidades para o comportamento político contestatório. A privação relativa é aqui entendida como "resultado de uma percepção de carências, relativas a outros que não as sofrem, carências que não deveriam existir ou que podem desaparecer" (Santos, 2006, p. 148). O hiato entre o lugar social ocupado e o patamar que o indivíduo avalia que pode alcançar se intensifica quando ocorre a ampliação do horizonte de possibilidades, ou seja, da percepção de que essa progressão na condição de vida é factível. Quanto maior o hiato, maior a probabilidade de envolvimento em protestos (Gurr, 1971). A partir dos dados do survey Barômetro das Américas 2012, constatou-se que a ampliação do horizonte do possível está de fato relacionada ao ativismo em protestos, corroborando a hipótese de que a privação relativa, na recente história do Brasil, tem influência importante sobre o ativismo político.AbstractThis article analyzes the relationship between relative deprivation and political participation in protests in Brazil, seeking to understand the specific role of the widening of the horizon of possibilities for contesting political activism. The relative deprivation is here understood as "the result of a perception of needs...