Página 1 dos resultados de 3669 itens digitais encontrados em 0.011 segundos

Efeito da associação de enalapril e losartan sobre proteinúria e marcadores inflamatórios na nefropatia diabética: ensaio clínico em DM tipo 2; The effect of enalapril and losartan association therapy on proteinuria and inflammatory biomarkers in diabetic nephropathy: clinical trial on type 2 DM

Titan, Silvia Maria de Oliveira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/02/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.23%
O tratamento combinado com IECA e BRA foi proposto como alternativa para o tratamento da ND. Nosso objetivo foi avaliar se o tratamento IECA+BRA era superior ao tratamento com IECA em termos de proteinúria e excreção urinária de marcadores inflamatórios. Cinqüenta e seis pacientes com ND iniciaram o uso de enalapril. Após 4 meses, os pacientes passaram a receber losartan (Grupo E+L) ou placebo (Grupo E). As incidências de hipercalemia (HK) e deterioração aguda da função renal (DAFR) foram avaliadas. A análise de ANOVA de medidas repetidas não revelou diferença entre os grupos, mas, após ajustes, a progressão da proteinúria foi pior no Grupo E+L. A proteinúria final mostrou-se significativamente maior no Grupo E+L (proteinúria final estimada de 1,2 vs 2,6 g/d/1.73m2, p= 0.03). Os resultados foram confirmados nos modelos de regressão logística. Ocorreram 7 eventos de HK (12,6%) e 9 de DAFR (16,1%). Nossos dados sugerem que, em ND avançada, o tratamento combinado IECA+BRA não seja superior ao tratamento com IECA isoladamente em relação à proteinúria e marcadores inflamatórios.; Combined treatment with an ACE inhibitor (ACEI) and an angiotensin II receptor blocker (ARB) has been proposed for diabetic nephropathy (DN) treatment. In this study we compared the effect of association therapy versus ACEI on proteinuria progression and on urinary inflammatory biomarkers in DN. Fifty-six patients with DN were started on enalapril. After 4 months...

Estudo da progressão da doença renal crônica em cães, segundo a classificação em estágios, pela avaliação sequencial da proteinúria pela eletroforese de proteínas urinárias e determinação de albuminúria; Study of chronic kidney disease progression in dogs, according to the stages classification, through the sequential evaluation of proteinuria by urine protein electrophoresis and determination of albuminuria

Waki, Mariana Faraone
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.25%
Durante a evolução da doença renal crônica (DRC) em cães, um dos mecanismos importantes envolvidos na autoperpetuação e progressão da lesão renal envolvem, teoricamente, o comprometimento inicial do glomérulo pelo mecanismo de hiperfiltração glomerular, e este processo pode acarretar no desenvolvimento de microalbuminúria ou de proteinúria pela presença de proteínas de alto peso molecular (albumina). Com o progredir da doença, as altas concentrações de proteína no filtrado glomerular pode também desencadear lesões tubulares e intersticiais, ocasionando a perda urinária também de proteínas de baixo peso molecular (PM) pelo comprometimento da reabsorção dessas proteínas pelos túbulos renais. Outras teorias de progressão da lesão renal também são suscitadas tais como o comprometimento inicial da porção túbulo-intersticial. Assim, espera- -se que durante a evolução da DRC, a avaliação das proteínas urinárias quanto à qualidade (determinação de albumina e os pesos moleculares) e a quantidade possam trazer informações relevantes sobre a velocidade de progressão e o local da lesão renal. O objetivo deste estudo foi de avaliar, sequencialmente, a albuminúria e a proteinúria (pelos métodos quantitativos e qualitativos - eletroforese de proteínas) dos cães com DRC nos estágios 1...

Avaliação sequencial da proteinúria, albuminúria e eletroforese de proteínas urinárias durante a evolução do diabetes mellitus em cães; Evaluation of proteinuria, albuminúria and electrophoresis of urine protein during the progression of diabetes mellitus in dogs

Martorelli, Cínthia Ribas
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/07/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.16%
O Diabetes Mellitus (DM) desenvolve pela deficiência de insulina, caracterizada por hiperglicemia crônica. Complicações são freqüentes e incluem: catarata, retinopatia, infecções recorrentes e cetoacidose. A hiperglicemia crônica pode promover diversas complicações a longo prazo, como a nefropatia diabética (ND). Nos humanos diabéticos, a alteração renal é uma das complicações mais importantes, caracterizada pela lesão glomerular associada usualmente a hipertensão arterial sistêmica. Diversos mecanismos foram propostos tais como em decorrência da hiperglicemia crônica por lesão nos podócitos e lesão túbulointersticial. Contudo, nos cães, até o momento, existem poucos estudos que demonstram a relação entre DM e lesão renal. Perda de proteína urinária, principalmente albumina, é uma característica de doença glomerular. Portanto, para o diagnóstico de ND foram avaliados: razão proteína: creatinina urinária (RPC), razão albumina: creatinina urinária (RAC), microalbuminúria e eletroforese proteínas urinárias utilizando gel de poloacrilamida (SDS-PAGE). O objetivo deste estudo foi avaliar, de modo seqüencial, a proteinúria e a albuminúria durante a progressão do DM. Quatorze cães diabéticos (Grupo A= 10 cães; Grupo B=4 cães que evoluíram posteriormente com doença concomitante)...

Lesão podocitária na nefrite lúpica membranosa pura e proliferativa: mecanismos distintos de proteinúria?; Podocyte injury in pure membranous and proliferative lupus nephritis: distinct underlying mechanisms of proteinuria?

Rezende, Gabriela de Mendonça
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
Proteinúria é a principal manifestação da nefrite lúpica (NL) e reflete lesão no podócito. Análise dos biomarcadores do podócito foi realizada com o objetivo de identificar se o fenótipo podocitário é distinto na NL membranosa pura e proliferativa. Expressão de sinaptopodina, proteína 1 do tumor de Wilms (Wilms tumor protein 1 - WT1), proteína epitelial glomerular 1 (glomerular epitelial protein 1 - GLEPP1) e nefrina foi avaliada em 52 biópsias de NL por imunohistoquímica. Expressão preservada de sinaptopodina foi observada em apenas 10 (19,2%) de todas as biópsias enquanto que 42 (80,8%) apresentavam expressão reduzida. Ambos os grupos tinham proteinúria semelhante no momento da biópsia (p = 0,22), porém, no seguimento médio de quatro anos houve uma tendência para menores níveis médios de proteinúria nos pacientes com marcação preservada de sinaptopodina (0,26 ± 0,23 vs 0,84 ± 0,90 g/24 h, p = 0,05) do que naqueles com expressão reduzida. Trinta e nove (75%) biópsias foram classificadas como proliferativa e treze (25%) como membranosa pura. Comparação dos biomarcadores do podócito demonstrou predomíno de marcação preservada de sinaptopodina (69,2%), WT1 (69,2%), GLEPP1 (53,9%) e nefrina (60%) no grupo membranosa pura enquanto apenas < 10% das proliferativas apresentaram expressão preservada. Nossos dados sugerem que nas classes proliferativas parece haver lesão estrutural do podócito...

Associação entre proteinúria e desfechos maternos e perinatais em gestantes com hipertensão arterial

Martins-Costa, Sérgio Hofmeister de Almeida
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.13%
Objetivo: Comparar níveis de proteinúria com desfechos maternos e perinatais em gestantes com hipertensão arterial. Métodos: Foram revisados 370 prontuários de gestantes com hipertensão arterial e estratificados em 4 grupos segundo diferentes níveis de proteinúria de 24 horas (1: < 300 mg/24h; 2: 300-1999 mg/24h; 3: > 2000 mg/24h; 4: > 3000 mg/24h) e em 3 grupos segundo os níveis da relação proteinúria / creatininúria (5: RPC < 0,3; 6: RPC 0,3-1,99; 7: RPC > 2,0) e comparados com desfechos compostos maternos e perinatais. Os desfechos foram ajustados para as seguintes variáveis: idade materna, cor da pele, índice de massa corporal, tabagismo, número de gestações prévias e idade gestacional ao nascimento. Resultados: Na análise da proteinúria de 24 horas (grupos 1, 2, 3 e 4) as ORs para que ocorresse um desfecho materno composto foram de: 1,9 (IC95%; 1,1-3,3) entre os grupos 1 e 2; de 2,9 (IC95%; 1,4-6,0) entre os grupos 1 e 3; e de 3,4 (IC95%; 1,5-7,8) entre os grupos 1 e 4. Para desfechos perinatais compostos, as ORs foram de: 2,5 (IC95%; 1,3-4,7) entre os grupos 1 e 2; de 3,2 (IC95%; 1,5-7,0) entre os grupos 1 e 3; e de 4,0 (IC95%; 1,7-9,1) entre os grupos 1 e 4. Na análise da RPC (grupos 5,6 e 7) as ORs para a ocorrência de um desfecho materno composto foram de 1...

Efeito do uso de baixas doses de inibidor da enzima conversora da angiotensina sobre a proteinuria pos transplante renal

Luis Guilherme Camargo Salvatti
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.26%
Proteinúria pós transplante renal é associada a uma menor sobrevida, tanto de enxerto como de paciente. Proteinúria> 5 gramas/dia está associada a progressão mais rápida, com maior mortalidade. O uso de inibidores da enzima conversora da angiotensina (iECA) tem sido proposto para reduzir a proteinúria em inúmeras doenças renais, entre elas a nefropatia crônica do transplante. No presente estudo, os autores analisaram o efeito de baixas doses de enalapril (2,5 mg/dia) sobre a proteinúria e a função renal de 23 transplantados renais, comparando os resultados com os de um grupo de controle histórico. Critérios de inclusão foram ausência de estenose de artéria renal do enxerto, proteinúria persistente pós transplante e função renal normal. Os pacientes foram tratados por um período mínimo de 12 meses, sem alteração da dose de enalapril. Os pacientes do grupo tratamento apresentaram redução da proteinúria a partir do primeiro mês de tratamento, e este efeito foi mantido pelo período de 1 e 4 anos de acompanhamento. Não ocorreram alterações da função renal, medida através da creatinina sérica. Nos pacientes do grupo controle histórico, proteinúria nefrótica persistiu durante o acompanhamento de 1 ano...

Proteinuria glomerular : correlação entre seletividade e disfunção tubular; Glomerular proteinuria: urinary excretion of alpha 1 microglobulin and its correlation to selectivity index

Adriana Celeste Gebrin
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/08/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.27%
Proteinuria glomerular está freqüentemente associada à disfunção túbulo-intersticial. O índice de seletividade (IS) da proteinuria é usado para descrever mudanças na permeabilidade glomerular a macromoléculas. O presente estudo tem por objetivo analisar a correlação entre o grau de disfunção tubular (caracterizada pela excreção urinária de alfa 1 microglobulina), os níveis de excreção urinária de IgG e o índice de seletividade glomerular Foram estudadas 84 amostras de urina e soro de 47 pacientes com proteinuria glomerular de diversas etiologias. Albumina urinária, transferrina sérica e urinária, IgG sérica e urinária (IGU) e alfa 1 microglobulina urinária (AIM) foram dosadas por nefelometria. Proteinuria e creatinina urinária foram dosados através de método automatizado (vermelho de pirogalol e Jaffé modificado, respectivamente), sendo a creatinina utilizada para corrigir a excreção urinária de cada uma das proteínas específicas. O índice de seletividade (IS) foi calculado dividindo-se o depuração da transferrina pelo depuração do IgG. Teste de regressão, ANOVA e teste t não pareado foram utilizados para a análise estatística.Baseando-se no (IS), as proteinurias foram classificados em 3 grupos IS<0...

Avaliação da proteinúria como marcador de lesão/doença renal subclínica em cães

Marinho, Tatiana Rodrigues
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.29%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária, Ciências Veterinárias; A proteinúria renal é considerada o marcador clinicopatológico de doença renal crónica em cães e gatos, previamente à manifestação de azotemia. Além disso, a sua presença pode contribuir para a progressão da doença renal crónica. Assim, o principal objetivo deste trabalho foi detetar a presença de lesão ou doença renal subclínica, através da avaliação de proteinúria renal, em animais aparentemente saudáveis. Integram este estudo 82 cães com idade igual ou superior a sete anos e sem presença de sinais clínicos compatíveis com lesão ou doença renal. A todos os animais for recolhida urina por cistocentese ecoguiada e realizada uma análise de urina tipo II. Os animais com presença de sedimento urinário ativo foram excluídos deste estudo. Nos animais com proteinúria, sem sedimento urinário ativo, foram realizadas mais uma ou duas reavaliações, com a tira reativa de urina e com intervalos de 7 a 10 dias, para confirmar a proteinúria. Nos animais com proteinúria persistente na tira reativa de urina, foi determinado o rácio proteína/creatinina urinário, tendo sido avaliada ainda a dimensão renal por ecografia e...

Proteinuria in cystic fibrosis: a possible correlation between genotype and renal phenotype

Cemlyn-Jones, J; Gamboa, F
Fonte: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra Publicador: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 ENG
Relevância na Pesquisa
37.1%
OBJECTIVE: To assess proteinuria in patients with cystic fibrosis (CF), and to correlate proteinuria with genotype, CF-related diabetes and disease severity. METHODS: A prospective study was carried out over a six-month period and involving 22 CF patients. After the collection and analysis of 24-h urine samples, the patients were divided into two subgroups: protein excretion < 150 mg/day (low-proteinuria); and protein excretion > 150 mg/day (highproteinuria). Patient charts were reviewed to obtain data on genotype and CF-related diabetes. Disease severity was assessed based on acute exacerbations in the last six months and FEV1 measured during the study period. To assess the correlation between genotype and proteinuria, the two main mutations (DeltaF508 and R334W) were evaluated. Due to the existence of genotype DeltaF508/R334W, two categories were created to enable statistical analysis, DeltaF508 being evaluated in category 1 and R334W being evaluated in category 2. RESULTS: The DeltaF508 mutation tended to be associated with normal protein excretion: 100% of the low-proteinuria subgroup patients were considered DeltaF508 in category 1, compared with 86.7% in category 2. Protein excretion tended to be higher in patients with the R334W mutation: 60.0% of the high-proteinuria subgroup patients were considered R334W in category 1...

Gross proteinuria is a strong risk predictor for cardiovascular mortality in Brazilian type 2 diabetic patients

Cardoso,C.R.L.; Salles,G.F.
Fonte: Associação Brasileira de Divulgação Científica Publicador: Associação Brasileira de Divulgação Científica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2008 EN
Relevância na Pesquisa
37.1%
Increased proteinuria is recognized as a risk predictor for all-cause and cardiovascular mortality in diabetic patients; however, no study has evaluated these relationships in Brazilian patients. The aim of this study was to investigate the prognostic value of gross proteinuria for all-cause and cardiovascular mortalities and for cardiovascular morbidity in a cohort study of 471 type 2 diabetic individuals followed for up to 7 years. Several clinical, laboratory and electrocardiographic variables were obtained at baseline. The relative risks for all-cause, cardiovascular and cardiac mortalities and for cardiovascular and cardiac events associated with the presence of overt proteinuria (>0.5 g/24 h) were assessed by Kaplan-Meier survival curves and by multivariate Cox regression model. During a median follow-up of 57 months (range 2-84 months), 121 patients (25.7%) died, 44 from cardiovascular and 30 from cardiac causes, and 106 fatal or non-fatal cardiovascular events occurred. Gross proteinuria was an independent risk predictor of all-cause, cardiovascular and cardiac mortalities and of cardiovascular morbidity with adjusted relative risks ranging from 1.96 to 4.38 for the different endpoints. This increased risk remained significant after exclusion of patients with prior cardiovascular disease at baseline from the multivariate analysis. In conclusion...

Relação proteína/creatinina na urina versus proteinúria de 24 horas na avaliação de nefrite lúpica

Solorzano,Grace Tamara Moscoso; Silva,Marcus Vinicius Madureira e; Moreira,Sílvia Regina; Nishida,Sonia Kiyomi; Kirsztajn,Gianna Mastroianni
Fonte: Sociedade Brasileira de Nefrologia Publicador: Sociedade Brasileira de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.25%
INTRODUÇÃO: Tem-se defendido a utilização do índice urinário proteína e creatinina em substituição à determinação de proteinúria de 24 horas para acompanhamento de doenças glomerulares, considerando-se as vantagens de maior facilidade na coleta e o menor custo. Entretanto, há dúvidas quanto à pertinência de usar este índice tanto numa avaliação isolada como no seguimento de pacientes com nefrite lúpica. OBJETIVO: Avaliar as determinações de proteinúria de 24 horas e proteinúria em amostra isolada de urina, fazendo a correção pela creatinina urinária, relação proteinúria/creatininúria, em indivíduos com nefrite lúpica. MÉTODOS: Determinações de proteinúria de 24 horas e relação proteinúria/creatininúria por métodos convencionais (Pirogalol automatizado para proteinúria e picrato alcalino para creatinina). RESULTADOS: Foram comparadas 78 amostras de urina de 41 pacientes com diagnóstico de lúpus eritematoso sistêmico, segundo os critérios da Associação Americana de Reumatologia, com nefrite lúpica, constatando-se uma boa correlação entre proteinúria de 24 horas e relação proteinúria/creatininúria (r = 0,9010 e r² = 0,813). Não se observou, entretanto, uma boa correlação entre proteinúria em amostra isolada (sem correção pela creatinina urinária) versus aquela de 24 horas (r = 0...

Proteinúria nas síndromes hipertensivas da gestação: prognóstico materno e perinatal

Coelho,Tarcísio Mota; Martins,Marília da Glória; Viana,Eder; Mesquita,Maria Rita de Sousa; Camano,Luiz; Sass,Nelson
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
OBJETIVO: Avaliar o valor prognóstico da proteinúria nas gestantes com síndromes hipertensivas nos desfechos maternos e perinatais. MÉTODOS: Estudo transversal retrospectivo de 334 gestantes com síndromes hipertensivas que pariram no Hospital São Paulo na disciplina de Obstetrícia da UNIFESP/EPM, no período de 1º de janeiro de 1999 a 31 de dezembro de 2002. RESULTADOS: Após a revisão dos prontuários, as pacientes foram divididas em quatro grupos: I sem proteinúria (n-203), II com proteinúria de 0,3 a 1g (n-39), III de 1 a 2g (n-45) e grupo IV de 2g ou mais (n-47). Na ausência da proteinúria houve um caso de descolamento prematuro da placenta. Com proteinúria observou-se desfechos maternos adversos, com a presença das complicações, proporcional à elevação da proteinúria, sendo a síndrome HELLP a mais freqüente com 30,5% (40/131) seguida da eclâmpsia com 3,8% (5/131), DPP 3,01% (4/131) e insuficiência renal 0,7% (1/131). Foi constatado um óbito materno nesse grupo, perfazendo-se o CMM de 763100.000/n.v. Em relação aos desfechos perinatais, no grupo sem proteinúria não houve elevação dos efeitos adversos. Na presença da proteinúria e a elevação dos seus níveis observou-se pior prognóstico perinatal com os seguintes indicadores: aumento da prematuridade (62...

Acurácia diagnóstica da razão proteinúria/creatininúria em pacientes com suspeita de síndrome de pré-eclâmpsia: revisão sistemática e metanálise de estudos diagnósticos

Pozza, Roberta
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.2%
INTRODUÇÃO: O teste de laboratório padrão-ouro para identificação de proteinúria em mulheres grávidas é a sua medição em amostra de urina de 24 horas. A razão de proteínas e creatinina na urina em amostra isolada tem sido sugerida como uma opção para uma coleta de urina de 24 horas. Proteinúria é uma característica diagnóstica da síndrome pré-eclâmpsia. O presente estudo visa estimar a precisão do diagnóstico pela relação de proteínas e creatinina na urina, em comparação a determinação de proteinúria em 24 horas de mulheres com suspeita de síndrome pré-eclâmpsia.MÉTODOS: revisão sistemática e meta-análise foram empregadas na comparação da precisão da relação proteína-creatinina em amostras de urina isolada, com a proteína urinária excretada em 24 horas. A consulta utilizou as bases de dados Medline e LILACS eletrônico (a Fev/10) como fonte de dados.RESULTADOS: A revisão incluiu 14 estudos com um total de 2. 255 pacientes. A inclusão do banco de dados LILACS adicionou um novo artigo à amostra. O método de avaliação da excreção urinária de proteína diferiu entre os estudos e não foi mencionado em três. Todos os estudos demonstraram correlação significativa entre a proteína e creatinina e proteinúria de 24 horas...

Impacto das alterações ponderais na filtração glomerular e proteinúria em doadores renais

Soares, Letícia Borges Mendonça
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.24%
Introdução: A nefrectomia (Nx) para doação renal intervivos é respaldada por trabalhos que relatam poucas alterações clínicas a longo prazo para os doadores. Mas os parâmetros de avaliação são os mesmos empregados para a população geral. Assim, é necessário rever a adequação destes valores e avaliar doadores obesos, visto que a incidência de obesidade está aumentando mundialmente. Objetivo: Avaliar o impacto das variações ponderais e dos valores utilizados como referência para normalidade na função renal de doadores renais. Métodos: O estudo é uma série de casos, com 48 doadores renais, submetidos à uninefrectomia, entre 1983 e 2006. Foram avaliados dados antropométricos, pressão arterial sistêmica, taxa de filtração glomerular estimada (eTFG) pelo clearance de creatinina e proteinúria de 24h. Resultados: A eTFG em 52,08% da amostra apresentava-se entre 60 e 89 ml/min sendo que apenas 4,2% apresentavam eTFG ≥ 120 ml/min. Pode-se inferir que 77,1 % estão submetidos à hiperfiltração, se considerarmos como valor normal para rim único 50% do valor de 120 ml/min utilizado para a população com 2 rins. Em 22,9% observou-se a presença de proteínas na urina, mas se utilizando o mesmo raciocínio anterior e tomando como valor de referência 75mg/24h...

Evaluación de la proteinuria en perros con enfermedad de cusching, previo y posterior al tratamiento con ácido retinoico y ketoconazol.

Martiarena, Beatriz; Madalena, Leticia; Mira, Graciela; Fidanza, Mercedes; Lalía, José; Ortemberg, Leonardo; Loiza, Mónica
Fonte: Murcia, Universidad de Murcia, Servicio de Publicaciones Publicador: Murcia, Universidad de Murcia, Servicio de Publicaciones
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
ENG; SPA
Relevância na Pesquisa
37.16%
El hipercortisolismo ha sido señalado como causante de enfermedad renal por compromiso del compartimento glomerular. Su identifi cación precoz y no invasiva se realiza mediante el estudio cualitativo y cuantitativo de las proteínas urinarias, el primero evalúa el origen y el segundo la magnitud de las pérdidas. Estudios recientes proponen al ácido retinoico (AR) como una alternativa terapéutica efectiva en el Cushing de origen pituitario al uso de ketoconazol (Ktz) y otras drogas de acción antiesteroideogénica. El presente trabajo se realizó con el propósito de, evaluar la proteinuria en perros con hipercortisolismo pituitario dependiente (HPD), y determinar si la terapia con AR y ktz logran controlarla. Se estudió la proteinuria de 22 perros con HPD, 14 tratados con AR y 8 con Ktz, durante 6 meses. La determinación cuantitativa (técnica de Rojo de Pirogalol) mediante la relación proteína / creatinina urinaria (UP/C) determinó que, en 11/22 (50%) el valor fue anormalmente alto (= 0,51); en 3/22 (14%) dudoso y 8/22 (36%) tenían valores de proteinuria consideradas normal (< 0,3). El estudio cualitativo de la proteinuria (técnica SDS-PAGE) indicó que de los 11 perros con UP/C alta, 3/11 tenían proteinuria glomerular (27...

Proteinuria de rango nefrótico y nefroangiosclerosis. Características clínicas y evolutivas diferenciales.

Martín Alemany, Nàdia; Almirall Daly, Jaume
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Publicado em //2012 SPA
Relevância na Pesquisa
37.2%
La proteïnúria de rang nefròtic (>3g/24h) sol considerar-se secundària a una malaltia glomerular. Coincidint amb altres autors hem observat que alguns pacients amb biòpsies renals indicades per proteïnúria de rang nefròtic han estat diagnosticats de nefroangiosclerosi hipertensiva (NAS-HTA). Presentem un estudi retrospectiu en el qual descrivim les característiques clíniques i evolutives d’aquests pacients en comparació amb pacients amb proteïnúria de rang nefròtic d’altres etiologies. Concluïm que s’hauria d’incloure la NAS-HTA en el diagnòstic diferencial de la proteïnúria de rang nefròtic. L’absència d’edemes i una albúmina normal serien un indicador clínic diferenciador amb altres patologies que cursen amb proteïnuria de rang nefròtic i podrien servir d’ajuda en la presa de decisions quan la realització d’una biòpsia renal és controvertida.; La proteinuria de rango nefrótico (>3g/24h) suele considerarse secundaria a una enfermedad glomerular. Coincidiendo con otros autores hemos observado que algunos pacientes con biopsias renales indicadas por proteinuria nefrótica han sido diagnosticados de nefroangioesclerosis hipertensiva (NAS-HTA). Presentamos un estudio retrospectivo en el que describimos las características clínicas y evolutivas de estos pacientes en comparación con pacientes con proteinuria de rango nefrótico por otras etiologías. Concluimos que deberíamos incluir la NAS-HTA en el diagnóstico diferencial de la proteinuria de rango nefrótico. La ausencia de edemas y la albúmina normal pueden ser un indicador clínico diferenciador con otras patologías que cursan con proteinuria de rango nefrótico que pueden ser de ayuda cuando la decisión de realizar una biopsia renal es controvertida.

Proteinuria masiva como factor pronóstico para morbimortalidad materno-fetal en pacientes con preeclampsia severa: reporte de un caso y revisión de la literatura

Castillo-Zamora,Marcos; Álvarez-Jaramillo,Juliana; Escandón-Barón,Ana María; Márquez-Duque,Juan Manuel; Páramo-Díaz,Laura Isabel; Rojas-Figueroa,Ana Carolina
Fonte: Revista Colombiana de Obstetricia y Ginecología Publicador: Revista Colombiana de Obstetricia y Ginecología
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 ES
Relevância na Pesquisa
37.18%
Objetivo: presentar el caso de una mujer de 19 años con embarazo de 24 semanas con diagnóstico de preeclampsia severa y proteinuria en rango nefrótico, y revisar la fisiopatología, histopatología y el pronóstico de la proteinuria masiva en pacientes con preeclampsia severa. Materiales y métodos: se presenta el caso de una paciente de 19 años de edad (G1P0) con embarazo de 24 semanas y hallazgo de cifras tensionales de 120/90 mmHg, quien es hospitalizada en la Clínica Universidad de La Sabana, hospital privado de alta complejidad, por proteinuria aislada de 220 mg/dl para clasificación de trastorno hipertensivo en el embarazo. El estudio de proteinuria en 24 h mostró un resultado inicial de 9 g. Se solicitan exámenes adicionales para preeclampsia los cuales se encuentran dentro de rangos normales. Se realizaron estudios periódicos de proteinuria en 24 horas con tendencia al aumento, cuyo valor máximo fue de 14 g. Posteriormente presenta elevación de cifras tensionales en rango de severidad asociado a síntomas de vasoespasmo e inminencia de eclampsia, por lo cual se finaliza gestación a las 25,4 semanas por cesárea, con posterior fallecimiento del recién nacido. La paciente persiste con cifras tensionales elevadas durante el puerperio...

Proteinuria,fisiología y fisiopatología aplicada

Escalante-Gómez,Carlos; Zeledón-Sánchez,Fernando; Ulate-Montero,Guido
Fonte: Acta Médica Costarricense Publicador: Acta Médica Costarricense
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2007 ES
Relevância na Pesquisa
37.16%
La proteinuria está definida por la presencia de proteínas en la orina. En los adultos se refiere a una excreción urinaria de estas superior a 150 mg en 24 horas. Se ha utilizado como un marcador de lesión renal,constituyéndose en uno de los datos más importantes para el nefrólogo. Sin embargo, patologías tan comunes como la hipertensión arterial y la Diabetes Mellitus frecuentemente manifiestan sus afecciones renales con la presencia de proteinuria, convirtiéndose ahora en un marcador de enfermedades sistémicas y no solo renales. Normalmente, un individuo filtra 5000 mg de proteínas cada día, de los cuales 4950 mg son reabsorbidos en el túbulo proximal del riñón, de manera que la cantidad excretada es poca. En el presente artículo se exponen los diferentes tipos de proteinuria con base en conceptos fisiopatológicos. Hay varios métodos de laboratorio que permiten la cuantificación de la proteinuria, siendo la relación proteinuria / creatinuria y la orina de 24 horas las más utilizadas. La relevancia de esta revisión se muestra al tomar en cuenta que la proteinuria es el factor aislado más importante para determinar el avance y progresión de la enfermedad renal. También se ha mostrado que el riesgo añadido por la presencia de proteinuria fue superior al causado por el tabaco...

Causas y consecuencias de la proteinuria después del trasplante renal

Suárez Fernández,M.L.; G-Cosio,Fernando
Fonte: Nefrología (Madrid) Publicador: Nefrología (Madrid)
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/01/2011 SPA
Relevância na Pesquisa
37.23%
La proteinuria es frecuente después del trasplante renal y afecta a más del 40% de los pacientes al año del mismo. En general, el nivel de proteinuria es bajo (<500 mg/día), pero incluso estos niveles se relacionan con una reducción significativa en la supervivencia del injerto y del paciente. Por este motivo es importante detectar la proteinuria rápidamente después del trasplante e investigar su causa. Al año del trasplante, la proteinuria se puede deber a múltiples causas, entre las que se incluyen enfermedad glomerular, efecto de anticuerpos anti-HLA de clase II, efecto de fármacos como los inhibidores de m-TOR, enfermedad túbulo-intersticial del injerto y discrepancia funcional importante entre el injerto y el receptor. La relación entre la proteinuria y la supervivencia del injerto probablemente sea la causa de la proteinuria. Los motivos de la relación entre la proteinuria y la supervivencia del paciente se desconocen, pero pueden deberse a una relación entre proteinuria y factores de riesgo cardiovascular tradicionales o a una relación entre la proteinuria, la función endotelial y la inflamación. El tratamiento de la proteinuria debe considerar tres aspectos: la causa de la proteinuria, la reducción inespecífica de la proteinuria...

Correlación entre la proteinuria de 24 horas y el índice proteinuria/creatinina en alícuotas de orina: Valor y limitaciones

León,Cristian; Palacios,Aída; Cieza,Michael; Huapaya,Julio; Cieza,Javier
Fonte: Revista Medica Herediana Publicador: Revista Medica Herediana
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2010 ES
Relevância na Pesquisa
37.18%
Objetivo: Estudiar la correlación existente entre la recolección de proteinuria de veinticuatro horas y el índice proteinuria/creatinina tomada de una alícuota de la misma muestra y analizar las variables que afectan la correlación. Material y Métodos: Se seleccionaron 100 personas adultas de diversos servicios hospitalarios y ambulatorios del Hospital Nacional Cayetano Heredia a quienes se les solicitó proteinuria en 24 horas por diversas circunstancias. La proteinuria y la creatinina en orina se midieron utilizando auto-analizadores con técnicas de química seca. Resultados: Un paciente fue excluido por dudosa recolección de la muestra. Hubo 18% varones y 82% mujeres. En la muestra hubo 38% de pacientes gestantes La correlación obtenida en toda la muestra tuvo un r= 0,74 (p<0,001), evidenciándose que la dispersión de los datos ocurrió en presencia de pacientes con proteinuria superior a 7 g/día; con volumen urinario menor a 600 ml/día y pacientes gestantes Al excluir estos datos la correlación tuvo un r= 0,95, p<0,001 (r2 = 0,88, IC 95% 0,79-0,93, p<0,001). Conclusión: Existe una alta correlación entre proteinuria en 24 horas y el índice proteinuria/creatinina tomada en una alícuota. Existen variables críticas que afectan la correlación entre estos dos parámetros: diuresis dudosas...