Página 1 dos resultados de 18753 itens digitais encontrados em 0.012 segundos

Efeito Hipocolesterolemizante da Proteína de Amaranto (Amaranthus cruentus BRS-Alegria) em Hamsters ; Cholesterol-lowering effect of amaranth protein (Amaranthus cruentus L. BRS-Alegria) in hamsters.

Mendonça, Simone
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/03/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.75%
Objetivo. Amaranto é considerado um alimento funcional devido às suas propriedades de redução de colesterol plasmático. Um possível componente do amaranto responsável por este efeito é a proteína.Métodos. Neste estudo, foi produzido isolado protéico de amaranto através da solubilização da proteína em pH 11 e precipitação em pH 5,7, obtendo-se o isolado com pureza de 96% de proteína. Este isolado protéico foi utilizado como fonte de proteínas em dietas experimentais para hamsters que tiveram hipercolesterolemia induzida, previamente, por dieta contendo 30% de caseína e 0,05% de colesterol, durante 3 semanas. Os animais foram, então, distribuídos em três grupos (n=11 animais/grupo) e foram alimentados com dietas contendo: (A) 20% caseína (controle), (B) 20% proteína de amaranto purificada (grupo substituição) e (C) 20% caseína + 10% proteína de amaranto purificada (grupo suplementação). Resultados. Comparando-se com a dieta controle, o grupo da suplementação e o da substituição tiveram dramáticas reduções do nível de colesterol plasmático, 30% (p<0,05) e 51% (p<0,05) respectivamente, enquanto o controle apresentou redução de apenas 7% após os 28 dias de dieta. Já na primeira semana este comportamento de redução para as duas dietas contendo amaranto foi percebido...

A proteína ligadora dos ácidos graxos Sm14 de Schistosoma mansoni: estrutura gênica, polimorfismo, expressão heteróloga em E. coli e significado estrutural e funcional das suas formas polimórficas e mutantes; The Sm14 Schistosoma mansoni fatty acid binding protein: gene structure, polymorphism, heterologus expression in E. coli and structure-functional study of her polymorphic and mutant forms

Ramos, Celso Raul Romero
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
A esquistossomose é a mais importante das doenças helmínticas humanas em termos de morbidez e mortalidade. A proteína Sm14 de Schistosoma mansoni, que pertence à família de proteínas ligadoras de ácidos graxos (fatty acid-binding proteins, FABPs) (Moser et al., 1991), mostrou um bom nível de proteção (65%) contra a esquistossomose em animais experimentais (Tendler et al., 1996). No presente trabalho foram desenvolvidos sistemas de expressão que possibilitará a produção da proteína Sm14 em larga escala em E.coli. Com o intuito de conhecer a estrutura do gene da proteína Sm14, foi clonado um fragmento de DNA genômico de S. mansoni que contém a seqüência codificante da proteína Sm14. Como os outros membros da família gênica das FABP, o gene para a proteína Sm14 contém quatro "exons" separados por três "introns" de 674, 585 e 42 bp. Esta é a primeira descrição da estrutura gênica de um membro das FABP correspondente a um helminto. A Sm14 é uma proteína que pode ser potencialmente usada como vacina. Estudamos a existência de polimorfismo em duas linhagens de S. mansoni endêmicas do Brasil: LE e BH. Para a análise de polimorfismo, a ORF correspondente à proteína Sm14 foi amplificada por RT-PCR do RNA total de vermes adultos de S. mansoni. Os produtos de amplificação independentes foram clonados no vetor pGEM-T e seqüenciados. As análises de seqüências mostraram duas isoformas principais para a proteína Sm14: Sm14-M20...

Clonagem, expressão, purificação e caracterização estrutural da proteína ribossomal L10 humana recombinante; Cloning, periplasmic expression, purification and structural characterization of human ribosomal protein L10 recombinant

Pereira, Larissa Miranda
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.75%
A proteína ribossomal L10 (RP L10) é uma forte candidata a ser incluída na classe de proteínas supressoras de tumor. Também denominada QM, a proteína em questão é conhecida por participar da ligação das subunidades ribossomais 60S e 40S e da tradução de mRNAs. Possui massa molecular entre 24 a 26 kDa e ponto isoelétrico (pI) 10,5. A seqüência da proteína QM é bastante conservada em mamíferos, plantas, invertebrados, insetos e leveduras indicando que esta possui funções críticas na célula. Com função supressora de tumor, a proteína RP L10 foi estudada em linhagens de tumor de Wilm (WT-1) e em células tumorais de estômago, nas quais se observou uma diminuição na quantidade de seu mRNA. Mais recentemente a RP L10 foi encontrada em baixas quantidades nos estágios iniciais de adenoma de próstata e com uma mutação em câncer de ovário, indicando uma participação no desenvolvimento destas doenças. Como proteína, já foi descrito que esta interage com as proteínas c-Jun e c-Yes, inibindo a ação ativadora de fatores de crescimento e divisão celular. Este trabalho tem um papel importante no estabelecimento da expressão desta proteína solúvel, para estudos posteriores que tenham como objetivo avaliar a ação de regiões específicas que atuam na ligação das subunidades ribossomais 60S e 40S e tradução...

Digestibilidade da proteína e proteína solúvel de coprodutos de trigo para suínos em crescimento

Franceschina, Carolina Schell
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.74%
Uma das vantagens da utilização dos coprodutos do trigo é a redução dos custos de produção, mas esse uso é limitado pela escassez de informações nutricionais acerca desses ingredientes e pelos seus elevados teores de fibra. O objetivo deste trabalho foi, inicialmente, avaliar a composição química de cinco coprodutos de trigo e, por fim, avaliar a digestibilidade dos nutrientes de diferentes coprodutos de trigo na dieta de suínos em crescimento, com ênfase no conteúdo de nitrogênio, e verificar se a proteína verdadeira solúvel do ingrediente pode ser um indicador de proteína digestível em suínos. Inicialmente, foi realizada a análise bromatológica completa, de energia bruta e a determinação da proteína verdadeira solúvel de cinco coprodutos de trigo (grãos de trigo, gérmen de trigo, farinheta de trigo, farelo de trigo fino e farelo de trigo grosso). Na segunda etapa, foi feita a análise de digestibilidade de cinco coprodutos de trigo (farinheta de trigo, farelo de trigo grosso, farelo de trigo fino, farinha de trigo e gérmen de trigo), adicionados às dietas suínos em crescimento, através do método de substituição no qual se substituiu 27% da dieta padrão, à base de milho e soja, pelo ingrediente teste. Foram feitas as análises bromatológicas nos ingredientes...

Proteína Bruta e Proteína Ideal para Frangos de Corte no Período de 1 a 21 Dias de Idade

Araújo, LF; Junqueira, Otto Mack; Araújo, CSS; Laurentiz, AC; Almeida, JG; Serrano, PP
Fonte: Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas Publicador: Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 157-162
POR
Relevância na Pesquisa
36.73%
Dois experimentos foram realizados com o objetivo de avaliar o desempenho de frangos de corte no período de 1 a 21 dias alimentados com dietas formuladas nos conceitos de proteína bruta e proteína ideal. No primeiro experimento, foram utilizados 400 pintos machos de um dia de idade da linhagem Cobb, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com 2 tratamentos (proteína total e proteína ideal) e 5 repetições de 40 aves cada. No segundo experimento, foram utilizados 800 pintos, 400 machos e 400 fêmeas, em arranjo fatorial 2x2 (2 formulações - proteína bruta e proteína ideal e 2 sexos) com 4 tratamentos e 5 repetições de 40 aves cada. As dietas foram formuladas atendendo às exigências estabelecidas pela DEGUSSA (1997). Aos 21 dias, foram avaliados, o ganho de peso, o consumo de ração e a conversão alimentar. No experimento 1, as aves alimentadas com dietas formuladas no conceito de proteína ideal apresentaram maior ganho de peso e maior consumo de ração. No experimento 2, as aves que se alimentaram com a dieta formulada com base da proteína ideal apresentaram melhor ganho de peso e melhor conversão alimentar, não influenciando o consumo de ração. Os resultados demonstraram que as aves alimentadas com dietas baseadas no conceito de proteína ideal apresentam melhor desempenho.; Two experiments were conducted to evaluate the performance of broilers from 1 to 21 days of age fed diets based on the concept of crude protein and ideal protein. In experiment one...

Proteína bruta para suínos machos castrados mantidos em ambiente de conforto térmico dos 15 aos 30 kg

Hannas, Melissa Izabel; Oliveira, Rita Flávia Miranda de; Donzele, Juarez Lopes; Ferreira, Aloízio Soares; Lopes, Darci Clementino; Soares, José Luiz; Moretti, Andréa Monica
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 476-484
POR
Relevância na Pesquisa
36.75%
RESUMO - Este experimento foi realizado para determinar a exigência de proteína bruta para suínos mestiços (Landrace x Large White), machos, castrados dos 15 aos 30 kg, mantidos em ambiente de conforto térmico. Durante o período experimental, a temperatura da sala manteve-se em 23,1±1,19°C, com umidade relativa de 80,6±4,59% e índice de temperatura do globo e umidade de 69,85±1,38. Foi usado um total de 60 leitões mestiços, machos castrados, com peso médio inicial de 14,8±0,85kg e final de 29,3±2,42 kg. Foi usado delineamento de blocos ao acaso, com cinco tratamentos (17,0; 18,0; 19,0; 20,0; e 21,0% de proteína bruta), seis repetições e dois animais por unidade experimental. O nível de proteína bruta na ração influenciou o ganho de peso diário e os consumos de proteína e lisina diários, que aumentaram linearmente. Entretanto, a conversão alimentar diminuiu linearmente. Não houve efeito do nível de proteína sobre os consumos de ração e energia diários. A taxa de deposição de gordura não foi influenciada, enquanto a taxa de deposição de proteína aumentou quadraticamente até o nível de 20,0% de proteína bruta. Os pesos absolutos do fígado e do intestino e o peso relativo do fígado aumentaram linearmente com o crescente nível de proteína bruta da ração. A concentração de uréia plasmática não foi influenciada pelos níveis de proteína bruta da ração. Suínos mestiços...

Modelagem molecular da interação entre a proteína de fusão do vírus sincicial respiratório humano e inibidores da ação viral. -

Cravo, Haroldo de Lima Pimentel
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 70 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
36.74%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Biofísica Molecular - IBILCE; O Vírus Sincicial Respiratório Humano (hRSV) foi identificado em 1957 e mesmo após vários anos de investigação, nenhuma vacina foi desenvolvida. Acredita-se que a chave de inibição da ação viral são suas glicoproteínas de membrana, em especial a proteína de fusão (F), que com auxílio da proteína de ligação (G), é responsável pela instalação do hRSV na célula hospedeira. Há evidências experimentais de que compostos como flavonóides e glicosaminoglicanos podem diminuir a infecção viral, sendo então a proteína F um bom alvo para a ação destes compostos. O presente estudo utilizou de ferramentas de bioinformática para verificar as possíveis regiões de interação da proteína F com a Heparina Sulfatada e Flavonóides. Os programas de bioinformática foram utilizados para: modelagem dos compostos, caracterização e previsão da estrutura secundária da proteína, modelagem da estrutura terciária e docking molecular entre o modelo da proteína F e as estruturas tridimensionais dos Flavonóides e da Heparina Sulfatada. Modelos válidos foram obtidos para as estruturas tridimensionais dos flavonóides e para o modelo completo da proteína F. As características da proteína incluem um alto nível de conservação na seqüência de aminoácidos e...

O possível papel da proteína ROC1 na expressão da proteína ciclina D1 em melanomas cutâneos

Nai, Gisele Alborghetti
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 94 f.
POR
Relevância na Pesquisa
36.74%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Patologia - FMB; O aumento da expressão de ciclina D1, demonstrado em melanomas cutâneos, provavelmente está relacionado ao potencial invasivo do tumor. A diminuição da proteína ROC1, envolvida na degradação da ciclina D1, pode constituir uma alternativa para explicar o aumento desta proteína na ausência de superexpressão gênica. O objetivo deste estudo foi avaliar a relação da proteína ROC1 com a expressão de ciclina D1 em melanomas cutâneos. Foram estudados 62 casos de melanomas primários de pele e 58 nevos melanocíticos compostos. Realizou-se imuno-histoquímica com marcação para os anticorpos ciclina D1 e ROC1, e hibridação “in situ” fluorescente para avaliação da expressão do gene CCND1. Em 87,9% dos nevos melanocíticos, a expressão da proteína ROC1 foi evidenciada em mais de 50% das células, enquanto nos melanomas ocorreu em 45,2% dos casos (p=0,0014). A correlação entre a expressão da proteína ROC1 e da proteína ciclina D1 foi significativa e negativa em todos os casos estudados (p=0,0008985). Nos nevos melanocíticos, o aumento de expressão de ROC1 em relação à ciclina D1 ocorreu em 86,2% dos casos e nos melanomas em 45...

Vias de sinalização de estresses em plantas : análise da região promotora do gene NIMIN-1 de Arabidopsis thaliana e da proteína ScCBL1 de cana-de-açúcar (Saccharum spp.); Signal transductional pathways under biotic and abiotic stress in plants : functional analysis of NIMIN-1 promoter region in Arabidopsis and characterization of a calcium binding protein (ScCBL1) in sugar cane Saccharum spp.)

Jose Pedro Fonseca
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.78%
Estresses bióticos e abióticos como a seca, salinidade e ataque por patógenos são responsáveis por perdas significantes em culturas de grãos ao redor do mundo. Diversos genes são regulados em resposta a esses fatores e podem ser ativados ou reprimidos para gerar uma resposta específica na planta de maneira a gerar uma resposta de defesa que atenue os efeitos do estresse e promoção de tolerância pela planta. É importante entendermos o funcionamento desses mecanismos moleculares, e dos genes e proteínas envolvidas nestas vias de sinalização para um melhor conhecimento de como estas vias de transdução operam em plantas, bem como no desenvolvimento de variedades de plantas tolerantes. No capítulo I deste trabalho nós descrevemos a análise funcional de um motivo de ligação do fator TGA localizado na região promotora do gene NIMIN-1 que é altamente induzido por ácido salicílico (SA) durante defesa de plantas (estresse biótico). Fatores TGA desempenham um papel chave na defesa de plantas através da interação com elementos presentes na região promotora de genes de defesa para induzir a sua expressão. O ácido salicílico (SA) é um fito-hormônio que induz a expressão do gene que codifica a proteína NIMIN-1. Essa proteína interage com a proteína NPR1/NIM1...

Quantificação nefelométrica da proteína beta-trace para o diagnóstico da fístula liquórica da base anterior do crânio : determinação do valor de corte em fluídos nasais utilizando dois grupos controles; Predictability of quantification of beta-trace protein for diagnosis of cerebrospinal fluid leak : cut off determination in nasal fluids with two control groups

Marcelo Hamilton Sampaio
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.73%
Introdução: A Fístula liquórica da base anterior do crânio é a comunicação anormal entre a cavidade nasal ou os seios paranasais e o espaço subaracnóideo. Sua presença aumenta a incidência de complicações, como principalmente a meningite, com riscos de morte ou de seqüelas, como surdez, déficits motores e cognitivos. O diagnóstico precoce e correto da fistula liquórica é importante para que o tratamento cirúrgico seja realizado o mais brevemente possível. A detecção de liquor em fluidos nasais é realizada como método diagnóstico da fistula liquórica e baseia-se na pesquisa de proteínas específicas do líquor em secreções nasais, e pode ser feita através da pesquisa da β2-transferrina, um teste imunológico caro e pouco disponível no Brasil. Recentemente foi descrita a quantificação nefelométrica da proteína β-trace para a identificação da fístula liquórica, uma proteína específica do cérebro e presente em altas concentrações no líquor. Os dados da literatura sugerem a mesma sensibilidade e especificidade que a β2-transferrina. Grande parte dos laboratórios de análises clínicas possuem o equipamento nefelômetro para a quantificação da proteína β-trace. Objetivo: Determinar o valor de corte para a medida da concentração da proteína β-trace e a previsibilidade do teste em confirmar ou não a presença de fístula liquórica em secreções nasais no dois lados da cavidade nasal. Métodos: Secreção nasal foi coletada de pacientes com suspeita de fístula liquórica e de voluntários saudáveis. Amostras de liquor puro foram usadas. O teste nefelométrico foi utilizado para determinar a concentração da proteína β-trace nas amostras. Os achados durante a cirurgia endonasal endoscópica foram o padrão ouro para o diagnóstico da fístula liquórica. RESULTADOS: Foi encontrado um valor de corte entre 0...

Desempenho e composição corporal de suínos alimentados com rações com baixos teores de proteína bruta

Oliveira,Vladimir de; Fialho,Elias Tadeu; Lima,José Augusto de Freitas; Freitas,Rilke Tadeu Fonseca de; Sousa,Raimundo Vicente; Bertechini,Antônio Gilberto
Fonte: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação Tecnológica; Pesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.75%
O objetivo deste estudo foi avaliar o desempenho e composição corporal de suínos, alimentados com rações com baixos teores de proteína bruta, suplementadas com aminoácidos. Foram utilizados 38 suínos castrados em fase de crescimento, dos quais oito foram abatidos no início do experimento. Os trinta suínos restantes foram distribuídos em cinco tratamentos, com seis repetições em delineamento de blocos ao acaso. Os tratamentos foram rações com 10, 12, 14 e 16% de proteína, e um tratamento com adição de nitrogênio de aminoácido não essencial na ração com 10% de proteína. Os suínos alimentados com as rações 12, 14 e 16% de proteína tiveram maior ganho de peso e melhor conversão alimentar. Ocorreu maior deposição de proteína na carcaça dos suínos que consumiram as rações 14 e 16% de proteína. A deposição lipídica foi maior nos suínos alimentados com rações com 10% de proteína, e menor nos animais alimentados com ração com 16% de proteína. A redução do teor de proteína na ração de suínos até o teor de 12% não influencia o desempenho e a retenção de proteína, desde que as dietas sejam suplementadas com aminoácidos essenciais. Contudo, o decréscimo de proteína aumenta a gordura corporal.

Nível de proteína bruta para codornas de corte durante o período de crescimento

Corrêa,G.S.S.; Silva,M.A.; Corrêa,A.B.; Fontes,D.O.; Santos,G.G.; Lima Neto,H.R.
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.73%
Estudou-se a exigência de proteína bruta de codornas de corte na fase de crescimento. Foram utilizadas 288 codornas européias EV2, de ambos os sexos em delineamento experimental inteiramente ao acaso, cujos tratamentos consistiram de dietas com seis níveis de proteína bruta (23, 25, 27, 29, 31 e 33%) e quatro repetições de doze codornas por unidade experimental. Estudaram-se o ganho de peso (g), peso corporal ao final de cada período (g), consumo alimentar (g) e conversão alimentar (g/g) do nascimento ao 21ºe do nascimento ao 42º dia de idade. No 42º dia de idade, foram aleatoriamente amostradas e abatidas quatro aves por unidade experimental (dois machos e duas fêmeas), para registro dos pesos e respectivos rendimentos das carcaças, cortes nobres (coxas e peito), vísceras comestíveis (fígado, moela e coração) e gordura abdominal. Do nascimento ao 21º dia de idade, houve efeito quadrático dos níveis de proteína da dieta sobre peso corporal, ganho de peso e consumo alimentar, com pontos de máximo em 30,64, 30,65 e 29,02%, respectivamente. A conversão alimentar durante este período apresentou resposta linear, ao nível de proteína bruta da dieta. Houve efeito quadrático dos níveis de proteína bruta da dieta sobre o peso no 42º dia de idade...

Proteína bruta para suínos machos castrados mantidos em ambiente de conforto térmico dos 15 aos 30 kg

Hannas,Melissa Izabel; Oliveira,Rita Flávia Miranda de; Donzele,Juarez Lopes; Ferreira,Aloízio Soares; Lopes,Darci Clementino; Soares,José Luiz; Moretti,Andréa Monica
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2000 PT
Relevância na Pesquisa
36.75%
RESUMO - Este experimento foi realizado para determinar a exigência de proteína bruta para suínos mestiços (Landrace x Large White), machos, castrados dos 15 aos 30 kg, mantidos em ambiente de conforto térmico. Durante o período experimental, a temperatura da sala manteve-se em 23,1±1,19°C, com umidade relativa de 80,6±4,59% e índice de temperatura do globo e umidade de 69,85±1,38. Foi usado um total de 60 leitões mestiços, machos castrados, com peso médio inicial de 14,8±0,85kg e final de 29,3±2,42 kg. Foi usado delineamento de blocos ao acaso, com cinco tratamentos (17,0; 18,0; 19,0; 20,0; e 21,0% de proteína bruta), seis repetições e dois animais por unidade experimental. O nível de proteína bruta na ração influenciou o ganho de peso diário e os consumos de proteína e lisina diários, que aumentaram linearmente. Entretanto, a conversão alimentar diminuiu linearmente. Não houve efeito do nível de proteína sobre os consumos de ração e energia diários. A taxa de deposição de gordura não foi influenciada, enquanto a taxa de deposição de proteína aumentou quadraticamente até o nível de 20,0% de proteína bruta. Os pesos absolutos do fígado e do intestino e o peso relativo do fígado aumentaram linearmente com o crescente nível de proteína bruta da ração. A concentração de uréia plasmática não foi influenciada pelos níveis de proteína bruta da ração. Suínos mestiços...

Aplicação do conceito de proteína ideal para redução dos níveis de proteína em dietas para tilápia-do-nilo (Oreochromis niloticus)

Furuya,Wilson Massamitu; Botaro,Daniele; Macedo,Rosa Maria Gomes de; Santos,Vivian Gomes dos; Silva,Lilian Carolina Rosa; Silva,Tarcila de Castro; Furuya,Valéria Rossetto Barriviera; Sales,Priscila Juliana Pinseta
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.75%
Este estudo foi realizado para se avaliar a redução dos níveis de proteína em dietas para tilápia-do-nilo (5 a 125 g), adotando-se o conceito de proteína ideal. Cento e sessenta peixes (4,40 ± 0,9 g) foram distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado, com quatro tratamentos [25,5; 27; 28,5 e 30% (controle) de proteína digestível], três repetições e dez animais por unidade experimental. Os aminoácidos sintéticos foram suplementados para se manter as proporções de aminoácidos de acordo com o conceito de proteína ideal. Os aminoácidos lisina, metionina e treonina foram suplementados para se obter os níveis de aminoácidos da dieta controle. As dietas foram fornecidas à vontade, durante 83 dias. Não foram observados efeitos dos níveis de proteína sobre o ganho de peso, a conversão alimentar, o índice hepatossomático, o peso da gordura visceral, a taxa de sobrevivência, os níveis de proteína na carcaça e o diâmetro da fibra intermediária. O aumento nos níveis de proteína resultou em redução linear na taxa de eficiência protéica e de retenção do nitrogênio e aumento linear na excreção de nitrogênio. Foi observado efeito quadrático sobre o rendimento de carcaça e o teor de extrato etéreo na carcaça; os melhores valores foram obtidos com 28...

Exigências nutricionais de proteína, energia e macrominerais de bovinos Nelore de três classes sexuais

Marcondes,Marcos Inácio; Valadares Filho,Sebastião de Campos; Paulino,Pedro Veiga Rodrigues; Valadares,Rilene Ferreira Diniz; Paulino,Mário Fonseca; Nascimento,Fernando Barros; Fonseca,Mozart Alves
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.73%
Objetivou-se determinar as exigências de energia metabolizável para mantença, as exigências líquidas de proteína, energia e macrominerais para ganho de peso e a eficiência de transformação de exigências líquidas de proteína para ganho em exigências de proteína metabolizável em bovinos Nelore. Foram utilizados 27 animais (nove machos castrados, nove machos não-castrados e nove fêmeas). Três animais de cada classe foram abatidos ao início do experimento como grupo referência. Os 18 animais remanescentes receberam concentrado (1 ou 1,25% do peso vivo) durante 112 dias e foram abatidos ao final, para determinação de sua composição corporal. As exigências líquidas para ganho de peso foram obtidas derivando-se a equação de predição do conteúdo corporal de cada nutriente em função do logaritmo do peso de corpo vazio. As exigências de energia metabolizável para mantença foram estimadas a partir da regressão linear da energia retida em relação ao consumo de energia metabolizável, enquanto a eficiência de uso da proteína metabolizável para ganho de peso foi estimada pela equação da proteína bruta retida em relação ao consumo de proteína metabolizável. As exigências líquidas de minerais estão de acordo com os valores encontrados na literatura. As exigências líquidas de energia para ganho aumentam de acordo com o peso vivo e as exigências líquidas de proteína para ganho diminuem com o aumento do peso. A eficiência de conversão das exigências líquidas de proteína em exigências de proteína metabolizável é de aproximadamente 50%.

Relação lisina digestível: proteína digestível em rações para tilápias-do-nilo

Gonçalves,Giovani Sampaio; Pezzato,Luiz Edivaldo; Barros,Margarida Maria; Tachibana,Leonardo; Rosa,Maria Julia Santa; Guimarães,Igo Gomes
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.74%
Este estudo foi realizado para determinar a melhor relação lisina digestível:proteína digestível em rações para juvenis de tilápia-do-nilo. As tilápias (11,0 ± 0,43 g) foram distribuídas em 36 aquários (250 litros) numa densidade de seis peixes/aquário. Foram formuladas 12 rações com 22,0; 26,0 ou 30,0% de proteína digestível, com base na composição em aminoácidos digestíveis, e 4,5; 6,0; 7,5 ou 9,0% de lisina, em relação à proteína digestível, fornecidas à vontade durante 60 dias. Houve interação significativa dos fatores lisina digestível/proteína digestível para o ganho de peso, uma vez que o aumento dos níveis de lisina em rações com 26,0 e 30,0% de proteína digestível promoveu aumento linear desse parâmetro. Os melhores valores de conversão alimentar foram obtidos com os níveis de 26,0 e 30,0% proteína digestível, que determinaram aumento do consumo diário de proteína digestível. O nível de lisina promoveu redução linear da conversão alimentar e aumento linear da taxa de eficiência proteica. O nível de 26,0% de proteína digestível pode ser utilizado em rações para juvenis de tilápiado-nilo, entretanto essas rações devem ser formuladas com aminoácidos digestíveis e relação lisina digestível/proteína digestível de 6...

Exigências de proteína de animais Nelore puros e cruzados com as raças Angus e Simental

Marcondes,Marcos Inácio; Valadares Filho,Sebastião de Campos; Oliveira,Ivanna Moraes de; Valadares,Rilene Ferreira Diniz; Paulino,Mário Fonseca; Prados,Laura Franco
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.77%
Objetivou-se estimar as exigências de proteína de animais Nelore, Nelore-Angus e Nelore-Simental, assim como a eficiência de uso da proteína metabolizável para ganho. Foram utilizados 69 animais (23 Nelore, 23 Nelore-Angus e 23 Nelore-Simental): 12 (quatro de cada grupo genético) foram abatidos antes do início do experimento, como grupo-referência, e nove animais foram separados para um ensaio de digestibilidade. Os animais restantes foram divididos em três dietas (ofertas de concentrado na base de 1 ou 2% do peso corporal à vontade e 1% do nível de mantença). Ao final do experimento, todos os animais foram abatidos e a composição corporal e o peso de corpo vazio (PCVZ) determinados. O consumo de proteína metabolizável (CPmet) foi estimado pela proteína microbiana verdadeira digestível média somada à proteína digestível não-degradada no rúmen. As exigências líquidas de proteína para ganho foram estimadas pela proteína retida (PR) em função do ganho de PCVZ (GPCVZ) e da energia retida. As exigências de proteína metabolizável para mantença foram estimadas pelo CPmet em função do GMD e as exigências líquidas para mantença pela PR em função do CPmet. O grupo genético influenciou apenas a relação entre os diferentes ganhos...

Proteína Bruta e Proteína Ideal para Frangos de Corte no Período de 1 a 21 Dias de Idade

Araújo,LF; Junqueira,OM; Araújo,CSS; Laurentiz,AC; Almeida,JG; Serrano,PP
Fonte: Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas Publicador: Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2001 PT
Relevância na Pesquisa
36.73%
Dois experimentos foram realizados com o objetivo de avaliar o desempenho de frangos de corte no período de 1 a 21 dias alimentados com dietas formuladas nos conceitos de proteína bruta e proteína ideal. No primeiro experimento, foram utilizados 400 pintos machos de um dia de idade da linhagem Cobb, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com 2 tratamentos (proteína total e proteína ideal) e 5 repetições de 40 aves cada. No segundo experimento, foram utilizados 800 pintos, 400 machos e 400 fêmeas, em arranjo fatorial 2x2 (2 formulações - proteína bruta e proteína ideal e 2 sexos) com 4 tratamentos e 5 repetições de 40 aves cada. As dietas foram formuladas atendendo às exigências estabelecidas pela DEGUSSA (1997). Aos 21 dias, foram avaliados, o ganho de peso, o consumo de ração e a conversão alimentar. No experimento 1, as aves alimentadas com dietas formuladas no conceito de proteína ideal apresentaram maior ganho de peso e maior consumo de ração. No experimento 2, as aves que se alimentaram com a dieta formulada com base da proteína ideal apresentaram melhor ganho de peso e melhor conversão alimentar, não influenciando o consumo de ração. Os resultados demonstraram que as aves alimentadas com dietas baseadas no conceito de proteína ideal apresentam melhor desempenho.

Novas funções da proteina AIRE : 1) seu papel na resposta mediada por dectina-1 em fagocitos mononucleares humanos. 2) sua associação com a queratina 17, proteina dos filamentos intermediarios; New roles of AIRE protein : 1) AIRE role in Dection-1 mediated patway in human mononuclear phagocytes and 2) AIRE association with keratin-17, a component of intermediate filaments

Luis Alberto Pedroza Talero
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.74%
A Poliendocrinopatia autoimune associada a candidíase e distrofia ectodérmica (APECED) é um síndrome caracterizado pela presença de pelo menos dois sintomas clínicos, endocrinopatia autoimune, sendo que as mais comuns são hipoparatiroidismo, doença de Addison, além de candidíase mucocutânea crônica. É também comum nos pacientes o desenvolvimento de distrofia ectodérmica, como distrofia nas unhas ou alopécia. O APECED é produzido por mutações no gene AIRE, que codifica uma proteína com propriedades reguladoras na transcrição de proteínas ectópicas no timo, o que estaria envolvido na seleção negativa de células T auto-reativas, e conseqüentemente no desenvolvimento da doença autoimune. No entanto a associação da deficiência da proteína AIRE com a suscetibilidade a candidíase ou a distrofia ectodérmica permanecem obscuras. No presente trabalho, investigamos a possibilidade que esta associação esteja envolvida com a expressão e função da proteína AIRE no ambiente extra-tímico. Usando células de sangue periférico de pacientes com mutações no AIRE, e a técnica de SiRNA para silenciar este gene em células de linhagem mielomonocítica THP-1, demonstramos que a proteína AIRE é importante para a resposta via KF-kB dos TLRs e Dectina-1...

Estudio de las propiedades replicativas in vitro de la cepa A663 de Herpesvirus bovino tipo 5 (BoHV-5) y de la función de la proteína Us3; In vitro growth properties of bovine herpesvirus type 5 (BoHV-5) A663 strain and study of the Us3 protein function

Ladelfa, María Fátima
Fonte: Facultad de Ciencias Exactas y Naturales. Universidad de Buenos Aires Publicador: Facultad de Ciencias Exactas y Naturales. Universidad de Buenos Aires
Tipo: info:eu-repo/semantics/doctoralThesis; tesis doctoral; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em //2010 SPA
Relevância na Pesquisa
36.73%
Este trabajo de tesis contribuyo a la caracterizacion de la cepa argentina A663 de Herpesvirus Bovino tipo 5 (BoHV-5) mediante el estudio de sus propiedades replicativas in vitro y del rol de la proteina Us3. En el primer caso se realizaron cineticas de crecimiento y se evaluaron los tamanos de las placas de lisis y de infeccion de las cepas A663 y N569 de BoHV-5. La produccion total de particulas virales infectivas en funcion del tiempo fue similar entre ambas cepas, sin embargo la cepa A663 resulto menos eficiente en la liberacion de particulas virales al medio extracelular y en la dispersion celula a celula, observandose para la cepa A663 una reduccion del 90% y del 80% en el tamano de la placa de lisis y de infeccion, respectivamente. Por otro lado, se secuencio la region codificante para la proteina Us3 de la cepa A663 de BoHV-5 y se observo un alto porcentaje de homologia con las secuencias correspondientes a otras cepas de BoHV-5. Mediante las tecnicas de Northern y Western blot se demostro que el gen us3 se expresa tempranamente (desde los 30 minutos post infeccion) y de manera prolongada (hasta las 48 horas post infeccion). Los ensayos in vitro se realizaron utilizando construcciones que expresaban la proteina Us3 wt o una version mutante de esta proteina que carece de actividad de proteina quinasa...